Nós destacamos, a seguir, as principais personagens que criaram, aprimoraram, praticaram e divulgaram o Ho’oponopono da Identidade Própria® e que foram fontes inspiradoras para a OREM1, durante o processo de conhecimento e entendimento dessa milenar ferramenta de resolução de problemas:

  • Morrnah Nalamaku Simeona
  • Dr. Ihaleakala Hew Len, PhD
  • Joe Vitale
  • Alexander McAllister

Todo o material disponível na internet ou em livros, referente ao tema Ho’oponopono, para nós que estamos aqui no Brasil, seguramente tem como fonte os ensinamentos dessas quatro pessoas. As três primeiras com impacto internacional e a última com impacto notadamente no Brasil.

Eu apenas estarei destacando alguns comentários sobre a importante participação de cada uma dessas pessoas. É realmente fascinante o movimento sincrônico entre elas, aparecendo uma a uma na hora certa e no lugar correto, de maneira perfeita e efetiva, possibilitando a divulgação, para o mundo, dessa importante ferramenta ancestral e milenar de resolução de problemas praticada pelos Kahunas Havaianos.

Vale ressaltar que a colonização do Havaí sofreu forte influência de missionários Cristãos, que através do poder político, legislaram e proibiram as atividades ditas “mágicas” dos Kahunas. Os seus ensinamentos eram, até então, passados somente de geração a geração, de forma oral, unicamente para os iniciados e treinados em memorização.

Morrnah Nalamaku Simeona, Kahuna Lapa’au

Dr. Sebastião de Melo – Coordenador Cultural da Associação de Estudos Huna nos esclarece:

“A palavra Kahuna é um termo antigo e ainda em uso nos dias atuais. É pronunciada ‘ca-rú-na’ e significa em Havaiano ‘guardião do segredo’. A [Psicofilosofia] Huna é um sistema simples e prático de conhecimentos psicológicos e filosóficos. É a sabedoria milenar dos antigos guardiões do segredo, os Kahunas Havaianos, que nos auxiliam a olhar para dentro de nós mesmos e a desvendar os mistérios que nós encerramos em nosso ser (minha observação: desvendar o autoconhecimento).

Os sacerdotes Kahunas de Hawaii eram considerados os guardiões dos mistérios e já possuíam, há cinco mil anos atrás, os nossos modernos conhecimentos da psicologia da alma. Criaram a sua própria filosofia ‘HUNA’ e, por meio de sua medicina, foram capazes de curar [heal] qualquer doença. Eles caminhavam sobre as lavas incandescentes e atuavam sobre as condições meteorológicas. Até hoje os nativos cultuam essa sabedoria ancestral.”

Apenas lembrando que, como base de comparação ao conhecimento milenar do povo Huna (há 5 mil anos atrás), a Ciência Moderna começou a se desenvolver, propriamente, na Europa do século XVI (1501-1600) e a Era da Informação (também conhecida como Era Digital ou Era Tecnológica) começou no Século XX (1901-2000).

O termo Havaiano KAHUNA LAPA’AU significa especialização em medicina e cura [healing]. Um(a) Xamã de cura [healing].

Na Revista Saúde Quântica / vol.4 – nº4/2015, as pesquisadoras Lucia Terezinha Sonaglio e Vania Lucia Slaviero relataram, em artigo técnico publicado, o seguinte:

“Escritos antigos defendem que a Huna é um conhecimento que vem dos mais antigos habitantes da Terra, cuja origem remonta ao continente perdido de MU, também conhecido como Lemúria. O povo de MU formou várias colônias e espalhou o conhecimento Huna por várias regiões como: Birmânia, Índia, Egito, Europa, Américas, sendo, possivelmente, a Atlântida a mais evoluída de todas. O continente de MU submergiu após cataclismos intensos e em seu lugar surgiram as Ilhas Polinésias, há cerca de treze mil anos. No Havaí, com a sobrevivência de habitantes de MU, a sabedoria Huna foi preservada até hoje.

O segredo dos Kahunas foi redescoberto na primeira metade do século XX, no Havaí, pelo psicólogo, linguista e escritor Americano Dr. Max Freedom Long (1889-1971). Max Freedom Long, no livro “O Milagre da Ciência Secreta” (1961) também compartilha a opinião de que ‘os Kahunas vêm de um povo que partiu do Egito através do Mar Vermelho e que, em canoas, chegou ao Havaí’.

Quando chegou ao Havaí, em 1917, aos 27 anos, Max, através de seu mentor, Dr. William Brigham, Curador do Museu Bishop, de Honolulu, que havia estudado os Kahunas durante longos 40 anos, descobriu que esses mestres espirituais tinham segredos que ninguém conseguia desvendar. Depois de 18 anos mergulhado em seus estudos nas áreas da psicologia e da etimologia e dando continuidade aos estudos do Dr. Brigham, em 1935, Max Long chega à conclusão que havia uma filosofia psicoreligiosa por trás do quotidiano do ancestral Havaiano. O Ho’oponopono, como instrumento de cura [healing], através da transmutação de memórias enfermas, é um precioso legado da sabedoria Kahuna.”

Dr. Serge Kahili King, autor do livro “Urban Shaman” (tradução livre: “Xamã Urbano”) afirma que “hoje nós vivemos em uma aldeia global e os ‘Kahunas-urbanos’ têm uma tarefa especial que é a de manter uma vida saudável e harmoniosa no convívio social. A palavra Kahu significa guardião e Huna significa segredo. O verdadeiro significado da palavra Kahuna é: ‘Aquele que é um expert em sua profissão’. Os Kahunas eram especialistas em: agricultura, construção de cabanas e barcos, pesca, astronomia, religião, medicina, psicologia e outras áreas do conhecimento. É o termo aplicado no que nós damos hoje ao título de Ph.D.”

Dr. Serge Kahili King, em seu outro livro “Cura Kahuna” ainda nos acrescenta:

“Os Kahunas são os cientistas e experts técnicos de seu tempo, mas o conhecimento deles se estendia nas esferas com as quais nós estamos começando a tatear no mundo ocidental, numa larga escala. Por exemplo, um navegador podia não somente ser tecnicamente experiente, como também ele podia ser treinado a se comunicar com o vento e as ondas.”

Dr. Serge Kahili King também nos informa que em 1976, de acordo com os websites Wikipedia e Amazing Women In History (tradução livre, “Mulheres Incríveis na História”), a curadora [healer] Morrnah Simeona criou um novo sistema de Ho’oponopono, influenciada pelos seus estudos do Cristianismo (Protestante e Católico), de filosofias Orientais e dos trabalhos de Edgar Cayce, entretanto, essencialmente por sua profunda espiritualidade e  amplo conhecimento das tradições do Havaí.

Morrnah foi a Mestre Principal e criadora do Ho’oponopono da Identidade Própria® – Self I-Dentity through Ho’oponopono® (SITH®).

Foi nomeada um Tesouro Vivo no Havaí em 1983 pela Honpa Hongwanji Mission of Hawai’i (a Missão Honpa Hongwanji do Havaí é um distrito do ramo Nishi Hongwanji do Budismo Jodo Shinshu, uma escola do Budismo Mahayana da Terra Pura – Wikipédia).

Foi a fundadora da organização “Foundation of I, Inc. (Freedom of the Cosmos)”, responsável por divulgar e manter a integridade dos ensinamentos originais do Ho’oponopono.

Ela apresentou treinamentos e palestras sobre Ho’oponopono nas Nações Unidas, em quase uma dúzia de estados nos EUA e em mais de 14 países, entre eles Alemanha, Holanda, Suíça, França, Rússia e Japão.

Morrnah Nalamaku Simeona foi a Kahuna Lapa’au que ensinou a técnica do Ho’oponopono ao Dr. Ihaleakala Hew Len que por sua vez passou ao escritor Joe Vitale, possibilitando, dessa maneira, a divulgação internacional desse poderoso e eficaz processo de cura [healing] dos mestres Kahuna.

Em seu livro “Limite Zero”, o palestrante motivacional Joe Vitale nos informa o lema de Morrnah:

“A querida Morrnah Nalamaku Simeona, criadora e primeira mestre principal do Ho’oponopono da Identidade Própria®, tinha na sua mesa uma placa com os dizeres: ‘A paz começa comigo.’”

Outra inspiradora afirmação de Morrnah Nalamaku Simeona, para se refletir:

“Purifique, apague, apague e encontre o seu próprio Shangri-la. Onde? Dentro de si mesma [autoconhecimento].”

Morrnah afirmou de maneira didática:

“Nós somos a soma total de nossas experiências, o que quer dizer que estamos sobrecarregados por nossos passados. Quando nós experienciamos o estresse ou medo em nossas vidas, se quisermos olhar com cuidado, veremos que a causa é, na verdade, uma memória. São as emoções que estão ligadas a estas memórias que nos afetam agora. O Subconsciente associa uma ação ou pessoa no presente com algo que aconteceu no passado. Quando isto ocorre, emoções são ativadas e estresse é produzido.”

Morrnah também afirmou:

“Nós estamos aqui somente para trazermos paz para a nossa própria vida e se trazemos paz para a nossa própria vida, tudo em nossa volta encontra o seu próprio lugar, o seu próprio ritmo e a sua própria paz”(essa é a essência do Ho’oponopono).

A essência ou foco principal da Psicofilosofia Huna, aplicada pelos Kahunas Havaianos é:

“A mudança de valores e padrões para crescimento espiritual e posterior evolução do ser humano.”

Dr. Ihaleakala Hew Len, PhD – Psicólogo e Terapeuta

Dr. Ihaleakala Hew Len, aprendeu as técnicas do Ho’oponopono com a Sra. Morrnah, vindo a ser, após dez anos de parceria, o seu ajudante, sucessor e divulgador desse processo de resolução de problemas.

Dr. Ihaleakala Hew Len foi trabalhar num Hospital Estatal do Havaí, onde ele permaneceu durante três anos. Foi-lhe destinado um pavilhão psiquiátrico, onde encerravam os criminosos com distúrbios mentais. Era um ambiente tão perigoso que os psicólogos, que lá trabalhavam, desistiam do serviço em um mês, ou por doença ou simplesmente por renúncia. As demais pessoas que atravessavam esse pavilhão caminhavam com as costas contra a parede, temerosas de serem atacadas pelos pacientes.

Dr. Hew Len tinha um escritório no hospital onde podia ter acesso aos prontuários desses pacientes. Revisando cada prontuário, sem sequer conversar ou interagir com nenhum dos pacientes, ele começou a trabalhar consigo mesmo, aplicando o processo de resolução de problemas através do Ho’oponopono, conforme havia aprendido com a Sra. Morrnah.

Dr. Hew Len explica que ele não estava curando [healing] os pacientes mas ele curava [healed] aspectos “doentes” nele próprio. Ele afirma:

“O problema não está com eles, está em você e para mudá-los, é você primeiro que tem que mudar.” [Observação minha: eu chamo esse conceito de “pensar fora da caixa” … esse conceito é difícil de entender? … nos próximos artigos nós estaremos clareando mais a técnica do Ho’oponopono…].

Decorridos poucos meses, aquela situação de terror alterou-se consideravelmente e foi permitido aos pacientes, que deviam estar acorrentados, em razão da periculosidade, caminharem livremente; outros que precisavam estar fortemente medicados começaram a diminuir a sua medicação. E aqueles que jamais teriam a mínima possibilidade de serem soltos, tiveram alta. Além disso os demais atendentes do Hospital começaram a trabalhar de maneira prazerosa, reduzindo as ausências e renúncias, enquanto continuava a aumentar a lista de pacientes que eram liberados. O resultado foi o fechamento total daquele terrível pavilhão. Os resultados foram tão surpreendentes que, de forma resumida, pode-se afirmar que o Dr. Len conseguiu “curar” [heal] os presos conforme ia “curando” [healing] a si mesmo.

Dr. Hew Len (23.01.2008) afirmou:

“Eu limpo(*) para estar na Presença de Deus. Uma vez lá, a Divindade me dará tudo que é perfeito e correto para mim. Eu só sei isso. Essa é a Meta da minha vida. Se eu tenho qualquer meta ou objetivo, é estar na Presença de Deus.”

(*)A palavra “limpo”, do verbo limpar, significa a aplicação da técnica de transmutação de memórias repetitivas limitadoras, que será abordada em detalhes nos próximos artigos…fiquem atentas(os)!).

Dr. Hew Len costumava terminar as suas mensagens com a frase POI (Peace Of I) ou “Paz Do EU”, que significa:

“É a paz que supera todo o entendimento”.

Joe Vitale

Joe Vitale é um palestrante motivacional, muito conhecido no mundo por sua aparição no filme, “The Secret” (tradução livre: “O Segredo”).

Escritor de diversos livros sobre a Lei da Atração, notadamente do livro “The Attractor Factor” (tradução livre: “O Fator Atrativo”), um campeão de vendas em seu lançamento, que o consolidou para o mundo como um dos maiores especialistas no tema.

Joe Vitale teve acesso ao trabalho do Dr. Ihaleakala Hew Len pela internet e acabou escrevendo o livro “Limite Zero”, em parceria com o próprio Dr. Hew Len, visando a divulgação do processo de resolução de problemas através do Ho’oponopono, obtendo sucesso e alcance internacional.

Alexander McAllister

Alexander McAllister é artista plástico (sites: www.soubem.com e www.almcallister.com), como também empreendedor, palestrante, divulgador, terapeuta, facilitador de workshops e vivências Ho’oponopono O Portal®.

Em 2007, McAllister passou a divulgar o Ho’oponopono com o pôster Girassol no web site www.hooponopono.com.br.

Autor do E-Book “A Síntese – Ho’oponopono O PORTAL™ “

Ele é o responsável pelo site http://www.hooponopono.ws/.

Alexander McAllister é o principal responsável pela disseminação do Ho’oponopono no Brasil.

Imagem pexels-skitterphoto-240040.jpg

Muda…
A chuva de bênçãos derrama-se sobre mim, nesse exato momento.
A Prece atinge o seu foco e levanta voo.
Eu sinto muito. Por favor, perdoa-me. Eu te amo. Eu sou grato.
Está feito! Aloha.
Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x