Quem Sou EU?

Observação: [...] Sempre que aparecer um comentário [entre colchetes], durante uma frase, trata-se de um “destaque meu”, normalmente fazendo referência à compatibilidade de um especialista em determinado sistema de pensamento relevante, em relação ao sistema de pensamento do Ho’oponopono.

A questão acima, para ser respondida, mister se faz que tomemos como base o glossário “falante” dos “caracteres” essenciais do Ho’oponopono, elaborado por Dr. Ihaleakala Hew Len, PhD (1939-2022) – psicólogo e terapeuta, que aprendeu as técnicas do Ho’oponopono com a Sra. Morrnah Nalamaku Simeona (1913-1992), Kahuna Lapa’au, idealizadora do Ho’oponopono da Identidade Própria®.

Dr. Hew Len tornou-se, após dez anos de parceria com a Sra. Morrnah, o seu ajudante, sucessor e divulgador do processo de resolução de problemas através do Ho’oponopono.

O Ho’oponopono considera você uma Entidade Única (EU) no Universo, perfeita e única, estendida à imagem e semelhança de Deus.

Morrnah Simeona deu o nome de Identidade Própria® para essa Entidade Única (EU) que é VOCÊ.

Glossário do Dr. Hew Len: “Eu sou a Identidade Própria®. Eu sou composta por quatro elementos: Inteligência Divina, Mente Supraconsciente, Mente Consciente e Mente Subconsciente. A minha base, Vazia e Infinita, é uma réplica exata da Inteligência Divina.”

Os quatro elementos da Identidade Própria® possuem funções definidas no processo de resolução de problemas através do Ho’oponopono.

O processo de resolução de problemas exige a plena participação de cada um dos quatro elementos da Identidade Própria®.

Dr. Hew Len esclarece que: “O propósito da vida é ser a Identidade Própria®, como a Divindade criou a Identidade Própria®, em sua semelhança exata, Vazia e Infinita. Todas as experiências de vida são expressões de memórias se repetindo e Inspirações. Depressão, pensamento de dor, culpa, pobreza, ódio, ressentimento e amargura são ”frentes de lamentações”, como Shakespeare escreveu em um dos seus Sonetos.”

No site da Associação de Estudos Huna, em interessante artigo de Jens Weskott, temos mais informações a respeito dos 4 elementos da Identidade Própria:

“Como todo conhecimento, a Sabedoria Huna evoluiu e incorporou mudanças. Entre outras coisas, isso vale para a tradicional técnica de resolução de problemas através do Ho’oponopono. A venerada Kahuna Morrnah Simeona, que lecionou na Universidade do Havaí, concentrou-se nos problemas interiores das pessoas. Colocou o foco no papel relevante do Subconsciente e seu contato – através do Supraconsciente – com a Divindade. Acima dos três níveis da Mente – Subconsciente (Unihipili), Consciente (Uhane) e Supraconsciente (Aumakua) – reafirmou a presença e a ação da Divindade na condução de uma vida harmoniosa. Enquanto à vontade, ao ego e ao Consciente longamente enaltecido era retirado o seu papel de controlador.”

Interessante passagem no livro “No Mundo Maior” psicografado por Francisco Cândido Xavier e ditado pelo espírito do Dr. André Luiz, onde um instrutor espiritual nos esclarece:

“Não podemos dizer que possuímos três cérebros simultaneamente. Temos apenas um que, porém, se divide em três regiões distintas. Tomemo-lo como se fora um castelo de três andares: no primeiro situamos a ‘residência de nossos impulsos automáticos’, simbolizando o sumário vivo dos serviços realizados; no segundo localizamos o ‘domicílio das conquistas atuais’, onde se erguem e se consolidam as qualidades nobres que estamos edificando; no terceiro, temos a ‘casa das noções superiores’, indicando as eminências que nos cumpre atingir. Num deles moram o hábito e o automatismo; no outro residem o esforço e a vontade; e no último demoram o ideal e a meta superior a ser alcançada. Distribuímos, deste modo, nos três andares, o Subconsciente, o Consciente e o Superconsciente. Como vemos, possuímos, em nós mesmos, o passado, o presente e o futuro.”

Em seu livro “A Biologia da Crença”, Dr. Bruce H. Lipton nos acrescenta um importante ponto a ser considerado, em compatibilidade com o sistema de pensamento do Ho’oponopono: “O conceito da ‘Assinatura Energética’ que nos faz Entidades Únicas no Universo, assim como cada célula de nosso corpo físico é única com a sua assinatura energética específica.”

Você é uma Entidade Unidade (EU) em todo o Universo.

Você é um INDIVÍDUO!

Significado da palavra “indivíduo” de acordo com o site Significados, no link https://www.significados.com.br/individuo/: “Indivíduo consiste num ser individual, conhecido pela sua existência única e indivisível. Este termo costuma ser utilizado como sinônimo de cidadão, ou seja, um ser humano inserido num ambiente social. Nas ciências biológicas, um indivíduo é todo o organismo vivo que pertence a uma espécie, distinguindo-se dos demais devido as suas características particulares. Já para a Sociologia e Filosofia, o indivíduo – como sinônimo de ser humano/cidadão – é aquele que possui uma identidade própria que o distingue dos demais indivíduos.”

Inteligência Divina

Glossário do Dr. Hew Len: “Eu sou a Inteligência Divina. Eu sou o Infinito. Eu crio Identidades Próprias e Inspirações. Eu transmuto memórias ao Vazio.”

O Ho’oponopono nos ensina que a Inteligência Divina [podemos chamar de Deus, Divindade, Eu Sou, Alá, Alfa e Ômega, Altíssimo, Criador, Soberano Senhor, Pai, Todo Poderoso, Campo Unificado, Matriz Divina, Pai, Senhor, Jeová, Javé, Adonai, YHWH, Eloim, Adonai, Olorum, Vida, Energia Única Criadora ou outro nome divino que você esteja mais familiarizado(a)] não é um Ente separado como, de certa forma, fomos levados a crer por imposição filosófica-religiosa, mas sim que estamos todos interligados a esta Fonte Única Criadora [a própria física quântica comprova a interligação de tudo o que existe num campo eterno e infinito de todas as possibilidades e probabilidades].

O Ho’oponopono ensina que esta interligação e contato com a Inteligência Divina se dá através da Mente Subconsciente e da Mente Supraconsciente, com a participação pontual da Mente Consciente detentora do livre-arbítrio (poder de escolha e da vontade), quando efetivamente consciente e ativa.

Como Morrnah Simeona suavemente compartilha:

“Podemos apelar para a Divindade que conhece o nosso projeto pessoal, para a cura de todos os pensamentos e memórias que estão nos segurando neste momento”.

“É uma questão de ir além dos meios tradicionais de acesso ao conhecimento sobre nós mesmos.”

Como o Ho’oponopono funciona? Morrnah Simeona continua:

“O principal objetivo desse processo é descobrir a Divindade dentro de si mesmo(a). O Ho’oponopono é um profundo presente que permite desenvolver uma relação de trabalho com a Divindade interna e aprender a pedir que, em cada momento, nossos erros de pensamentos, palavras, feitos ou ações sejam purificados. O processo é essencialmente sobre a liberação, a liberação completa do passado.”

Dr. Deepak Chopra, em seu livro “Criando Prosperidade”, presenteia-nos com uma nova visão do que de maneira costumeira chamamos de Deus, para a nossa reflexão:

“O campo unificado [que chamamos de ‘Deus’] nutre a tudo na criação, desde uma árvore até o movimento das estrelas e galáxias, desde a migração dos pássaros até o movimento de nosso sistema imunológico, desde o processo digestivo que acontece em nosso interior até os batimentos de nosso coração. Tudo é nutrido. Ele não apenas nutre a totalidade dessas atividades, como integra cada uma com todas as outras.”

Com o objetivo de desmistificar e reprogramar a noção equivocada da ilusão da separatividade de Deus, de um Deus julgador e punitivo como algumas religiões apregoam e de maneira a alinhar com o princípio do Ho’oponopono de que a Divindade (Inteligência Divina) está em cada Identidade Própria, buscamos no livro “O Universo Autoconsciente – como a consciência cria o mundo material”, de autoria do Dr. Amit Goswami, físico, professor, parapsicólogo e adepto do misticismo quântico, uma resposta à seguinte pergunta:

“Por que, então, em nossa experiência comum, nós nos sentimos tão separados? A separatividade, insistem os místicos, é uma ilusão. Se meditarmos sobre a verdadeira natureza de nosso ser, descobriremos, como descobriram os místicos de muitas eras e tempos, que só há uma consciência por trás de toda diversidade. Meister Ekhart, o monge dominicano do século XIII, escreveu: ‘Nesta iluminação, percebo que Deus e eu somos um só. Depois, eu sou o que era e, então, nem diminuo nem aumento, porque então eu sou uma causa imóvel que move todas as coisas’. E, finalmente, Jesus de Nazaré teria declarado: ‘Eu e o Pai somos um só’.”

Dr. Deepak Chopra ainda acrescenta em seu livro “Criando Prosperidade”, como segue para nossa reflexão:

“A Unidade Por Trás da Diversidade – A consciência de unidade é um estado de iluminação em que perfuramos a máscara da ilusão que cria fragmentação e separação. Por trás da aparência de separação existe um campo unificado de plenitude, onde a cena e o observador são uma só coisa. Vivenciamos a unidade de consciência quando estamos apaixonados, quando entramos em contato com a natureza, admirando as estrelas ou caminhando na praia, ou ouvindo música, dançando, lendo poesia, orando e experimentando o silêncio da meditação. Na unidade de consciência, nos esgueiramos pela barreira do tempo para entrarmos no parque de diversões da eternidade. Quantas vezes já dissemos algo como: ‘A paisagem era incrível, quase perdi o fôlego diante da beleza das montanhas. Foi como se o tempo tivesse parado’. Nesse momento você e as montanhas tornaram-se um só. Em um nível muito profundo de percepção sabemos que eu, você, as montanhas e tudo o mais somos o mesmo Ser em diferentes roupagens. Isso é o estado de amor, não de amor como sentimento, mas como de verdade máxima no seio de toda a Criação.”

São palavras que Jesus teria dito, segundo João 10:37: “O Pai está em mim e eu nele”.

A Divindade está em nosso interior … A separatividade é uma ilusão!

Uma outra visão interessante sobre a ilusão da separatividade nos é oferecida pela transcrição de uma palestra proferida pelo Dr. Kenneth Wapnick denominada “Introdução Básica a Um Curso em Milagres”, que resumimos a seguir:

“O livro ‘Um Curso em Milagres’ descreve o Espírito Santo como o Elo de Comunicação entre Deus e Seu Filho separado (T-6.I.19:l). Já que acreditamos que estamos separados de Deus — Deus está lá e nós estamos aqui — o Espírito Santo é a Resposta e desfaz a separação pois atua como um elo entre o lugar onde pensamos estar e onde estamos verdadeiramente, que é de volta à Deus. O fato de existir um elo nos diz que não estamos separados. Assim, no momento que acreditamos existir uma separação, naquele mesmo instante Deus a desfez. E assim o desfazer da separação é o Espírito Santo. Esse é o sistema de pensamento conhecido como Mentalidade Una e é a base de sustentação para tudo que vamos abordar [no livro Um Curso em Milagres]. Não é algo que possa ser compreendido, tem que ser aceito. Quando estivermos de volta no Céu, nós compreenderemos e não teremos mais perguntas.”

Ao estudarmos os ensinamentos da Bíblia (Antigo e Novo Testamentos) e o que caracteriza as missões de Moisés e de Jesus Cristo, à luz da Ciência Mental, chegamos à conclusão que o fundamento dessas importantes e impactantes obras desses dois grandes Mestres está em apenas duas proposições:

1) “Deus é UM SÓ” e

2) “Nós somos seres criados à imagem e semelhança de Deus”.

No livro “O Evangelho de Tomé”, de autoria do pesquisador e escritor espírita Hermínio C. Miranda, temos a seguinte e  importante mensagem: 

“Entre os ensinamentos que Jesus teria transmitido a Madalena, segundo O Evangelho de Maria, encontra-se isso: ‘A matéria gerou uma paixão sem igual que procede de algo contrário à natureza. A matéria constitui, portanto, morada provisória do espírito no seu incômodo estado de separação, quando, após ter sido um só (com Deus), fez-se dois. Toda a sua aspiração deve ser canalizada para a recuperação do conhecimento liberador que um dia o levará de volta à unicidade em Deus. O mundo material não passa de uma prisão'”.

O livro “El Milagroso Poder Del Pensamiento” (tradução livre: “O Miraculoso [Incrível] Poder Do Pensamento”), de autoria de Dan Custer, traz-nos mais insight na compreensão do tema sobre a ilusão da separatividade:

“Visto que você sabe que é a Vida personalizada, individualizada e visto que pensa ou utiliza a mente individualmente – a mente criativa – é livre para escolher como a utilizará! ‘Eu’ é um ponto de Vida que é consciente de Si mesmo e que é criativo porque escolhe como utilizará a Lei da mente. Esse ‘Eu’ é Deus individualizado. Moisés e Jesus o descobriram por si mesmos. Quando descobrimos isso por nós mesmos, experimentamos uma sensação de poder. Esse ‘Eu’ é Deus individualizado.”

Para finalmente desfazer a ilusão da separatividade, fechamos nossa abordagem com o que disse Joseph Campbell, mitologista, escritor, conferencista e professor universitário estadunidense, famoso por seus estudos de mitologia e religião comparada:

“O mistério da vida está além de toda concepção humana. Tudo o que conhecemos é limitado pela terminologia dos conceitos de ser e não ser, plural e singular, verdadeiro e falso. Sempre pensamos em termos de opostos, mas Deus, o Supremo, está além dos pares de opostos, já contém tudo em Si Mesmo”.

Mente Supraconsciente – Aumakua – Pai

Glossário do Dr. Hew Len: “Eu sou a Mente Supraconsciente. Eu vigio a Mente Consciente e a Mente Subconsciente. Eu reviso e faço as mudanças apropriadas na petição Ho’oponopono feita à Inteligência Divina pela Mente Consciente. Eu sou livre de recordações e não sou afetada pelas memórias se repetindo dentro da Mente Subconsciente. Eu sou sempre una com a Inteligência Divina. Conforme se move a Inteligência Divina assim se move a Mente Supraconsciente.”

Em Havaiano a Mente Supraconsciente é chamada de Aumakua (conhecida também como Pai, o Grande Espírito, Eu Superior, Mente Espiritual, Mente Intuitiva, Deus-Pessoal, Consciência Cósmica, o Cristo, o Reino dos Céus, o Reino de Deus, Nirvâna, Samadhi, Satori, Bodhi, Moksha, Mente de Iluminação).

Max Freedom Long em seu livro “Milagres da Ciência Secreta”, também define a Mente Supraconsciente (Aumakua), que estamos resumindo abaixo:

  • Eu Superior chamado pelos Kahunas de Aumakua, que significa “O Grande Espírito”;
  • Parental, totalmente confiável;
  • Espécie de Anjo-da-Guarda;
  • Possui o conhecimento direto do passado, do presente e parte cristalizada do futuro;
  • Simbolizado pelo sol e pela luz;
  • Está ligado com os Poe Aumakua (*);
  • O seu corpo etérico é invisível;
  • Kino Aka (corpo, molde sombreado, substância sutil) é representado comumente como um halo de luz em pinturas religiosas;
  • A sua energia Mana-Loa é uma frequência mais alta e elevada.
  • Essa energia é usada para transformar o molde invisível da matéria.
  • Essa energia é usada pelos Kahunas em curas instantâneas, mudanças do futuro, etc.”

(*) Mencionamos acima os Poe Aumakua e no site da Associação de Estudos Huna gentilmente está disponibilizada a seguinte definição: “Os Kahunas chamavam os Eus Superiores unidos de POE AUMAKUA, ‘Grande Companhia dos Eus Superiores’. Não há nada de bom que sejamos chamados a fazer em nossas vidas que o Aumakua não tenha aprendido a fazer. Poe Aumakua – Grande Companhia dos Eus Superiores – é uma fonte infindável de auxílio e guia, bastando convidá-los a tomar os seus lugares adequados no viver dos três eus, que é a nossa vida.”

A Mente Supraconsciente que está mais próxima da Inteligência Divina, não atua, não cria, não reage, pois ela simplesmente É.

Dr. Hew Len chama a Mente Supraconsciente de “estado Zero”.

Na busca por melhor entendimento sobre a Mente Supraconsciente, chegamos ao livro “Within You Is The Power” (tradução livre: “Dentro de VOCÊ Está O Poder”), do autor Henry Thomas Hamblin, onde extraímos a inspiradora mensagem, compatível com o sistema de pensamento do Ho’oponopono:

“Toda inspiração vem da Mente Universal através da Mente Supraconsciente. Todos os poetas e escritores inspirados obtém as suas inspirações desta forma. A mente mais elevada não é reconhecida pelos psicólogos, porém é de longo tempo reconhecida pelos buscadores da verdade espiritual. Essa mente mais elevada também é chamada de Mente de Iluminação, pois aqueles que a acessam tornam-se iluminados [minha observação: Moisés, Gideão, Elias, Buda, Sócrates, Jesus, Paulo, Plotino, Maomé, Roger Bacon, Dante, Francis Bacon, Ramakrishna Paramahansa, entre outros…do livro ‘Consciência Cósmica’, autor Dr. Richard Maurice Bucke…o autor também foi um iluminado], estando aptos a conhecer a Verdade e a ver o que eles realmente são, não os que eles falsamente aparentam ser através dos sentidos. O Universo real é Espiritual e infinito: o que nós percebemos é um limitado, parcial conceito de um fragmento disso. Quando, porém, nós possamos alcançar a Mente Supraconsciente, nossa consciência se expande, transcende os sentidos e as limitações do plano físico. Alguém que está em perfeita sintonia, torna-se, através da Mente Supraconsciente, um recipiente de conhecimento que é sobre-humano e de sabedoria divina. Vale ressaltar que toda Sabedoria deve vir do Interior. Enquanto livros e palavras escritas podem ser úteis, é o Espírito dentro de nós que ilumina a palavra e a faz real e verdadeira para o buscador de Sabedoria.”

O livro “Huna – A Cura Polinésia – Manual do Kahuna”, do autor Zanon Melo, também nos esclarece sobre o que é a nossa Mente Supraconsciente:

“Nosso Eu Superior, entra em contato conosco – normalmente – durante nosso sono – através dos Cordões-AKA. Nossos pensamentos do dia, com nossos planos, esperanças, temores, amor, ódios, são examinados e duplicados em formas pensamentos e ao mesmo tempo, alguma sobrecarga de MANA é retirada de nosso corpo e transformada, pelo EU Superior, em energia vital de alta-voltagem denominada MANA-LOA, para que o nosso Eu Superior, materialize ― nossos planos e pensamentos do dia, em ― futuro breve. Essas formas-pensamentos são denominadas pelos Kahunas como sementes pois crescerão em nosso futuro, como assim as desejarmos. Assim padrões de comportamento, sentimento e pensamento precisam ser MODIFICADOS, pois somos os construtores de nosso futuro! PERMITA QUE AS BENÇÃOS RECAIAM SOBRE VOCÊ! Nosso Eu Superior não apenas retira Força Vital de nós, mas devolve (transmuta) todos os nossos desejos e isso pode ser visualizado como o transbordamento da água da fonte, sobre nós. Depois de conscientemente contatar o nosso Eu Superior – AUMAKUA – e lhe enviar uma oferta de sobrecarga de MANA, na forma de PRECE-AÇÃO, o Kahuna termina a sua ação com estas palavras: A Prece atinge o seu foco e a Chuva de Bençãos derrama-se sobre mim, neste momento! O contato com o nosso Eu Superior e com todas as Conexões Divinas, pode ser feito, diariamente, de maneira consciente, mas precisa ser solicitado.”

No livro acima mencionado “Consciência Cósmica”, Dr. Richard Maurice Bucke explora o conceito de Consciência Cósmica [Mente Supraconsciente], que ele define como “uma forma de consciência mais elevada do que a que possui o homem”, que buscamos resumir:

“A Consciência Cósmica é o terceiro tipo de consciência, que está tão acima da Autoconsciência [Mente Consciente] quanto esta está da Consciência Simples [Mente Subconsciente]. Naturalmente, com essa terceira consciência, ambas, a Consciência Simples e a Autoconsciência, persistem (assim como a Consciência Simples persiste quando a Autoconsciência é adquirida), mas a elas é acrescentada a nova faculdade tantas vezes já mencionada e a ser mencionada neste livro. A característica fundamental da Consciência Cósmica é, como o seu próprio nome indica, de uma consciência do Cosmos, isto é, da vida e da ordem do Universo. Juntamente com a consciência do Cosmos ocorre uma aclaração ou iluminação intelectual, que por si só colocaria o indivíduo num novo plano de existência – torná-lo-ia quase um membro de uma nova espécie.”

Temos um reforço no conceito de Mente Supraconsciente no livro “O caminho ao Eu Superior segundo os Kahunas” – Editora FEEU – de autoria de Ceres Elisa da Fonseca Rosas, conforme segue:

“O nome que os Kahunas davam para o nosso terceiro eu é Aumakua. Quer dizer ‘Espírito paternal totalmente confiável’, estando implícito nas raízes da palavra que é composta de uma parte feminina e outra masculina, sendo, portanto, andrógino.

O Aumakua vive em seu corpo aka fora do corpo físico, mas ligado ao eu básico pelo cordão aka, podendo ficar próximo ou a uma certa distância, porém sempre ao alcance do chamado. Se os três eus estão trabalhando normalmente, o Eu Básico, a pedido do Eu Médio, pode a qualquer tempo chamar o Eu Superior e dar-lhe a sua mensagem pelo cordão aka. De acordo com a crença dos Kahunas, todos os acontecimentos e circunstâncias solicitados nas preces são primeiramente moldados pelo Eu Superior em substância aka como um molde invisível e depois, sendo-lhe oferecido o suprimento necessário de força vital ou energia desse plano, são materializados ou solidificados no mundo físico. Assim, todas as preces, não importa a quem são dirigidas, passam primeiro pelo Eu Superior, que está no final do cordão usado para as transmissões e porque ele é o ser mais elevado que podemos contatar diretamente.

O Eu Superior pode, à sua discrição, contatar outras entidades ainda mais elevadas na escala evolutiva, se assim for necessário, encaminhando-lhes os pedidos que não puder concretizar. Além disso, não são isolados, mas fazem parte de uma associação ou agrupamento chamado “Poe Aumakua” ou a “Grande Companhia de Aumakuas”, interligados de tal forma que podem ajudar-se mutuamente.

O Eu Superior é considerado o anjo guardião do ser humano e o seu símbolo é o sol ou a luz. Os Kahunas acreditavam que, assim como o homem é uma trindade de espíritos, deve haver uma trindade de seres constituindo o Deus Supremo, que chamavam de Ku, Lana e Kanaloa, de acordo com as lendas tradicionais. Eram, porém, considerados tão evoluídos que pairavam acima da capacidade de compreensão do nível humano, de modo que eram personificados como grandes homens de poder mágico, que criavam mundos e pessoas e governavam sobre eles.

Assim, não se preocupavam muito com essa noção de Deus Supremo, mas limitavam-se a procurar o contato com o Eu Superior, pois sendo um povo lógico e sábio, reconheciam a impossibilidade do Eu Médio ser capaz de entender a natureza até mesmo do Eu Superior, que é parte integrante do próprio homem, somente um estágio evolutivo acima do Eu Médio. Como então teria a possibilidade de entender o Deus Supremo?

É o Eu Superior de cada um, portanto, que se encarrega da cristalização de nosso futuro captando, especialmente durante os momentos de sono do corpo físico a média dos pensamentos do dia com a sua carga completa de temores, desejos, apreensões etc. Assim, ao temermos muito algo, estaremos contribuindo para a sua concretização, pois o Eu Superior não interfere em nosso livre arbítrio, a não ser que aprendamos a contatá-lo corretamente e se peça a destruição desse futuro já cristalizado e a criação de outro, da forma como veremos mais detalhadamente depois.

O Eu Superior pode efetuar a cura instantânea, em que o molde aka constituído pelo corpo etéreo do Eu Básico é esvaziado das partes quebradas ou doentes, sendo desmaterializadas e depois preenchidas pelo Eu Superior com matéria sã e perfeita.

O Eu Superior pode realizar outras coisas, sozinho ou associado ao Poe Aumakua, tais como controlar as condições do tempo, ou a vida dos animais, insetos ou plantas.

O Aumakua tem uma mentalização que parece incluir a capacidade de lembrar-se e de usar um poder de raciocínio muito superior ao do Eu Médio. É capaz de ver o passado e o futuro já cristalizado.

Por causa da limitação de nossas mentes como Eus Básicos e Médios, não podemos entender totalmente a forma de operar e de ser do Eu Superior mas podemos amar esse Eu Divino, sabendo que Ele nos ama a todo tempo, não importa o que fizermos e estará sempre pronto a responder ao nosso pedido de auxílio, quando assim solicitarmos com fé e emoção. Somos nós, os Eus mais inferiores que colocamos limitações na ajuda que pode nos ser fornecida pelo nosso Eu Superior, cujo amor é infinito e ilimitado.”

Outro importante destaque no livro “Consciência Cósmica”, temos no capítulo 12 uma referência ao estado de Consciência Cósmica alcançado por Honoré de Balzac, talvez o maior nome da literatura pós-revolucionária da França. Balzac se refere, nesse capítulo, aos três estados de Consciência, conforme segue em resumo:

“Segue-se que existem três graus de ser humano. Como instintivo [Mente Subconsciente], ele se encontra abaixo do nível; como abstrativo [Mente Consciente], ele alcança o nível; como especialista [Mente Supraconsciente], ele o ultrapassa. O especialismo abre para o ser humano a sua verdadeira carreira: o Infinito desponta nele – ele capta um vislumbre do seu destino.”

Em outro parágrafo Balzac prossegue: 

“Existem três mundos – o mundo natural, o mundo espiritual e o mundo divino. A humanidade se move para cá e para lá no mundo natural, que não é fixo nem em sua essência nem em suas propriedades. O mundo espiritual é fixo em sua essência e variável em suas propriedades. O mundo divino é fixo em suas propriedades e em sua essência. Consequentemente, há uma adoração material, uma adoração espiritual e uma adoração divina; as três se manifestam por ação, palavra e oração, ou (para expressar isto de outro modo) ato, compreensão e amor. O instintivo deseja atos; o abstrativo volta-se para ideias; o especialista vê a meta, aspira a Deus, a quem percebe ou comtempla interiormente.”

Dr. Bucke então nos esclarece sobre o dito de Balzac:

“Em outras palavras: Os homens que vivem inteiramente ou quase inteiramente em Consciência Simples flutuam na corrente do tempo, do mesmo modo que os animais – sendo levados pelas estações do ano, pelo suprimento de alimentos, etc., etc., assim como uma folha é levada numa corrente, não por movimento próprio, nem por equilíbrio próprio, mas movida por influências externas e equilibrada por forças naturais, como os animais e as árvores.

O ser humano plenamente autoconsciente avalia a si mesmo e é por assim dizer centrado em si mesmo. Sente que é um ponto fixo. Julga todas as coisas com referência a esse ponto. Mas fora dele próprio (como sabemos) nada há de fixo. Ele confia naquilo que chama de Deus e não confia em si próprio – é um deísta, um ateu, um cristão, um budista. Acredita na ciência, mas a ciência está constantemente mudando e raramente lhe dirá, em qualquer caso, alguma coisa que valha a pena saber. Então, ele está fixo num ponto e nele se move livremente.

O homem dotado de Consciência Cósmica, sendo consciente de si mesmo e consciente do Cosmos – o seu significado e o seu movimento – está fixo fora e dentro, ‘em sua essência e em suas propriedades’.

A criatura dotada apenas de Consciência Simples é uma palha flutuando numa corrente de água; move-se livremente com toda e qualquer influência. O ser humano Autoconsciente é uma agulha, um ponteiro, que gira com um pivô em seu centro – fixado num ponto, mas girando livremente sobre o mesmo. O ser humano com Consciência Cósmica é a mesma agulha, magnetizada. Está ainda fixado pelo seu centro, mas, além disso, aponta firmemente para o norte – encontrou algo real e permanente fora de si mesmo e não pode deixar de se voltar invariavelmente para isso.”

Em Lucas 17:20-1, temos uma passagem referente a Jesus:

“E interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o reino de Deus [minha observação: a Consciência Cósmica, a Mente Supraconsciente é o chamado ‘reino de Deus’], respondeu-lhes, e disse: o reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui, ou, ei-lo ali; porque eis que o reino de Deus está dentro em vós.”

Dr. Richard Maurice Bucke explica:

“O reino não está fora, mas dentro. É uma parte (uma faculdade) da mente mesma.”

Thomas William Rhys Davids, estudioso britânico da língua páli e fundador da Pali Text Society acrescenta:

“Que é então Nirvâna [Consciência Cósmica, Mente Supraconsciente], que significa simplesmente apagar soprando – extinção – sendo bem claro, pelo que já foi dito, que não se pode tratar de extinção da alma? Trata-se da extinção da pecaminosa, cobiçosa condição da mente e do coração, que – se não é extinta – é a causa de renovada existência individual segundo o grande mistério do Karma. “Nir” = apagar, “vana” = soprando. A interpretação tibetana para Nirvâna é uma frase longa que, segundo Burnouf significa ‘o estado daquele que está livre do sofrimento’ ou ‘o estado em que a pessoa encontra seu Eu interior em que ela assim está livre’. Isso é confirmado no trabalho completo e valioso de Beal sobre o budismo chinês, onde a versão chinesa do Parinirvâna Sutra sânscrito contém o seguinte: ‘Nirvâna é apenas isso. Em meio ao sofrimento não há nenhum Nirvâna e no Nirvâna não há sofrimento’.”

Mente Consciente – Uhane – Mãe

Glossário do Dr. Hew Len: “Eu sou a Mente Consciente. Eu tenho o dom da escolha. Eu posso permitir as memórias se repetindo ditarem para a Mente Subconsciente e para mim as experiências vividas, ou eu posso iniciar a liberação delas através do Ho’oponopono incessante. Eu posso pedir orientação à Inteligência Divina.

Em Havaiano a Mente Consciente é chamada de Uhane (…conhecida também como Mãe, Eu Médio, Eu Intelectual, Mente Objetiva, Mente Intelectual, Intelecto, Mente Conceptual, Mente Racional, Persona, Mente Autoconsciente, Mente da Autoconsciência, Lono, o Espírito que Fala…).

Max Freedom Long em seu livro “Milagres da Ciência Secreta”, também define a Mente Consciente (Uhane), que estamos resumindo:

  • Eu Médio chamado de Uhane, “O Espírito que Fala”;
  • O Eu Consciente, mente racional, persona;
  • Possui o poder do raciocínio, a força de vontade, a imaginação;
  • Sem memória, produz pensamentos comuns do dia-a-dia;
  • O molde invisível Kino Aka do Eu Médio é menos denso que o do Eu Básico;
  • A sua energia Mana-Mana, dupla-força, é de voltagem mais alta que o Mana do Eu Básico;
  • Usada pelo Eu Médio em todos os pensamentos e atividades da vontade.”

Dr. Hew Len ainda nos esclarece para a nossa reflexão (pensar fora da caixa):

“O intelecto, a Mente Consciente, acredita que é o solucionador de problemas. Que controla o que acontece e o que é vivenciado. No livro ‘A Ilusão de Quem Usa: Reduzindo o tamanho da Consciência’ (versão em inglês ‘The User Illusion: Cutting Consciousness Down to Size’), o jornalista de ciências Tor Norretranders pinta uma imagem intrigante e surpreendente da Consciência. Ele cita estudos e pesquisas, particularmente do Professor Benjamin Libet, da Universidade da Califórnia, em São Francisco, que mostra que decisões são tomadas antes que a Consciência as faça. E que o Intelecto não é ciente disso, acreditando que é ele que decide.” Vamos explorar um pouco mais esse experimento logo à frente…

Thomas Troward em seu livro “The Creative Process in the Individual” (tradução livre: “O Processo Criativo no Indivíduo”) acrescenta informações importantes sobre a Mente Consciente e a evolução da raça humana, que estamos resumindo:

“A evolução dos mamíferos mais desenvolvidos, incluindo os chimpanzés, os cetáceos e os humanos, criou um novo nível de consciência chamado “Autoconsciência” ou Mente Consciente. Foi um passo muito importante em termos de desenvolvimento. A mente anterior, predominantemente Subconsciente, é o nosso ‘piloto automático’; já a Mente Consciente é nosso ‘controle manual’. Por exemplo: se uma bola é jogada em direção ao seu rosto, a Mente Consciente, mais lenta, pode não reagir em tempo de evitar a ameaça. Mas a Mente Subconsciente, capaz de processar cerca de 20 milhões de estímulos ambientais por segundo versus 40 estímulos interpretados pela Mente Consciente no mesmo segundo, nos fará piscar e nos desviar (Norretranders, 1998). A Mente Consciente também pode avançar e retroceder no tempo ao passo que a Mente Subconsciente opera apenas no momento presente.”

Dr. Maxwell Maltz em seu livro “The New Psycho-Cybernetics” (tradução livre: “A Nova Psico-Cibernética”) apresenta uma espécie de “descrição de cargo” da Mente Consciente, que apresentamos em resumo:

“É responsabilidade da Mente Consciente:

  • Examinar e analisar as mensagens que nos chegam, aceitar as que são verdadeiras e rejeitar as que são falsas;
  • Formar conclusões lógicas e corretas;
  • Decidir o que você quer, selecionar os objetivos que você deseja alcançar e se concentrar nesses mais do que naquilo que você não quer;
  • Prestar estrita atenção às tarefas em questão, aquelas que você está realizando e no que está acontecendo ao seu redor, assim essas novas mensagens sensoriais podem manter o seu mecanismo automático (minha observação: a Mente Subconsciente) sempre atualizado sobre o ambiente e permitir que ele responda de maneira espontânea.
  • Não é responsabilidade de sua Mente Consciente Racional, entretanto, criar ou fazer a tarefa em questão.
  • Não podemos extrair pensamento criativo do Mecanismo Criativo [Mente Subconsciente] através de um esforço consciente.
  • Como o Mecanismo Criativo trabalha de maneira espontânea, reagindo às necessidades presentes e correntes, não temos um certificado antecipado de garantia dos resultados almejados. Nós somos forçados a ter uma posição de fé e somente acreditando e agindo desta maneira, recebemos certamente sinais e maravilhas.
  • Apresentar problemas e identificá-los, mas, por sua natureza, ela não é ‘construída ou elaborada para resolver problemas.’
  • O Pensamento Consciente Racional seleciona o objetivo, colhe informações, deduz, induz, avalia, estima e inicia o movimento de ação. Ele não é, entretanto, o responsável pelos resultados.
  • A Mente Consciente é a mente que trabalha com resultados por organização e isso pode ser considerado como função do cérebro.
  • É a mente com a qual fazemos negócios.
  • É a mente que opera através dos cinco sentidos físicos.
  • Ela nasce, desenvolve-se, amadurece e finalmente declina e morre com o corpo físico.
  • Ela controla, em grande medida, todo o sistema voluntário.
  • Ela é capaz de raciocinar de ambas as formas dedutiva e indutiva.”

No livro “Cura Kahuna”, Dr. Serge King ainda nos acrescenta sobre as funções da Mente Consciente:

“Adicionalmente às faculdades de percepção, análise, integração e vontade, os Kahunas atribuem à mente consciente a importante faculdade de imaginação criativa (laulele), segundo a qual você pode propositadamente imaginar uma condição que deseje fortemente experimentar como realidade física. É pelo uso desta faculdade que você pode conscientemente desenvolver novos dons, expandir a sua percepção, resolver problemas, mudar crenças e direcionar energia. Os Kahunas colocam grande estresse no treinamento desta faculdade porque é tremendamente importante para dirigir as atividades do subconsciente (Ku) e no fornecimento de padrões para o Eu Superior. Carl Jung foi um dos primeiros psicólogos a enfatizar o uso da imaginação criativa e isso está se tornando mais e mais popular com as pessoas percebendo o seu potencial.”

Extraímos, em resumo, do livro “The Power of Your Subconscious Mind” (“O Poder do Subconsciente”, no Brasil), do autor Joseph Murphy, Ph.D., um dos mais famosos escritores do movimento do Novo Pensamento, importantes pontos de reflexão sobre a Mente Consciente que apresentamos a seguir:

“A nomenclatura geralmente usada para distinguir as duas funções de sua mente é a seguinte:

  • a mente objetiva e a subjetiva,
  • a mente consciente e a subconsciente,
  • a mente desperta e a adormecida,
  • o ego externo e o ego profundo,
  • a mente voluntária e a mente involuntária,
  • o macho e a fêmea e muitos outros termos.

VOCÊ pensa com a Mente Consciente – e seja lá o que comumente pense será absorvido por sua Mente Subconsciente, que cria imagens de acordo com a natureza dos seus pensamentos.

Lembre-se: é o mundo interior, isto é, os seus pensamentos, as suas emoções, os seus sentimentos e as suas fantasias, que fazem o seu mundo exterior [afirmação alinhada aos princípios do Ho’oponopono e da Psicofilosofia Huna].

A lei de sua mente é, em suma, a seguinte: Você obterá uma reação ou resposta da sua Mente Subconsciente de acordo com a natureza da ideia ou pensamento que formou na Mente Consciente.

A sua Mente Consciente é a mente racional, a área da mente que escolhe, faz opções.

O pensamento normal de sua Mente Consciente cria marcas profundas na Mente Subconsciente. Isso lhe é bastante favorável, se seus pensamentos habituais são harmoniosos, construtivos e de paz.

Agora você já deve estar compreendendo que a sua Mente Consciente é a ‘sentinela no portão’, sendo que a sua função principal é proteger a Mente Subconsciente de falsas impressões.

Você deve sempre se lembrar de que uma sugestão não pode impor à Mente Subconsciente algo que esteja contra a vontade da Mente Consciente. Em outras palavras: a sua Mente Consciente possui o poder de rejeitar a sugestão dada [a Mente Consciente tem o livre arbítrio].

Seja lá o que a Mente Consciente/Racional do homem acreditar, a Mente Subconsciente aceitará e agirá de acordo.

Quando você cria obstáculos, impedimentos e dilações em sua Mente Consciente, está negando a sabedoria e a inteligência de sua Mente Subconsciente.

Quando você procura solução para um problema, o seu Subconsciente responderá, mas espera que você chegue a uma decisão e a um julgamento correto em sua Mente Consciente.

Poema ‘Invictus’ de William Ernest Henley:

‘Não importa o quão estreito seja o portão e quão repleta de castigos seja a sentença, eu sou o dono do meu destino, eu sou o capitão da minha alma’.

Lembre-se: Você tem a capacidade de escolher. Escolha a vida! Escolha o amor! Escolha a saúde! Escolha a felicidade!”

Dr. Serge King nos esclarece de forma didática, para a nossa reflexão, importantes aspectos sobre a nossa Mente:

“Numa complexa ação conjunta, as memórias genéticas programadas contribuem para formar as memórias aprendidas ou experienciais, num continuum espaço/tempo de experiências. Essa situação diferencia o ser humano (Homo sapiens) dos outros animais. O desenvolvimento de tudo que existe na natureza depende das memórias genéticas programadas criadas filogeneticamente (próprias de cada espécie, são memórias responsáveis pela estrutura física/mental próprias para a manutenção da espécie) e ontogeneticamente (próprias de cada indivíduo, são memórias que mantêm a estrutura anatofisiologica próprias de cada indivíduo). Essa concepção está de acordo com os ensinamentos de Max Freedom Long que diz: ‘Tudo na natureza tem Aumakua [Mente Supraconsciente] e Unihipili [Mente Subconsciente] mas somente o homem possui Uhane [Mente Consciente]’. O que diferencia o ser humano dos demais animais é que eles possuem memórias que lhes dão um pensamento dedutivo (responsável pelos instintos) e o ser humano, além disso, possui o pensamento indutivo que propicia as descobertas que vão além das necessidades que se restringem à conservação da espécie. No ser humano desenvolve-se também uma nova situação devida às memórias pneumogenéticas (são as memórias referentes ao crescimento espiritual, geneticamente programadas no plano espiritual, antes do nascimento) próprias do crescimento e desenvolvimento espiritual no sonho básico de vida atual e que é própria de cada indivíduo.”

Dr. Carl Jung disse, para nossa meditação sobre esse tema:

“Até você tornar-se consciente, o inconsciente irá dirigir a sua vida e você irá chamá-la de destino”.

Mente Subconsciente – Unihipili – Criança

Glossário do Dr. Hew Len: “Eu sou a Mente Subconsciente. Eu sou o depósito de todas as memórias acumuladas desde o início da criação. Eu sou o lugar onde as experiências são vivenciadas como memórias ou como Inspirações. Eu sou o lugar onde o corpo e o mundo residem como memórias se repetindo e Inspirações. Eu sou o lugar onde os problemas residem como memórias reagindo.”

Em Havaiano a Mente Subconsciente é chamada de Unihipili (conhecida também como Criança, Eu Básico, Eu Emocional, Eu Instintivo, Inconsciente, Mente Subjetiva, Anima, Mente Emocional, Mente Receptiva, Mente da Consciência Simples, Mente da Alma, Self Ku, Corpo/Mente).

Max Freedom Long em seu livro “Milagres da Ciência Secreta”, também define a Mente Subconsciente (Unihipili), que estamos resumindo:

  • Eu Básico chamado de Unihipili, subconsciente, anima, possui memória e emoção;
  • É ilógica e controla as funções do corpo, os fios Aka, as formas-pensamento;
  • Sujeita à sugestão, apoia-se nos cinco sentidos, possui a telepatia;
  • O corpo etérico Kino-Aka do Eu Básico adere a tudo o que toca, cria finos fios Aka, conduzem a energia Mana;
  • A sua energia Mana é também chamada de força vital, prana, chi, ki, orgone, etc.;
  • Energia de baixa frequência, produzida pelo corpo e armazenada no corpo Aka do Eu Básico;
  • Pode fluir por fios Aka para outras pessoas ou pelo corpo físico.”

Fios Aka: fios que conduzem a Mana/Força Vital (Kahunas).

Dr. Hew Len nos esclarece:

“A premissa básica do Ho’oponopono é a ideia de que todas as coisas que estamos experienciando em nossa vida e em nossos relacionamentos, positivas ou negativas, dolorosas ou agradáveis, são criadas e manifestadas por “bits de informação”, “programas” ou memórias em nossa Mente Subconsciente. A Mente Consciente pode somente processar poucos “bits de informação” a cada tempo, enquanto nossa Mente Subconsciente está processando milhões de “bits de informação” neste mesmo tempo.”

Nesse meu processo de estudo sobre a Mente, tenho sempre me deparado com referências à questões sobre o instinto e o hábito, que busco torná-las compreensíveis através das explicações contidas no importante livro “Cura Kahuna”, do Dr. Serge King, especialista na psicofilosofia Huna, a saber:

“A Mente Subconsciente (Ku) responde a dois tipos de ‘programação’: instinto e hábito. Instinto, como definido aqui, se refere a todas as chamadas funções involuntárias do corpo como o crescimento, o desenvolvimento, a manutenção e a percepção ou transmissão sensorial ou extra-sensorial. A ideia Kahuna é que elas são programadas dentro de Ku [Mente Subconsciente] pelo deus-pessoal (Aumakua) na época da concepção. Deste ponto de vista, a molécula de DNA seria uma expressão da programação e não uma causa. O hábito inclui todo comportamento programado dentro de Ku diretamente ou indiretamente, pela Mente Consciente (Lono). É um comportamento aprendido, como oposto do instintivo. Programação direta pode envolver a aplicação da vontade de Lono, como ao aprender a dirigir um carro; e programação indireta pode envolver aprendizado permitido, como a aceitação e incorporação do medo paterno de cobras, ou da chamada predisposição hereditária dirigida a um certo tipo de doença.”

Em artigo disponibilizado pela Associação de Estudos Huna, disponível no site https://www.huna.org.br/, podemos acrescentar:

“A Unihipili se manifesta pelo desejo, alimentando os sentidos físicos com suas memórias genéticas através do corpo e pelas memórias aprendidas dos grupos musculares. É o que derrama lágrimas. Não conseguimos derramar lágrimas sem antes sentirmos emoções (amor, ódio, medo, raiva). Todas essas emoções provêm da memória da Unihipili que dão condições de pensar à Uhane; podem ser tão fortes a ponto de superar a vontade da Uhane. Sua principal função é a memória. Graças à Unihipili, podemos aprender, lembrar, desenvolver habilidades e hábitos, manter a integridade do corpo e guardar um sentido de identidade durante o dia a dia.”

Para conhecermos um pouco mais como funciona a nossa Mente Subconsciente, em analogia ao Gênio da Lâmpada Mágica, podemos destacar do livro “As You Wish” (tradução livre: “Como você desejar”), das autoras Carol Gates e Tina Shearon, a seguinte afirmação para nossa reflexão:

“Acima de tudo, preste vigorosa atenção a todo pensamento que você tiver. A sua Mente Subconsciente é como o Gênio da Lâmpada Mágica. Ela não distingue entre positivo e negativo, bom ou mal. O Gênio recebe todo pensamento como um comando [uma ordem, uma sugestão, uma autossugestão…] e sai a trabalhar para manifestar na realidade física.”

Do livro “Learn to Use Your Subconscious Mind” (tradução livre: “Aprenda a Usar a Sua Mente Subconsciente”), de Paul Cresswell, podemos acrescentar importantes informações à respeito da Mente Subconsciente, que buscamos resumir (podemos também considerar como uma espécie de “descrição de cargo” da Mente Subconsciente):

“A Mente Subjetiva é uma entidade distinta. Ela ocupa todo o corpo humano e quando não em conflito de qualquer espécie, tem absoluto controle sobre todas as funções, condições e sensações do corpo. Enquanto a Mente Objetiva tem controle sobre todas as funções voluntárias e movimentos, a Mente Subjetiva controla as silenciosas, involuntárias e vegetativas funções. Nutrição, resíduos, todas as secreções e excreções, movimento do coração, circulação do sangue, pulmões na respiração e toda a vida celular, alterações nas células e desenvolvimento, estão positivamente sobre o controle da Mente Subjetiva. Essa era a única Mente que os animais tinham antes da evolução do cerebro; e ela não podia e ainda não pode raciocinar indutivamente, mas seu poder de raciocinar dedutivamente é perfeito. E mais, ela pode ver sem o uso dos olhos físicos. Ela percebe por intuição. Ela tem o poder de se comunicar com outros sem o auxílio dos meios físicos ordinários. Ela pode ler os pensamentos dos outros. Ela recebe informação e a transmite para pessoas à distância. A distância não oferece resistência contra as missões bem sucedidas da Mente Subjetiva. Nós a chamamos de mente da alma. É a alma da vida.”

A Mente Subconsciente armazena recordações e questões emocionais. Ela controla o sistema nervoso involuntário que administra sistemas como respiração, digestão e metabolismo. Também está em comunicação com o Universo como um todo. Em particular, está conectada com a mente global, ou Inconsciente Coletivo da Humanidade.

John Curtin, em seu Webinario sobre Ho’oponopono, esclarece-nos:

“O Subconsciente é o lugar onde guardamos todos os padrões de pensamentos repetitivos acumulados ao longo de milênios e milênios de evolução. Também existem denominações conforme nossa cultura. Em “Todo Amor” [nome do Workshop de John Curtin), por exemplo, chamamos de padrões herdados; em psicologia podem chamar de padrões de comportamento, etc., etc., porém basicamente são pensamentos que se tornaram cristalizados em crenças.”

Do livro “The Power of Your Subconscious Mind” (tradução livre: “O Poder do Subconsciente”), de Joseph Murphy, extraímos uma série de importantes informações (analogia à “descrição de cargo” acima mencionada), que resumimos a seguir:

  • “O grande segredo possuído pelos grandes homens de todas as épocas foi a capacidade de entrar em contato com a Mente Subconsciente e liberar os poderes dessa. Você pode fazer o mesmo.
  • O seu Subconsciente tem resposta para todos os seus problemas. Se você sugerir ao seu Subconsciente, antes de dormir, que deseja acordar às seis horas da manhã, ele o(a) acordará na hora exata.
  • A sua Mente Subconsciente é a construtora de seu corpo, ela não dorme, está em funcionamento 24 horas por dia e pode, portanto, curá-lo(a). Você interfere com os seus padrões de vida, tendo pensamentos negativos.
  • O seu Subconsciente não discute com você: aceita o que a sua Mente Consciente determina. Embora possa ser verdade, nunca diga que ‘- isso está além das minhas posses.’
  • O seu Subconsciente nunca dorme e sempre conhece as soluções de todos os seus problemas.
  • A Lei da Ação e Reação é Universal. O seu pensamento é ação e a reação é a resposta automática do seu Subconsciente ao seu pensamento. Vigie os seus Pensamentos! -Vigiai e orai!
  • Cada pensamento aceito como verdade é enviado pelo cérebro ao seu plexo solar – o cérebro abdominal – e trazido ao seu mundo exterior como uma realidade.
  • Uma imagem mental vale mais do que mil palavras. O seu Subconsciente transformará em realidade qualquer imagem mantida na Mente e sustentada pela fé.
  • William James disse que a maior descoberta do século XIX foi a do ‘poder do Subconsciente sustentado pela fé’.
  • A tendência do Subconsciente é sempre para a vida. O seu trabalho é com a Mente Consciente. Alimente o Subconsciente com premissas verdadeiras. O seu Subconsciente está permanentemente reproduzindo, de acordo com os seus padrões mentais habituais [de acordo com os seus pensamentos dominantes].
  • A sua Mente Consciente e a sua Mente Subconsciente devem estar de acordo. O seu Subconsciente aceita sempre tudo o que você realmente sente como verdadeiro. A ideia dominante é sempre aceita por sua Mente Subconsciente.
  • O seu Subconsciente é um depósito de memórias.
  • O hábito é a função do seu Subconsciente. Não há prova maior do poder maravilhoso do seu Subconsciente que a força e o domínio que o hábito exerce em sua vida. Você é uma criatura de hábitos.
  • Você forma padrões de hábito em seu Subconsciente ao repetir inúmeras vezes um pensamento ou uma ação; é fixá-lo no Subconsciente e torná-lo automático; é assim que se aprende a nadar, dançar, bater à máquina de escrever, andar, dirigir automóvel, etc..
  • A sua Mente Consciente é a máquina fotográfica e a sua Mente Subconsciente é a chapa sensível em que se imprime ou registra a imagem.
  • A grande lei da substituição é a resposta ao medo. O que quer que você receie possui solução sob a forma de um desejo seu. Se você está doente, deseje a saúde. Se você está na prisão do medo, deseje a liberdade. Espere sempre o bem. Concentre-se mentalmente no bem – e saiba que o seu Subconsciente sempre lhe responde. Nunca falha.”
  • Toda vez que você forçar a sua Mente Subconsciente a fazer algo para você, você falhará. O resultado que você deseja ficará mais distante do que perto. A sua Mente Subconsciente não responde a coerção mental. Ela responde à sua fé ou aceitação consciente.”

Uma ótima analogia referente à Mente Subconsciente está disponível em artigo no site da Associação de Estudos Huna, a saber:

“A Unihipili, fazendo-se uma analogia com o que diz o Dr. Serge King, é como uma asa delta perfeitamente desenhada: quando usada, se for excessivamente controlada não vai funcionar como deveria, porém sob uma direção cooperativa fará o que queremos e, sem direção, irá onde as correntes da vida a levarem. Procure, pois, dialogar com a Unihipili, conversar a respeito de sua vida, de seus relacionamentos, de suas necessidades, de seus problemas… E de estar ou não feliz com…  Estabeleça uma relação de confiança. Podemos fazer isso a qualquer tempo.”

Como reforço para se buscar o diálogo amigável e próximo com a Mente Subconsciente, especial excerto extraímos do livro “O caminho ao Eu Superior segundo os Kahunas” – Editora FEEU, de autoria de Ceres Elisa da Fonseca Rosas, conforme segue:

“É nossa tarefa, como eu médio [Mente Consciente], procurar entrar em contato com o eu básico [Mente Subconsciente] e o conhecer profundamente. Para isso é útil procurar saber por que nome gostaria de ser chamado, o qual nem sempre coincide com o nome de batismo e pode ser um nome masculino ou feminino. Para que possamos travar esse delicioso e divertido conhecimento, torna-se necessário desenvolver um sistema de ‘conversar’ com o eu básico. Podemos falar com ele, dizer que desejamos conhecê-lo melhor e divertir-nos brincando juntos. Pode parecer infantil, mas o eu básico é uma criança precoce e pode ser esperto, serviçal, voluntarioso, teimoso, fantasioso, ávido, ou uma mistura disso, de acordo com sua natureza peculiar, tal como uma criança qualquer.”

No site www.astrongchoice.com, o Dr. Alan Strong, especialista em Hipnose, publicou um artigo denominado “The Conscious Mind — Just the Tip of the Iceberg” (tradução livre: “A Mente Consciente – Apenas a Ponta do Iceberg”) onde ele afirma, para o nosso conhecimento e entendimento:

“Todos que tentaram mudar ou eliminar um hábito, puramente através da vontade consciente, enfrentaram o que tem sido conhecido como a Lei do Conflito: sempre quando a sua Mente Consciente e a sua Mente Subconsciente estão em conflito, invariavelmente a Mente Subconsciente vencerá. Força de vontade e/ou autodisciplina frequentemente não serão suficientes. Essa Lei do Conflito pode também ser definida dessa maneira: sempre que imaginação e lógica estão em conflito, imaginação usualmente vence.”

No livro “How to Put The Subconscious Mind to Work” (tradução livre: “Como Colocar a Mente Subconsciente para Trabalhar”), de David V. Bush, voltamos à questão da importância da autossugestão para a relação com a Mente Subconsciente e destacamos o que o autor enfatiza sobre esta questão, para a nossa reflexão:

“O que é autossugestão? – Uma sugestão é uma intimação, insinuação, ideia, pensamento ou algo similar, transmitido ou através dos sentidos físicos – ouvir, falar, ver, cheirar, tocar, degustar – ou direto de mente para mente – ou seja, telepaticamente. Uma autossugestão, claro, é uma sugestão de alguém para si mesmo. Autossugestão é conversar com a gente. Pela prática regular e persistente de conversar com a gente mesmo, podemos realizar coisas maravilhosas em nossa saúde, sucesso e felicidade e em moldar nosso destino.”

Em resumo, do livro “Consciência Cósmica”, do Dr. Richard Maurice Bucke, temos um pedagógico esclarecimento sobre a evolução da mente humana, que agrega valor para a nossa reflexão sobre o sistema de pensamento do Ho’oponopono, em resposta à questão tema de nosso artigo “Quem Sou EU?”:

“Note-se também estas palavras de Bacon (Francis Bacon ou Shakespeare), extraídas de seu ensaio, ‘Da Verdade’ – ‘A primeira criatura de Deus, na criação dos dias, foi a luz do sentido; a última foi a luz da razão; e seu trabalho no Sábado, desde então, é a iluminação do seu espírito’.

Em outras palavras, na evolução da mente humana, foi primeiramente produzida a consciência simples; depois a autoconsciência; e, por último, está sendo produzida hoje a Consciência Cósmica.

Bacon prossegue: ‘Primeiro ele insuflou luz sobre a face da matéria do caos (e produziu vida, consciência simples); depois insuflou luz na face do ser humano (e produziu autoconsciência); e em seguida insuflou e inspirou luz na face de seus escolhidos’ (dotando-os de Consciência Cósmica).

Tem-se dito que grandes são os sentidos, maior do que os sentidos é a mente (a consciência simples), maior do que a mente é o discernimento (a autoconsciência). O que é maior do que o discernimento é isto (a Consciência Cósmica).

E ainda ‘Não será pelo raciocínio que a lei será encontrada; ela está além do âmbito do raciocínio’.”

…continua Parte II…

Referências bibliográficas da OREM1:

  • Carol Gates e Tina Shearon – livro “As You Wish” (tradução livre: “Como você desejar”);
  • Ceres Elisa da Fonseca Rosas – livro “O caminho ao Eu Superior segundo os Kahunas” – Editora FEEU;
  • Dan Custer – livro “El Milagroso Poder Del Pensamiento” (tradução livre: “O Miraculoso [Incrível] Poder Do Pensamento”);
  • David V. Bush – livro “How to Put The Subconscious Mind to Work” (tradução livre: “Como Colocar a Mente Subconsciente para Trabalhar”);
  • Dr. Alan Strong – artigo denominado “The Conscious Mind — Just the Tip of the Iceberg” (tradução livre: “A Mente Consciente – Apenas a Ponta do Iceberg”), no site www.astrongchoice.com;
  • Dr. Amit Goswami – livro “O Universo Autoconsciente – como a consciência cria o mundo material”;
  • Dr. Bruce H. Lipton – livro “A Biologia da Crença”;
  • Dr. Deepak Chopra – livro “Criando Prosperidade”;
  • Dr. Maxwell Maltz – livro “The New Psycho-Cybernetics” (tradução livre: “A Nova Psico-Cibernética”);
  • Dr. Richard Maurice Bucke – livro ‘Consciência Cósmica’;
  • Dr. Serge King – livro “Cura Kahuna”;
  • Francisco Cândido Xavier (ditado pelo espírito do Dr. André Luiz) – livro “No Mundo Maior”;
  • Henry Thomas Hamblin – livro “Within You Is The Power” (tradução livre: “Dentro de VOCÊ Está O Poder”);
  • Hermínio C. Miranda – livro “O Evangelho de Tomé”;
  • Jens Weskott – artigo “Bem-vindo Subconsciente – Graças ao Ho’oponopono”, site da Associação de Estudos Huna disponível no link https://www.huna.org.br/wp/?s=jens;
  • Joseph Murphy – livro “The Power of Your Subconscious Mind” (tradução livre: “O Poder de Sua Mente Subconsciente”);
  • Livro “Um Curso em Milagres” – 2ª edição – copyright 1994 da edição em língua portuguesa;
  • Max Freedom Long – livro “Milagres da Ciência Secreta”;
  • Paul Cresswell – livro “Learn to Use Your Subconscious Mind” (tradução livre: “Aprenda a Usar a Sua Mente Subconsciente”);
  • Site da Associação de Estudos Huna https://www.huna.org.br/ – artigos diversos.
  • Thomas Troward – livro “The Creative Process in the Individual” (tradução livre: “O Processo Criativo no Indivíduo”);
  • Tor Norretranders – livro “A Ilusão de Quem Usa: Reduzindo o tamanho da Consciência” (versão em inglês “The User Illusion: Cutting Consciousness Down to Size”);
  • Zanon Melo – livro “Huna – A Cura Polinésia – Manual do Kahuna”;

Imagem joshua-earle-ICE__bo2Vws-unsplash.jpg

Muda…

A chuva de bênçãos derrama-se sobre mim, nesse exato momento.
A Prece atinge o seu foco e levanta voo.
Eu sinto muito. Por favor, perdoa-me. Eu te amo. Eu sou grato. Está feito! Aloha

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x