Estamos transcrevendo trechos do artigo: “Living in Cooperation on the Earth” [tradução livre: “Vivendo em Cooperação na Terra”], de autoria de Max Freedom Long, editado em 1º de maio de 1951, no Huna Bulletin 54, visando o nosso conhecimento e o nosso entendimento do sistema de pensamento da Psicofilosofia Huna.

O Artigo completo em inglês poderá ser acessado através do site https://www.maxfreedomlong.com/huna-bulletins/huna-bulletin-054/

Tradução livre Projeto OREM®

“Para Huna Research Associates [HRAs]

Cobrindo a abordagem experimental para o uso da Huna em HUNA e campos religiosos e psicológicos relacionados.

Caro HRA e Amigo(a):

Esses têm sido dias difíceis para todos nós. Eu tenho recebido carta após carta mostrando como a ‘guerra de nervos’ travada contra nós de fora e de ambos os lados de nossos próprios partidos políticos nos têm deixado exaustos. Os eventos esgotaram as nossas emoções, de modo que as nossas cargas de Mana têm se mantidas baixas. George[*] tem ficado desanimado, de modo que não tem reabastecido o suprimento de Mana a ponto de nós podermos nos restabelecer rapidamente e recuperar o nosso humor feliz e otimista. Todos nós temos sido atraídos para a agitação emocional. Nós temos sido repletamente bombeados até o ponto de explosão e então esvaziados até nós ficarmos esgotados mentalmente e às vezes fisicamente.

[*] George era o nome adotado por Max Freedom Long para a sua Unihipili (Mente Subconsciente), retratando um ótimo e carinhoso relacionamento com a sua Uhane (Mente Consciente).

Infelizmente, as perspectivas são de que o processo fatal continuará, até mesmo piorará. É por isso que eu quero compartilhar com vocês os pensamentos que vieram para me encorajar em resposta às orações por Orientação.

Esses são os momentos de teste em que cada um de nós tem que ver se a sua profunda integridade interior pode enfrentar a violenta atração das tempestades externas que nos arrastam para o vórtice emocional. Se formos pegos no vórtice, nós seremos arrastados para baixo e para baixo. A partir do buraco, eu ouço gritos selvagens de raiva irracional que enfraquecem apenas quando a força se esgota. Eu ouço homens e mulheres se voltando cegamente contra os seus melhores amigos para descarregar a sua ira reprimida. Coisas fantasticamente pequenas são usadas como base para culpar e insultar. Os nossos dedos dos pés foram dolorosamente feridos como numa topada e, como crianças pequenas, nós temos que ter alguém ou alguma coisa para culpar.

Eu tenho recebido cartas me dizendo que a Huna tem falhado, que eu tenho falhado, que não há mais nenhuma coisa a quem pedir ajuda – que nós podemos desistir de tentar encontrar a Luz ou de manter a fé.

Suponha que nós aceitemos essa opinião sem esperança, desistamos e paremos de tentar. O que então acontecerá? Isso ajuda a situação de qualquer maneira? Eu tenho observado que isso não ajuda. Sentar-se curvado e olhar para uma parede vazia não ajuda. Mas EXISTE uma saída.

Eu não estou afirmando que a Huna ou a religião seja a resposta. Se alguém tem repudiado o último fragmento de sua fé, tem desistido de toda a esperança e tem jogado fora completamente a expectativa de ajuda do homem, deus ou Deus, o próximo passo é recorrer às reservas mais profundas e mais internas de seu próprio ser.

Eu não estou pregando quando eu digo que essa reserva mais profunda está aqui [na Huna]. Eu estou apenas sugerindo que a prova de sua presença seja obtida imediatamente pelo simples ato de provocar isso. Essa reserva mais profunda é o verdadeiro você. É o meu verdadeiro eu. Eu tenho descoberto que por fazer com que a minha mente seja positiva e dando uma forte atração mental para cima, eu sou capaz de aumentar a reserva.

Isso é alguma coisa que permite que a pessoa permaneça positiva e permaneça sozinha, forte e reta, reconhecendo que nada externo pode movê-la. Essa nova força pode não nos trazer cura [healing] ou dinheiro ou alívio da tensão ou pressão, entretanto isso não importa mais – essas expectativas foram deixadas de lado. O que isso dá é força para se levantar – para se destacar. Na falta de um deus, pode-se preencher a falta fazendo-se de deus. A pessoa começa ajudando a outra – por amar só um pouco. MFL

HIPNOTISMO E AUTO-HIPNOSE

Um livreto mimeografado dos HRAs Fred S. e Corinne M. Reinhold, que têm trabalhado com o problema do uso de Dianética, com e sem os elementos do Aumakua e de sugestão Huna. (Ver boletins anteriores para relatórios deles sobre as suas descobertas.) O Dr. Reinhold (D.C. e Ph.C.) tem longa experiência no campo da Psicologia Aplicada e com a Sra. Reinhold explorou o campo com cuidado. Esse livreto é uma descrição curta e precisa dos métodos básicos de uso da sugestão. É uma simplificação da vasta e contraditória literatura sobre o assunto e foi escrito para aqueles que se contentam em deixar as teorias esperar enquanto colocam os métodos à prova. Eu descubro a partir das cartas que muitos HRAs se opõem violentamente ao uso da sugestão. Muitos outros usaram a sugestão e/ou tinham tido a sugestão usada ​​neles (nenhum relatando quaisquer efeitos nocivos, eu posso dizer).

A HRA L.H. escreve sobre as suas experiências ao longo de linhas relacionadas à busca do complexo impeditivo. Ela diz: ‘Eu tenho planejado contar a você sobre um auto método de Psicanálise que atinge o subconsciente. Eu pratiquei isso por mais de 100 horas durante um período de seis meses e eliminei muitas dores psicossomáticas. Elas remontam a eventos no início da infância e alguns ao longo da minha vida. É como uma cadeia [de] associações. A mente salta de volta ao início da vida e pode saltar anos à frente. O livro PSYCHO-ANALYZE YOURSELF, de Farrow, explica exatamente como fazer isso.’ (Eu não tenho visto esse livro, mas gostaria de receber relatos nesse sentido de HRAs que também experimentaram tais métodos. Deve-se lembrar que tais métodos fazem parte da prática aceita defendida por Psicólogos nesse campo.)

DEUSES MASCARADOS

[Há] um novo livro de Frank Waters, que mora no Novo México e conhece e ama os Índios da região. Eu não tenho visto esse novo livro, mas a minha atenção foi chamada por HRA W.P.S., que também mora naquela parte do país e que me lembrou algumas passagens muito interessantes (que eu quase tinha esquecido) no livro anterior do Sr. Waters, The Man Who Killed the Deer. Ela teve a gentileza de copiar os trechos e encaminhá-los para que eu pudesse repassá-los a vocês como forma de revisão do material oferecido na deliciosa série que trata da vida Indiana.

‘No [espaço] kiva, os homens sentam-se em silêncio, hora após hora, vindo a ser dínamos humanos. Chamando pela pequena abertura redonda no chão do kiva o calor e o poder da serpente terrestre adormecida. Chamando das profundezas de seus próprios corpos a sua essencial força vital e cada um chamando através da claraboia aberta a infinita graça e poder que permeia todas as coisas e a consciência no nível da percepção [consciousness] e vontade de sua própria mente estimulada.’

‘E toda essa infusão de força e poder, graça e vontade, eles derramavam como se a partir da sutura sagital na coroa da cabeça, coberta pela mecha do couro cabeludo – a partir da abertura correspondente no topo do kiva. Como um fluxo psíquico vivo e poderoso, eles o direcionavam sobre o foco de concentração única deles.’

HRA WPS continua na carta dela dizendo: ‘Os Índios vivem tão perto da natureza, explica Frank Waters, que eles acreditam que estão em comunhão com os espíritos das criaturas-cervos e pássaros etc.. Eles pedem perdão à Mãe Cervo antes deles matarem um cervo, acreditando que o cervo sacrificará a sua vida de bom grado para que o homem possa viver e o progresso sem fim da vida possa continuar. Eles acreditam que existe uma grande mente e que todos têm que eventualmente fazer parte dela, pois não há felicidade em se afastar do rebanho ……’

ISSO VEM A SER CADA VEZ MAIS CERTO que a Huna foi o grande conjunto básico de verdades a partir do qual se espalharam as crenças agora encontradas na guarda de Índios ou Africanos, Cristãos ou Hindus. Na descrição de Frank Waters do trabalho feito no kiva, nós somos capazes de ver o acúmulo de Mana e a sua projeção para o Aumakua para uso em ajudá-los, os emissores de Mana. Nós vemos a Mana retirada do nível inferior da vida física e usada para capacitar os eus superiores. Isso faz pouca diferença se os Índios realmente fizeram contato com algo adormecido atrás de um símbolo de terra-serpente de força básica, ou Mana. O método frequentemente funciona, apesar do dogmatismo que pode ter surgido para distorcer a verdade.

A MÃE-CERVO e as ‘criaturas-cervo’, ‘criaturas-pássaro’, ‘criaturas-cobra’, etc., se enquadram em nossa classificação erudita como TOTENS. Mas, para superar os estudos de poltrona de nossas grandes ‘autoridades’ e as presunçosas concepções equivocadas, nós temos que voltar às criaturas dos próprios totens. A partir de um estudo prolongado de suas crenças e práticas, emergirá lentamente a grande crença fundamental de que a consciência no nível da percepção [consciousness] é uma coisa em si mesma, não um subproduto da energia que constrói formas de vida em cristal, planta, inseto ou animal.

Uma vasta imagem se espalha diante de nós, emoldurada por limites de espaço e tempo. Na imagem, nós vemos uma consciência no nível da percepção [consciousness] na lendária ‘Queda’. Ela desce de níveis condicionais tipo-deus e anima e direciona a energia da viva para construir substâncias, depois estruturas cristalinas, depois células e grupos de células. Células se juntam a outras células, com especialização de tarefas para cada grupo. A abelha e o peixe emergem, cada um atuando como parte integrante da colmeia ou cardume. COOPERAÇÃO é a lei.

A MÃE-CERVO é apenas o símbolo do universitário que está fora da escola de nível humano, entretanto que ainda não tem aprendido a ser um Aumakua, uma unidade de consciência no nível da percepção [consciousness] Aumakua ‘Totalmente Confiável’. Há sempre o ‘espírito da natureza’ ou a ‘alma grupal’ para vigiar aquelas diminutas e divididas partículas de consciência no nível da percepção [consciousness] que têm descido (por alguma razão misteriosa) para começar bem no fundo da vida evolutiva e começar a trabalhar para cima.

A PARTIR DA DIMINUTA PARTÍCULA de consciência no nível da percepção [consciousness] em um único cristal, cresce, por união e cooperação com outras partículas, uma pedra com uma ampliação da diminuta entidade consciente. Nos níveis mais baixos, todo o crescimento ocorre por fusão com unidades semelhantes. Nesse nível, há apenas o brotar do livre arbítrio. A colmeia, a família e a colônia todos têm que em primeiro lugar aprender a cooperar como a primeira regra de crescimento e progresso ascendente. Os Espíritos da Natureza mais evoluídos fornecem o ingrediente da sabedoria superior para guiar na direção da cooperação. As partículas combinadas de consciência no nível da percepção [consciousness] crescem. Elas evoluem. Elas finalmente se tornam o agregado de consciência no nível da percepção [consciousness] que nós chamamos de Unihipili de um homem – o subconsciente.

NESSE ESTÁGIO, uma coisa estranha acontece. Um subconsciente graduado é colocado no corpo físico com um espírito subconsciente que está em processo de aprendizado. Esse subconsciente graduado é, obviamente, uma Uhane ou um eu mente consciente.

E AGORA UMA COISA AINDA MAIS ESTRANHA DEVERIA SER OBSERVADA. Sobre o par é colocado um espírito da natureza graduado – um Aumakua, que finalmente veio a ser ‘Totalmente Confiável’. Toda a sua atenção é dada a um único homem, ou talvez a um par homem-mulher. Por que? Porque, nessa fase precária, o homem recebe a razão e o livre-arbítrio quase total. Ele deveria começar a mudar por si mesmo. Aos poucos ele aprende a viver quase à parte da família, colônia ou grupo cooperativo. E ao fazer isso ele vem a ser ‘Um só contra o mundo’. Ele aprende da maneira mais difícil que a guerra contra os outros por ganho egoísta é contrária ao crescimento e ao progresso. Nós aprendemos em uma escola muito dura que somente com a ajuda mútua é possível o progresso ser feito. Nós aprendemos que nós somos de fato o guardião [Mente Consciente] de nossa irmã [Mente Subconsciente] e ela a nossa.

ALGUNS DE NÓS QUASE APRENDEMOS ISSO. Essa é a nossa voz estreita e fraca que nós ouvimos implorando pela proibição das guerras e pelo início da assistência mútua ao redor do mundo, implorando pelo uso da razão e do amor e da sabedoria que nós possuímos quando nós trabalhamos cooperativamente em grupos – grupos contendo homens especializados em todos os ramos do conhecimento. No início do progresso ascendente, nós fomos forçados a trabalhar com as nossas unidades companheiras de consciência no nível da percepção [consciousness], agora nós estamos tendo que aprender por nós mesmos que a cooperação é a lei em todos os níveis da existência. Há tanta simplicidade e razão nessa questão que alguém só pode se assombrar com a lentidão da humanidade em entendê-la. Isso é uma simples questão de o mais sábio guiar o menos sábio, de o mais forte ajudar o mais fraco e de todos trabalharem juntos para o bem de todos.

AQUELES QUE TÊM APRENDIDO ESSA LIÇÃO têm avançado para o próximo nível de consciência no nível da percepção [consciousness]. Nós somos capazes de vê-los trabalhando em nosso jardim se nós pararmos para observar as células vegetais trabalhando cooperativamente juntas para expressar a vida no nível daquele tipo específico de planta. Nós podemos até ver um inseto comendo outro para preservar o equilíbrio de poder que faz com que seja possível a cooperação e o progresso em uma escala mais ampla. O aprendiz Aumakua designado para cuidar das minhocas em meu jardim não se preocupa porque ela não está designado para os pássaros. Isso é conteúdo. Ele sabe que TODAS as coisas têm que receber orientação amorosa sob a lei.

Isso é tão importante, que nós tenhamos minhocas tanto quanto homens. Ambos são uma parte de um todo cooperativo no qual a consciência no nível da percepção [consciousness] viva avança em direção a um objetivo há muito imaginado como uma união completa na qual as partículas separadas mais uma vez se unem – unem-se para fazer parte de uma Fonte tão perfeita em sabedoria e amor e poder que isso está além do alcance mais distante da imaginação – vem a ser inclusivo do vasto novo universo no qual nós olhamos atentamente maravilhados através de poderosos telescópios.

ASSIM, NÓS APRENDEMOS SOBRE ‘TOTENS’. Nós aprendemos sobre ‘criaturas minhoca’ e todo o resto. Nós aprendemos que o nosso objetivo mais imediato é virmos a ser ‘totalmente confiáveis’ o mais rápido possível. A essência disso é cooperar para o bem maior. Tão simples, no entanto como nós tropeçamos e erramos e hesitamos em aprender a carregar aquela parte da carga do mundo que nos foi dada para caber em nossa força e em nossa parcela de sabedoria.

NO MEU JARDIM

Eu tenho por mais de um ano tentado olhar atentamente os bastidores e descobrir o aprendiz Aumakua trabalhando. Eu tenho observado sinais de que eles não são tão especialistas em seus trabalhos de supervisionar os pequenos seres vivos. Eu confesso que posso não lidar com os assuntos do jardim como eu vejo que estão sendo tratados, mas ao mesmo tempo é muito claro ver que existem certas regras bastante rígidas e definidas que os amigos invisíveis têm que seguir. As criaturas formiga seguem a sua regra de cuidar dos piolhos das plantas e trazê-los para se alimentarem das roseiras no início da primavera. Isso não é bom para as atividades das criaturas rosa, mas, como nos dizem os Índios, uma forma de vida inferior fica feliz em se entregar a outra que está um pouco mais alta na escala de progressão, para que a vida possa seguir em frente e subir para um nível mais alto.

ACIMA DOS ESPÍRITOS DA NATUREZA é evidente que existe um espírito ainda mais elevado que coordena o trabalho das criaturas plantas e insetos e pássaros e vermes. Uma lei parece bem estabelecida também nesse nível superior e eu descobri que ela incluía a mim e a tudo que eu poderia fazer. Se eu usasse sprays venenosos nos piolhos das plantas, eu perturbava o equilíbrio e desequilibrava ligeiramente a marcha da máquina. Depois de pensar um pouco, eu descobri uma maneira de trabalhar de acordo com as regras do jogo. Como as joaninhas foram envenenadas pelo mesmo spray e impedidas de crescer no tempo certo para comer os piolhos das plantas, eu parei de borrifar.

Eu também deixei alguns santuários em cantos onde as joaninhas pudessem chocar e se multiplicar. Correndo o risco de os transeuntes pensarem que eu estava maluco, eu mantinha conversas unilaterais com os espíritos da natureza, esperando que eles ouvissem e respondessem – e cooperassem comigo para o bem maior do jardim. Tudo corria muito melhor do que antes. As rosas contribuíram em termos de folhas e botões tenros. As formigas e os seus insetos fêmeas contribuíram quase até o último centavo como as joaninhas fizeram o trabalho delas de comer para limpar os arbustos. Com o fim da comida, as joaninhas deram a contribuição de suas próprias vidas, apenas algumas ficaram para manter o equilíbrio.

Verdadeiro, a bondade e a compaixão que nós, como humanos, temos aprendido a manter como ideais, têm pouco lugar nos níveis da vida no jardim, ou mesmo em meu próprio corpo físico, onde o mesmo conjunto de regras têm que ser obedecido se tudo deveria ir bem. Eu como alimentos para tirar a vida a partir de formas inferiores para o meu uso.

A força vital assim reunida é oferecida em parte ao Aumakua na doação de Mana para que eles se tornem capazes e fortes para o trabalho deles de promover o bem de todos. Parece que todas as formas de vida, desde a erva daninha que invade o jardim até a formiga que invade a cozinha, têm um propósito vital para que a onda ascendente da vida possa usá-las. Em minha tarefa, como Uhane, eu sou capaz de ver que eu estou aprendendo os primeiros passos no caminho para vir a ser um espírito da natureza por mim mesmo. Eu vigio a Unihipili e lentamente aprendo a guiá-la nos caminhos da ordem e das leis.

RESPOSTAS ÀS NOSSAS ORAÇÕES

As respostas às nossas orações são muito discutidas em nossas cartas, bem como nos boletins. Embora nós precisemos especular sobre todos os pontos de vista da Huna para aumentar o nosso entendimento, o nosso interesse principal, em sua maior parte, é encontrar maneiras pelas quais nós pudéssemos usar a Huna. Não é suficiente que o Kahuna naturalmente psíquico e altamente treinado de ontem fosse capaz de usar a Huna. Nós necessitamos usá-la por nós mesmos. Nós reclamamos amargamente quando nós tentamos e falhamos, entretanto a oração parece instintiva durante toda a onda da vida. Dos confins da Amazônia, um cientista termina de observar a vida nas selvas intocadas e envia a informação obtida a muito custo: ‘Os animais querem a Deus’. O homem sozinho está falhando em fazer isso – apesar do crescente lamento de oração de todos os cantos do globo.

O PADRÃO DE EQUILÍBRIO NORMAL DA NATUREZA permaneceu por incontáveis ​​séculos enquanto as ondas da vida subiam através das formas de vida. No Egito, os costumes quase não mudaram em cinco mil anos. Mas, nos últimos anos, enquanto tentamos nossas novas asas de descoberta científica sob a permissão do direito inato do livre-arbítrio, nós temos perturbado o equilíbrio natural e temos tomado as coisas em nossas próprias mãos. Nós temos posto à parte as barreiras das distâncias oceânicas e aéreas. Nós voamos pelas cordilheiras. Nós fazemos para as doenças humanas o que eu fiz com o meu spray venenoso em meu jardim. As populações e a inundação de guerras por ‘salas de estar’ provocam desequilíbrios cada vez maiores e guerras sucedem-se a guerras, cada uma maior e mais perturbadora do que a anterior.

CADA PERTURBAÇÃO no equilíbrio normal desequilibra outra coisa. As guerras enfraquecem as estruturas sociais, econômicas e governamentais. Nos pontos fracos saltam os indivíduos gananciosos e predatórios e organizações de indivíduos – até mesmo nações. As vozes daqueles que pedem moderação e cooperação são ecos perdidos, enquanto os gritos daqueles que se empenham em conquistas gananciosas batem nos ouvidos do público de todos os lados. Quem faz uma pausa para considerar a única página comprada com muito custo nos jornais, dando-nos os apelos dos Quakers [Quacres em português] por sanidade e moderação? Poucos, de fato. A maioria dos cidadãos estão sendo guiados cegamente na direção oposta. Ódios e medos são incitados cada vez mais, dia e noite, usando toda e qualquer desculpa ou pretexto, para nos tornar surdos à moderação – para nos tornar dispostos a arriscar a destruição de nós mesmos e de nossos vizinhos do mundo, até mesmo da terra onde as ondas da vida se movem de maneira ordenada.

A REGRA HUNA DE NÃO-FERIR poderia impedir o atual mergulho na escuridão [da humanidade] e a expansão dessa antiga regra Huna, conforme atualizada em [Jesus] ‘Amai-vos uns aos outros’, colocaria os nossos pés no caminho da COOPERAÇÃO e nos tiraria da escuridão em direção à Luz. A Uhane [Mente Consciente], em cada homem são, sabe que é melhor trabalhar e viver juntos em cooperação para o bem mútuo do que destruir e fazer mal por causa do ódio e da ganância. É apenas a Unihipili [Mente Subconsciente] que não sabe disso e não pode entender por causa de ganâncias e raivas cegas que são usadas pelos homens de corações sombrios e propósitos obscuros.

O RESULTADO pode ser um lento crescimento do entendimento em que o homem também aprende a ‘Querer a Deus’ e aprende a lição que lhe foi ensinada em sua ascensão quando pertencia à colmeia ou ao cardume ou ao rebanho – a lição que organizou e a ajuda mútua se enquadra na LEI . Ou, como muitas civilizações passadas parecem ter feito no auge de sua onda mais alta, nós podemos continuar a seguir as atuais tendências de guerra insana até que toda a aparência de equilíbrio normal seja perdida e nós encontremos a nós mesmos sem as ferramentas do trabalho cooperativo – as ferramentas do transporte, das comunicação e da execução da lei. Nesse ponto, a Mãe Natureza entraria em ação e a partir dos [aqueles] que sobrevivessem, novos surgiriam.

CORDÃO AKA DE CONEXÃO COM O AUMAKUA

UMA CARTA DA HRA SRA. A.C. pergunta (1) quão longe está o Aumakua de nós e onde ele está localizado e (2) em que parte do corpo humano o cordão aka está preso – o cordão alcançando o Aumakua – plexo solar, centro do coração, testa ou cérebro?

Eu me lembro de que as mesmas perguntas vieram à minha mente há alguns anos e sinto que as respostas podem ser de interesse geral. Em alguns escritos ocultos, fala-se muito dos vários centros indicados na pergunta acima.

O Kahuna parecia acreditar que a conexão era com o aka ou corpo da Unihipili e que o ponto de ligação estava na região geral do plexo solar – a região da mente da Unihipili sendo aproximadamente localizada no abdômen abaixo do diafragma. A palavra deles, naau, indicava o intestino delgado, a sede do pensamento, dos afetos, das emoções e da inteligência.

Como eu tenho explicado em meu livro e em vários boletins, o contato telepático com o Aumakua está inteiramente nas mãos da Unihipili. Por nenhum ato da vontade nós podemos nos forçar a estar claramente cientes do contato real e das mensagens da forma-pensamento passando de um lado para o outro ao longo do cordão de conexão.

A suposição de que uma conexão semelhante pode existir entre os centros do coração ou do cérebro parece não ter nenhuma evidência de apoio na tradição do Kahuna. Outro ponto é que o contato com o Aumakua continua através do cordão aka quando nós morremos e nos libertamos do corpo físico. Isso oferece prova de que o ponto de ligação está realmente no corpo aka e que o corpo físico é tocado apenas quando o corpo aka impregna ou tinge as partes correspondentes do físico.

O Aumakua não tem um lugar definido na Huna; pode estar perto ou longe, mas como a distância não faz diferença na comunicação telepática, pode ser considerado muito próximo o tempo todo. O Kahuna, no entanto, tinha palavras que indicam a crença de que o Aumakua (um deus – akua) às vezes chegava muito perto do corpo ou até mesmo dentro dele. Akua noho significava: ‘O deus que habita com um homem’. O ‘deus que inspirou o homem’, como ao induzi-lo a fazer um discurso maravilhoso, foi o akua-ulu. Nota: A palavra deus (god, em inglês) foi usada pelos tradutores como o equivalente em inglês de akua. Todas as entidades mais altas na escala do que a Uhane do homem vieram sob essa classificação. A ideia de um único Deus supremo era estranha aos Polinésios, até onde eu sei. O  Supremo deles era uma Trindade – três grandes deuses – e Lono, que parece ter sido um deus menor de uma ordem ligeiramente inferior, entrou em cena em algum ponto indefinido na longa história da Huna, possivelmente emprestado de alguma outra fonte ou representando uma contaminação da teoria original.

UM PIN OU EMBLEMA PARA HRAs

Isso foi sugerido pelo HRA Ernest Bateman, de Seattle, um de nossos Associados mais entusiasmado e firme trabalhador.

Eu estou ponderando esse projeto para ele. Tudo depende de quantos HRAs gostariam que adotássemos um emblema e o fizéssemos de forma a usar como um pin. O projeto pode ser decidido posteriormente, caso haja interesse suficiente.

Eu recebi recentemente de HRA Bateman um lindo suporte e base de pêndulo com um alfabeto em um círculo para [ser] usado com um pêndulo para soletrar mensagens do Aumakua através da Unihipili. Até agora, depois de poucos períodos abertos para fazer testes, não consegui receber mensagens. O Sr. Bateman tem certeza de que está recebendo mensagens autênticas dessa maneira de seu próprio Aumakua e acredita que um código secreto que ele elaborou e colocou em uso está impedindo que espíritos travessos e fingidos no lado invisível se disfarcem como o seu Aumakua, como foi o caso nos primeiros testes feitos nesse experimento.

A ANTIGA INSCRIÇÃO DA TIGELA DE ORAÇÃO

A inscrição está em Aramaico, a língua que Jesus é sabido ter usado. A tradução foi feita por C.H. Gordon, do College Smith, North Hampton, Massachusetts, que diz: ‘O texto foi elaborado para preservar a propriedade e a família dos clientes (dos fabricantes de tigelas ou padres?) das forças do mal. Limiar [threshold] significa habitação, semente [seed] significa filhos. O marido é Grifa ou Qrifa, a esposa Mami – eles são chamados de filhos de suas mães, não de seus pais. Iii e Immaz são nomes femininos. Os nomes são sempre de acordo com as suas mães, não com os seus pais, porque a magia Aramaica exige essa medida de certeza. A mãe de uma pessoa é conhecida com certeza – não é verdade com o pai. A leitura de Iwi não é certa. YHWF é o nome de Deus – YAHWEH – com a última letra disfarçada de acordo com um tecnicismo que não necessita ser explicado aqui. No entanto, observe que a primeira letra ‘Y’ é descartada, depois a segunda e depois a terceira. A tigela é plana e tem cerca de 14 polegadas de diâmetro. Ela é feita de argila cinza com um esmalte fosco.

A ORAÇÃO NA TIGELA

1. Registros que eu tenho escrito para mim mesmo.

2. Em teu nome eu de fato atuo.

3. Oh, Senhor da Cura [Healing].

4 a 8. Envie a cura [healing] para a ferida do limiar [da habitação], da semente [dos filhos] e da propriedade, Qrifa filho de Iwi, para o filho dele e para as filhas dele e para a construção dele e para a propriedade dele e para as aves dele e para os animais dele e para os cabritos dele, para as ovelhas dele e para os jumentos deles e para os bois dele, para que eles vivam para eles e sejam preservados para eles; ou seja, para Mami filha de Immaz e Grifa filho de Iwi, em nome de YHWF, HWF, WF, F, o nome que lançou ao mar o carro de combate no Mar Vermelho e o santo anjo diante dele [Êxodo 15?].

OS NOSSOS MELHORES AGRADECIMENTOS por esse material. HRA S.L. também obteve e me enviou fotos da pequena imagem de pedra, tanto no verso quanto na frente e espero em breve poder anunciar que um artista HRA terá feito uma reprodução e estará pronto para lançar cópias para quem desejar. Ela escreve que Kii Pohaku a impressiona como muito boa, amigável e doméstica de uma maneira divertida só dela.” MFL

—–

Imagem: Foto de Matteo Vistocco na Unsplash – matteo-vistocco-Dph00R2SwFo-unsplash – 07.06.2023

Referências bibliográficas da OREM1

Amazing Women In History – artigo https://amazingwomeninhistory.com/morrnah-nalamaku-simeona-hawaiian-healer/

Amy Thakurdas, PhD – artigo “Ho’oponopono: Universal Healing Method For Mankind” – Wholistic Healing Publications – September 2008 Volume 8, No. 3

André Biernath – repórter na Revista Saúde – Grupo Abril  – artigo sobre o filme “Divertida Mente”, que aborda inteligentemente a questão das memórias armazenadas;

Bert Hellinger e Gabriele Tem Hövel – livro “Constelações Familiares – O Reconhecimento das Ordens do Amor”;

Bill Russell – Artigo: “Quantum and Kala” [Quântico e Kala] – Artigo completo em inglês no site: https://www.huna.org/html/quantum.pdf

Brian Gerard Schaefer – artigo: “Universal Ho’oponopono – A new perspective of an ancient healing art”. Site http://www.thewholespectrom.com/

Bruce Lipton – livro “A Biologia da Crença “;

Carol Gates e Tina Shearon – livro “As You Wish” (tradução livre: “Como você desejar”);

Ceres Elisa da Fonseca Rosas – livro “O caminho ao Eu Superior segundo os Kahunas” – Editora FEEU;

Charles Seife – livro “Zero: A Biografia de Uma Ideia Perigosa” (versão em inglês “Zero: The Biography of a Dangerous Idea”;

Curso “Autoconhecimento na Prática online – Fundação Estudar” https://www.napratica.org.br/edicoes/autoconhecimento;

Dan Custer – livro “El Milagroso Poder Del Pensamiento” (tradução livre: “O Miraculoso [Incrível] Poder Do Pensamento”);

David V. Bush – livro “How to Put The Subconscious Mind to Work” (tradução livre: “Como Colocar a Mente Subconsciente para Trabalhar”);

Dr. Alan Strong – artigo denominado “The Conscious Mind — Just the Tip of the Iceberg” (tradução livre: “A Mente Consciente – Apenas a Ponta do Iceberg”), no site www.astrongchoice.com;

Dr. Amit Goswami – livro “O Universo Autoconsciente – como a consciência cria o mundo material”;

Dr. Benjamin P. Hardy, psicólogo organizacional, autor do livro “Willpower Doesn’t Work” (Tradução livre: “Força de Vontade Não Funciona”), em artigo no site https://medium.com/the-mission/how-to-get-past-your-emotions-blocks-and-fears-so-you-can-live-the-life-you-want-aac362e1fc85Sr;

Dr. Bruce H. Lipton – livro “A Biologia da Crença”;

Dr. Deepak Chopra – livro “Criando Prosperidade”;

Dr. Gregg Braden – livro “A Matriz Divina”;

Dr. Helder Kamei – site http://www.flowpsicologiapositiva.com/ – Instituto Flow;

Dr. Joe Dispenza – livro “Breaking the Habit of Being Yourself – How to Lose Your Mind and Create a New One” (tradução livre: “Quebrando o Hábito de Ser Você Mesmo – Como Liberar Sua Mente e Criar um Novo Eu”);

Dr. Kenneth Wapnick – transcrição de sua palestra denominada “Introdução Básica a Um Curso em Milagres”;

Dr. Maxwell Maltz – livro “The New Psycho-Cybernetics” (tradução livre: “A Nova Psico-Cibernética”);

Dr. Nelson Spritzer – livro “Pensamento & Mudança – Desmistificando a Programação Neurolinguística (PNL)”;

Dr. Richard Maurice Bucke – livro ‘Consciência Cósmica’;

Dr. Serge Kahili King – livro “Cura Kahuna” (Kahuna Healing);

Dr. Serge Kahili King – Artigo: “Body of God” [O Corpo de Deus] – Artigo completo em inglês no site: https://www.huna.org/html/bodyofgod.html

Francisco Cândido Xavier – livro “No Mundo Maior” (ditado pelo espírito Dr. André Luiz);

Francisco do Espírito Santo Neto – livro “Os Prazeres da Alma” (ditado pelo espírito Hammed);

Gerald Zaltman – Professor da Harvard Business School – livro “How Customers Think” (tradução livre: “Como Pensam os Consumidores”);

Henry Thomas Hamblin – livro “Within You Is The Power” (tradução livre: “Dentro de VOCÊ Está O Poder”);

Hermínio C. Miranda – livro “O Evangelho de Tomé”;

Igor I. Sikorsky, Jr. – Jurista – Artigo Jung & Huna – Fonte: https://www.maxfreedomlong.com/huna-bulletins/hv-newsletter-30-spring-1979/

James Redfield – livro “A Profecia Celestina”;

Jens Weskott – artigo “Bem-vindo Subconsciente – Graças ao Ho’oponopono”, site da Associação de Estudos Huna disponível no link https://www.huna.org.br/wp/?s=jens;

Jim Fallon – Artigo: “Aka Threads and Quantum Entanglement” [Cordões Aka e Emaranhamento Quântico] – Artigo completo em inglês no site: https://www.huna.org/html/akathreads.html

Joe Vitale – livro “Limite Zero”;

Joel S. Goldsmith – livro “O Despertar da Consciência Mística”;

John Assaraf – artigo ratificando que somos todos seres perfeitos de Luz está disponível no site http://in5d.com/the-world-of-quantum-physics-everything-is-energy/;

John Curtis – Webinario sobre Ho’oponopono – site Sanación y Salud http://www.sanacionysalud.com/

Joseph Murphy – livro “The Power of Your Subconscious Mind” (tradução livre: “O Poder de Sua Mente Subconsciente”);

Kalikiano Kalei – Artigo: “Quantum Physics and Hawaiian Huna…” [Física Quântica e Huna do Havaí] – Artigo completo em inglês através do site: https://www.authorsden.com/visit/viewarticle.asp?catid=14&id=45582

Kenneth E. Robinson – livro “Thinking Outside the Box” (tradução livre: “Pensar Fora da Caixa”);

Krishnamurti – artigo “Early Krishnamurti” (“Inicial Krishnamurti”) – Londres, 7-3-1931.  Site: https://www.reddit.com/r/Krishnamurti/comments/qe99e1/early_krishnamurti_7_march_1931_london/

Krishnamurti  – livro “O Sentido da Liberdade”, publicado no Brasil em 2007, no capítulo “Perguntas e Respostas”, o tema “Sobre a Crise Atual”; experienciamos, para a nossa reflexão e meditação à luz do sistema de pensamento do Ho’oponopono.

Kristin Zambucka, artista, produtora e autora do livro “Princess Kaiulani of Hawaii: The Monarchy’s Last Hope” (tradução livre: “Princesa Kaiulani do Havaí: A Última Esperança da Monarquia”);

Leonard Mlodinow – livro “Subliminar – Como o inconsciente influencia nossas vidas” – do ano de 2012;

Livro “Um Curso em Milagres” – 2ª edição – copyright 1994 da edição em língua portuguesa;

Louise L. Hay – livro “You Can Heal Your Life – (tradução livre: “Você Pode Curar Sua Vida”);

Malcolm Gradwell – livro “Blink: The Power of Thinking without Thinking” (Tradução livre: “Num piscar de olhos: O Poder de Pensar Sem Pensar”);

Manulani Aluli Meyer – artigo “Ho’oponopono – Healing through ritualized communication”, site https://peacemaking.narf.org/wp-content/uploads/2021/03/5.-Hooponopono-paper.pdf

Marianne Szegedy-Maszak – edição especial sobre Neurociência publicada na multiplataforma “US News & World Report”, destacando o ensaio “Como Sua Mente Subconsciente Realmente Molda Suas Decisões”;

Matthew B. James. Estudo Acadêmico , para um Programa de Doutorado da Walden University, Minneapolis, Minnesota, USA, 2008, doutorando em Psicologia da Saúde, denominada “Ho’oponopono: Assessing the effects of a traditional Hawaiian forgiveness technique on unforgiveness”. O estudo completo pode ser acessado no site da Walden University no link:  https://scholarworks.waldenu.edu/dissertations/622/#:~:text=The%20results%20demonstrated%20that%20those,the%20course%20of%20the%20study.

Max Freedom Long – livro “Milagres da Ciência Secreta”;

Max Freedom Long – Artigo “Teaching HUNA to the Children – How Everything was made” [Ensinando HUNA para as Crianças – Como Tudo foi feito], site https://www.maxfreedomlong.com/articles/max-freedom-long/teaching-huna-to-the-children/;

Max Freedom Long – Artigo “Huna And The God Within”. Fonte: https://www.maxfreedomlong.com/articles/huna-lessons/huna-lesson-2-huna-theory-of-prayer/;

Max Freedom Long – Artigo “The Workable Psycho-Religious System of the Polynesians” [O Sistema Psico-Religioso Praticável dos Polinésios]. Fonte: https://www.maxfreedomlong.com/articles/max-freedom-long/huna-the-workable-psycho-religious-system-of-the-polynesians/;

Max Freedom Long – Artigo “How to Become a Magician” [Como vir a ser alguém que lida com a Magia]. Site: https://www.maxfreedomlong.com/huna-bulletins/hv-newsletter-vol-1-no-9-winter-1973/;

Max Freedom Long – Artigo “The Lord’s Prayer – a Huna Definition” [tradução livre: “A Oração do Pai Nosso – uma Definição Huna”], editado em 1º de março de 1951, HUNA BULLETIN 50, site https://www.maxfreedomlong.com/huna-bulletins/huna-bulletin-050/;

Max Freedom Long – Artigo “When Huna Prayers Fail” [tradução livre: “Quando as Orações Huna Falham”] – Huna Bulletin 53. Site: https://www.maxfreedomlong.com/huna-bulletins/huna-bulletin-053/;

Max Freedom Long – Artigo “Three Questions” [tradução livre: “As Três Perguntas”], editado em 15 de março de 1951, no Huna Bulletin 51. Site: https://www.maxfreedomlong.com/huna-bulletins/huna-bulletin-051/;

Max Freedom Long – Artigo “Huna Angles on Psychoanalysis” [tradução livre: “Pontos de Vista Huna sobre Psicoanálise”], editado em 15 de maio de 1951, no Huna Bulletin 55. Site: https://www.maxfreedomlong.com/huna-bulletins/huna-bulletin-055/

Max Freedom Long – Artigo “Living in Cooperation on the Earth” [tradução livre: “Vivendo em Cooperação na Terra”], editado em 1º de maio de 1951, no Huna Bulletin 54. Site: https://www.maxfreedomlong.com/huna-bulletins/huna-bulletin-054/

Napoleon Hill – livro “The Law of Success in Sixteen Lessons” (tradução livre: “A Lei do Sucesso em Dezesseis Lições”);

Osho – livro “The Golden Future” (tradução livre: “O Futuro Dourado”);

Osho – livro “From Unconsciousness to Consciousness” (tradução livre “Do Inconsciente ao Consciente”);

Osho – livro “Desvendando mistérios”;

Paul Cresswell – livro “Learn to Use Your Subconscious Mind” (tradução livre: “Aprenda a Usar a Sua Mente Subconsciente”);

Paulo Freire, educador, pedagogo, filósofo brasileiro – livro “A Psicologia da Pergunta”;

Platão – livro “O Mito da Caverna”;

Richard Wilhelm – livro “I Ching”;

Roberto Assagioli, Psicossíntese. Site http://psicossintese.org.br/index.php/o-que-e-psicossintese/

Sanaya Roman – livro “Spiritual Growth: Being Your Higher Self (versão em português: “Crescimento Espiritual: o Despertar do Seu Eu Superior”);

Sílvia Lisboa e Bruno Garattoni – artigo da Revista Superintessante, publicado em 21.05.13, sobre o lado oculto da mente e a neurociência moderna.

Site da Associação de Estudos Huna https://www.huna.org.br/ – artigos diversos.

Site www.globalmentoringgroup.com – artigos sobre PNL;

Site Wikipedia https://pt.wikipedia.org/wiki/Ho%CA%BBoponopono, a enciclopédia livre;

Thomas Lani Stucker – Kahuna Lani – Artigo “The Professional Huna Healer” – Site: https://www.maxfreedomlong.com/articles/kahuna-lani/the-professional-huna-healer/

Thomas Troward – livro “The Creative Process in the Individual” (tradução livre: “O Processo Criativo no Indivíduo”);

Thomas Troward – livro “Bible Mystery and Bible Meaning” (tradução livre: “Mistério da Bíblia e Significado da Bíblia”);

Tor Norretranders – livro “A Ilusão de Quem Usa: Reduzindo o tamanho da Consciência” (versão em inglês “The User Illusion: Cutting Consciousness Down to Size”);

Wallace D. Wattles – livro “A Ciência para Ficar Rico”;

W. D. Westervelt – Boston, G.H. Ellis Press [1915] – artigo: “Hawaiian Legends of Old Honolulu” Site: https://www.sacred-texts.com/pac/hloh/hloh00.htm.

William R. Glover – livro “HUNA the Ancient Religion of Positive Thinking” – 2005;

William Walker Atkinson – livro: “Thought Vibration – The Law of Attraction in the Thought World” (tradução livre: “Vibração do Pensamento – A Lei da Atração no Mundo do Pensamento”) – Edição Eletrônica publicada em 2015;

Zanon Melo – livro “Huna – A Cura Polinésia – Manual do Kahuna”;

Muda…
A Prece atinge o seu foco e levanta voo.
A chuva de bênçãos derrama-se sobre mim, nesse exato momento.
Eu sinto muito.
Por favor, perdoa-me.
Eu te amo.
Eu sou grato(a).
Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x