Tempos atrás, enquanto eu praticava a técnica do Ho’oponopono incessante, eu estava me sentindo bem-aventurado por experienciar as mudanças que já estavam ocorrendo, quase de imediato, não somente em relação à minha vida, mas também em relação à vida daqueles que me pareciam estar envolvidos na situação (aqueles diretamente, pois que estavam no meu sistema VAC e, certamente, aqueles indiretamente por meio do trabalho universal do Aumakua e Poe Aumakua).

Nesse sentimento de bem-aventurança, eu alcancei uma inspiração (no estado Vazio) que ao se praticar o processo de resolução de problemas através do Ho’oponopono, nós somos conduzidos indubitavelmente e inexoravelmente ao Autoconhecimento.

Como o processo de resolução de problemas através do Ho’oponopono é realizado por VOCÊ mesmo, em seu interior, prestando atenção conscientemente – percepção consciente – aos seus sentimentos, às suas emoções, às suas crenças, aos seus conceitos, aos seus julgamentos, aos seus comportamentos, aos seus pensamentos dominantes, isso nos conduz, naturalmente, ao Autoconhecimento.

O que se passa no mundo exterior e o que nós percebemos na tela de nossos órgãos dos sentidos (Sistema VAC: Visão, Audição, Cinestésico [tato, paladar e olfato]) são importantes estímulos ou contrastes – providenciais em sua natureza educadora e curativa – que funcionam como parâmetros para nós identificarmos “tudo aquilo que, de fato, nós não queremos” e, então, a partir daí, nós escolhermos de outra maneira e deliberadamente, “tudo aquilo que realmente nós queremos”.

O que se passa no mundo exterior é como um espelho refletindo, retornando para nós mesmos, apenas e fielmente, sem filtros, o que se passa em nosso interior.

O que é Autoconhecimento?

Autoconhecimento é uma jornada (uma aventura) dos Seres Humanos, a partir do seu próprio interior, por meio do Conhecimento e do Entendimento das percepções conscientes (externas e internas), com o objetivo de nossa evolução, de nossa elevação e de nosso propósito final de Liberação da nossa escravidão do ciclo vicioso do medo (memórias repetitivas limitadoras).

Vamos analisar a frase em detalhes para reforçar o nosso entendimento sobre a equação:

  • Autoconhecimento é uma jornada (uma aventura) …

Alguém que decide entrar em uma jornada tem que, de fato, exercer o seu poder da vontade (Mente Consciente) e essa jornada será uma aventura à medida que se busque firmemente apreciar o desenrolar de todo o processo, pois dessa maneira quaisquer obstáculos serão superados durante o percurso. Quiçá, então, seja uma jornada de autoconhecimento, que venha a ser uma aventura de prosperidade, de saúde e de felicidade com a prática do Ho’oponopono, para todos os envolvidos.

  • dos Seres Humanos,

Seres Humanos com iniciais maiúsculas pois VOCÊ é uma entidade única [EU] no Universo, criada à imagem e semelhança de Deus. VOCÊ é um Ser Perfeito de Luz que, apenas, necessita se  autoconhecer ou lembrar Quem VOCÊ É.

  • a partir do seu próprio interior,

Tudo se desenrola em seu interior. A Inteligência Divina está em nosso interior. Deepak Chopra ensina que o campo unificado [Inteligência Divina] nada requer do exterior porque tudo está contido em seu interior; a filosofia Hermética ensina que “o que está em cima é como o que está embaixo; o que está dentro é como o que está fora.”; Jesus teria dito: “o Reino de Deus está em vosso interior.”

  • por meio do Conhecimento

Por meio da informação consciente adquirida, com o movimento daquilo que nós percebemos e nós experienciamos no exterior em direção ao nosso interior.

  • e do Entendimento

Por meio da educação(*) alcançada naturalmente e sincronicamente, em resposta ao conhecimento adquirido e à nossa reflexão, com o movimento a partir das intuições de nosso interior, retornando em direção ao que nós passamos a perceber e experienciar, de uma outra maneira, no exterior. O Entendimento reprograma a maneira como nós passamos a perceber a vida.

  • das percepções conscientes (externas e internas), …

As percepções conscientes (do exterior e do nosso interior) passam a ser a matéria-prima para o nosso autoconhecimento e, consequentemente, a nossa reprogramação emocional e mental.

  • com o objetivo de nossa evolução,

De nossa evolução física, emocional, mental. Normalmente uma evolução no sentido horizontal.

  • de nossa elevação

De nossa elevação espiritual. Sempre sincronicamente no sentido vertical.

  • e de nosso propósito final de Liberação da nossa escravidão do ciclo vicioso do medo (memórias repetitivas limitadoras).

A Liberação da escravidão(**) de nossas percepções equivocadas que nós consideramos como problemas e sofrimentos que se repetem por meio das memórias repetitivas limitadoras que são reencenadas em nossa Mente Subconsciente. A Liberação que é a nossa razão de estarmos aqui, nesse plano experiencial de vida, para alcançarmos o nosso despertar espiritual e a nossa consciência no nível da realidade [awareness] da unicidade com Deus.

(*)Etimologia da palavra educação: Do latim educo, educare, educere, que significa literalmente “conduzir para fora” ou “direcionar para fora”. Significa “desenvolver de dentro” (“from within”, em inglês). O termo latino educare é composto pela união do prefixo “ex”, que significa “fora”, e “ducere”, que quer dizer “conduzir, levar”. 

(**)Significado da palavra escravidão (Dicionário inFormal https://www.dicionarioinformal.com.br/escravid%C3%A3o/): falta de liberdade; sujeição, dependência, submissão, servidão, cativeiro, escravatura.

O Ho’oponopono nos conduz ao Autoconhecimento.

No livro “Os Prazeres da Alma”, psicografado por Francisco do Espírito Santo Neto e ditado por Hammed, nós temos um edificante ensinamento sobre o que é o autoconhecimento:

“O autoconhecimento é a capacidade inata que nos permite perceber, de forma gradativa, tudo o que nós necessitamos transformar [reprogramar]. Ao mesmo tempo, amplia a consciência [no nível da realidade (awareness)] sobre os nossos potenciais adormecidos, a fim de que nós possamos vir a ser aquilo que nós somos em essência…

Nós só tememos o que desconhecemos.

O autoconhecimento requer um constante exercício, no reino do pensamento reflexivo, sobre as sensações externas e internas. Viver uma vida sem reflexão é como escutar uma música sem melodia.

O autoconhecimento nos dá a habilidade de conhecer como e onde agem os nossos pontos frágeis e até a quem nós atribuímos as nossas emoções e sentimentos, facilitando-nos entender melhor os que nos rodeiam.

Caminhar no processo do autoconhecimento significa desenvolver gradativamente o respeito aos nossos semelhantes, impedindo que nós façamos projeções triviais e levianas de nossas deficiências nos outros.”

“Viver uma vida sem reflexão é como escutar uma música sem melodia.

No curso “Autoconhecimento na Prática online – Fundação Estudar” https://www.napratica.org.br/edicoes/autoconhecimento, nós temos a seguinte afirmação didática:

“Quando nós falamos em autoconhecimento, nós costumamos usar a metáfora do icebergue: o que nós conseguimos ver do iceberg é só a sua pontinha, mas a maior parte dele está lá no fundo. Nós não conseguimos enxergar, mas ela existe e é o que dá sustentação para o icebergue. E nós também somos assim.

A nossa pontinha do iceberg é tudo aquilo que é muito fácil de enxergar na gente, como as nossas principais características e o nosso comportamento. Mas a gente é muito mais do que isso e é na nossa base escondida que se encontram muitos dos nossos valores, identidade e outras coisas que muitas vezes não conhecemos.”

pexels-jeanchristophe-andre-2574997-1.jpg

O autoconhecimento nos leva ao rompimento e à desconstrução de nossos antigos padrões de comportamento e de nossa antiga maneira de pensar, através de um constante processo de busca e de transformação interior. O foco é sempre e principalmente o que se passa em nosso interior e o que nós temos disponível em nosso interior como alternativas para as soluções. Diferentemente da “autoajuda”, o autoconhecimento requer muita dedicação, pesquisa, estudo e reflexão.

O antropólogo pioneiro Louis Leakey afirmou uma vez que:

“Nós só poderemos verdadeiramente progredir se nós entendermos quem nós somos”.

De maneira a clarificar o conceito da equação da Liberação apontada no gráfico acima, que nos dá suporte na condução rumo ao autoconhecimento, nós buscamos inspiração em Jacob Behmen, filósofo, místico luterano alemão, denominado “O Teósofo Teutônico” (um Iluminado), Rosacruz e Martinista, que nos esclarece: 

“Eu não estou colhendo o meu conhecimento de cartas ou livros, mas o tenho dentro do meu próprio ser […o fator ‘entendimento’ na equação…], porquanto o Céu e a terra com todos os seus habitantes e, além disso, o próprio Deus, estão dentro do ser humano.”

No livro “O Evangelho de Tomé”, de autoria do pesquisador e escritor espírita Hermínio C. Miranda, temos no logia 67:

“Jesus teria dito: -Quem conhece o Todo, mas está privado de si mesmo, priva-se do Todo.”

O autor do livro esclarece de forma didática esse logia:

“Nesse, como em vários outros ditos sucintos, foi colocado um pensamento profundo e amplo nas suas implicações. Puech […Henri-Charles Puech, historiador francês…] contribui com esclarecimento adicional ao texto, dizendo que a expressão deve ser entendida como ‘privado (do conhecimento) de si mesmo’.

O conteúdo do logion é dos mais significativos. Ainda que o objetivo dos gnósticos tenha sido o retorno a Deus [a Liberação] através do conhecimento, há uma clara advertência nesse dito, segundo a qual, mesmo aquele que tenha alcançado estágio de elevado conhecimento do Todo, estará fadado ao fracasso se não tiver o conhecimento de si mesmo [o ‘entendimento’] ou não souber usá-lo devidamente.

É tão grave essa falha que a pessoa se verá impedida de participar da Divindade.”

Nesse esclarecedor e didático livro, nós temos ainda outro capítulo onde se reforça, com base no Gnosticismo, o conceito da equação de Liberação proposta na OREM1:

“O Gnosticismo assentou-se no conceito básico de que a Liberação do ser das amarras limitadoras da matéria e do erro [das memórias repetitivas limitadoras] tinha de ser alcançada por intermédio do conhecimento, ou, mais especificamente ainda, do processo de autoconhecimento.”

No livro “Criando Prosperidade”, Dr. Deepak Chopra nos fala sobre a “Liberação”:

“A liberação é inerente ao campo e nós ao entrarmos em contato com o campo a liberação vem a nós. É uma liberação que deriva do conhecimento experiencial da verdadeira natureza de cada um. E nossa verdadeira natureza é sermos a testemunha alegre e silenciosa, o espírito imortal que anima toda a manifestação. Viver a experiência de testemunha silenciosa é apenas Ser. Essa é a verdadeira liberação – a capacidade de encontrar prazer nas escolhas que nós fazemos a cada instante sucessivo do presente, a capacidade de espontaneamente nós fixarmos a nossa atenção nas opções que resultam em alegria para nós e para os outros.”

Ainda no livro “Criando Prosperidade”, Dr. Deepak Chopra nos esclarece de forma didática sobre o que é o conhecimento:

“O poder de organização é parte integrante do conhecimento. O conhecimento de qualquer tipo é automaticamente metabolizado pelo corpo e pela mente na ordem correta e resulta numa mudança de percepção a partir da qual é possível criar novas realidades. Por exemplo, o conhecimento que VOCÊ está adquirindo ao ler esse livro [“Criando Prosperidade”] criará espontaneamente as condições para a riqueza e a prosperidade.”

Ainda sobre a questão do conhecimento, Dr. Sebastião Melo nos esclarece:

“O ponto de união entre a grande maioria das religiões é a crença na natureza espiritual do homem. A alma pede por experiência religiosa assim como o corpo pede por alimento e a mente por conhecimento.”

O cientista e metafísico Osny Ramos nos esclarece de forma didática, à luz da compreensão da física quântica, a seguinte inspiração:

“Nos meus vídeos eu tenho enfatizado muito sobre a necessidade do entendimento, no processo do colapso quântico ou materialização de um projeto. Todo o meu esforço é no sentido de deixar claro, que entender já é colapsar. Quando você não entende, você não sabe que algo existe, nem como funciona. Nesse caso você não é um sujeito quântico. A probabilidade do colapso não tende para o seu projeto. Quando você apenas entende, você sabe que algo existe, mas não sabe como funciona. Neste caso você é quase um sujeito quântico. A probabilidade do colapso tende para o seu projeto, mas de um modo aleatório. Quando você, de fato, entende, você sabe que algo existe e sabe como funciona. Neste caso você é um sujeito quântico. A probabilidade do colapso tende só para o seu projeto.”

Krishnamurti, em seu livro “O Sentido da Liberdade”, esclarece:

“É por isso que é importante entender o processo, o modo de funcionamento do nosso pensamento. O autoconhecimento não pode vir de outra pessoa, de um livro qualquer, de uma confissão qualquer, da psicologia ou de um psicanalista.

Tem de ser encontrado por cada um, porque o autoconhecimento é a nossa vida; sem o alargamento e o aprofundamento do conhecimento do “eu”, nós façamos o que fizermos – alterar ou influenciar quaisquer circunstâncias exteriores ou interiores -, isso será sempre alimento do desespero, da dor e do sofrimento.

Para nós irmos mais além das atividades egocêntricas da mente, nós temos que entender essas atividades; e entendê-las é nós estarmos atentos [Mente Consciente] à ação no relacionamento com as coisas, com as pessoas e com as ideias.

Nesse relacionamento, que é um espelho, nós começamos a ver a nós mesmos sem qualquer justificação ou condenação; e, a partir desse vasto e profundo conhecimento dos caminhos da nossa própria mente, é possível ir mais longe; é possível a mente aquietar-se, para que possa receber aquilo que é verdadeiro.”

A Equação da Liberação

A Equação da Liberação, ora proposta e a ser resolvida em nosso dia a dia, passa pela incógnita do ‘Conhecimento’.

Portanto, tem que passar pelo nosso poder da vontade de se questionar incessantemente tudo o que ocorre em nosso exterior de forma racional [eu preciso saber isso!!! – isso tem que fazer sentido para mim!!!]. Tem que passar pelo processo de se refletir, de estudar, de ler, de acessar todo material disponível sobre temas de interesse.

Esse é o movimento salutar da informação coletada no exterior em direção ao nosso interior (E=>I) … movimento esse de nossa evolução e crescimento horizontal.

A equação passa também pela incógnita do ‘Entendimento’.

Como resultado do recebimento das respostas às questões levantadas para conhecimento e pela reflexão das mesmas, o entendimento naturalmente nos chega por meio de insights, intuições, sincronicidades, vislumbres, imaginações, visualizações, criatividades, descobertas, soluções, inovações, relacionamentos, pessoas, pensamentos e sentimentos, naturalmente todos em sequência organizada e sincrônica.

São as respostas do Eu Interior aos questionamentos feitos pelo nosso intelecto.

Esse é o movimento da educação que nos eleva, a partir do nosso interior para o que se experiencia, de uma nova maneira, no exterior. Esse movimento, nessa etapa, embora acelerado de nossa evolução, ainda está numa fase tênue de nossa elevação.

E, ainda, na sequência natural, a equação passa pela incógnita do  Amor Incondicional.

Esse é estado de consciência no nível da realidade [awareness] de se amar por amar, amar para servir a tudo e a todos, amar por compartilhar, amar por agregar valor para si mesmo e para todos os envolvidos, amar por estar interligado a tudo e a todos, amar a Vida Plena que nós passamos a experienciar.

Esse é o movimento de agregação de valor, de atuação humanitária nessa sociedade que nós experienciamos. É o movimento de nossa elevação ou crescimento vertical, movimento esse que passa de estar tênue para ser vigoroso. Nós passamos a nos sentir liberados nesses momentos onde tudo faz sentido e, aí, nós suspiramos: -Uau!!! Isso realmente tem tudo a ver!!! Nós alcançamos, de fato, o estado de consciência no nível da realidade [awareness] da felicidade incondicional.

De maneira a facilitar o entendimento da equação da liberação proposta, nós podemos ainda resumir os conceitos da seguinte maneira:

  • Perguntar – O primeiro fator da equação, faz VOCÊ buscar conscientemente e incessantemente o conhecimento através do processo de perguntas conscientes;
  • Refletir – Em seguida vem o segundo fator da equação onde VOCÊ passa a refletir, meditar profundamente sobre as respostas que naturalmente, sincronicamente lhe chegam do exterior, como também e principalmente lhe chegam do manancial de Sabedoria do seu interior, respostas essas impulsionadas efetivamente pela Lei Universal de Ação e Reação, através de inspirações , que fazem renascer em VOCÊ a iluminação do entendimento, do estado de consciência superior onde “isso faz todo o sentido para VOCÊ”;
  • Amar – O terceiro fator da equação segue, por inspirações, esse estado de fluxo, onde VOCÊ, consequentemente, apenas permite que o amor incondicional – que já está em VOCÊ e QUE é VOCÊ – se manifeste amplamente em sua plena existência;
  • Liberar – E, só a partir daí, finalmente, como resultado da equação demonstrada, VOCÊ desperta, em silêncio, para a sua Liberação Espiritual ou para o Retorno para Casa;
  • Ser – Nesse estado de Consciência no Nível da Realidade [Awareness], então, VOCÊ não mais necessita das perguntas, das respostas, do conhecimento, do entendimento, pois VOCÊ simplesmente para a SER o que VOCÊ É, nesse instante santo, o seu estado mais elevado de Consciência da Unicidade. Assim como DEUS É, VOCÊ É.

Ainda no livro “O Evangelho de Tomé”, mencionado acima, para ratificar o entendimento da equação proposta, sob uma outra ótica, nós temos a interpretação gnóstica de uma parábola, no logia 9, onde Jesus teria dito, para a nossa profunda reflexão:

“Eis que o semeador saiu, encheu as suas mãos e atirou (as sementes).

Algumas caíram no caminho; vieram os pássaros e as recolheram.

Outras caíram sobre a rocha e elas não soltaram raízes pela terra à dentro, nem fizeram os brotos crescerem para o céu.

E outras caíram entre os espinhos, que sufocaram as sementes e os vermes as comeram.

E outras caíram em terra boa e produziram bons frutos lá em cima: ela produziu sessenta por medida e cento e vinte por medida.”

Na interpretação didática do escritor, temos:

“A redação é semelhante à da mesma parábola nos evangelhos canônicos.

O conhecimento é distribuído generosamente pelos missionários divinos (os semeadores), mas o aproveitamento depende do preparo de cada um para recebê-lo, do seu grau de maturidade e do bom senso na utilização do que aprende.

Alguns se deixam convencer por predadores intelectuais; outros apresentam precárias condições íntimas de cultivo; outros rejeitam a mensagem e até a combatem.

Finalmente, há os que estão amadurecidos e preparados; nestes, o conhecimento encontra solo fértil e se desenvolve satisfatoriamente. E eles próprios produzem novas sementes, com as quais prosseguem a semeadura da Verdade.”

Do livro “E o cérebro criou o Homem” – título original: “Self comes to mind: constructing the conscious brain”, autor António R. Damásio – 2009, nós extraímos um trecho para a nossa reflexão:

“Um maior controle sobre as imprevisibilidades do comportamento humano só pode ser alcançado com acumulação de conhecimentos e com a reflexão [o entendimento] sobre os fatos descobertos.

Analisar os fatos sem pressa, avaliar o resultado das decisões e ponderar os resultados emocionais dessas decisões é o caminho para a construção de um guia prático também conhecido como sabedoria.

Com base na sabedoria, nós podemos deliberar e ter esperanças de nortear o nosso comportamento segundo as convenções culturais e regras éticas que baseiam a nossa biografia e o mundo em que nós vivemos.

Também nós podemos reagir a essas convenções e regras, enfrentar os conflitos decorrentes de discordar com elas e até mesmo tentar modificá-las. Um bom exemplo é o conflito defrontado por indivíduos que têm objeções de consciência no nível da percepção [consciousness].”

Ainda sobre a importância da liberação, no livro “Bible Mystery and Bible Meaning” (tradução livre: “Mistério da Bíblia e Significado da Bíblia”), Troward(*) afirma:

“O grande ponto a ser observado na Bíblia, nos ensinamentos de Jesus, é a sua constante afirmação sobre a liberação absoluta do indivíduo. Em João 8:32, ele disse: ‘E conhecereis a verdade e a verdade vos liberará’. Sendo assim, esse ensinamento sobre ‘a Verdade que nos liberará’ foi o início, meio e fim dos ensinamentos do Mestre.”

(*)Troward foi o grande Mestre da Ciência da Mente.

Para se liberar (…a nossa razão de ser…), para se evoluir (…evolução material, emocional, mental…), para se elevar (…elevação espiritual…) e para se alcançar o amor incondicional (…transcendência…unicidade…) é necessário se autoconhecer.

Na série de livros “El Ser Uno”, nós temos:

“Sem conhecimento eu não vivo. Sem entendimento eu não existo. Sem amor eu não sou.”

Tales de Mileto, filósofo, matemático, engenheiro, homem de negócios e astrônomo da Grécia Antiga, considerado o primeiro filósofo ocidental, disse:

“Te advirto, seja tu quem fores! Oh! Tu que desejas sondar os arcanos da natureza, que se não achas dentro de ti mesmo aquilo que buscas, tão pouco poderás achar fora. Se tu ignoras as excelências de tua própria casa, como pretendes encontrar outras excelências? Em ti está oculto o Tesouro dos tesouros. Oh! Homem! Conhece a ti mesmo e conhecerás o universo e os Deuses…”

Ainda para a nossa reflexão … na “Bíblia King James Atualizada”, Jesus teria dito:

“Por isso lhes falo por meio de parábolas; porque, vendo, não enxergam; e escutando, não ouvem, muito menos compreendem.”

Eu li recentemente, apenas a título de informação, num artigo na internet e peço desculpas por não ter anotado a autoria, mas marcou-me uma definição do que seria uma “parábola”, tão utilizada nos ensinamentos do Mestre, a saber:

“Uma parábola é uma imagem verbal engenhosamente simples que ilumina uma profunda lição espiritual.”

Voltando à equação da Liberação que enfatiza a importância do conhecimento e do entendimento, em analogia à parábola de Jesus mencionada acima, onde o Mestre destaca a também importância da visão e da audição para a compreensão da vida, nós extraímos um trecho do estudo intitulado “Pare, Olhe, Escute! Visão, Audição e Movimento Humano”, do autor Tim Ingold (na Revista do núcleo de antropologia urbana da USP), para o nosso conhecimento e entendimento:

“A visão objetifica, o som personifica. De todas as implicações do contraste entre visão e audição, a que mais teve consequências tem sido a noção de que a visão, já que não é contaminada pela experiência subjetiva da luz, produz um conhecimento do mundo exterior que é racional, independente, analítico e atomístico.

Por outro lado, diz-se que a audição, já que se baseia na experiência imediata do som, arrasta o mundo para dentro do perceptor, produzindo um tipo de conhecimento que é intuitivo, engajado, sintético e holístico.

Para aqueles que gostariam de celebrar o método de indagação científica positiva como a realização máxima do espírito humano, a visão é sem dúvida o sentido superior. Todavia, por todas essas razões, não se deve confiar nela.

O caminho visual para a verdade objetiva é, ao que parece, pavimentado de ilusões. Precisamente porque a visão produz um conhecimento que é indireto, baseado na conjectura dos dados limitados disponíveis na luz, ela nunca poderá ser nada mais que provisória, aberta a futuros testes e à possibilidade de refutação empírica.

Mas conquanto nós nunca possamos ter certeza do que nós vemos, não existe dúvida em relação ao que nós ouvimos. Uma vez que o som nos fala diretamente, a audição não mente. Nós não sofremos de problemas auriculares da mesma maneira como nós sofremos de ilusões de ótica.

Em resumo, quando se trata de assuntos da alma, da emoção e da sensação, ou das questões ‘introspectivas’ da vida, a audição supera a visão, assim como o entendimento ultrapassa o conhecimento e a fé [o amor] transcende a razão.”

O Mestre Jesus, então, estava enfatizando a importância do conhecimento (…vendo, não enxergam…) e do entendimento (…escutando, não ouvem…) para a nossa liberação das ilusões das memórias repetitivas limitadoras dessa realidade tempo-espaço que nós pensamos experienciar.

Imagem pexels-katii-bishop-135013.jpg

Referências bibliográficas da OREM1

André Biernath – repórter na Revista Saúde – Grupo Abril  – artigo sobre o filme “Divertida Mente”, que aborda inteligentemente a questão das memórias armazenadas;

Bert Hellinger e Gabriele Tem Hövel – livro “Constelações Familiares – O Reconhecimento das Ordens do Amor”;

Bruce Lipton – livro “A Biologia da Crença “;

Carol Gates e Tina Shearon – livro “As You Wish” (tradução livre: “Como você desejar”);

Ceres Elisa da Fonseca Rosas – livro “O caminho ao Eu Superior segundo os Kahunas” – Editora FEEU;

Charles Seife – livro “Zero: A Biografia de Uma Ideia Perigosa” (versão em inglês “Zero: The Biography of a Dangerous Idea”;

Curso “Autoconhecimento na Prática online – Fundação Estudar” https://www.napratica.org.br/edicoes/autoconhecimento;

Dan Custer – livro “El Milagroso Poder Del Pensamiento” (tradução livre: “O Miraculoso [Incrível] Poder Do Pensamento”);

David V. Bush – livro “How to Put The Subconscious Mind to Work” (tradução livre: “Como Colocar a Mente Subconsciente para Trabalhar”);

Dr. Alan Strong – artigo denominado “The Conscious Mind — Just the Tip of the Iceberg” (tradução livre: “A Mente Consciente – Apenas a Ponta do Iceberg”), no site www.astrongchoice.com;

Dr. Amit Goswami – livro “O Universo Autoconsciente – como a consciência cria o mundo material”;

Dr. Benjamin P. Hardy, psicólogo organizacional, autor do livro “Willpower Doesn’t Work” (Tradução livre: “Força de Vontade Não Funciona”), em artigo no site https://medium.com/the-mission/how-to-get-past-your-emotions-blocks-and-fears-so-you-can-live-the-life-you-want-aac362e1fc85Sr;

Dr. Bruce H. Lipton – livro “A Biologia da Crença”;

Dr. Deepak Chopra – livro “Criando Prosperidade”;

Dr. Gregg Braden – livro “A Matriz Divina”;

Dr. Helder Kamei – site http://www.flowpsicologiapositiva.com/ – Instituto Flow;

Dr. Joe Dispenza – livro “Breaking the Habit of Being Yourself – How to Lose Your Mind and Create a New One” (tradução livre: “Quebrando o Hábito de Ser Você Mesmo – Como Liberar Sua Mente e Criar um Novo Eu”);

Dr. Kenneth Wapnick – transcrição de sua palestra denominada “Introdução Básica a Um Curso em Milagres”;

Dr. Maxwell Maltz – livro “The New Psycho-Cybernetics” (tradução livre: “A Nova Psico-Cibernética”);

Dr. Nelson Spritzer – livro “Pensamento & Mudança – Desmistificando a Programação Neurolinguística (PNL)”;

Dr. Richard Maurice Bucke – livro ‘Consciência Cósmica’;

Dr. Serge King – livro “Cura Kahuna” (Kahuna Healing);

Francisco Cândido Xavier – livro “No Mundo Maior” (ditado pelo espírito Dr. André Luiz);

Francisco do Espírito Santo Neto – livro “Os Prazeres da Alma” (ditado pelo espírito Hammed);

Gerald Zaltman – Professor da Harvard Business School – livro “How Customers Think” (tradução livre: “Como Pensam os Consumidores”);

Henry Thomas Hamblin – livro “Within You Is The Power” (tradução livre: “Dentro de VOCÊ Está O Poder”);

Hermínio C. Miranda – livro “O Evangelho de Tomé”;

James Redfield – livro “A Profecia Celestina”;

Jens Weskott – artigo “Bem-vindo Subconsciente – Graças ao Ho’oponopono”, site da Associação de Estudos Huna disponível no link https://www.huna.org.br/wp/?s=jens;

Joe Vitale – livro “Limite Zero”;

Joel S. Goldsmith – livro “O Despertar da Consciência Mística”;

John Assaraf – artigo ratificando que somos todos seres perfeitos de Luz está disponível no site http://in5d.com/the-world-of-quantum-physics-everything-is-energy/;

John Curtis – Webinario sobre Ho’oponopono – site Sanación y Salud http://www.sanacionysalud.com/

Joseph Murphy – livro “The Power of Your Subconscious Mind” (tradução livre: “O Poder de Sua Mente Subconsciente”);

Kenneth E. Robinson – livro “Thinking Outside the Box” (tradução livre: “Pensar Fora da Caixa”);

Krishnamurti – artigo “Early Krishnamurti” (“Inicial Krishnamurti”) – Londres, 7-3-1931.  Site: https://www.reddit.com/r/Krishnamurti/comments/qe99e1/early_krishnamurti_7_march_1931_london/

Kristin Zambucka, artista, produtora e autora do livro “Princess Kaiulani of Hawaii: The Monarchy’s Last Hope” (tradução livre: “Princesa Kaiulani do Havaí: A Última Esperança da Monarquia”);

Leonard Mlodinow – livro “Subliminar – Como o inconsciente influencia nossas vidas” – do ano de 2012;

Livro “Um Curso em Milagres” – 2ª edição – copyright 1994 da edição em língua portuguesa;

Louise L. Hay – livro “You Can Heal Your Life – (tradução livre: “Você Pode Curar Sua Vida”);

Malcolm Gradwell – livro “Blink: The Power of Thinking without Thinking” (Tradução livre: “Num piscar de olhos: O Poder de Pensar Sem Pensar”);

Marianne Szegedy-Maszak – edição especial sobre Neurociência publicada na multiplataforma “US News & World Report”, destacando o ensaio “Como Sua Mente Subconsciente Realmente Molda Suas Decisões”;

Max Freedom Long – livro “Milagres da Ciência Secreta”;

Napoleon Hill – livro “The Law of Success in Sixteen Lessons” (tradução livre: “A Lei do Sucesso em Dezesseis Lições”);

Osho – livro “The Golden Future” (tradução livre: “O Futuro Dourado”);

Osho – livro “From Unconsciousness to Consciousness” (tradução livre “Do Inconsciente ao Consciente”);

Osho – livro “Desvendando mistérios”;

Paul Cresswell – livro “Learn to Use Your Subconscious Mind” (tradução livre: “Aprenda a Usar a Sua Mente Subconsciente”);

Paulo Freire, educador, pedagogo, filósofo brasileiro – livro “A Psicologia da Pergunta”;

Platão – livro “O Mito da Caverna”;

Richard Wilhelm – livro “I Ching”;

Sanaya Roman – livro “Spiritual Growth: Being Your Higher Self (versão em português: “Crescimento Espiritual: o Despertar do Seu Eu Superior”);

Sílvia Lisboa e Bruno Garattoni – artigo da Revista Superintessante, publicado em 21.05.13, sobre o lado oculto da mente e a neurociência moderna.

Site da Associação de Estudos Huna https://www.huna.org.br/ – artigos diversos.

Site www.globalmentoringgroup.com – artigos sobre PNL;

Site Wikipedia https://pt.wikipedia.org/wiki/Ho%CA%BBoponopono, a enciclopédia livre;

Thomas Troward – livro “The Creative Process in the Individual” (tradução livre: “O Processo Criativo no Indivíduo”);

Thomas Troward – livro “Bible Mystery and Bible Meaning” (tradução livre: “Mistério da Bíblia e Significado da Bíblia”);

Tor Norretranders – livro “A Ilusão de Quem Usa: Reduzindo o tamanho da Consciência” (versão em inglês “The User Illusion: Cutting Consciousness Down to Size”);

Wallace D. Wattles – livro “A Ciência para Ficar Rico”;

William Walker Atkinson – livro: “Thought Vibration – The Law of Attraction in the Thought World” (tradução livre: “Vibração do Pensamento – A Lei da Atração no Mundo do Pensamento”) – Edição Eletrônica publicada em 2015;

Zanon Melo – livro “Huna – A Cura Polinésia – Manual do Kahuna”;  

Muda…

A chuva de bênçãos derrama-se sobre mim, nesse exato momento.
A Prece atinge o seu foco e levanta voo.
Eu sinto muito. Por favor perdoa-me. Eu te amo. Eu sou grato.

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x