O que é e como praticar a Respiração HA?

A Respiração HA é um método de geração e acumulação de Mana ou energia Vital. Os Havaianos sabiam como respirar de forma consciente e proposital para gerar energia em diferentes formas para diferentes propósitos.

No livro “Huna – A Cura Polinésia – Manual do Kahuna”, o autor Zanon Melo, esclarece-nos que “os antigos Kahunas acreditavam que por meio da ação da mente de uma pessoa, ela adiciona uma quantidade de MANA ao pensamento.

A energia MANA é disponibilizada à partir da ingestão de alimentos e da respiração. Os nossos cientistas comprovam que, quando nós ingerimos alimentos, os seus nutrientes não são imediatamente absorvidos. No primeiro momento, o alimento é transformado em glicogênio no sangue (açúcar), esse é oxidado pelo oxigênio respirado e então nós temos a chamada ENERGIA instantânea, para nós utilizarmos em nossos processos de sobrecarga de energia vital, para nós utilizarmos em nosso método estudado [cura (healing) Kahuna], para realização de nossas necessidades e de nossos desejos.”

O autor ainda acrescenta de forma didática:

O Eu Básico [a Mente Subconsciente](1) – que está fortemente envolvido nesse processo – pode, há qualquer momento, trabalhar melhor a respiração e disponibilizar mais glicogênio para ser utilizado na geração dessa especialíssima energia chamada MANA. A combinação de energia dos alimentos e do ar que nós respiramos, aliada à energia cósmica tem o poder de realizar o que nós desejamos de modo justo e correto, para o bem da humanidade e de nós mesmos.

O acúmulo de sobrecarga de MANA pode ser obtido simplesmente solicitando ao nosso Eu Básico o desejado e a percepção/emoção envolvidas nesse processo. Assim o Eu Básico iniciará um processo de respiração mais profunda, com a intenção de acúmulo de uma sobrecarga de energia – MANA – e o processo inicia-se.”

(1)Nós iremos explorar melhor o conceito de “Eu Básico” e a Trindade do ser humano nos próximos artigos…fiquem atentas(os)!

Como reforço ao conceito de energia Mana postulado pelos Kahunas Havaianos (ou Éter Universal, postulado pela Ciência Moderna), nós extraímos a visão atual da ciência sobre essa energia, mencionada no livro “Personal Power” (tradução livre: “Poder Pessoal”), dos autores W. W. Atkinson e Edward E. Beals, como segue:

“A ciência moderna, sobre o conceito do Éter Universal, afirma a existência de uma imaterial, imponderável substância similar àquela postulada pelos antigos filósofos Hindus sobre o nome de ‘Akasha‘ ou ‘Prakriti[nós podemos incluir também o nome de Mana utilizado pelos Kahunas Havaianos por se tratar da mesma energia referenciada].

Essa energia Éter Universal é defendida pela Ciência Moderna ao impregnar todo o espaço e por ser ‘o supremo estado ou suprema condição de toda materialidade’; matéria é percebida como sendo um produto derivado dela e destinado eventualmente a retornar à essa mesma condição”.

Do livro “Quantum Huna” [“Huna Quântica”], dos autores Yates Canipe e Sarah Eftink, nós extraímos trechos do Capítulo 1, denominado “Quantum Huna and ‘The Mysteries of HA’” [‘Huna Quântica e os ‘Mistérios de HA”], que aborda didaticamente o tema da geração consciente de energia Mana, para o nosso conhecimento e entendimento:

“Quando os antigos Havaianos foram expostos ao homem Ocidental e aprenderam a escrever, eles ficaram entusiasmados e começaram imediatamente a documentar e PROTEGER o seu conhecimento e sabedoria com a palavra escrita. O SEGREDO desse contexto geral era a ENERGIA. Eles entendiam como o Universo funciona. Tudo é energia. Fogo é energia. Ar é energia. Água é energia. Terra é energia. O homem é energia. Além do mais, isso era o entendimento da ressonância, da frequência, da harmonia e do fato de que tudo é definido por suas características eletromagnéticas.

O SEGREDO desse contexto geral era a ENERGIA.

Em termos Kahuna, todas as coisas eram únicas e em harmonia, não havia duas coisas exatamente iguais e todas tinham campos energéticos sobre elas. Do homem aos pássaros, das rochas às conchas do mar. Tesla apresentou essa hipótese nesse trabalho. Tudo tem a sua própria frequência única. Você já viu isso na TV quando as pontes balançam e desabam com a velocidade e direção corretas do vento. É por isso que os soldados são instruídos ao atravessarem pontes para não estimular vibrações. Você tem visto isso quando objetos foram submetidos a ultra alta frequência e explodem quando eles são bombardeados com aquela frequência ressonante especial.”

Os autores prosseguem em outro parágrafo:

“Quando o Capitão Cook e a sua tripulação desembarcaram nas Ilhas, eles perguntaram aos nativos o nome de sua localização. Onde nós estamos e como se chama esse lugar? eles perguntaram. A resposta dada pelos nativos foi ‘Hawaii’ [Havaí]. Na ortografia de hoje, ‘Ha’ ‘wai’ ‘i’ significa o sopro da vida, a força vital suprema que se baseia na respiração.

Por enquanto, considere o que se acredita que eles queriam dizer. Você decide. ‘Havaí é a terra das pessoas que respiram’ ou ‘Essa é a terra das pessoas que sabem respirar.’

“‘Ha’ ‘wai’ ‘i’ significa o sopro da vida, a força vital suprema que se baseia na respiração. Por enquanto, considere o que se acredita que eles queriam dizer. Você decide. ‘Havaí é a terra das pessoas que respiram’ ou ‘Essa é a terra das pessoas que sabem respirar.'”

Agora considere o nome que o povo Havaiano deu ao homem branco. Eles começam a chamar todo homem branco pelo termo ‘Haole’. ‘Ha’ ‘o’ ‘le’ significa sopro de preguiça ou respiração preguiçosa, a pessoa que não sabe respirar.

Pense nisso por um momento. TODOS os humanos respiram. É um elemento necessário, natural e automático da vida. Sem respiração, todos nós deixamos de existir. Então, o que os Havaianos estavam dizendo ao descrever a si mesmos e aos recém-chegados em termos de respiração?

Os Havaianos sabiam como respirar de forma consciente e proposital para gerar energia em diferentes formas para diferentes propósitos. Os recém-chegados não tinham o conceito de respiração consciente, de geração de energia ou de fazer isso com intenção ou formas de pensamento.

Os antigos Havaianos sabiam que assumir o controle consciente de sua respiração os colocava em um estado alterado. Eles foram capazes de interagir com outros reinos de possibilidades, outros universos, outras fontes de energia e que todas as coisas funcionavam em harmonia.

Respirar é necessário para a vida. Existem várias maneiras de respirar. A mais comum é a respiração automática que acontece inconscientemente [subconscientemente]. A maneira como você está respirando enquanto lê isso é um exemplo.

Outra maneira de respirar é com o propósito específico de gerar energia especial para uma tarefa especial. Você faz isso automaticamente ao fazer a maioria das formas de exercício físico. Você também pode respirar conscientemente para gerar energia por muitas outras razões. Essa energia gerada conscientemente assumirá uma forma específica (frequência, amplitude, modulação, inteligência inserida) dependendo do uso pretendido.”

O que é respiração?

“O dicionário define como um processo de levar o ar para os pulmões e expulsá-lo. Você respira ar para os pulmões. As células sanguíneas captam o oxigênio para transportar por todo o corpo enquanto liberam o subproduto dióxido de carbono dos pulmões. Os pulmões empurram o dióxido de carbono para o ar. Essa é uma das coisas que nós temos de fazer para sobreviver.”

Pense nisso: “A cada respiração, sempre que você inala e exala, uma flor sorri.”

Respiração HA

‘HA’ em Havaiano significa respiração forte e também o número quatro (4). Isso não é por acaso, isso foi feito de propósito e com propósito. Nós acreditamos que os Havaianos esperavam exatamente o que estavam fazendo ao respirar e o número quatro recebeu o mesmo nome.”

Respiração abdominal

“Um bebê respira pela barriga, o que significa que a barriga se expande e se contrai a cada respiração. A maioria dos adultos hoje, por qualquer motivo, tende a fazer a respiração torácica. Isso tende a ser superficial e fornece apenas a energia essencial necessária para viver, porém NÃO para manifestar, para curar [healing] ou para muitas outras atividades das quais você se tornará ciente. [Atividades a serem abordadas nos próximos artigos e a serem disponibilizados nesse blog. Fiquem atentos(as)!!!].

Para obter o máximo dos antigos conhecimentos dos Havaianos, você aprenderá a fazer a mesma respiração abdominal com adaptações misteriosas.

Você inspira pelo nariz expandindo o seu abdômen. Você então prende a respiração. Em seguida, expira pela boca pelo dobro do tempo da inspiração. Pausa. Repita. Observe a diferença ao expirar quando você faz ou diz o som ‘HA'”.

Por que a respiração abdominal, você pode perguntar?

“Quando você respira apenas no peito [respiração torácica], os pulmões não são totalmente expandidos na inspiração ou totalmente recolhidos na expiração. Tome um momento e respire apenas com o peito e observe o que acontece quando você expira conscientemente apenas com o peito e nenhum movimento na barriga.

A respiração abdominal permite a ingestão MÁXIMA de ar NOVO e a expiração MÁXIMA do ar VELHO. O ar NOVO tem uma quantidade muito maior de oxigênio do que o ar VELHO.

A respiração ‘HA’ tem uma proporção na qual respirar, dependendo da finalidade. Considere que A:B:C:D é a proporção em que A representa a inspiração, B representa a retenção da respiração, C representa a expiração da respiração e D representa a pausa entre a expiração e a inspiração.

Com essa proporção 1:1:1:1, você inspira pela mesma quantidade de tempo que segura, expira e faz uma pausa. Cada passo da respiração é igual. Com a proporção 1:1:2:1, a expiração é duas vezes mais longa que a inspiração. Se você inspirar por 4 segundos, segure por 4 segundos, depois expire por 8 segundos e então faça uma pausa por 4 segundos. Essa é uma respiração HA. Ao repetir a respiração HA quatro vezes, você completou um ciclo de respiração HA.

Os Havaianos usavam essa proporção de respiração para gerar energia que eles chamavam de Mana. O segredo da respiração era valorizado cultura deles. Ao invés de apenas falar sobre isso, faça esse exercício e observe as suas experiências.

Repita esse processo 4 vezes para completar um ciclo de respiração HA. Descanse o tempo que for necessário. Repita com outro ciclo de respiração HA. Descanse e repita. O objetivo é fazer um total de 40 respirações HA ou 10 ciclos.

Se você tiver alguma tontura, repita, mas dessa vez coloque as mãos na barriga, pois nós estamos fazendo respiração abdominal, então, quando você repetir, sentirá as suas mãos se movendo. Por outro lado, se você estiver fazendo a respiração HA com o peito (respiração torácica), você pode sentir tontura.

À medida que você avança nos ciclos de respiração HA, você pode notar que o padrão muda. Você pode estar encontrando o seu próprio ritmo pessoal. Além disso, à medida que você progride nos ciclos respiratórios, você está realmente entrando em um estado mental alterado.

A sua respiração controla todas as coisas. À medida que a sua respiração diminui, a sua frequência cardíaca diminui. A sua pressão arterial diminui. As suas ondas cerebrais diminuem. É um efeito ondulante. Uma vez que a sua respiração desacelera e afeta os outros padrões em seu corpo, a sua respiração continuará desacelerando.

Você então começa a respirar com mais eficiência. Nesse nível, você está em um estado mental alterado. O nível que você atinge depende da sua experiência. Você pode estar no nível alfa da mente. Se você for mais experiente, você pode estar no nível mental teta ou delta.

Essa é uma das razões pelas quais a respiração é tão importante. Em cada nível da mente, seja beta, alfa, teta ou delta, o seu cérebro gira em velocidades diferentes. As suas ondas cerebrais mudam em cada nível do ser.

Beta é o estado mental consciente com o seu próprio comprimento de onda. As ondas cerebrais são mais erráticas com pouca flutuação da parte inferior e superior da onda. As ondas cerebrais têm baixa amplitude e estão circulando de 15 a 40 ciclos por segundo.

Em alfa, você está em um nível alterado de consciência no nível da percepção [consciousness]. As ondas cerebrais são menos erráticas com uma flutuação maior entre o topo e a base da onda. As ondas são mais lentas e de maior amplitude. O cérebro está dando um ciclo de 9 a 13 ciclos por segundo. É aqui que a mudança pode acontecer. Esse é o nível para o qual você vai durante a hipnose, meditação ou manifestação.

O próximo nível é teta, que é uma amplitude maior e uma frequência mais lenta. O seu cérebro está girando em cerca de 5 a 8 ciclos por segundo. Você já esteve nesse estado de espírito antes. Por exemplo, você já dirigiu e percebeu que não consegue se lembrar dos últimos 5 quilômetros? Você estava no nível teta durante esse tempo. Nesse nível do ser, uma cura [healing] pode ocorrer com resultados profundos.

O último estado mental a ser discutido é o delta. É aqui que as suas ondas cerebrais são de maior amplitude e frequência mais lenta. O seu cérebro está girando em torno de 1,5 a 4 ciclos por segundo. Isso geralmente está relacionado ao sono profundo e à projeção astral.”

Como tudo isso se relaciona com a respiração HA?

“Em diferentes ciclos de sua respiração e com experiência, você será capaz de atingir esses diferentes níveis da mente apenas por meio da respiração. Os Havaianos e os Kahunas usavam alguma forma de respiração HA em tudo o que faziam. Se você pode mudar o seu nível mental através da respiração, você é capaz de transformar o seu nível de consciência no nível da percepção [consciousness] através da respiração. Você pode trabalhar e se comunicar em outra dimensão.”

Gerando Mana

“Já que agora você sabe fazer a respiração HA, é hora de aprender a fazer a respiração HA para gerar Mana.

O Andrews Dictionary [Dicionário] define Mana como poder sobrenatural; espírito; energia de caráter; um galho ou galho de uma árvore; uma linha que se projeta de outra linha; poderoso; forte; ramificar; ser dividido; ser muitos.

Mana é basicamente energia poderosa. Em outras culturas, é semelhante ao seguinte chi, qi, prana, força vital, maná, força vital e energia universal. Essa é a energia que o seu corpo físico necessita para se manter vivo. O seu corpo obtém essa energia através da respiração e do metabolismo da digestão de alimentos. Star Wars referiu-se a isso como:

‘Sinta a Força’, Luke.

O método é basicamente refazer o exercício de respiração HA (proporção 1:1:2:1) com algumas novas reviravoltas. Dessa vez nós vamos adicionar a intenção de construir Mana. A intenção adiciona um nível totalmente novo à Mana. Agora você basicamente adicionou inteligência à energia. Você deu um propósito à Mana.

A intenção adiciona um nível totalmente novo à Mana.

Refaça os passos acima com a intenção de construir Mana. Enquanto estiver respirando, imagine que está segurando uma tigela de água em volta da área do estômago. Algumas pessoas a imaginam como uma fonte de Mana. Os Havaianos sempre usaram a água como símbolo de Mana. À medida que você avançar nos ciclos da respiração HA, visualize a tigela ficando cada vez mais cheia de água até transbordar. Com a fonte, você poderia visualizar a fonte crescendo cada vez mais alto até que esteja acima de seu chacra coronário.

Sempre que a sua tigela estiver transbordando, isso simboliza que a sua Mana está transbordando. O mesmo vale para sempre que a fonte estiver transbordando através do seu chacra coronário.”

Entendido o conceito de Energia Mana, nós podemos afirmar que esse poderoso processo de respiração é simples de fazer e, além de acumular Mana, também cancela memórias repetitivas limitadoras, traz tranquilidade e nos coloca em sintonia (conexão) a Uhane (mente consciente), a Unihipili (mente subconsciente) e o Aumakua (mente supraconsciente).  

A trindade do ser humano será abordada em próximos artigos. Fiquem atentos(as)!!!!

Como vimos, ‘HA’ é uma palavra Havaiana que significa “respiração da vida”, “energia da vida”.

Frase de uma fonte desconhecida:

“Eu vivo no supremo mana, que cavalga na respiração da vida.”

A palavra “HA” está contida na palavra “Aloha”. Na língua Havaiana “Aloha” significa muito mais do que “alô” e “adeus” ou “amor”. O seu significado maior é:

compartilhar (alo) com alegria (oha) a energia da vida (ha) no presente (alo)”.

Prática da Respiração HA

  • Sente-se confortavelmente, com a coluna ereta, ombros para trás, diafragma aberto e os pés “plantados” no chão (aterramento).
  • Como sugestão, por experiência própria, para manter o foco de atenção na prática, junte os dedos indicador e polegar de cada mão formando um “oito deitado”, conforme a figura abaixo:
  • Oito deitado (2 x 4) é o símbolo que representa o infinito, a eternidade e o potencial divino. (site Significados https://www.significados.com.br/oito-deitado/).
  • Lembrando que o número 4 é o símbolo da Respiração HA.
  • Lembre-se também que nós estamos praticando a respiração abdominal, então sinta a sua barriga crescer (como a do Papai Noel) e decrescer (tipo barriga negativa de atleta) a cada respiração HA.
  • Visualize que o seu corpo é como uma fonte de água que será abastecida de energia Mana a cada ciclo de respiração HA, começando a subir pelas pontas dos dedos de seus pés até alcançar, no último ciclo, o transbordamento de energia Mana pelo chacra coronário (o topo da cabeça).
  • Água é o símbolo utilizado pelos Kahunas para a energia Mana.
  • Inspire o ar, pelo nariz, contando mentalmente até 4 (lembre-se da barriga cheia; sugestão: as mãos, com os dedos em forma de oito, deixe-as repousadas sobre a sua barriga, para sentir o movimento entre as inalações e exalações);
  • Segure o ar, mantendo a barriga cheia, contando mentalmente até 4;
  • Expire o ar totalmente da barriga, pela boca, contando mentalmente até 8 e dizendo suavemente “HA” (lembre-se da barriga negativa; sinta com as mãos, com os dedos em oito, esse movimento de barriga negativa);
  • Descanse, mantendo a barriga vazia de ar, contanto mentalmente até 4;
  • Faça as contagens até os números 4 e 8, em cada etapa, no seu próprio ritmo, de maneira bem confortável, porém sempre CONSCIENTE.
  • Repita esse processo 4 vezes para completar um ciclo de respiração HA.
  • Descanse o tempo que for necessário. Repita com outro ciclo de respiração HA.
  • Descanse e repita. O objetivo é fazer um total de 40 respirações HA ou 10 ciclos.
  • Finalize agora o processo afirmando, com sentimento de gratidão: “Eu sou grato(a). Aloha.”
  • Nesse momento visualize o transbordamento de energia Mana através do chacra coronário (o topo de cabeça).
  • Peça, nesse momento, para a Unihipili (mente subconsciente) disponibilizar essa sobrecarga de energia Mana para que VOCÊ, como uma Uhane (mente consciente), possa transformá-la em energia Mana Mana.
  • Durante 4 segundos sinta que VOCÊ está telepaticamente transformando a energia Mana em Energia Mana Mana.
  • Em seguida, peça para a Unihipili (mente subconsciente) transferir para o Aumakua (mente supraconsciente) essa oferenda de Mana Mana, a ser utilizada nos processos de criação deliberada e curas [healings] conforme demandas.
  • Para essas atividades por demandas ou atividades do dia a dia, o Aumakua (mente supraconsciente) transforma a energia Mana Mana em energia Mana Loa de alta frequência vibratória.
  • Vale também ressaltar que, durante a prática, VOCÊ normalmente perceberá o surgimento de pensamentos periféricos, incessantes, involuntários, compulsivos e as emoções afins que normalmente os acompanham, dificultando a contagem até o número 4 e 8 em cada etapa.
  • Esses pensamentos estão sendo liberados por sua mente subconsciente que trabalha 24 horas por dia, sem parar.
  • Uma das características pessoais da mente subconsciente é ser “faladora” – ela é aquela conversinha na mente que nós escutamos, muitas vezes, incessantemente.
  • Impossível deixar de pensar, pois o fato de nós estarmos focados na contagem é um tipo de pensamento, porém de pensamento consciente.
  • Essa ação nos coloca no momento presente (no aqui e agora, na frequência Zero), onde tudo acontece e as forças universais conspiram, eternamente, a nosso favor.
  • Pois bem, o nosso trabalho na respiração HA é, conscientemente, tirar o foco de atenção desses pensamentos periféricos e manter o foco no processo de “respiração HA”.
  • Mantenha a concentração somente na respiração e na contagem até os números 4 e 8 em cada etapa, pois você estará, por meio da mente consciente (Uhane), exercitando a harmônica parceria com a mente subconsciente (Unihipili), no controle de seus pensamentos periféricos.
  • Nós podemos fazer uma analogia com o exercício de meditação dirigida, onde nós buscamos também controlar os mesmos pensamentos, focando, por exemplo, na respiração comum ou num ponto qualquer (chama, luz, som, palavra, imagem, incenso, música, mantra, etc.). O princípio é o mesmo.
  • Ambas as técnicas – respiração HA e meditação – não são práticas mentais.
  • A proposta é superar a mente e buscar o Vazio (frequência Zero).
  • Vale enfatizar que, numa meditação dirigida, quando se utiliza a respiração HA como foco de atenção, sempre traz bons resultados para esvaziar a mente, alcançar o Vazio e manifestar as criações deliberadas e as curas [healing] por demandas, por meio dos 3 Eus do ser humano.

William R. Glover, em seu livro “Huna the Ancient Religion of Positive Thinking”, afirma:

“O Rito Ha dos Kahunas significa o rito das ‘quarenta respirações’. Mas a palavra raiz Ha também significa ‘muitos’, então não há um número definido. Se você começar a se sentir tonto por causa do excesso de oxigênio, diminua a velocidade ou faça uma pausa por um tempo e repita o seu comando para o seu eu básico [Unihipili] de que você está gerando Mana e que você espera que isso ajude no acúmulo.”

Na OREM1 nós exercitamos esse “alcance do estado de Vazio” (frequência Zero) através da prática do Ho’oponopono.

O filósofo Humberto Rohden disse:

“A meditação principia pela unipolarização mental ou concentração e, ultrapassando essa, esvazia o homem de todos os conteúdos do seu ego físico, mental e emocional, permitindo ser invadido pelos poderes cósmicos ou divinos.”

Estamos, com a prática da respiração HA, não somente respirando adequadamente, relaxando a mente e energizando o corpo através de uma corrente sanguínea saudável, com sistemas linfático e imunológico mais eficientes, como também estamos exercitando a Lei Universal da boa relação entre a mente consciente (Uhane) e a mente subconsciente (Unihipili).

No livro: “O Despertar de Uma Nova Consciência”, o autor Eckhart Tolle nos presenteia com essa inspiradora revelação sobre a prática da respiração, para a nossa reflexão, conforme seguem alguns trechos:

“Tomar consciência da respiração faz com que a atenção se afaste do pensamento e produza espaço. É uma maneira de gerar consciência. Embora a plenitude da consciência já esteja presente como o não-manifestado, nós estamos aqui para levar a consciência a essa dimensão. Uma respiração consciente (duas ou três seria ainda melhor) feita muitas vezes ao dia é uma maneira excelente de criar espaços na sua vida. Mesmo que você medite sobre a sua respiração por duas horas ou mais, o que é uma prática adotada por algumas pessoas, uma respiração basta para deixá-lo consciente.

Na verdade, respirar não é algo que nós fazemos, mas algo que nós testemunhamos.

A respiração acontece por si mesma. Ela é produzida pela inteligência inerente ao corpo. Portanto, basta observá-la. Essa atividade não envolve nem tensão, nem esforço. Muitas pessoas têm a respiração curta, o que não é natural. Quanto mais nós tomamos consciência no nível da percepção [consciousness] da respiração, mais a sua profundidade se restabelece sozinha.

Como a respiração não tem forma própria, ela tem sido equiparada ao espírito – a Vida sem uma forma específica – desde tempos ancestrais. ‘O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro da terra, e inspirou-lhe nas narinas um sopro de vida; e o homem se tornou um ser vivente.’ A palavra alemã para respiração – atmen – tem origem no termo Sânscrito Atman, que significa o espírito divino que nos habita, ou o Deus interior. O fato de a respiração não ter forma é uma das razões pelas quais a consciência no nível da percepção [consciousness] da respiração é uma maneira muito eficaz de criar espaços na nossa vida, de produzir consciência. Ela é um excelente objeto de meditação justamente porque não é um objeto, não tem contorno nem forma.

O outro motivo é que a respiração é um dos mais sutis e aparentemente insignificantes fenômenos, a ‘menor coisa’, que, segundo Nietzsche, constitui a ‘melhor felicidade’. Cabe a você decidir se vai ou não praticar a consciência no nível da percepção [consciousness] da respiração como uma verdadeira meditação formal. No entanto, a meditação formal não substitui o empenho em criar a consciência no nível da percepção [consciousness] do espaço na sua vida cotidiana.

Ao tomarmos consciência no nível da percepção [consciousness] da respiração, nós nos vemos forçados a nos concentrar no momento presente – o segredo de toda a transformação interior, espiritual. Sempre que nós nos tornamos conscientes da respiração, nós estamos absolutamente no presente. Nós percebemos também que nós não conseguimos pensar e nos manter conscientes da respiração ao mesmo tempo. A respiração consciente suspende a atividade mental. No entanto, longe de nós estarmos em transe ou semi-despertos, nós permanecemos acordados e alertas. Nós não ficamos abaixo do nível do pensamento e sim acima dele. E, se nós observarmos com mais atenção, nós veremos que essas duas coisas – o nosso pleno estado de presença e a interrupção do pensamento sem a perda da consciência – são, na verdade, a mesma coisa: o surgimento da consciência no nível da percepção [consciousness] do espaço.”

Bibliografia:

  • Livro “Quantum Huna” [“Huna Quântica”] – Yates Canipe e Sarah Eftink.
  • Livro “Huna – A Cura Polinésia – Manual do Kahuna” – Zanon Melo.
  • Livro “Personal Power” [“Poder Pessoal”] – W. W. Atkinson e Edward E. Beals.
  • Livro “O Despertar de Uma Nova Consciência” – Eckhart Tolle.
  • Livro “Huna the Ancient Religion of Positive Thinking” [“Huna: A Antiga Religião do Pensamento Positivo”]- William R. Glover.

Imagem processingly-2pUP1Ts1bmo-unsplash.jpg

Muda…
A chuva de bênçãos derrama-se sobre mim, nesse exato momento.
Prece atinge o seu foco e levanta voo.
Eu sinto muito. Por favor, perdoa-me. Eu te amo. Eu sou grato.
Está feito! Aloha.
Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x