Artigo “Principles of Shamanic Practice”

Autor: Dr. Serge Kahili King

Artigo em inglês no site da Huna International, disponível através do link: https://www.hunahawaii.com/Serge/shamanpractice.htm

Tradução livre Projeto OREM®

“O Xamanismo é frequentemente associado à magia, em oposição à ciência e isso pode ser uma crítica ou um elogio, dependendo do orador.

O fato é que a magia Xamânica é uma ciência aplicada, o aspecto prático do que hoje se chama de Parafísica e Parapsicologia.

Como todas as ciências, ela tem que seguir as leis naturais ou não funcionará, embora seja verdade que algumas das leis mágicas são desconhecidas e ainda não aceitas pelos cientistas Ocidentais modernos.

De acordo com o Webster’s New World Dictionary, no entanto, uma ciência é ‘um conhecimento sistematizado derivado da observação, estudo e experimentação’. Essa definição certamente descreve o tipo de magia praticada pelos verdadeiros Xamãs.

Existem basicamente dois tipos de magia. Uma é a magia ilusória (às vezes chamada de magia ‘baixa’), que é o tipo mais usado por mágicos de palco, bem como em filmes e televisão. Na melhor das hipóteses, requer grande habilidade e técnica, mas se baseia em criar a aparência de um evento e não o próprio evento. A outra é a verdadeira magia (ou ‘alta’ magia), que se preocupa em realmente criar eventos ou ‘fazer as coisas acontecerem’.

Foto Xamanismo Havaiano – httpxamanismosabedoriancestral.blogspot.com

O que se segue, então, são os Sete Princípios da Huna e vários de seus corolários[1] conforme eles se aplicam à magia Xamânica.

[1] Minha observação: Um corolário (do latim tardio corollarĭum) é uma afirmação deduzida de uma verdade já demonstrada. Assim como proposição resultante de uma verdade. Fonte: Wikipédia.

O Princípio de ‘IKE – CONHECIMENTO

Em Havaiano, a palavra ‘ike tem muitos significados, inclusive o significado de conhecimento e esse será o foco aqui.

O conceito por trás desse princípio é que o conhecimento traz poder ou influência. Quanto mais você conhece sobre algo, mais influência potencial você tem sobre esse algo e mais poder você tem no sentido de ser capaz de agir de forma eficaz.

Quanto mais você conhecer sobre engenharia, mais poder terá sobre tudo nesse campo. Quanto mais você conhecer sobre o clima, mais poderá influenciá-lo, porque saberá o que fazer para produzir determinado efeito.

A magia Xamânica geralmente leva em conta as causas e efeitos emocionais e mentais, mesmo para coisas como o clima e por isso muitas vezes é capaz de produzir resultados aparentemente milagrosos. O grau de poder está diretamente relacionado ao grau de conhecimento.

Se você realmente conhece a si mesmo, se você conhece todas as suas capacidades, talentos e potenciais e se você conhece tão bem que você é capaz de trazê-los à tona à vontade, é claro que você tem um poder imenso. Uma vez que você tenha poder sobre si mesmo, então você será capaz de controlar as condições ao redor de si mesmo, porque isso é um fundamento da vida, não apenas mágica, que você crie a sua própria experiência por meio de sua mente. Os antigos Xamãs Kahunas dedicaram muito tempo ao autoconhecimento, autodisciplina e auto expansão.

O grau de poder está diretamente relacionado ao grau de conhecimento.

O Corolário dos Nomes

Tem sido uma parte da sabedoria popular da mágica desde tempos imemoriais que os nomes têm poder. Infelizmente, a ideia tem sido distorcida ao longo dos séculos a ponto de muitos pensarem que apenas a declaração de um nome ‘secreto’ poderia produzir resultados miraculosos.

Procurar tais nomes, no entanto, é um esforço infrutífero. O segredo reside no fato de que os nomes são essencialmente descrições. O ‘verdadeiro nome’ de alguma coisa é uma descrição completa ou conhecimento completo dessa coisa. E, como dito acima, o conhecimento confere poder.

A razão pela qual os nomes em línguas antigas são usados ​​com tanta frequência em trabalhos mágicos não é que eles tenham alguma qualidade especial própria ou que soem misteriosos. O fato é que nomes em alguns idiomas, como Hebraico, Polinésio e Sânscrito, contêm uma riqueza de informações ocultas em suas raízes e estrutura. Além disso, conhecer o verdadeiro nome de uma coisa implica um conhecimento que vai muito além das palavras e da experiência direta.

Os nomes também são usados ​​para fins associativos em vários tipos de trabalho Xamânico. Por exemplo, entre os Xamãs Kahunas da Polinésia, o uso de um determinado peixe, vegetal ou erva em um ritual seria importante porque o seu nome carregava um significado oculto. O poder era derivado da associação na Mente Subconsciente [Unihipili] do Xamã entre o nome do objeto usado e o significado oculto ou extra do objeto.

Por exemplo, a planta kava foi amplamente utilizada em antigos rituais Havaianos porque ela tinha outro significado de ‘canalizar o poder’. Portanto, o simples ato de usar a kava e chamá-la pelo nome desencadeava um processo interno de geração de poder. Em comparação com algumas das línguas antigas, o Inglês pode parecer um tipo muito fraco de taquigrafia verbal, mas o conhecimento das origens das palavras em Inglês pode ser bastante útil para o Xamã que fala Inglês.

Starr_070515-7054_Piper_methysticum-Por-Forest-Kim-Starr-CC-BY-3.0.jpg – 20 de setembro de 2022

Apesar do exposto, certas palavras ou combinações de sons podem mudar ou expandir a percepção da realidade. Não se trata de dizer uma palavra ‘mágica’ como abracadabra e produzir resultados instantâneos. Ao invés disso, é como usar uma determinada palavra para alterar o seu estado de consciência no nível da percepção [consciousness].

Um dos melhores exemplos, porque produz os resultados mais impressionantes, é a palavra sânscrita, Om, muitas vezes pronunciada ‘a-u-m’. Com o corpo relaxado, uma repetição desse som pode causar rapidamente sensações de leveza, fluxo de energia e uma transição para o que agora é chamado de estado ‘alfa’ de consciência no nível da percepção [consciousness]. A palavra em sânscrito refere-se às qualidades de um ser divino chamado Ishwara, mas nem é preciso conhecer disso para obter resultados. O poder disso pode estar relacionado ao fato de que centenas de milhares de pessoas a cantam há séculos. Outra palavra com efeitos muito semelhantes é ‘Oia’i’o, pronunciado ‘ohya-eee-ohhh’, significado em Havaiano para ‘verdade’ ou, de acordo com alguns Polinésios, ‘Deus’.

Grupos de palavras em cantos têm o poder de alterar estados de consciência no nível da percepção [consciousness], em parte pelo ritmo e em parte pelas frequências sonoras. Também é importante o ambiente e o estado de espírito do praticante. Os sons certos não apenas induzem um estado alterado, mas também podem gerar um alto grau de energia.

Exemplos são o canto Hindu Om, Mane Padme Hum, o canto Nicheren Shoshu, Nameyo Horenge Kyo e o canto Havaiano, Aumakua Kia Manawa. No entanto, praticamente qualquer grupo de palavras cantadas no ritmo pode induzir um estado alterado. Como disse Krishnamurti, até a ‘Coca-Cola’ pode fazer isso.

Finalmente, certas palavras têm ou podem ter associações poderosas para determinados indivíduos e essas podem ser descobertas ou programadas para uso pessoal para grande efeito.

O Princípio de KALA – LIBERDADE

Como ‘ike, a palavra Havaiana kala tem muitos significados e eu escolho usar o que significa Liberdade para esse foco.

Outra tradução desse princípio é ‘Não há limites’. Isso inclui o entendimento de que, embora na verdade não haja limites para nada, nós somos capazes e de fato criamos os nossos próprios limites, como nos jogos e nós podemos interpretar fenômenos em termos de limites que nós percebemos. Conhecer que todos os limites são arbitrários, no entanto, pode ser muito útil para a prática do Xamã.

O Corolário de Dados Infinitos

Muito simplesmente, isso significa que sempre há algo novo. Você nunca estará sem coisas para aprender. No final do século XIX houve um diretor de patentes no governo dos Estados Unidos que se demitiu e sugeriu que o U.S. Patent Office fosse abolido, porque tudo havia sido inventado. E imagine o que foi feito desde então. Não há fim para o conhecimento porque esse é um universo infinito e há um número infinito de coisas para aprender sobre ele.

Uma pessoa praticante do Xamanismo que sente que ele/ela tem aprendido todas as coisas e não tem mais necessidade de aprender, ele/ela anda para trás. Tal pessoa não tem reconhecido que o universo é infinitamente criativo. Parte da excitação de viver a vida mágica é conhecer que ao virar da esquina alguma coisa nova e maravilhosa esbarrará em nós.

Parte da excitação de viver a vida mágica é conhecer que ao virar da esquina alguma coisa nova e maravilhosa esbarrará em nós.

O Corolário das Dimensões Infinitas  

Se você tem lido muita ficção científica, então esse conceito pode ser familiar para você. O que eu estou dizendo aqui é que nesse exato momento existe um número infinito de dimensões paralelas, verticais e perpendiculares existentes agora no mesmo espaço onde você está.

Por exemplo, nós percebemos a realidade física através de algumas portas relativamente estreitas de faixas de frequência que nós chamamos de visão, audição, tato, paladar e olfato. Nós não podemos perceber diretamente frequências fora dessas faixas, como luz ultravioleta, raios X, raios gama, ondas de rádio e televisão, etc., embora elas possam produzir efeitos físicos que nós podemos perceber.

Agora, apenas suponha que existissem seres ‘físicos’ como você e eu, mas cujas ‘portas’ perceptivas estivessem apenas de um lado do nosso. Nesse caso, eles podem ocupar o mesmo espaço que você sem que você saiba. Pode haver um campus universitário em sua sala de estar ou uma floresta em sua cozinha. Se isso parece muito louco, pense no fato de que você está compartilhando espaço agora com inumeráveis programas de televisão e rádio.

Outra ideia incluída nesse corolário é que não há dois seres que sintam o mundo da mesma forma, mesmo dentro dessa dimensão. Nós podemos concordar em coisas gerais, como o fato de que vários de nós estamos olhando para uma pintura, mas quando, digamos, três pessoas estão olhando para a mesma pintura, uma pode ver a obra de arte ou a técnica de pincel do artista; a segunda pode vê-la em termos de sua composição ou beleza; e a terceira pode ver a moldura, a tela e a própria natureza da pintura.

Esse é um exemplo simplista, entretanto você é capaz de perceber que pessoas diferentes podem experienciar a mesma coisa de maneiras diferentes. As pessoas também percebem diferentemente em termos de suas crenças e atitudes sobre o mundo, como quando uma vê essa vida como um deleite e outra como um vale de lágrimas.

E assim o conceito de dimensões infinitas traz consigo a ideia de que nós somos capazes de mudar as nossas condições, mudar o que parece ser o nosso destino, por reestruturar as nossas crenças e as nossas escolhas.

O Corolário da Energia Infinita

Isso não apenas se relaciona com a ideia de que a energia é ilimitada, mas que todas as coisas são energia e nessa dimensão as regras básicas de energia são as do eletromagnetismo. Portanto, os pensamentos são energia, os sentimentos são energia e a matéria física é energia. E dentro desse corolário os conceitos de voltagem, corrente, resistência, campos e frequências são tão importantes e úteis nos reinos emocional e mental quanto eles são no físico.

O Princípio de MAKIA – FOCO

Outra tradução é que ‘A energia flui para onde vai a atenção’. Esse princípio relaciona-se diretamente com conceitos como manifestação, carma e telepatia.

O Corolário de Causa e Efeito

Claro, essa também é a base fundamental da ciência Ocidental e significa que as mesmas ações sob as mesmas condições produzirão os mesmos efeitos. É o mesmo processo experimental usado em laboratórios modernos. Se alguém deseja reproduzir um determinado efeito, então, na medida do possível, todos os processos do experimento original são duplicados. Se uma variável for introduzida, ou seja, uma condição ou ação diferente da original, é provável que os resultados sejam diferentes. Como a magia Xamânica lida com energias muito sutis, ela estende as variáveis ​​possíveis a coisas como atitude mental, estado emocional e fases da lua.

Num sentido mais profundo, porém, a Huna apresenta a ideia de que ‘nós’ (mente subconsciente, mente consciente e mente supraconsciente/Deus) somos a causa suprema de todos os efeitos que nós experienciamos.

O Corolário da Similaridade

Essa é a ideia de que os efeitos se assemelham às causas, ou que as semelhanças são parecidas (similares). A sabedoria popular sobre ervas, por exemplo, dita que o melhor uso para plantas e ervas é remediar o que elas se assemelham. Em outras palavras, se você tem uma planta que se parece com um fígado, então você usa essa planta para doenças do fígado. Se você tem uma erva que se parece com um coração, use-a para problemas cardíacos. A raiz de ginseng se assemelha um pouco a um ser humano inteiro e, portanto, é usada para quase tudo.

Para o modo normal de pensar, que usa a lógica mecânica, isso parece muito simplista e supersticioso. Mas o pensamento mágico requer lógica funcional. Padrões semelhantes têm que compartilhar uma essência semelhante e ter algum tipo de ligação ressonante.

Essa ideia foi colocada em prática por um pesquisador da Califórnia que afirma que as sementes se conservam melhor em frascos com formato de semente e, em minha experiência, as flores duram mais tempo em vasos verdes. No que diz respeito às ervas, é fato que muitas das alegações dos antigos fitoterapeutas se mostraram justificadas nos laboratórios farmacêuticos modernos.

Esse corolário também se aplica ao reino do pensamento. Se um pensamento imaginativo for mantido com concentração por um certo período de tempo, ele tenderá a produzir ou atrair a experiência física equivalente.

A Unity Church[2], entre outras, incentiva esse tipo de trabalho por meio de um sistema chamado ‘mapeamento do tesouro’, pelo qual a pessoa usa imagens de condições desejadas para focar a concentração e produzir uma experiência real. E em experimentos com a energia da pirâmide, foi demonstrado que, sob as condições certas de atenção concentrada, uma pirâmide imaginária pode produzir todos os efeitos de uma pirâmide física.

[2] Minha observação: “A Igreja da UNIDADE (em inglês: Unity Church) é uma denominação religiosa Estadunidense ligada ao movimento espiritual do Novo Pensamento. A Unidade nasceu em 1888, no Missouri, Estados Unidos da América, como Escola de Cristianismo Prático e busca ser mais uma abordagem metafísica ou filosófica da espiritualidade Cristã do que uma nova Igreja, voltada especialmente à fé, oração e a cura. A Unidade também ensina que a prosperidade é um direito divino e um resultado produzível pela consciência no nível da percepção [consciousness] espiritualizada, tendo influenciado assim – já que veio antes -, a Teologia da Prosperidade e a Confissão Positiva.” Fonte: Wikipédia.

O Corolário da Associação

O que quer que duas coisas tenham em comum pode ser usado para influenciar uma ou ambas. Quanto mais elas têm em comum, mais elas se influenciam. Enquanto nomes e formas semelhantes são algumas das quais duas coisas podem ter em comum, também há o contato. A ideia aqui é que as coisas, uma vez em contato, podem continuar a interagir após a separação.

Esse corolário fornece a base para a maioria das formas de ‘magia simpática’, incluindo Vodu, Psicometria, Cura a Distância e Radiônica [Radionics]. É como se as coisas em contato retivessem a memória do padrão ‘eletromagnético’ uma da outra e essa memória pudesse então ser acessada para fornecer um elo ressonante para a transferência de energia e/ou informação.

O contato não precisa ser físico; pode também ser sonoro (por meio do som, como ao ouvir um nome), emocional (como ao compartilhar um sentimento) ou mental (como ao imaginar um símbolo da pessoa ou situação). Em Huna, esse tipo de contato é muitas vezes simbolizado por fios ou cordões aka.

O Princípio de MANAWA – PRESENÇA

Como um princípio, isso pode ser traduzido como ‘Agora é o momento do poder’.

A ‘Presença’ pode ser conectada com ‘Identidade’. Todo ser vivo, todo objeto, todo conceito ou ideia tem uma identidade individual única que pode ser chamada de sua essência. Outro termo, tirado de Huna, é o padrão aka.

O seu padrão aka, por exemplo, é uma combinação de suas características físicas, de suas ideias sobre as coisas, do que você representa e do que você simboliza e, em suma, tudo o que está incluído em sua mente e o que se apresenta externamente.

Esse é o Você Total, o seu padrão aka do momento, a sua identidade essencial. Todas as coisas têm uma identidade essencial que existe no momento presente. Assim como plantas, animais, células e até rochas.

De acordo com esse princípio, é possível para você fundir (juntar, combinar) a sua consciência no nível da percepção [consciousness] com outro padrão – identificar-se com ele – e assim conhecê-lo e fazer uso desse conhecimento. Uma prática mística/mágica/xamã bastante comum é identificar-se com uma planta por meio da meditação.

A pessoa que faz isso vem a ser uma só com a planta. Ele/Ela é capaz então de viajar em consciência no nível da percepção [consciousness] de ponto a ponto dentro da planta e descrever sensações e efeitos e a estrutura celular em grande detalhe porque ele/ela passa a ser aquela planta naquele momento.

Muito do conhecimento dos antigos foi obtido por meio dessa identificação. Eles não precisavam usar instrumentos para rasgar (destruir) as coisas e prendê-las em uma placa para entendê-las. Eles foram capazes de estudar a vida diretamente e não foram limitados a estudar a morte, como muitos cientistas modernos pensam que eles têm que fazer. A nossa tecnologia moderna tem sido útil de muitas maneiras, mas de outras maneiras ela só serviu para nos separar da vida.

Através da identificação, alguém pode aprender a fazer e se sentir como o objeto de identificação o faz. Isso produz alguma semelhança com o tipo de interpretação profunda que alguns atores usam. Um bom ator interpretando o papel de outra pessoa se identificará tão bem com essa pessoa que, durante o período em que estiver no palco ou na frente da câmera, ele será essa pessoa. Isso pode ser feito até mesmo com um personagem puramente fictício, porque mesmo esses têm os seus padrões aka formados a partir dos pensamentos de outras pessoas sobre eles.

Como um exemplo, livros têm sido escritos sobre a psicologia de alguns dos personagens de Shakespeare, como Hamlet e Falstaff, os quais se aprofundam em seus supostos padrões de pensamento e o mesmo tem sido feito para Sherlock Holmes e outros.

Agora, esses eram seres fictícios limitados a algumas linhas no papel e ainda assim as pessoas se identificaram com esses personagens tão totalmente por meio da atuação e da leitura que eles quase se tornaram como seres vivos individualmente. Pode-se dizer que a sua essência foi expandida a ponto de as pessoas escreverem sobre eles coisas que nunca foram realmente escritas nas peças ou histórias, mas que se tornaram implícitas.

Em várias partes do mundo existem homens que desempenham um papel tradicional de identificação com certos animais. Um dos casos mais conhecidos é o dos ‘homens-leopardo’ na África Ocidental. Esses jovens entram em transe causado em parte pelas drogas e em parte pela dança e pelo uso da pele do animal. Eles se identificarão tão totalmente com aquele animal, transferindo a sua consciência no nível da percepção [consciousness] para um padrão de leopardo, que em suas próprias mentes eles realmente se tornarão leopardos.

Dentro dos limites da anatomia humana, eles fazem tudo o que um leopardo poderia fazer. Psicologicamente, eles veem a ser leopardos em todos os sentidos da palavra. Claro, esse é um exemplo extremo. O habilidoso Xamã sempre reservará uma parte de sua própria identidade – nós costumamos dizer pelo menos 1% – para que a transferência de consciência no nível da percepção [consciousness] esteja sob a sua direção e nunca seja total. Por esse motivo, ele geralmente passará por um período de treinamento com um guia competente, como eu fiz [Dr. Serge Kahili King] com o meu mentor Africano M’Bala.

Os místicos frequentemente buscam a identificação com os seres espirituais e atingem estados de êxtase e profundo conhecimento de outras dimensões. Médiuns ou canais passam por um processo semelhante. No entanto, o princípio da identificação não precisa ser levado tão longe. Isso pode ser feito gradualmente, de modo que alguém obtenha apenas o conhecimento que ele deseja.

O Princípio de ALOHA – FELICIDADE

Para isso nós utilizamos a tradução ‘Amar é ser feliz com (alguém ou algo)’.

A palavra aloha em Havaiano tem muitos significados, incluindo Amor, Compaixão, Misericórdia. Simpatia, Piedade, Bondade, Sentimento, Graça, Caridade, Cumprimento, Saudação, Atenciosamente, Querida, Amante, Amado, alguém Amado, Gentil, Compassivo, Caridoso, Amável, Amar, Gostar, Mostrar Bondade, Carinho, Venerar, Relembrar com Carinho, Cumprimentar, Saudar, Saudações, Olá, Adeus, Despedida. Esses são todos do dicionário Havaiano.

Também desse dicionário são as raízes da palavra: alo significa ‘estar presente’ e tem a conotação de estar feliz com alguém, como em ka mo’opuna i ke alo – ‘o neto preferido.’; oha significa ‘mostrar alegre afeição de amizade’ e ha significa ‘respiração, vida’, relacionado a honi, o costume Havaiano de cumprimentar alguém pressionando o nariz e inalando a respiração um do outro.

A felicidade existe quando as coisas se encaixam suavemente e com sucesso. A infelicidade é um estado de conflito decorrente de um excesso ou falta ou oposição direta e geralmente causa dor e/ou fracasso. Em termos práticos, a cooperação produz melhores resultados do que a competição. Usando esse princípio, a prática Xamã sempre busca trabalhar com a natureza, eventos e circunstâncias para alcançar objetivos e não tenta forçar ou controlar as coisas.

O velho estereótipo do poderoso mágico que controla a Natureza pela pura força de sua vontade simplesmente não funciona na realidade. Não é a pura força de vontade ou qualquer outra coisa que o faz, exceto entrar em um relacionamento feliz com a Natureza e solicitar cooperação ou dirigi-la de dentro.

O Corolário da Personificação

No pensamento Xamânico, todas as coisas estão vivas, cientes e responsivas. E como seres humanos, nós temos a tendência de personificar coisas que não são humanas. Isso geralmente é útil e, portanto, é verdade que qualquer coisa pode ser considerada viva e com personalidade. O que isso faz é nos permitir comunicar com coisas com as quais nós não poderíamos nos comunicar de outra forma.

Todas as coisas de fato têm uma forma de consciência no nível da percepção [consciousness] e a personificação faz com que isso seja mais fácil de alcançar contato utilizável. Os antigos Xamãs queriam personificar conceitos abstratos como Amor, Poder, Mudança, etc., por visualizá-los como deuses humanoides e, assim, sendo capazes de aprender mais sobre eles por meio de conversações meditativas.

Isso é também comum personificar objetos tais como armas, ferramentas, barcos, carros e assim por diante, estabelecendo por esse meio uma relação de trabalho mais efetiva com eles. É uma forma natural de construir um vínculo psíquico e exercer mais influência do que seria possível de outra forma.

O único problema com a personificação é quando você esquece que ela é apenas uma ferramenta útil e começa a atribuir emoções e intenções humanas negativas ao que você personificou e imagina que tem poder sobre você. Esse é um equívoco que as pessoas cometem com deuses e demônios há eras.

O Princípio de MANA – ENERGIA

Mana não é um estranho fluido esotérico, como muitos Ocidentais pensam. Até mesmo o Dicionário Havaiano cai um pouco nessa armadilha, mas dá os significados básicos de ‘poder’ e ‘autoridade’, que podem ser reduzidos a ‘influência’. Existem muitas formas de influência, mas a interpretação Xamânica preferida é a energia. Tudo é energia, como afirmou Einstein. Apenas as formas, padrões ou frequências são diferentes.

Um tipo de energia pode ser transformado em outro tipo de energia, como a água pode ser usada para produzir eletricidade ou o atrito pode produzir calor. E um tipo de energia pode influenciar ou direcionar outro tipo de energia, como a gravidade da lua que pode mover o oceano para formar as marés.

Os pensamentos também são energia e podem influenciar ou direcionar todos os outros tipos de energia para provocar vários eventos e circunstâncias. Além disso, outros tipos de energia podem influenciar ou direcionar pensamentos. A energia também pode amplificar a energia, então os Xamãs e outros podem usar cristais, pirâmides e outras coisas para amplificar a sua energia física, emocional e de pensamento.

O Corolário da Polaridade

Também chamado de relatividade, isso significa que qualquer coisa, incluindo energia, é capaz de ser dividida em características opostas, as quais são realmente apenas opostas em relação uma à outra.

Uma representação famosa desse corolário é o símbolo Chinês que costumava ser popular em balanças. Ele consiste em um círculo dividido por uma linha curva. O espaço de um lado é preto e o espaço do outro lado é branco. Na verdade, o símbolo completo teria um ponto branco no preto e um ponto preto no branco, significando que cada um tem o potencial do outro dentro de si. Em outras palavras, não existe preto absoluto nem branco absoluto, mas apenas preto relativo ao branco e branco relativo ao preto. Um fósforo aceso, por exemplo, parece preto quando exposto ao sol.

Na ciência moderna, esse corolário é aplicado ao eletromagnetismo. Em um circuito elétrico, alguém é capaz de medir um ponto de polaridade negativa apenas em relação a outro ponto de polaridade positiva. Esse outro ponto vem a ser uma polaridade negativa quando ele é medido contra um ponto ainda mais distante. Assim não existe energia boa ou ruim; apenas energia percebida como boa ou ruim em relação a alguma outra forma de energia.

O Corolário da Síntese

Isso se refere a uma união de energias relativamente opostas para produzir uma terceira nova energia. Em filosofia, isso é conhecido como dialética, em que uma mistura ou contato entre duas ideias diferentes resulta em uma nova ideia completamente diferente.

Nós podemos encontrar evidências abundantes desse corolário no mundo ao nosso redor. Fogo e água produzem vapor; dois campos magnéticos opostos movendo-se um contra o outro produzem eletricidade; a união de um homem e uma mulher produz um ser humano novo e único.

Um Xamã pode fazer uso desse corolário combinando dois elementos diferentes, como materiais elétricos e dielétricos, para produzir um campo de energia que não existia antes, ou adquirir conhecimento de duas disciplinas científicas para produzir novas técnicas e experiências Xamânicas.

O Corolário do Sinergismo

O sinergismo descreve o que acontece quando duas coisas diferentes produzem uma terceira que é maior que a simples soma das duas primeiras. A mistura de água e uma semente produz um broto que é mais nutritivo do que qualquer um dos dois primeiros.

Esse corolário geralmente se aplica ao desenvolvimento socioeconômico. Na África, eu [Dr. Serge] introduzi um tipo muito simples de cooperativa de crédito que era apenas moderadamente eficaz até que um de meus agentes de campo introduziu um ábaco Asiático simples que antes era desconhecido. O resultado dessa combinação foi o florescimento de um movimento nacional de cooperativas de crédito que afetou todo o país. Duas ideias simples foram reunidas e produziram um efeito muito maior do que qualquer uma das duas sozinhas.

Na magia Xamânica, esse efeito sinérgico é mais pronunciado quando duas ou mais pessoas se reúnem para combinar os seus pensamentos e energia.

O Princípio de PONO – EFICÁCIA

Também declarado como ‘A eficácia é a medida da verdade’.

Esse é um princípio extremamente importante e simples que significa que ‘se isso funciona, isso é verdadeiro’. Independentemente de funcionar ou não, se funcionar, ele tem que ser verdadeiro.

Como exemplo de como isso foi exemplificado na história, nós temos a história dos irmãos Wright. Cerca de duas semanas antes de voarem em Kitty Hawk, um cientista muito distinto provou matematicamente que era totalmente impossível pilotar uma máquina mais pesada que o ar. Felizmente, os irmãos Wright não leram o seu relatório ou talvez não tenham tentado. Funcionou para eles porque eles acreditaram que funcionaria. Em uma base individual, se algo funciona para você, então é verdadeiro. Não importa se funciona para qualquer outra pessoa ou não. Se funciona para você, então é verdadeiro, tanto quanto você está preocupado.

A verdade é uma função da crença em qualquer caso, em nosso nível físico. Se você acredita que algo é verdadeiro, isso se torna verdadeiro para você até que você mude a sua crença. No entanto, a principal coisa a considerar é a eficácia.

As suas crenças realmente fazem a vida funcionar para você? Caso contrário, sinta-se à vontade para mudar as crenças e usar o que, de fato, funciona.

O Corolário do Paradoxo

Isso significa que duas ou mais verdades contraditórias podem ser mantidas ao mesmo tempo e elas ainda podem funcionar. Por exemplo, você acredita que o sol vai nascer amanhã de manhã e isso é útil para planejar as suas atividades diárias. Ao mesmo tempo, você pode manter a verdade de que é realmente a Terra que está girando e isso pode ser útil de outras maneiras. Apenas lembre-se de que, se for útil, é verdadeiro no contexto que você escolher para usá-lo.

Se você tem sorte ao carregar um pé de coelho, então é verdadeiro que o pé de coelho é um amuleto de boa sorte para você, mesmo que isso não foi afortunado para o coelho.

As verdades paradoxais também podem ser mantidas em sequência, como quando as crenças mudam de acordo com as mudanças nas percepções de uma situação. As práticas Xamãs veem a ser hábeis em manter muitas crenças contraditórias sem conflito, prontas para serem usadas quando a situação as exigir.”

—–

Para finalizar esse nosso artigo, no início desse trabalho, o Dr. Serge Kahili King mencionou a Parafísica e nós destacamos, a seguir, o poema “O Parafísico” para a nossa reflexão sobre as similaridades do que é um Xamã Havaiano ou Kahuna Havaiano e um Parafísico, conforme descrição abaixo.

Disse o Dr. Serge no início: “O fato é que a magia Xamânica é uma ciência aplicada, o aspecto prático do que hoje se chama de Parafísica e Parapsicologia.

O Parafísico

À J…, Haroldo de Campos e Mário Schenberg.

Poema editado no site Recanto das Letras, disponível no link: https://www.recantodasletras.com.br/poesias/134785

Jayro Luna – 06/04/2006

I

Eu sou um parafísico,

Mas o mundo não me compreende

Nem eu compreendo esse mundo!…

Eu sou um parafísico,

Os meus sonhos, meus planos, meus idealismos e minhas juras de amor

Exigem mais do que pode me dar as nossas dimensões

De tempo e espaço!…

Eu sou um parafísico,

E é por isso que eu sonho, que eu faço planos de voo, que eu construo castelos de ideais e que eu faço juras de amor intermináveis…

Mas o tempo não se curva e o espaço só me apresenta falsas perspectivas!

Eu sou um parafísico,

Daqueles que misturam astronomia e astrologia, numerologia e física teórica, cabala e matemática e que acredita num Deus que precisa de amigos, não de fiéis!

Eu sou um parafísico,

E por isso eu vivo em muitas dimensões,

Enquanto o meu corpo se prende incólume a esse Universo limitado,

Enquanto o Sol e a Lua teimam em se desencontrar no nosso Céu!…

Eu sou um parafísico,

E a dimensão de tempo-espaço, para mim, é relativa e parcial,

Eu construo [3]tesseratos [tesseracts] ao invés de cubos,

Eu construo [4]branas e supercordas ao invés de âncoras!…

Eu sou um parafísico

E por isso, as pessoas que me amam não me aceitam,

As que me odeiam, de certo modo, me admiram

E as outras, as indiferentes, desaparecem no túnel do tempo!…

II

Mas o que é ser um parafísico?

Ser um parafísico é como ser uma coisa inexplicável!…

O parafísico não se define, é como uma sensação dum ícone,

O parafísico é um cientista do além do alcance da mente…

O parafísico crê em Deus?

O parafísico crê em Deus, assim como Deus crê no parafísico!

O parafísico se auto crucifica e depois se exila no Inferno…

E fica à espera da chegada das almas dos que acreditaram em suas palavras!…

O parafísico ama?

O parafísico ama a verdade, pois sabe que ela é relativa!…

O parafísico ama e se entrega no amor como um Werther lendo Byron, como um dançarino de tango punk, como um menino secular!…

O parafísico mente?

Jamais!… Mesmo porque ‘jamais’ é uma palavra que foi reinventada por Mallarmé: “Um Coup de Dés Jamais n’abolira le Hasard!”

Nunca!… Mesmo porque ‘nunca’ é palavra mais dita por um corvo negro: ‘Never more!’…

III

O parafísico gosta de arte barroca

O Barroco não apenas engana os sentidos,

De fato, ele reinventa os nosso sentidos!…

O parafísico gosta de arte romântica

O Romantismo é objetivamente subjetivo!

O Romantismo é o naufrágio do barco da razão no oceano de paixões!

O parafísico aprecia os Decadentes!

Os decadentes e simbolistas encontraram o Diabo chorando!

E o Diabo leu os seus poemas para eles!…E ainda lhes confidenciou que Deus fez as correções de métrica e rimas…

O parafísico entende os modernos!

O Modernismo é a ruptura da ordem tridimensional de espaço e tempo!

O Modernismo é a destruição do olhar mecânico!…

O parafísico entende as Vanguardas!

Tanto e tão completamente que, muitas vezes,

Precisa olhar para trás para entender algumas!…

O parafísico é formalista e estruturalista!

O seu formalismo é o das formas de onze ou vinte e seis dimensões, a sua estrutura é a da teoria unificadora M!

IV

Eu sou um parafísico,

Mas o mundo não me compreende

Nem eu compreendo esse mundo!…

E o que deseja um parafísico?

Um parafísico gostaria de poder resgatar os seus sonhos com a ajuda dos [5]táquions que correm acima da velocidade da luz!…

Um parafísico quer tirar dos bolsos moedas de [6]grávitons para pagar por um livro que ensine a dominar o espaço-tempo para dentro do limite do [7]raio de Schwarzchild…

Um parafísico, como eu, deseja praticar teletransporte de matéria com o seu coração para o coração dos outros!…

Um parafísico gostaria de fazer do tempo uma espiral, um tempo espiral que fosse tão claro quanto as badaladas do Big Ben!…

Eu sou um parafísico,

Mas o mundo não me compreende

Nem eu compreendo esse mundo!…

Por tudo isso é que o parafísico sofre…

Que o parafísico é como um hierofante paranormal,

É um parapsicólogo cético,

É um poeta clássico nihilista!…

Por causa de todas essas coisas

É que o parafísico sofre…

Pois o parafísico não é Deus

Mas quer o domínio do Universo para amar sem limites…

Pois o parafísico não é um Satã,

Mas viu a sua aura diminuir diante dos olhos de todos

Porque ninguém compreende para que dimensão a sua luz foi brilhar!

Por tudo isso é que o parafísico sofre

Ele se sente como Mr. Square

Tentando explicar aos amigos de mente plana

A existência do volume de sentimentos que transbordam de seu peito!

Eu sou um parafísico,

Mas o mundo não me compreende

Nem eu compreendo este mundo!…

[3] Um tesserato (ou tesseracto), octácoro regular ou hipercubo de quatro dimensões é um polícoro (polítopo de quatro dimensões) regular, sendo o polícoro dual do Hexadecácoro, análogo ao cubo (que é um poliedro, um polítopo de três dimensões) e ao quadrado (que é um polígono, um polítopo de duas dimensões). Um octácoro apresenta vértices (pontos), arestas (linhas), faces (planos) e células (sólidos). Fonte Wikipédia.

[4] As p-branas são objetos estendidos que surgem da Teoria das Cordas em p dimensões. Uma brana com p=1 é uma corda, uma brana com p=2 é uma membrana, uma brana com p=3 possui três dimensões estendidas, etc. Valores maiores que p só são possíveis em um espaço-tempo com 11 dimensões. Fonte Wikipédia.

[5] Um táquion (do grego ταχυόνιον, takhyónion, de ταχύς, takhýs, i.e. “rápido”, “veloz”) é uma partícula hipotética cuja velocidade excede a velocidade da luz (v > c). Embora não seja possível acelerar uma partícula com massa até que ela atinja ou ultrapasse a velocidade da luz, segundo a Teoria da Relatividade Especial, essa não impede a existência de partículas com velocidade superior à da luz em seu estado natural. Fonte: Wikipédia.

[6] Na Física, o gráviton é uma partícula elementar hipotética que seria a responsável pela transmissão da força da gravidade na maioria dos modelos da teoria quântica de campos. Fonte: Wikipédia.

[7] O Raio de Schwarzchild é um raio característico associado a todo corpo material. Este raio está associado à extensão do horizonte de eventos que haveria caso a massa de tal corpo fosse concentrada em um único ponto de dimensões infinitesimais (semelhante ao que ocorre em um buraco negro). O termo é usado em Física e Astronomia, especialmente na Teoria de Gravitação, na Relatividade geral. Fonte: Wikipédia.

—–

Imagem: Foto Xamanismo disponível na internet – autor desconhecido.

Referências bibliográficas da OREM1

Amazing Women In History – artigo https://amazingwomeninhistory.com/morrnah-nalamaku-simeona-hawaiian-healer/

Amy Thakurdas, PhD – artigo “Ho’oponopono: Universal Healing Method For Mankind” – Wholistic Healing Publications – September 2008 Volume 8, No. 3

André Biernath – repórter na Revista Saúde – Grupo Abril  – artigo sobre o filme “Divertida Mente”, que aborda inteligentemente a questão das memórias armazenadas;

Bert Hellinger e Gabriele Tem Hövel – livro “Constelações Familiares – O Reconhecimento das Ordens do Amor”;

Brian Gerard Schaefer – artigo: “Universal Ho’oponopono – A new perspective of an ancient healing art”. Site http://www.thewholespectrom.com/

Bruce Lipton – livro “A Biologia da Crença “;

Carol Gates e Tina Shearon – livro “As You Wish” (tradução livre: “Como você desejar”);

Ceres Elisa da Fonseca Rosas – livro “O caminho ao Eu Superior segundo os Kahunas” – Editora FEEU;

Charles Seife – livro “Zero: A Biografia de Uma Ideia Perigosa” (versão em inglês “Zero: The Biography of a Dangerous Idea”;

Curso “Autoconhecimento na Prática online – Fundação Estudar” https://www.napratica.org.br/edicoes/autoconhecimento;

Dan Custer – livro “El Milagroso Poder Del Pensamiento” (tradução livre: “O Miraculoso [Incrível] Poder Do Pensamento”);

David V. Bush – livro “How to Put The Subconscious Mind to Work” (tradução livre: “Como Colocar a Mente Subconsciente para Trabalhar”);

Dr. Alan Strong – artigo denominado “The Conscious Mind — Just the Tip of the Iceberg” (tradução livre: “A Mente Consciente – Apenas a Ponta do Iceberg”), no site www.astrongchoice.com;

Dr. Amit Goswami – livro “O Universo Autoconsciente – como a consciência cria o mundo material”;

Dr. Benjamin P. Hardy, psicólogo organizacional, autor do livro “Willpower Doesn’t Work” (Tradução livre: “Força de Vontade Não Funciona”), em artigo no site https://medium.com/the-mission/how-to-get-past-your-emotions-blocks-and-fears-so-you-can-live-the-life-you-want-aac362e1fc85Sr;

Dr. Bruce H. Lipton – livro “A Biologia da Crença”;

Dr. Deepak Chopra – livro “Criando Prosperidade”;

Dr. Gregg Braden – livro “A Matriz Divina”;

Dr. Helder Kamei – site http://www.flowpsicologiapositiva.com/ – Instituto Flow;

Dr. Joe Dispenza – livro “Breaking the Habit of Being Yourself – How to Lose Your Mind and Create a New One” (tradução livre: “Quebrando o Hábito de Ser Você Mesmo – Como Liberar Sua Mente e Criar um Novo Eu”);

Dr. Kenneth Wapnick – transcrição de sua palestra denominada “Introdução Básica a Um Curso em Milagres”;

Dr. Maxwell Maltz – livro “The New Psycho-Cybernetics” (tradução livre: “A Nova Psico-Cibernética”);

Dr. Nelson Spritzer – livro “Pensamento & Mudança – Desmistificando a Programação Neurolinguística (PNL)”;

Dr. Richard Maurice Bucke – livro ‘Consciência Cósmica’;

Dr. Serge King – livro “Cura Kahuna” (Kahuna Healing);

Francisco Cândido Xavier – livro “No Mundo Maior” (ditado pelo espírito Dr. André Luiz);

Francisco do Espírito Santo Neto – livro “Os Prazeres da Alma” (ditado pelo espírito Hammed);

Gerald Zaltman – Professor da Harvard Business School – livro “How Customers Think” (tradução livre: “Como Pensam os Consumidores”);

Henry Thomas Hamblin – livro “Within You Is The Power” (tradução livre: “Dentro de VOCÊ Está O Poder”);

Hermínio C. Miranda – livro “O Evangelho de Tomé”;

Igor I. Sikorsky, Jr. – Jurista – Artigo Jung & Huna – Fonte: https://www.maxfreedomlong.com/huna-bulletins/hv-newsletter-30-spring-1979/

James Redfield – livro “A Profecia Celestina”;

Jens Weskott – artigo “Bem-vindo Subconsciente – Graças ao Ho’oponopono”, site da Associação de Estudos Huna disponível no link https://www.huna.org.br/wp/?s=jens;

Joe Vitale – livro “Limite Zero”;

Joel S. Goldsmith – livro “O Despertar da Consciência Mística”;

John Assaraf – artigo ratificando que somos todos seres perfeitos de Luz está disponível no site http://in5d.com/the-world-of-quantum-physics-everything-is-energy/;

John Curtis – Webinario sobre Ho’oponopono – site Sanación y Salud http://www.sanacionysalud.com/

Joseph Murphy – livro “The Power of Your Subconscious Mind” (tradução livre: “O Poder de Sua Mente Subconsciente”);

Kenneth E. Robinson – livro “Thinking Outside the Box” (tradução livre: “Pensar Fora da Caixa”);

Krishnamurti – artigo “Early Krishnamurti” (“Inicial Krishnamurti”) – Londres, 7-3-1931.  Site: https://www.reddit.com/r/Krishnamurti/comments/qe99e1/early_krishnamurti_7_march_1931_london/

Krishnamurti  – livro “O Sentido da Liberdade”, publicado no Brasil em 2007, no capítulo “Perguntas e Respostas”, o tema “Sobre a Crise Atual”; experienciamos, para a nossa reflexão e meditação à luz do sistema de pensamento do Ho’oponopono.

Kristin Zambucka, artista, produtora e autora do livro “Princess Kaiulani of Hawaii: The Monarchy’s Last Hope” (tradução livre: “Princesa Kaiulani do Havaí: A Última Esperança da Monarquia”);

Leonard Mlodinow – livro “Subliminar – Como o inconsciente influencia nossas vidas” – do ano de 2012;

Livro “Um Curso em Milagres” – 2ª edição – copyright 1994 da edição em língua portuguesa;

Louise L. Hay – livro “You Can Heal Your Life – (tradução livre: “Você Pode Curar Sua Vida”);

Malcolm Gradwell – livro “Blink: The Power of Thinking without Thinking” (Tradução livre: “Num piscar de olhos: O Poder de Pensar Sem Pensar”);

Manulani Aluli Meyer – artigo “Ho’oponopono – Healing through ritualized communication”, site https://peacemaking.narf.org/wp-content/uploads/2021/03/5.-Hooponopono-paper.pdf

Marianne Szegedy-Maszak – edição especial sobre Neurociência publicada na multiplataforma “US News & World Report”, destacando o ensaio “Como Sua Mente Subconsciente Realmente Molda Suas Decisões”;

Matthew B. James. Estudo Acadêmico , para um Programa de Doutorado da Walden University, Minneapolis, Minnesota, USA, 2008, doutorando em Psicologia da Saúde, denominada “Ho’oponopono: Assessing the effects of a traditional Hawaiian forgiveness technique on unforgiveness”. O estudo completo pode ser acessado no site da Walden University no link:  https://scholarworks.waldenu.edu/dissertations/622/#:~:text=The%20results%20demonstrated%20that%20those,the%20course%20of%20the%20study.

Max Freedom Long – livro “Milagres da Ciência Secreta”;

Max Freedom Long – Artigo “Teaching HUNA to the Children – How Everything was made” [Ensinando HUNA para as Crianças – Como Tudo foi feito], site https://www.maxfreedomlong.com/articles/max-freedom-long/teaching-huna-to-the-children/;

Max Freedom Long – Artigo “Huna And The God Within”. Fonte: https://www.maxfreedomlong.com/articles/huna-lessons/huna-lesson-2-huna-theory-of-prayer/

Max Freedom Long – Artigo “The Workable Psycho-Religious System of the Polynesians” [O Sistema Psico-Religioso Praticável dos Polinésios]. Fonte: https://www.maxfreedomlong.com/articles/max-freedom-long/huna-the-workable-psycho-religious-system-of-the-polynesians/

Napoleon Hill – livro “The Law of Success in Sixteen Lessons” (tradução livre: “A Lei do Sucesso em Dezesseis Lições”);

Osho – livro “The Golden Future” (tradução livre: “O Futuro Dourado”);

Osho – livro “From Unconsciousness to Consciousness” (tradução livre “Do Inconsciente ao Consciente”);

Osho – livro “Desvendando mistérios”;

Paul Cresswell – livro “Learn to Use Your Subconscious Mind” (tradução livre: “Aprenda a Usar a Sua Mente Subconsciente”);

Paulo Freire, educador, pedagogo, filósofo brasileiro – livro “A Psicologia da Pergunta”;

Platão – livro “O Mito da Caverna”;

Richard Wilhelm – livro “I Ching”;

Roberto Assagioli, Psicossíntese. Site http://psicossintese.org.br/index.php/o-que-e-psicossintese/

Sanaya Roman – livro “Spiritual Growth: Being Your Higher Self (versão em português: “Crescimento Espiritual: o Despertar do Seu Eu Superior”);

Sílvia Lisboa e Bruno Garattoni – artigo da Revista Superintessante, publicado em 21.05.13, sobre o lado oculto da mente e a neurociência moderna.

Site da Associação de Estudos Huna https://www.huna.org.br/ – artigos diversos.

Site www.globalmentoringgroup.com – artigos sobre PNL;

Site Wikipedia https://pt.wikipedia.org/wiki/Ho%CA%BBoponopono, a enciclopédia livre;

Thomas Troward – livro “The Creative Process in the Individual” (tradução livre: “O Processo Criativo no Indivíduo”);

Thomas Troward – livro “Bible Mystery and Bible Meaning” (tradução livre: “Mistério da Bíblia e Significado da Bíblia”);

Tor Norretranders – livro “A Ilusão de Quem Usa: Reduzindo o tamanho da Consciência” (versão em inglês “The User Illusion: Cutting Consciousness Down to Size”);

Wallace D. Wattles – livro “A Ciência para Ficar Rico”;

W. D. Westervelt – Boston, G.H. Ellis Press [1915] – artigo: “Hawaiian Legends of Old Honolulu” Site: https://www.sacred-texts.com/pac/hloh/hloh00.htm.

William Walker Atkinson – livro: “Thought Vibration – The Law of Attraction in the Thought World” (tradução livre: “Vibração do Pensamento – A Lei da Atração no Mundo do Pensamento”) – Edição Eletrônica publicada em 2015;

Zanon Melo – livro “Huna – A Cura Polinésia – Manual do Kahuna”;  

Muda…
A chuva de bênçãos derrama-se sobre mim, nesse exato momento.
A Prece atinge o seu foco e levanta voo.
Eu sinto muito.
Por favor, perdoa-me.
Eu te amo.
Eu sou grato(a).
Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x