…continuação da Parte I…

4) No livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de autoria do Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., temos no Princípio 38 uma esclarecedora referência ao Espírito Santo, segundo o sistema de pensamento do Curso, que por responder à questão acima, transcrevemos trechos para a nossa reflexão:

O Espírito Santo é o mecanismo dos milagres. Ele reconhece tanto as criações de Deus quanto as tuas ilusões. Ele separa o verdadeiro do falso através da Sua capacidade de perceber de forma total e não seletiva (T-1.I.38:1-3).

Isso significa que o Espírito Santo é um ‘batedor ambidestro’, como o Curso diz depois:

O Espírito Santo é a única parte da Santíssima Trindade que tem uma função simbólica” (T-5.1.4:1).

Isso significa que Ele pode funcionar em um mundo de símbolos. Não existem símbolos no Céu, apenas nesse mundo.

P: Se a separação é uma ilusão e o Espírito Santo veio a existir para resolver isso, Ele não é uma ilusão?

R: Não, porque Deus O criou. No entanto, essa é uma boa pergunta. A resposta do Curso é que, quando a separação for totalmente curada e o Espírito Santo não for mais necessário, Ele ainda existirá porque Deus O criou. E então, o Curso diz que Ele retornará ao Céu e abençoará as nossas criações (T-5.I.5:7).

P: Mas, parece que Ele foi criado para resolver um problema que não existe.

R: Certo, e, pelo fato de ter sido criado por Deus, o que realmente significa que Ele é apenas uma extensão de Deus, uma vez que Ele faça isso, não poderá desaparecer. A Sua função é uma ilusão, pois é a de corrigir uma ilusão, assim como é a forma na qual o conteúdo do Seu Amor é experienciado por nós.

P: Mas, Ele é um de nós…

R: Não, Ele não é um de nós. Nós somos parte da Segunda Pessoa da Trindade – Cristo – e o Espírito Santo é a Terceira Pessoa da Trindade.

Em outro nível, é claro, a Trindade é Una.

Apesar disso, Um Curso em Milagres realmente fala dos Níveis da Trindade. Isso é mais do que uma boa distinção teológica. É importante corrigirmos a ideia de que a Voz do Espírito Santo é a nossa própria.

Isso é similar à crença em que nós somos Deus, que o Curso afirma muito claramente que nós não somos.

Acreditar que a Voz de Deus é a nossa própria, sem falar em que nós somos o Próprio Deus, é apenas outra expressão da crença básica que nos trouxe todos esses problemas para início de conversa.

P: Você usou outro tipo de exemplo benigno. Você disse que Deus enviou o Espírito Santo para o sonho; Ele não é parte do sonho, mas veio ao sonho para falar conosco de dentro dele.

R: A questão ainda é, “O que acontece quando o sonho estiver terminado?”. Essa é uma dessas coisas que ninguém poderia entender de forma alguma. Eu só posso lhe dizer o que Um Curso em Milagres fala sobre isso. Mas a ideia é a de que o Espírito Santo tem um pé na realidade, no Céu, e tem outro pé no sonho (presumindo que Ele tenha dois pés).

Ele está dentro do sonho, mas, no entanto, Ele não é parte do sonho. Ele está dentro de nossas mentes separadas e trabalha dentro delas; no entanto, Ele também está em contato com a Mente de Cristo. Ele é como um intermediário.

Deus, é claro, nem mesmo sabe nada sobre o sonho, ou o mundo da ilusão. Uma analogia seria a de um pai observando uma criança adormecida à noite e vendo a criança se remexendo, obviamente, tendo um pesadelo. O pai não sabe o que a criança está sonhando, pois isso está fora da sua mente, mas o pai realmente sabe que a criança está sofrendo e obviamente iria gostar de aliviar essa dor.

Essa é a situação na qual Deus está. Portanto, Ele estende a Si Mesmo para o sonho, para a mente do Seu Filho adormecido. O “Espírito Santo” é o nome que Um Curso em Milagres dá à essa extensão da Voz por Deus.

E, dentro desse sonho, ele nos diz, “Meu irmão, escolhe outra vez. Você pode olhar para o seu sonho de forma diferente”. Assim, ele faz uma triagem entre o que realmente não atende às nossas necessidades; i.e., relacionamentos especiais. Ele nos ajuda a unificarmos nossa percepção, para vermos todas as coisas como lições que Deus gostaria que nós aprendêssemos.

É isso o que quer dizer “Ele separa o verdadeiro do falso através da Sua capacidade de perceber de forma total e não seletiva” (T-1.I.38:3).

Ele veria todos os aspectos de uma situação. Nós iríamos ver uma situação apenas em termos das nossas necessidades específicas. Ele reconhece todas as situações como oportunidades para curar todas as pessoas envolvidas.

P: O aspecto do Espírito Santo que tem um pé no Céu e outro pé em nosso mundo, o sonho… Isso significa que Ele pode ter tanto o conhecimento quanto a percepção ao mesmo tempo?

R: Certo.

P: O que o Curso quer dizer quando ensina que nós nunca estamos no lugar errado nem no momento errado?

R: Nós nunca podemos estar no lugar errado, no momento errado, porque nós sempre podemos aprender a partir de todas as coisas. O Espírito Santo pode usar todas as situações e relacionamentos para nos ensinar a única lição de que a separação é irreal.

Em um nível mais profundo, a declaração reflete a ideia de que o roteiro já foi escrito. Nós já passamos por tudo isso. Nós estamos meramente, como o Curso diz, revendo mentalmente o que já aconteceu (LE-pI.158.4:5).

E podemos rever ou reexperienciar o que já aconteceu tanto escolhendo o ego quanto o Espírito Santo.

Portanto, estar no lugar certo ou errado não tem significado. A forma com que nós revemos esse lugar dá a ele o seu significado.

Sistema de pensamento do Espírito Santo

Nós buscamos inspiração no livro “O Desaparecimento do Universo”, de autoria de Gary R. Renard, que está totalmente alinhado com o Curso, razão pela qual nós transcrevemos trechos para a nossa reflexão sobre o sistema de pensamento do Espírito Santo.

O livro é sobre um diálogo entre o autor Gary e os Mestres Ascensionados Pursah e Arten sobre os sistema de pensamento de Um Curso em Milagres, em linguagem acessível e didática para a nossa compreensão como estudantes do Curso.

O ego fez o mundo como o percebe, mas o Espírito Santo, que reinterpreta os feitos do ego, vê o mundo como um instrumento de ensino para trazer-te para casa (T-5.III.11.1)

Se você caminhar com Jesus ou com o Espírito Santo, significa que pensa como eles. Vamos falar sobre como eles pensam. Para fazer isso, vamos comparar a atitude do Espírito Santo com as débeis ideias do ego.

A única diferença entre o Espírito Santo e Jesus é que um é abstrato e o outro específico. Eles são realmente o mesmo e seu trabalho será feito em sua mente junto com Eles.

O ego acredita em opostos – coisas como prazer e dor. O Espírito Santo diz que não existem opostos e que a sua verdadeira alegria não tem oposto.

Como diz o Curso:

De que outra maneira podes achar alegria em um local sem alegria, exceto reconhecendo que não é lá que estás? (T-6.II.6:1)

O ego quer e acredita na complexidade. A verdade do Espírito Santo é simples – não necessariamente simples para que você aceite, mas simples.

O ego diz que você é diferente dos outros. O Espírito Santo diz que, na realidade, todos são o mesmo – e você precisa se sentir dessa forma para ver como Ele.

Pois o Curso lhe diz:

A diferença entre a projeção do ego e a extensão do Espírito Santo é muito simples. O ego projeta para excluir e, portanto, para enganar. O Espírito Santo estende por reconhecer a Si mesmo em cada mente e assim percebe-as como uma só. Nada está em conflito nesta percepção, porque na percepção do Espírito Santo todos são o mesmo. Aonde quer que Ele olhe, vê a Si Mesmo e porque está unido oferece sempre todo o Reino. Essa é a única mensagem que Deus deu a Ele e em nome da qual Ele tem que falar, porque é isso o que Ele é. A paz de Deus está nesta mensagem, assim a paz de Deus está em ti. A grande paz do Reino brilha na tua mente para sempre, mas ela tem que brilhar em direção ao que está fora para fazer com que fiques ciente dela (T-6.II.12:1-8).

É claro que Deus deu essa mensagem a você no Céu e o Espírito Santo é a sua memória dessa mensagem.

Agora, para se lembrar Quem realmente você é, você precisa compartilhar a mensagem do Espírito Santo com aqueles que você vê em sua mente.

O ego diz que você sofreu uma perda terrível e a perda agora é uma parte do que você chama de vida. O Espírito Santo diz que não existe perda na realidade e que a criança de Deus não pode perder.

O Livro de Exercícios diz:

Perdoa todos os pensamentos que querem se opor à verdade da tua completeza, unidade e paz. Tu não podes perder as dádivas que o teu Pai te deu (LE.pI.99.10:1-2).

E, um pouco depois, no Livro de Exercícios:

No plano de Deus, tu só recebes e nunca perdes, nem te sacrificas, nem morres (LE.pI.100.7:7).

O ego diz que os outros são culpados porque ele secretamente acredita que você é culpado.

Ele usa a raiva e a indignação justificada, ou até o ato de rir dos outros, para colocar distância entre você e a sua culpa.

Você pensa que apenas animais e crianças são inocentes, porque você escolheu ver a sua própria perda aparente de inocência. O ego tem que colocar a ideia de inocência em algum outro lugar. Mas o Espírito Santo diz que todos são completamente inocentes, porque Ele sabe que você é completamente inocente.

Pense em si mesmo como auto acusador, pois, como diz o Curso:

Só aqueles que se acusam condenam (T-31.III.1:1))

Você se acusou e se condenou, mas agora, pense no Espírito Santo como uma Corte Suprema, como o Curso o descreve com essas grandes palavras:

Tu não precisas ter medo de que a Corte Suprema vá condenar-te. Ela simplesmente dispensará o caso contra ti. Não pode haver nenhum processo contra uma criança de Deus e toda testemunha em favor da culpa nas criações de Deus está cometendo falso testemunho contra o próprio Deus. Com contentamento, apela à Corte Suprema do próprio Deus a favor de tudo aquilo em que acreditas, porque ela fala por Ele e portanto fala verdadeiramente. Ela arquivará o processo contra ti, por mais que o tenhas construído com cuidado. Podes ter planejado o teu caso à prova de tudo, mas não à prova de Deus. O Espírito Santo não o ouvirá, porque só pode testemunhar verdadeiramente. Seu veredicto sempre será “teu é o Reino”, porque Ele te foi dado para lembrar-te do que tu és (T.5.VI.10:1-8).

O ego tenta convencê-lo de que você tem uma história pessoal que obviamente é real. A atitude do Espírito Santo, entretanto, pode ser mais bem resumida em apenas três palavras: Ela nunca aconteceu.

Para o ego, o mundo é uma prisão na qual estamos presos como forma de nos esconder da ira de Deus. Mas no final Deus vai nos pegar de qualquer maneira, porque todo mundo morre. Não há escapatória. E antes que Deus me pegue, você vai me pegar, porque todo mundo está querendo roubar de mim o que eu acredito, inconscientemente, que tenha roubado deles.

Para o Espírito Santo, o mundo é uma sala de aula. Os mesmos relacionamentos, os mesmos objetos de especialidade que o meu ego usou para me convencer de que eu não tenho uma mente e que este mundo é uma prisão e um campo de batalha, podem agora me ajudar a perceber que o mundo é realmente um espelho que reflete de volta para mim o conflito em minha mente que eu nem sabia que existia.

O ego entraria em êxtase se você continuasse a acreditar que existe um mundo lá fora, que já existia antes da sua vida começar e vai continuar sem você, depois que o seu corpo morrer. A resposta do Espírito Santo, tão ultrajante quanto possa parecer ao ego, é essa – como citado do Livro de Exercícios:

… Não há nenhum mundo! Esse é o pensamento central que o curso tenta ensinar. Nem todos estão prontos para aceitá-lo e cada um tem que ir tão longe quanto possa se permitir ser conduzido ao longo da estrada para a verdade. Ele voltará e irá ainda mais adiante, ou talvez recue por um momento para retornar outra vez (LE.pI.132.6:2-5).

Mas a cura é a dádiva daqueles que estão preparados para aprender que não existe nenhum mundo e que podem aceitar a lição agora. A sua prontidão para isso lhes trará a lição sob alguma forma que possam compreender e reconhecer (LE.pI.132.7:1-2))

Se o Curso está dizendo que não existe mundo, então não existe realmente qualquer pessoa lá fora que seja mais esperta ou mais culpada do que você.

Realmente não existe qualquer pessoa lá fora que seja mais rica do que você, ou mais famosa, ou que tenha mais sexo, ou que esteja fazendo seja o que for que seja necessário para fazer você se sentir irritado, inferior ou culpado.

Realmente não existe ninguém vindo atrás de você por qualquer razão.

Não existe mundo para você conquistar, como se fossem adultos brincando de Rei da Montanha, tentando empurrar uns aos outros para fora do topo, o que é meramente simbólico do ego tentando derrotar Deus.

Não existem problemas ou ameaças que possam ferir o que você realmente é, de qualquer maneira. Isso é apenas um sonho e é realmente possível que você tenha o tipo de paz mental e ausência de medo que iria acompanhar a convicção da verdade.

Como Jesus pede a você tão propositalmente no Texto:

… O que aconteceria se reconhecesses que esse mundo é uma alucinação? O que aconteceria se compreendesses realmente que o inventaste? O que aconteceria se te desses conta de que aqueles que parecem perambular sobre ele, para pecar e morrer, atacar e assassinar e destruir a si mesmos, são totalmente irreais? (T.20.VIII.7:3-5)

O Espírito Santo sabe que as imagens que você vê são apenas isso – imagens e nada mais. Aceitando-O como seu Professor, você pode aprender a experimentar isso através do poder do Seu perdão, que é o seu poder quando você se une a Ele e pensa como Ele.

O ego diz que você é um corpo. O Espírito Santo diz que você não é um corpo; você não é uma pessoa, não é um ser humano – você é como Ele.

O ego diz que os seus pensamentos são muito importantes. O Espírito Santo sabe que apenas os pensamentos que você pensa com Deus são reais e nada mais importa.

No Céu, você não tem que pensar de forma alguma; na verdade, você é um pensamento de Deus. Nesse nível, o Curso considera os pensamentos que você pensa com o Espírito Santo como os seus pensamentos reais. Além disso, poderia ser dito que o Espírito Santo é a única verdade no nível do mundo.

Reveja as lições 35 – “Minha mente é parte da Mente de Deus. Eu sou muito santo.” e 45 – “Deus é a Mente com a qual eu penso.” do Livro de Exercícios, entre outras.

O ego exige o sacrifício. Em contraste, o Espírito Santo diz que não há necessidade de sacrifício de nenhum tipo.

O ego diz, “Deus dá e Deus toma”. O Espírito Santo sabe que Deus apenas dá e nunca toma.

O ego reverentemente proclama que a morte é real. O Espírito Santo diz que ninguém está morto e ninguém pode nunca realmente morrer.

O ego julga algo como bom ou mau; o Espírito Santo diz que não é nem uma coisa nem outra, pois não é verdadeiro.

Portanto, todas as coisas no nível da forma são igualmente inverídicas, por causa da sua natureza ilusória.

O ego determina identidades específicas, diferentes. Tanto o seu “amor” quanto o seu ódio são direcionados para indivíduos específicos. O Espírito Santo pensa em todos como sendo o mesmo e totalmente abstrato. Portanto, como Jesus, Seu Amor é não específico e oniabarcante.

O ego imagina razões inteligentes pelas quais você deveria continuar ouvindo ao seu conselho egoísta, mas o Espírito Santo está certo de que, em algum ponto, você vai se voltar para Ele e, finalmente ir para casa com Ele – como ditam a lei do perdão e as leis da mente.

Pois, como o Curso ensina, se você realmente aprender como perdoar e fizer isso de verdade, o seu retorno a Deus precisará um dia acontecer.

A salvação nada mais é do que “a mentalidade certa”, que não é a mentalidade Una que é própria do Espírito Santo, mas tem que ser atingida antes que a mentalidade Una seja restaurada. A mentalidade certa conduz de modo automático ao próximo passo, porque a percepção certa é uniformemente isenta de ataque e, portanto, a mentalidade errada é obliterada. O ego não pode sobreviver sem julgamento e, em consequência disso, é deixado de lado. A mente, nesse caso, tem apenas uma direção em cujo rumo pode se mover. A sua direção é sempre automática, porque não pode fazer coisa alguma que não seja ditada pelo sistema de pensamento ao qual adere (T.4.II.10:1-5).

O ego adora quando você lamenta o seu passado. “Se tivesse, poderia ter feito, deveria ter feito” e “Se apenas eu tivesse feito isso ao invés daquilo”, e “Se apenas eu soubesse então o que sei agora”, são alguns dos números favoritos do ego.

Não apenas isso torna o seu passado real para você, mas também faz com que você se sinta mal ao mesmo tempo – tudo para deleite do ego.

O Espírito Santo sabe que, com a exceção do perdão, não importa o que você faça. Para o ego, isso é heresia. Mas o Espírito Santo quer que você seja curado e sabe que a culpa inconsciente na sua mente seria encenada de alguma forma finalmente – ainda que você tenha mudado de direção ao longo da estrada.

O Curso é sobre curar a sua culpa inconsciente através do Espírito Santo e sobre o seu retorno ao Céu através da dinâmica do perdão, que aproveita o tremendo poder da sua habilidade mental de escolher.

Como Jesus diz:

Esse é um curso de treinamento da mente (T-1.VII.4:1).

Uma mente sem treino nada pode realizar (LE-In.1:3).

Em conexão com isso, o ego quer que o que você faça seja importante. Como uma maneira de se introduzir em sua espiritualidade e retardar a verdade, ele tenta transformar o que você faz, nessa área, como importante e especial.

Entretanto, para o Espírito Santo, o que você faz a Ele, a Jesus ou a Deus não é importante. Como qualquer coisa que acontecer em uma ilusão pode ser importante se você realmente entender que não é real?

Apenas o perdão e a sua cura importam. É verdade, esse tipo de ensino pode não ser a base de uma religião popular que percorra o mundo e diga a todos os outros como deveriam viver as suas vidas, mas é definitivamente a verdade.

Não é importante que você faça qualquer coisa. Você não tem que estabelecer o seu valor conosco [Jesus ou Espírito Santo] ou com Deus. Isso foi feito na Mente de Deus quando Ele o criou.

Nada mais que parece acontecer no universo da percepção pode mudar isso – exceto em seus sonhos equivocados.

Como o Curso o ajuda a lembrar:

Tu não moras aqui, mas na eternidade (T-13.VII.17:6).

e:

Sempre que fores tentado a empreender uma jornada inútil que te conduzirá para longe da luz, lembra-te do que realmente queres e dize: O Espírito Santo me conduz a Cristo, a que outro lugar iria eu? Que necessidade tenho eu senão a de despertar Nele? (T-13.VII.14:1-3)

Tudo o que você tem que fazer é se lembrar que não existe ninguém lá fora para julgá-lo e o que você é não pode ser afetado pelo que o mundo pensa.

Como o Curso lhe diz:

… Não podes ser ferido e não queres mostrar ao teu irmão coisa alguma exceto a tua integridade. Mostra-lhe que ele não pode ferir-te e não mantenhas nada contra ele ou a manterás contra ti mesmo. Esse é o significado de “voltar a outra face” (T-5.IV.4:4-6).

Enquanto o Espírito Santo ensina a você sobre a sua verdadeira força, o ego diz a você e aos seus companheiros machos e à todas as mulheres liberadas, que eles têm que ser valentões e aprender como chutar traseiros na corrida de ratos, ou alguém mais vai roubar o seu queijo.

Tudo o que isso faz é provar o quanto eles são medrosos, porque se eles não estivessem amedrontados, não teriam que ser valentões. Eles realmente estão pedindo amor sem saber disso.

O ego tenta convencer você que os seus problemas são o problema, mas o Espírito Santo sabe que é a culpa inconsciente, bem escondida, que faz com que você precise sonhar um mundo de separação para início de conversa e que é o problema.

É claro, o mundo não precisa pensar assim. O mundo nem mesmo sabe nada sobre isso!

Como o Curso se certifica de lembrá-lo mais à frente, no Texto:

… De uma coisa estavas certo: entre as muitas causas que percebias como portadoras de dor e de sofrimento para ti, a tua culpa não constava (T-27.VII.7:4).

O Curso diz que a mente sem culpa não pode sofrer. Então, quando o Curso diz que você não pode ser ferido, isso quer dizer que praticar o tipo de perdão que sabe que você realmente não pode ser ferido vai finalmente resultar na mesma habilidade que Jesus tinha, de não sofrer ou sentir dor.

O quanto os seus problemas serão significativos então? Para amplificar algo que nós dissemos antes, o ego quer que Jesus-o-corpo-maravilha seja muito diferente de você e muito especial, que é uma maneira muito esperta de manter todos diferentes e especiais.

O Espírito Santo sabe que vocês são realmente o mesmo. Como o Esclarecimento de Termos no final do Curso diz sobre Jesus:

O nome de Jesus é o nome de alguém que foi um homem, mas viu a face de Cristo em todos os seus irmãos e se lembrou de Deus. Assim, ele veio a se identificar com Cristo já não mais um homem, mas um com Deus (ET-5.2:1-2).

Isso é o que Ele quer para você. Nós estamos chegando perto do ponto agora onde nós vamos ser um pouco mais precisos sobre como você pode ter a atitude que vai ajudá-lo a ver a face de Cristo – que é realmente a sua face – em todos.

Pode ser útil lembrar que é a você que o perdão ajuda. Você nem sempre tem que se preocupar pessoalmente com a pessoa que está perdoando.

O seu trabalho é simplesmente corrigir as suas má interpretações e não é contra as regras saber que você não pode evitar se beneficiar por causa disso.

Assim como um navegador ou computador corrige constantemente o curso de um avião a jato ao longo da sua rota, o Espírito Santo está sempre corrigindo você, não importando o que você pareça fazer, ou em que nível de consciência espiritual você pareça estar. É possível ignorá-Lo, mas nunca é possível perdê-Lo.

A palavra correção não é usada por nós da maneira comum, porque corrigir algo, geralmente, significa que você o conserta e mantém.

Quando o falso universo acabar de ser corrigido pelo Espírito Santo, não vai mais parecer existir. Eu digo que ele não vai mais parecer existir, porque ele não existe na realidade.

O verdadeiro Universo é o Universo de Deus, ou o Céu – e o Céu não tem absolutamente nada a ver com o falso universo.

O avião a jato está sempre saindo do curso, mas, através de uma correção constante, ele chega ao seu destino. Assim você também vai chegar ao seu. Isso é um trato que você fez; você não poderia estragá-lo mesmo que tentasse. A questão real é, por quanto tempo você quer prolongar o seu sofrimento?

Muitos cristãos perguntam hoje em dia, “O que Jesus faria?”. Só existe uma resposta certa para essa pergunta e ela sempre será a mesma: ele iria perdoar.

O perdão tem a ver com o que você pensa. O que você faz não é o mais importante, ainda que seja resultado do que você pensa. É o que você pensa que vai ou mantê-lo sonhando, ou vai ajudar a levá-lo para casa, não o que você faz.

O que nos leva perto do fim de nossa breve conversa sobre o Espírito Santo. O Curso diz que Ele reconhece as suas ilusões sem acreditar nelas. Então, ouça-O e poderá ver como Ele.

O Curso diz, depois, no Livro de Exercícios:

… O Espírito Santo compreende os meios que fizeste, pelos quais queres alcançar o que é para sempre inalcançável. E se os ofereceres a Ele, Ele empregará os meios que fizeste para te exilares para restituir a tua mente ao lugar em que ela está verdadeiramente em casa (LE-pII.7.3:2-3).

Jesus era capaz de contar a história do Filho pródigo tão bem porque ele era o Filho pródigo, assim como você. Ele ouviu o Espírito Santo; foi assim que ele foi capaz de ver o falso sem aceitá-lo como verdadeiro.

Ouvindo o Espírito Santo, você pode se tornar como Jesus e ser totalmente identificado com Cristo.

Como o Curso diz sobre o seu Ajudante:

O Espírito Santo habita na parte da tua mente que é parte da Mente de Cristo (ET-6.4:1).

Em uma das referências do Curso à história do Filho pródigo, ligando o Espírito Santo a ele:

… Ele parece ser um Guia que te conduz através de uma terra distante, pois necessitas dessa forma de ajuda (ET-6.4:6).

O ego o tem iludido para pensar que você está se livrando da sua culpa inconsciente quando você a projeta sobre os outros, tornando-os errados, ou condenando-os, ou culpando certas circunstâncias por seus problemas, ou pelos problemas do mundo, ou seja lá pelo que for.

Ao invés disso, o resultado real disso é fazer com que você tenha que persistir com a sua culpa inconsciente para sempre. Você está começando a entender o quanto o perdão é importante para você?

O Curso é muito insistente sobre o quanto o seu trabalho real é importante.

… A libertação do amado Filho de Deus dos sonhos maus que ele imagina, mas que acredita serem verdadeiros, não é um propósito de valor? Quem poderia esperar mais, quando parece haver uma escolha a ser feita entre o sucesso e o fracasso, o amor e o medo? (LE-pI.200.6:5-6)

O perdão verdadeiro é o propósito real da vida, mas você tem que escolhê-lo para torná-lo seu.

Lembre-se, praticar o perdão verdadeiro não pode deixar de levá-lo para casa. O Jesus oculto não pode se perder, pois ele não faz concessões – porque o Espírito Santo não faz concessões.

Isso não é uma revolução do físico, é uma recuperação da mente – introduzindo-se em uma nova maneira de pensar.

Quando chegar à forma avançada de perdão do Curso, você será bom nisso e o instante santo será seu a seu pedido.

Ainda que o instante santo realmente aconteça fora do tempo e do espaço, você parece escolhê-lo aqui.

O instante santo é simplesmente aquele instante no qual você escolhe o Espírito Santo como o seu Professor, ao invés do ego.

Como diz o Curso:

Face à noção insana de salvação do ego, o Espírito Santo gentilmente coloca o instante santo. Nós dissemos anteriormente que o Espírito Santo tem que ensinar através de comparações e usa opostos para apontar para a verdade. O instante santo é o oposto da crença fixa do ego na salvação através da vingança do passado. No instante santo se compreende que o passado se foi e, com a sua passagem, a compulsão da vingança deixou de ter raízes e desapareceu. A serenidade e a paz do agora te envolvem em perfeita gentileza. Todas as coisas se foram, exceto a verdade (T-16.VII.6:1-6).

Isso acontece todas as vezes em que você escolhe o perdão – portanto, agindo tanto em você quanto no melhor interesse daquele que está sendo perdoado, que são realmente o mesmo, ainda que, no nível da forma, pareça que você tenha interesses separados. O seu auto interesse comum é voltar ao Céu.

É claro que o ‘perdoado’ é realmente você; apenas não parece assim. O que você está realmente realizando é o perdão dos conteúdos simbólicos da sua própria mente.

Alguns estudantes do Curso parecem pensar que Deus criou as partes boas do mundo e não as más e que o Curso está tentando nos levar a abrir mão das percepções ruins, mas a manter as boas.

Nós já dissemos o suficiente que a percepção e a consciência são do ego, mas ainda vai haver aqueles que tentam dizer isso.

Deus nem mesmo criou uma parte do mundo. Nós apenas citamos o Curso como dizendo que não existe mundo! Como Deus poderia ter criado parte dele se não existe nenhum?

Não é a intenção do Espírito Santo fazer nada exceto despertá-lo do seu sonho de que existe um mundo! Isso é verdadeiro quer ele pareça temporariamente bom ou ruim.

Finalmente, a verdade não é temporal; ela é plena, absoluta, total. Entretanto, nesse nível, a cura da sua percepção pelo Espírito Santo é um processo temporário levando a uma solução absoluta.

O ego, ou a mentalidade errada [veja gráfico – artigo parte I], cria tudo o que parece acontecer no nível da forma. O Espírito não faz nada acontecer no nível da forma, que é o motivo pelo qual você não deveria espiritualizar acontecimentos ou objetos no universo.

A mentalidade certa dá a interpretação do Espírito Santo sobre o nível da forma, levando você – e por ‘você’ nós queremos dizer a parte observadora da mente que se identificou e, portanto, se prendeu ao ego [o tomador de decisões do gráfico – artigo parte I] – de volta para casa. O lar é o espírito imutável.

Ainda que o Espírito Santo não faça nada no mundo, a Sua interpretação do nível da forma pode ajudar você a ver mais claramente o que deveria fazer aqui. Isso é apenas um benefício adicional de escolhê-Lo como o seu Professor, não a razão principal, que é a salvação.

O ego não é de Deus, mas o Espírito Santo é a Voz por Deus.

Imagem mohamed-nohassi-odxB5oIG_iA-unsplash.jpg

…continua Parte III…

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x