Artigo especial de lançamento do Blog do Projeto OREM® – Oficina de Reprogramação Emocional e Mental.

Os destaques em negrito, sublinhado ou itálico são por minha conta.

  • Tradução livre do texto original do professor Robert Perry;
  • Artigo completo disponível em inglês no site: https://circleofa.org/2020/03/18/applying-bills-flu-shot-guidance-to-the-coronavirus/;
  • Iniciativa do Projeto OREM®;
  • Helen e Bill foram os escribas de UCEM (Um Curso em Milagres);
  • Jesus, na versão Urtext de UCEM, costumava se utilizar de exemplos cotidianos de comportamentos de Helen e de Bill e de outras pessoas, para auxiliá-los no entendimento do Curso durante o processo de transcrição, assim como para exemplificar, na prática, o que é um “milagre” segundo o sistema de pensamento do Curso.
  • Aqui está retratado pelo professor Robert Perry, um desses exemplos, em correlação ao Coronavírus da atualidade e à tomada de decisão pela vacinação, para nossa meditação.
  • Título do artigo original de Robert Perry: “Aplicando a orientação da vacina contra a gripe de Bill ao Coronavírus.”

“Nas primeiras semanas do ditado do Curso [1965], Helen recebeu três orientações sobre se Bill deveria tomar a vacina contra a gripe. Isso foi por volta do início de novembro e a temporada de gripe estava chegando. Havia até a possibilidade da gripe se tornar uma epidemia.

Portanto, embora esta não seja exatamente a mesma situação que enfrentamos com o Coronavírus, é surpreendentemente próxima.

Aqui, temos o autor do Curso [Jesus] abordando diretamente como responder a uma gripe sazonal que poderia se tornar uma epidemia. Certamente, devemos sentar e ouvir.

O que é especialmente impressionante é que Jesus não lida com isso da maneira austera ou severa como poderíamos esperar. Ele mais notavelmente não descarta a coisa toda como ilusória. Em vez disso, ele lida com isso com verdadeira sensibilidade e amplitude.

Aqui estão as três orientações, seguidas de seis pontos que sinto que podemos extrair delas para a nossa situação.

1) Após o princípio do milagre 18 [após a sua transcrição]

“Converse sobre Giovanni com ele (Bill) com franqueza, incluindo a vacina contra a gripe e certifique-se de dizer a ele que o beijei na testa e o estou beijando de novo agora.”

2) Após o princípio do milagre 22 [idem]

“Peça ajuda para obter orientação sobre as vacinas contra a gripe de Bill, mas certifique-se de dizer a ele (Bill) para não permitir que o medo entre em consideração.”

3) Após o princípio do milagre 35 [idem; ao todo são 50 princípios dos milagres no Livro Texto de UCEM, versão FIP)

“Uma agora e um reforço se houver uma epidemia.” Dr. Damrosch e Dr. Wise concordam com isso. (Reunião de Helen Schucman com o Dr. Wise e o Dr. Damrosch. O Dr. D, em sua capacidade de presidente do Conselho da Gripe, permitiu uma oportunidade para ela questionar sobre a vacina contra a gripe de Bill.)

P.S. — Este foi um exemplo de como os milagres deveriam funcionar. Você não entrou na questão sozinha e, embora tenha corrido para o telefone, não exerceu pressão sobre a relutância de Bill. “Isso me deu a chance de deixar você legar isso para o verdadeiro especialista, a quem enviei para responder à pergunta.”

Seis pontos podemos extrair disso:

1. Discuta a resposta apropriada “muito abertamente”.

Jesus não disse “Não há gripe”. Em vez disso, aconselhou Helen e Bill a discutirem a questão da vacina contra a gripe “muito abertamente”. E então ele acrescentou de forma tocante “Eu beijei ele [Bill] na testa e estou beijando-o novamente agora.”

2. É imperativo “não permitir que o medo entre em consideração.”

Não é o medo o que nos move nessas situações? “O que devo fazer?” torna-se “O que vai acalmar meus medos?” Como, então, podemos agir, mas não por medo?

Como podemos liberar nosso medo? O Curso tem muitas práticas para fazer exatamente isso e podemos adaptar muitas linhas do Curso para esse propósito também. Aqui estão várias que podemos aplicar a esta situação:

Eu não estou transtornado pelo Coronavírus pela razão que eu imagino. (adaptado da Lição 5)

Deus não criou o Coronavírus, e portanto, isso não é real. (adaptado da Lição 14)

Posso me dar ao luxo de rir dos pensamentos de medo, lembrando que Deus vai comigo aonde quer que eu vá. (adaptado da Lição 41)

Entrego o futuro nas Mãos de Deus. (Lição 194)

Eu sou perfeitamente intocável por todas as expressões de falta de amor. (adaptado do T-2.I.5:6)

Não existe tempo, lugar ou estado dos quais Deus esteja ausente. Não existe nada a ser temido. (T-29.I.1:1-2)

O final feliz de todas as coisas é certo. (Lição 292).

Faço o “sacrifício” do medo de bom grado. (Lição 323)

Uma das contribuições mais importantes que podemos dar como estudantes do Curso é simplesmente estarmos livres do medo.

Nossa liberdade do medo mostra a ideia a todos que nos conhecem e à psique coletiva da humanidade que o medo não é necessário aqui. Não temos que sentir isso. Nós podemos ser racionais e práticos, e ainda estarmos totalmente livres do medo.

3. Leve os médicos especialistas a sério – Jesus está tentando trabalhar por meio deles.

Como estudantes espirituais, muitas vezes não confiamos nos especialistas médicos, mas aqui Jesus trata seus conselhos como sua orientação.

Ele elogia Helen por deixar “isso para o verdadeiro especialista, a quem enviei para responder à pergunta”.

E essa resposta? “Um agora e um reforço se houver uma epidemia.”

Resumindo, Jesus diz que enviou o verdadeiro especialista, que o conselho desse especialista era para tomar a vacina (e um reforço mais tarde, se necessário) e Jesus trata isso como sua mensagem para Bill. Isso diz muito.

O professor do Curso Jon Mundy recentemente enviou um e-mail que dizia:

“Vamos fazer as coisas lógicas e razoáveis ​​que os profissionais de saúde nos dizem para fazer. Se você está dirigindo, quer fazê-lo com segurança. Cuide desse corpo em que você se move, mantenha-o saudável física e mentalmente. Vá ao YouTube e assista ao Dr. Mehmet Oz ou ao Dr. Eric Berg […médicos e personalidades da televisão americana…] falando sobre as coisas práticas que qualquer pessoa deve fazer para manter o corpo funcionando bem e, nesse ínterim, ‘Não deixe que nada tire a paz de Deus de você’.”

O New York Times publicou recentemente um artigo de um psicólogo social intitulado “How Fear Distorts Our Thinking About the Coronavirus,” (tradução livre: “Como o Medo Distorce Nosso Pensamento Sobre o Coronavírus”), com o subtítulo “The solution isn’t to try to think more carefully. It’s to trust the experts.” (tradução livre: “A solução não é tentar pensar com mais cuidado. É confiar nos especialistas.”)

4. Jesus está tentando trabalhar através de cadeias de pessoas para obter as informações e a ajuda de que precisam.

Jesus queria responder à pergunta de Bill sobre uma vacina contra a gripe. Mas, em vez de falar diretamente com Bill, ele enviou o Dr. Damrosch. O Dr. Damrosch, por sua vez, teve uma reunião por telefone com Helen, a quem transmitiu o seu conselho. E então Helen passou a mensagem para Bill.

Isso evoca uma imagem em que Jesus está trabalhando através de cadeias de pessoas para obterem as informações e a ajuda de que precisam. Em outro lugar, o Curso fala sobre anjos estarem lá para ajudar. Jesus em um ponto menciona até mesmo Dave Diamond, amigo falecido de Helen, ajudando-a […história que aparece somente na versão Urtext de UCEM…].

Devemos imaginar isso tudo com esta situação [atual pandemia]. Assim como os governos estão implantando sistemas complexos de resposta ao Coronavírus, algo semelhante está acontecendo em níveis invisíveis. A ajuda tem sido organizada para nós e nós não temos que recebê-la toda de dentro de nós mesmos [não somente]. Também pode chegar até nós por meio de outras pessoas [o que normalmente ocorre e é preciso estar atento].

5. Precisamos ser trabalhadores em milagres e dar aos outros a ajuda de que precisam de uma maneira cortês e sem exercer pressão.

A estrela do show aqui é Helen, que claramente queria ajudar Bill. Então, quando ela teve a chance de falar com o presidente do Conselho da Gripe, ela “correu para o telefone”, mas então ela mesma não “se envolveu na situação muito apressadamente” – ela não forçou imediatamente a pergunta na conversa. E ela também não pressionou um relutante Bill a pegar o telefone ele mesmo.

Como resultado, Jesus abertamente chama a sua ação [a ação de Helen] de milagre: “Este foi um exemplo de como os milagres deveriam funcionar”. Esse rótulo é importante, pois, afinal, esse é Um Curso em Milagres.

Que características nós conhecemos sobre a ação de Helen que podemos imitar?

  1. Bill expressou uma necessidade de ajuda e Helen respondeu a isso.
  2. Ela estava ávida por conseguir a ajuda de que Bill precisava.
  3. Ela foi amistosa – ela não exerceu pressão sobre o Dr. Damrosch ou sobre Bill.
  4. Ela não inseriu suas próprias ideias, mas deixou para o “verdadeiro especialista”.
  5. Dessa forma, ela foi o canal pelo qual Jesus pôde transmitir a Sua mensagem a Bill.

Como nós podemos ser um trabalhador em milagres nessa situação?

Alguém está pedindo por nossa ajuda?

Nós estamos ávidos para conseguir essa ajuda?

Como podemos ser amistosos e gentis em nossa busca por isso?

6. Busque orientação, como Helen fez.

Essas três mensagens, é claro, são uma série de orientações que Helen buscou e recebeu sobre a pergunta de Bill sobre a vacina contra a gripe.

Essa orientação não substituiu o conselho do especialista, mas sim trabalhou lado a lado com esse conselho.

Nós devemos seguir o exemplo de Helen e buscar nossa própria orientação sobre este assunto.

Imagem: colton-duke-QRU0i5AqEJA-unsplash-min.jpeg

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. (UCEM-LE-pII.13)

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x