Tendo como base a ideia e a proposta do livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance, o objetivo dessa série de artigos do Projeto OREM® – OREM3 é analisarmos todo o material disponível e relevante sobre o Livro de Exercícios de Um Curso em Milagres para cada exercício diário, de maneira a auxiliar e facilitar o entendimento sobre o sistema de pensamento do Curso.

Para cada dia de estudo, nós estaremos incluindo também uma parte relevante do livro Texto, uma parte relevante do Material Suplementar (Cadernos de Taquigrafia de Helen Schucman e Versão Urtext de UCEM), alguns artigos relevantes de Professores Avançados e as próprias lições do Livro de Exercícios para cada dia (365 dias).

Lembrando que grande parte dos materiais suplementares (cadernos de taquigrafia de Helen e versão Urtext de UCEM), que constarão nessa série de artigos, não foram considerados na edição final de Um Curso em Milagres, por terem sido considerados “muito pessoais” pela equipe responsável pela edição1, porém importantes como material complementar, como nós veremos a seguir, por se tratar da ensinamentos compartilhados pelo autor do livro (Jesus).

Veja detalhes em artigo na Categoria “Um Curso em Milagres” de número 12 – “As versões iniciais e a edição de UCEM”.

Como diz Jeff Nance, “milagres não faltam!”

Nota: Nós consideramos que o estudante se beneficiará dessa série de artigos do Projeto OREM® a partir do momento que, já tendo concluída a leitura do livro Texto, realizado os exercícios e práticas do Livro de Exercícios e concluída a leitura do Manual de Professores, estará, portanto, nesse momento, retomando uma segunda rodada de conhecimento e entendimento do sistema de pensamento de Um Curso em Milagres (UCEM).

“Esse curso é um começo, não um fim…” (T-Prefácio)

Tradução livre Projeto OREM®

Dia 35

Teoria do Conflito Básico

É hora de considerar todo o mundo do inconsciente, ou mente não observada. Isso o assustará porque é a fonte do medo. Você pode olhar para isso como uma nova teoria do conflito básico, se você desejar, o que não será inteiramente uma abordagem intelectual, porque eu duvido se a verdade lhe escapará inteiramente.

A mente não observada é responsável por todo o conteúdo do inconsciente, que está acima do nível do milagre. Todos os teóricos psicanalíticos deram alguma contribuição à verdade a esse respeito, mas nenhum deles a viu em sua verdadeira totalidade. (A gramática correta aqui é um sinal de sua melhor cooperação. Obrigado.) A melhor contribuição de Jung foi uma consciência dos níveis inconscientes individuais versus coletivos. Ele também reconheceu o lugar principal do espírito religioso em seu esquema. Os seus arquétipos também eram conceitos significativos. Mas o seu maior erro estava em considerar o nível mais profundo do inconsciente como compartilhado em termos de CONTEÚDO. O nível mais profundo do inconsciente é compartilhado como uma HABILIDADE [CAPACIDADE]. Como MENTALIDADE VONTADA PARA O MILAGRE, o conteúdo (ou os milagres particulares que um indivíduo realiza) não importa absolutamente. Eles serão, de fato, totalmente diferentes, porque, como eu os dirijo, eu faço questão de evitar redundâncias. A menos que um milagre realmente cure, não é um milagre nem um pouco.

O conteúdo do nível voltado para o milagre não é registrado no inconsciente do indivíduo, porque se fosse, isso não seria automático e involuntário, como nós dissemos repetidamente que isso deveria ser.

No entanto, o conteúdo É uma questão para o registro, que NÃO está dentro do próprio indivíduo.

Todos os psicanalistas cometeram um erro comum, ao tentar descobrir o CONTEÚDO inconsciente. Você não pode entender a atividade inconsciente nesses termos, porque o ‘conteúdo’ é aplicável SOMENTE aos níveis inconscientes mais superficiais para os quais o próprio indivíduo contribui. Esse é o nível em que ele pode facilmente introduzir medo e geralmente o faz.

Freud estava certo ao chamar esse nível de pré-consciente e enfatizar que há um intercâmbio bastante fácil entre material pré-consciente e consciente. Ele também estava certo ao considerar o censor como um agente de proteção da consciência contra o medo. O SEU maior erro estava em sua insistência de que esse nível é absolutamente necessário na estrutura psíquica. Se a psique contém níveis de medo dos quais não pode escapar sem se dividir, a sua integração está permanentemente ameaçada. É essencial não controlar o temeroso, mas ELIMINÁ-LO.

Aqui, o conceito de vontade de Rank foi particularmente bom, exceto que ele preferiu aliá-lo apenas com a capacidade verdadeiramente criativa do homem, mas não o estendeu à sua união adequada com Deus.

O ‘trauma de nascimento’ dele, outra ideia válida, também era muito limitado, pois não se referia à Separação, que era realmente uma FALSA ideia de nascimento. O nascimento físico não é um trauma em si. Pode, no entanto, lembrar o indivíduo da Separação, que foi uma causa muito real de medo.

A ideia de ‘TERAPIA da vontade’ era potencialmente muito poderosa, mas Rank não viu o seu real potencial porque ele mesmo usou a sua mente em parte para criar uma teoria da mente, mas também em parte para atacar Freud. As suas reações a Freud resultaram de sua própria infeliz aceitação da falácia da privação, que surgiu da Separação. Isso o levou a acreditar que a sua própria criação mental só poderia subsistir se a criação de outra pessoa caísse. Em consequência, a sua teoria enfatizou, em vez de minimizar, a natureza de dois gumes das defesas. Essa é uma característica marcante de seus conceitos, porque era extraordinariamente verdadeiro para ele.

Ele também interpretou equivocadamente o trauma do nascimento de uma forma que tornou inevitável para ele tentar uma terapia cujo objetivo era ABOLIR O MEDO. Isso é característico de todos os teóricos posteriores, que não tentam, como Freud fez, separar o medo em sua própria forma de terapia.

Ninguém ainda reconheceu totalmente o valor terapêutico do medo, ou a única maneira pela qual ele pode realmente acabar. Quando o homem cria equivocadamente, ele ESTÁ com dor. O princípio de causa e efeito aqui é temporariamente um verdadeiro expedidor. Na verdade, Causa é um termo que pertence propriamente a Deus, e Efeito, que também deve ser capitalizado, é a SUA Filiação. Isso implica um conjunto de relacionamentos de Causa e Efeito que são totalmente diferentes daquelas que o homem introduziu na criação equivocada.

Os oponentes fundamentais no verdadeiro conflito básico são a Criação e a criação equivocada. Todo medo está implícito no segundo, assim como todo amor é inerente ao primeiro. Por causa dessa diferença, o conflito básico é entre amor e medo.”

A Energia Psíquica da Criação

“Tanta coisa, então, para a verdadeira natureza dos principais oponentes no conflito básico. Uma vez que todas essas teorias levam a uma forma de terapia na qual resulta uma redistribuição da energia psíquica, é necessário considerar a seguir o NOSSO conceito de libido. A esse respeito, Freud foi mais preciso do que os seus seguidores, que eram essencialmente mais desejosos. A energia PODE emanar da Criação E da criação equivocada e a relação particular entre elas que prevalece em um determinado momento determina o comportamento naquele momento. Se a criação equivocada NÃO gerasse energia por si só, ela seria incapaz de produzir um comportamento destrutivo, o que ela claramente o FAZ.”

Urtext – Esclarecimento de Termos (Epílogo continuação)

“Vamos esperar aqui em silêncio e ajoelhar-nos um instante em nossa gratidão Àquele Que nos chamou e nos ajudou a ouvir o Seu Chamado. E então vamos nos levantar e seguir com fé ao longo do caminho até Ele. Agora nós temos a certeza de que nós de fato não caminhamos sozinhos. Pois Deus está aqui e com Ele todos os nossos irmãos. Agora nós sabemos que nunca mais nós perderemos o caminho. A canção recomeça, que foi interrompida apenas por um instante, embora pareça ser não aclamada para sempre. O que aqui começa crescerá em vida, força e esperança, até que o mundo ainda seja um instante e esqueça tudo o que o sonho do pecado fez dele.

Vamos sair e conhecer o mundo recém-nascido, sabendo que Cristo renasceu nele e que a santidade desse renascimento durará para sempre. Nós tínhamos perdido o nosso caminho, mas Ele o encontrou para nós.

Vamos dar as boas-vindas a Ele que volta para nós para celebrar a salvação e o fim de tudo o que nós pensamos ter feito. A estrela da manhã desse novo dia olha para um mundo diferente onde Deus é bem-vindo e o Seu Filho com Ele. Nós, que O completamos, agradecemos a Ele, como Ele dá graças a nós. O Filho está quieto e na paz que Deus lhe deu entra em sua casa e finalmente está em paz.

(Fim do Epílogo – Fim do Esclarecimento de Termos)”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 35

“’Minha mente é parte da Mente de Deus. Eu sou muito santo.’

A idéia para o dia de hoje não descreve o modo como vês a ti mesmo agora. Descreve, porém, o que a visão te mostrará. É difícil para qualquer pessoa que pense estar nesse mundo acreditar nisso em relação a si mesma. No entanto, é por não acreditar nisso que ela pensa estar nesse mundo.

Acreditarás que és parte do lugar onde pensas estar. É por isso que te rodeias com o meio-ambiente que queres. E tu o queres para proteger a imagem de ti mesmo que tens feito. A imagem é parte desse meio-ambiente. O que vês, enquanto acreditares que estás nele, é visto através dos olhos da imagem. Isso não é visão. Imagens não podem ver.

A ideia para o dia de hoje apresenta uma perspectiva bem diferente de ti mesmo. Por estabelecer a tua Fonte, estabelece a tua identidade e ela te descreve como realmente tens que ser na verdade. Usaremos um tipo de aplicação um pouco diferente para a idéia de hoje, porque a ênfase hoje está naquele que percebe ao invés de estar no que é percebido.

Começa cada um dos três períodos de prática de cinco minutos de hoje repetindo a idéia do dia para ti mesmo e depois fecha os olhos e investiga a tua mente buscando os vários tipos de termos descritivos nos quais te vês. Inclui todos os atributos baseados no ego que conferes a ti mesmo, positivos ou negativos, desejáveis ou indesejáveis, grandiosos ou degradantes. Todos eles são igualmente irreais, porque não olhas para ti mesmo através dos olhos da santidade.

Na parte inicial do período de exame da mente, é provável que vás enfatizar o que consideras serem os aspectos mais negativos na tua percepção de ti mesmo. Perto da última parte do período de exercícios, no entanto, termos descritivos mais auto enaltecedores podem cruzar a tua mente. Tenta reconhecer que a direção das tuas fantasias sobre ti mesmo não importa. Ilusões não tomam nenhuma direção na realidade. Elas meramente não são verdadeiras.

Uma lista não seletiva e adequada para a aplicação da ideia para o dia de hoje poderia ser a seguinte:

‘Eu me vejo submisso.’

‘Eu me vejo deprimido.’

‘Eu me vejo fracassado.’

‘Eu me vejo ameaçado.’

Eu me vejo impotente.

‘Eu me vejo vitorioso.’

‘Eu me vejo perdedor.’

‘Eu me vejo caridoso.’

‘Eu me vejo virtuoso.’

Não deves pensar nesses termos de modo abstrato. Eles te ocorrerão à medida que passarem pela tua mente várias situações, personalidades e eventos nos quais tu participes. Escolhe qualquer situação específica que te ocorra, identifica o termo ou termos descritivos que sentes que são aplicáveis às tuas reações àquela situação e usa-os na aplicação da idéia de hoje. Depois de ter citado cada um deles, acrescenta:

‘Mas a minha mente é parte da Mente de Deus. Eu sou muito santo.’

Durante os períodos mais longos de exercícios, provavelmente haverá intervalos em que nada te ocorra. Não te tenciones para achar coisas específicas para preencher o intervalo, mas apenas relaxa e repete a ideia de hoje lentamente até que algo te ocorra. Embora nada do que te ocorrer deva ser omitido dos exercícios, nada deve ser desencavado com esforço. Não se deve usar nem força, nem discriminação.

Durante o dia, tanto quanto possível, escolhe um atributo ou atributos específicos que conferes a ti mesmo naquele momento e aplica a eles a idéia de hoje, acrescentando-a a cada um na forma aplicada acima. Se nada em particular te ocorrer, meramente repete a idéia para ti mesmo com os olhos fechados.”

—–

Dia 36

“Tudo o que o homem cria tem energia porque, como as criações de Deus, ela vem DA energia e é dotada por seu criador com o poder de criar. A criação equivocada ainda é um ato criativo genuíno em termos do IMPULSO subjacente, mas NÃO em termos do CONTEÚDO da criação. Isso, no entanto, não priva a criação de seu PRÓPRIO poder criativo. GARANTE, no entanto, que o poder será utilizado equivocadamente, ou USADO COM MEDO.

Negar isso é apenas a falácia da depreciação mencionada anteriormente. Embora Freud tenha cometido várias falácias, ele DE FATO evitou essa em relação à libido. Os teóricos posteriores negaram o conceito de energia dividida, não tentando curar isso, mas reinterpretando-a em vez de redistribuí-la.

Isso os colocou na posição ilógica de supor que a divisão que as suas terapias pretendiam curar não havia ocorrido. O resultado dessa abordagem é essencialmente uma forma de hipnose. Isso é bem diferente da abordagem de Freud, que apenas terminou em um impasse.

Um impasse semelhante ocorre quando coexistem tanto o poder da Criação quanto o da criação equivocada.

Isso é experienciado como conflito apenas porque o indivíduo sente COMO SE ambos estivessem ocorrendo AO MESMO NÍVEL. Ele ACREDITA no que criou em seu próprio inconsciente e naturalmente acredita que é real PORQUE ele o criou. Ele, assim, se coloca em uma posição onde o temeroso se torna REAL.

Nada além de confusão de níveis pode resultar enquanto essa crença for mantida em QUALQUER forma.

A negação inadequada e a identificação igualmente inadequada dos fatores REAIS no conflito básico NÃO resolverão o problema em si. O conflito NÃO PODE desaparecer até que seja totalmente reconhecido que a criação equivocada NÃO é real e, portanto, NÃO HÁ conflito. Isso implica uma plena compreensão do fato básico de que, embora o homem tenha criado equivocadamente em um sentido muito real, ele não precisa continuar a fazê-lo, nem sofrer com os seus erros passados ​​a esse respeito.

UMA REDISTRIBUIÇÃO de energia psíquica, então, NÃO é a solução. Tanto a ideia de que ambos os tipos TEM QUE existir, quanto a crença de que UM tipo é passível de uso ou uso equivocado, são distorções reais. A ÚNICA saída é PARAR DE CRIAR EQUIVOCADAMENTE AGORA e aceitar a Expiação pelas criações equivocadas do passado. Só isso pode restabelecer a verdadeira mentalidade-única. A estrutura da psique, como você mesmo notou muito corretamente, segue as linhas do conceito de libido particular que o teórico emprega. (Helen: Eu ainda penso que foi o contrário. Resposta: Essa confusão surge do fato de que você DE FATO mudou a ordem – várias vezes na verdade. Realmente, isso não importa, porque os dois conceitos DE FATO fluem de cada um.  Isso foi uma perda de tempo TERRÍVEL e uma em que eu mal me importo em me envolver. Por favor!)

A psique de Freud era essencialmente uma imagem do bem e do mal, com um peso muito grande dado ao mal. Isso porque toda vez que eu mencionava a Expiação para ele, o que era bastante frequente, ele respondia defendendo a sua teoria cada vez mais contra ela. Isso resultou em suas tentativas cada vez mais fortes de tornar o tom ilógico cada vez mais lógico.

Eu lamentei muito por isso, porque ele tinha uma mente singularmente boa e era uma pena desperdiçá-la. No entanto, o objetivo principal de sua encarnação não foi negligenciado. Ele DE FATO conseguiu forçar o reconhecimento do inconsciente nos cálculos do homem sobre si mesmo, um passo na direção certa que não deve ser minimizado. Freud foi um dos homens mais religiosos que eu tenha conhecido recentemente. Infelizmente, ele tinha tanto medo da religião que a única maneira de lidar com isso era considerá-la (não a si mesmo) doente. Isso naturalmente impediu a cura [healing].

O superego de Freud é um exemplo particularmente interessante do poder real da criação equivocada. Isso é notável ao longo de todo o desenvolvimento de suas teorias que o superego nunca se aliou à liberdade. O máximo que podia fazer nessa direção era elaborar uma dolorosa trégua na qual ambos os oponentes PERDERAM. Essa percepção não poderia deixar de forçá-lo a enfatizar o descontentamento em sua visão da civilização.

O id Freudiano é realmente apenas o nível mais superficial do inconsciente e não o nível mais profundo. Isso também era inevitável, porque Freud não conseguia separar os milagres da magia. Era, portanto, o seu esforço constante (até mesmo preocupação) continuar a empurrar cada vez mais material entre a consciência e o nível real mais profundo do inconsciente, de modo que esse último se tornasse cada vez mais obscurecido. O resultado foi uma espécie de confusão, em que não havia ordem, controle e sentido. Era exatamente assim que ele SE SENTIA sobre isso.

A mudança teórica posterior para a primazia da ansiedade foi um dispositivo interessante destinado a negar tanto a natureza instintiva da destrutividade quanto a força do poder da criação equivocada. Ao colocar a ênfase no RESULTADO, a natureza generativa do poder foi minimizada.

O comportamento destrutivo É instintivo. O instinto para a criação NÃO é obliterado na criação equivocada. É por isto que está sempre investido de realidade.

Uma das principais maneiras pelas quais o homem pode corrigir a sua confusão mágica-milagre é lembrar que ele não criou a si mesmo. Ele tende a esquecer isso quando se torna egocêntrico e isso o coloca em uma posição em que a crença na magia é praticamente inevitável. Os seus instintos para a criação foram dados a ele por seu próprio Criador, que estava expressando o mesmo instinto em Sua Criação. Uma vez que a capacidade criativa repousa unicamente na mente, tudo o que o homem cria é necessariamente instintivo.

Nós já temos dito que o conflito básico é aquele entre o amor e o medo e que a organização adequada da psique repousa na falta de confusão de níveis. A seção sobre energia psíquica deve ser relida com muito cuidado, porque é particularmente provável que seja interpretada equivocadamente até que essa seção esteja completa.”

” Uma vez que a capacidade criativa repousa unicamente na mente, tudo o que o homem cria é necessariamente instintivo.”

Urtext – Manual de Professores

1. Introdução

“O sentido do ensino e do aprendizado está, de fato, revertido no pensamento do mundo. A reversão é típica. Parece que o professor e o aluno estão separados, o professor dando algo ao aluno ao invés de a si mesmo. Além disso, o ato de ensinar é considerado uma atividade especial na qual a pessoa investe apenas uma proporção relativamente pequena do seu tempo. O curso, ao contrário, enfatiza que ensinar é aprender, de tal modo que professor e aluno são a mesma coisa. Enfatiza também que ensinar é um processo constante; acontece a cada momento do dia e continua também nos pensamentos durante o sono.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 36

“’ A minha santidade envolve tudo o que eu vejo.’

A ideia de hoje estende a ideia de ontem, daquele que percebe àquilo que é percebido. Tu és santo porque a tua mente é parte da Mente de Deus. E, porque és santo, a tua vista também tem que ser santa. Impecável significa sem pecado. Não podes ser um pouco sem pecado. Ou é impecável ou não és. Se a tua mente é parte da Mente de Deus, tens que ser impecável ou uma parte da Sua Mente seria pecaminosa. A tua vista está relacionada com a Sua santidade, não com o teu ego e, portanto, não com o teu corpo.

Quatro períodos de prática, de três a cinco minutos, são requeridos para hoje. Tenta distribuí-los uniformemente e faze as aplicações mais curtas com frequência para proteger a tua proteção ao longo do dia. Os períodos de prática mais longos devem tomar esta forma:

Primeiro fecha os olhos e repete lentamente a ideia de hoje várias vezes. Em seguida abre os olhos e olha bem vagarosamente ao teu redor, aplicando a ideia de modo específico a qualquer coisa que notares durante o teu exame casual. Dize, por exemplo:

‘A minha santidade envolve aquele tapete.’

‘A minha santidade envolve aquela parede.’

‘A minha santidade envolve esses dedos.’

‘A minha santidade envolve aquela cadeira.’

‘A minha santidade envolve aquele corpo.’

‘A minha santidade envolve aquela caneta.’

Durante estes períodos de prática, fecha os olhos e repete a ideia para ti mesmo várias vezes. Em seguida, abre os olhos e continua como antes.

Para os períodos mais curtos de exercícios, fecha os olhos e repete a ideia, olha ao teu redor repetindo-a mais uma vez; conclui com mais uma repetição de olhos fechados. Todas as aplicações devem ser feitas bem lentamente, é claro, e tanto quanto possível, sem esforço e sem pressa.”

—–

Day 37

A Maestria do Amor é a Correção do Erro

“Já foi dito que o homem NÃO PODE controlar o medo, porque ele mesmo o criou. A sua crença nele o torna fora de seu controle por definição. Por essa razão, qualquer tentativa de resolver o conflito básico através do conceito de domínio do medo não tem sentido. Na verdade, isso afirma o poder do medo pela simples suposição de que ele precisa ser dominado afinal.

A resolução essencial repousa inteiramente no domínio do amor. Nesse ínterim, o conflito é inevitável. A razão para isso é a posição estranhamente ilógica em que o homem se colocou. Como nós temos enfatizado frequentemente que a correção deve ser aplicada dentro do nível em que o erro ocorre, isso deve ficar claro que o milagre TEM QUE ser ilógico porque o seu objetivo é corrigir o ilógico e restaurar a ordem.

Dois conceitos que NÃO PODEM coexistir são tudo e nada. Na medida em que se acredita em um, o outro FOI abolido. No conflito, o medo não é realmente nada e o amor é realmente tudo. (Esse reconhecimento é realmente a base para o complexo de castração1.) Isso ocorre porque sempre que a luz penetra na escuridão, ela DE FATO a abole. A recusa de ser visto, ou de submeter o erro à luz, está falsamente associada ao fazer ativo. Nessa encarnação, isso pode assumir a forma de envolvimento edipiano1 e a ansiedade de castração concomitante.

[1 Minha observação: “Complexo de castração ou Angústia de castração, em psicanálise é o medo da castração, tanto no sentido literal quanto metafórico, uma das primeiras teorias psicanalíticas de Sigmund Freud. De acordo com Freud, quando o menino torna-se consciente das diferenças entre os órgãos genitais masculinos e femininos, ele assume que o pênis do sexo feminino foi removido criando-se uma angústia que o seu pênis será cortado por seu rival, a figura do pai, como punição por desejar a figura da mãe. Fonte Wikipédia]

[2 Minha observação: “O complexo de Édipo, termo criado por Freud e inspirado na tragédia grega Édipo Rei, designa o conjunto de desejos amorosos e hostis que o menino enquanto ainda criança experimenta com relação a sua mãe e embora seja muito discutido na área da psicologia e psicanálise não é uma teoria cientificamente aceita por carecer de evidências. O suposto fenômeno psíquico também ocorre nas meninas com relação ao pai, mas a este se dá o nome de Complexo de Electra. Fonte Wikipédia]

No entanto, em termos mais amplos e significativos, o complexo de Édipo é uma miniatura do verdadeiro medo da separação e o complexo de castração é uma maneira de negar que isso tenha ocorrido.

Como todas as pseudo-soluções, esse tipo de pensamento distorcido é muito criativo, mas falso. A Separação TEM ocorrido. Negar isso é meramente usar equivocadamente a negação. No entanto, concentrar-se no erro é apenas mais um uso equivocado dos mecanismos psíquicos legítimos. O verdadeiro procedimento corretivo, que já foi descrito como o uso adequado do Olho Espiritual (ou visão verdadeira), é aceitar o erro temporariamente, MAS APENAS como uma indicação de que a correção IMEDIATA é mandatória. Isso estabelece um estado de espírito no qual a Expiação pode ser aceita sem demora.

Vale a pena repetir que, em última análise, não há compromisso possível entre tudo e nada. A finalidade do tempo é essencialmente um dispositivo pelo qual todo compromisso a esse respeito pode ser abolido. Parece ser abolido aos poucos precisamente porque o próprio tempo envolve um conceito de intervalos que realmente não existem. O uso defeituoso da criação tem tornado isso necessário como um dispositivo corretivo.

‘E Deus amou o mundo de tal maneira que Ele deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a Vida Eterna’ [João 3:16] precisa apenas de uma pequena correção para ser inteiramente significativo nesse contexto. Deveria ler ‘E Deus amou o mundo de tal maneira que Ele o deu PARA O Seu Filho unigênito’. Deve-se notar que Deus gerou apenas UM Filho. Se você acredita que todas as Almas que Deus criou SÃO os Seus Filhos e se você também acredita que a Filiação é Uma Só, então cada Alma TEM QUE ser um Filho de Deus, ou uma parte integral da Filiação. Você não acha difícil entender o conceito de que o todo é maior que as suas partes. Portanto, você não deve ter muita dificuldade com isso. A Filiação em sua Unicidade transcende a soma de suas partes. No entanto, ela perde esse estado especial enquanto qualquer uma de suas partes estiver faltando. É por isso que o conflito não pode ser resolvido até que todas as partes individuais da Filiação retornem. Só então, no verdadeiro sentido, o significado de integridade pode ser entendido.

O conceito de números negativos sempre foi considerado um expediente matemático e não real. (Essa é uma limitação importante na matemática como atualmente entendida.) Qualquer afirmação que implique graus de diferença na negação é essencialmente sem sentido. O que pode substituir essa abordagem negativa é o reconhecimento do fato de que enquanto uma parte (que é o mesmo que um milhão ou dez ou oito mil partes) da Filiação está faltando, ela NÃO está completa.

Na psique Divina, o Pai e o Espírito Santo não são incompletos afinal. A Filiação tem a faculdade única de acreditar no erro, ou incompletude, se assim o desejar. No entanto, é bastante evidente que assim eleger é acreditar na existência do nada. A correção desse erro é a Expiação.”

Prontidão e Realização

“Nós já falamos brevemente sobre a prontidão. Mas há algumas consciências no nível da realidade [awarenesses] adicionais que podem ser úteis. A prontidão nada mais é do que o pré-requisito para a realização.

As duas não devem ser confundidas. Assim que ocorre um estado de prontidão, sempre há algum desejo de realização, mas isso não significa necessariamente que ele não esteja dividido. Esse estado não implica em nada mais do que um potencial para a mudança da mente. A confiança não pode se desenvolver completamente até que a maestria seja alcançada. Nós começamos essa seção com uma tentativa de corrigir o erro humano fundamental de que o medo pode ser dominado. A Correção foi que SOMENTE o amor pode ser dominado. Quando eu lhe disse que você estava ‘pronta para a Revelação’, eu não quis dizer que você de alguma forma domina essa forma de comunicação. No entanto, você mesma atestou a sua prontidão insistindo que eu não teria dito isso se não fosse verdade. Essa é uma afirmação de prontidão. O domínio do amor envolve necessariamente uma confiança muito mais completa na habilidade do que qualquer um de vocês alcançou. Mas a prontidão, pelo menos, é uma indicação de que você acredita que isso é possível. Este é apenas o começo da confiança.

Caso isso seja interpretado equivocadamente como uma afirmação de que uma enorme quantidade de tempo será necessária entre a prontidão e a maestria, eu gostaria de lembrá-la novamente que o tempo e o espaço estão sob o Meu controle.”

Urtext – Manual de Professores (Introdução continuação)

“Ensinar é demonstrar. Existem somente dois sistemas de pensamento e a todo momento demonstras que acreditas que um ou outro é verdadeiro. A partir da tua demonstração outros aprendem e tu também. A questão não é se vais ou não ensinar, pois nisso não há escolha. O propósito do curso é, digamos, prover para ti um meio de escolheres o que queres ensinar com base naquilo que queres aprender. Não podes dar a outra pessoa, mas só a ti mesmo e isso aprendes através do ensino. Ensinar é apenas um chamado para que testemunhas atestem o que acreditas. É um método de conversão. Isso não se faz apenas com palavras. Para ti qualquer situação tem que ser uma oportunidade de ensinar aos outros o que és e o que eles são para ti. Não mais do que isso, mas também nunca menos.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 37

“’ A minha santidade abençoa o mundo.’

Essa idéia contém o primeiro vislumbre da tua verdadeira função no mundo ou da razão pela qual estás aqui. O teu propósito é ver o mundo através da tua própria santidade. Assim, tu e o mundo são abençoados juntos. Ninguém perde, nada é tirado de ninguém; todos ganham através da tua visão santa. Ela significa o fim do sacrifício, pois oferece a cada um tudo o que lhe é devido. E todas as coisas lhe são devidas porque esse é o direito que recebeu ao nascer como um Filho de Deus.

Não há nenhum outro modo no qual a ideia de sacrifício possa ser removida do pensamento do mundo. Qualquer outro modo de ver inevitavelmente exigirá pagamento de alguém ou de alguma coisa. Como resultado, aquele que percebe perderá. E nem sequer terá alguma ideia da razão pela qual está perdendo. E, no entanto, é através da tua visão que a integridade do outro é restituída à sua consciência. A tua santidade abençoa a ele não lhe pedindo nada. Aqueles que se vêem íntegros não fazem exigências.

A tua santidade é a salvação do mundo. Ela te permite ensinar ao mundo que tu e ele são um só, não através de sermões ou de explicações, mas meramente através do teu quieto reconhecimento de que, na tua santidade todas as coisas são abençoadas junto contigo.

Hoje, os quatro períodos mais longos de exercícios, cada um envolvendo de três a cinco minutos de prática, têm início com a repetição da ideia para o dia de hoje, seguida de mais ou menos um minuto no qual olhas ao teu redor enquanto aplicas a ideia a qualquer coisa que vês:

‘A minha santidade abençoa essa cadeira.’

‘A minha santidade abençoa aquela janela.’

‘A minha santidade abençoa esse corpo.’

Em seguida, fecha os olhos e aplica a ideia a qualquer pessoa que te ocorra, usando o seu nome e dizendo:

‘A minha santidade o(a) abençoa (nome).’

Podes continuar o período de prática com os olhos fechados; podes abrir os olhos novamente e aplicar a ideia para o dia de hoje ao teu mundo exterior, se assim o desejares; podes alternar aplicando a ideia ao que vês à tua volta e àqueles que estão nos teus pensamentos, ou podes usar qualquer combinação dessas duas fases de aplicação que preferires. O período de prática deve ser concluído com uma repetição da ideia, com os olhos fechados, imediatamente seguida de outra repetição com os olhos abertos.

Os exercícios mais curtos consistem em repetir a ideia tão frequentemente quanto puderes. É particularmente útil aplicá-la em silêncio a qualquer pessoa que encontrares, usando o seu nome ao fazê-lo. É essencial usar a ideia se alguém parece causar-te uma reação adversa. Oferece-lhe a bênção da sua santidade imediatamente para que possas aprender a mantê-la na tua própria consciência [no nível da realidade; awareness].”

—–

Imagem jochen-van-wylick-ex0pl-zo7NM-unsplash.jpg – 21 de outubro de 2022

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x