Tendo como base a ideia e a proposta do livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance, o objetivo dessa série de artigos do Projeto OREM® – OREM3 é analisarmos todo o material disponível e relevante sobre o Livro de Exercícios de Um Curso em Milagres para cada exercício diário, de maneira a auxiliar e facilitar o entendimento sobre o sistema de pensamento do Curso.

Para cada dia de estudo, nós estaremos incluindo também uma parte relevante do livro Texto, uma parte relevante do Material Suplementar (Cadernos de Taquigrafia de Helen Schucman e Versão Urtext de UCEM), alguns artigos relevantes de Professores Avançados e as próprias lições do Livro de Exercícios para cada dia (365 dias).

Lembrando que grande parte dos materiais suplementares (cadernos de taquigrafia de Helen e versão Urtext de UCEM), que constarão nessa série de artigos, não foram considerados na edição final de Um Curso em Milagres, por terem sido considerados “muito pessoais” pela equipe responsável pela edição1, porém importantes como material complementar, como nós veremos a seguir, por se tratar da ensinamentos compartilhados pelo autor do livro (Jesus).

Veja detalhes em artigo na Categoria “Um Curso em Milagres” de número 12 – “As versões iniciais e a edição de UCEM”.

Como diz Jeff Nance, “milagres não faltam!”

Nota: Nós consideramos que o estudante se beneficiará dessa série de artigos do Projeto OREM® a partir do momento que, já tendo concluída a leitura do livro Texto, realizado os exercícios e práticas do Livro de Exercícios e concluída a leitura do Manual de Professores, estará, portanto, nesse momento, retomando uma segunda rodada de conhecimento e entendimento do sistema de pensamento de Um Curso em Milagres (UCEM).

“Esse curso é um começo, não um fim…” (T-Prefácio)

Tradução livre Projeto OREM®

Dia 61

“As criações de Deus não criam mitos, muito embora os esforços criativos do homem podem se transformar em mitologia, mas apenas sob uma condição. O que o homem então faz não é mais criativo. Os mitos são inteiramente percepções e são tão ambíguos na forma e tão caracteristicamente bons e maus na natureza, que o mais benevolente entre eles não deixa de ter componentes temerosos, mesmo que apenas em insinuações.

Mitos e mágica estão intimamente associados, pois os mitos geralmente estão relacionados às origens do ego e a mágica aos poderes que o ego atribui a si mesmo. Todo sistema mitológico inclui um relato da ‘criação’ e associa isso à sua percepção particular da mágica.

A ‘luta pela sobrevivência’ nada mais é do que a batalha do ego para preservar a si mesmo e a sua interpretação de seu próprio começo. Esse começo está sempre associado ao nascimento físico, porque ninguém sustenta que o ego existia antes desse ponto no tempo. Os religiosos orientados para o ego tendem a acreditar que a Alma existia antes e continuará a existir depois, após um lapso temporário na vida do ego. Alguns realmente acreditam que a Alma será punida por esse lapso, mesmo que na realidade possivelmente não pudesse saber nada sobre isso.

O termo ‘salvação’ NÃO se aplica à Alma, que não está em perigo e não precisa ser salva. A salvação nada mais é do que ‘mentalidade certa’ que NÃO é a mentalidade Una da Alma, mas que tem que ser atingida antes que a mentalidade Una possa ser restaurada. A mentalidade certa dita o próximo passo automaticamente, porque a percepção certa é uniformemente sem ataque, de modo que a mentalidade errada é obliterada. O ego não pode sobreviver sem julgamento e, em consequência disso, é deixado de lado. A mente, então, tem apenas UMA direção na qual pode se mover.

As direções que a mente tomará são sempre automáticas, porque elas não podem EXCETO ser ditadas pelo sistema de pensamento ao qual ela adere. Todo sistema de pensamento tem consistência INTERNA e isso fornece uma base para a continuidade do comportamento. No entanto, isso ainda é confiabilidade e NÃO validade. O comportamento confiável é uma percepção significativa, no que diz respeito ao pensamento do ego. No entanto, o comportamento VÁLIDO é uma expressão inerentemente contraditória, porque a validade é um FIM e o comportamento é um MEIO. Esses não podem ser combinados logicamente, porque quando um fim é alcançado, os meios para alcançá-lo não são mais significativos.

Os construtores de testes reconhecem que existem diferentes tipos de validade e também que eles são de ordens diferentes. Isso significa que eles não denotam a verdade e não fingem denotar isso. A validade do teste pode ser julgada pela lógica, pela teoria e pela prática, cada uma sendo considerada como uma dimensão diferente. Em cada caso, a quantidade de confiança é expressa em alguma forma de porcentagem, quantitativamente ou meramente em termos de ‘alta’, moderada e baixa. Porém uma hipótese é testada como verdadeira ou falsa, para ser aceita ou rejeitada de acordo. Se ela for comprovada, ela se torna um fato, após o que ninguém tenta avaliá-la, a menos que o seu status COMO fato seja questionado.

TODA ideia a que o ego concedeu o status de fato é questionável, porque os fatos estão no domínio do conhecimento. Confundir os domínios do discurso é um erro de pensamento que os filósofos reconhecem há séculos. Os psicólogos geralmente são bastante deficientes a esse respeito, assim como muitos teólogos. Os dados de um domínio do discurso não significam nada em outro, porque só podem ser entendidos DENTRO dos sistemas de pensamento dos quais fazem parte. É por isso que os psicólogos estão se concentrando cada vez mais no ego, na tentativa de unificar os seus dados claramente não relacionados. Não é preciso dizer que uma tentativa de relacionar o não relacionado não pode ter sucesso.

A ênfase ecológica recente é apenas uma maneira mais engenhosa de tentar impor ordem ao caos. Nós já creditamos ao ego considerável engenhosidade, embora não com criatividade. Mas deve-se sempre lembrar que a inventividade é realmente um esforço desperdiçado, mesmo em suas formas mais engenhosas. Nós não temos que EXPLICAR nada. É por isso que nós não precisamos nos preocupar com inventividade. A natureza altamente específica da invenção não é digna da criatividade abstrata das Criações de Deus.”

Amor sem Conflito

[FIP T-4.III.]

“Quando Helen ler isso para você, Bill, tente ouvir com muita atenção. Você nunca entendeu o que significa ‘O Reino do Céu está dentro de você’. A razão pela qual você não pode entendê-lo é porque NÃO é compreensível para o ego, que interpreta essa afirmação como se algo de fora estivesse dentro, o que isso não significa nada. A palavra ‘dentro’ é desnecessário. O Reino do Céu É você.

O que mais, ALÉM de você foi criado pelo Criador e o que mais além de você É o Seu Reino? Essa é toda a mensagem da Expiação, uma mensagem que em sua totalidade transcende a soma de suas partes que nós abordamos antes. O Natal não é uma época; ele é um estado da mente. A Mente Crística dispõe da Alma, não do Ego e a Mente Crística É sua.

Você também tem um Reino que a sua Alma criou. Ele não cessou de criar porque o seu ego o colocou no caminho da percepção. As criações de sua Alma não são mais órfãs de pai do que você é. O seu ego e a sua Alma nunca serão co-criadores, mas a sua Alma e o SEU Criador SEMPRE serão. Tenha certeza em que as suas criações estão tão seguras quanto você está.

O Reino é perfeitamente unido e perfeitamente protegido e o ego não prevalecerá contra ele. Amém.

Isso foi escrito dessa forma porque é bom usar como uma espécie de oração em momentos de tentação. É uma declaração de independência1. Vocês dois acharão isso muito útil se o entenderem completamente.”

[1Referência a um importante documento na História Americana.]

Urtext – Manual de Professores (Quais são as Características dos Professores de Deus? cont.,)

B. Honestidade cont.,

“A paz da mente que experimentam os professores de Deus avançados se deve em grande parte à sua perfeita honestidade. Só o desejo de enganar é que faz a guerra. Ninguém em unidade consigo mesmo é capaz de sequer conceber o conflito. O conflito é o resultado inevitável do autoengano e o autoengano é desonestidade. Não há nenhum desafio para um professor de Deus. Desafio implica

dúvida e a confiança na qual os professores de Deus descansam em segurança faz com que a dúvida seja impossível. Por conseguinte, só podem ter sucesso. Nisso, como em todas as coisas, são honestos. Só podem ter sucesso porque nunca fazem a própria vontade sozinhos. Escolhem por toda a humanidade, por todo o mundo e por todas as coisas dentro dele, pelo que não muda e permanece imutável além das aparências, pelo Filho de Deus e pelo seu Criador. Como poderiam não ter sucesso? Escolhem em perfeita honestidade, seguros da sua escolha tanto quanto de si mesmos.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 61

“’Eu sou a luz do Mundo.’

Quem é a luz do mundo senão o Filho de Deus? Essa é apenas uma declaração da verdade sobre ti mesmo. É o oposto de uma declaração de orgulho, de arrogância ou de autoengano. Não descreve o conceito de ti mesmo que tens feito, não se refere a nenhuma das características com as quais dotaste teus ídolos. Refere-se a ti tal como foste criado por Deus. Simplesmente declara a verdade.

Para o ego, a ideia de hoje é o epítome da autoglorificação. Mas o ego não compreende a humildade, tomando-a equivocadamente por auto degradação. A humildade consiste em aceitar o teu papel na salvação e em não assumir nenhum outro. Não é humildade insistir que não podes ser a luz do mundo, se essa é a função que Deus designou para ti. Só a arrogância afirmaria que essa função não pode ser para ti, e a arrogância é sempre do ego.

A verdadeira humildade requer que aceites a ideia de hoje porque é a Voz de Deus que te diz que ela é verdadeira. Esse é um passo inicial para aceitar a tua real função na terra. É um passo gigantesco no sentido de assumir o teu lugar de direito na salvação, é uma afirmação positiva do teu direito de ser salvo e um reconhecimento do poder que te é dado para salvar os outros.

Tu vais querer pensar sobre essa ideia com a maior frequência possível hoje. É a resposta perfeita para todas as ilusões e, portanto, para toda a tentação. Ela traz à verdade todas as imagens que tens feito de ti mesmo e te ajuda a ir em paz, aliviado da tua carga e certo do teu propósito.

Tantos períodos de prática quantos forem possíveis devem ser empreendidos hoje quantos forem possíveis devem ser empreendidos hoje, embora cada um deles não precise ultrapassar um ou dois minutos. Deves começar dizendo a ti mesmo:

‘Eu sou a luz do mundo. Essa é a minha única função. É por isso que estou aqui.’

Em seguida pensa nestas declarações por um momento, de preferência com os olhos fechados, se a situação permitir. Deixa que alguns pensamentos correlatos venham a ti e repete a ideia para ti mesmo se a tua mente se desviar do pensamento central.

Certifica-se de começar e terminar o dia com um período de prática. Assim, acordarás com o reconhecimento da verdade sobre ti mesmo, tu a reforçarás ao longo do dia e voltarás a dormir enquanto reafirmas a tua função e o teu único propósito aqui. Estes dois períodos de prática podem ser mais longos que os outros, se achá-los úteis e quiseres estendê-los.

A ideia de hoje vai muito além das perspectivas mesquinhas do ego sobre o que és e qual é o teu propósito. Como um portador da salvação, isso é obviamente necessário. Esse é o primeiro de vários passos gigantescos que daremos nas próximas semanas. Tenta começar a construir hoje um alicerce firme para estes avanços. Tu és a luz do mundo. Deus construiu o Seu plano para a salvação do Seu Filho sobre ti.”

O QUE O CURSO DIZ SOBRE QUEM NÓS REALMENTE SOMOS?

“Para responder a essa questão, buscamos inspiração em artigo do professor Greg Mackie, intitulado “The glory of who we really are” [“A glória de quem nós realmente somos”], que transcrevemos trechos em tradução livre para a nossa reflexão.

O artigo completo em inglês poderá ser acessado no site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

“Nós, estudantes do Curso, passamos muito tempo olhando para os nossos egos e entrando em contato com a escuridão do mundo do ego.

Esse é um trabalho vital; como o Curso diz:

Ninguém pode escapar das ilusões a não ser que olhe para elas, pois não encará-las é a forma de protege-las (T-11.V.1:1).

No entanto, é igualmente vital olhar para o outro lado: a glória de quem nós realmente somos.

Sem lembretes frequentes de nosso verdadeiro Ser radiante, olhar para a bagunça que nós pensamos que fizemos de nós mesmos pode ser terrivelmente deprimente.

Para fornecer a mim mesmo com tais lembretes, eu compilei uma lista de algumas das melhores descrições do Curso de nosso verdadeiro Ser.

Coloquei todas as passagens na primeira pessoa e frequentemente repassei a lista como um exercício para lembrar a minha santidade.

Também apliquei a lista aos meus irmãos, especialmente aqueles contra os quais tenho feito queixas.

Eu estou muito feliz em informar que isso foi um grande avanço para mim. Eu experimentei uma mudança real na percepção, que trouxe muita paz e alegria.

Por esta razão, eu quero compartilhar essas passagens com você e convidá-lo a repeti-las, aplicá-las a você mesmo e a seus irmãos e se aquecer na luz do sol de sua verdadeira Identidade assim como Deus o criou. Aprecie!

Passagens do Curso que descrevem a glória de quem nós realmente somos

Abaixo está a lista que tenho usado. Claro, isso nem mesmo começa a incluir todas as belas descrições do Curso de nossa verdadeira natureza. Eu a chamo de minha coleção de ‘maiores sucessos’.

Eu classifiquei vagamente as passagens, apenas para fornecer uma estrutura para nos ajudar a explorá-las de forma mais completa. Como ficará evidente, as categorias se sobrepõem muito.

Eu sou o Filho de Deus, um ser absolutamente perfeito a quem Deus ama com um amor infinito

Eu sou o Filho de Deus, completo, curado e íntegro, brilhando no reflexo do Seu Amor. Em mim a Sua criação é santificada e a vida eterna é garantida. Em mim o amor vem a ser perfeito, o medo impossível e a alegria é estabelecida sem opostos. Eu sou o lar santo do próprio Deus. Eu sou o Céu onde habita o Seu Amor. Sou a Sua santa impecabilidade, pois na minha pureza habita a Sua própria. (LE-pII.14.1:1-6)

Pai, o Teu Filho é santo. Eu sou aquele a quem sorris com amor e com tão profunda e serena ternura que o universo sorri de volta a Ti e compartilha da Tua Santidade. Quão puros, seguros e santos somos nós habitando no Teu Sorriso, com todo o Amor que Tu nos concedeste, vivendo e sendo unos Contigo em fraternidade e Paternidade completas; em impecabilidade tão perfeita, que o Senhor da Impecabilidade nos concebe como Seu Filho, um universo de Pensamento que O completa. (LE-pII.341:1-3)

Alguns temas se destacam para mim nessas passagens.

Um é a perfeição absoluta de quem nós somos. Como Filho de Deus, nós temos todos os atributos positivos em um grau absoluto – não há nem mesmo o menor indício de nada menos do que perfeito em nós.

O outro tema é o amor infinito de Deus por nós. Este amor é tão perfeito quanto os nossos atributos, tão perfeito que é impossível

…que o Seu Amor seria capaz de abrigar a mais leve sugestão de ódio, que a Sua gentileza pudesse em algum momento se transformar em ataque e que a Sua paciência eterna pudesse às vezes falhar. (T-29.I.1:5)

Como essa imagem se compara à maneira como normalmente nós consideramos os nossos atributos e o Amor de Deus?

Eu sou a luz do Céu e a luz do mundo

A minha verdadeira Identidade é tão segura, tão sublime, sem pecado, gloriosa e grande, inteiramente benéfica e livre de culpa, que o Céu volta-se para Ela para Lhe dar luz. Ela também ilumina o mundo. É a dádiva que o meu Pai me deu e que eu também dou ao mundo. (LE-pII.224.1:1-3)

Sou aquele que o meu Pai ama. A minha santidade continua sendo a luz do Céu e o Amor de Deus. (LE-pII.283.1:4-5)

Como você se sente quando é informado de que o Céu espera que você o ilumine?

Normalmente nós pensamos em Deus como a luz do Céu e Ele é. Mas Ele nos ama tanto que nos infundiu com a Sua luz, tornando-nos tão gloriosos que nós somos a luz do Céu.

E essa luz brilha mesmo aqui na terra, se nós tivermos olhos para vê-la.

O nosso objetivo aqui é fazer com que essa luz brilhe através de nós para todos os que se sentem aprisionados nas trevas:

Eu sou a luz do mundo. Essa é a minha única função. É por isso que estou aqui. (LE-pI.61.5:3-5)

Eu sou mais santo do que a minha capacidade de imaginar, mas a vontade que eu compartilho com a de Deus conhece a minha santidade

O meu Ser é mais santo do que todos os pensamentos de santidade que eu agora concebo. O seu cintilar e a sua perfeita pureza são mais brilhantes do que qualquer luz que eu jamais contemplei. O seu amor é sem limites, com uma intensidade que contém a si mesma todas as coisas na calma da certeza que habita em quietude. A sua força não vem dos impulsos ardentes que movem o mundo, mas do infinito Amor do próprio Deus. Quão além desse mundo meu Ser tem que estar e, no entanto, quão próximo de mim e quão perto de Deus! (LE-pII.251.1:1-5)

A minha santidade está muito além da minha própria capacidade de compreender ou conhecer. Entretanto, Deus meu Pai Que a criou reconhece a minha santidade como a Sua. A nossa Vontade conjunta a compreende. A nossa Vontade conjunta tem o conhecimento de que isso é assim. (LE-pII.299.1:1-4)

Qual é a coisa mais santa que você pode imaginar? Eu penso em Jesus.

Nós somos mais santos do que isso – não realmente nós somos mais santos do que Jesus, mas nós somos mais santos do que imaginamos que Jesus seja.

Qual é a luz mais brilhante que você já viu? Eu penso no sol, que é tão forte que nós não podemos olhar diretamente para ele.

Nós somos mais brilhantes do que isso, mas a nossa luz tem uma intensidade calma e silenciosa, ela não cega.

A sua fonte de energia não são os impulsos febris desse mundo, mas o amor radiante de Deus.

E embora a nossa santidade esteja muito além de nossa imaginação e além do mundo, ela está verdadeiramente mais perto de nós do que qualquer outra coisa.

Quando nós entrarmos em contato com a Vontade que nós compartilhamos com Deus, não apenas poderemos imaginar a nossa santidade, mas nós saberemos disso.

Aos olhos de Jesus, eu sou tão santo quanto ele

Mas aos seus olhos [de Jesus], a tua amabilidade é tão completa e sem mancha que nela vê uma imagem do seu Pai. Tu vens a ser o símbolo do seu Pai aqui na terra. Ele olha para ti em busca da esperança, pois não vê em ti nenhum limite, nem mancha alguma que macule a tua bela perfeição. (MP-23.5:5-7)

Eu sou totalmente adorável. Um raio perfeito de pura luz. Diante da minha formosura, as estrelas ficam paralisadas e se curvam ao poder de minha vontade. … Eu, que sou a imagem do Pai, preciso curvar-me somente a Ele, diante de quem Jesus se ajoelha comigo. (Urtext; alterado para primeira pessoa)

A quem normalmente de fato nós aplicamos as descrições da primeira passagem? Tradicionalmente, elas são aplicados a Jesus. No entanto, aqui, Jesus vira o jogo e aplica isso a nós.

Nós somos o Filho perfeito de Deus, a imagem do Pai, o símbolo de Deus na terra, a esperança de salvação do mundo – tanto que, em vez de nós nos ajoelharmos diante de Jesus, nós e Jesus, juntos, nos ajoelhamos diante de Deus.

Eu ainda sou o Filho perfeito de Deus, não importa o que eu pense que fiz a mim mesmo

Por que eu não ficaria cheio de alegria sendo assegurado que todo o mal que eu penso que fiz nunca foi feito, que todos os meus pecados não são nada, que eu sou tão puro e santo quanto eu fui criado e que a luz e a alegria e a paz habitam em mim? (LE-pI.93.4:1 – adaptado e alterado para a primeira pessoa)

O que em Sua Vontade o meu Pai quer de mim não pode mudar nunca. A verdade em mim permanece tão radiante quanto uma estrela, tão pura quanto a luz, tão inocente quanto o próprio amor. (T-31.VI.7:3-4 – alterado para a primeira pessoa)

…Eu ainda sou Seu Filho santo, para sempre inocente, para sempre amoroso e para sempre amado, tão ilimitado quanto o meu Criador… Tu es o meu Pai e eu sou Seu Filho. (LE-pII.10.5:1, 3 – alterado para a primeira pessoa)

Nós podemos pensar: ‘Tudo bem, eu posso aceitar a ideia de que eu comecei como um ser puro e santo, mas eu fiz tantas coisas terríveis desde então que me corrompi irreparavelmente.”

No entanto, a promessa do Curso é que nós ainda somos como Deus nos criou. Todas essas coisas horríveis que pensamos ter feito são pura ilusão, sem nenhum efeito em nossa Identidade como o Filho perfeito de Deus. Graças a Deus!

Benefícios de entrar em contato com a glória de quem nós realmente somos

Eu tenho certeza de que nós podemos pensar em muitos benefícios. Aqui eu mencionarei apenas dois que pareceram especialmente significativos para mim à medida que eu tenho trabalhado com as passagens.

Isso termina o ‘autoprojeto

Se realmente nós entendêssemos o que essas passagens estão nos dizendo sobre nós mesmos, isso puxaria completamente o tapete do projeto de autoaperfeiçoamento de que nós temos falado.

Esse projeto está enraizado na crença de que nós fizemos o nosso ser, nós fizemos um trabalho terrível e, portanto, nós precisamos trabalhar duro para consertá-lo e torná-lo santo.

Mas, de acordo com essas passagens, Deus criou o nosso Ser, Ele o criou perfeito e, portanto, tudo o que nós precisamos fazer é aceitar o Ser santo que nós já somos.

Trabalhar com essas passagens é uma ótima maneira de fazer isso.

Isso nos dá o incentivo e a fé de que nós precisamos para ser verdadeiramente úteis aos nossos irmãos

Esse é um benefício de entender o que essas passagens nos dizem sobre os nossos irmãos. Por mais que nós não gostemos de admitir, eu penso que uma grande parte de nós não acha que os outros são muito amáveis ​​e não tem muita fé neles.

Nós temos um cínico em nós que diz que as pessoas são inerentemente egoístas, imperfeitas e que inevitavelmente farão besteira.

Essa parte cínica de nós não acredita na bondade e santidade das pessoas.

Com essa atitude, por que nós realmente desejaríamos ajudá-los? E mesmo se nós quiséssemos ajudá-los, quão eficaz seria a nossa ajuda quando nós os desprezássemos e não confiássemos que eles usariam a nossa ajuda com sabedoria?

Essas passagens são o antídoto perfeito para essa atitude, porque elas se opõem diretamente à nossa falta de amor e fé nas pessoas com uma visão que desperta amor e fé.

Enquanto nós estivermos apenas olhando para as aparências, a nossa atitude cínica é virtualmente inevitável – o mundo está realmente cheio de, como Robert coloca, ‘corpos se comportando mal’.

Mas essas passagens abrem os nossos olhos para uma visão de nossos irmãos que vai além das aparências inteiramente, revelando um verdadeiro Ser compartilhado que é puro, radiante e santo além de nossas imaginações mais selvagens.

Quem não gostaria de ajudar seres tão lindos e amáveis? E quão mais eficaz seria a nossa ajuda se realmente nós víssemos a bondade e a santidade das pessoas e nós tivéssemos perfeita fé para usar a nossa ajuda de uma forma que contribuísse para a salvação do mundo?

Como nós podemos realmente experimentar a glória de quem nós realmente somos?

Quando apresentei esse material em aula, um participante fez uma ótima pergunta.

Ele prefaciou dizendo que embora acreditasse intelectualmente no que essas passagens descrevem, ele nunca havia realmente experimentado por si mesmo.

A pergunta: Como nós podemos passar da mera aceitação intelectual da visão exaltada do Curso sobre nós para uma consciência real e experiencial da glória de quem nós realmente somos?

Eu ofereci uma resposta em duas partes.

Primeiro, eu disse que provavelmente cada um de nós teve alguma experiência de nosso glorioso Ser verdadeiro, por mais fraca e passageira que seja e uma maneira de entrar em contato com essa experiência agora é fazer um esforço consciente para lembrar os tempos que nós experienciamos isso no passado.

Segundo, eu disse que a jornada da aceitação intelectual à experiência de vida é exatamente o que o Curso foi projetado para facilitar. Ele nos dá um programa estruturado de treinamento mental com um regime de prática disciplinado para nos ajudar a experienciar por nós mesmos a magnífica realidade que ele descreve.

Todo o propósito dessa aula, na verdade, foi compartilhar a prática de repetir essas passagens, uma prática que pode despertar essa experiência.

Essa resposta levou a uma discussão na qual vários participantes compartilharam que haviam experienciado vislumbres da glória de que o Curso está falando.

Nós especulamos que quase todos os que foram atraídos pelo Curso provavelmente tiveram algumas experiências desse tipo.

Por que mais uma pessoa estaria motivada a trilhar o caminho do Curso?

O homem que fez a pergunta original concordou e depois compartilhou algo que comoveu a todos nós. Ele queria nos assegurar que sim, ele experienciou por si mesmo o que nós estávamos falando. Ele tinha se esquecido disso, mas a partilha na classe o ajudou a se lembrar.

Nós percebemos então que existe uma terceira maneira de passar da aceitação intelectual para a consciência experiencial de nossa glória: recorrer ao amor e ao apoio de nossos irmãos que estão trilhando o caminho para Deus conosco.

À medida que nós compartilhamos as nossas experiências da verdade uns com os outros, elas são reforçadas e todos se lembram um pouco mais da maravilhosa realidade que esqueceram.

Toma a mão do teu irmão, pois esse não é um caminho que percorremos sozinhos. (LE-pI.rV.In.9:6)

Eu penso que todos nós saímos da classe gratos a nossos poderosos companheiros pelas dádivas que nós recebemos uns dos outros.

Praticando com essas passagens

Eu listei todas as passagens na última página desse folheto e realmente recomendo que você tente usá-las como uma prática.

Existem duas práticas que você pode fazer:

A primeira é aplicar as passagens a você mesmo. Para fazer isso, recomendo lê-las bem devagar, inserindo seu nome em vários pontos e repetindo quaisquer linhas que tenham um impacto particularmente forte para você. (Você também pode ler as passagens gravadas e depois ouvi-las.) Deixe a mensagem realmente penetrar. Esse não é um ensinamento abstrato; essa é uma descrição verdadeira de você.

A outra prática é aplicar as passagens a seus irmãos, especialmente àqueles contra os quais você guarda queixas. Para esta prática, recomendo trazer à mente um irmão específico e seguir o mesmo procedimento que você usou para aplicar as passagens a si mesmo. (Claro, você terá que mudá-las para a segunda pessoa ‘você’.) Realmente tente deixar de lado quaisquer visões cínicas e negativas que você tenha dessa pessoa e deixe essas linhas brilharem em sua mente, revelando-lhe uma visão de quem ele ou ela realmente é.

A Glória de Quem Nós Realmente Somos

Eu sou o Filho de Deus, completo, curado e íntegro, brilhando no reflexo do Seu Amor. Em mim a Sua criação é santificada e a vida eterna é garantida. Em mim o amor vem a ser perfeito, o medo impossível e a alegria é estabelecida sem opostos. Eu sou o lar santo do próprio Deus. Eu sou o Céu onde habita o Seu Amor. Sou a Sua santa impecabilidade, pois na minha pureza habita a Sua própria. (LE-pII.14.1:1-6)

Pai, o Teu Filho é santo. Eu sou aquele a quem sorris com amor e com tão profunda e serena ternura que o universo sorri de volta a Ti e compartilha da Tua Santidade. Quão puros, seguros e santos somos nós habitando no Teu Sorriso, com todo o Amor que Tu nos concedeste, vivendo e sendo unos Contigo em fraternidade e Paternidade completas; em impecabilidade tão perfeita, que o Senhor da Impecabilidade nos concebe como Seu Filho, um universo de Pensamento que O completa. (LE-pII.341:1-3)

A minha verdadeira Identidade é tão segura, tão sublime, sem pecado, gloriosa e grande, inteiramente benéfica e livre de culpa, que o Céu volta-se para Ela para Lhe dar luz. Ela também ilumina o mundo. É a dádiva que o meu Pai me deu e que eu também dou ao mundo. (LE-pII.224.1:1-3)

Sou aquele que o meu Pai ama. A minha santidade continua sendo a luz do Céu e o Amor de Deus. (LE-pII.283.1:4-5)

O meu Ser é mais santo do que todos os pensamentos de santidade que eu agora concebo. O seu cintilar e a sua perfeita pureza são mais brilhantes do que qualquer luz que eu jamais contemplei. O seu amor é sem limites, com uma intensidade que contém a si mesma todas as coisas na calma da certeza que habita em quietude. A sua força não vem dos impulsos ardentes que movem o mundo, mas do infinito Amor do próprio Deus. Quão além desse mundo meu Ser tem que estar e, no entanto, quão próximo de mim e quão perto de Deus! (LE-pII.251.1:1-5)

A minha santidade está muito além da minha própria capacidade de compreender ou conhecer. Entretanto, Deus meu Pai Que a criou reconhece a minha santidade como a Sua. A nossa Vontade conjunta a compreende. A nossa Vontade conjunta tem o conhecimento de que isso é assim. (LE-pII.299.1:1-4)

Mas aos seus olhos [de Jesus], a tua amabilidade é tão completa e sem mancha que nela vê uma imagem do seu Pai. Tu vens a ser o símbolo do seu Pai aqui na terra. Ele olha para ti em busca da esperança, pois não vê em ti nenhum limite, nem mancha alguma que macule a tua bela perfeição. (MP-23.5:5-7)

Eu sou totalmente adorável. Um raio perfeito de pura luz. Diante da minha formosura, as estrelas ficam paralisadas e se curvam ao poder de minha vontade. … Eu, que sou a imagem do Pai, preciso curvar-me somente a Ele, diante de quem Jesus se ajoelha comigo. (Urtext; alterado para primeira pessoa)

Por que eu não ficaria cheio de alegria sendo assegurado que todo o mal que eu penso que fiz nunca foi feito, que todos os meus pecados não são nada, que eu sou tão puro e santo quanto eu fui criado e que a luz e a alegria e a paz habitam em mim? (LE-pI.93.4:1 – adaptado e alterado para a primeira pessoa)

O que em Sua Vontade o meu Pai quer de mim não pode mudar nunca. A verdade em mim permanece tão radiante quanto uma estrela, tão pura quanto a luz, tão inocente quanto o próprio amor. (T-31.VI.7:3-4 – alterado para a primeira pessoa.)

…Eu ainda sou Seu Filho santo, para sempre inocente, para sempre amoroso e para sempre amado, tão ilimitado quanto o meu Criador… Tu es o meu Pai e eu sou Seu Filho. (LE-pII.10.5:1, 3 – alterado para a primeira pessoa)”

—–

Dia 62

“Em sua forma invertida característica, o ego tomou os impulsos do superconsciente [mente supraconsciente] e os percebe como se eles surgissem no inconsciente [mente subconsciente]. O ego julga o que deve ser aceito e os impulsos do superconsciente são essencialmente inaceitáveis ​​para ele, porque apontam claramente para a inexistência do próprio ego. O ego, portanto, experiencia ameaça e não apenas censura, mas também reinterpreta os dados. No entanto, como Freud apontou muito corretamente, o que você não percebe, você ainda conhece e pode reter uma vida muito ativa ALÉM de sua consciência no nível da realidade [awareness].

A repressão opera, assim, para ocultar não apenas os impulsos mais básicos, mas também os mais elevados da consciência no nível da realidade [awareness] do ego, porque AMBOS são igualmente ameaçadores para o ego e, estando preocupado principalmente com a sua própria preservação em face da ameaça, ele os percebe como o mesmo.

O valor de ameaça do sublime é realmente muito maior para o ego, porque a atração do Próprio Deus dificilmente pode ser equiparada à atração dos apetites humanos.

Ao percebê-los como o mesmo, o ego tenta se salvar de ser varrido, como certamente seria na presença do conhecimento. O nível superior do inconsciente contém, portanto, o chamado de Deus, bem como o chamado do corpo. É por isso que o conflito básico entre amor e medo é inconsciente. O ego não pode tolerar nenhum dos dois e os reprime recorrendo à inibição. A sociedade depende de inibir o primeiro, mas a SALVAÇÃO depende de desinibir o segundo.

A razão pela qual você necessita da minha ajuda é porque você reprimiu o seu próprio guia e, portanto, necessita de orientação. O meu papel é separar o verdadeiro do falso em seu próprio inconsciente, para que ele possa romper as barreiras que o ego estabeleceu e brilhar em suas mentes. Contra a nossa força unida, o ego NÃO PODE prevalecer.

Deve ser bastante evidente para você agora porque o ego considera a Alma como a sua ‘inimiga’. O ego surgiu da Separação e a sua existência continuada depende de sua crença contínua na Separação. Reduzindo os impulsos da Alma ao inconsciente, o ego tem que lhe oferecer algum tipo de recompensa por manter essa crença. Tudo o que pode oferecer em vista de sua própria fraqueza é um senso de existência temporária, que começa com o seu próprio começo e termina com o seu próprio fim. Ele lhe diz que essa vida é a SUA existência porque é a sua própria.

Contra esse senso de existência temporária, a Alma oferece o conhecimento da permanência e do SER inabalável. Ninguém que tenha experienciado a revelação disso pode acreditar plenamente no ego novamente. Como pode o seu parco oferecimento para você prevalecer diante da dádiva gloriosa de Deus?

Vocês que se identificam com os seus egos não podem acreditar que Deus ama vocês. VOCÊ não ama o que você tem feito e o que você tem feito não ama você. Os egos estão preocupados com proteção, não com amor. Sendo feito da negação do Pai, o ego não tem nenhuma fidelidade COM QUEM O FEZ. Você não pode conceber o relacionamento verdadeiro que existe entre Deus e as Suas Almas, por causa do ódio que você sente pelo ser que você fez. Você projeta em sua própria ideia de si mesmo a vontade de se separar, o que entra em conflito com o amor que você sente pelo ego pelo fato de você o ter feito.

Nenhum amor humano existe sem essa ambivalência e como nenhum ego experienciou o amor SEM ambivalência, o conceito está além da sua compreensão. O amor entrará imediatamente em qualquer mente que realmente o queira, mas é preciso que ela o queira  verdadeiramente. Isso significa que ela o queira SEM ambivalência e esse tipo de querer está totalmente isento da ‘compulsão para receber’ que o ego tem.

Existe um tipo de experiência que é tão diferente de qualquer coisa que o ego pode oferecer que você nunca esconderá de novo. A palavra é usada literalmente aqui – você nunca mais poderá se esconder. É necessário repetir com bastante frequência que a sua crença na escuridão e no esconderijo é o motivo pelo qual a luz não pode entrar.

A Bíblia tem muitas referências às dádivas imensuráveis ​​que são para você, mas que VOCÊ tem que pedir. Essa não é a condição como as condições que o ego estabelece. É a condição gloriosa do que você É. Nenhuma força, exceto a sua própria vontade, é suficientemente forte ou suficientemente digna para guiar você. Nisso você é tão livre quanto Deus e tem que permanecer assim para sempre.

Você nunca pode ser obrigado, exceto em honra e isso é sempre voluntário. Vamos pedir ao Pai em meu nome para manter a sua mente plena do Seu Amor por você e o seu por Ele. Ele nunca falhou em responder a esse pedido, pois ele só pede o que já é a Sua Vontade. Aqueles que chamam verdadeiramente SEMPRE são respondidos.

Nota: Helen ficou com muito medo aqui e pensou vagamente que a resposta era: ‘Não terás outros deuses diante de mim, porque não HÁ nenhum. Você ainda acha que existem.’

Nenhuma força, exceto a sua própria vontade, é suficientemente forte ou suficientemente digna para guiar você. Nisso você é tão livre quanto Deus e tem que permanecer assim para sempre.”

Urtext – Manual de Professores (Quais são as Características dos Professores de Deus? cont.,)

C. Tolerância

“Os professores de Deus não julgam. Julgar é ser desonesto, pois julgar é assumir uma posição que não tens. É impossível haver julgamento sem autoengano. O julgamento implica que tens te enganado nos teus irmãos. Como, então, poderias não ter te enganado consigo mesmo? O julgamento implica falta de confiança e a confiança continua sendo a estrutura sobre a qual se baseia todo o sistema de pensamento do professor de Deus. Deixa que isso se perca e todo o teu aprendizado se vai. Sem julgamento todas as coisas são igualmente aceitáveis, pois quem poderia julgar de outra maneira? Sem julgamento, todos os homens são irmãos, pois quem haveria de estar separado? O julgamento destrói a honestidade e despedaça a confiança. Nenhum professor de Deus pode julgar e esperar aprender.

(Fim de Tolerância)”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 62

“’ O perdão é minha função como a luz do mundo.’

É o teu perdão que trará o mundo das trevas até à luz. É o teu perdão que permite que reconheças a luz na qual vês. O perdão é a demonstração de que és a luz do mundo. Através do teu perdão, a verdade sobre ti mesmo retorna à tua memória. Portanto, é no teu perdão que está a tua salvação.

As ilusões sobre ti mesmo e sobre o mundo são uma só. É por essa razão que todo o perdão é uma dádiva para ti mesmo. A tua meta é descobrir quem és, tendo negado a tua Identidade por atacar a criação e o seu Criador. Agora estás aprendendo como lembrar da verdade. Para isso, o ataque tem que ser substituído pelo perdão, a fim de que pensamentos de vida possam substituir pensamentos de morte.

Lembra-te de que a cada ataque invocas a tua própria fraqueza, enquanto que a cada vez que perdoas invocas a força de Cristo em ti. Será que não estás começando a compreender o que o perdão fará por ti? Removerá da tua mente toda sensação de fraqueza, tensão e fadiga. Afastará todo o medo, culpa e dor. Restaurará a invulnerabilidade e o poder que Deus deu ao Seu Filho à tua consciência [no nível da realidade; awareness].

Vamos ficar contentes por começar e terminar este dia praticando esta ideia e por usá-la tão frequentemente quanto possível ao longo do dia. Ela ajudará a fazer o dia tão feliz para ti quanto Deus quer que sejas. E ajudará a todos à tua volta, assim como àqueles que parecem estar longe no espaço e no tempo a compartilharem essa felicidade contigo.

Com tanta frequência quanto puderes, se possível fechando os olhos, dize hoje para ti mesmo:

‘O perdão é minha função como a luz do mundo.’

‘Quero cumprir a minha função para que eu possa ser feliz.’

Em seguida, dedica dois minutos a considerar a tua função e a felicidade e a liberação que ela te trará. Deixa pensamentos correlatos virem livremente, pois o teu coração reconhecerá estas palavras e em tua mente está a consciência [no nível da realidade; awareness] de que são verdadeiras. Se a tua atenção se desviar, repete a ideia e acrescenta:

‘Quero me lembrar disso porque quero ser feliz.’”

—–

Imagem amit-jain-FYGEA9aezAw-unsplash.jpg – 1 de novembro de 2022

Dawki, Meghalaya, Cherrapunjee, India – Published on March 19, 2019

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
1
0
Would love your thoughts, please comment.x