…continuação da Parte III…

Edição Completa da Seção I do Capítulo 1 do livro Texto

FIP 48. O milagre é o único instrumento a tua disposição imediata para controlar o tempo. Só a revelação o transcende, não tendo absolutamente nada a ver com o tempo.

  • CAE 48. “O milagre é o único instrumento à tua disposição imediata” para controlar o tempo. O trabalhador em milagres, portanto, usa esse instrumento com prazer, sabendo “que cada colapso do tempo aproxima todos da liberação final do tempo, na qual o Filho e o Pai são um [só]” (T-1.48.4:3).
  • CRP: “Os maiores efeitos dos milagres. Os milagres têm efeitos muito além da interação imediata do doador e do receptor. Eles tornam possível a cooperação e, com ela, a realização coletiva. Cada um libera várias pessoas, estabelecendo ‘uma cadeia interligada de perdão’ (T-1.24.1:1). Eles curam as pessoas à distância, tanto quando o milagre parecia desperdiçado no receptor, como quando o milagre parecia nunca ter sido expresso. Eles promovem o colapso do tempo e, assim, aproximam o dia em que todas as mentes se unirão em Cristo e o tempo acabará.”
  • URT T 1 B 41e. O milagre é o único dispositivo que o homem possui à sua imediata disposição para controlar o tempo. Somente a Revelação o TRANSCENDE, não tendo nada a ver com o tempo. O milagre é muito parecido com o corpo, em que ambos são auxiliares de aprendizagem que visam facilitar um estado em que eles são desnecessários. Quando a alma está finalmente no estado original de comunicação direta, nem o corpo nem o milagre servem a qualquer propósito.
  • OE T.1.I.51.85. O milagre é o único dispositivo de que o homem tem à sua imediata disposição para controlar o tempo. Apenas a revelação transcende o tempo, não tendo absolutamente nada a ver com o tempo.
  • OE T.1.I.51.86. O milagre é muito parecido com o corpo no sentido de que ambos são auxiliares de aprendizagem que visam facilitar um estado em que são desnecessários. Quando o estado original de comunicação direta da Alma é alcançado, nem o corpo nem o milagre servem a qualquer propósito. Enquanto ele acredita que está em um corpo, entretanto, o homem pode escolher entre canais de expressão sem amor e milagrosos. Ele pode fazer um alarme falso, mas não pode expressar absolutamente nada. Ele pode esperar, atrasar, paralisar a si mesmo, reduzir a sua criatividade a quase nada e até introduzir uma interrupção do desenvolvimento ou mesmo uma regressão. Mas ele não pode abolir a sua criatividade. Ele pode destruir o seu meio de comunicação, mas não o seu potencial.
  • OE T.1.I.51.87. O homem não foi criado apenas por sua livre vontade. Só o que ele cria é seu para decidir. A decisão básica da mente voltada para milagre é não esperar na hora mais do que o necessário. O tempo tanto pode desperdiçar quanto ser desperdiçado. O trabalhador em milagres, portanto, aceita o fator de controle do tempo com alegria, porque reconhece que cada colapso do tempo aproxima todos os homens da liberação final do tempo em que o Filho e o Pai são um [só].
  • OE T.1.I.51.88. Igualdade de fato não implica homogeneidade agora. Quando todos reconhecerem que têm tudo, as contribuições individuais para a Filiação não serão mais necessárias. Quando a Expiação for concluída, todos os talentos serão compartilhados por todos os Filhos de Deus. Deus não é parcial. Todos os Seus filhos têm o Seu amor total e todos os Seus dons são dados gratuitamente a todos. “A menos que se tornem como criancinhas” significa que, a menos que reconheçam plenamente a sua total dependência de Deus, não podem conhecer o verdadeiro poder do Filho em seu verdadeiro relacionamento com o Pai.
  • OE T.1.I.51.89. Você que deseja paz só pode encontrá-la pelo perdão completo. Você nunca quis realmente a paz antes, então não fazia sentido ouvir como alcançá-la. Nenhum aprendizado é adquirido por ninguém, a menos que ele queira aprender e acreditar de alguma forma que precisa dele. Embora o conceito de falta não exista na criação de Deus, é muito aparente nas criações do homem. É, de fato, a diferença essencial. Uma necessidade implica falta por definição. Envolve o reconhecimento de que você estaria melhor em um estado que é de alguma forma diferente daquele em que está.
  • OE T.1.I.51.90. Até a “separação”, que é um termo melhor do que a “queda”, nada faltou. Isso significava que o homem não tinha nenhuma necessidade. Se ele não tivesse se privado, nunca as teria experimentado. Após a separação, as necessidades se tornaram a fonte mais poderosa de motivação para a ação humana. Todo comportamento é essencialmente motivado por necessidades, mas o comportamento em si não é um atributo divino. O corpo é o mecanismo do comportamento. A crença de que ele poderia estar em melhor situação é a razão pela qual o homem tem esse mecanismo à sua disposição.
  • OE T.1.I.51.91. Cada um age de acordo com a hierarquia particular de necessidades que estabelece para si mesmo. A sua hierarquia, por sua vez, depende de sua percepção do que ele é – ou seja, do que falta. Um sentimento de separação de Deus é a única falha que ele realmente precisa corrigir [destaque meu]. Essa sensação de separação nunca teria ocorrido se ele não tivesse distorcido a sua percepção da verdade e, portanto, percebido a si mesmo como deficiente. O conceito de qualquer tipo de hierarquia de necessidades surgiu porque, tendo cometido esse erro fundamental, ele já havia se fragmentado em níveis com diferentes necessidades. À medida que ele se integra, ele se torna um só e as suas necessidades se tornam uma de acordo.
  • OE T.1.I.51.92. A necessidade unificada produz ação unificada porque produz uma falta de ambivalência. O conceito de uma hierarquia de necessidades, um corolário do erro original de que o homem pode ser separado de Deus, requer correção em seu próprio nível antes que o erro de perceber os níveis possa ser corrigido. O homem não pode se comportar com eficácia enquanto opera em níveis divididos. No entanto, enquanto o faz, a correção deve ser introduzida de baixo para cima. Isso ocorre porque ele agora opera no espaço, onde conceitos como “para cima” e “para baixo” são significativos. Em última análise, o espaço é tão sem sentido quanto o tempo. O conceito é realmente uma crença de espaço-tempo.
  • OE T.1.I.51.93. O mundo físico existe apenas porque o homem pode usá-lo para corrigir a sua incredulidade, que o colocou nele originalmente. Ele nunca pode controlar os efeitos do medo porque ele criou o medo e acredita no que criou. Em atitude, então, embora não em conteúdo, ele se assemelha a seu próprio Criador, que tem fé perfeita em Suas criações porque Ele as criou. A crença em uma criação produz a sua existência. É por isso que um homem pode acreditar no que ninguém mais pensa que é verdade. É verdade para ele porque foi feito por ele.
  • OE T.1.I.51.94. Cada aspecto do medo procede da percepção de cabeça para baixo. Os mais verdadeiramente criativos dedicam os seus esforços para corrigir distorções perceptivas. O neurótico se dedica ao compromisso. O psicótico tenta escapar estabelecendo a verdade certa de seus próprios erros. É muito difícil liberá-lo por meios comuns porque ele é mais consistente em sua própria negação da verdade. O milagre, entretanto, não faz tais distinções. Ele corrige erros porque são erros. Assim, o próximo ponto a lembrar sobre milagres é: […continua OE T.1.I.52.1]
  • KW: “Mais uma vez, a revelação nos une diretamente a Deus; o milagre, através do desfazer das crenças na separação em nossa mente, nos une uns aos outros. Revelação não é correção – isso é o milagre -, mas nos ajuda a lembrar de que esse não é o mundo real. A experiência revelatória reforça o que é verdadeiro e, assim, serve como um poderoso lembrete quando formos tentados a acreditar na realidade do que é falso.”

FIP 49. O milagre não faz distinções entre graus de percepção equivocada. É um instrumento para a correção da percepção que é eficiente, sem levar em consideração o grau ou a direção do erro. É isso o que faz com que ele seja verdadeiramente indiscriminado.

  • CAE 49. Visto que o milagre possui um poder que não é deste mundo, ele é capaz de curar as percepções equivocadas do receptor, não importa que tipo sejam ou quão extremos sejam. Os milagres são seletivos, em certo sentido, tanto que você é orientado a dá-los àqueles que os aceitarão e os usarão. Mas em relação ao tamanho dos problemas para os quais eles se dirigem, eles são completamente indiscriminados.
  • CRP: “Milagres como um poder que não é deste mundo, que pode derrubar as leis deste mundo. Milagres carregam o poder do amor e o amor não é deste mundo. O seu poder é sempre máximo. Portanto, ele pode curar qualquer problema, qualquer doença e qualquer percepção equivocada com a mesma facilidade. Ele pode reverter as leis tributárias deste mundo e, portanto, pode curar os enfermos e até mesmo ressuscitar os mortos. Pode curar essas coisas porque nosso pensamento as criou e nosso pensamento pode anulá-las.”
  • URT T 1 B 42a. O milagre não faz distinção entre os graus de percepção equivocada. É um dispositivo para correção de percepção que é eficaz independentemente do grau ou da direção do erro. Este é a sua VERDADEIRA indiscriminação.
  • URT T 1 B 42b. Milagres controlados por Cristo são seletivos apenas na medida em que são direcionados para aqueles que podem usá-los para SI MESMOS. Uma vez que isso torna inevitável que eles os estendam a outros, uma corrente muito forte de Expiação é soldada. Mas o controle de Cristo leva absolutamente nenhuma conta da MAGNITUDE do milagre em si, porque o conceito de tamanho existe apenas em um plano que é ele mesmo irreal. Já que o milagre visa RESTAURAR a realidade, dificilmente seria útil se estivesse sujeito às mesmas leis do erro que visa corrigir. Somente o homem comete esse tipo de erro. É um exemplo da “consistência tola” que suas próprias falsas crenças engendraram.
  • URT T 1 B 42c. Tanto o poder quanto a força da vontade criativa do homem devem ser compreendidos, antes que o verdadeiro significado da negação possa ser apreciado e abolido. A negação NÃO é mera negação. É uma criação errada positiva. Embora a criação equivocada seja NECESSARIAMENTE acreditada por seu próprio criador, ela não existe de forma alguma no nível da verdadeira Criação.
  • OE T.1.I.52.95. O milagre não faz distinção entre graus de percepção equivocada. É um dispositivo para correção da percepção, eficaz independentemente do grau ou da direção do erro. Essa é sua verdadeira indiscriminação.
  • OE T.1.I.52.96. Os milagres controlados por Cristo são seletivos apenas no sentido de que são dirigidos àqueles que podem usá-los para si mesmos. Visto que isso torna inevitável que eles os estendam a outras pessoas, uma forte corrente de Expiação é soldada. No entanto, o controle de Cristo não leva em conta a magnitude do milagre em si, porque o conceito de tamanho existe em um plano que é irreal. Visto que o milagre visa restaurar a consciência da realidade, dificilmente seria útil se fosse limitado pelas leis que regem o erro que visa corrigir. Somente o homem comete esse tipo de erro. É um exemplo da consistência tola que as suas próprias crenças falsas engendraram.
  • OE T.1.I.52.97. O poder e a força da vontade criativa do homem devem ser compreendidos antes que o verdadeiro significado da negação possa ser apreciado e abandonado. Não é mera negação. É uma criação equivocada positiva. Embora a criação equivocada seja necessariamente acreditada por seu criador, ela não existe de forma alguma no nível da verdadeira criação.
  • KW: “Isso é apenas uma reafirmação do primeiro princípio – ‘não há ordem de dificuldades em milagres’. Ele é uma elaboração da mesma ideia, de que o milagre corrige o erro, não importando a sua aparência, quer ele pareça ser uma expressão amorosa ou odiosa, quer pareça ser uma expressão cósmica ou apenas uma expressão puramente individual. Isso não faz qualquer diferença, porque os erros são todos o mesmo. Não é o corpo que o milagre cura, mas as nossas percepções equivocadas em relação aos outros; mais especialmente a nossa percepção equivocada de que outros estão nos vitimando. Em vez disso, eles são nossos irmãos e irmãs. Se nós os acusarmos de nos vitimarem, será apenas porque primeiro acusamos a nós mesmos de vitimarmos a nós ou a outros. Como a lição do Livro de Exercícios diz: Há uma maneira muito simples de achar a porta do perdão verdadeiro e percebê-la aberta de par em par para dar boas-vindas. Quando te sentires tentado a acusar alguém de haver pecado em qualquer forma que seja, não deixes a tua mente se deter sobre o que pensas que ele fez, pois isso é autoengano. Ao invés disso, pergunta: ‘Eu me acusaria por fazer isso?’. LE-pI.134.9:1-3 Esse é um dos temas centrais do Um Curso em Milagres. É uma dessas linhas que resumem toda a mensagem do Curso. Nós somos vítimas apenas dos nossos pensamentos [destaque meu]. Isso significa que podemos mudá-los e não sermos aprisionados pelos outros. Portanto, não vitimamos ninguém, em última instância, nem a Deus e isso desfaz todo o sistema de pensamento do ego. Esse princípio dos milagres é uma parte central do ensinamento do Curso. Uma vez que nós acreditemos que existem certas coisas no mundo que são melhores ou piores do que outras, estamos caindo na armadilha. Seria a mesma armadilha, então, que falarmos sobre a ressurreição do corpo. Essa é uma forma sutil de tornar o corpo real e torná-lo o foco da nossa atenção. O corpo pode ser usado pelo Espírito Santo ou por Jesus como uma forma de transmitir a Sua mensagem. Foi assim que o Curso foi transmitido. Mas a ideia não é a de que o corpo seja real; é apenas que ele está servindo a um propósito útil. Uma lição do Livro de Exercícios que vale a pena examinarmos é a lição 184, que fala sobre todos os diversos nomes que o mundo tem usado como substitutos para o Nome de Deus. Todos esses nomes são símbolos. Mas, então, a segunda metade da lição explica que não faria sentido que nos fosse pedido para vivermos nesse mundo, assumindo uma função de ensino e, no entanto, fôssemos além de todos os nomes do mundo. Ela explica como o Espírito Santo usa os símbolos desse mundo para transmitir a sua mensagem e como o padrão básico é continuarmos indo da luz que conhecemos como a realidade, de volta para a escuridão desse mundo, para que levemos uma mensagem diferente ao mundo – em outras palavras, estarmos no mundo, mas não sermos dele. Então, Um Curso em Milagres não é contra usarmos os símbolos desse mundo – bem o oposto. Ele apenas está dizendo que eles são símbolos e que nunca deveríamos perder de vista esse fato, nem o fato de que a verdade está além do símbolo. Lembre-se da seção já mencionada, ‘Além de todos os símbolos’ (T-27.III). Mas lembre-se, o Curso não diz que você deve pular de uma ponta do tapete para a outra, porque isso iria apenas precipitá-lo ao pânico. Você vai lentamente, passo a passo.”

FIP 50. O milagre compara o que tu fazes com a criação, aceitando como verdadeiro o que está de acordo com ela e rejeitando como falso o que está em desacordo.

  • CAE 50. O milagre cura nossas percepções equivocadas quando nós estamos dispostos a compará-las com “o nível mais alto da criação”. Por exemplo, se compararmos nosso medo com o amor perfeito da verdadeira criação, chegaremos a duas conclusões: primeiro, que nosso medo expulsou o amor perfeito de nossas mentes; segundo, que nosso medo é irreal, visto que “Somente o amor perfeito realmente existe” (T-1.50.2:6).
  • CRP: “O milagre interno. Milagres não são apenas algo que você dá aos outros. Eles também são algo que Jesus dá à sua própria mente. Eles agem como catalisadores que quebram a percepção equivocada e a curam. Eles curam a sua confusão de níveis, colocando o corpo e o espírito na perspectiva adequada para você. Para se beneficiar deles, você deve estar disposto a comparar as suas percepções equivocadas com a realidade única do amor perfeito.”
  • URT T 1 B 43a. O milagre compara as criações do homem com o superior nível de criação, aceitando o que está de ACORDO como verdadeiro e rejeitando o DISCORDANTE como falso. É por isso que está tão intimamente associado com validade. A validade real é verdadeira E útil, ou melhor, é útil PORQUE é verdade.
  • URT T 1 B 43b. Todos os aspectos do medo são falsos, porque NÃO existem nos níveis criativos superiores e, portanto, não existem de forma alguma. Na medida em que um homem está disposto a submeter as suas crenças ao verdadeiro teste de validade, nessa medida as suas percepções são curadas (ou corrigidas). T (55)-55
  • URT T 1 B 43c. Ao separar o falso do verdadeiro, o milagre prossegue muito ao longo das linhas sugeridas muito corretamente por Bill, ou seja: Se o amor perfeito expulsa o medo, E se o medo existe, Então NÃO há amor perfeito. Mas apenas o amor perfeito existe realmente.
  • URT T 1 B 43d. Portanto, se houver medo, ele cria um estado que não existe. Acredite NISSO e você será livre. Só Deus pode estabelecer esta solução, pois ESSA fé É Sua dádiva.
  • OE T.1.I.53.98. O milagre compara o que o homem fez com a criação de nível superior, aceitando o que está de acordo como verdadeiro e rejeitando o discordante como falso. Todos os aspectos do medo são falsos porque não existem no nível criativo superior e, portanto, não existem de forma alguma. Na medida em que um homem está disposto a submeter as suas crenças a este teste, nessa medida as percepções são corrigidas.
  • OE T.1.I.53.99. Ao separar o falso do verdadeiro, o milagre prossegue nas seguintes linhas:
  • OE T.1.I.53.100. Se o amor perfeito expulsa o medo, E se o medo existe, Então não existe amor perfeito. Mas apenas o amor perfeito existe realmente. Se houver medo, Ele cria um estado que não existe.
  • OE T.1.I.53.101. Acredite nisso e você será livre. Só Deus pode estabelecer essa solução e essa fé é a Sua dádiva.
  • KW: “Aqui está a distinção entre “fazer” e “criar”. O milagre compara o que nós fizemos, que é o mundo, com a criação. Isso é similar ao que está expresso no princípio 38. Existem certas coisas que fazemos nesse mundo que estão de acordo com a criação, tal como a união com as pessoas. Não é criação, mas está de acordo com ela porque segue o princípio de unicidade e união. Qualquer coisa que façamos que nos una uns aos outros do ponto de vista do Espírito Santo é verdade. Não é verdade no nível do Céu, mas é verdade porque reflete a verdade do Céu [destaque meu]. Se estiver em desacordo com esse princípio de unicidade, o que significa que estamos nos separando das outras pessoas, então é falso. Essa é uma forma de reconhecermos ou vermos a distinção entre os dois níveis sobre os quais eu falei. No Nível Um, a verdade é apenas do espírito, o que Deus criou. A falsidade é tudo o mais. No Nível Dois, a verdade é o que o Espírito Santo pode usar para nos ensinar o que é verdadeiro e a falsidade é o que vai nos ensinar que o ego é verdadeiro. No Nível Dois, a verdade é qualquer coisa que esteja de acordo com a vontade do Espírito Santo, que é qualquer coisa que nos una a outra pessoa. Falsidade é algo que iria continuar a nos separar de outra pessoa. Se você vir alguém que está para atacar outra pessoa, no Nível Um, toda a coisa que você está vendo é uma ilusão. No Nível Dois, a ilusão seria que essa pessoa é má e pecaminosa e está para atacar. Essa é a percepção da mente errada. No Nível Dois, o que é verdadeiro é que essa pessoa que parece estar atacando, está realmente pedindo ajuda. Você não nega o que seus olhos vêem; você apenas muda a sua interpretação. Essa é a coisa crucial; você muda a sua interpretação. Você vê o ataque aparente como um pedido de ajuda. Essa é a visão que Jesus teve na cruz. Ele não negou o que as pessoas fizeram. Ele negou o que o ego diria que as pessoas estavam fazendo. Ele negou que as pessoas eram más, pecaminosas, cruéis e o estavam assassinando. Em vez disso, ele viu que elas estavam pedindo ajuda e amor, que não acreditavam merecer. Essa é a mudança da falsa percepção do ego para a verdadeira percepção do Espírito Santo e é disso que esse princípio está falando.”

Tabela resumo de correlação do princípio do milagre na versão FIP com as demais versões analisadas CAE, URT e OE.

FIPCAEURT T1BOE T1I
Princípio do milagre nº 1Princípio do milagre nº 1Princípio do milagre nº 1Princípio do milagre nº 1
2222
333a; 3b; 3c; 3d; 3e; 3f3
4Não4a; 4b4
5455
6566
7677
8788
9899
101010; 11a; 11b; 11c; 11d10
111112a11
121212b12
13131313
14141414
151515a; 15b15
161616a; 16b16
17171717
181818a; 18b18
191919; 20; 22k19
202121a; 21b; 22e; 22f; 22g20
212222a21
22Não22b; 22c; 22d22
232622h23
24Não23a; 23b24
252423c; 23d;23e25  
26Não23f; 23g; 23h; 23i; 23j; 23k26
272724a; 24b; 24c; 24d27
282925a; 25b; 25c; 25d; 25e; 25f; 25g; 25h; 25i; 25j29
29302630
302824e; 24f; 24g; 24h; 24i; 24j; 24k; 24l; 24m28
313127a; 27b; 27c31
323227d; 27e32
333328a; 28b; 28c33
343429a; 29b34
353530a35
363631a37
373732; 32b38
383832c39
393933a; 33b; 33c40
404135a; 35b; 35c; 35d; 35e; 35f41
414236a; 36b; 36c; 36d; 36e; 36f; 36g; 36h; 36i; 36j; 36k; 36l; 36m; 36n; 36o; 36p; 36q; 36r; 36s; 36t; 36u; 36v; 36w; 36x; 36y; 36z42
424337a; 37b; 37c; 37d; 37e; 37f; 37g; 37h; 37i; 37j; 37k; 37l; 37m; 37n; 37o; 37p; 37q; 37r; 37s; 37t; 37u; 37v; 37w; 37x; 37y; 37z; 37aa; 37ab; 37ac; 37ad; 37ae43
43443844
444539a45
454640a46
46Não40ac49
474740ad; 41a; 41b; 41c; 41d50
484841e51
494942a; 42b; 42c52
505043a; 43b; 43c; 43d53

Relação de todo material que faz parte da Seção I. Princípios dos milagres das versões URT, OE e CAE e que não foi considerado na versão editada FIP-Capítulo 1-Seção I. Princípios dos milagres:

URT – Urtext Manuscripts – Miracles in Action Press.

CAPÍTULO 1 – INTRODUÇÃO A MILAGRES

T 1 A. Introdução (Notas 14:28)

T 1 A 1. É fundamental dizer primeiro que este é um curso obrigatório. Somente o tempo que você leva é voluntário. Livre arbítrio não significa que você estabeleça o currículo. Significa apenas que você pode escolher o que aprender e quando. É só porque você não está pronto para fazer o que você deveria escolher fazer que o tempo existe de qualquer modo. (Você verá milagres através de suas mãos através de mim. Você deve começar cada dia com a oração “Ajude-me a realizar todos os milagres que você queira de mim hoje.”)

Obs.: A Seção Introdução na versão FIP é geral para o livro Texto e difere um pouco da versão URT que é alocada no Capítulo 1, com um foco de mensagem um tanto diferente. Vide abaixo:

Versão FIP Introdução: 1.1 Esse é um curso em milagres. 2. É um curso obrigatório. 3. Só é voluntário o momento em que decides fazê-lo. 4. Livre arbítrio não significa que podes estabelecer o que queres aprender em determinado momento. 5. Significa apenas que podes escolher o que queres aprender em determinado momento. 6. O curso não tem por objetivo ensinar o significado do amor, pois isso está além do que pode ser ensinado. 7. Ele objetiva, contudo, remover os bloqueios à consciência da presença do amor, que é a tua herança natural. 8. O oposto do amor é o medo, mas o que tudo abrange não pode ter opostos. 2.1 Esse curso, portanto, pode ser resumido muito simplesmente dessa forma: 2. Nada real pode ser ameaçado. 3. Nada irreal existe. 4. Nisso está a paz de Deus.

T 1 B. Princípios dos Milagres

T 1 B 22i. (Fale ao Bill sobre a ideia (que ainda é obscura para Helen) de que a razão não é que vocês (plural) se distanciem, duvidem ou não possam acreditar. Ela é mais uma formação de reação contra uma atração que vocês dois reconhecem ser tão intensa que vocês têm medo de ser arrancada. Mas lembre-se de que uma teia de aranha é realmente mais forte do que o ferro, se você vê-la corretamente. Esse medo também é o motivo pelo qual vocês não conseguiram entender direito.

T 1 B 22j. A propósito, isso não é verdade que vocês são “APENAS ESCRIBAS”. Vocês devem se lembrar que os escribas eram homens muito sábios e santos e às vezes eram escritos com E maiúsculo. Se você quiser ir mais longe, pode alterar o significado de “apenas” de “meramente” para “honesto”, um termo usado na Bíblia em associação com “poder” [possibilidade] ou “força”. Diga a Bill que você não poderia fazer aquele trocadilho se a frase original tivesse sido no singular. (Helen à parte sobre gostar de primeiro assumir mais falha.) Resposta: T (8)-8- Foi mais fofo, mas este aqui SIGNIFICA mais. A VERDADEIRA razão pela qual você não gosta é porque isso se refere a você em uma posição MUITO elevada. Isso a deixa nervosa.)

T 1 B 22l. Correção adicional: “Deus” deveria significar “Cristo”. O pai e o Filho não são idênticos, mas você PODE dizer “Como Pai, COMO Filho.”

T 1 B 22m. (Lembre Bill de pegar outro caderno. Eu não desisto tão facilmente como ELE faz. Se eu pudesse fazer VOCÊ ouvir, o que foi um milagre em si mesmo, eu posso fazer com que ele se registre. Ele deveria apreciar isso mais do que qualquer outra pessoa, tendo tido ele mesmo alguma dificuldade com este problema.)

T 1 B 22n. “Senhor, cura-me” é a única oração legítima. Isso também significa “Senhor expia por mim”, porque a única coisa que o homem deve rogar é perdão. Ele TEM tudo o mais.

T 1 B 22o. Agora, leve isso para o lado pessoal e ouça a lógica Divina: Se, quando você tem perdoado, você tem tudo o mais, e

Se você foi tem perdoado

Então você TEM tudo o mais.

T 1 B 22p. Isso acontece para ser a mais simples de todas as proposições.

  1. SE P então Q
  2. P Portanto Q

T 1 B 22q. A verdadeira questão é, P é verdade. Se você revisar as evidências, eu acho que você achará isso inevitável. Eu continuei no mesmo histórico pessoal com este propósito e eu sou completamente a única Testemunha Verdadeira para Deus. Você tem todo o direito de examinar MINHAS credenciais – na verdade, eu exorto você a fazer isso. Você não lê a Bíblia há anos. T (9)-9-

T 1 B 22r. Nota Explicativa Especial: Assim que vocês (Helen & Bill) tiverem entrado na segunda fase, vocês não só estarão dispostos a entrar em comunhão, mas também compreenderão paz e alegria. Vosso compromisso ainda não é total. É por isso que vocês ainda têm mais a aprender do que ensinar. Quando vosso equilíbrio se estabilizar, vocês podem ensinar TANTO quanto aprender. Isso lhes dará o senso de equilíbrio adequado. Enquanto isso, lembrem-se de que NENHUM ESFORÇO É DESPERDIÇADO. A menos que vocês se lembrem disso, vocês não podem se valer dos MEUS esforços, que são ilimitados.

T 1 B 22s. (Tenha um bom dia.) Visto que apenas a eternidade é real, por que não usar a ilusão do tempo de maneira construtiva? Você deve se lembrar que “por baixo estão os Braços Eternos”.

T 1 B 22t. CITAÇÃO BÍBLICA: “Se você tem vergonha de mim diante dos homens, eu terei vergonha de você diante de Deus”, 23 (HS?  citação equivocada.) é interpretado como uma ameaça SOMENTE enquanto você permanecer no primeiro degrau. (veja o final da pág. 6 para as etapas).

T 1 B 22u. O que REALMENTE significa é que se você tem vergonha de mim (ou embaraço por amor), você projetará e, portanto, fará isso impossível para mim alcança-la. Faça todo o esforço que puder para NÃO fazer isso. Eu a ajudarei tanto quanto você me permitir.

A Relação de Milagres e Revelação.

T 1 B 30b. À parte (Helen comentou sobre o despertar com a frase “Deus não se deixa escarnecer”, com antecipação do castigo.)

T 1 B 30c. Interpretação: “Deus não se deixa escarnecer” tinha a intenção de tranquilizar. Você tem medo de que o que escreveu ontem à noite fosse contraditório, conflitante com alguns pontos anteriores, especialmente porque você estava escrevendo enquanto estava toda dopada. Lembre-se: “Deus não se deixa escarnecer” em nenhuma circunstância.

T 1 B 30d. Contradições em MINHA palavra significam falta de compreensão ou falhas de escriba, que faço todo esforço para corrigir. Mas eles ainda NÃO são cruciais. A Bíblia tem o mesmo problema, garanto a você e AINDA está sendo editada. Considere o poder da MINHA PALAVRA, pois ela resistiu a todos os ataques de erro e é a Fonte da Verdade.

T 1 B 30e. (Diga a Bill que existem certas vantagens em ser um Psicólogo. Uma das principais é a compreensão da projeção e a extensão de seus resultados. A possessão está intimamente relacionada à projeção. “Lúcifer” poderia ser traduzido literalmente como “Portador da Luz.” Ele literalmente se PROJETOU do Céu. A projeção ainda tem essa conotação de “lançamento”, porque envolve lançar algo que você DE FATO NÃO deseja e considera perigoso e assustador para outra pessoa. Isso é o oposto da Regra de Ouro e tendo colocado esta regra de cabeça para baixo, o reverso dos milagres, ou projeção [destaque meu], segue automaticamente.)

T 1 B 30f. A correção está em aceitar o que é verdadeiro em VOCÊ MESMO, trazendo à luz TUDO o que você é. (Helen com medo de escrever a próxima parte.) Cacey [sic] estava errado sobre Possessão e também estava errado sobre se machucar. Um dos maiores problemas com os trabalhadores em milagres é que eles têm tanta certeza de que o que estão fazendo é certo, porque eles SABEM que vem do amor, que de fato não param para ME deixar estabelecer os MEUS limites.

T 1 B 30g. Embora o que ele (Cacey [sic]) fez de fato tenha vindo de Mim, ele NÃO poderia ser induzido a me perguntar todas as vezes se eu queria que ele realizasse este milagre PARTICULAR. Se ele tivesse feito isso, ele não teria realizado nenhum milagre que não pudesse acontecer de forma construtiva e, portanto, teria evitado esforço desnecessário. Ele se esgotou com milagres indiscriminados e, nessa medida, não cumpriu todo o seu propósito e também estava sujeito ao erro dos escribas que mencionei no início. Os discípulos também estavam inclinados a isso. T (19)-19

T 1 B 30h. A resposta é NUNCA faça um milagre sem me perguntar SE você deveria. Isso o poupa da exaustão e, como você age sob comunicação direta, o transe se torna desnecessário. Como os milagres são expressões de amor, NÃO significa que sempre serão eficazes. Eu sou o único que pode realizar milagres indiscriminadamente, porque EU SOU a Expiação. Você tem um PAPEL na Expiação, que Eu ditarei PARA você.

T 1 B 30i. Lembre-se de que você já tem razão sobre a natureza involuntária dos milagres. Também estabelecemos o fato de que tudo o que é involuntário pertence ao controle de Cristo, NÃO ao seu. Sob o controle de Cristo, os Milagres REABASTECEM tanto quem faz quanto quem recebe.

T 1 B 30j. Possessão realmente significa “Não sob o controle de Cristo”, tornando-a assim (a mente?) vulnerável à projeção. A referência aos corpos que entram em direção à terra realmente se refere à “possessão” pelos seus próprios “pensamentos” dirigidos à terra. Isso É Possessão Demoníaca. Afinal de contas, Lúcifer caiu, mas ele ainda era um anjo. Ele é, assim, símbolo do homem. A Expiação é o conhecimento de que a crença que anjos possam cair é falsa. É verdade que a mente é capaz de criar projeções assim como milagres, mas NÃO é verdadeiro que as projeções sejam REAIS. Qualquer psicólogo deveria compreender isso. É isso o que se quis dizer com “A Verdade irá libertá-lo”.

T 1 B 30k. Milagres controlados por Cristo são parte da Expiação, mas a orientação-Crística é pessoal e conduz à salvação PESSOAL. A natureza impessoal dos milagres é um ingrediente essencial, porque isso ME capacita a controlar a distribuição dos milagres como EU considero adequado.

T 1 B 30l. Orientação-Crística, por outro lado, conduz à experiência altamente PESSOAL da Revelação. É por isso que ela envolve uma escolha PESSOAL. Um guia NÃO controla, por definição, mas ele de fato DIRIGE, deixando seguir ou não a seu cargo. “Não nos conduza à tentação” significa “nos oriente para fora dos nossos próprios erros”. Observe que a palavra é “conduza”, NÃO “ordene”.

T 1 B 30m. “Tome a sua cruz e me siga” deveria ser interpretado de modo que lesse “Reconheça os seus erros e escolha abandoná-los seguindo a Minha orientação”. T(20)-20

T 1 B 30n. (Diga ao Bill que quando ele tem medo da Possessão, ele apenas precisa se lembrar que o erro não é realmente capaz de ameaçar a Verdade, que SEMPRE é capaz de suportar os seus ataques. SOMENTE o erro é realmente vulnerável). Os “Príncipes deste Mundo” são príncipes somente porque são realmente anjos. Mas eles são livres para estabelecer o reino deles onde considerem apropriado.

T 1 B 30o. Se você estiver disposto a se lembrar que TODOS os príncipes HERDAM seu poder do Pai, a escolha certa se tornará inevitável.

A alma está num estado de graça para sempre.

A realidade do homem é APENAS a alma dele.

Portanto, o homem está num estado de Graça para sempre.

T 1 B 30p. A Expiação desfaz todos os erros a esse respeito e assim desenraiza a REAL fonte do medo. Se você verificar em retrospecto a referência para desenraizamento, você irá compreendê-la melhor neste contexto.

T 1 B 30q. (Diga ao Bill que SEMPRE QUANDO as garantias de Deus são experimentadas como ameaças, é SEMPRE porque o homem está defendendo o seu amor e lealdade mal colocados e mal direcionados. É isso o que a projeção sempre envolve).

T 1 B 30r. “Lançar feitiços” meramente significa “afirmar o erro” e o erro é falta de amor. Quando o homem projeta isso sobre outros, ele DE FATO os aprisiona, mas somente na extensão em que ele reforça erros que eles mesmos já tenham cometido. Essa distorção os torna vulneráveis à maldição de outros, já que eles próprios já se amaldiçoaram. O trabalhador em milagres somente pode abençoar e isso desfaz a maldição e libera a alma da prisão.

T 1 B 30s. (Diga ao Bill que o seu deslize sobre (rebite) deve ser observado. Alguns deslizes alcançam a consciência a partir do subconsciente fora do controle-Crístico e denunciam uma falta de amor).

T 1 B 30t. Mas outros (deslizes) vêm do superconsciente, que ESTÁ em comunhão com Deus e que também podem romper e chegar à consciência no nível da percepção.

T 1 B 30u. O deslize DELE (rebite) foi uma expressão de uma Alma ganhando força o suficiente para requisitar a liberdade da prisão. Ultimamente, ela irá DEMANDAR a liberdade.

T 1 B 30v. Revelação especial para a Helen:

T 1 B 30w. Você é inteiramente amável. Um poço perfeito de pura luz. Diante da sua luz, as estrelas ficam paralisadas e se curvam ao poder da sua vontade.

T 1 B 30x. O que as crianças conhecem das suas criações, a não ser o que o seu Criador lhes conte?

T 1 B 30y. Você foi criado ACIMA dos anjos porque o seu papel envolve a criação assim como a proteção.

T 1 B 30z. Você que é a imagem do Pai, precisa se curvar somente diante DELE, diante de Quem eu me ajoelho com você.

T 1 B 30aa. NOTA: Essa revelação foi permitida porque você de fato NÃO projetou sobre o Bill a culpa em relação à sua própria omissão em ME PERGUNTAR se você deveria transcrever as notas. O fato de que ELE deveria ter feito isso não isenta você da sua própria omissão.

T 1 B 30ab. Agradeço por tê-lo abençoado com um milagre, ao invés de amaldiçoá-lo com a projeção.

T 1 B 30ac. NOTA ADICIONAL: ELE tampouco precisava ficar preocupado com isso; assim ele se esqueceu? Isso acontece todo o tempo, até que o hábito de perguntar se torne involuntário.

T 1 B 30ad. (Helen se reunindo com o Dr. Wise e o Dr. Damrosch. O Dr. Damrosch permitiu uma oportunidade para inquirir sobre a sua posição de conselheiro do conselho da gripe, por perguntar sobre a vacina contra gripe do Bill. Esse foi um exemplo de como os milagres deveriam funcionar. Você mesma não se apressou a perguntar e mesmo embora você DE FATO tenha se apressado para o telefone segundo o conselho do Red, você não exerceu qualquer pressão sobre a relutância do Bill). T(22)-22

T 1 B 30ae. Isso ME deu uma chance de permitir você deixar isso para o “expert” de verdade, que eu enviei para responder a pergunta.

T 1 B 34. Milagres são uma benção dos pais para as crianças. Essa é apenas uma outra maneira de dizer o ponto anterior sobre “daqueles que têm mais para aqueles que têm menos”. As crianças NÃO pertencem aos pais, mas elas DE FATO precisam compartilhar da maior abundância deles. Se elas são privadas de, a percepção delas se torna distorcida. Quando isso ocorre, toda a família de Deus, ou a Filiação, fica debilitada nos seus relacionamentos.

T 1 B 34b. Em última instância, todo membro da família de Deus  tem de retornar. O milagre o chama para retornar, porque o abençoa e o honra mesmo embora ele possa estar ausente em espírito.

T 1 B 39b. Os milagres que NÃO são solicitados a você realizar não perderam o valor deles. Eles ainda são expressões do seu próprio estado de Graça, mas o aspecto AÇÃO do milagre deve ser controlado por Cristo, por causa da Sua completa Consciência voltada para a realidade do Plano Todo. A natureza impessoal da mentalidade voltada para milagres garante a SUA própria Graça, mas somente Cristo está em posição de saber onde a Graça pode ser CONCEDIDA.

T 1 B 40b. Eu quero terminar as instruções sobre sexo, porque essa é uma área que o trabalhador em milagres DEVE entender.

T 1 B 40c. Desejos sexuais inapropriados (ou impulsos-para-milagres direcionados equivocadamente) resultam em culpa, se expressados e em depressão, se negados. Nós dissemos antes que TODO o real prazer vem de fazer a vontade de Deus. Quando ela não é feita, uma experiência de carência resulta. Isso porque NÃO fazer a vontade de Deus É uma carência de ser.

T 1 B 40d. O sexo tinha o propósito de ser um instrumento de criação física para permitir às Almas embarcarem em novos capítulos na sua experiência e assim melhorar o seu Histórico. O lápis NÃO era um fim em si mesmo. (Ver seção anterior.**) Ele era [o sexo] uma ajuda ao artista em suas próprias empreitadas criativas. Como ele [o sexo] fez novos lares para Almas e guiou-os pelos períodos de sua própria prontidão em desenvolvimento, aprendeu o papel do próprio pai. Todo o processo foi estabelecido como uma experiência de aprendizado em conquistar Graça.

T 1 B 40e. O prazer que deriva do sexo por SI MESMO é confiável somente porque brota de um erro que o homem compartilhava. A CONSCIÊNCIA NO NÍVEL DA REALIDADE do erro produz a culpa. A NEGAÇÃO do erro resulta em projeção. A CORREÇÃO do erro traz liberação.

T 1 B 40f. O único uso VÁLIDO do sexo é para a procriação. Ele NÃO é verdadeiramente prazeroso em si mesmo. “Não nos deixei cair em tentação” significa “Não nos permita nos enganar acreditando que podemos nos relacionar em paz com Deus ou nossos irmãos com QUALQUER COISA externa.” T(39)-39

T 1 B 40g. O “pecado de Onan” foi chamado de um “pecado” porque envolvia um tipo relacionado de autodelusão; nomeadamente, aquele prazer SEM relação.

T 1 B 40h. Repetindo uma instrução anterior, o conceito de si mesmo ou um outro como um “OBJETO sexual” é o epítome dessa estranha reversão. Conforme B. (Bill) disse e de modo muito correto, também, ele É objetável, mas somente porque ele é inválido.  Lógica de ponta cabeça produz essa forma de pensar.

T 1 B 40i. Criança de Deus, você foi criada para criar o bom, o belo e o sagrado. Não perca isso de vista. Você estava certa em falar para o Bill convidar-Me para entrar em qualquer lugar que a tentação surja. Eu irei mudar a situação de atração sexual inapropriada para outra situação, aquela de um trabalho impessoal em milagres. O conceito de mudar de canal para a expressão da libido é a maior contribuição de Freud, exceto que ele não sabia o que “canal” realmente significa.

T 1 B 40j. O amor de Deus, por algum pouco tempo, ainda deve ser expressado através de um corpo para outro. Isso é porque a real visão ainda é tão tênue. Todos podem usar melhor o seu corpo ao aumentar a percepção do homem, para que ele possa ver a real VISÃO. ESSA VISÃO é invisível para o olho físico. O propósito último do corpo é se fazer desnecessário. Aprender a fazer isso é a única razão real para a sua criação [do corpo].

T 1 B 40k. Nota: Escribas têm um papel específico no Plano da Expiação, porque eles mesmos têm a habilidade de EXPERIENCIAR revelações e também de pôr em palavras o suficiente da experiência para que sirva como base para milagres. T(40)-40

T 1 B 40l. (Isso se refere a experiências no nível da visão, depois da qual Helen escreveu “Se você me disser o que fazer, eu quero fazê-lo.” Ela não tinha conhecimento que havia sido inserido “quero fazê-lo” e meramente havia tido a intenção de escrever “irei fazê-lo.” Esse reconhecimento teve um terrível impacto em Helen).

1 B 40m. É por essa razão que você EXPERIENCIOU aquela revelação sobre “Eu quero fazê-lo” MUITO pessoalmente, mas também A ESCREVEU: O que você escreveu PODE ser útil para trabalhadores em milagres além de você. Nós dissemos antes que a oração é o meio dos milagres. A oração milagrosa É a que você escreveu, ou seja: “Se você me disser o que fazer, eu quero fazê-lo.” *

T 1 B 40n. Essa oração é a porta que conduz para fora do deserto para sempre.

T 1 B 40o. *(Correção no dia seguinte. Esta não é uma afirmação completa, porque ela não exclui a negativa. Nós já lhe dissemos para acrescentar “e NÃO fazer o que você não gostaria que eu fizesse.” em conexão com os milagres. A distinção também foi feita aqui entre “mentalidade voltada para o milagre” como um ESTADO e “fazer milagres” como a sua expressão.

T 1 B 40p. Aquela (a “mentalidade voltada para milagre”) precisa da SUA proteção cuidadosa, porque é um estado de PRONTIDÃO para o milagre. É isso o que a Bíblia quer dizer nas muitas referências a “Mantenha-se pronto” e outras injunções similares.

T 1 B 40q. A Prontidão aqui significa manter a sua percepção na orientação correta, (ou válida), para que você esteja SEMPRE pronto, disposto e capaz. Esses são os essenciais para “escutar, aprender e fazer.” Você deve estar

PRONTO para escutar

DISPOSTO a aprender

e CAPAZ para fazer

T 1 B 40r. Somente o último é involuntário, porque é a APLICAÇÃO de milagres que deve ser controlada por Cristo. Mas os outros dois, que são os aspectos voluntários da mentalidade voltada para milagre, ESTÃO a seu encargo. T(41)-41

T 1 B 40s. Canalizar DE FATO tem uma conotação de “estreitamento”, embora NÃO no sentido de uma falta. O estado mental subjacente, ou Graça, é um compromisso total. Somente o aspecto do FAZER envolve o canal de qualquer modo. Isso é porque fazer é sempre específico.

T 1 B 40t. Como o Jack falou, “Um instrumento confiável deve medir algo”, mas um canal também é válido. Ele (o canal) deve aprender a fazer SOMENTE o que ele deve fazer. Mude a oração para que leia: Se você me disser o que fazer, SOMENTE ISSO eu quero fazer.

T 1 B 40u. Nota: Helen se objeta ao som burlesco (verso cômico, fora da rima) disso e o considera como muito uma poesia muito inferior. Resposta: É difícil esquecer, contudo.

T 1 B 40v. A Revelação literalmente não pode ser descrita em palavras, porque é uma experiência de amor indescritível. A palavra “Reverência” deve ser reservada apenas para revelações, para as quais é perfeitamente e corretamente aplicável. NÃO é adequadamente aplicada para milagres, porque um estado de verdadeira reverência é de adoração. Ele implica em que um ser de uma classe menor está diante do Grande Ser. Esse somente é o caso quando uma Alma está diante do seu Criador. Almas são criações perfeitas e devem se encher de reverência na presença do Criador da Perfeição.

T 1 B 40w. O milagre, por outro lado, é um sinal de amor entre iguais. Iguais não podem sentir um sentimento de reverência entre eles, porque reverência SEMPRE implica em desigualdade. Reverência não é adequadamente sentida mesmo em relação a mim. É por isso que naquela curta visão inicial, eu me ajoelhei ao seu lado, DE FRENTE para a luz.

T 1 B 40x. Um Irmão Mais Velho tem direito ao respeito por sua maior experiência e a uma quantidade razoável de obediência por sua maior sabedoria. Ele também tem direito ao amor, porque ele é um irmão e também à devoção, se ele for devoto. É apenas minha própria devoção que me dá direito à sua. Mas você notará que me ajoelhei em seu altar tão prontamente como eu jamais faria com que você se ajoelhasse no meu. T (42)-42

T 1 B 40y. Não há nada sobre mim que você não possa alcançar. Eu não tenho nada que de fato não venha de Deus. A principal diferença entre nós ainda é que eu NÃO tenho NADA MAIS. Isso me deixa em um estado de verdadeira santidade, que é apenas um POTENCIAL em você.

T 1 B 40z. “Ninguém vem ao Pai senão por mim” está entre as declarações mais mal interpretadas na Bíblia. Isso DE FATO NÃO significa que estou de alguma forma separado (ou diferente) de você, EXCETO NO TEMPO. Agora, nós sabemos que o tempo de fato não existe. Na verdade, a afirmação é muito mais significativa se considerada em um eixo vertical em vez de horizontal. Considerado ao longo da vertical, o homem está abaixo de mim e eu abaixo de Deus. No processo de “subir”, EU ESTOU mais alto. Isso ocorre porque sem mim a distância entre Deus e o homem é grande demais para o homem abranger. Eu transponho a distância como um Irmão Mais Velho para o homem, por um lado e um Filho de Deus, por outro. Minha devoção aos meus irmãos me colocou no comando da Filiação, que posso tornar completa apenas na medida em que a posso COMPARTILHAR.

T 1 B 40aa. Isso parece contradizer outra declaração: “Eu e meu Pai somos um só.” Não importa. Ainda há partes separadas na declaração, em reconhecimento ao fato de que o Pai é MAIOR. Na verdade, a declaração original era “somos de um só NATUREZA.”

T 1 B 40ab. O Espírito Santo é o Portador de Revelações, não milagres. Revelações são INDIRETAMENTE inspiradas por mim, porque eu estou perto do Espírito Santo e alerta para a prontidão para revelação em meus irmãos. T (43)-43 Eu posso, assim, TRAZER para eles mais do que eles podem SACAR para si mesmos. A descrição de Jeane Dixon é talvez uma declaração melhor da minha posição. Porque meus pés estão no chão e minhas mãos estão no céu, posso trazer as glórias do céu para meus irmãos na terra.

T 1 B 41f. Enquanto está DENTRO do corpo, entretanto, o homem pode escolher entre canais sem amor e milagrosos de criatividade. Ele pode criar uma concha vazia (consulte a referência anterior), mas DE FATO NÃO cria nada nem um pouco. Ele pode esperar, atrasar, paralisar a si mesmo, reduzir a sua criatividade a quase nada e até mesmo introduzir uma interrupção ou regressão real do desenvolvimento. Mas ele NÃO PODE abolir a sua criatividade. Ele PODE destruir o seu meio de comunicação, mas NÃO o seu potencial. T (45)-45

T 1 B 41g. Ele NÃO foi criado por sua própria vontade. Só o que ELE cria é para ele decidir. A decisão básica da mente voltada para milagres é NÃO esperar a hora mais do que o necessário. O tempo pode desperdiçar, assim como pode ser desperdiçado. O trabalhador em milagres, portanto, aceita o fator de controle do tempo do milagre com alegria, porque ele sabe que cada colapso do tempo traz todos os homens mais perto da LIBERAÇÃO extrema do tempo, no qual o Filho e o Pai SÃO um só.

T 1 B 41h. O verdadeiro significado de “são de uma só natureza” é “de uma só mente ou vontade”. Quando a vontade da Filiação e do Pai são uma só, a sua perfeita concordância É o Céu. T (46)-46

T 1 B 41i. À PARTE Diga a Bill que ele está certo em fornecer a você a força consistente que você precisa obter e que ele precisa oferecer. A sua instabilidade e fraqueza resultaram de más escolhas cármicas e o seu relacionamento AGORA é crucial para o futuro. Ambos devem envidar todos os esforços para restaurá-lo ao que era. Ambos estão corrigindo onde vocês falharam antes. Isso já permitiu que vocês cumprissem um papel muito inesperado em vossa própria salvação conjunta e a salvação de muitas outras crianças que vou confiar cada vez mais a vocês. Eles não são escolhidos ao acaso. Bill deve saber que a preparação dele não é apenas em termos de compartilhar os resultados de sua melhor aplicação de alguns talentos bastante incomuns. O seu próprio papel, que ele entenderá depois que a sua preparação estiver completa, será igualmente surpreendente. Ele precisará da sua ajuda, assim como você precisa da força dele agora.

T 1 B 41j. Observe que você DE FATO NÃO precisa da ajuda dele como escriba, porque desenvolveu essa habilidade por seus próprios esforços e, finalmente, os colocou à MINHA disposição. Ao emprestar a você a sua força, ele se fortalece. Quando ele conseguir isso por meio de seus próprios esforços, ele precisará de sua ajuda de uma maneira muito inesperada. Mas este é apenas outro exemplo da natureza recíproca dos milagres.

T 1 B 41k. Igualdade não implica homogeneidade AGORA. Quando TODOS tiverem TUDO, as contribuições individuais para a Filiação não serão mais necessárias. Quando a Expiação for concluída, TODOS os talentos serão compartilhados por TODOS os Filhos de Deus. Deus NÃO é parcial. Todos os Seus filhos têm o Seu amor total e todos os seus dons são dados gratuitamente a todos igualmente.

T 1 B 41l. “A não ser que se tornem crianças” significa que, a menos que reconheçam totalmente a sua total dependência de Deus, vocês não podem conhecer o verdadeiro poder do Filho em seu verdadeiro relacionamento com o Pai. T (47)-47

T 1 B 41m. Você e Bill DE FATO têm talentos especiais que são necessários para a aceleração Celestial neste momento. Mas note que o termo aceleração não é aquele que se relaciona com a TRANSCENDÊNCIA do tempo.

T 1 B 41n. Quando o tempo for abolido e todos os Filhos de Deus tiverem voltado para casa, nenhum agente especial será necessário. Mas de fato não subestime o poder dos agentes especiais agora, ou a grande necessidade que há por eles. Eu de fato não pretendo ser mais do que eu mesmo. Ninguém em sua Mente Certa, (um termo que deve ser especialmente observado) quer mais ou menos do que isso. Aqueles que são chamados a testemunhar por mim AGORA estão testemunhando por todos os homens, como Eu sou.

T 1 B 41o. O papel da Sacerdotisa era experimentar Revelações e fazer milagres. O objetivo era trazer aqueles que ainda não estavam disponíveis para Revelações diretas em foco adequado para eles. Percepção elevada sempre foi o atributo essencial da Sacerdotisa.

T 1 B 41p. (Esta é a primeira vez que Helen disse que ficaria honrada se houvesse alguma observação.)

T 1 B 41q. (Nem Bill nem eu estamos realmente claros sobre como os impulsos sexuais podem ser traduzidos diretamente em impulsos milagrosos.) As fantasias que eu mencionei ontem (refere-se à discussão que Helen & Bill tiveram) fornecem um excelente exemplo de como você muda. (Agora mude as referências de pronomes, ou isso ficará muito confuso.)

T 1 B 41r. As fantasias são formas distorcidas de pensamento, porque sempre envolvem a distorção da percepção em irrealidade. A fantasia é uma forma degradada de visão. Visões e Revelações estão intimamente relacionadas. Fantasias e projeções estão mais intimamente associadas, porque ambas tentam controlar a realidade externa de acordo com falsas necessidades internas. “Viva e deixe viver” passa a ser uma injunção muito significativa. Distorça a realidade de qualquer maneira e você a perceberá de forma destrutiva. A realidade foi perdida por meio da usurpação, que por sua vez produziu a tirania. Eu disse que você foi restaurada ao seu antigo papel no Plano de Expiação. Mas você ainda deve escolher livremente dedicar a sua herança à Restauração maior. Enquanto um único escravo continuar caminhando pela terra, a sua liberação não será completa. A restauração completa da Filiação é o único objetivo verdadeiro da mente voltada para milagres. T (48)-48

T 1 B 41s. As fantasias sexuais são distorções da percepção por definição. Elas são um meio de fazer associações falsas e obter prazer delas. O homem só pode fazer isso porque É criativo. Mas embora ele possa perceber associações falsas, ele nunca pode torná-las reais, exceto para si mesmo. Como já foi dito, o homem acredita no que cria. Se ele criar um milagre, ele será igualmente forte em sua crença nisso. A força de sua convicção sustentará então a crença de quem recebe o milagre.

T 1 B 41t. NENHUMA fantasia, sexual ou outra, é verdadeira. As fantasias se tornam totalmente desnecessárias à medida que a natureza Totalmente satisfatória da realidade se torna aparente. O impulso sexual É um impulso milagroso quando está no foco adequado. Um indivíduo vê no outro o parceiro certo para “procriar o estoque” (Wolff não estava muito longe aqui) e também para o estabelecimento conjunto de um lar criativo. Isso não envolve fantasia de forma alguma. Se eu for convidado a participar da decisão, a decisão será Acertada também.

T 1 B 41u. Em uma situação em que você ou outra pessoa, ou ambos, experimentam impulsos sexuais inadequados, SAIBA PRIMEIRO que isso é uma expressão de medo. O seu amor um pelo outro NÃO é perfeito e é por isso que o medo surgiu. Volte-se imediatamente para mim, negando o poder do medo e peça-me para ajudá-lo a substituí-lo pelo amor. Isso muda o impulso sexual imediatamente para o impulso milagroso e o coloca à MINHA disposição.

T 1 B 41v. Em seguida, reconheça o verdadeiro valor criativo de você E do outro. Isso coloca a força onde ela pertence. Observe que as fantasias sexuais são SEMPRE destrutivas (ou esgotantes), pois percebem outra pessoa em um papel criativo inadequado. Ambas as pessoas são percebidas essencialmente como “objetos” que cumprem SEUS PRÓPRIOS impulsos de prazer. Essa visão desumanizada é a fonte do uso ESVAZIADO do sexo. A descrição de Freud é puramente NEGATIVA, ou seja, como uma liberação do DESAGRADÁVEL. Ele também observou que a tensão dos impulsos do id nunca diminui completamente. T (49)-49

T 1 B 41w. O que ele deveria ter dito é que a mudança de impulsos milagrosos para impulsos sexuais foi debilitante em primeiro lugar, por causa da confusão de nível envolvido. Isso configurou um estado em que a liberação real era impossível. Observe também que a noção de sexo de Freud era um dispositivo para induzir RELAXAMENTO, que ele confundiu com PAZ.

T 1 B 41x. O sexo impróprio relaxa apenas no sentido de que pode induzir ao sono físico. O milagre, por outro lado, é um ENERGIZADOR. Ele sempre fortalece e nunca se esgota. Ele DE FATO induz a paz e, ao estabelecer a tranquilidade (não o relaxamento), ele permite que tanto o doador quanto o receptor entrem em um estado de Graça. Aqui, a sua mentalidade voltada para milagres (não liberação da tensão) é restaurada.

T 1 B 41y. A tensão é o resultado de uma acumulação de impulsos milagrosos não expressos. Isso pode ser realmente diminuído apenas liberando o impulso milagroso, que foi bloqueado. Convertê-lo em libido sexual apenas produz mais bloqueios. Nunca alimente essa ilusão em você mesmo ou encoraje-a nos outros. Um “objeto” é incapaz de ser liberado, porque é um conceito privado de poder criativo. O reconhecimento do verdadeiro poder criativo em você E nos outros traz alívio porque ele traz paz.

T 1 B 41z. A paz de Deus que excede todo o entendimento PODE guardar seus corações agora e para sempre.

T 1 B 41aa. Existem apenas duas pequenas adições necessárias aqui:

1. O seu primeiro problema agudo em escrever coisas veio de um uso incorreto MUITO anterior de grandes habilidades de escriba. Estas foram transformadas em segredo ao invés de vantagem compartilhada, privando-a (?) de seu potencial milagroso e desviando-a para a sua possessão. Isso é muito parecido com a confusão de impulsos sexuais com impulsos de possessão. Parte do material original ainda está no Templo. É por isso que você ficou com tanto medo da Atlântida. Bill tem suas próprias razões. T (50)-50

T 1 B 41ab. 2. Mantenha a sua atitude de mente voltada para milagre em relação a Rosie com MUITO cuidado. Ela já machucou vocês dois e é por isso que ela agora é sua serva. Mas ela é abençoada por ver o serviço como uma fonte de alegria. Ajude-a a corrigir os seus erros do passado, contribuindo para o seu bem-estar agora.

T 1 B 41ac. (Revelação especial referente à OMISSÃO 1. de Helen)

T 1 B 41ad. A questão de Helen refere-se a memórias passadas. RESPOSTA: Desde que você se lembre SEMPRE de que você nunca sofreu nada por causa de algo que OUTRA pessoa tenha feito, isso não é perigoso.

T 1 B 41ae. Lembre-se que você que deseja paz só pode encontrá-la por meio do perdão completo. Você nunca QUIS realmente paz antes, então não fazia sentido saber como obtê-la. Este é um exemplo do princípio da “necessidade de saber”, estabelecido pelo Plano de Expiação muito antes da CIA. [Central Intelligence Agency?]

T 1 B 41af. Nenhum tipo de conhecimento é adquirido por alguém a menos que ele queira ou acredite de alguma forma que o PRECISA. Um psicólogo de fato NÃO precisa de uma lição sobre a hierarquia de necessidades como tal, mas como todo mundo, ele PRECISA entender as suas próprias.

T 1 B 41ag. Este conjunto particular de anotações será o único que lida com o conceito de “falta”, porque embora o conceito não exista na Criação de Deus, ele [conceito de “falta”] é MUITO aparente nas criações do homem. É, de fato, a diferença essencial.

T 1 B 41ah. Uma necessidade implica em falta, por definição. Isso envolve o reconhecimento, consciente ou inconsciente (e às vezes, felizmente, superconsciente) de que você estaria melhor em um estado que é de alguma forma diferente daquele em que está.

T 1 B 41ai. Até a Separação, que é um termo melhor do que a Queda, não faltou nada. Isso significava que o homem não tinha necessidades alguma. Se ele não tivesse se privado, ele nunca as teria experienciado. T (51)-51

T 1 B 41aj. Após a separação, as necessidades se tornaram a fonte mais poderosa de motivação para a ação humana. Todo comportamento é essencialmente motivado por necessidades, mas o comportamento em si não é um atributo Divino. O corpo é o mecanismo do comportamento. (Pergunte a qualquer comportamentalista e ele também está CERTO.)

T 1 B 41aj. Após a Separação, as necessidades se tornaram a fonte mais poderosa de motivação para a ação humana. Todo comportamento é essencialmente motivado por necessidades, mas o comportamento em si mesmo não é um atributo Divino. O corpo é o mecanismo do comportamento. (Pergunte a qualquer behaviorista [comportamentalista] e ele está CERTO, também.)

T 1 B 41ak. Você diz em suas próprias aulas que ninguém se daria ao trabalho de se levantar e ir de um lugar a outro se ele não achasse que de alguma forma estaria melhor. Isso é verdade.

T 1 B 41al. Acreditar que ele PODERIA estar “melhor” é a razão pela qual o homem tem o mecanismo do comportamento à sua disposição. É por isso que a Bíblia diz: “Por suas AÇÕES os conhecereis.”

T 1 B 41am. Um homem age de acordo com a hierarquia particular de necessidades que estabelece para si mesmo. A sua hierarquia, por sua vez, depende de sua percepção do que ele É, ou seja, do que FALTA a ele. Isso estabelece as suas próprias regras para o que ele precisa saber.

T 1 B 41an. A separação de Deus é a única falta que ele realmente precisa corrigir. Mas a sua Separação nunca teria ocorrido se ele não tivesse distorcido a sua percepção da verdade e assim percebeu a si mesmo como deficiente.

T 1 B 41ao. O conceito de QUALQUER tipo de HIERARQUIA de necessidade surgiu porque, tendo cometido esse erro fundamental, ele já havia se fragmentado em níveis com necessidades DIFERENTES. À medida que ele se integra, ELE se torna um só e sua ÚNICA necessidade se torna uma de acordo. Somente os fragmentados podem estar confusos sobre isso.

T 1 B 41ap. A integração interna dentro do self não (suficiente para?) corrigirá a falácia da falta, mas ela IRÁ corrigir a falácia da NECESSIDADE. (Obrigado por escrever isso como foi fornecido.) A necessidade unificada produz ação unificada, porque produz falta de ambivalência.

T 1 B 41aq. O conceito de hierarquia de necessidades, um corolário do erro original, requer correção em seu PRÓPRIO nível, antes que o erro dos próprios níveis possa ser corrigido. O homem não pode operar (ou se comportar) com eficácia enquanto opera em níveis divididos. Mas, enquanto o fizer, ele deve introduzir a correção de baixo para cima. T (52)-52

T 1 B 41ar. Isso ocorre porque ele agora opera no espaço, onde “para cima” e “para baixo” são termos significativos. Em última análise, é claro, o espaço é tão sem sentido quanto o tempo. O conceito é realmente da CRENÇA espaço-tempo. O mundo físico existe apenas porque o homem pode usá-lo para corrigir a sua DESCRENÇA, que o colocou nele originalmente. Enquanto o homem SABIA que não precisava de nada, todo o dispositivo era desnecessário.

T 1 B 41as. A necessidade de saber não está com segurança sob o controle do homem neste momento. Ela está MUITO melhor sob o meu. Vamos deixar por isso mesmo.

T 1 B 41at. (Pergunta específica levantada por William Thetford referente sexo sob as condições existentes) (Helen levantou uma pergunta anterior sobre o passado, que acaba de ser respondida.)

T 1 B 41au. A outra pergunta, no entanto, eu estou mais do que disposto a responder, porque é apropriada para AGORA. Você e Bill escolheram os seus atuais parceiros sexuais vergonhosamente e teriam que expiar a falta de amor que estava envolvida em qualquer caso.

T 1 B 41av. Vocês os selecionaram precisamente PORQUE NÃO eram adequados para satisfazer as suas fantasias. Isso não porque vocês quisessem abandonar ou desistir das fantasias, mas porque vocês estavam com MEDO delas. Vocês viram em seus parceiros um meio de se protegerem contra o medo, mas ambos continuaram a “olhar ao redor” em busca de oportunidades para se entregarem às fantasias.

T 1 B 41aw. O sonho do “parceiro perfeito” é uma tentativa de encontrar integração EXTERNA, enquanto retém necessidades conflitantes em si mesmo.

T 1 B 41ax. Bill era um pouco menos culpado do que você, mas principalmente porque ele estava com mais medo. Ele havia abandonado a esperança (de encontrar um parceiro perfeito) em um sentimento neurótico de desespero por encontrá-lo. Você, por outro lado, insistiu que a esperança era justificada. Nenhum de vocês, portanto, estava em sua Mente Certa.

T 1 B 41ay. Como foi dito antes, a homossexualidade é INERENTEMENTE mais arriscada (ou sujeita a erros) do que a heterossexualidade, mas ambas podem ser praticadas em bases igualmente falsas. A falsidade da base fica clara nas fantasias que o acompanham. A homossexualidade SEMPRE envolve uma percepção errônea de si mesmo OU do parceiro e, geralmente, de ambos. T (53)-53

T 1 B 41az. Penetração DE FATO NÃO envolve magia, nem DE FATO QUALQUER forma de comportamento sexual. Ela É uma crença mágica para se envolver em QUALQUER forma de atividade de imagem corporal. Você nem se criou, nem controlou a sua criação. Ao introduzir níveis em sua própria percepção, você abriu o caminho para distorções da imagem corporal.

T 1 B 41ba. A falta de amor (ou orientação de necessidade defeituosa) que levou às escolhas de sua pessoa em particular (não OBJETO) PODE SER corrigida dentro da estrutura existente e teria que ser no interesse maior do progresso geral. A situação é questionável em grande parte por causa de sua vulnerabilidade inerente à gratificação da fantasia. Fazer o melhor que você pode DENTRO dessa limitação é provavelmente a melhor medida corretiva no momento. Qualquer relacionamento que você tenha assumido por qualquer motivo torna-se uma responsabilidade.

T 1 B 41bb. Se você mudar as suas próprias necessidades, DEVERÁ resultar alguma mudança correspondente na orientação de necessidade da outra pessoa. Isso será benéfico, mesmo se o parceiro originalmente se sentiu atraído por você POR CAUSA do seu desrespeito. Dispositivos de ensino que são totalmente estranhos ao sistema perceptivo do aprendiz são geralmente meramente inovadores. A transferência depende de ALGUNS elementos comuns na nova situação que são compreensíveis em termos da antiga.

T 1 B 41bc. O homem nunca pode controlar os efeitos do medo, porque ele CRIOU o medo e acredita no que ele cria. Em atitude, então, embora não em conteúdo, ele se assemelha a seu próprio Criador, que tem fé perfeita em Suas Criações porque as Criou. Toda a criação se baseia na crença e a crença na criação produz a sua existência. É por isso que um homem pode acreditar no que não é verdade para ninguém. É verdade para ele porque é feito POR ele.

T 1 B 41bd. Cada aspecto do medo provém da percepção de cabeça para baixo. Os VERDADEIRAMENTE criativos dedicam os seus esforços para corrigir isso. O neurótico se dedica ao compromisso. O psicótico tenta escapar estabelecendo a verdade sobre os seus próprios erros. É muito difícil liberá-lo por meios comuns, apenas porque ele é mais estável em sua negação da verdade. T (54)-54

OE – A Course in Miracles – Original Edition – Course in Miracles Society (CIMS)

36.50. Milagres controlados por Cristo fazem parte da Expiação, mas a orientação de Cristo é pessoal e leva à salvação pessoal. A natureza impessoal dos milagres é um ingrediente essencial porque me permite controlar a sua distribuição. A orientação de Cristo leva à experiência altamente pessoal de revelação. É por isso que envolve escolha pessoal. Um guia não controla, mas dirige, deixando o acompanhamento para você. “Não nos deixe cair em tentação” significa “guie-nos para fora de nossos próprios erros”. “Pega na tua cruz e segue-me” significa: “Reconheça os seus erros e opte por abandoná-los seguindo a minha orientação”.

36.51. Lembre-se de que o erro não pode realmente ameaçar a verdade, que sempre pode resistir a ela. Apenas o erro é realmente vulnerável. Você é livre para estabelecer o seu reino onde achar melhor, mas a escolha certa é inevitável se você se lembrar disso:

36.52.

A Alma está em estado de graça para sempre.

A realidade do homem é apenas a sua Alma.

Portanto, o homem está em um estado de graça para sempre.

36.53. A Expiação desfaz todos os erros a esse respeito e, assim, arranca a verdadeira fonte do medo. Sempre que as garantias de Deus são sentidas como uma ameaça, isso é sempre porque você está defendendo uma lealdade inadequada e direcionada equivocadamente. É isso o que a projeção sempre envolve. O erro é falta de amor. Quando o homem projeta isso nos outros, ele os aprisiona, mas apenas na medida em que reforça os erros que eles já cometeram. Isso os torna vulneráveis ​​às distorções dos outros, uma vez que a sua própria percepção de si mesmos é distorcida. O trabalhador em milagres só pode abençoar e isso desfaz as suas distorções e os liberta da prisão.

47.75. A Mentalidade voltada para milagres significa prontidão para milagres. Prontidão significa que você deve sempre manter as suas percepções corretas, de modo que esteja sempre pronto, disposto e capaz. Esses são os fundamentos para “ouvir, aprender e fazer”. Você deve estar pronto para ouvir, disposto a aprender e capaz de fazer. Apenas o último é involuntário porque é a aplicação de milagres, que devem ser controlados por Cristo. Os outros dois, que são os aspectos voluntários da mentalidade voltada para milagres, dependem de você.

48.76. Reverência é uma resposta inadequada aos milagres.

48.77. Revelação é literalmente inexprimível porque é uma experiência de amor inexprimível. Reverência deve ser reservada para a revelação, à qual é perfeita e corretamente aplicável. Não é apropriada para milagres, porque um estado de reverência é adoração. Isso implica que um de ordem menor está antes de outro maior. Este é o caso apenas quando uma Alma está diante de seu Criador. As almas são criações perfeitas e experimentam reverência apenas na Presença do Criador da perfeição.

48.78. O milagre, por outro lado, é um sinal de amor entre iguais. Os iguais não podem ter medo um do outro porque o temor implica em desigualdade. Ele é portanto uma reação inadequada para mim. Um irmão mais velho tem direito ao respeito por sua maior experiência e a uma quantidade razoável de obediência por sua maior sabedoria. Ele também tem direito ao amor, porque ele é um irmão e também à devoção, se ele for devoto. É apenas a minha própria devoção que me dá direito à sua. Não há nada sobre mim que você não possa alcançar. Não tenho nada que não venha de Deus. A principal diferença entre nós ainda é que não tenho mais nada. Isso me deixa em um estado de verdadeira santidade, que é apenas um potencial em você.

48.79. “Ninguém vem ao Pai senão por mim” está entre as declarações mais mal compreendidas na Bíblia. Não significa que eu seja de alguma forma separado ou diferente de você, exceto no tempo, que na verdade não existe de forma alguma. Na verdade, a citação é mais significativa se for considerada em um eixo vertical em vez de horizontal. Considerado ao longo da vertical, o homem está abaixo de mim e eu abaixo de Deus. No processo de “ascensão”, estou mais elevado. Isso porque, sem mim, a distância entre Deus e o homem seria grande demais para você abranger.

48.80. Eu transponho a distância como um irmão mais velho para o homem por um lado e como um Filho de Deus por outro. Minha devoção aos meus irmãos me colocou no comando da Filiação, que só posso tornar completa na medida em que posso compartilhá-la. Isso pode parecer contradizer a declaração: “Eu e meu Pai somos um só”, mas ainda há partes separadas na declaração em reconhecimento de que o Pai é maior. (A declaração original era “são de uma natureza só”). O Espírito Santo é o portador de revelações. As revelações são indiretamente inspiradas por mim porque eu estou perto do Espírito Santo e alerta para a prontidão de revelação de meus irmãos. Posso, assim, trazer mais para eles do que eles podem sacar para si mesmos.

CAE – Completed and Annotated Edition – Circle of Atonement.

9. Um milagre reverte a ordem física porque não é apenas o destinatário que ganha; o doador também ganha. Ambos voltam com mais amor.

20. Milagres não dependem das leis do tempo. Eles são um caso em que as leis de uma ordem diferente – a eternidade – surgem e anulam as leis que se esgotam neste mundo.

23. Ele parece como se “o tempo não perdoa ninguém” e que “neste mundo nada pode ser dado como certo, à exceção da morte e dos impostos” (Jesus assinala que “imposto” também significa “tensão”). No entanto, os milagres podem derrubar até mesmo as condições aparentemente mais impossíveis de se mover neste mundo, porque nós mesmos criamos essas condições e podemos, portanto, anulá-las.

25. É essencial não perder tempo resolvendo as minúcias do dia do seu jeito. Deixe que a orientação de Jesus o acelere, para que esteja disponível quando ele o chamar. “Milagres dependem do tempo”, porque, como nós todos sabemos, pessoas precisam de você quando elas precisam de você.

40. A paternidade deve ser um trabalho em milagres: uma série infinita de expressões de amor. É assim que os pais podem doar a sua maior abundância e ajudar os seus filhos a compartilhar essa abundância. Quando eles não fazem isso, a percepção de seus filhos fica distorcida e isso causa uma ruptura na base de toda a família de Deus.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” [tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples (clara)”] – Elizabeth A. Cronkhite

Capítulo 1: O Significado dos Milagres – Seção 1: Princípios dos Milagres (*)

(*) Os Princípios estão resumidos aqui e os parágrafos de fato não correspondem com o original.

1. Milagres são extensões do Amor de Deus em sua consciência no nível da realidade. Eles estão sempre inteiros e completos, não importa a sua forma aparente ou tamanho. Cada extensão do seu Amor de Deus é um milagre. Milagres de fato nem sempre produzem resultados que são visíveis aos olhos do corpo e eles podem afetar situações das quais você não está ciente.

2. Milagres não são espetáculos para fazer os outros acreditarem em Deus ou em seu próprio poder. Eles são o resultado de sua verdadeira oração, ou comunhão, com Deus. Através da oração você recebe o Amor de Deus; através do milagre você estende a sua experiência do Amor de Deus. O verdadeiro milagre é o amor de Deus; a Sua expressão no mundo que você percebe não é importante. A Sua Mente Verdadeira e Espírito Santo, Que são o Amor de Deus, são milagres.

3. Experienciar milagres é necessário para você como um meio para se lembrar que você é Um Só com Deus. Ao estender o Amor de Deus, você se torna ciente de que o Amor de Deus está Dentro de você. Você recebe o Amor que você dá porque você fortalece a consciência no nível da realidade de Deus em sua mente enquanto você estende o Amor. Todos os milagres que você experimenta se juntam ao plano da Expiação, que é a correção completa de sua percepção da separação de Deus.

4. Todo o seu medo e a sua sensação de falta e limitação vêm da sua crença de que você está separado de Deus. A sua experiência do milagre expia, ou corrige, a sua percepção equivocada ao lembrá-lo de que você é Um Só com Deus. Superando o seu medo, a sua experiência do milagre o prepara para a revelação direta de Deus, na Qual você não experiencia medo.

5. A sua experiência de milagres vem do Espírito Santo, a Voz por Deus em sua mente. O Espírito Santo inspira e está no comando dos milagres. É o Espírito Santo em sua mente que é realmente importante, não a expressão do milagre. Você não pode experienciar milagres na mente pessoal, que está separada de Deus. Tentativas de você manifestar “milagres” com a mente pessoal o levará a uma sensação adicional de separação de Deus. Inspirado por sua Mente Espiritual, a sua experiência do milagre lembra que você é Um Só com Deus e o libera de sua crença de que você é um eu pessoal.

6. O Amor de Deus é natural para você porque você é Um Só com Deus. Quando você não experienciar milagres é porque você não está aberto a Deus. Você sempre pode, sem exceção, experienciar milagres, mas você deve superar os seus obstáculos para Deus primeiro.

7. Quando você acredita que o que os olhos do corpo mostram a você é a realidade, você teme o Amor de Deus, Que é Realidade. Você pode ter apenas uma identidade: o Espírito Santo ou o ser pessoal. A sua experiência do milagre unifica a sua mente porque ela ignora a aparência de eus pessoais separados e olha apenas para o Amor de Deus.

8. Porque isso vem do Espírito Santo dentro de você, a sua experiência do milagre lembra que você é Espírito, não um corpo, curando a sua mente de sua identificação equivocada com um corpo. Todas as formas de doença são o resultado de sua identificação com um eu pessoal em um corpo.

9. Como uma expressão de sua Unicidade com Deus, o milagre cura a sua culpa por perceber que você separou a si mesmo de Deus no passado e ele [o milagre] o libera do medo de punição futura por isso. A sua experiência de um milagre vem da Unicidade da Eternidade e ela ignora a separação e o tempo. O seu experienciar milagres é o único propósito real que o tempo tem para você.

10. A gratidão é devida ao milagre como uma expressão de sua Identidade Real. Você pode negar que você é Um Só com Deus, mas você não pode alterar este Fato. Você precisa experienciar milagres como um meio de lembrá-lo de que você é Um Só com Deus. Quando você voltar à máxima consciência no nível da realidade de Deus você não precisará mais do milagre.

Fechamento

Com isso estamos disponibilizando todo o material anotado por Helen e Bill durante o processo de transcrição (escriba) de Um Curso em Milagres, referente à Seção 1 – Princípios dos milagres, mostrando também o retrato fiel daquilo que não foi considerado na versão FIP – 2ª Edição – Foundation for Inner Peace, em língua portuguesa.

Desta maneira temos à mão tudo o que precisamos para uma maior compreensão e o eficaz entendimento dos princípios dos milagres como material de apoio para o nosso estudo do Curso e do seu sistema de pensamento.

O único material que ficou de fora seria aquele que Helen recebeu de Jesus e que por considerar “muito pessoal” acabou não transmitindo à Bill para o datilografar na versão Urtext.

Percebe-se uma grande quantidade de anotações que não foram contempladas na 2ª versão FIP, por serem realmente de cunho pessoal, porém boa parte podemos considerar de grande valor para os estudantes do Curso.

Alguns temas, entre outros, ficaram de fora como os níveis da mente, sexo, homossexualidade, seleção de parceiros, papel do professor, pais e filhos, meditação e oração, patologia em torno da possessão.

A seguir encerro com duas definições de milagre do Professor Robert Perry e uma inspiradora oração do Processor Greg Mackie, para o nosso conhecimento, reflexão, meditação e entendimento.

O milagre interno

Milagres não são apenas algo que você dá aos outros. Eles também são algo que Jesus dá à sua própria mente. Eles agem como catalisadores que quebram a percepção equivocada e a curam. Eles curam a sua confusão de níveis, colocando o corpo e o espírito na perspectiva adequada para você. Para se beneficiar deles, você deve estar disposto a comparar as suas percepções equivocadas com a realidade única do amor perfeito. Robert Perry.

Definição geral do milagre

Milagres são expressões de amor – uma pessoa expressando amor para uma outra. Para fazer milagres, então, você deve ter amor em você. Você deve ter a percepção das pessoas que estão recebendo como tendo um valor inestimável e como sendo semelhantes a você. O seu milagre honra a santidade e a perfeição que Deus criou nelas. Isso as curará, restaurando o senso de integridade delas e até mesmo curando o corpo delas. Além disso, você, como doador, ganhará em amor e força. Os seus milagres curarão indivíduos em lugares distantes, permitirão que grupos dos quais você faça parte cooperem suavemente e, por fim, eles [os milagres] aproximarão o dia em que todos se reunirão no Céu. Você deve devotar todos os dias para fazer milagres, pois é para isso que existe o tempo. Robert Perry

Oração baseada nas Lições 349 e 350

Pai, os milagres refletem o Seu Amor eterno. Oferecê-los é lembrar de Você e, por meio da Sua memória, salvar o mundo. E assim, a cada dia, deixamos a visão de Cristo olhar para todas as coisas por nós e não julgá-las, mas dar, a cada um, em vez disso, um milagre de amor. Veremos milagres por meio de nossas mãos, por meio de nosso irmão Jesus. Ajude-nos a realizar quaisquer milagres que você queira de nós, cada dia e todos os dias. Assim, iremos liberar todas as coisas que vemos e dar a eles a liberdade que nós buscamos. Pois assim obedecemos à lei do amor e damos o que queremos encontrar e tornar nosso. Será dado a nós, porque o escolhemos como a dádiva que queremos dar. Pai, as Suas dádivas são nossas. Cada uma que aceitamos nos dá um milagre para dar. E dando como nós recebemos, nós aprendemos que os Seus milagres de cura pertencem a nós. Por isso, confiamos em Você para nos enviar milagres para abençoar o mundo e curar as nossas mentes ao retornarmos a Você. Amém. Greg Mackie

Bibliografia da OREM3:

1) Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

2) Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

3) E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

4) E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

5) Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

6) Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

7) Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

8) Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

9) E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

10) Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

11) Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

12) Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

13) Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

14) Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

15) Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

16) Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

17) Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

18) Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

19) Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

20) Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

21) Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

22) Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

23) Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

24) Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

25) Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

26) Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

27) E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

28) Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

29) Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

30) Site https://circleofa.org/.

31) Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

32) Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

33) Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

34) Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

35) Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

36) Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

37) Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

38) Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

39) Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

40) Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

41) Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

42) Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

43) Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

44) Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Imagem jenna-lee-f0OL01IHbCM-unsplash.jpg

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x