O Curso, em seu Capítulo 20, aborda de maneira inspiradora e esclarecedora, a mensagem reveladora que a Semana Santa e a Páscoa nos proporcionam como uma real dádiva, amorosamente compartilhada pelo nosso Amigo-Irmão Jesus, provocando em nós mesmos uma total reversão de tudo aquilo que nós tínhamos aprendido até então sobre esse período e passagem do Mestre.

Para o nosso entendimento sobre o sistema de pensamento de Um Curso em Milagres, nós estamos extraindo trechos do livro Texto, para uma profunda meditação e reflexão sobre essa importante, sensata e liberadora mensagem de Jesus.

E para auxiliar nessa meditação e reflexão sobre essa reveladora data, nós  estamos também destacando 3 artigos de eminentes Professores do Curso, onde esse tema é abordado, conforme o que nos ensina Um Curso em Milagres.

Vamos então a essa reversão… e total liberação.

Eu sou grato a Um Curso em Milagres!!!!

[Os destaques são de nossa autoria.]

O que o Curso fala sobre a Semana Santa e a Páscoa?

O Curso diz:

A semana santa

“Dá fé ao teu irmão, pois a fé e a esperança e a misericórdia são tuas para serem dadas. A dádiva é dada às mãos que dão. Olha para o teu irmão e vê nele a dádiva de Deus que queres receber. É quase Páscoa, o tempo da ressurreição. Vamos dar a redenção um ao outro e compartilhá-la, de tal modo que possamos nos erguer como um só na ressurreição, não separados na morte. Contemplo a dádiva de liberdade que eu dei ao Espírito Santo para ti. E sede livres juntos, tu e teu irmão, à medida que ofereceis ao Espírito Santo essa mesma dádiva. E dando-a, recebe-a Dele em retorno pelo que deste. Ele conduziu a ti e a mim juntos, de forma que pudéssemos nos encontrar aqui nesse lugar santo e tomar a mesma decisão.” (UCEM-T-19.IV.D.17:1-9)

“É quase Páscoa, o tempo da ressurreição.”

Esse é o domingo de Ramos, a celebração da vitória e a aceitação da verdade. Não passemos essa semana santa lamentando a crucificação do Filho de Deus, mas celebrando com felicidade a Sua liberação. Pois a Páscoa é o sinal da paz e não da dor. Um Cristo abatido não tem significado. Mas o Cristo ressuscitado vem a ser o símbolo do perdão do Filho de Deus a si mesmo, o sinal de que ele se considera curado e íntegro.

Esse é o domingo de Ramos, a celebração da vitória e a aceitação da verdade.

Essa semana começa com ramos e termina com lírios, o sinal branco e santo de que o Filho de Deus é inocente. Não permitas que nenhum sinal escuro de crucificação intervenha entre a jornada e o seu propósito, entre a aceitação da verdade e a sua expressão. Essa semana nós celebramos vida, não morte. E nós honramos a perfeita pureza do Filho de Deus e não os seus pecados. Oferece ao teu irmão a dádiva de lírios, não a coroa de espinhos, a dádiva do amor e não a ‘dádiva’ do medo. Estás ao lado do teu irmão, os espinhos em uma das mãos e os lírios na outra, incerto quanto ao que vais dar. Une-te agora a mim e joga fora os espinhos oferecendo lírios para substituí-los. Nesta Páscoa, eu quero ter a dádiva do teu perdão, oferecida a mim por ti e devolvida a ti por mim. Não podemos estar unidos na crucificação e na morte. E nem pode a ressurreição estar completa enquanto o teu perdão não descansar em Cristo, junto com o meu.

Pois a Páscoa é o sinal da paz e não da dor.

Uma semana é um tempo curto e no entanto essa semana santa é o símbolo de toda a jornada empreendida pelo Filho de Deus. Quando ele começou, a promessa da ressurreição e o signo da vitória já haviam sido dados a ele. Não deixes que ele caia na tentação da crucificação e lá se atrase. Ajuda-o a caminhar em paz para além de tudo isso, com a luz da sua própria inocência iluminando o seu caminho para a redenção e a liberação. Não o atrases com espinhos e cravos quando a sua redenção está tão próxima. Mas deixes que a brancura da tua brilhante dádiva de lírios o adiante no caminho para a ressurreição.

Mas o Cristo ressuscitado vem a ser o símbolo do perdão do Filho de Deus a si mesmo, o sinal de que ele se considera curado e íntegro.”

A Páscoa não é a celebração do custo do pecado, mas do seu fim. Se vislumbrares a face de Cristo por trás do véu, olhando por entre as pétalas brancas como a neve dos lírios que recebeste e deste como dádiva tua, contemplarás a face do teu irmão e a reconhecerás. Eu era um forasteiro e me recolheste sem saber quem era eu. Entretanto, pela tua dádiva de lírios, tu saberás. No teu perdão a esse forasteiro, estranho para ti e no entanto teu Amigo antigo, está a sua liberação e a tua redenção junto com ele. O tempo da Páscoa é um tempo de alegria e não de luto. Olha para o teu Amigo ressuscitado e celebra a sua santidade junto comigo. Pois a Páscoa é o tempo da tua salvação junto com a minha.” (T-20.I.1-4)

Oferece ao teu irmão a dádiva de lírios, não a coroa de espinhos, a dádiva do amor e não a ‘dádiva’ do medo.

A dádiva de lírios

“Olha para todos os adornos feitos para se pendurar pelo corpo, ou para cobri-lo, ou para serem usados por ele. Vê todas as coisas inúteis feitas para que os olhos do corpo as contemplem. Pensa nas muitas oferendas feitas para o prazer do corpo e lembra-te que todas essas coisas foram feitas para fazer parecer belo o que tu odeias. Usarias essa coisa odiada para atrair o teu irmão a ti e para atrair os olhos do seu corpo? Aprende que com isso apenas estás lhe oferecendo uma coroa de espinhos, sem reconhecê-la pelo que ela é, e tentando justificar a tua própria interpretação do valor que ela tem através da sua aceitação. Entretanto, ainda assim a dádiva proclama que o teu irmão não tem valor para ti, na medida em que a sua aceitação e a delícia com que ele recebe a tua dádiva são o sinal de que ele próprio se avalia como um ser sem valor.

Dádivas não são feitas através de corpos, se elas são verdadeiramente dadas e recebidas. Pois corpos não podem oferecer nem aceitar; entregar nem tomar. Só a mente pode dar valor e só a mente pode decidir o que quer receber e dar. E cada dádiva que a mente oferece depende do que ela quer. Ela irá adornar a casa que escolheu com o maior cuidado, preparando-a para receber as dádivas que quer, oferecendo-as àqueles que vêm à sua casa preferida ou àqueles que ela quer atrair a essa casa. E lá trocarão as suas dádivas, oferecendo e recebendo aquilo que as suas mentes julgam ser digno deles.

Cada dádiva é uma avaliação de quem recebe e de quem dá. Ninguém vê a casa que escolheu senão como um altar a si mesmo. Ninguém busca outra coisa senão atrair a ele os adoradores daquilo que foi colocado sobre ele, fazendo com que seja digno da sua devoção. E cada um fixou uma luz sobre o próprio altar de forma que os outros possam ver o que lá foi depositado e façam com que seja também propriamente deles. Aqui está o valor que dás ao teu irmão e a ti mesmo. Aqui está a tua dádiva a ambos, o teu julgamento sobre o Filho de Deus pelo que ele é. Não te esqueças de que é ao teu salvador que a dádiva é oferecida. Oferece-lhe espinhos e tu és crucificado. Oferece-lhe lírios e é a ti mesmo que libertas.

Eu tenho grande necessidade de lírios, pois o Filho de Deus não me perdoou. E posso eu oferecer-lhe perdão quando ele me oferece espinhos? Pois aquele que oferece espinhos a quem quer que seja, ainda está contra mim e quem pode ser íntegro sem ele? Sê tu o seu amigo por mim, de modo que eu possa ser perdoado e que possas olhar para o Filho de Deus como um ser íntegro. Mas, olha primeiro para o altar na casa que tu escolheste e vê o que colocaste sobre ele para oferecer a mim. Se forem espinhos, cujas pontas brilham friamente em uma luz vermelho-sangue, o corpo é a casa que escolheste e é a separação que me ofereces. E apesar disso, os espinhos desapareceram. Olha agora mais de perto para eles e verás que o teu altar já não é mais o que era.

Oferece-lhe espinhos e tu és crucificado. Oferece-lhe lírios e é a ti mesmo que libertas.

Ainda olhas com os olhos do corpo e eles não podem ver senão espinhos. No entanto, pediste e recebeste um outro modo de ver. Aqueles que aceitam o propósito do Espírito Santo como o seu próprio compartilham também a Sua visão. E o que permite ao Espírito Santo ver o Seu propósito brilhar a partir de cada altar, agora é teu tanto quanto Seu. Ele não vê estranhos, só amigos muito amados e amorosos. Ele não vê espinhos, apenas lírios resplandecendo na aura gentil da paz que brilha sobre tudo o que Ele contempla e ama. .

Nesta Páscoa, contempla o teu irmão com olhos diferentes. Tu me perdoaste. E apesar disso, eu não posso usar a tua dádiva de lírios enquanto tu não os vires. E nem podes usar o que eu te dei a não ser que o compartilhes. A visão do Espírito Santo não é uma dádiva vã, não é um jogo para divertir-te por algum tempo e ser posto de lado. Escuta e ouve isso com atenção: não penses nela como apenas um sonho, um pensamento leviano para brincares ou um brinquedo que de vez em quando pegas e depois deixas de lado. Pois se fizeres isso, assim será ela para ti.

Tens agora visão para olhar todas as ilusões deixando-as para trás. Foi dado a ti não ver espinho algum, estranho algum e nenhum obstáculo para a paz. O medo de Deus não é nada para ti agora. Quem tem medo de olhar para ilusões sabendo que o seu salvador está a seu lado? Com ele, a tua visão veio a ser o maior poder para o desfazer das ilusões que o próprio Deus poderia dar. Pois o que Deus deu ao Espírito Santo, tu recebeste. O Filho de Deus olha para ti esperando a sua liberação. Pois pediste e recebeste a força de olhar para esse obstáculo final e não ver espinhos nem cravos para crucificar o Filho de Deus e coroá-lo rei da morte.

A casa que escolheste fica do outro lado, além do véu. Ela foi cuidadosamente preparada para ti e está agora pronta para receber-te. Não a verás com os olhos do corpo. No entanto, tens tudo o que precisas. A tua casa tem chamado por ti desde o início dos tempos e nunca deixaste inteiramente de ouvir. Ouviste, mas não sabias como olhar, nem para onde. E agora sabes. Sem ti está o conhecimento, pronto para ser desvendado e libertado de todo o terror que o manteve oculto. Não existe medo no amor. A canção da Páscoa é o alegre refrão que diz que o Filho de Deus nunca foi crucificado. Vamos elevar os nossos olhos juntos, não com medo, mas com fé. E não haverá medo em nós, pois em nossa visão não haverão ilusões, só um caminho para a porta aberta do Céu, a casa que compartilhamos em quietude e onde vivemos em gentileza e paz como um só, juntos.

Não queres que o teu santo irmão te conduza até lá? A sua inocência iluminará o teu caminho, oferecendo-te a luz que guia e a proteção segura e está brilhando a partir do altar santo dentro dele onde tu depositaste os lírios do perdão. Permite que ele seja para ti o salvador de todas as ilusões e olha para ele com a nova visão que olha para os lírios e te traz alegria. Nós vamos além do véu do medo, iluminando o caminho um para o outro. A santidade que nos conduz está dentro de nós assim como a nossa casa. Dessa forma nós acharemos aquilo que temos que achar segundo Aquele Que nos conduz.

A canção da Páscoa é o alegre refrão que diz que o Filho de Deus nunca foi crucificado.

Esse é o caminho para o Céu e para a paz da Páscoa, no qual nos unimos na consciência feliz de que o Filho de Deus ressurgiu do passado e despertou para o presente. Agora ele está livre, ilimitado em sua comunhão com tudo o que está dentro dele. Agora estão os lírios da sua inocência intocados pela culpa e perfeitamente protegidos do tremor frio do medo assim como da praga do pecado que faz tudo murchar. A tua dádiva o salvou dos espinhos e dos cravos e o seu braço forte está livre para guiar-te com segurança através deles e mais além. Caminha com ele agora em regozijo, pois aquele que salva de todas as ilusões veio para saudar-te e conduzir-te para casa com ele.

Aqui está o teu salvador e o teu amigo, liberado da crucificação através da tua visão e livre para conduzir-te agora aonde ele quer estar. Ele não te deixará, nem abandonará aquele que o salvou da dor. E, contentes, tu e teu irmão percorrerão juntos o caminho da inocência, cantando enquanto contemplam a porta aberta do Céu e reconhecem o lar que os chamou. Dá alegremente ao teu irmão a liberdade e a força para te conduzir até lá. E vem para estar diante do seu altar santo, onde a força e a liberdade esperam, para oferecer e receber a brilhante consciência que te conduz ao lar. A lâmpada está acesa em ti para o teu irmão. E pelas mesmas mãos que a deram a ele, tu serás conduzido além do medo até o amor.” (T-20.II.1-11)

É Páscoa – O que esse Fim de Semana significa para você?

Artigo: “It’s Easter – What does this weekend mean to you?”

Autoria: Professor Robert Perry

Site: https://circleofa.org/2009/04/10/its-easter-what-does-this-weekend-mean-to-you/

Tradução livre Projeto OREM®

“O fim de semana da Páscoa se aproximou de mim esse ano. No entanto, agora que está aqui, eu só queria perguntar a todos vocês o que isso significa para vocês e compartilhar um pouco sobre o que isso significa para mim.

Depois que eu vim a ser um Cristão (mais ou menos) comprometido na adolescência, eu descobri que tinha muitos sentimentos em torno da crucificação. Eu costumava ouvir o álbum (você sabe, o tipo de vinil) Jesus Christ Superstar [música]. No final, depois de muita luta e drama, Jesus cede agonizantemente à vontade de Deus no jardim do Getsêmani e vai voluntariamente para a morte. Ele dá o seu último suspiro e então não há… nada.

A peça final é apenas uma lembrança musical da canção em que ele se rendeu à vontade fatal de Deus e o título é algo como ‘João 19:41-42’, que diz ‘E no lugar onde Jesus foi crucificado havia um jardim e no jardim um sepulcro novo, onde ninguém jamais havia sido colocado’. Eu soltava enormes soluços no final. Parecia tão trágico. Toda a sua luta para curar as pessoas, cumprir a sua missão e fazer a vontade de Deus e depois nada.

Ao entrar nas crenças metafísicas (centradas nas leituras de Edgar Cayce), eu percebi que eu sentia uma tremenda sensação de conexão com a história de Jesus. Eu tive a sensação de que eu estava lá atrás, talvez como alguém no limite. Eu senti que talvez fosse um Essênio, membro da comunidade que produziu os Manuscritos do Mar Morto.

Eu tive uma leitura psíquica de um médium parecido com Cayce que disse quem eu fui, que eu tive algumas interações com ele e que estive presente na crucificação.

Outro médium (que não faz muito tempo apareceu na Oprah, legitimando assim tudo o que ele sempre disse) espontaneamente me contou a sua impressão repentina, enquanto nós nos encontrávamos durante o jantar, de que eu havia continuado os ensinamentos de Jesus após a sua morte e tinha estado profundamente angustiado com o que as igrejas estavam se desenvolvendo.

Eu não tenho nenhuma razão real para acreditar que nada disso seja verdade. Eu gostaria de ter feito isso. Mas reflete sentimentos que estão muito profundos dentro de mim e literalmente dirigiram a minha vida

Eu costumava assistir ao filme Ben Hur e nas cenas em que Jesus aparecia, eu quase me sentia lá atrás. Eu sentia essa fome quase física de tocar aquele tempo, de estar sentado lá, fisicamente lá, sentindo o chão embaixo de mim, respirando o ar, vendo-o, ouvindo-o.

Essa fome me levou a ler os estudos contemporâneos sobre Jesus e a ler sobre o Sudário de Turim, ambos os quais foram grandes envolvimentos para mim.

Nesse ínterim, o Curso mudou tudo isso. Eu parei de ver a crucificação como algo significativo em si mesma, apenas como uma provação física pela qual Jesus passou. A emoção que eu tinha sentido em torno disso lentamente se esvaiu. Eu penso que eu necessito construir uma nova apreciação da crucificação, com um significado mais pessoal.

Isso tem que levar em conta a incrível brutalidade disso. A violência disso se tornou tão mítica e icônica que é fácil perder de vista a sua brutalidade física crua. Atribuir algo maravilhoso a ele apenas passando por esse tipo de violência desenfreada é, eu penso, um pouco doentio. É por isso que eu não posso assistir aquele filme de Mel Gibson, A Paixão. Essa maneira de ver realmente atinge alguns dos acordes mais primitivos de nossa natureza, eu acredito.

Eu penso que o que eu necessito é entrar em contato com a real beleza de como o Curso vê a crucificação. Há algo de sublime e transcendente em enfrentar o pior absoluto que esse mundo pode oferecer (e a crucificação Romana era isso) com absoluta paz, com despojamento de defesas e com perdão – porque isso não importa. Se ao menos eu pudesse enfrentar os diminutos aperitivos que o mundo me prepara com o mesmo espírito! Eu me relaciono intelectualmente com essa nova visão da crucificação. Entretanto, quando chega a Sexta-Feira Santa, eu não me conecto a isso emocionalmente. Eu quero começar a fazer isso.

Isso é o que tem acontecido ao redor da Páscoa, contudo. A Páscoa veio a ser o meu dia favorito do ano. Eu, de fato, acredito que Jesus foi ressuscitado. Eu penso que isso foi um evento que aconteceu na história real. Eu realmente penso que havia um túmulo vazio. Eu penso que o fato dessa tumba vazia foi um evento tão poderoso para os poucos que a viram que as suas ondas de choque mudaram o mundo. Eu considero a mim mesmo uma pessoa racional que responde às evidências. E a ideia de um cadáver desaparecendo no ar é um evento extremamente complexo, que soa mais como um conto de fadas do que um fato. No entanto, eu tenho reunido o que eu penso serem razões sólidas para acreditar que isso realmente aconteceu.

bruno-van-der-kraan-v2HgNzRDfII-unsplash

E com o tempo, a minha mente tem realmente se unido à interpretação do Curso sobre isso, em um nível emocional. Antes, a Páscoa realmente não significava nada para mim. Agora ela significa todas as coisas. Ao tentar capturar o sentimento que eu tenho em torno da Páscoa, eu acho que o melhor que eu sou capaz de imaginar é o seguinte:

Havia uma luz que Jesus representava, a luz da bondade altruísta, a luz de um Deus puramente amoroso, a luz de nossas mais altas sensibilidades e impulsos mais nobres, a luz de uma vida tão pura, tão sublime, que isso não poderia durar muito tempo nessa terra.

Essa luz parecia a luz que às vezes eu vejo nas rochas aqui ao pôr do sol em um dia nublado – pura, branca, bonita, mas também fraca e impotente. Quando essa luz atingiu esse mundo, o que poderia acontecer, senão que ela brilharia brevemente, lindamente e então seria destruída? Pois todos nós sabemos qual é o real poder. O real poder é a rude máquina desse mundo, que segue o seu caminho independentemente de quaisquer diminutas velas puras que possam ser acesas. Se necessário, ele simplesmente passará por cima delas, sem nem mesmo diminuir a velocidade. No final, todos nós somos capazes de ver e um dia nós somos forçados a reconhecer, que é aí que reside o real poder.

A Páscoa diz Não a isso. Você tem, de fato, entendido tudo errado. Essa luz pura que parecia tão fraca – ela é o verdadeiro poder. Quando a máquina do mundo passou por cima dela, ela ficou absolutamente ilesa. Ela reapareceu totalmente intacta, ainda mais íntegra e transcendente do que antes. E agora ela exerce o poder. Ela brilha tanto, naquela manhã de Domingo, que a máquina do mundo nunca mais será a mesma. Pois enquanto essa luz nunca poderia ser desfeita, a máquina do mundo não é tão invulnerável. No final, essa luz terá a palavra final e a única palavra.

Graças a Deus. Graças a Deus.

É isso o que a Páscoa traz para mim, a possibilidade de que as minhas sensibilidades mais elevadas, puras e sublimes não representem uma quimera, mas sim apontem para o único poder real do universo.

Antes, a Páscoa realmente não significava nada para mim. Agora ela significa todas as coisas.”

O Curso nos diz para tomar a Páscoa como a demonstração definitiva do que realmente é a realidade. É isso que eu tento fazer na Páscoa, para lembrar que a sua ressurreição realmente aconteceu e que foi a principal demonstração de laboratório que revelou para sempre a natureza da realidade. Na ciência moderna, certos experimentos-chave remodelaram toda a nossa imagem das coisas. Depois deles, nunca mais nós veremos as coisas da mesma forma. Eu vejo a ressurreição como o exemplo definitivo disso.

Eu tentei captar o meu senso do significado da Páscoa em alguma coisa que eu escrevi alguns anos atrás. Eu a chamei de ‘O Homem que Confiou em Deus: A Parábola Final de Jesus’

Havia um homem que confiava em Deus. Ele ensinou às pessoas que elas poderiam viver livres de preocupações, porque Deus estava sempre sorrindo para elas. Elas não necessitam escravizarem a elas mesmas ao sistema da sociedade delas, por causa de suas recompensas inconstantes e superficiais. Elas poderiam simplesmente descansar no cuidado de Deus, sabendo que mesmo que o sistema lhes oferecesse pobreza, exclusão e degradação, Deus oferecia vida a elas.

Muito naturalmente, os responsáveis ​​pelo sistema queriam que esse homem fosse silenciado. Então eles trouxeram soldados para matá-lo. Quando os soldados o golpearam na face direita, ele lhes ofereceu a outra face. Quando eles pegaram o seu casaco e a sua camisa, ele os deu de bom grado. Quando o obrigaram a carregar um fardo pesado, ele o fez de bom grado. Ele não estava preocupado com a sua vida, pois confiava que Deus cuidaria dele como Deus cuidou das aves do céu e dos lírios do campo. Então, quando pediram a sua vida, ele não tentou se apegar a ela. Ele a deu livremente. Ele fez exatamente o que ele tinha ensinado as pessoas a fazer.

Enquanto isso, o povo se voltou contra ele. Os seus seguidores fugiram e choraram. As autoridades terminaram o trabalho. A sua voz foi silenciada, o seu ministério promissor interrompido. Era difícil não acreditar no que muitos diziam, que Deus o havia amaldiçoado. No final, esse inspirado pregador acabou sendo um belo perdedor.

Ou assim isso parecia, porém esse não foi o fim. Logo foi descoberto que o seu túmulo estava vazio. Os seus seguidores começaram a ter experiências com ele, nas quais ele se iluminou com alegria e ficou completamente ileso. Do nada ele aparecia e explicava a eles que todas as coisas que ele ensinava a eles eram verdadeiras, que Deus é vida e somente vida.

Hoje em dia, é essa visão brilhante da Páscoa, mais do que a minha visão anterior da tragédia da Sexta-Feira Santa, que me faz chorar. Será, será mesmo, que todas as coisas que ele nos ensinou são verdadeiras, que Deus é vida e só vida?”

Páscoa: A Grande Reversão

Artigo: “Easter: The Great Reversal”

Autoria: Professor Greg Mackie

Site: https://circleofa.org/library/traditional-christianity/

“No momento em que eu escrevo, é a Semana Santa, época em que os Cristãos comemoram a crucificação e a ressurreição de Jesus. Os eventos da Semana Santa são celebrados como as ‘boas novas’ há séculos e por um bom motivo: eles representam uma grande reversão, a superação do mal, do pecado e da morte pelo bem, pela santidade e pela vida eterna.

No entanto, Um Curso em Milagres apresenta uma versão muito diferente dessa reversão do que o Cristianismo tradicional e me pego refletindo sobre o quão diferente (e mais profunda, na minha opinião) é a versão do Curso.

Embora o Cristianismo realmente tenha várias teorias sobre o significado teológico da Semana Santa, todos nós estamos familiarizados com o relato popularizado pelos Evangélicos. Antes da vinda de Jesus, o mundo inteiro estava cativo do mal e do pecado; nós fomos todos condenados por Deus à morte pela transgressão de Adão no Jardim.

Mas Deus nos deu uma saída, uma maneira que os folhetos Evangélicos normalmente descrevem como ‘o grande plano de Deus para a salvação’. Ele enviou Jesus, o Seu Filho unigênito, para morrer na cruz por nossos pecados.

O inocente Cordeiro de Deus levou sobre si o nosso merecido castigo, absolvendo-nos assim. Essa morte salvífica foi a Expiação, o ato que nos reconciliou com Deus. Então, no domingo de Páscoa, Jesus ressuscitou da tumba, provando que ele era realmente o Filho unigênito de Deus. A ressurreição foi o ‘sim’ de Deus a Jesus, a confirmação de que Jesus era o Salvador do mundo.

Nessa visão, os eventos da Semana Santa, especialmente a crucificação, provocaram uma grande reversão. Antes, a salvação não estava disponível; o mundo estava envolto na escuridão do pecado e não havia escapatória. Mas agora, por meio da obra de Jesus na cruz, o caminho para a salvação estava aberto: todas as pessoas que acreditam que Jesus morreu na cruz por elas, se arrependem de seus pecados e aceitam Jesus como o seu Senhor e Salvador pessoal, não serão mais condenadas para o inferno por seus pecados, mas terão a vida eterna no Céu. Nas palavras de João 3:16, o resumo de uma frase dos Evangélicos do plano de Deus para a salvação: ‘Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (NRSV*).

[*NRSV: New Revised Standard Version (Nova Versão Padrão Revisada)]

Esse relato nunca fez sentido para mim. Sempre que eu ouço isso ser chamado de ‘o grande plano de Deus para a salvação’, eu penso: um Deus onisciente e onipotente não poderia apresentar um plano melhor do que esse? Se Ele queria nos salvar, por que não poderia simplesmente dizer: ‘Vocês estão todos perdoados?’ Por que Ele teve que enviar o Seu próprio Filho para uma morte horrível?

A resposta típica é que a Sua justiça exigia isso; alguém tinha que ser punido por nosso crime. Mas essa resposta apenas levanta outra questão: Como a Sua justiça poderia ser feita punindo a única pessoa que é inocente? Não é injusto punir os inocentes? Ninguém me deu uma resposta convincente a essa pergunta.

Depois, há a questão de como nós adquirimos a salvação. Por que deveria a salvação não depender de haver uma boa pessoa ou alcançar um alto nível de sabedoria espiritual, mas simplesmente de acreditar que esse bizarro sacrifício de sangue de um inocente Deus-homem aconteceu há dois mil anos? A coisa toda sempre me pareceu ridícula.

Graças a Deus, Um Curso em Milagres entrou em minha vida, pois isso me deu um relato muito mais inspirador e sensato da Semana Santa. Esse relato está enraizado na visão sublime do Curso sobre Deus e a Sua criação: um Deus de puro Amor que criou a todos nós como extensões de Si mesmo, Filhos de Deus puramente amorosos que são totalmente incapazes de pecar. Essa visão leva a uma maneira muito diferente de ver a Semana Santa.

Como resultado de nossa decisão de rejeitar Deus como o nosso Criador, o mundo inteiro foi mantido cativo pela falsa crença no mal, no pecado e na morte. Mas Deus nos deu uma saída no instante em que nós parecemos nos separar Dele, um plano verdadeiramente grande para a salvação:

o plano da Expiação por meio do perdão, que não puniria ninguém, mas simplesmente nos capacitaria a reconhecer que ‘a separação nunca ocorreu’ ( T-6.II.10:7).

Esse plano se desenvolveu gradualmente ao longo do tempo, mas deu um salto enorme na vida de Jesus, um ser humano como todos nós, mas que percebeu a sua verdadeira Identidade como Filho de Deus em um grau sem precedentes. Ele dedicou a sua vida a ensinar a verdade de que Deus é puro Amor e que nós somos os Seus filhos amados a quem Ele esbanja a generosidade indiscriminada e o cuidado de um Pai perfeito.

Então, durante a última semana que veio a ser conhecida como Semana Santa, Jesus demonstrou a verdade de seus ensinamentos da maneira mais extrema e poderosa. (Isso é bem diferente do relato Evangélico, onde os eventos da Semana Santa não têm nenhuma conexão real com os ensinamentos radicais de Jesus.)

“…um Deus de puro Amor que criou a todos nós como extensões de Si mesmo, Filhos de Deus puramente amorosos que são totalmente incapazes de pecar.

Na crucificação, Jesus nos deu uma demonstração extrema de que precisamente porque o mal, o pecado e a morte são ilusões, nós somos capazes de amar e perdoar aqueles que parecem nos prejudicar, porque nenhum dano real tem sido feito.

Ele nos ensinou que se ele pudesse se lembrar do imutável Amor de Deus e de nossa verdadeira natureza mesmo enquanto ele estava sendo crucificado, certamente nós podemos demonstrar a mesma verdade gloriosa ao enfrentar as pequenas ‘crucificações’ de nossas vidas: ‘Ensina só amor, pois é isso que tu és’ (T-6.I.13:2).

Então, na ressurreição – o pleno despertar de sua mente para o Filho de Deus que ele realmente era, uma Identidade que todos nós compartilhamos – ele nos deu ‘uma demonstração final de que é impossível matar o Filho de Deus; também a sua vida não pode ser mudada de forma alguma pelo pecado e pelo mal, a malícia, o medo ou a morte’ (ET-5.3:5).

A ressurreição foi o seu ensinamento final, ‘a demonstração final de que todas as outras lições que eu ensinei são verdadeiras’ (T-3.I.7:9). Isso, não a crucificação, foi a Expiação, o reconhecimento de que já nós estamos reconciliados com Deus porque nunca houve uma verdadeira ruptura com Ele em primeiro lugar.

Na visão do Curso, os acontecimentos da Semana Santa também provocaram uma grande reversão. Na versão do Curso, é claro, o mundo nunca esteve realmente envolto em pecado e a salvação sempre esteve disponível. No entanto, a ressurreição de Jesus tornou a salvação mais acessível do que antes, de várias maneiras.

Embora a Expiação sempre estivesse disponível, Jesus ‘a colocou em movimento’ (ET-6.2:4). Por ter sido o primeiro a cumprir a Sua parte no plano da Expiação, ele agora é o líder encarregado na realização desse plano (ver ET-6.2:2). O seu pleno despertar tornou mais fácil para nós ouvir a Voz do Espírito Santo (ver ET-6.1:3).

E como as nossas mentes estão todas unidas, a sua ressurreição trouxe a ressurreição de todos, mesmo que ainda nós não tenhamos ciência disso: ‘Você se ergueu com ele quando ele começou a salvar o mundo’ (ET-6.5:5).

Assim, embora o relato do Curso sobre a Semana Santa seja bem diferente daquele do Cristianismo tradicional, eles compartilham uma convicção em comum: um evento de enorme significado ocorreu em Jerusalém há dois mil anos, um evento que mudou tudo, um evento que literalmente salvou o mundo.

Na crucificação, Jesus nos deu uma demonstração extrema de que precisamente porque o mal, o pecado e a morte são ilusões, nós somos capazes de amar e perdoar aqueles que parecem nos prejudicar, porque nenhum dano real tem sido feito.

Mas na versão do Curso, nós não participamos da grande reversão realizada durante a Semana Santa simplesmente acreditando que esses eventos ocorreram e declarando a nossa lealdade a Jesus. Ao invés disso, nós aceitamos a reversão que a sua ressurreição trouxe ao participar ativamente de sua ressurreição.

É claro que nós já estávamos unidos a ele quando isso aconteceu, mas a nossa função agora é nos unirmos à sua ressurreição de forma consciente. Como nós faremos isso? Acima de tudo, amando e perdoando os nossos irmãos da mesma forma que ele tão dramaticamente demonstrou durante aquela última semana de sua vida.

Com efeito, diz-nos que em cada encontro com os nossos irmãos, nós temos a opção de aderir à crucificação condenando-os pelos seus ‘pecados’ ou aderir à ressurreição perdoando-os: ‘Tu queres unir-te à ressurreição ou à crucificação? Tu queres condenar os teus irmãos ou libertá-los?’ (T-11.VI.2:1-2).

A escolha de perdoar realmente de fato reverte todas as coisas. Certamente nós parecemos estar mantidos cativos pelo mal, pelo pecado e pela morte, nós não parecemos? Parece que nós estamos presos a um mundo de sofrimento e escuridão do qual não há como escapar. ‘E, no entanto, um só lírio de perdão transformará a escuridão em luz; o altar às ilusões no santuário da Própria Vida’ (LE-pII.12.5:1).

Quem de nós não viu uma situação aparentemente sem esperança totalmente transformada por uma única decisão de amar e perdoar? Quem nunca experienciou ou pelo menos ouviu falar de uma situação ‘onde um antigo ódio veio a ser um amor presente’ (T-26.IX.6:1)?

Essa é a promessa da Semana Santa: por mais que nós nos sintamos crucificados por esse mundo insano, o nosso destino é a ressurreição. A ilusão da morte pode parecer nos ter em suas garras, mas a realidade da vida eterna tem a última palavra. Por que não experienciar a vida eterna aqui e agora, fazendo a simples escolha de perdoar — sim, aquela pessoa em quem você acabou de pensar? Por que não se juntar à ressurreição de Jesus e realizar a grande reversão agora mesmo? Feliz Páscoa!”

Tu queres unir-te à ressurreição ou à crucificação? Tu queres condenar os teus irmãos ou libertá-los?’ (T-11.VI.2:1-2).

A Promessa da Páscoa

Artigo: “The Promise of Easter”.

Autoria: Professora Beverly Hutchinson McNeff

Site A Course in Miracles Resource Center https://www.miraclecenter.org/wp/the-promise-of-easter/

“Uma professora parou diante de sua classe da escola dominical da segunda série e perguntou: ‘Quem sabe do que se trata a Páscoa?’ Enquanto os rostos perplexos das crianças olhavam para a professora, uma pequena mão se ergueu. ‘Sim, Pedro?’, respondeu a professora.

‘Isso é quando todas as pessoas se reúnem e comem um peru e comemoram a vinda para a América’, disse ele com certeza.

‘Não, isso é o Dia de Ação de Graças, não a Páscoa’, disse a professora.

‘Eu sei! Eu sei!’ disse Letícia, esticando o braço para o alto. A professora acenou com a cabeça para ela responder. ‘Isso é onde você coloca uma árvore na sala da frente, a decora e dá presentes uns aos outros.’

Mais uma vez, um ‘não’ da professora.

As crianças ficaram em silêncio quando Marcus levantou a mão e disse: ‘Isso foi quando Jesus foi morto e colocado em uma caverna com uma pedra na frente dela, e…’

A professora pensou, agora nós estamos no caminho certo!

‘… e, então, todas as pessoas esperam que Jesus saia da caverna para descobrir se ele vê a sombra dele!’

A maioria de nós tem uma ideia um pouco melhor do que é a Páscoa, mas será que realmente nós compreendemos a promessa desse tempo santo? Em Um Curso em Milagres, nós lemos,

‘…a Páscoa é o sinal da paz e não da dor. Um Cristo abatido não tem significado. Mas o Cristo ressuscitado vem a ser o símbolo do perdão do Filho de Deus a si mesmo, o sinal de que ele se considera curado e íntegro.’ (T-20.I.1:3-5)

Deus tem nos prometido a ressurreição, o despertar da verdade de quem nós somos como as Suas Crianças. Ajudemos nesse despertar, não nos concentrando na dor de nossas vidas, mas na promessa. Vamos olhar para as nossas vidas e as vidas de nossos irmãos como perdoados, curados e íntegros enquanto nós empreendemos juntos a jornada da Páscoa:

‘…essa semana santa é o símbolo de toda a jornada empreendida pelo Filho de Deus. Quando ele começou, a promessa da ressurreição e o signo da vitória já haviam sido dados a ele. Não deixes que ele caia na tentação da crucificação e lá se atrase. Ajuda-o a caminhar em paz para além de tudo isso, com a luz da sua própria inocência iluminando o seu caminho para a redenção e a liberação. Não o atrases com espinhos e cravos quando a sua redenção está tão próxima. Mas deixes que a brancura da tua brilhante dádiva de lírios o adiante no caminho da ressurreição…’ (T-20.I.3:1-6)

Ofereçam uns aos outros ‘a dádiva de lírios, não a coroa de espinhos; a dádiva do amor e não a ‘dádiva’ do medo… pois a Páscoa é o tempo da sua salvação…’. (T-20.I.2,4)

Então, novamente, nós temos a promessa de que a ‘vitória’ sobre a dor e o sofrimento em nossas vidas é alcançada e que nós ressuscitamos no amor de Deus. Nós somos lembrados de que a única maneira de experienciar essa verdade em nossas vidas é pelas ‘dádivas’ que nós oferecemos uns aos outros. ‘Oferece-lhe espinhos e tu és crucificado. Oferece-lhe lírios e é a ti mesmo que liberas.’ (T-20.II.3)

Deixe essa Páscoa ser o começo de um novo você! Isso nunca é tarde para substituir os espinhos por lírios; isso nunca é tarde para escolher o amor; isso nunca é tarde para você experienciar os milagres a que você tem direito!”

—–

Imagem cdoncel-uq6x71rIFH8-unsplash.jpg – 6 de abril de 2023

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Vídeo do Dr. Kenneth Wapnick, abordando a afirmação do livro Texto: “Faça com que esse ano seja diferente, fazendo com que tudo seja o mesmo” ((UCEM-Urtext-T-15.XI.10:11), disponível no YouTube através do link:  https://www.youtube.com/watch?v=KFNCHw_Hb5Q.

Artigo do Professor Robert Perry, denominado “THIS YEAR MAKE DIFFERENT: HOW THE COURSE WOULD HAVE US APPROACH THE NEW YEAR” [Tradução livre “Faça com que esse ano seja diferente: Como o Curso nos quer fazer abordar o Ano Novo”], disponível em inglês através do link: https://circleofa.org/library/a-different-approach-to-the-new-year/.

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4
Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x