UCEM – Versão Urtext – Mensagens Especiais

Tradução livre Projeto OREM®

Apêndice I: Árvore Genealógica da Versão/Edição de UCEM

Apêndice I – 15

Fonte:  “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition”

A Transcrição de Thetford

“As questões relacionadas com a identificação tanto da Transcrição de Thetford como da versão Urtext são tratadas em detalhe em outro local(5). Embora a identificação positiva seja ilusória, há algumas evidências de que os volumes da Psicoterapia e da Canção da Oração podem ser a Transcrição de Thetford, pois apresentam alguns sinais de ditado oral. Há pouco que sugira que qualquer um dos outros manuscritos datilografados represente um manuscrito original digitado para ditado oral, enquanto há muito que sugira que eles sejam redigitações editadas posteriormente. A coleção ‘Toolbox’ (2a) de MPF contém os manuscritos digitados que podem fazer parte da Transcrição Original de Thetford.”

MPF: Publicação da Miracles Pathway Fellowship

A Versão Urtext

Doug Thompson – 2008

MPF: Miracles Pathway Fellowship publication

“Existem oito manuscritos digitados separados denominados ‘Urtext’, um para Texto, um  para o Livro de Exercícios, um para o Manual de Professores, um para o Esclarecimento de Termos, um para a Psicoterapia, um para A Canção da Oração, um para As Dádivas de Deus e um para as Mensagens Especiais.

A palavra ‘Urtext’ nessa discussão refere-se a toda a coleção. Alguns usam Urtext para se referirem apenas ao volume do Texto. Alguns referem-se a essa coleção como ‘o texto datilografado’, entretanto, como todos os manuscritos, exceto as Notas manuscritas, são ‘datilografados’, isso causa mais confusão do que clareza.

Eu suspeito que os Escribas possam de fato ter se referido ao volume do Texto apenas como um ‘urtext’. No entanto, esse material é classificado como ‘urtext‘ no original e nós temos optado por tentar minimizar a confusão, não tentando inventar outro novo nome. A única publicação que inclui todo esse material em edições fac-símile e texto-eletrônico [e-text] é a edição ‘Toolbox’ (3c e 3d). Todas as edições da MPF incluem referências cruzadas baseadas no capítulo original dos escribas e nas divisões de seção do HLC [a versão Hugh Lynn Cayce].

Sete desses volumes Urtext são amplamente, mas não universalmente, considerados ‘canônicos’, embora as Mensagens Especiais sejam vistas como suspeitas por muitos.(6)

As Mensagens Especiais não estão incluídas como canônicas, mas estão incluídas na Scholar’s Toolbox em disco como um suplemento interessante.

(5)A evidência é revisada minuciosamente no Apêndice II.

(6)Existem diferenças de opinião sobre qual material é ou não ‘canônico’. Inicialmente UCEM apareceu em três volumes, Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Naquela época, em 1975, o outro material ainda não havia sido escrito. Pouco depois, um quarto volume, Esclarecimento de Termos, foi adicionado, entretanto não foi chamado de quarto volume, foi chamado de apêndice do Volume III. Há alguma controvérsia sobre se o Esclarecimento de Termos deve ser considerado canônico. A edição original de três volumes de Whitmore, por exemplo, não o inclui. O Blue Sparkly o direciona para a frente do livro como uma espécie de introdução. A FIP incluiu todos os quatro volumes em todas as suas edições, embora ainda chamando o quarto volume de apêndice do Volume III, até a Terceira Edição, na qual os volumes Psicoterapia e Canção da Oração foram acrescentados, entretanto, As Dádivas de Deus não foi acrescentado. Duas das edições do HLC incluem apenas o volume de Texto porque o HLC é apenas o volume de Texto. Até o momento, nenhuma edição incluiu as Mensagens Especiais como ‘canônicas’.

[Observação: Veja detalhes do processo de transcrição do Curso em artigo na Categoria “Um Curso em Milagres” de número 12 – “As versões iniciais e a edição de UCEM”.]

A partir do verão de 2000, partes dessas cópias fac-símile (3a) do manuscrito Urtext circularam na internet. Obter a coleção completa tem sido um desafio e é difícil ter certeza de que tudo foi localizado. Até o momento eu não tenho conhecimento de nada faltando na coleção Urtext. Nós somente somos capazes de ter certeza quando toda a coleção de material de fonte primária original finalmente estiver disponível para exame acadêmico. Os ‘Legacy Fac-símiles’ que circulam desde 2000 (3a) são de qualidade e integridade variados. É difícil determinar o seu número, uma vez que não existe nenhum catálogo de coleções únicas tão diferentes, mas existem pelo menos várias. A diferença está no número total de páginas e na sequência dessas páginas.

A compilação ‘Scholar’s Toolbox’ (3c) e (3d) da MPF inclui, até onde pode ser verificado, todo o material em sua sequência original, com duas pequenas exceções tratadas nas Notas do Editor nos volumes em que segmentos de Mensagens Especiais são inseridos no texto no local exato em que os próprios escribas inseriram esse material no HLC. Embora rotulados como ‘Mensagens Especiais’, esses segmentos são considerados posteriormente ‘correções e esclarecimentos ditados’ em nossa opinião e também, aparentemente, na visão dos escribas. Em suma, em vez de serem considerados ‘especiais’ e de natureza pessoal ou privada, esses segmentos são considerados material canónico ‘ditado sem notas’.

Em agosto de 2000 o ‘Legacy E-text’ (3b) do Urtext apareceu na internet. Partes desse documento são reproduções bastante precisas do manuscrito Urtext, entretanto grandes porções são na verdade o HLC. A edição de texto eletrônico ‘Toolbox’ da MPF (3d) não é 100% precisa, no entanto é muito mais precisa do que a sua antecessora, uma vez que foi totalmente revisada, embora não com o grau de meticulosidade desejável. A revisão desse documento é um projeto em andamento.

A [versão] MPF Complete Seven Volume Urtext (3e) está disponível na versão impressa [somente em Inglês].

Incluindo alguns segmentos das Notas que foram omitidos no Urtext aparentemente inadvertidamente, é a edição impressa mais completa conhecida dos escritos de Um Curso em Milagres.

—–

O Manuscrito Urtext – Mensagens Especiais

Fonte: Miracles Pathway Fellowship, Guelph, Ontário, Canadá

Mensagens Especiais de UCEM URTEXT em Sequência Cronológica

Miracles Pathway Fellowship

[UR_F 47]

1) (Inserir para página 61)

Essa seção é inserida aqui porque trata de um uso equivocado do conhecimento mais fundamental, referido na Bíblia como a causa da Queda (ou Separação). Existem várias observações introdutórias que pretendem fazer com que essas explicações sejam menos amedrontadoras. A primeira é um par de versos que eu chamei a sua atenção durante os fragmentos de Sonho de uma Noite de Verão [William Shakespeare], que você ouviu ontem à noite:

‘Como eras antes, serás; como antes vias, verás.

É digno de nota que essas palavras foram ditas por Oberon ao liberar Titânia a partir de próprios erros dela, tanto de ser quanto de perceber. Essas foram as palavras que restabeleceram a verdadeira identidade dela, bem como as suas verdadeiras habilidades e julgamento. A semelhança aqui é óbvia.

Existem também algumas definições, que eu pedi que você retirasse do dicionário, que também serão úteis. A natureza delas um tanto incomum deve-se ao fato de não serem primeiras definições na aparência cronológica delas. No entanto, o fato de cada uma delas aparecer no dicionário deve ser tranquilizador.

Projeto (verbo): estender-se para frente ou para fora.

Projeto (substantivo): um plano na mente

Mundo: uma grande divisão natural. (Observe que você escreveu originalmente ‘palavra’ [word] ao invés de ‘mundo’ [world].)

Mais tarde nós nos referiremos à projeção como relacionada tanto à doença mental quanto à saúde mental. Também será comentado que Lúcifer literalmente se projetou a partir do céu. Nós também temos observado que o homem é capaz de criar uma concha vazia [Observação PO: uma ‘casca oca’ é algo que tem a forma externa de alguma coisa, mas carece de vida dentro dela e não pode cumprir o seu propósito adequado.], mas não é capaz de criar coisa alguma.

[UR_F 48]

Esse vazio [concha vazia, casca oca] fornece a tela para o mau uso da projeção.

O Jardim do Éden, descrito como um jardim literal na Bíblia, originalmente não era um jardim real. Ele era apenas um estado mental de completa falta de necessidade. Mesmo no relato literal, isso é digno de nota que o estado pré-Separação era essencialmente aquele em que o homem não necessitava de coisa alguma. A Árvore do Conhecimento, mais uma vez um conceito excessivamente literal, (como é claramente demonstrado pela referência subsequente a ‘comer do fruto da árvore’) é uma referência simbólica a alguns dos maus usos do conhecimento referidos na secção imediatamente anterior.

Existe, no entanto, um esclarecimento considerável desse conceito, que tem que ser entendido antes que o real significado do ‘desvio para o medo’ (‘detour into fear’) possa ser plenamente compreendido. A projeção, conforme definido acima, (isso se refere ao verbo) é um atributo fundamental de Deus, que ele também deu ao seu Filho. Na Criação, Deus projetou a sua Capacidade Criativa a partir de Si mesmo em direção às Almas que Ele criou e também as imbuiu com o mesmo amoroso desejo (ou vontade) de criar. Nós temos comentado anteriormente sobre o erro FUNDAMENTAL envolvido em confundir o que foi criado com o que está sendo criado. Nós temos enfatizado também que o homem, na medida em que o termo se refere à Alma, não só foi totalmente Criado, mas também foi criado perfeito. Não há vazio nele. O próximo ponto, também, já foi abordado, no entanto, merece ser repetido aqui. A Alma, devido à sua semelhança com o seu Criador, é criativa. Nenhuma Criança de Deus é capaz de perder essa capacidade, porque ela é inerente ao que ela É. Sempre que a projeção em seu sentido impróprio é utilizada, ela sempre implica que algum vazio (ou falta de todas as coisas) tem que existir e que está dentro da capacidade do homem colocar as suas próprias ideias lá, AO INVÉS da verdade. Se você quer considerar cuidadosamente o que isso implica, o seguinte virá a ser bastante evidente:

[UR-F 49]

Em primeiro lugar, está implícito o pressuposto de que o que Deus tem Criado é capaz de ser mudado pela mente do Homem.

Em segundo lugar, o conceito de que o que é perfeito é capaz de vir a ser imperfeito (ou deficiente) é irrompido.

Em terceiro lugar, a crença de que o homem é capaz de distorcer as Criações de Deus (incluindo a ele mesmo) tem emergido e é tolerado.

Em quarto lugar, que desde que o homem pode criar a si mesmo, a direção da sua própria criação cabe a ele.

Essas distorções relacionadas representam um quadro do que realmente ocorreu na Separação. Nada disso existia antes, nem existe realmente agora. O mundo, conforme definido acima, FOI feito como uma grande divisão natural, ou projeção externa de Deus. É por isso que todas as coisas que Ele Criou é como Ele.

Deve-se notar que o oposto de pró é contra. Estritamente falando, então, o oposto de projetar é conjeturar, um termo que se refere a um estado de incerteza ou adivinhação. Outros erros surgem em relação às defesas acessórias, a serem considerados posteriormente.

Por exemplo, desalento, que está obviamente associado com depressão, injeção, que pode ser facilmente interpretado equivocadamente, em termos de falácias de posse (particularmente a penetração) e rejeição, que está claramente associada com negação. Deve-se notar também que rejeição pode ser usada como recusa, um termo que envolve necessariamente uma percepção do que é recusado como alguma coisa indigna.

Projeção como realizada por Deus era muito semelhante ao tipo de radiância interior que as Crianças do Pai herdam Dele. É importante notar que o termo ‘projetar para fora’ implica necessariamente que a verdadeira fonte de projeção é interna.

[UR_F 50]

Isso é tão verdadeiro para o Filho quanto para o Pai.

O mundo, em sua conotação original, incluía tanto a criação própria do homem por Deus E a criação própria do homem em sua Mente Certa.

Essa última exigia que o homem fosse dotado por Deus de livre arbítrio, porque toda criação amorosa é dada livremente. Nada em nenhuma dessas declarações implica qualquer tipo de envolvimento de nível, ou, de fato, qualquer coisa exceto uma linha contínua de criação, na qual todos os aspectos são da mesma ordem.

Quando as ‘mentiras da serpente’ foram introduzidas, elas foram especificamente chamadas de mentiras porque elas não são verdadeiras. Quando o homem ouviu, tudo o que ele ouviu foi mentira. Ele não necessita continuar a acreditar no que não é verdadeiro, a não ser que decida fazer assim. Todas as suas criações equivocadas são capazes de desaparecer no conhecido ‘piscar de olhos’, pois se trata de uma percepção visual equivocada.

O olho espiritual do homem é capaz de dormir, no entanto, como aparecerá em breve nas notas (referência a Bob, o ascensorista), um olho adormecido ainda é capaz de ver. Uma tradução da Queda, uma visão enfatizada por Mary Baker Eddy e digna de nota, é que ‘um sono profundo caiu sobre Adão’. Embora a Bíblia continue a associar esse sono como uma espécie de anestésico utilizado para proteção de Adão durante a criação de Eva, a Sra. Eddy estava correta ao enfatizar que em nenhum lugar há qualquer referência ao despertar dele. Embora a Ciência Cristã esteja claramente incompleta, esse ponto está muito a seu favor.

A história do homem no mundo, tal como ele a viu, não tem sido caracterizada por qualquer redespertar ou renascimento genuíno ou abrangente.

[UR_F 51]

Isso é impossível enquanto o homem projeta no espírito da criação equivocada.

Ainda permanece dentro dele projetar como Deus projetou o seu próprio Espírito para ele. Na realidade, essa é a sua ÚNICA escolha, porque o seu livre arbítrio foi feito para a sua própria alegria em criar o perfeito.

Todo medo é, em última análise, redutível à percepção equivocada básica da capacidade do homem de usurpar o poder de Deus. É novamente enfatizado que ele não É CAPAZ DE e nem TEM sido capaz de fazer isso. Nessa afirmação reside a verdadeira justificação para a sua fuga do medo. Isto é provocado pela sua aceitação da Expiação, o que o coloca numa posição de perceber que os seus próprios erros nunca ocorreram realmente.

[UR_F 52]

Quando o sono profundo caiu sobre Adão, ele estava então em condições de ter pesadelos, precisamente porque ele estava dormindo. Se uma luz é acesa repentinamente enquanto alguém está sonhando e o conteúdo do seu sonho for amedrontador, é provável que inicialmente ele interprete a própria luz como parte do conteúdo de seu próprio sonho. Porém, assim que ele desperta, a luz é corretamente percebida como a liberação do sonho, que não é mais realidade. Eu gostaria de concluir isso com a injunção Bíblica ‘Vá e faça o mesmo’ [Lucas 10:37].

É bastante evidente que isso depende do tipo de conhecimento que NÃO foi referido pela ‘Árvore do Conhecimento’ que deu mentiras como frutos. O conhecimento que ilumina em vez de obscurecer é o conhecimento que não apenas faz com que você seja livre, mas também mostra claramente que você É livre.

[UR_F 53]

As seções anteriores foram inseridas devido à necessidade de distinguir entre conhecimento real e falso. Tendo feita essa distinção, é bom retornar aos erros já listados há algum tempo. Talvez seja bom recapitulá-los aqui.

O primeiro envolvia a falácia de que apenas o físico é real. O segundo envolvia coisas e não pessoas. O terceiro envolve a dotação do físico com propriedades não físicas. E o quarto esclareceu o uso equivocado do conhecimento. Todos eles foram incluídos nas falácias de posse.

O mecanismo de negação para três já tem sido estabelecido com algum detalhe e também continuará após o seguinte:

2) 83a (NOTA)

[UR_F 19]

(Nota feita em 15/11 por HS em referência à observação de B referente o início da p. 5, 13/11.)

Sim, mas eu duvido que diga que isso é inevitável. Isso pode implicar mais má vontade do que nós pensamos. O que foi dito acima pode ter sido interpretado de forma muito passiva.

Observe que B. NÃO perguntou a MINHA será a mesma. Se ele tivesse, ELE teria se sentido melhor.

3) 88 PART III

[UR_F 39]

A nova ênfase será agora sobre a cura [healing]. O milagre é o meio, a Expiação é o princípio e a cura [healing] é o resultado. Aqueles que falam de ‘o milagre DA cura [healing]’ estão combinando duas ordens de realidade de forma inadequada. A cura [healing] NÃO é um milagre. A Expiação, ou o milagre final, é um REMÉDIO. O milagre é puramente um meio, enquanto qualquer tipo de cura [healing] é um resultado.

A ordem do erro à qual a Expiação é aplicada é irrelevante. Essencialmente, TODA cura [healing] é a liberação do medo. Entretanto, para empreender isso você não pode estar amedrontado por si mesmo.

Você não entende a cura [healing] por causa do seu próprio medo. Eu tenho estado sugerindo o tempo todo (e uma vez afirmei muito diretamente, porque você não tinha medo na época) que você TEM QUE curar [heal] os outros. A razão é que a cura [healing] deles meramente testemunha ou atesta a sua.

Um passo importante no plano de Expiação é desfazer erros em TODOS os níveis. A doença, que é na verdade ‘a Mentalidade Que Não Está Certa’, é o resultado da confusão de níveis no sentido de que sempre acarreta a crença equivocada de que o que está errado em um nível é capaz de afetar adversamente outro.

A Expiação, ou o milagre final, é um REMÉDIO. O milagre é puramente um meio, enquanto qualquer tipo de cura [healing] é um resultado.

Nós temos constantemente nos referido aos milagres como meios de corrigir a confusão de níveis. Na realidade, todos os erros têm que ser corrigidos no nível em que eles ocorrem. Somente a mente é capaz de errar. O corpo é capaz de AGIR erroneamente, no entanto, isso ocorre apenas porque ele respondeu ao Pensamento-equivocado. O corpo não é capaz de criar e a crença de que ele É CAPAZ, um erro fundamental responsável pela maioria das falácias já mencionadas, produz todos os sintomas físicos.

Essencialmente, TODA cura [healing] é a liberação do medo. Entretanto, para empreender isso você não pode estar amedrontado por si mesmo.

Toda doença física representa uma crença na magia. Toda a distorção que criou a magia baseava-se na crença de que existe uma capacidade criativa na matéria, que é capaz de controlar a mente. Essa falácia é capaz de funcionar de qualquer maneira; isso é, pode-se acreditar equivocadamente que ou a mente é capaz de criar de maneira equivocada NO corpo ou que o corpo é capaz de criar de maneira equivocada na mente. Se puder ficar claro

3b) 89

[UR_F 40]

que a mente, que é o único nível de criação, não é capaz de criar além de si mesma, então nenhuma confusão necessita ocorrer.

A razão pela qual apenas a mente é capaz de criar é mais óbvia do que pode parecer imediatamente. A Alma tem sido criada. O corpo é um instrumento de aprendizado PARA a mente. Os instrumentos de aprendizado não são lições em si mesmos. O objetivo deles é meramente facilitar o pensamento do aprendiz. O máximo que o uso incorreto de um instrumento de aprendizado é capaz de fazer é deixar de facilitar. Ele não tem nenhum poder por si mesmo para introduzir erros fatuais de aprendizado.

O corpo, se entendido de forma adequada, compartilha da invulnerabilidade da Expiação no que se refere às defesas de dois gumes. Isso não se dá porque o corpo seja um milagre, mas porque não está inerentemente aberto à interpretação equivocada. O corpo é meramente um fato. As suas CAPACIDADES são capazes e frequentemente são, supervalorizadas. No entanto, é quase impossível negar a sua existência nesse mundo. Aqueles que o fazem estão se engajando em uma forma de negação particularmente indigna dele. (O uso da palavra ‘indigna’ aqui implica simplesmente que não é necessário proteger a mente negando o que não é mental. Há poucas dúvidas de que a mente é capaz de criar de maneira equivocada. Se alguém nega esse aspecto desafortunado do poder da mente, esse alguém está também negando o próprio poder.)

O corpo é um instrumento de aprendizado PARA a mente. Os instrumentos de aprendizado não são lições em si mesmos. O objetivo deles é meramente facilitar o pensamento do aprendiz.

Todos os meios materiais que o homem aceita como remédios para males corporais são simplesmente reafirmações de princípios mágicos. Foi o primeiro nível do erro acreditar que o corpo criou a  sua própria doença. Depois disso, é um segundo passo em falso tentar curá-lo [to heal it] através de agentes não criativos. Disso não se segue, contudo, que a aplicação desses instrumentos corretivos muito fracos seja ruim. Às vezes, a doença exerce um domínio suficientemente grande sobre a mente de um indivíduo para fazer com que ele seja inacessível à Expiação. Nesse caso, pode ser sensato utilizar uma abordagem de compromisso entre mente e corpo, na qual algo a partir do EXTERIOR recebe temporariamente uma crença de cura [healing].

3c) 90

[UR-F 41]

Isso é assim porque a última coisa que é capaz de ajudar aquele que tem a mente disposta ao que não é certo (ou o doente) é fazer algo que aumente o seu medo. Esses já estão em um estado debilitado pelo medo. Se são prematuramente expostos a um milagre podem ser precipitados ao pânico. Isso é particularmente provável de ocorrer quando a percepção invertida induziu à crença em que milagres são assustadores.

O valor da Expiação não está na maneira na qual ela é expressa. Na verdade, se ela é usada de forma verdadeira, será inevitavelmente expressada do modo que for mais útil para quem a recebe, seja ele qual for. Isso significa que um milagre, para atingir a sua plena eficácia, TEM QUE ser expressado em uma linguagem que aquele que recebe possa entender sem medo. Isso não significa de forma alguma que esse é o mais elevado nível de comunicação do qual ele é capaz. Significa, contudo, que é o mais alto nível de comunicação do qual ele é capaz AGORA.

Isso significa que um milagre, para atingir a sua plena eficácia, TEM QUE ser expressado em uma linguagem que aquele que recebe possa entender sem medo.

Todo o objetivo do milagre é ELEVAR o nível de comunicação e não impor regressão (como usado indevidamente) a ela. Antes que os trabalhadores de milagres estejam prontos para empreender a sua função no mundo, é essencial que eles entendam inteiramente o medo da liberação. De outro modo, podem involuntariamente fomentar a crença equivocada em que a liberação é aprisionamento, uma crença que já prevalece muito.

Essa percepção equivocada surge a partir da tentativa do instrumento de proteção (ou de defesa equivocada) em que o dano pode ser limitado ao corpo. Isso acontece em função do medo muito maior (que esse neutraliza) de que a mente é capaz de ferir a si mesma. Nenhum desses erros é realmente significativo, porque as criações equivocadas da mente não existem realmente. Esse reconhecimento é um instrumento de proteção muito melhor do que qualquer forma de confusão de níveis, devido às vantagens de introduzir a correção no nível do erro.

É essencial que a lembrança do fato de que SÓ a mente pode criar afinal permaneça com você. Implícito nisso está o corolário de que a correção pertence ao nível do pensamento e NÃO a qualquer nível

3d) 91

[UR_F 42]

III (CÓPIA)

ao qual a criação seja inaplicável. Para repetir uma declaração anterior e também para estendê-la um pouco, a Alma já é perfeita e, portanto, não requer correção. O corpo não existe realmente, exceto como um instrumento de aprendizado para a mente. Esse instrumento de aprendizado não está sujeito a erros próprios, porque ele foi criado, mas NÃO está criando. Deveria ser óbvio, então, que corrigir o criador (ou induzi-lo a abandonar a criação equivocada) é a única aplicação da criação que é inerentemente significativa enfim.

Nós dissemos antes que a mágica é essencialmente não-mental, ou o uso destrutivo (criado de maneira equivocada) da mente. Os medicamentos físicos são formas de ‘encantamentos’. Por um lado, eles são uma forma mais benigna, na medida em que eles não implicam a falácia da possessão que DE FATO surge quando uma mente acredita que ela que pode possuir uma outra. Como isso é consideravelmente menos perigoso, embora ainda incorreto, isso tem as suas vantagens. É particularmente útil para o terapeuta que realmente deseja curar [to heal], no entanto, ainda está com medo por ele mesmo. Ao usar meios físicos para fazer isso, ele não está se envolvendo em nenhuma forma de escravização, mesmo que ele não esteja aplicando a Expiação. Isso significa que a mente dele está entorpecida pelo medo, entretanto, não está ativamente envolvida na distorção.

Aqueles que têm medo de usar a mente para curar [to heal] estão certos em evitar isso, porque o próprio fato de eles terem medo os TÊM feitos vulneráveis ​​à criação equivocada. Eles estão, portanto, propensos a entenderem de forma equivocada qualquer cura [healing] que possa ocorrer e como o egocentrismo e o medo usualmente ocorrem juntos, podem ser incapazes de aceitar a Fonte real da cura [healing]. Sob essas condições, é mais seguro para eles apoiarem-se TEMPORARIAMENTE em instrumentos de cura [healing] física, porque esses não podem perceber equivocadamente como as suas próprias criações. Enquanto persistir o sentimento de vulnerabilidade deles, é essencial preservá-los até mesmo de apresentarem milagres.

Nós dissemos numa seção anterior que o milagre é uma expressão da mentalidade disposta para o milagre. Mentalidade-Milagrosa significa apenas Mentalidade-Certa no sentido em que a estamos usando agora. Mentalidade-Certa não exalta nem deprecia

3e) 92

[UR_F 43]

III 92

a mente do trabalhador de milagres ou a de quem recebe o milagre. Contudo, como uma correção, o milagre não necessita esperar que a mentalidade daquele que recebe esteja disposta para o que é certo. De fato, o seu propósito é restaurá-lo à sua Mente Certa. Mas é essencial, porém, que o trabalhador de milagres esteja em sua Mente Certa, ou ele será incapaz de restabelecer a Mentalidade Certa em outra pessoa.

O curador [healer] que confia em sua própria prontidão está colocando em perigo o seu próprio entendimento. Ele está perfeitamente seguro, enquanto ele está completamente despreocupado com a prontidão DELE, mas mantém uma confiança consistente na MINHA. (Erros desse tipo produzem alguns comportamentos muito erráticos, que normalmente apontam para uma subjacente recusa para cooperar. Nota-se que, ao inserir o carbono ao contrário, B. criou uma situação em que não existiam duas cópias. Isso refletiu dois níveis de falta de confiança, um na Minha prontidão para curar [to heal] e o outro na própria disposição dele para dar.) Esses erros inevitavelmente introduzem ineficiência no comportamento do trabalhador de milagres e interrompem temporariamente a sua mente voltada para o milagre.

Nós poderíamos também fazer comentários muito semelhantes sobre a sua própria hesitação em ditar enfim. Esse é um erro maior somente porque resulta em maior ineficiência. Se você não disser coisa alguma, ninguém poderá usá-la, inclusive Eu. Nós temos estabelecido que para todos os processos corretivos, o primeiro passo é saber que isso é medo. A menos que o medo tivesse entrado, o procedimento corretivo nunca teria vindo a ser necessário. Se as suas inclinações para trabalhar em milagres não estão funcionando adequadamente, isso sempre acontece porque o medo se introduziu na sua Mentalidade Certa e tem literalmente a perturbado. (ou seja, virou de cabeça para baixo).

Todas as formas de Mentalidade disposta para o que não é Certo são o resultado da recusa em você aceitar a Expiação PARA VOCÊ MESMO. Se o trabalhador de milagres DE FATO aceitar isso, ele se colocará em posição de reconhecer que aqueles que necessitam ser curados [healed] são simplesmente aqueles que NÃO o fizeram. A razão pela qual você sentiu a vasta gama de radiação de sua própria iluminação interior é porque você estava ciente de que a sua Mente Certa É cura [healing].

3f) 93

[UR_F 44]

A única responsabilidade daquele que trabalha em milagres é aceitar a Expiação para si mesmo. Isso significa que ele sabe que a mente é o único nível criativo e que os erros que ela comete SÃO curados [healed] pela Expiação. Uma vez que ele aceita isso, a mente DELE é capaz apenas de curar [heal]. Ao negar à sua mente qualquer potencial destrutivo e ao restabelecer os seus poderes puramente construtivos, ele tem se colocado em posição de desfazer a confusão de níveis dos outros. A mensagem que ele então transmite aos outros é a verdade de que as SUAS MENTES são similarmente construtivas e que as suas próprias criações equivocadas não podem feri-los. Ao afirmar isso, o trabalhador de milagres libera a mente da supervalorização do seu próprio instrumento de aprendizado (o corpo) e restaura a mente à sua verdadeira posição como aprendiz. Deve-se enfatizar novamente que o corpo não aprende, assim como não cria. Como um instrumento de aprendizado, ele meramente segue o aprendiz, mas se é falsamente dotado de iniciativa própria, vem a ser uma séria obstrução ao próprio aprendizado que deveria facilitar.

SOMENTE a mente é capaz de iluminação. A Alma já é iluminada e o corpo em si é por demais denso. A mente, contudo, pode TRAZER a sua própria iluminação PARA o corpo, reconhecendo que a densidade é o oposto da inteligência e, portanto, inacessível ao aprendizado independente. No entanto, o corpo é facilmente levado a se alinhar com a mente que aprendeu a ver além da densidade em direção à luz.

SOMENTE a mente é capaz de iluminação. A Alma já é iluminada e o corpo em si é por demais denso.

O aprendizado corretivo sempre começa com o despertar do olho espiritual [FIP: do espírito] e com o afastamento da crença na vista física. A razão pela qual isso acarreta medo é porque o homem tem medo do que o seu olho espiritual irá lhe mostrar e foi por isso que ele o fechou em primeiro lugar. Nós dissemos antes que o olho espiritual [FIP: Espírito Santo] não pode ver o erro e só é capaz de olhar para o que está além do erro em defesa da Expiação. Não há dúvida de que o olho espiritual pode produzir extremo desconforto com o que ele vê. A coisa que o homem esquece é que o desconforto

3g) 94

[UR_F 45]

não é o resultado final de sua percepção. Quando se permite ao olho espiritual [FIP: Espírito Santo] observar a profanação do altar, ele também olha imediatamente em direção à Expiação. Nada do que o olho espiritual percebe pode induzir ao medo. Todas as coisas que resultam a partir da consciência no nível da realidade [awareness] espiritual são meramente canalizadas em direção à correção. O desconforto só surge para trazer à consciência no nível da realidade [awareness] a necessidade da correção forçosamente.

O que o olho físico vê não é corretivo, nem pode o erro ser corrigido por qualquer instrumento que possa ser visto fisicamente. Enquanto um homem acreditar no que a sua vista física lhe diz, todas as suas tentativas de correção estarão equivocadamente dirigidas. A razão pela qual a visão real é obscurecida é porque o homem não consegue suportar ver o seu próprio altar profanado. No entanto, uma vez que o altar foi profanado, esse fato vem a ser duplamente perigoso, a menos que seja percebido. Essa percepção é totalmente não-ameaçadora por causa da Expiação. O medo da cura [healing] surge, em última análise, a partir da recusa em aceitar o fato inequívoco de que a cura [healing] é necessária. O medo surge devido à necessária prontidão para olhar o que o homem tem feito para consigo mesmo.

A cura [healing] foi uma habilidade emprestada ao homem após a Separação, antes da qual era completamente desnecessária. Como todos os aspectos da crença no espaço-tempo, a capacidade de cura [healing] é temporária. Contudo, enquanto o tempo persiste, a cura [healing] permanece entre as proteções humanas mais fortes. Isso é assim porque a cura [healing] sempre se baseia na caridade e a caridade é uma forma de perceber a verdadeira perfeição do outro, mesmo quando ele mesmo não pode percebê-la em si mesmo. A maioria dos conceitos mais elevados de que o homem é capaz de ter agora dependem do tempo. A caridade é realmente um reflexo mais fraco de uma abrangência do amor muito mais poderosa, que está muito além de qualquer forma de caridade que o homem possa conceber por enquanto. A caridade é essencial para a Mentalidade Certa, no sentido limitado no qual a Mentalidade Certa é capaz agora de ser alcançada. A caridade é uma forma de olhar para o outro COMO SE ele já estivesse ido muito além de suas realizações fatuais no tempo. Como o seu próprio pensamento é faltoso, ele próprio não pode ver a Expiação para si mesmo, ou não teria nenhuma necessidade de caridade. A caridade que lhe é conferida é ao mesmo tempo uma admissão de que ele É fraco e um reconhecimento de que PODERIA SER mais forte. A forma como ambas as crenças são afirmadas implica claramente na dependência delas em relação ao tempo, fazendo com que seja bem evidente que a caridade ainda está dentro do quadro das

3h) 95

[UR_F 46]

limitações humanas, embora em níveis mais elevados.

Nós dissemos anteriormente, na verdade duas vezes, que somente a Revelação transcende o tempo. O milagre, como uma expressão da verdadeira caridade humana, só pode encurtá-lo na melhor das hipóteses. Tem que ser entendido, porém, que sempre que um homem oferece um milagre a um outro, ele ESTÁ encurtando o sofrimento de ambos. Isso introduz uma correção no Registro, que corrige retroativamente assim como progressivamente.

4) Eis-me aqui, Senhor(*):

 [UR_F 21]

[MENSAGEM ESPECIAL diretamente para WT:

Eu gostaria de orar para que a minha vontade esteja unida à sua, reconhecendo que o seu amor perfeito será suficiente (ou correto) para o meu amor imperfeito. Eu oro para que eu possa aceitar a Expiação com convicção, reconhecendo o seu valor inevitável e o meu próprio valor divino como parte dessa identificação consigo. Eu oro para que o meu medo seja substituído por um sentimento ativo do seu amor e pela sua disposição contínua em me ajudar a superar a divisão, ou vontade dividida, que é responsável pela minha dificuldade com isso. Eu aceito a divindade das mensagens que nós temos recebido e afirmo a minha vontade em aceitar e em agir de acordo com o princípio da Expiação.

Eis-me aqui, Senhor:

O maior problema que vocês dois têm é a contínua divisão da vontade, o que naturalmente interfere com a sua verdadeira identificação. Na medida em que vocês mantiverem essa divisão, ela levará mais tempo para ser superada e interferirá MARCADAMENTE nos seus próprios esforços de integração. A confiança tem que ser depositada em Mim, o que é suficiente quando vocês fazem isso sem distanciamento ou divisão de lealdades. Isso será fortalecido através de uma afirmação contínua da meta que ambos querem alcançar e da consciência no nível da realidade [awareness] da sua inevitabilidade. Dessa forma, vocês dois perceberão e SABERÃO o vosso verdadeiro valor e a importância de manter uma identificação COMPLETA.]

(*) Obs. PO: O uso de ‘Eis-me aqui, Senhor’ (Here I am, Lord) revela propósito. Isaías estava dizendo que estava aqui na terra com um propósito específico e queria que esse propósito fosse do Senhor. Como ele imediatamente seguiu com ‘envie-me’, ele não esperou para ouvir o que o Senhor diria, mas preencheu um cheque em branco para o Senhor, um sim universal ao plano de Deus para ele. Fonte: pesquisa internet. ‘Então ouvi a voz do Senhor, conclamando: ‘Quem enviarei? Quem irá por nós? E eu respondi: Eis-me aqui. Envia-me!’ Isaias 6:8.

4b) 16 de novembro de 1965 duplicado

[UR_F 20]

(Mensagem em grande parte duplicada, máquina de escrever diferente)

16 de novembro de 65

Eu gostaria de orar para que a minha vontade esteja unida à sua, reconhecendo que o seu amor perfeito será suficiente (ou correto) para o meu amor imperfeito. Eu oro para que eu possa aceitar a Expiação com convicção, reconhecendo o seu valor inevitável e o meu próprio valor divino como parte dessa identificação com você. Eu oro para que o meu medo seja substituído por um sentimento ativo do seu amor e pela sua prontidão contínua em me ajudar a superar a divisão, ou a vontade dividida, que é responsável pela minha dificuldade com isso. Eu aceito a divindade das mensagens que nós temos recebido e afirmo a minha vontade em aceitar e agir de acordo com o princípio da Expiação.

Eis-me aqui.

O maior problema que vocês dois têm é a contínua divisão da vontade, o que naturalmente interfere na sua verdadeira identificação. Na medida em que vocês mantiverem esta divisão, ela levará mais tempo para ser superada e interferirá MARCADAMENTE nos seus próprios esforços de integração. A confiança tem que ser depositada em Mim, o que é suficiente quando você faz isso sem distanciamento ou divisão de lealdades. Isso será fortalecido através de uma afirmação contínua do objetivo que ambos desejam alcançar e da consciência no nível da realidade [awareness] da sua inevitabilidade. Dessa forma, vocês dois perceberão e SABERÃO o seu verdadeiro valor e a importância de manter uma identificação COMPLETA.]

5) 1º de dezembro de 1965.

 [UR_F 22] [UR_F 23]

Nota especial de WT para HS

O problema de dominação-submissão está relacionado à percepção de ajudar os outros VERSUS ajudar a si mesmo. Essa é uma percepção equivocada resultante da falha em reconhecer o valor igual de ambos os indivíduos na interação. NÃO pode haver confusão nesse ponto e nenhuma tensão, se essa confusão não for introduzida (através de uma percepção equivocada, naturalmente). Tal confusão pode ser experienciada parcialmente por HS nos momentos em que WT está tentando ajudá-la. É provável que ela sinta que isso a coloca numa posição subordinada, já que ela pensa que ela deveria ser a terapeuta. Obviamente, não há problema uma vez que se reconhece que o valor igual de cada pessoa impede essa percepção equivocada, uma vez que AMBOS GANHAM em tal transação. É impossível para alguma pessoa perder alguma coisa quando isso é totalmente RECONHECIDO. É disso que se trata reconhecer o seu irmão afinal.

6) 14 de dezembro

[UR_F 24] [UR_F 25]

14 de dezembro

[MENSAGEM ESPECIAL

Nada relacionado a um relacionamento ESPECÍFICO pertence às notas. No entanto, tem sido dito a você que se você pedir ao Espírito Santo orientação ESPECÍFICA em uma situação ESPECÍFICA, Ele a dará a você de forma muito específica. Quando você e B. estiverem prontos para perguntarem JUNTOS a Ele o que vocês podem fazer por M., Ele dirá a vocês, se vocês NÃO fizerem NENHUMA tentativa de dar a resposta POR Ele. Não prejulguem a resposta Dele, pois se o fizerem, NÃO A OUVIRÃO. Entretanto, tenham certeza disso!

O Espírito Santo NUNCA ensinará a você para INTERROMPER a comunicação, entretanto, esteja totalmente disposto a permitir que Ele a MANTENHA à SUA maneira. M. está infeliz e com medo, porque ele pensa que a comunicação ATRAVÉS DO CORPO é capaz de ser buscada e ACHADA. Não é mais difícil para o Espírito Santo ensinar a ele que a comunicação é da mente e NÃO do corpo, do que para Ele ensinar isso a você. O Espírito Santo não terá nenhuma dificuldade e terá muita alegria, se você PERMITIR que Ele ensine isso a M. ATRAVÉS de você. No entanto, certifique-se de que você está disposta a aprender isso COM ele, ou você INEVITAVELMENTE interferirá com o que o Espírito Santo quer que ele aprenda com VOCÊ.]

7) 282 13 de setembro de 66

Vocês não têm ideia da intensidade do vosso desejo de se livrarem um do outro. Isso NÃO significa que vocês não sejam fortemente impelidos EM DIREÇÃO um para o outro, no entanto, significa DE FATO que o AMOR NÃO É A ÚNICA EMOÇÃO. Porque o seu amor tem se tornado mais consciente no nível da realidade [awareness], o conflito não é capaz de ser ‘resolvido’ pelas suas tentativas anteriores de MINIMIZAR o medo. O amor faz com que o ataque seja insustentável, NO ENTANTO VOCÊ AINDA SENTE MEDO. Ao invés de tentar resolver isso diretamente, você tem uma forte tendência a TENTAR ESCAPAR DO AMOR. No entanto, essa é a ÚLTIMA coisa da qual você gostaria de ESCAPAR. E mesmo se você o fizesse, você é capaz de escapar de todas as coisas a mais, entretanto, não disso. Seja realmente feliz porque não HÁ como escapar da salvação.

7b) 283

[UR_F 27]

14 de setembro de 1966

Vocês não percebem o quanto vocês se odeiam. Vocês não se livrarão disso até que DE FATO vocês percebam isso, pois ATÉ então, vocês pensarão que vocês querem se livrar um do outro e MANTEREM O ÓDIO. No entanto, se vocês são a salvação um do outro, o que isso é capaz de significar, a não ser que vocês PREFEREM o ataque à salvação? Fiquem felizes porque nem a sua realidade nem a sua salvação são uma questão de sua preferência, pois vocês TÊM muitos motivos para contentamento. Entretanto, que a causa NÃO é de sua autoria é certamente óbvio. Vocês DE FATO odeiam e temem um ao outro e o vosso amor, que é muito real, é TOTALMENTE obscurecido por isso. Como vocês são capazes de saber o significado do amor, A NÃO SER que isso é total?

Esse será um período muito difícil para vocês, mas não será assim por muito tempo. Vocês estão em perigo, mas SERÃO ajudados e nada acontecerá. Entretanto, vocês não podem permanecer na escuridão e essa SERÁ a saída. Olhem com a maior calma possível para o ódio, pois se nós quisermos negar a negação da verdade, temos que primeiro RECONHECER o que nós estamos negando. Lembrem-se de que o conhecimento PRECEDE a negação e que a separação foi uma descida da magnitude à pequenez. E assim o caminho de volta é refazer o caminho da magnitude.

O ódio de vocês não é real, no entanto, ele É real para vocês. ELE ESCONDE O QUE VOCÊS REALMENTE QUEREM. Certamente vocês estão dispostos a olharem para o que vocês NÃO querem sem medo, MESMO QUE ISSO AMEDRONTE VOCÊS, se vocês pudessem se livrar disso? Pois vocês NÃO SÃO CAPAZES de escaparem da salvação e não escaparão do medo até que queiram a salvação. Não tenham medo dessa jornada rumo ao medo, pois esse não é o seu destino. E nós caminharemos por ela em segurança, pois a paz não está longe e vocês serão conduzidos em sua luz.

8) 287a 16 de setembro. 66

[UR_F 28] [UR_F 29]

[MENSAGEM ESPECIAL PARA WT

Pergunta: Por que WT está mais deprimido do que o normal?

Resposta: Ele está num sono muito profundo e muito mais resistente a acordar do que você. O maior problema com ele é que a resistência dele é PASSIVA, o que implica uma renúncia à vontade. Isso sempre induz um estado de resignação e, portanto, de depressão. Diga-lhe que ninguém é capaz de renunciar à Filiação, pois a adesão não é opcional. Ele tem estado procurando alguém para TIRAR A SUA VONTADE, porque ele pensou que ISSO era a causa do seu problema. Visto que o curso tem posto uma ênfase tão persistente SOBRE a vontade e DESDE QUE ELE CONCORDA COM A ÊNFASE, o seu ajustamento passado está ameaçado. É POR ISSO QUE ELE NÃO CONSEGUE DORMIR. O passado dele passou a lhe ‘assombrar’ PORQUE ele está desistindo da crença em fantasmas.

Diga-lhe novamente para não ter medo de fantasmas e lembre-o de que ele não TEM passado. O retorno da sua vontade é o que ele QUER. Ninguém pode aceitar isso, exceto ele mesmo.]

9) 370

[UR_F 30]

370A (I-II) 15/11/66

[Nota Especial para HS

B. estava certo ao não considerar isso como um problema separado. O selvagem problema da rejeição pessoal. Não há medo no amor perfeito. Você não quer que ele se sinta inocente, mas sim rejeitado. Essa área é a única em que você quer manter isso, no entanto, você não poderá limitá-la. Você não verá a pureza dele até desistir da rejeição como arma contra ele OU contra todas as outras pessoas. Você pensa que essas são as únicas alternativas. Certifique-se de considerar por que você quer manter essa posição. B. irá ajudá-la com isso.]

—–

—–continua Parte II—–

—–

Imagem benjamin-davies-JrZ1yE1PjQ0-unsplash.jpg – 18 de dezembro de 2023

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Vídeo do Dr. Kenneth Wapnick, abordando a afirmação do livro Texto: “Faça com que esse ano seja diferente, fazendo com que tudo seja o mesmo” ((UCEM-Urtext-T-15.XI.10:11), disponível no YouTube através do link:  https://www.youtube.com/watch?v=KFNCHw_Hb5Q.

Artigo do Professor Robert Perry, denominado “THIS YEAR MAKE DIFFERENT: HOW THE COURSE WOULD HAVE US APPROACH THE NEW YEAR” [Tradução livre “Faça com que esse ano seja diferente: Como o Curso nos quer fazer abordar o Ano Novo”], disponível em inglês através do link: https://circleofa.org/library/a-different-approach-to-the-new-year/.

Livro “The Journey Home” de autoria do Dr. Kenneth Wapnick sobre a seção “The Closing of the Gap” [versão FIP do Curso: “Fechar a brecha”].

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4
Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x