Buscamos inspiração no resumo de esclarecedor artigo do Dr. Kenneth Wapnick, feito pelo professor de Deus Mark Palmer que, por sua clareza, objetividade e didática, transcrevemos, em tradução livre, para o nosso conhecimento e entendimento do sistema de pensamento de Um Curso em Milagres.

Ideia diminuta e louca.

Esse pensamento de que poderíamos ser separados de Deus é o começo do sonho. É uma ilusão, pois como poderia o Filho perfeito de Deus, como um só com o seu Criador perfeito, ter um pensamento que não seja a Própria Unicidade perfeita?

Essa é a resposta do Curso para a pergunta perene: ‘Como o impossível poderia ter acontecido?‘ A resposta de Jesus é que isso nunca aconteceu (ver, por exemplo, T-4.II.1; MP-2.2; ET-in.4; ET-2.2-3).

É razoável perguntar como a mente pôde jamais ter feito o ego. De fato, é a melhor pergunta que tu poderias fazer. Não faz sentido, porém, dar uma resposta em termos de passado, porque o passado não importa e a história não existiria se os mesmos erros não estivessem sendo repetidos no presente. O pensamento abstrato aplica-se ao conhecimento porque o conhecimento é completamente impessoal e exemplos são irrelevantes para a sua compreensão. A percepção, contudo, é sempre específica e, portanto, bastante concreta. T-4.II.1

Para compreender o plano de ensino-aprendizado da salvação, é necessário apreender o conceito de tempo que o curso estabelece. A Expiação corrige ilusões, não a verdade. Portanto, corrige o que nunca foi. Além disso, o plano para essa correção foi estabelecido e completado simultaneamente, pois a Vontade de Deus está inteiramente à parte do tempo. Assim é toda a realidade, posto que é Sua. No instante em que a ideia de separação entrou na mente do Filho de Deus, naquele mesmo instante foi dada a Resposta de Deus. No tempo, isso aconteceu em uma época muito distante. Na realidade, nunca aconteceu absolutamente . MP-2.2

O ego vai pedir muitas respostas que esse curso não dá. Ele não reconhece como perguntas a mera forma de uma pergunta à qual é impossível dar uma resposta. O ego pode perguntar: ‘Como ocorreu o impossível?’, ‘Para que aconteceu o impossível?’ e pode perguntar isso de muitas formas. Entretanto, não há nenhuma resposta, apenas uma experiência. Busca somente isso, e não deixes que a teologia te atrase. ET-In.4

O que é o ego? O nada, mas em uma forma que aparenta ser algo. Em um mundo de formas, o ego não pode ser negado, pois só ele parece real. No entanto, seria possível o Filho de Deus, tal como Ele o criou, habitar na forma ou em um mundo de formas? Quem te pede para definir o ego e explicar como ele surgiu só pode ser alguém que pense que ele é real e busque, através da definição, assegurar-se de que a natureza ilusória do ego esteja oculta por trás das palavras que parecem fazer com que seja assim. ET-2.2

Não há definição para uma mentira que sirva para torná-la verdadeira. Nem pode haver uma verdade que as mentiras efetivamente ocultem. A irrealidade do ego não é negada por palavras, nem o seu significado se esclarece porque a sua natureza parece ter uma forma. Quem pode definir o indefinível? E apesar disso, mesmo aqui há uma resposta. ET-2-3

Então, por que se preocupar com o motivo de algo ter acontecido, o qual nunca aconteceu, quando o que importa é que você se retire do pântano da separação?

Este é o propósito do Curso para nós, mas antes que possamos deixar o pântano, primeiro temos que reconhecer a vida aqui pela miséria que é. Ajudar-nos a alcançar esse reconhecimento é o objetivo principal de Um Curso em Milagres.

O Rompimento.

O que pareceu ocorrer naquele instante-que-nunca-realmente-aconteceu foi que a Mente de Cristo pareceu se romper e surgiu uma mente que continha o pensamento de separação.

Isso passou a ser conhecido como a mente dividida, agora separada e distinta da Mente de Deus e de Cristo. Essa mente dividida, fiel à sua fonte de separação, continua se dividindo.

Como a Mente de Deus só pode amar – amor que estende eternamente o amor – o pensamento de separação só pode se separar e o faz instantaneamente e da maneira mais frenética e agitada.

As Três Partes.

A mente dividida se rompe em três partes. Veremos mais tarde como ela se rompe em um número quase infinito de fragmentos, mas por enquanto vamos nos concentrar nessas três partes originais.

Deixe-me reiterar que tudo isso é um mito, que tudo que estamos discutindo – na verdade, tudo neste gráfico – é inventado, expressando o que nunca surgiu na Mente de Cristo.

O gráfico é uma tentativa de colocar o sistema de pensamento de Um Curso em Milagres em forma esquemática, uma maneira linear de descrever o que o Curso apresenta de forma não linear e sinfônica.

Embora esse grande mito cósmico seja talvez a nossa melhor maneira de identificar a experiência de estar aqui, é importante ter em mente que nada aqui é verdadeiro, incluindo o gráfico que tenta retratá-lo.

A mente errada e a mente certa.

A mente dividida se rompe em sistema de pensamento do ego (a mente errada) e sistema de pensamento do Espírito Santo (a mente certa).

Elas representam duas maneiras contraditórias e mutuamente exclusivas de olhar para a ideia diminuta e louca.

É importante notar que o ego e o Espírito Santo são pensamentos, são duas maneiras diferentes de perceber, compreender e reagir ao pensamento de separação.

O tomador de decisões.

Uma vez que existem esses dois sistemas para escolher, inevitavelmente deve haver uma terceira parte da mente dividida para fazer a escolha. Nós o chamamos de tomador de decisões.

É a essa parte da mente que toma decisões que Jesus continuamente apela e a quem se dirige:

‘Escolha novamente. Escolha entre o ego e Deus, crucificação e ressurreição, julgamento e perdão.

Quando Jesus se refere a nós em nosso estado separado como o Filho de Deus, ele está se referindo ao Filho que tem o poder de mudar de ideia.

Aprenderemos no Curso que é esse tomador de decisões que adormeceu e teve um sonho, o que significa que o tomador de decisões, o Filho de Deus, também pode ser equiparado ao sonhador.

Uma vez que reconhecemos o horror do sonho de separação do ego, mudamos para nossas mentes certas e pedimos outra maneira de olhar para ele.

O sonhador torna-se o observador, permitindo ao tomador de decisões escolher entre continuar a dormir e sonhar ou se ver como o sonhador do sonho.

A saída do sonho é que nossos tomadores de decisões vejam o que estão sonhando.

Poderíamos então dizer que o tomador de decisões é o sonhador quando segue o ego e o observador quando segue o Espírito Santo.

Cada lado apresenta o seu caso.

O tomador de decisões passa a ser um juiz, perante o qual vêm estes dois advogados opostos, cada um apresentando o seu caso.

O ego exalta as glórias de ter uma vida individual autônoma e livre, independente do tirano cruel e malicioso chamado Deus, em quem ninguém pode ter voz discordante ou liberdade de expressão.

O ego diz ao juiz: ‘Que maravilha, meritíssimo, que finalmente estejamos liberados.’

O apelo do ego – as ideias deixam a sua fonte – é de grande importância no sistema de pensamento teórico do Texto, expressando que o Filho de Deus pode realmente deixar a sua Fonte, com uma existência separada que o diferencia de Deus, o seu Criador.

O ego conclui o seu caso e o juiz/Filho/tomador de decisões ouve e fica impressionado.

Ele gosta de seu papel e entende que não pode haver juízes no Céu.

Ele rapidamente percebe, portanto, que se governar em favor do ego, ele continuará em sua função e será especial.

Mas, parecendo ser justo, o juiz se dirige ao outro advogado e diz:

 ‘É a sua vez, advogado. O que você tem a dizer?’

O Espírito Santo, ecoando as palavras de Cordélia quando confrontada com a pergunta do Rei Lear, não diz nada. Ele não tem nada a dizer porque, também ecoando o Rei Lear, o amor é silencioso.

O juiz responde, com efeito:

‘Vamos, vamos. Não vou aceitar nada disso em meu tribunal. O ego apresentou um caso muito persuasivo. Agora você precisa falar.’

O Espírito Santo sorri suavemente e continua a não dizer nada. Em outras palavras, Ele é o que o Texto descreve posteriormente como o espírito perfeito de não oposição: O amor não se opõe (ver T-5.II.7).

A Voz do Espírito Santo não comanda, pois é incapaz de arrogância. Não exige, porque não busca o controle. Não vence, porque não ataca. Simplesmente lembra. É capaz de compelir devido apenas ao que ela te relembra. Traz à tua mente o outro caminho, permanecendo quieta mesmo em meio ao tumulto que possas fazer. A Voz por Deus é sempre quieta porque fala de paz. A paz é mais forte do que a guerra porque cura. A guerra é divisão, não soma. Ninguém ganha com a discórdia. Que aproveitará a um homem ganhar o mundo inteiro se vier a perder a sua alma? Se escutas a voz errada, perdeste de vista a tua alma. Tu não podes perdê-la, mas podes não conhecê-la. Assim sendo, ela está “perdida” para ti até que escolhas certo. (T-5.II.7)

O juiz volta-se para o ego, que promete:

‘Escolha-me e você terá todo o poder, o poder que Deus lhe negou. No entanto, esse poder de sua força individual e especialismo desaparecerá se você fizer a escolha errada.’

Novamente, visto que o verdadeiro poder do amor não se opõe, o Espírito Santo simplesmente sorri e diz:

‘Não tenho nada a dizer, Meritíssimo.’

A sua doçura suave e silenciosa contém o poder da Expiação, cujo princípio subjacente é que as ideias não deixam sua fonte.

A ideia de que uma parte de Deus, uma ideia em Sua Mente amorosa, poderia se desvencilhar e ter uma existência independente de sua Fonte é impossível.

Até mesmo responder a isso lhe daria validade. A verdade é que a separação nunca aconteceu, que é a Expiação e a base da resposta silenciosa do Espírito Santo.

O juiz/tomador de decisões, enamorado de seu ser separado, se afasta do Espírito Santo e concede o veredicto de ‘inocente’ ao ego e desta maneira o seu sistema de pensamento de separação nasce.

O Espírito Santo desaparece de nossa consciência, embora permaneça presente em nossas mentes divididas, ainda que oculto.

Consciência [no “nível da percepção” (separação)].

O Curso explica que a consciência ‘foi a primeira divisão introduzida na mente depois da separação” (T-3.IV.2: 1) e é idêntica à mente dividida.

Nós nos tornamos conscientes de algo, um estado dualístico que não existe no Céu [não dualidade] e então o Filho de Deus está consciente do ego e enterrou toda a consciência [no “nível da realidade” (iluminação)] do Espírito Santo.

Crença.

É importante notar que, uma vez que o ego foi escolhido pelo tomador de decisões, a crença do Filho nele [ego] dá ao ego todo o seu aparente poder.

Como o ego entende, não sendo ‘alguém’ que pode ser facilmente enganado, que o poder da mente do Filho de escolher é sua fonte – lembre-se de que, uma vez que nós falamos dentro do reino do mito, nós falamos do ego como se fosse uma pessoa com esses pensamentos – ele deve a sua existência não ao pensamento de separação, mas à crença do Filho de Deus na separação.

A distinção é crucial, pois o ego não pode dever a sua existência a uma separação que não existiu, mas sim ao poder da mente do Filho de acreditar na ilusão.

Ele reconhece que, se o Filho mudar de ideia, terá um problema sério nas mãos.

O maior medo do ego.

Como o Curso explica, o ego entende a ameaça (T-4.VI.1:1-2), e embora não tema a Deus, o Seu Amor ou a Expiação do Espírito Santo, tudo além de seu alcance de compreensão, ele estremece aterrorizado com a possibilidade de o Filho retirar sua fé dela e investi-la no Espírito Santo.

O ego não reconhece a fonte real da “ameaça” e se tu te associas com o ego, não compreendes a situação tal como ela é. Só a tua aliança com ele dá ao ego qualquer poder sobre ti. (T-4.VI.1:1-2)

Isso causaria a morte iminente do ego, pois ele desapareceria de volta para o nada de onde veio (ET-4.4:5).

Onde a destruição era percebida aparece a face de Cristo e nesse instante o mundo é esquecido e o tempo acaba para sempre, enquanto o mundo vai girando para o nada de onde veio. (ET-4.4:5).

A estratégia brilhante do ego.

Para garantir que essa catástrofe (o Filho escolhendo contra ele [o ego]) não aconteça, o ego inicia uma estratégia brilhante.

Compreender essa estratégia revela o propósito do mundo e, ainda mais especificamente, contém a chave para entender por que nascemos em corpos.

O propósito do ego é garantir que o Filho de Deus nunca mude de ideia.

Uma vez que o objetivo esteja claro, os meios para alcançá-lo simplesmente o seguem.

O objetivo do ego é tornar o Filho de Deus sem mente, pois nunca podemos mudar de ideia se não soubermos que temos uma.

Assim, nunca podemos escolher a Expiação do Espírito Santo e o mundo de separação e o corpo (cérebro) são os meios de estabelecer este estado de inconsciência.

O plano do ego para tornar o Filho sem mente.

O ego conta uma história ao Filho de Deus, cujo propósito é fazê-lo acreditar que ele está melhor agora por não ser uma mente.

Inconsciência nunca poderia acontecer se o Filho não escolhesse isso voluntariamente e o ego habilmente fornece a motivação para tal escolha.

Este é um ponto crítico, porque as nossas vidas neste mundo são dedicadas a nos manter em um estado perpétuo de inconsciência [sonhadores] e é por isso que o propósito de Jesus para o seu Curso é nos ensinar que é muito melhor estarmos atentos [observadores].

Para cumprir a meta, o ego diz ao Filho que ele é um indivíduo separado e especialuma ideia que deixou a sua fonte. Além disso, o ego continua:

‘O que você fez é real, mas teve um preço alto. Para ganhar a sua separação de Deus, você teve que matá-lo em um ato que será para sempre chamado de pecado. A sua separação veio à custa de sua inocência e o pecado agora é você mesmo.’

O nascimento do pecado, da culpa e do medo.

O que se segue diretamente ao pecado é a experiência psicológica da pecaminosidade: a culpa.

E da culpa vem o pensamento igualmente horrível:

‘Eu mereço ser punido por meu pecado’, levando ao nosso medo aterrorizante do inevitável.

Este é o nascimento da trindade profana do ego de pecado, culpa e medo.

Um pai zangado persegue o seu filho culpado. Matar ou ser morto.

A mente do Filho, que um instante antes tinha sido o lar de uma exultação alegre por ser livre e autônomo, de repente se tornou um campo de batalha no qual ele está em sério perigo de ser destruído.

O ego lhe diz, em termos inequívocos:

‘Você vitimou Deus pelo seu pecado, pois quando escolheu existir independentemente, você O destruiu. Ele agora, por sua vez, irá vitimá-lo como uma punição justificada.’

A frase que melhor descreve esse conto medonho é: um ou o outro.

Lembre-se, este é o mundo dos mitos e um Deus irado é capaz de se levantar da sepultura em que o Filho o enterrou, perseguindo-o para retomar a vida que o Filho lhe roubou.

Se Deus se apodera da vida, o Filho não a terá mais, o que significa que morrerá.

No Manual de Professores, essa dinâmica de ‘um ou outro’ é formulada assim:

‘Um pai enraivecido persegue seu filho culpado. Matar ou ser morto …’ (MP-17.7:10-11).

A necessidade desesperada de escapar.

Lembre-se de que esta história foi inventada para consumar a estratégia do ego de tornar o Filho de Deus sem mente, convencendo-o do que o ego quer que ele acredite.

É a razão por trás da invenção do ego de sua história de pecado, culpa e medo, levando à crença de que a mente é um campo de batalha.

Como sabemos, o ego teve bastante sucesso em alcançar o seu propósito:

Convencido pelo ego, o Filho de Deus reconhece que se ele permanecer em sua mente por mais um instante, ele será destruído. Ele agora acredita que é melhor não estar lá; na verdade, não ser uma mente de forma alguma.

Em desespero, o Filho se volta para o ego em busca de ajuda, pois com a Voz do Espírito Santo desaparecendo da consciência, a voz do ego é a única que ele ouve e é equivalente a ser divino.

Isso significa que a única opção disponível para lidar com a situação terrível é fazer o que o ego diz.

O mundo como um esconderijo de Deus.

Quando o Filho se volta para o ego em busca de ajuda, é assim que ele implora:

‘Você tem que fazer algo e rápido. Estou prestes a ser aniquilado e lançado no esquecimento.’

O ego responde com confiança:

‘Não tenha medo, a solução é simples. Pegue a minha mão e vamos desaparecer da mente, nos projetando para fazer um mundo no qual nos esconderemos para que Deus nunca nos encontre.’

O Filho concorda sinceramente e em um instante o pensamento de estar separado de Deusque deu origem à crença no pecado, culpa e medo e no campo de batalha de um ou o outro [matar ou ser morto] – é projetado.

É por isso que, olhando para a caixa no gráfico chamada ‘mundo de separação’, encontramos as mesmas palavras que na caixa da mente errada. Deve ser assim, apesar do que o ego diz, porque as ideias não deixam a sua fonte.

Além disso, assim que ocorre a projeção, o ego faz com que um véu da negação ou véu do esquecimento caia sobre a mente, resultando em uma completa falta de memória de onde viemos.

Nós temos consciência apenas de onde viemos – em ambos os sentidos do termo: chegamos ao mundo e também passamos a confiar em nossos sentidos, chegando à consciência: ‘Este é quem eu sou’.

Nós agora nos encontramos em um corpo, governado não pela mente, mas pelo cérebro.

É essencial reconhecer essa diferença entre o cérebro e a mente e a discutiremos com muito mais detalhes à medida que nossa sinfonia se desenrola.

O cérebro é parte do corpo, mas a mente não tem nada a ver com isso, pois a mente é um pensamento que transcende inteiramente o corpo.

O mundo, então, se torna o esconderijo contra o nosso Criador.

Conforme descrito no Livro de Exercícios:

‘O mundo foi feito como um ataque a Deus … Assim, o mundo foi feito para ser um lugar em que Deus não pudesse entrar e no qual o Seu Filho pudesse estar à parte Dele’ (LE-pII.3.2:1,4).

Uma vez no corpo, nós esquecemos como chegamos lá, não lembrando que a causa do universo físico foi a necessidade de escapar da ira de Deus que o ego nos disse ser a consequência inevitável de nosso pecado e culpa.

O propósito do ego.

O propósito do ego é nos manter olhando onde o problema não está, longe do verdadeiro problema da decisão da mente de escolher o ego em vez do Espírito Santo.

Ele quer nos manter sem mente, fazendo com que nos concentremos implacavelmente na resolução de problemas em um mundo ilusório que não existe.

O ego pega o pecado, a culpa e o medo, declara-os reais, mas os transmuta para que sejam percebidos como fora – em outro.

Além disso, porque eles não são percebidos em nós, o pecado não é mais nossa culpa e nosso medo é compreensível e justificado.

O mundo então se torna a testemunha aparente do fato de que ‘as ideias deixam sua fonte’.

Deve haver um outro modo.

Assim que resolvemos um problema, outro surge para tomar o seu lugar e este ciclo parece interminável.

No entanto, em algum momento dizemos:

‘Deve haver um outro modo.

Este é o convite ao Espírito Santo e a reversão da espiral descendente do ego começa.

O Milagre – Perdão.

O milagre não é algo feito no mundo por um corpo, mas é a escolha da mente novamente.

Lembre-se de que o ego quer que nos concentremos na resolução de problemas mundanos para nos manter longe do poder da mente de escolher o Espírito Santo, que nos diz:

‘Nada aconteceu – portanto, você não precisa fazer nada.

Você é o sonhador.

Muito simplesmente, esta é a ideia central ou mais importante de Um Curso em Milagres: ajudar-nos a reconhecer que este mundo é um sonho.

O milagre restaura à nossa consciência o fato de que nós somos o sonhador.

Como Jesus disse a certa altura:

‘Tu és o sonhador do mundo dos sonhos. Ele não tem outra causa nem nunca terá’ (T-27.VII.13:1-2).

Nós somos o sonhador, não o mundo.

Não somos afetados por outras pessoas, mas pela mente que inventou isso e o Curso nos ajuda a entender por que o fizemos.

Um Curso em Milagres não apenas descreve a natureza ilusória do mundo, mas fornece uma compreensão da motivação e do propósito por trás dele, incluindo nossa necessidade de sofrimento e dor, social e individualmente.

Esse reconhecimento nos permite fazer uma escolha mais sensata, o que de outra forma seria impossível.

O papel de Jesus ou do Espírito Santo.

O papel de Jesus ou do Espírito Santo é nada mais nada menos do que ajudar-nos a olhar para o mundo de uma maneira diferente: como o veículo para retornar à nossa consciência no nível da realidade de que nós somos uma mente que escolheu erroneamente e pode se reverter e fazer a escolha correta.

Assim, tudo o que o ego forjou está desfeito, porque nós retiramos toda a crença nele.

Perdão.

Perdão é o termo que melhor descreve esse processo de nos movermos da prisão da culpa e do julgamento para a sala de aula da cura e liberação.

Este processo, com efeito, reverte a projeção do ego, daí a flecha retornando à mente. [no gráfico]

O perdão pode ser visto em três etapas (por exemplo, LE-pI.23.5).

A primeira é a memória da projeção da culpa do mundo dos corpos para a mente.

A segunda, uma vez que estamos de volta à mente, é ver a culpa pela defesa que é, impedindo-nos de escolher novamente.

E agora nós fazemos, decidindo que o Espírito Santo é o verdadeiro professor.

Essa mudança de mentalidade estabelece a terceira etapa, que não é uma etapa, pois o perdão está completo quando foi escolhido contra a culpa.

O Amor do Espírito Santo é simplesmente permitido ser ele mesmo.”

Imagem pexels-pixabay-41951.jpg

Bibliografia da OREM3:

1) Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.
2) Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/
3) E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.
4) E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).
5) Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.
6) Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.
7) Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.
8) Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html
9) E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).
10) Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.
11) Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/
12) Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.
13) Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn
14) Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.
15) Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/
16) Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.
17) Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.
18) Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.
19) Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.
20) Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.
21) Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..
22) Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.
23) Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.
24) Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.
25) Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.
26) Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.
27) E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).
28) Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.
29) Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.
30) Site https://circleofa.org/.
31) Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.
32) Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).
33) Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.
34) Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.
35) Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.
36) Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.
37) Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..
38) Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.
39) Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.
40) Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.
41) Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.
42) Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.
43) Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.
44) Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.
45) Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.
46) Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)
47) Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.
48) Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/
49) Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..
49) Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.
50) Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.
51) Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x