Da perspectiva de Deus, o propósito do mundo que você percebe é corrigir a sua percepção de separação de Deus. Elizabeth A. Cronkhite

O fim do mundo não é a sua destruição, mas a sua tradução em Céu. T.11.VIII.1:8.

Muitos são chamados mas poucos são escolhidos” deveria ser “Todos são chamados, mas poucos escolhem escutar. T.3.IV.7:12

Nós buscamos inspiração para escrever o presente artigo nos esclarecimentos do Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., através de um específico Workshop, entre diversos outros proferidos por ele como um dos mais influentes e didáticos divulgadores de Um Curso em Milagres, assim como no livro “O Desaparecimento do Universo” (vide bibliografia), onde os Mestres Ascensionados Pursah e Arten também nos esclarecem de como parece ter ocorrido algo que nunca aconteceu.

Jesus no Curso claramente ensina que Deus existe; mas um conceito muito importante é que o mundo que nós percebemos é a nossa “ideia diminuta e louca“. A frase vem do Capítulo 27, do Texto, A Cura do Sonho, seção VIII.

Lá Jesus ensina que, em comparação com a magnitude do Céu, acreditar que este mundo é real é ridículo, louco, insano e diminuto.

Além disso, o “herói” do nosso sonho é o nosso corpo, “a figura central no sonhar do mundo.” T-27.VIII.1:1

Aqui está a passagem chave.

Na eternidade, onde tudo é um, introduziu-se uma ideia diminuta e louca, da qual o Filho de Deus não se lembrou de rir. Em seu esquecimento, esse pensamento passou a ser uma ideia séria, capaz de ser realizada e de ter efeitos reais. T.27.VIII.6.2-3

O mundo, portanto, parecia se tornar uma ideia muito séria porque nós esquecemos de rir dele.

Um Curso em Milagres (UCEM) nos dá os meios para lembrar de rir dele e perceber que o nosso verdadeiro ser nunca deixou a Mente de Deus (ou Mente de Cristo).

A passagem a seguir combina a ideia de que Deus não criou o mundo, mas enviou o Espírito Santo como uma conexão com Deus/Céu para o Filho que sonha.

As leis de Deus não prevalecem diretamente em um mundo no qual a percepção domina, pois tal mundo não poderia ter sido criado pela Mente para a qual a percepção não tem significado. Entretanto, as Suas leis refletem-se em toda parte. Não que o mundo onde esse reflexo está seja, de fato, real. Mas apenas porque o Seu Filho acredita que ele seja real e Ele não poderia separar-Se inteiramente da crença de Seu Filho. Ele não poderia entrar na insanidade de Seu Filho com ele, mas podia ter a certeza de que a Sua sanidade foi com ele de modo que ele não ficasse perdido para sempre na loucura do seu desejo. T.25.III.2:1-5

“Antes do início, não havia inícios nem fins; havia apenas o eterno Sempre, que ainda está lá – e sempre estará. Havia apenas uma consciência de uma Unicidade Imaculada e essa Unicidade era tão Completa, tão Espantosa e Ilimitada em sua Alegre Extensão, que seria impossível que qualquer coisa estivesse consciente de algo que não fosse Si Mesmo. Havia e há apenas Deus nessa realidade – à qual nós vamos nos referir como Céu (vide gráfico).

A Unicidade (Não-Dualidade) é a condição do Céu onde a Mente de Deus e a Mente de Cristo estão totalmente unidas. Não há lugar onde uma termina e a outra começa.

Aquilo a que o Curso se refere como essa ideia diminuta e louca parece surgir, na mente da Filiação.

Então, algo parece acontecer que, como em um sonho, realmente não acontece – apenas parece fazê-lo.

Por apenas um instante, por apenas uma fração inconsequente de um nanosegundo, um aspecto muito pequeno de Cristo parece ter essa ideia que não é compartilhada com Deus.

É um tipo de ideia ‘E se?‘. É como uma curiosidade inocente na forma de uma pergunta – que infelizmente é seguida por uma resposta aparente. A pergunta, se pudesse ser colocada em palavras era, ‘Como seria se eu saísse por aí e brincasse por conta própria?‘.

Como uma criança inocente brincando com fósforos e colocando fogo na casa, você seria muito mais feliz em não encontrar a resposta para essa pergunta – pois o seu estado de inocência está para ser, aparentemente, substituído por um estado de medo e pelas defesas errôneas, viciosas, que essa condição parece exigir.

Essa é a ideia diminuta e louca de que de repente – e perceba que nós estamos falando sobre algo que nunca aconteceu – parecia como se uma parte da Mente de Deus, uma parte da Mente de Cristo se separasse, assim agora havia duas mentes. Existe a Mente de Deus com ‘M’ maiúsculo, que está totalmente Unificada com a Mente de Cristo (Unicidade) e agora existe a pequena mente ‘m’ (a mente dividida ou a mente separada) que parecem estar coexistindo (Dualidade). Ainda assim, mais uma vez, isso nunca aconteceu. (vide gráfico)

Esta passagem está realmente falando sobre um processo no qual, quando a separação parecia ocorrer, todo o tempo também ocorria naquele instante e, de fato, ainda está ocorrendo naquele instante – o que o Curso chama de ‘diminuto tic-tac do tempo‘ na seção do Texto chamada ‘O pequeno obstáculo’. E todos os erros, ele explica, ocorreram no primeiro erro. (T-26.V.3:5)

Mas, nesse instante cósmico de individualidade aparente – e não importa o quanto nós pensemos que a individualidade é atraente, ela não é nada além de separação – parece haver um minúsculo aspecto de Cristo que agora está consciente de alguma outra coisa.

Isso é Dualidade. Ao invés de Unicidade, de Não Dualidade, nós temos agora a Dualidade.

Todo o resto daqui em diante é totalmente irreal e extremamente importante, pois o processo de separação parece ter ocorrido em termos de quatro estágios, as quatro divisões. O Curso nunca usa o termo quatro divisões – certamente fala muito sobre divisão – mas descreve quais são esses estágios. (vide gráfico)

A primeira divisão parece ter ocorrido quando a mente do Filho, parece se separar da Mente de Cristo. Então, onde havia uma, agora parece haver duas: a Mente de Cristo e a pequena mente ‘m’.

Então, depois da primeira divisão, a próxima coisa que acontece é que a pequena mente ‘m’ se divide no que chamamos de ego ou a mente errada e a outra parte é o Espírito Santo, que é a mente certa. Essa é a segunda divisão. 

Com a segunda divisão, passamos a perceber duas maneiras de interpretar o que está acontecendo – uma do Espírito Santo, que é realmente o nosso verdadeiro Ser e a outra do ego, que fala pela separação e por um ser individual. Agora, existem duas partes da mente ‘m’. Nós podemos presumir que, a partir daí, a terceira divisão aconteceu quando nós escolhemos o ego.

A terceira divisão é, portanto, quando a mente ‘m’, denominada de o tomador de decisão, confrontada com a escolha entre o ego e o Espírito Santo, ela escolhe o ego e se separa do Espírito Santo. O tomador de decisão agora se junta ao ego.

O pensamento do ego é que a ideia diminuta e louca realmente aconteceu. Na verdade, uma maneira de definir o ego é dizer que é a crença de que o Filho realmente se separou de seu Criador. Assim, o ego nada mais é do que um pensamento ou uma crença que existe na mente do Filho separado – o pensamento de que a separação realmente ocorreu.  

O Espírito Santo, por outro lado, é o pensamento de que a separação nunca aconteceu – que a ideia diminuta e louca deve ser entendida literalmente: a ideia é ‘diminuta‘ porque era inconsequente e não tinha absolutamente nenhum efeito, e é ‘louca‘ porque é insana. É uma insanidade pensar que uma parte de Deus, uma parte do Todo, uma parte da unidade total pudesse de alguma forma se separar e, de repente, estar fora de tudo – que poderia haver uma realidade além da totalidade, algo além do infinito, um poder além da onipotência.

Portanto, basicamente, estamos falando sobre três partes essenciais da mente dividida: (1) a parte da mente que contém o pensamento de que a separação é real (o Curso denomina de ‘mente errada‘; (2) a parte da mente que contém o pensamento de que a separação nunca ocorreu (o que o Curso se refere como o princípio da Expiação e de ‘mente certa‘); e (3) a parte da mente que decidiu escolher o sistema de pensamento do ego como sendo o verdadeiro (‘o tomador de decisão‘). (vide gráfico)

O Curso, por outro lado, enfaticamente nos inspira quando diz que se nós escolhemos a mente errada naquele determinado instante que nunca ocorreu, nós podemos também escolher novamente e novamente e novamente a mente certa ou o Espírito Santo que tem a missão (descrição de cargo) de nos auxiliar no processo de despertar do sonho infernal da Dualidade, na direção da Unicidade de onde nós nunca saímos.

Como o Curso explica repetidamente, o Filho não tinha e ainda não tem outra escolha – ele deve escolher entre o ego e o Espírito Santo. Não existem outras alternativas. E ele [o tomador de decisões] tinha que escolher e deve incessantemente escolher entre um deles. Ele não pode escolher os dois simultaneamente. Ele devia e deve escolher o ego ou o Espírito Santo. O tomador de decisão nunca é neutro.

É aqui que a história se torna interessante, porque o ego agora se depara com uma ameaça real. A primeira decisão do tomador de decisões em seguir o sistema de pensamento do ego, que parece ter ocasionada a terceira divisão, carregou uma dúvida no ego: E se o Filho de Deus ouvir a Voz do Espírito Santo e reconhecer que tudo isso é um sonho, que nunca realmente aconteceu, que não há separação? O que acontece depois?

A resposta evidente é que o Filho despertaria de seu sonho e o ego se iria, o sonho acabaria. Portanto, para se sustentar e manter a sua existência em andamento, o ego deve de alguma forma convencer o Filho de Deus – o tomador de decisões – que ele precisa manter a escolha sobre o ego em vez do Espírito Santo.

Assim, o ego elabora um plano – um enredo em que espera prender o Filho e convencê-lo de que o Espírito Santo não pode ser confiável, não pode ser acreditado e, certamente, não pode ser identificado.

Para fazer isso, o ego inventa uma história. É uma história totalmente inventada, sem nenhuma semelhança com a realidade, sem qualquer base na realidade. A história do ego baseia-se em três pensamentos básicos: pecado, culpa e medo. (vide gráfico)

É extremamente importante entender que o objetivo do ego não é realmente enterrar o Espírito Santo, mas enterrar a mente do Filho, porque a mente realmente é a grande ameaça. A mente do Filho pode escolher contra o ego e escolher o Amor de Deus, o que significa o fim do ego.

Se o ego pode de alguma forma tornar o Filho sem mente (irracional), então o ego tem a casa livre. E nunca tem que se preocupar com Deus ou com o Espírito Santo, não importa como os conceba. O medo real do ego, novamente, é do poder da mente do Filho de escolher.

Veremos agora como o ego leva o seu plano alguns passos adiante para alcançar o seu objetivo final – tornar o Filho sem mente (irracional) para que ele nunca mude de ideia e sempre permaneça totalmente identificado com o ego. Quando o Filho de Deus escolhe o ego e dá as costas ao Espírito Santo, ele não apenas escolhe o sistema de pensamento do ego, ele se torna o sistema de pensamento do ego. Isso é extremamente importante entender.

Quando o Filho de Deus escolhe o ego e dá as costas ao Espírito Santo, ele não apenas escolhe o sistema de pensamento do ego, ele se torna o sistema de pensamento do ego. Isso é extremamente importante entender.

Então, em virtude da história de pecado, culpa e medo do ego – que o Filho acreditou completamente – o ego convence o Filho de que sua mente agora é um campo de batalha onde ele está em guerra com seu Pai e o Espírito Santo. (vide gráfico)

A pedido do ego, assim, o Filho definitivamente dá as costas ao Espírito Santo e se identifica com o ego. Portanto, o Filho agora nem mesmo sabe sobre o Espírito Santo. O Espírito Santo passa a ser um memória, porém, é preciso enfatizar, apenas temporariamente esquecida. O Amor de Deus se transformou em seu oposto, com o Filho acreditando que está em guerra com Deus e em perigo mortal.

Em consequência, o Filho de Deus agora diz ao ego – e basicamente ele não está mais realmente separado do ego – com tremendo terror em seu coração:

Socorro! Eu preciso de uma defesa. Preciso de algo que me proteja da ira e da vingança de Deus, o que significa minha morte certa. Preciso de uma defesa contra esse Deus insano que sei que está em minha mente, porque minha culpa me diz que devo ser punido por pecar contra ele. Pequei contra Ele porque acredito que a separação de Deus é real – ela realmente ocorreu e terá consequências terríveis. (vide gráfico)

Portanto, o ego diz a ele: ‘Eu tenho outro plano, que é absolutamente maravilhoso. É à prova de Deus e não há como esse plano falhar: nós vamos deixar o campo de batalha e fazer um esconderijo. Eu garanto a você que Deus nunca, jamais nos encontrará.’

E então o Filho de Deus, é claro, fica radiante e diz: ‘Quando partimos? As minhas malas estão prontas. Vamos.’ O ego e o Filho novamente se unem, fundindo-se em um só. Eles deixam o campo de batalha por um esconderijo onde Deus ‘nunca’ os encontrará. O ego diz ao Filho: ‘O Espírito Santo existe apenas em sua mente e, portanto, se nós deixarmos a mente, estaremos livres em casa.'”

Dr. Wapnick nos esclarece também que esta é a explicação do Curso de como todo o mundo que você percebe passou a existir. Quando Jesus no Curso fala sobre o mundo – o mundo da percepção, o mundo da forma, o mundo da separação – ele está falando sobre todo o universo físico e não apenas o planeta Terra, ou nossas próprias cidades, ou nossos corpos. Ele está falando sobre todo o universo – o cosmos e todas as galáxias das quais nem temos consciência. Tudo isso é o mundo da separação. (vide gráfico)

Portanto, o mundo é um esconderijo para o qual o ego, junto com o Filho de Deus, se deslocou ou se transportou.

Como o Curso diz perto do final do Livro de Exercícios:

Este mundo foi feito como um ataque a Deus. … [era] para ser um lugar onde Deus não pudesse entrar. LE-pII.3.2:1-4

É preciso ter em mente que o propósito do ego é muito, muito simples – ele quer tornar o Filho de Deus sem mente (irracional).

O medo do ego, novamente, é que se o Filho algum dia se lembrar que ele tem uma mente que pode escolher (o tomador de decisões), ele reconhecerá que escolheu erroneamente. Ele perceberia que o ego é realmente aquele que diz a mentira e o Espírito Santo está dizendo a verdade. E então o Filho certamente mudaria de ideia.

Então, a criação do universo foi a quarta divisão da mente e isso provocou o Big Bang e o que, então, pareceu ser um número quase infinito de divisões – ou o mundo da multiplicidade.

Uma vez que acreditemos na realidade desse universo, então, vamos, por definição, também acreditar, inconscientemente, que somos separados de Deus e que somos culpados.

A ideia-chave na metafísica do Curso é que o mundo é uma ilusão e foi feito como um esconderijo para que Deus nunca nos encontrasse, uma ideia que pode parecer bastante abstrata e removida de nossa experiência, mas, no entanto, novamente, é a base para tudo o que o Curso ensina sobre perdão.

Provavelmente o melhor relato do Curso sobre a origem do mundo e sobre o propósito do mundo de ocultar a nossa culpa, está no Livro Texto, na seção do Capítulo 18 intitulada ‘Os Dois Mundos’:

O círculo do medo está exatamente abaixo do nível que o corpo vê e parece ser todo o fundamento no qual o mundo se baseia. Aqui estão todas as ilusões, todos os pensamentos distorcidos, todos os ataques insanos, a fúria, a vingança e a traição que foram feitos para manter a culpa no lugar de forma que o mundo pudesse surgir dela e mantê-la oculta. Sua sombra ergue-se à superfície, apenas o suficiente para manter as suas manifestações mais externas na escuridão e para trazer desespero e solidão a ele, mantendo-o sem alegria. Entretanto, sua intensidade é velada por suas pesadas cobertas e mantida a parte do que foi feito para mantê-la oculta. O corpo não pode ver isso, pois o corpo surgiu disso para protegê-la e essa proteção depende de mantê-la sem ser vista. Os olhos do corpo nunca olharão para ela. No entanto, verão o que ela dita. T.18.IX.4:1-7

Como diz o Curso:

O mundo, como tu o percebes, não pode ter sido criado pelo Pai, pois o mundo não é como tu o vês. Deus criou apenas o eterno e tudo o que vês é perecível. Portanto, tem que haver um outro mundo que tu não vês. A Bíblia fala de um novo Céu e de uma nova terra, no entanto, isso não pode ser literalmente verdadeiro, pois o eterno não é recriado. Perceber de um modo novo é apenas perceber mais uma vez, implicando que antes, ou durante o intervalo, não estavas percebendo nada. O que é, então, o mundo que aguarda a tua percepção, quando tu o vês? T.11.VII.1:1-6.

O mundo que vês é o que deste ao mundo, nada mais do que isso. Mas embora não seja mais do que isso, não é menos. Portanto, é importante para ti. Ele é a testemunha do teu estado mental, o retrato externo de uma condição interna. Como um homem pensa, assim ele percebe. Portanto, não busques mudar o mundo, mas escolhe mudar a tua mente sobre o mundo. A percepção é um resultado e não uma causa. T.21.Intro:2-7

Como nós somos com os outros mostra-nos como nós somos com nós mesmos.

O Mestre Ascensionado Arten, no livro “O Desaparecimento do Universo” (vide bibliografia), esclarece-nos que…

noventa e nove por cento do universo é escuro ou oculto de nós. Não apenas isso está relacionado ao inconsciente, mas também está projetado dessa forma para que continuemos fazendo descobertas sobre ele, buscando respostas no universo ao invés de nós buscarmos na mente, onde a resposta realmente está.

E neste ponto nós buscamos inspiração em didático artigo escrito por Dr. Kenneth Wapnick e sua esposa Gloria Wapnick, intitulado “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre “Estranhos em um Mundo Estranho – A Busca por Significado e Esperança), onde os autores dizem que o título do artigo chama a nossa atenção para uma das ideias mais importantes que Um Curso em Milagres ensina:

Este mundo não é o nosso lar e, portanto, em alguma região de nossas mentes que é obviamente desconhecida para nós, nós não nos sentimos bem se pertencemos aqui. Bem no fundo de nós, realmente nós nos sentimos como se fôssemos estranhos em um mundo estranho:

Esse mundo, em que pareces viver, não é a tua casa. E, em algum lugar da tua mente, tens o conhecimento de que isso é verdadeiro. A memória de casa continua te perseguindo, como se houvesse um lugar que te chamasse de volta, embora não reconheças a voz e nem o que essa voz te lembra. Mesmo assim, continuas te sentindo como um estranho aqui, vindo de algum lugar completamente desconhecido. Nada tão definido que possas dizer, com certeza, que és um exilado aqui. Apenas um sentimento persistente, em alguns momentos pouco mais do que uma diminuta pulsação, em outros vagamente relembrado, ativamente descartado, mas algo que com certeza vai voltar de novo à tua mente. LE.182.1

Muitas pessoas testemunham o fato de que buscam um sentido para as suas vidas. Na verdade, de uma forma ou de outra, todos nós procuramos descobrir quem ou o que realmente nós somos, de onde realmente nós viemos e de onde vem esse mal-estar da alienação.

Assim, nós investigamos os nossos sentimentos, lemos livros, cultivamos hobbies, viajamos para lugares diferentes, estudamos vários sistemas econômicos, religiosos, políticos e sociais e nos comunicamos com diversos povos a fim de obter alguma pista sobre a nossa existência e descobrir a origem e a presença contínua dessa sensação desconfortável de ser um estranho em um mundo que nós não nos lembramos de ter escolhido:

Ninguém que venha aqui deixa de ter ainda esperança, alguma ilusão remanescente, ou algum sonho de que haja alguma coisa fora dele próprio que lhe trará felicidade e paz. Se todas as coisas estão nele, isso não pode ser assim. E, portanto, com a sua vinda, ele nega a verdade a respeito de si mesmo e busca algo que seja mais do que tudo, como se uma parte do todo estivesse separada e pudesse ser achada onde todo o resto não está. Esse é o propósito que ele concede ao corpo: que o corpo busque aquilo que falta a ele e lhe dê aquilo que o faz completo. E assim ele vaga, sem objetivos, em busca de alguma coisa que não pode achar, acreditando que ele é o que não é. T.29.VII.2:1-5.

A ilusão remanescente o impelirá a buscar milhares de ídolos e outros milhares além desses. T.29.VII.3:1

No entanto, essa busca nunca resulta em nossa descoberta de onde esse sentimento abstrato de alienação realmente emana: a crença de que nós nos separamos de Deus, o nosso Criador e Fonte.

E assim, nós passamos uma tempo significativo de nossas vidas procurando localizar a natureza exata desse desconforto, ou desistindo da busca bem cedo, tentando nos moldar para nos ajustar a este mundo estranho que nós percebemos e nos adaptar aos seus numerosos percursos.

Um Curso em Milagres nos ajuda a entender que, na verdade, não há nenhuma busca real aqui, apenas uma classificação e adoção de objetivos e papéis que são direcionados para tornar a nossa existência individual mais bem-sucedida no mundo, mais prazerosa e menos dolorosa.

Além disso, o mundo vê com bons olhos os indivíduos que se adaptam à sua cultura, classe, comunidade e país. Atacar por conta própria e desrespeitar as regras não escritas geralmente não é favorecido de aprovação e pode ser considerado excêntrico ou até mesmo sociopata.

A busca pelo sentido existencial não é considerada uma forma séria ou adequada de passar a vida, a menos que você seja um filósofo.

Assim, a mensagem chega a cada geração da mesma forma, onde o sinal de maturidade é tornar-se um cidadão bom, produtivo e contribuinte de seu país. No entanto, se nós nos rebelamos, porque ‘nós adotamos conscientemente uma abordagem ou atitude diferente da maioria das pessoas’, todas as nossas energias são direcionadas para a rebelião e para a geração de um estilo de vida alternativo e para provar que o que a sociedade e a nossa família esperavam de nós estava errado para começar. Assim nós acabamos provando que estávamos certos o tempo todo sobre a nossa separação e estado alienado de existência.

Mas a busca por significado ainda continua e o desconforto interno ainda é a nossa forte experiência. É para escapar dessa dor que nós somos impelidos a nos distrair no estilo de vida que nós escolhemos, de modo que essa sensação dolorosa seja empurrada para fora da consciência e expelida por raios laser.

E aqui o mundo nos oferece todas as distrações com que nós poderíamos sonhar. Nós podemos nos direcionar para qualquer um dos muitos papéis que ele oferece, de eremita a familiar, de ascético a libertino indulgente dos sentidos, de pecador a pessoa sagrada, de indolente a workaholic (viciado em trabalho), de ‘ninguém’ a ‘alguém’, de covarde a guerreiro valente, de ignorante idiota para o estudioso e de uma orientação de egoísmo para uma de serviço altruísta e qualquer ou todos os papéis intermediários.

E quando finalmente nós cumprimos todos os objetivos e todas as funções que nós estabelecemos para nós mesmos, tradicionais e não tradicionais, a dor interior e o vazio tornam-se ainda mais pronunciados. A busca de significado agora assume um ímpeto novo e desesperado.

O que deve ser feito agora? O que pode ser feito agora?

Nesse ponto, o ego nos aconselha, que nós podemos começar uma nova busca ou reacender uma que já havia sido descartada, esperando contra todas as esperanças que a resposta ainda seja encontrada em um dos muitos caminhos que o mundo contém.

Os novos interesses, os novos hobbies, as novas carreiras, os novos lugares para morar ou visitar, os novos relacionamentos amorosos, as novas amizades e espiritualidades novas e exóticas – tudo é procurado a fim de extinguir esse anseio interior, ajudando-nos a abandonar a busca pelo verdadeiro significado.

Mas, novamente, essa sensação de futilidade retorna, junto com a dor e o desejo profundamente arraigados que continuamente nos perseguem, como uma sombra que nunca nos deixará. No entanto, parece que nós somos levados a seguir um caminho que esgota todas as possibilidades e probabilidades que o mundo oferece:

Não existe nenhuma escolha possível ali onde não há dúvidas em relação ao final. Talvez preferisses tentar todas até aprenderes que realmente são apenas uma só. As estradas que esse mundo pode oferecer parecem ser muitas em número, mas tem que vir o tempo em que todas as pessoas começarão a ver como são semelhantes umas às outras. T.31.IV.3:1-3.

Eventualmente, todos começam a reconhecer, embora de forma tênue, que tem que existir um caminho melhor. T-2.III.3:6.

Quando nós olhamos para esta situação quase universal da perspectiva de Um Curso em Milagres, nós podemos começar a discernir com clareza que nós estamos muito enganados. Nós procuramos nos lugares errados, sob a orientação do professor errado, acreditando que nós podemos substituir uma ilusão por outra e encontrar a felicidade por silenciar esse desconforto interno com os novos brinquedos de especialidade do ego.

No Curso nós somos ensinados por Jesus que este mundo não é o nosso lar, porque não foi criado por Deus, a nossa Fonte, mas sim foi feito por um pensamento de ataque; ou seja,

O mundo foi feito como um ataque a Deus. LE-pII.3.2:1

Além disso, a teologia de Um Curso em Milagres é muito clara: nós somos espírito, um Pensamento perfeito de amor em uma Mente perfeita, em Unicidade com a nossa Fonte. Essa é nossa única Herança quando Deus nos criou: em lugar algum o Pai chega ao fim para dar início ao Filho como algo separado de Si Mesmo. LE-pI.132.12:4

Criador e criado são um, perfeitamente unidos em uma totalidade de abstração ilimitada, além de todos os sonhos de separação, diferenças, individualidade e forma de qualquer tipo.

…nós somos espírito, um Pensamento perfeito de amor em uma Mente perfeita, em Unicidade com a nossa Fonte.

E então lentamente nós percebemos que a adaptação ao que parece ser o oposto do Céu – ou seja, este mundo de especificidades concretaso mundo que você percebe – só pode ser realizada em um estado alucinatório em que o que é real é negado e o que é ilusório é visto como real:

Quando fizeste com que fosse visível o que não é verdadeiro, o que é verdadeiro veio a ser invisível para ti. T-12.VIII.3:1

No entanto, como estranhos em um mundo estranho, como nós poderíamos acreditar em qualquer outra coisa? Fica claro, então, que buscar felicidade, paz ou realização aqui deve resultar em desilusão, pois como isso não poderia ser o resultado de perseguir ilusões?

É preciso muita coragem para olhar para essa loucura, já que nós investimos muito tempo e esforço para tornar esse sonho realidade.

É preciso muita determinação e fé para examinar todas as crenças e esperanças que nós investimos neste mundo e perceber que elas eram apenas defesas contra a verdade do Amor de Deus que o Espírito Santo oferece para nós em nossas mentes certas.

E é preciso disposição para admitir que nós estávamos errados em ter escolhido o sistema de pensamento de separação do ego e os ‘dons’ que ele enganosamente nos ofereceu em suas falsas promessas de encontrar esperança e significado neste mundo.

Nesse estado de humildade, finalmente nós clamamos por ajuda, admitindo que todos os nossos caminhos não funcionaram e que a busca por um significado durante toda a vida não produziu nenhum resultado significativo.

É neste ponto que nós estamos prontos para uma mensagem de luz que pode trazer o amanhecer do pensamento de que não há esperança de significado em um mundo de sonhos de ilusões. Este pensamento nos permite direcionar a nossa busca para longe do mundo finalmente e se torna o convite ao Espírito Santo, cuja presença em nossas mentes certas carrega a memória de nosso verdadeiro lar, nos lembrando que ‘estamos em casa em Deus, sonhando com o exílio‘. T.10.I.2:1

Esta Presença de Amor nos lembra que estamos sonhando um sonho – um pesadelo – e que o seu conteúdo não é verdadeiro. T.28.II.7:1

Além disso, nós somos informados de que há um pensamento de Correção em nossas mentes certas para cada pensamento errado que o ego nos convenceu a aceitar.

Na verdade, nós somos informados de que nós não somos os nossos egos e, portanto, nós podemos retirar a nossa fidelidade a esse falso ser a qualquer momento e colocá-lo em nossas mentes certas.

Nesse processo, nós tomamos consciência de que existe uma parte de nossas mentes que escolhe livremente se quer ouvir as mentiras do ego ou a verdade do Espírito Santo. Nós chamamos essa parte de nossas mentes de tomador de decisões. (vide gráfico)

Muitos insights nos ocorrerão à medida que nós avançamos em nossa jornada para o despertar: por exemplo, nós devemos entender que a morte não é um fim, mas uma continuação não linear de um tema em um sonho contínuo que afirma que existe um oposto ao que Deus criou.

Nós podemos agora sorrir com as ideias que os teólogos nos ensinaram e consagraram durante séculos: que Deus criou a morte como o fim da vida, momento em que leva as pessoas de volta a Ele, ou as designa para o purgatório, ou talvez até as condena ao inferno.

Nós começaremos a nos perguntar como nós poderíamos ter acreditado em tal Deus. Tendo aceito o perdão por muitas das queixas que nós guardamos em nossas mentes, também nós chegamos à conclusão de que um Deus irado e punidor é um conceito em que nós não podemos mais acreditar:

Aqui não é possível nenhuma transigência. Ou existe um deus do medo, ou um Deus do Amor. O mundo tenta fazer mil transigências e tentará fazer outras mil. Nenhuma pode ser aceitável para os professores de Deus, pois nenhuma seria aceitável para Deus. Ele não fez a morte, porque Ele não fez o medo. Ambos são igualmente sem significado para Ele. MP.27.4:5-10

O foco em nossas vidas passa a ser pedir ajuda para mudar as nossas atitudes e questionar os nossos valores e aceitar o perdão como a nossa função e propósito.

Pois é essa mudança de nossa mente errada para a nossa mente certa que remove as barreiras à nossa consciência e reconhecimento da verdade. Como afirma o Curso:

A iluminação é apenas um reconhecimento e não uma mudança em absoluto. LE-pI.188.1:4

Portanto, em vez de nós ficarmos perturbados ao descobrir que este mundo e este corpo não são a nossa casa, nós nos tornamos ‘aprendizes felizes’. Com o reconhecimento feliz de nosso novo Mestre, nós percebemos que o significado de nossas vidas é aceitar os sonhos felizes do Espírito Santo como um substituto para os sonhos de pesadelo que o ego nos ofereceu.

Como Jesus nos consola, com palavras que descrevem a nossa travessia da ponte para o mundo real: ‘E irás pensar, em feliz espanto, que por tudo isso a nada renunciaste!T-16.VI.11:4

Portanto, nós estamos felizes em saber que todos os nossos esforços agora podem estar alinhados com o propósito de aceitar a Expiação para nós mesmos. Nós somos ensinados por Jesus que este é um processo de desfazer, em que todos os pensamentos que nós pensamos pensar fora de Deus serão suavemente desfeitos pelo perdão que o Espírito Santo nos oferece, Que pede apenas que nós O aceitemos das mãos amorosas Dele.

E dia a dia, hora a hora, conforme todos os nossos pensamentos inconscientes da mente errada vêm à tona em nossa percepção consciente, agora nós temos um método pelo qual nós podemos permitir que eles sejam removidos para nós.

Assim, as nossas vidas passam a refletir o único verdadeiro significado e esperança que nós poderíamos alcançar: aceitar o nosso Ser como Deus nos criou e ter a imagem miserável que nós fizemos ser desfeita e substituída pela resplandecência de Cristo.

Assim, despertamos para o fato de que o mundo real é nosso lar longe de Casa, de onde ‘o teu Pai inclinar-Se-á para ti e dará o último passo por ti, elevando-te até Ele.’ T-11.VIII.15:5

Como o Curso diz:

Libero o mundo de tudo aquilo que eu pensava que fosse. LE.132

Não darei valor àquilo que não tem valor. LE.133

Para ratificar o entendimento sobre o mundo que nós percebemos, à luz do Curso, nós voltamos a buscar inspiração e esclarecimento em outro artigo escrito por Dr. Kenneth Wapnick e sua esposa Gloria Wapnick, em continuação ao anterior, intitulado “To Be in the World and Not of It” (tradução livre “Estar no Mundo e Não Ser Dele”), onde os autores iniciam com uma frase da Bíblia, em João 17:14: “Eles não são do mundo, como eu também não sou.

“Esta famosa frase bíblica foi tirada dos Últimos Discursos de Jesus no evangelho de João e é referida seis vezes em Um Curso em Milagres.

Certamente, pode-se dizer, que a meta de Jesus para nós no Curso é nos lembrar que a nossa casa não é realmente deste mundo, mesmo quando nós aprendemos a ser instrumentos de seu amor enquanto nós parecemos estar no mundo.

Eu não sou um corpo. Eu sou livre. Pois ainda sou como Deus me criou. ” LE-pI.rVI

É extremamente fácil interpretar erroneamente a ênfase de Um Curso em Milagres na natureza ilusória do mundo, significando que nós devemos prestar pouca ou nenhuma atenção à nossa vida e experiência no corpo, por medo de reforçar o sonho de nós estarmos aqui. No entanto, esta posição apenas fortalece a crença no mundo físico.

Como o Curso nos lembra:

É quase impossível negar a sua existência [do corpo] nesse mundo. T.2.IV.3:10.

Em vez disso, através da prática do perdão, nós aprendemos a experimentar a vida neste mundo, não como um sacrifício, fardo ou prisão, mas como uma sala de aula alegre na qual o Amor de Deus se torna nossa única realidade, independentemente de suas formas de expressão. (vide gráfico)

Tendo sido criado para servir ao propósito insanamente horrível do ego de atacar Deus e excluir o Seu Amor, o mundo só poderia ser horrível; feito pelo medo, ele reproduz o medo. No entanto, o que nós fizemos para prejudicar pode se tornar o instrumento de cura quando nós aceitamos a função especial do Espírito Santo. T.25.VI.4:2.

Talvez a discussão mais clara sobre o uso curativo do mundo, utilizado pelo Espírito Santo, seja encontrada na Lição 184, conforme visto nos breves trechos a seguir:

Tu precisas usar os símbolos do mundo por algum tempo. Mas não te deixes também ser enganado por eles. Não representam nada em absoluto e, na tua prática, é esse pensamento que te libertará. Tornam-se apenas meios pelos quais podes te comunicar de modo que o mundo possa compreender, mas reconheces que não são a unidade na qual a verdadeira comunicação pode ser achada. LE-pI.184.9:2-5

Nós somos, portanto, solicitados ao longo do dia, especialmente quando nós somos testados a tornar as trevas do mundo reais, a retornarmos ao lugar da luz e amor em nossas mentes.

E, então, dá um passo para trás, para a escuridão, não porque penses que ela seja real, mas apenas para proclamares a sua irrealidade em termos que ainda têm significado para o mundo que a escuridão governa. LE-pI.184.10:3

O mundo, tão aparentemente cruel e desesperador, quando visto através dos olhos do ego, torna-se brilhantemente transformado quando o seu propósito é alterado.

Nós não estamos mais investidos em resultados, vivendo bem, ou estando certos e provando que os outros estão errados, pois agora o nosso único objetivo é alcançar a paz de Deus.

Cada encontro e circunstância se torna um farol brilhante apontando o caminho para o Lar e nós, estando ‘alegres e gratos por ser assimLE-pI.200.11:9, regozijamo-nos em mais uma oportunidade de lembrar que nós somos o Filho de Deus, cujo Lar é Dele.

Nós somos repetidamente lembrados por Jesus como o seu Curso é muito simples. Poucos realmente experimentam dessa forma, é claro, pois as nossas mentes nos condicionaram à complexidade.

No entanto, ainda nós podemos aprender, com muita diligência e prática, que o mundo intrincado e complexo do corpo pode servir de sala de aula para nos ensinar a lição simples da salvação: eu não sou vítima do mundo que vejo. LE-pI.31

Ao contrário, é o que nós percebemos por dentro que afeta o que nós percebemos por fora. Desconhecidas para nós por meio do mecanismo da negação, as nossas percepções internas de culpa tornam-se manifestas por meio de nossas projeções no mundo.

Olhando para eles, como se fosse a primeira vez, agora nós estamos livres para escolher novamente ver os nossos ‘ódios ocultos’ e ‘pecados secretos’ de forma diferente. É o nosso olhar, com o Amor de Deus nos sustentando, que se torna a destruição da culpa.

Felizmente agora, nós, ‘estudantes felizes’, caminhamos neste mundo ansiosos para aprender enquanto ensinamos.

Em uma das passagens mais inspiradoras do Livro de Exercícios, Jesus nos pede:

Pois é só disso que preciso, que ouças as palavras que digo e as dês ao mundo. Tu és a minha voz, os meus olhos, os meus pés, as minhas mãos, através das quais eu salvo o mundo. LE-pI.rV.IN.9:2-3

E assim o mundo se torna uma ajuda gentil de perdão:

O mundo não é mais nosso inimigo, pois escolhemos ser o seu Amigo. LE-pI.194.9:6

Abaixo as definições de mundo e mundo real extraídas do índice do glossário do site do Dr. Kenneth Wapnick, conforme link para consulta https://facim.org/glossary/world/.

Mundo

Nível I: o efeito da crença do ego na separação, que é a sua causa; o pensamento de separação e ataque à forma dada por Deus; sendo a expressão da crença no tempo e no espaço, não foi criado por Deus, que transcende o tempo e o espaço inteiramente; a menos que se refira especificamente ao mundo do conhecimento, refere-se apenas à percepção, o domínio pós-separação do ego.

Nível II – mente errada: uma prisão de separação que reforça a crença do ego no pecado e na culpa, perpetuando a aparente existência deste mundo.

Nível II – mente certa: uma sala de aula onde nós aprendemos as nossas lições de perdão, o dispositivo de ensino do Espírito Santo para nos ajudar a transcender o mundo: assim, o propósito do mundo é nos ensinar que não existe o mundo.

Mundo real

O estado de espírito em que, por meio do perdão total, o mundo da percepção é liberado das projeções de culpa que nós colocamos sobre ele: assim, é a mente que mudou, não o mundo e nós vemos através da visão de Cristo que abençoa em vez de condenar; o sonho feliz do Espírito Santo; o fim da Expiação, desfazendo os nossos pensamentos de separação e permitindo que Deus dê o último passo.

O Dr. Wapnick ainda nos acrescenta para reflexão sobre o mundo que nós percebemos:

Esse mundo acabou há muito tempo. Os pensamentos que o fizeram já não estão mais na mente que os pensou e os amou por um breve período de tempo. T.28.I.1:6-7

Todo este mundo foi construído como uma defesa contra algo que não existe. Isso é tolice! Você não poderia pedir nada mais tolo.

Literalmente, nós construímos todo este enorme sistema defensivo para nos proteger contra um inimigo que não existe.

É por isso que os governos fazem coisas tão tolas – construindo sistemas de armas contra inimigos que não existem.

Todo este Curso é sobre expor a insanidade e a tolice disso.

Não nos torna pecadores, mas certamente nos torna muito tolos.

Nós vamos defender essa defesa contra qualquer coisa. Nós não vamos deixar ninguém tirar este mundo ou este corpo de nós, nem mesmo Jesus. Em vez disso, nós mataremos. Em vez disso, nós destruiremos a sua mensagem.

Mas o que nós estamos mantendo não é nada. Não há nada ali. Isso é o que ele está dizendo: “Quando isso acontecer, observe seus pecados desaparecerem em um passado que não existe mais.” P-2.VI.6:4

Tanto para este grande e maravilhoso cosmos – este mundo que nós pensamos ser tão glorioso, não está aqui.

Os pensamentos que fizeram o mundo, os pensamentos de culpa não existem mais.    

Eles não estão mais lá porque nunca estiveram lá. Nós apenas pensamos que eles estavam lá e então tivemos que construir essa defesa massiva contra um pensamento que nunca existiu. Isso é inteligente? Não inteligente! Homo sapiens é um oxímoro, pois significa ‘homem sábio’.”

O Professor de Deus Greg Mackie, no site https://circleofa.org, enfatiza uma declaração da médium Jeane Dixon que o próprio Jesus (no Urtext) considerou como um milagre: “Pés no chão e as pontas dos dedos no céu.”

O autor nos esclarece que a frase de Jeane é uma combinação linda, porque nos leva a pensar que os seres humanos têm uma tendência a enfatizar demais um lado ou outro.

“Muitas pessoas, especialmente aquelas que não acreditam em nada além do mundo, superenfatizam a parte mundana e fazem o que elas acham que é melhor para elas, não se importando com as outras pessoas ou, na melhor das hipóteses, a tornar o mundo um lugar melhor em seus termos.

De outra forma, muitas pessoas que descobrem a espiritualidade vão para o outro lado e desprezam o mundo. Nós vemos isso, por exemplo, em estudantes do Curso que minimizam a grande ênfase do Curso em estender amor a outros porque não querem ‘tornar o erro real’.

Nas palavras atribuídas a Oliver Wendell Holmes: ‘Algumas pessoas têm uma mente tão celestial que não são boas na terra’.

É preciso, verdadeiramente, ter os ‘pés no chão e as pontas dos dedos no céu.‘”

Seguem abaixo também algumas definições sobre o mundo que nós percebemos, extraídas do livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (vide bibliografia), para o nosso conhecimento e entendimento sobre este importante tema, visando o nosso despertar:

  • O “mundo real” é uma mudança em sua percepção do mundo que ocorre por meio de milagres.
  • E você escapará do fim do mundo em um veículo interior, guiado pelo Espírito Santo.
  • A sua percepção de um mundo é o nível de sua mente onde o erro parece ocorrer.
  • A sua percepção de um mundo é como um sonho do qual você precisa despertar.
  • Você fez um mundo para preencher a falta percebida em sua mente provocada por sua percepção de separação de Deus e qualquer coisa feita em sua percepção deste mundo é feita pela mesma razão e reafirma a separação. O pensamento engenhoso e inventivo sempre dá origem à forma concreta.
  • A verdadeira justiça significa reconhecer que o mundo não é real e que somente Deus é Real. Este é o único uso real do julgamento. Você só precisa desse julgamento porque se esqueceu de que é Um Só com Deus.
  • Se você pode aceitar que o mundo é apenas uma ideia, então a associação do ego com dar e perder acabou.
  • O mundo é uma ideia que te cansa e o Espírito Santo é a Ideia que te traz o Descanso.
  • Sempre que você não está completamente alegre é porque acreditou que o mundo é real.
  • Você acredita que o mundo é realidade e isso é assustador para você.
  • O mundo está apenas na sua mente e não vai durar e o Espírito Santo, que vem de Deus, fala apenas pelo Que dura Para Sempre.
  • O mundo é a ideia de que o Amor é impossível e, para manter a realidade do mundo, o ego deve desprezar e rejeitar a sua Mente Crística [de você]. Mas quando você aceita o Cristo [Mente Crística] dentro de você, você nega que o mundo é real e aceita que somente Deus é Real.
  • O mundo está em sua mente, mas você aceitará isso? Somente o que você percebe pode lhe ensinar o que você é, porque o que você aprende é determinado pelo que você projeta ou estende.
  • Você não pode negar que o mundo está em sua mente e que tudo no mundo está em sua mente ou sua Mente Crística também parecerá estar separada e sem significado e você não entenderá nada de sua mente.
  • A “realidade” que você percebe como um mundo não é de Deus porque a Realidade não é como você a vê com a sua mente dividida. O que é de Deus é Eterno e tudo o que o ego vê é perecível.
  • Não acredite que o mundo está fora da sua mente porque você só pode obter controle sobre ele reconhecendo onde ele está. Você tem controle sobre a sua mente porque a sua mente é onde você toma decisões.
  • Enquanto você perceber o mundo como algo separado, a sua mente não será curada porque o mundo está em sua mente.
  • O mundo do ego é a imagem de sua crucificação. Você verá este mundo até você perceber que você não pode ser crucificado. E você não aceitará que não pode ser crucificado até que aceite o Fato Eterno de que você não é culpado.
  • A sua função no mundo que você percebe é curar a sua mente de sua percepção de separação de Deus, pois a sua Função no Céu é ser Um Só com Deus. Mas o ego ensina que a sua função no mundo é a destruição e que você não tem função no Céu.
  • O seu mundo privado está cheio de projeções de medo que você convidou e de todo o Amor Real que você podia ver no lugar delas que você de fato não vê.
  • Se você olhar com honestidade para o mundo que você percebe, deve lhe ocorrer que você se refugiou na insanidade.
  • Nenhum mundo é o seu Lar e não importa o quão Santa a sua percepção se torne no mundo, ela não pode conter Tudo o que Deus dá a você.
  • O mundo nada mais é do que a sua projeção e ele pode dar a você apenas o que você projetou ou estendeu a ele.
  • Nada no mundo que você percebe pode lhe dar a Paz do Céu porque nada no mundo é totalmente estendido.
  • Não há nada no mundo que você percebe para lhe ensinar que a lógica do mundo é totalmente insana e não leva a nada.
  • A sua única vocação em sua percepção de um mundo é devotar-se com boa disposição para negar a culpa em todas as suas formas.
  • Os seus relacionamentos com outras pessoas no mundo que você percebe são o resultado do que você vê para o mundo. A sua visão depende de qual emoção – medo ou amor – você escolhe experienciar e, portanto, projeta ou estende.
  • Corrija a sua percepção de que o mundo é real e a sua mente será corrigida tão certamente quanto você é Um Só com Deus e Deus o ama. Você encontrará correção no mundo que você percebe porque você tanto a estende lá quanto a recebe lá.
  • Este é o mundo ao qual você deve se ajustar, contanto que acredite que ele está fora de você e que você está à sua mercê. Este mundo é impiedoso e se estivesse fora de você, seu medo seria justificado. Porém você é aquele que fez a crueldade e você pode corrigir isso.
  • O mundo do ego é a crença de que a separação de Deus é real e essa crença não está fora de sua mente.
  • E se você reconhecesse que o mundo é uma alucinação? E se você realmente entendesse que você o inventou? E se você percebesse que aqueles que parecem andar por aí separados de Deus, atacando, matando, autodestruindo-se e, por fim, morrendo são totalmente irreais? Se você aceitasse que tudo isso é irreal, você não poderia ter fé nisso; você nem mesmo veria isso.
  • O mundo ainda está diante da Santidade que você percebe em seu relacionamento e a Paz desce em Gentileza e Bênção tão completa que nenhum traço de conflito ainda permanece para assombrá-lo.
  • O propósito do mundo é tornar a separação real para você.
  • A Lei de Deus ainda está refletida em toda a sua mente. Isso não torna o mundo real de forma alguma, mas você acredita que o mundo é real e não pode ser completamente separado de Deus.
  • Para cada autor de sua percepção, o mundo tem um propósito diferente e para cada um o mundo é percebido como o meio perfeito para servir a seu objetivo. Para o ego, o mundo que você percebe é a moldura perfeita para desencadear o seu especialismo, o campo de batalha perfeito para resolver o seu conflito e o abrigo perfeito para as ilusões que ele quer tornar reais para você. Este é o mundo que a percepção do ego sustenta e justifica.
  • Quando você pensa que o mundo é são de alguma forma, é justificado em qualquer uma de suas crenças ou é mantido por qualquer forma de razão, então você acredita que Deus é insano. Mas o “pecado” não é real porque Deus e a sua Mente Crística não são insanos. O mundo que você percebe não tem sentido porque se baseia no “pecado”. Apenas o Imutável pode descansar na Verdade.
  • O Espírito Santo sabe que o mundo é apenas uma percepção em sua mente e que a cura de sua mente não pode estar separada de sua percepção. Enquanto você perceber um mundo de sofrimento como real, você não será curado.
  • O ego faz apenas uma pergunta, embora em formas diferentes: “Destas ilusões, qual delas é verdadeira? Quais ilusões podem me trazer Paz e alegria? Quais ilusões podem me fazer escapar de toda a dor de que este mundo é feito?” Seja qual for a forma que elas assumam, o propósito das perguntas do ego é tornar a separação de Deus real para você. A sua resposta é sempre para você escolher uma forma de separação que você preferir e as outras respostas possíveis se tornarão não “verdadeiras” para você.
  • O mundo é a causa do que você faz. A sua injustiça justifica a sua ira. O mundo ataca, então você é o inocente e o que você sofre é o ataque do mundo. E da perspectiva de que você é um pequeno ser em um mundo, parece que o mundo está machucando você, então, dessa perspectiva, você não acha que há necessidade de ir além do óbvio para encontrar a fonte de sua dor .
  • Embora a ilusão tome muitas formas e tenha uma grande variedade de lugares e eventos onde o “herói” se encontra, a ilusão tem apenas um propósito ensinado de muitas maneiras repetidas vezes: O mundo é a causa de você e você, como um desses “heróis” em uma de suas histórias, são o seu efeito.
  • Olhe para o início de sua ilusão, porque a parte que você vê como o mundo é apenas o seu efeito.
  • O mundo nada mais é do que uma pequena lacuna em sua mente onde você acredita que destruiu a Eternidade e a quebrou em dias, meses e anos. E dentro do mundo você parece ser a imagem de uma Mente que foi quebrada em muitos pedaços, cada um escondido dentro de um corpo inseguro.
  • O mundo que você percebe prenderá os seus pés e amarrará as suas mãos e matará o seu corpo somente se você pensar que ele foi feito para crucificá-lo. Mesmo que o mundo seja uma ilusão de morte, você não precisa deixar isso representar para você. Mude o seu propósito e tudo nele será alterado também. Tudo no mundo é definido para você por aquilo que você percebe que serve.
  • Para que serve um ídolo? Esta pergunta tem muitas respostas no mundo da separação que você percebe porque o seu mundo está povoado de idólatras.
  • Conheça Deus e conheça o Pensamento de Deus em você, porque Deus é a Eternidade que o mantém Seguro. A Pureza Perfeita do Pensamento de Deus em você não depende de você estar ou não ciente dela. A Mente de Deus abrange o Seu Pensamento em você e Suavemente O mantém dentro. Ele está tão longe do mundo quanto o mundo está do Céu.
  • Deixe de lado as ideias do ego sobre para que serve o mundo. Ele de fato não sabe. Deixe cada imagem em que ele se apega seja solta de sua mente e varrida dela.
  • O mundo é um lugar onde as suas únicas escolhas são entre ilusões e você parece estar no controle dos resultados que você escolhe.
  • Um conceito é um pensamento ao qual o seu autor dá sentido. Os autoconceitos mantêm o mundo que você percebe, mas não podem ser usados ​​para demonstrar que o mundo é real. Você os [autoconceitos] interpreta tudo dentro do mundo, onde eles [autoconceitos] nascem em sua sombra, crescem nos caminhos do mundo e, finalmente, “amadurecem”. Eles são ideias de ídolos, pintadas com pincéis de separação, que não podem fazer uma única imagem que represente a Verdade para você.”

Sente-se calmamente e olhe para o mundo que você percebe e diga a si mesmo: O mundo real não é assim. 
Não tem edifícios e não há ruas por onde as pessoas andam sozinhas e separadas.
Não tem lojas onde as pessoas compram uma lista sem fim de coisas das quais elas não necessitam.
Não é iluminado com luz artificial e as noites não caem sobre Ele. 
Não há dia que se ilumine e depois vá se apagando.  
Não há nenhuma perda.
Nada lá deixa de brilhar e brilha para sempre. (T.13.VII.1:1-7)

Sentir o Amor de Deus dentro de ti é ver o mundo com novos olhos, brilhando em inocência, vivo em esperança e abençoado com perfeita caridade e amor. LE.189.1:7   

E, como diz o Curso…

E assim a jornada que o Filho de Deus começou, terminou na luz da qual ele veio. LE-parte II.249.1:7

Se eu assim escolher, eu posso deixar esse mundo inteiramente. Não é a morte que torna isso possível, mas a mudança da mente em relação ao propósito do mundo. Se eu acreditar que ele tem valor, tal como o vejo agora, ele permanecerá assim para mim. Mas se, ao contemplá-lo, eu não vir nenhum valor no mundo, nada que eu queira guardar para mim ou almeje como uma meta, ele me deixará. Pois eu não terei buscado ilusões para substituir a verdade.

Pai, o meu lar aguarda o retorno alegre. Os Teus Braços estão abertos e eu ouço a Tua Voz. Que necessidade tenho eu de ficar num lugar de desejos vãos e de sonhos despedaçados, se o Céu pode ser meu com tanta facilidade? LE.pII.226:1:1-5;2:1-3

Imagem arpit-rastogi-xv7DTjnx2YQ-unsplash.jpg

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Sr. Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of  salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x