…continuação da Parte I…

Comentários sobre Um Curso em Milagres – Segunda Parte

UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos milagres

Artigo em inglês poderá ser acessado no site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01b.pdf

“Nós continuamos com “Princípios dos Milagres”, interpretando os princípios dos milagres em grupos de tópicos.

Na semana passada nós cobrimos cinco grupos; esta semana vamos cobrir mais cinco.

O Tipo de Pensamentos Que Os Milagres Corrigem

Principios 24, 26, 33, 42, 39, 50, 8, 34 e 41.

24. Milagres fazem com que sejas capaz de curar os doentes e ressuscitar os mortos porque tu mesmo fizeste a doença e a morte, podes, portanto, abolir ambos. Tu és um milagre, capaz de criar como o teu Criador. Tudo o mais é o teu próprio pesadelo e não existe. Somente as criações da luz são reais.

26. Milagres representam a libertação do medo. ‘Expiar’ significa “desfazer”. Desfazer o medo e uma parte essencial do valor dos milagres na Expiação.

33. Milagres te honram porque és amável. Eles dissipam ilusões a respeito de ti mesmo e percebem a luz em ti. Assim expiam os teus erros libertando-te dos teus pesadelos. Por liberar a tua mente da prisão das tuas ilusões, restauram a tua sanidade.

42. Uma das maiores contribuições dos milagres é a sua forca para liberar-te do teu falso senso de isolamento, privação e falta.

39.O milagre dissolve o erro porque o Espírito Santo o identifica como falso ou irreal. Isso é o mesmo que dizer que por perceber a luz, a escuridão automaticamente desaparece.

50. O milagre compara o que tu fazes com a criação, aceitando como verdadeiro o que está de acordo com ela e rejeitando como falso o que está em desacordo.

8. Milagres são curativos [healing] porque suprem uma falta; são apresentados por aqueles que temporariamente tem mais para aqueles que temporariamente tem menos.

34. Milagres restauram a mente à sua plenitude. Por expiar o senso de carência, estabelecem proteção perfeita. A forca do espírito não deixa lugar para intrusões.

41. A integridade é o conteúdo perceptivo dos milagres. Assim, corrigem ou expiam a percepção defeituosa da falta.

• Questões de Estudo •

1. Leia esses princípios na ordem listada acima e tente resumir em uma ou duas frases que tipos de pensamentos os milagres corrigem. Se puder, dê exemplos de sua própria experiência; que pensamentos em você os milagres corrigirão?

2. Observe a palavra ‘expiar’ no Princípio nº 41; este é outro termo importante do Curso. Que significado parece ter na frase 2?

Se milagres corrigem os nossos pensamentos, o que há em nossos pensamentos que precisa ser corrigido? Todos os princípios desse grupo ajudam a responder a essa pergunta. Milagres corrigem pensamentos: de morte; de contrário a Deus; de medo; de vulnerabilidade; de ilusões; que são pesadelos; de isolamento, privação ou carência; que são falsos ou irreais; que não estão de acordo com a criação de Deus. O Princípio nº 24 nos diz que ‘somente as criações da luz são reais’ e que ‘tudo o mais não existe’ – por exemplo, doença e morte que nós fazemos em vez de criar – ‘é o seu próprio pesadelo e de fato não existe’. Isso deve lembrá-lo das palavras da Introdução: ‘Nada real pode ser ameaçado. Nada de irreal existe.’

A ideia aqui, em linhas gerais, é que os milagres desfaçam (veja T-1.I.26:2), ou apaguem, todas e quaisquer ilusões que nós fizemos, deixando apenas as criações de Deus. Doença e morte estão entre esses pesadelos de nossas mentes e, portanto, eles também podem ser apagados. Se você examinar esses princípios, verá várias outras coisas que dizem serem desfeitas por milagres: medo; ilusões sombrias sobre nós mesmos; nossos erros; nossa falsa sensação de isolamento, privação e carência; e – em geral – qualquer coisa que esteja em desacordo com a criação.

Milagres não mudam nada que seja real; eles desfazem o que não é real, revelando assim o que é real. ‘A integridade é o conteúdo perceptivo dos milagres’ (T-1.I.41:1).

Um milagre não pode fazer mudança alguma. Mas pode fazer com que o que sempre foi verdadeiro seja reconhecido por aqueles que não têm conhecimento disso… (T-26.VII.20:4-5)

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. (LEpII.13.1:1-4)

Assim, todo o conceito de um milagre como o Curso o vê é baseado na ideia de que a ‘devastação’ que nós percebemos é falsa. O milagre de fato não trata a nossa privação e carência como reais e tenta contra-atacar; em vez disso, ele libera a nossa mente de sua falsa sensação de privação e carência. O milagre nos parece ‘milagroso’ porque quando nós somos tocados por um milagre, de repente nós vemos ‘o que sempre foi verdade’, aparecendo como que do nada diante de nossos olhos.

Isso é difícil de entender no início. Para ajudar a sua compreensão, deixe-me mencionar outro elemento-chave no pensamento do Curso: O mundo que nós percebemos é causado por nossas mentes que o percebem.

O mundo é moldado por nossos pensamentos. Portanto, se nós pudermos mudar os nossos pensamentos, o mundo mudará de acordo.

Essa não é uma ideia que é facilmente aceita por nossas mentes. É por isso que existe todo um curso dedicado a nos ajudar a aceitá-la. Se você acha difícil dar crédito à ideia agora, tudo bem. Apenas pense sobre isso. Considere que pode ser verdade e esteja aberto a testá-la e experimentá-la para ver se é correta. Com o tempo, com muita consideração, você pode vir a aceitá-la cada vez mais.

Milagres Afirmam o Espírito, Não o Corpo, Como Nossa Realidade

Principios 2, 17, 20, 22, 24, 29, 30, 32 e 44.

2. Milagres em si não importam. A única coisa que importa é a sua Fonte, Que está muito além de qualquer avaliação.

17. Milagres transcendem o corpo. São passagens súbitas para a invisibilidade, distante do nível corporal. É por isso que curam.

20. Milagres despertam novamente a consciência [awareness] de que o espírito, não o corpo, é o altar da verdade. É esse o reconhecimento que conduz ao poder curativo do milagre.

22. Milagres só são associados com o medo devido à crença em que a escuridão possa ocultar. Tu acreditas que aquilo que os teus olhos físicos não podem ver não existe. Isso conduz a uma negação da visão espiritual.

24. Milagres fazem com que sejas capaz de curar os doentes e ressuscitar os mortos porque tu mesmo fizeste a doença e a morte, podes, portanto, abolir ambos. Tu és um milagre, capaz de criar como o teu Criador. Tudo o mais é o teu próprio pesadelo e não existe. Somente as criações da luz são reais.

29. Milagres louvam a Deus através de ti. Eles O louvam, honrando Suas criações, afirmando que são perfeitas. Curam porque negam a identificação com o corpo e afirmam a identificação com o espírito.

30. Por reconhecerem o espírito, os milagres ajustam os níveis da percepção e os mostram em alinhamento adequado. Isso coloca o espírito no centro, onde ele pode comunicar-se diretamente.

32. Eu inspiro todos os milagres, que são realmente intercessões. Eles intercedem pela tua santidade e fazem com que as tuas percepções sejam santas. Colocando-te além das leis físicas, eles te erguem à esfera da ordem celestial. Nesta ordem, tu és perfeito.

44. O milagre e uma expressão da consciência [awareness] interior de Cristo e da aceitação da Sua Expiação.

• Questão de Estudo •

3. O Princípio nº 29 fala sobre louvar a Deus. Normalmente nós pensamos em louvar a Deus como algo como dizer a Deus quão grande Ele é. De acordo com esse princípio, como nós podemos louvar a Deus?

Nós estamos acostumados a pensar em milagres como coisas que afetam o mundo físico, especialmente os nossos corpos. Quando algo muito improvável acontece, como a remissão espontânea do câncer, nós chamamos isso de milagre. Eu penso que quando o Curso diz: ‘Milagres como tais não importam’, o Curso está usando a palavra ‘milagres’ com esse significado comum em mente. Não é a remissão do câncer que importa, diz o Curso; é a Fonte desse tipo de coisa que importa. Como ‘Fonte’ está em maiúscula, nós podemos perceber que se refere a Deus. Todas as palavras que se referem diretamente ao divino são maiúsculas no Curso.

À medida que nós progredimos através dos princípios dos milagres, nós vemos repetidas vezes que o Curso está tentando desviar a nossa atenção dos acontecimentos no mundo físico e em direção à ‘invisibilidade’, ‘o espírito’, ‘as criações da luz’, ‘espírito-identificação’ e ‘uma consciência interior no nível da realidade de Cristo’.

Os próprios milagres destinam-se a despertar a nossa consciência no nível da realidade do espírito invisível. De fato, reconhecer a realidade central do espírito em oposição ao corpo ‘é o reconhecimento que leva ao poder curativo do milagre’. Em outras palavras, é desviar a nossa atenção do corpo que permite que o corpo seja curado! Esse princípio é afirmado novamente, muito claramente, no Manual de Professores:

Qual o requisite único para essa mudança na percepção? Simplesmente isso: o reconhecimento de que a doença é da mente e não tem nada a ver com o corpo … Aí está a liberação de ambas, culpa e doença, posto que são uma só. No entanto, para aceitar essa liberação, é preciso que a ideia da insignificância do corpo seja aceitável. (MP-5.II.3:1-2, 11-12)

Por que nós precisamos tirar a ênfase do corpo para curá-lo? Porque a cura [healing] acontece como resultado da afirmação da realidade primária do espírito. O que nós somos é espírito; os nossos corpos são simplesmente uma manifestação física de nossa crença sobre nós mesmos. Se nós pudermos trazer a nossa crença sobre nós mesmos mais de acordo com a nossa realidade espiritual, a nossa condição corporal refletirá a integridade do espírito.

Milagres — e até mesmo os seus resultados em cura física — podem ser realmente assustadores. Por quê? Porque a sua ocorrência ameaça a visão da realidade à qual nós estamos acostumados. É difícil acreditar na realidade fundamental do universo físico quando um milagre acontece e o muda sem levar em conta as leis físicas. Para uma pessoa firmemente apegada à crença de que ‘o que os seus olhos físicos não podem ver não existe’, isso é aterrorizante. Para que os milagres sejam aceitos, nós precisamos estar dispostos a abandonar a nossa identificação com os nossos corpos.

Os milagres, então, afirmam a nossa identidade com o espírito e negam a nossa identidade com o corpo e essa mudança no foco de nossa identidade é o que permite que os milagres nos curem. O espírito é colocado de volta no centro do nosso ser, onde ele pertence. A perfeição do espírito torna-se reconhecida. Tornamo-nos conscientes de Cristo (a imagem de Deus) dentro de nós mesmos e dentro dos outros e a perfeição da criação de Deus em espírito pode encontrar expressão no físico.

Eu quero salientar mais uma vez que na visão de milagres do Curso, o que está mudando, principalmente, é a nossa percepção de nós mesmos e uns dos outros. Em vez de ver o corpo, nós estamos vendo o espírito.

Em vez de ver a doença, nós estamos vendo a integridade. Em vez de ver a culpa, nós estamos vendo a santidade inocente. O milagre é o que provoca essa mudança em nossa percepção, permitindo-nos usar a nossa visão espiritual e desconsiderar o que os nossos olhos físicos estão nos dizendo.

Os Milagres São Um Meio e A Revelação É um Fim

Principios 28, 31, 46 e 48.

28. Milagres são um caminho para ganhar a liberação do medo. A revelação induz a um estado no qual o medo já foi abolido. Milagres são assim um meio e a revelação é um fim.

31. Milagres devem inspirar gratidão, não reverência. Deves agradecer a Deus pelo que realmente és. As crianças de Deus são santas e os milagres honram a sua santidade, que pode estar oculta mas nunca perdida.

46. O Espírito Santo é o mais elevado veículo de comunicação. Milagres não envolvem esse tipo de comunicação, porque são instrumentos temporários de comunicação. Quando retornas a tua forma original de comunicação com Deus, por revelação direta, a necessidade de milagres acaba.

48. O milagre é o único instrumento a tua disposição imediata para controlar o tempo. Só a revelação o transcende, não tendo absolutamente nada a ver com o tempo.

Sendo esse Um Curso em Milagres, você pode imaginar que os milagres são o seu objetivo para nós, mas eles não o são. Em vez disso, como o Princípio nº 28 diz muito claramente, o objetivo – o ‘fim’ – é a revelação. Os milagres são os meios para alcançar esse objetivo ou realizar este fim.

Esse é um ponto ao qual nós voltaremos em grande estilo na próxima seção do Texto, intitulada ‘Revelação, Tempo e Milagres’ [T.1.II]. Portanto, nós não precisamos entrar em grandes detalhes agora. A maneira como esse princípio explica isso é: ‘Milagres são uma maneira de se libertar do medo’, enquanto a revelação traz um estado no qual o medo está totalmente ausente. Milagres ocorrem dentro do tempo e economizam tempo; a revelação está inteiramente além do tempo. Os milagres, então, obviamente precisam vir em primeiro lugar.

Eles estão envolvidos na remoção do medo e a revelação é sinônimo de completa ausência de medo. (A ideia ali, eu acredito, é que o nosso temor a Deus se foi completamente, permitindo-nos receber comunicação diretamente dEle.)

Como os milagres nos libertam do medo? Bem, nós vimos nos princípios que nós já examinamos que milagres envolvem perdão. Milagres honram a nossa santidade, mostrando-nos que, embora possa ter sido escondida, a nossa santidade nunca foi perdida. Eles envolvem perceber a nós mesmos e aos outros como inocentes em vez de culpados. Onde há culpa, há medo. Quando a culpa é removida, o medo logo desaparece. Os milagres removem a nossa culpa, eliminando a razão pela qual nós tememos a Deus e, assim, abrem o caminho para a comunicação direta com Deus, que é a revelação.

• Questão de Estudo •

4. A nossa forma original de comunicação com Deus é a ‘revelação direta’, de acordo com o Princípio nº 46. De que maneira os milagres diferem desse tipo de revelação direta?

O Tempo É Para Os Milagres, E Os Milagres Encurtam O Tempo

Principios 13, 15, 19, 25, 47 e 48.

13. Milagres são tanto princípios como fins, e assim alteram a ordem temporal. São sempre afirmações de renascimento, que parecem retroceder mas realmente avançam. Eles desfazem o passado no presente e assim liberam o futuro.

15. Cada dia deve ser devotado aos milagres. O propósito do tempo é fazer com que sejas capaz de aprender como usá-lo construtivamente. É, portanto, um instrumento de ensino e um meio para um fim. O tempo cessará quando não for mais útil para facilitar o aprendizado.

19. Milagres fazem com que as mentes sejam uma só em Deus. Eles dependem de cooperação porque a Filiação é a soma de tudo o que Deus criou. Milagres, portanto, refletem as leis da eternidade, não do tempo.

25. Milagres são parte de uma cadeia interligada de perdão que, quando completa, é a Expiação. A Expiação funciona durante todo o tempo e em todas as dimensões do tempo.

47. O milagre é um instrumento de aprendizado que faz com que a necessidade de tempo diminua. Ele estabelece um intervalo temporal fora do padrão, que não está sujeito às leis usuais do tempo. Nesse sentido ele é intemporal.

48. O milagre é o único instrumento a tua disposição imediata para controlar o tempo. Só a revelação o transcende, não tendo absolutamente nada a ver com o tempo.

O Tempo É Para Os Milagres

O Princípio nº 15 contém uma declaração simples com um escopo muito amplo; pretende nos dizer ‘o propósito do tempo’ (T-1.I.15:2). Pense em que frase arrebatadora é essa! Em quatro palavras, inclui não apenas toda a sua vida, mas todas as vidas vividas neste planeta e em todos os outros planetas. Se nós conhecemos o propósito do tempo, nós conhecemos o propósito de tudo o que acontece no tempo.

E qual é o propósito do tempo? ‘…para permitir que você aprenda a usar o tempo de forma construtiva.’ Coloque isso junto com a frase que a precede: ‘Cada dia deve ser dedicado a milagres’ e obviamente está nos dizendo que o tempo existe para fornecer um contexto para milagres. Milagres são para que serve o tempo e dar e receber milagres é o único uso construtivo do tempo que existe.

Você notou como a última parte do Princípio nº 15 é semelhante ao que foi dito sobre os próprios milagres? O tempo é um dispositivo de ensino, um meio para um fim, que cessará quando o aprendizado terminar. E como nós vimos nos Princípios nº 28 e nº 46, os milagres também são um meio para um fim e cessarão quando o fim for alcançado. Milagres e tempo andam muito juntos. Eles são ferramentas de aprendizado, nada mais, que passarão quando o aprendizado for realizado.

Mas pense, por um momento, como seria dedicar cada dia a milagres. O seu objetivo principal em cada momento seria a cura de sua mente e das mentes daqueles ao seu redor.

Em cada situação, com cada pessoa, você estaria procurando permitir que a sua própria percepção fosse curada, renunciando ao julgamento e percebendo o santo Filho de Deus em cada pessoa ao seu redor, olhando além de sua aparência e comportamento para a sua realidade em espírito. Enquanto escrevo esse comentário, o meu propósito não seria colocar palavras no papel (ou em formato eletrônico), mas deixar que os meus erros de pensamento sejam corrigidos. Eu não estaria tentando impressioná-los, mas compartilhar com vocês a beleza de sua própria perfeição como filhos de Deus.

Tudo o que você faz tem um propósito quando você dedica o seu dia a milagres. O vizinho ou colega de trabalho mais abrasivo é apenas grão para o moinho, apenas mais uma oportunidade para transformar a sua mente.

Outra chance de trazer paz e cura ao mundo. A sua razão para fazer tudo é a cura, a sua e a de seu irmão e irmã. Não é fazer as compras, colocar a refeição na mesa, limpar o chão, trocar o óleo do carro, ir de casa para o trabalho ou do trabalho para casa. O seu propósito, em todos os momentos, o que quer que você esteja fazendo, é oferecer milagres, permitir que Deus faça milagres em sua mente e estenda esses milagres através de você para o mundo inteiro. É assim que o Curso nos vê passando pelos nossos dias! É para isso que serve o tempo.

Quando te encontras com qualquer um, lembra-te de que é um encontro santo…. Sempre que dois Filhos de Deus se encontram, lhes é dada mais uma chance de salvação. Não deixes ninguém sem lhe dar a salvação e sem recebe-la tu mesmo. Pois eu estou aí contigo todos os dias, em tua memória. (T-8.III.4:1, 6-7)

E se um irmão parecer tentar-te a negar a dádiva de Deus para ele, vê isso como mais uma chance para deixar que recebas as dádivas de Deus como tuas. Então, abençoe o teu irmão com gratidão e dize: Meu irmão, eu te ofereço paz e alegria, para que a paz e a alegria de Deus possam ser minhas. (LEpI.105.9:4-6)

(Outras observações semelhantes que você pode procurar se desejar: T-25.III.6:5–8; T-31.VIII.4:2; T-31.VIII.4:2; LE-pI.158.10: 5 e P-2.VI.6:3).

Milagres Encurtam O Tempo

Os milagres também estão conectados com o tempo de outra maneira, pois os milagres realmente diminuem a necessidade de tempo! É como se o Curso estivesse dizendo que, com tempo suficiente, todos nós eventualmente aprenderemos as nossas lições; todos nós eventualmente nos lembraremos do que nós somos e aceitaremos a nossa natureza como criação de Deus.

Mas há um caminho mais rápido para casa do que apenas se arrastar no tempo. Os milagres são um programa de aprendizado acelerado; eles permitem que você aprenda mais rapidamente. O Curso se refere a essa mesma ideia de várias maneiras. Economizar tempo, encurtar o tempo e reduzir o tempo são todos o mesmo conceito: reduzir o tempo que nós levamos para chegar ao fim da jornada, para completar todo o nosso aprendizado. Esse conceito, como a relação entre milagres e revelação, também será expandido na Seção II do Capítulo 1, como nós veremos em nosso próximo comentário.

Para mim, o princípio chave que diz como os milagres afetam o tempo é o Princípio nº 13. Eles ‘alteram a ordem temporal’. A ordem temporal normal é aquela quando nós ‘pecamos’, isso permanece para sempre em nosso passado. Ele lança uma longa sombra de culpa sobre o presente e altera o futuro de maneiras sombrias.

O perdão, como o Curso ensina, desfaz a culpa. O perdão sempre funciona no momento presente e desfaz alguma culpa sobre algo do passado. Ao liberar a mim mesmo, ou a outra pessoa, da culpa pelo passado, isso nos liberta no presente para ter um futuro diferente do passado.

O Curso ensina que a única coisa verdadeira que nós podemos dizer sobre o passado é que não é o presente; não está aqui agora. Se algo não existe no presente, não pode ter nenhum efeito real no presente. A única maneira de o passado parecer ter efeitos no presente é se nós trouxermos o passado conosco em nossas mentes. O Curso nos ensina a deixar o passado e viver no presente sem referência ao passado, especialmente sem referência à culpa do passado. Se nós trouxermos o passado conosco para o presente, nós bloqueamos a nossa consciência do amor no presente e, assim, garantimos que o futuro será exatamente como o passado. Se nós tratarmos cada momento presente como algo novo, abrimo-nos à mudança. Abrimo-nos ao milagre do perdão.

Nós estamos aqui simplesmente para remover os bloqueios à nossa consciência no nível da realidade do amor. Isso é tudo para o tempo. Milagres removem esses bloqueios rapidamente; eles diminuem a necessidade de tempo para removê-los. Quando o milagre remove a nossa culpa, ele faz em um instante o que poderia levar anos. Ele libera o futuro para o amor. E é assim que o milagre desfaz o passado no presente e assim libera o futuro.

Um ponto adicional sobre milagres e tempo: O instante de tempo em que um milagre ocorre é chamado, mais adiante no Texto, ‘o instante santo’. Nessa seção, ele é referido como ‘um intervalo de tempo fora do padrão que não está sob as leis usuais do tempo’, um momento em que as ‘leis da eternidade, não do tempo’ são refletidas. Aqui, nos momentos mundanos de nossa vida diária, de repente a realidade de nossa unicidade eterna em Cristo surge e nós reconhecemos que nós somos um só e sempre temos sido.

• Questão de Estudo •

5. Feche os olhos e passe alguns momentos imaginando o seu dia a partir de agora. Ou, se for noite, imagine amanhã. Imagine dedicar o dia inteiro a milagres. Veja-se se preparando para sair de casa, ciente a cada momento de que o seu propósito não é qualquer coisa que você esteja fazendo, mas a experiência de milagres. Veja-se dirigindo para o trabalho, usando todas as circunstâncias e todos os momentos para receber e fazer milagres. Veja-se fazendo o que quer que faça durante o dia como meio de dar e receber milagres. Imagine como seria. E diga a si mesmo: ‘Assim devem ser todos os dias’ (LE-pII.232.2:1).

O Lugar do Espírito Santo e Jesus Em Relação Aos Milagres

Espírito Santo: Principios 4, 38, 39 e 46

4. Todos os milagres significam vida, e Deus é o Doador da vida. A Sua Voz vai dirigir-te de forma muito específica. Tudo o que precisas saber te será dito.

38. O Espírito Santo é o mecanismo dos milagres. Ele reconhece tanto as criações de Deus quanto as tuas ilusões. Ele separa o verdadeiro do falso através da Sua capacidade de perceber de forma total e não seletiva.

39.O milagre dissolve o erro porque o Espírito Santo o identifica como falso ou irreal. Isso é o mesmo que dizer que por perceber a luz, a escuridão automaticamente desaparece.

46. O Espírito Santo é o mais elevado veículo de comunicação. Milagres não envolvem esse tipo de comunicação, porque são instrumentos temporários de comunicação. Quando retornas a tua forma original de comunicação com Deus, por revelação direta, a necessidade de milagres acaba.

Jesus: Principios 27, 32 e 37

27. Um milagre é uma benção universal de Deus através de mim para todos os meus irmãos. O privilégio dos perdoados é perdoar.

32. Eu inspiro todos os milagres, que são realmente intercessões. Eles intercedem pela tua santidade e fazem com que as tuas percepções sejam santas. Colocando-te além das leis físicas, eles te erguem à esfera da ordem celestial. Nesta ordem, tu és perfeito.

37. Um milagre e uma correção introduzida por mim num pensamento falso. Age como catalisador, quebrando a percepção errônea e reorganizando-a adequadamente. Isso te coloca sob o princípio da Expiação onde a percepção é curada. Até que isso tenha ocorrido, o conhecimento da Ordem Divina é impossível.

Espírito Santo

O Curso empresta muitos termos, frases e símbolos diferentes do Cristianismo tradicional, como nós já vimos – termos como ‘milagre’, ‘expiação’ e ‘revelação’. Nesta seção, também nós o vemos usando o termo ‘Espírito Santo’. Diz, por exemplo, ‘O Espírito Santo é o mecanismo dos milagres’ (T-1.I.38:1). Ele apenas usa o termo, aparentemente assumindo que o leitor terá alguma ideia do que isso significa. Portanto, deve-se esperar que os seus estudantes tenham uma familiaridade básica com termos Cristãos.

A maioria das pessoas com formação Cristã terá alguma ideia do que é o Espírito Santo, embora, na minha experiência, mesmo os Cristãos devotos sejam um pouco vagos sobre o Espírito Santo. O meu dicionário apenas diz: ‘A terceira Pessoa da Trindade Cristã’, o que não é muito informativo.

Outro dicionário o chama de ‘espírito de Deus’ e se refere à ‘presença de Deus como parte da experiência religiosa de uma pessoa’. É assim que a maioria das pessoas entenderia o termo e eu penso que no início do Curso, é sobre como nós devemos pensar no Espírito Santo. De alguma forma, o termo se refere à interação de Deus e o homem, o poder de Deus operando em nossa experiência. Um dos sinônimos para o Espírito Santo no Curso é ‘a Voz por Deus’, ou como o Princípio nº 4 se refere a isso, ‘a Sua Voz’. Então, no exemplo (modelo) das coisas do Curso é o Espírito Santo que fala conosco e se comunica conosco.

O Curso desenvolve bastante esse significado; esses princípios apresentam um esboço básico de uma ideia que é repetida e desenvolvida por todo o Curso, que é esta: O Espírito Santo age como uma espécie de ponte entre Deus e a humanidade e entre a realidade da criação de Deus e as ilusões de nossa feitura. ‘Ele reconhece tanto as criações de Deus quanto as tuas ilusões’ (T-1.I.38:2). No Curso, o próprio Deus não conhece ilusões; Deus só conhece a realidade ou a verdade. Nós, por outro lado, estamos quase completamente envoltos em ilusões e esquecemos ou escondemos a verdade.

Há uma enorme lacuna entre a verdade e a ilusão. O Espírito Santo, para o Curso, é o ‘mecanismo’ (Princípio nº 38) ou o meio pelo qual essa aparente lacuna é preenchida. Embora Deus não possa lidar com ilusões, o Espírito Santo é um agente de Deus que lida com ilusões.

Nós podemos notar também que o Espírito Santo é referido aqui como ‘Ele’, uma pessoa, em vez de um ‘Isso’. Eu devo salientar que o uso de pronomes masculinos no Curso em referência a Deus e ao Espírito Santo não indica nenhum preconceito de gênero. É tradicional no Cristianismo se referir a Deus dessa maneira e também era convencional quando o Curso foi escrito usar os pronomes masculinos quando o uso neutro de gênero era desejado. Claramente, se o Espírito Santo não tem corpo, Ele não tem gênero. O que o pronome pessoal deve nos dizer é que o Espírito Santo não é uma força impessoal, mas um ser senciente no mesmo sentido em que você e eu somos seres sencientes. Em última análise, é claro, nós somos todos um só em Deus e o Espírito Santo é parte dessa unicidade. Mas nesse mundo, nós experienciamos o Espírito Santo como um Ser distinto que fala por Deus e age em nome de Deus. Pelo menos é assim que o Curso O apresenta.

• Questões de Estudo •

6. Para a sua reflexão: Como a sua vida mudaria se você começasse a tomar o Princípio nº 4 literalmente: ‘A Sua Voz vai dirigir-te de forma muito específica. Tudo o que precisas saber te será dito’?

7. Qual parece ser a principal atividade do Espírito Santo mencionada nos Princípios nº 38 e nº 39?

Jesus

Jesus é claramente apresentado como o autor desse Curso. Obviamente, há momentos em que o autor está falando na primeira pessoa, como ele faz aqui: ‘Eu inspiro todos os milagres’ e ‘Um milagre é uma correção introduzida por mim no pensamento falso’. Pode não ser evidente nessa primeira seção que o orador é Jesus, em vez de Deus o Pai, mas isso fica bem claro à medida que você lê. Por exemplo, na próxima seção, ele diz: ‘<Ninguém vem ao Pai senão por mim> não significa que eu seja de alguma forma separado ou diferente de você, exceto no tempo e o tempo realmente não existe’ (T-1.II.4:1). As palavras: ‘Ninguém vem ao Pai senão por mim’ são uma citação de um evangelho, João 14:6, onde são ditas por Jesus. Eles distinguem claramente entre Jesus e o Pai. O autor aplica essas palavras a si mesmo no processo de reinterpretá-las para nós e torná-las não exclusivas. Nós vamos discuti-las com mais detalhes na aula da próxima semana; o meu ponto aqui é que não é preciso um advogado de Wall Street para deduzir quem é o orador. Ele [it, impessoal] é Jesus.

O Curso se apresenta como sendo de autoria de Jesus. Não é necessário acreditar nisso ou aceitá-lo como verdade para se beneficiar do ensino do Curso. É tolice, na minha opinião, fingir que o Curso não diz que Jesus é seu autor. Em outras palavras, eu não tenho argumentos com pessoas que dizem: ‘Sim, isso é o que o Curso diz; Eu não aceito.’ Eu tenho um problema com as pessoas que tentam argumentar que o Curso não diz isso. A mesma coisa é verdade com muitos outros ensinamentos no Curso. As pessoas descobrem que não gostam do que o Curso diz, então elas tentam distorcer as suas palavras e fazê-lo dizer o que elas querem que o Curso diga. Isso, para mim, é simplesmente desonesto.

O princípio orientador desses comentários sempre será: ‘O que o Curso diz?’

Caberá a cada estudante aceitar ou não o que o Curso ensina.

Em relação aos milagres, Jesus nos diz que ele inspira todos os milagres. Na verdade, um milagre é algo que Jesus faz, ‘uma correção introduzida por mim no pensamento falso’. Ele faz algo que causa um ajuste em nossa percepção, mais ou menos como um optometrista coloca uma nova lente no lugar quando você está sendo testado para óculos e, de repente, as letras na pequena tela ficam muito mais claras. Jesus introduz algo em nossas mentes e esse algo, que é o milagre, permite-nos ver as coisas de maneira diferente.

O milagre vem de Deus, através de Jesus, para todos os seus irmãos. Eu penso que cada um de nós pode dizer essas mesmas palavras: ‘Um milagre é uma bênção universal de Deus através de mim para todos os meus irmãos’.

No entanto, há um sentido em que eles se aplicam exclusivamente a Jesus porque ele foi o primeiro a abrir a porta para deixar o milagre passar. Ele traz o milagre para mim; Eu posso, por sua vez, passar para todos os meus irmãos.

• Questão de Estudo •

8. Estude o Princípio nº 37 cuidadosamente. Ele chega mais perto de dar uma definição clara de ‘milagre’ do que qualquer outra passagem no Curso. Qual das seguintes definições descreve mais corretamente um ‘milagre’, baseado nesse princípio?

A. Um milagre é uma mudança em nossa percepção.

B. Um milagre é uma correção introduzida em nosso pensamento por Jesus, que traz uma mudança curativa em nossa percepção e, assim, nos prepara para receber o verdadeiro conhecimento.

C. Um milagre é algo que acontece que antes pensávamos ser impossível.

Respostas-Chave para T-1.I (parte 2)

1. Os milagres corrigem pensamentos falsos, equivocados, ilusórios ou errôneos que constituíram um pesadelo no qual nós experienciamos doença, morte, carência, medo, prisão, isolamento e privação. O milagre nos mostra que todas essas coisas são falsas. Para mim, parece-me que os meus pensamentos falsos têm sido em grande parte no reino de me sentir indigno ou ‘não bom o suficiente’, uma percepção de falta fundamental em mim mesmo.

2. ‘Expiar’ aqui é equiparado à frase “corrigir para”. Expiar no Curso é corrigir um erro; ‘expiação’ significa ‘correção’. Observe que isso está em contraste com o significado típico, que é: ‘Reparar, como por um pecado ou falha’ (American Heritage Dictionary). Esse não é o significado do Curso!

3. Nós louvamos a Deus ‘honrando as Suas criações, afirmando a sua perfeição’. Em outras palavras, quando nós reconhecemos uns aos outros como criações perfeitas de Deus, sem culpa e completamente dignas de nosso amor, nós estamos honrando a Deus Que nos criou.

Milagres são ‘dispositivos de comunicação temporários’. Aparentemente, então, a nossa forma original de comunicação com Deus não é temporária, mas eterna e duradoura.

A imagem que eu obtenho é que um milagre pode trazer uma conexão temporária com Deus.

Algo de Deus nos é comunicado em um milagre, porém esse canal de comunicação não fica de fato aberto; ele acende, a mensagem é enviada rapidamente e, em seguida, o canal fecha novamente.

4. Outra coisa que está implícita aqui é que um milagre envolve comunicação indireta. Eu deduzo isso porque se diz que a revelação é ‘direta’. Para mim, isso implica que os milagres diferem por serem indiretos. Nós já vimos que os milagres são principalmente entre pessoas, enquanto (de acordo com a próxima seção, T-1.II.1:5-6) a revelação é entre nós e Deus. O meu entendimento, então, é que em um milagre, Deus se comunica com uma pessoa através de outra pessoa. Obviamente, uma vez que a comunicação direta é restaurada, essa comunicação indireta não é mais necessária.

5. Resposta não necessária.

6. Resposta não necessária.

7. O Espírito Santo separa entre o falso e o verdadeiro, entre o real e o irreal. Isso é o mesmo que dizer que Ele nos ajuda a distinguir entre as criações de Deus (a verdade) e o que nós temos feito (os nossos erros).

8. B é a resposta correta.

Citações Extras:

E quando ele escolhe usar o que lhe é dado, então verá cada situação que antes imaginava como um meio para justificar a sua raiva se transformar em um evento que justifica o seu amor. Ele ouvirá claramente que os chamados para a guerra que antes escutava são realmente chamados para a paz. Ele perceberá que onde investiu o seu ataque, existe apenas um outro altar onde ele poderia ter concedido, com igual facilidade e muito maior felicidade, o perdão. E irá re-interpretar toda a tentação como apenas uma outra chance de trazer alegria a si mesmo. (T-25.III.6:5-8).

Portanto, nunca tenhas medo da tentação, mas a vejas como é: uma outra chance de escolher outra vez e permitir que a força de Cristo prevaleça em qualquer circunstância e em qualquer lugar onde antes havias erguido uma imagem de ti mesmo. (T-31.VIII.4:2)

Cada irmão que encontrares hoje te proporciona mais uma oportunidade para deixar que a visão de Cristo brilhe sobre ti e te ofereça a paz de Deus. (LEpI.158.10:5)

O terapeuta vê no paciente tudo o que ele não perdoou em si mesmo e assim lhe é dada uma outra chance de olhar para isso, abri-lo para reavaliação e perdoá-lo. (P-2.VI.6:3)

Imagem pexels-daria-obymaha-1683975.jpg

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of  salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x