Série de artigos sobre ações éticas e antiéticas no negócio, com análises de controvérsias através das lentes do Individualismo (Teoria Econômica de Friedman), do Utilitarismo, do Kantianismo e da Teoria da Virtude, com parecer final, a cada caso, de especialistas em Ética, como Heather Salazar e associados.

Blog Business Ethics Case Analyses

http://businessethicscases.blogspot.com/

Autora: Heather Salazar – Filósofa de Metaética (Ética Analítica), Mente, Linguagem e Psicologia Moral. Professora Associada de Filosofia, Western New England University.

Observação: Metaética é o ramo da ética que estuda a natureza das propriedades, afirmações, julgamentos e atitudes éticas. É um dos quatro ramos tradicionais da ética (os outros são ética descritiva, ética normativa e ética aplicada). Fonte Wikipedia

Material para o nosso conhecimento e entendimento sobre as diversas teorias de ética no negócio, que foram contempladas nos artigos anteriores.

Tradução livre Projeto OREM®

5º caso que nós destacamos para análise:

Exxon Mobil: Uma Campanha de Desinformação para Combater Ação de Mudança Climática (1980)

Site http://businessethicscases.blogspot.com/2021/12/exxon-mobil-disinformation-campaign-to.html

Na foto: Rex Tillerson (ex-CEO da ExxonMobil) entrando no tribunal em preparação para o julgamento.

Controvérsia do Caso:

A ExxonMobil (anteriormente duas empresas separadas que se uniram em 1999) é uma das maiores empresas de gás do mundo. Foi fundada por John D. Rockefellar em 1859 e anteriormente se chamava Standard Oil Co. Em 1911, a Standard Oil foi dividida em 34 empresas independentes.

Então, em 1966, a empresa principal foi renomeada para Mobil Oil Corporation. E assim, em 30 de novembro de 1999, a Mobil juntou-se a outra empresa chamada Exxon e juntas se tornaram a ExxonMobil. A partir do final dos anos 1970 e início dos anos 1980, a preocupação com o aquecimento global estava aumentando.

Novos estudos de vários cientistas e organizações científicas estavam mostrando evidências de que o clima na Terra estava ficando cada vez mais quente. Os cientistas concluíram que o aquecimento global estava acontecendo devido à atividade humana. A queima de combustíveis fósseis é a principal ação humana que resulta no aquecimento global. Dito isso, está claro como a ExxonMobil e outras empresas de gás contribuem para o aquecimento global. Por causa dessa correlação óbvia, a ExxonMobil fez tudo o que pôde para maximizar a confusão e a dúvida sobre o aquecimento global e o papel da atividade humana.

A ExxonMobil vinha pesquisando e empregando cientistas de ponta. Eles fizeram isso para analisar os efeitos das mudanças climáticas. Eles os contrataram para investigar essa questão e lançaram o seu próprio programa de pesquisa ambicioso que empiricamente amostrava o dióxido de carbono e construía modelos climáticos rigorosos. Em 1978, um homem chamado James Black, que trabalhava na Divisão de Pesquisa de Produtos da Exxon, escreveu um documento informativo interno chamado ‘O Efeito Estufa’ após uma apresentação ao comitê administrativo da Exxon.

Esse documento alertou sobre como as emissões causadas pelo homem podem aumentar as temperaturas globais e resultar em sérias consequências. E anos depois, muitos especialistas e cientistas alertaram essas empresas de petróleo e gás, não apenas a ExxonMobil, sobre como as mudanças climáticas poderiam ser catastróficas se o uso de combustíveis fósseis não fosse reduzido.

A ExxonMobil usou uma variedade de táticas para confundir o público sobre os efeitos duradouros da mudança climática. Eles fizeram isso modelando uma estratégia após as grandes empresas de tabaco. As grandes tabacarias usaram dados escolhidos a dedo e a sua pesada conta bancária para persuadir o público e, mais importante, os legisladores de que o fumo passivo não desempenhava um papel significativo na causa dos cânceres (JSTOR).

Como agora nós sabemos que essa é uma correlação verdadeira, na época as grandes tabacarias conseguiram impedir leis que protegessem a saúde pública e, consequentemente, maximizassem os seus lucros. Esse objetivo egoísta de maximizar o lucro às custas da saúde pública que a grande indústria do tabaco estabeleceu é demonstrado novamente pela ExxonMobil na discussão sobre o aquecimento global.

A Exxon Mobil gastou dezenas de milhões de dólares para apoiar a desinformação para manter a sua receita e lucro o mais alto possível. Assim como as grandes tabacarias, a Exxon Mobil criou e financiou organizações rotuladas como científicas para divulgar estatísticas aos meios de comunicação. Essas estatísticas são escolhidas a dedo e enganosas para causar incerteza e oposição em relação às mudanças climáticas. A empresa sabia que não convenceria os cientistas legítimos de que a mudança climática é irrelevante para a atividade humana e é por isso que forneceu essas estatísticas aos meios de comunicação, para atingir o público.

A ExxonMobil contribuiu com milhões de dólares para centros de estudos ou usinas de ideias [think tanks] e políticos para que eles pudessem espalhar informações falsas sobre a mudança climática e dizer que a mudança climática não é real e não é tão ruim assim. Eles gastaram milhões de dólares para proteger o seu lucro às custas de pessoas em todos os lugares.

A Exxon liberaria dados que parecem válidos, mas geralmente são apenas uma distração. Para se opor às evidências de que o aquecimento global está colocando os animais em perigo, um representante da ExxonMobil muda de assunto para mostrar o aumento de outras espécies animais, ‘na tentativa de contestar evidências científicas sólidas de que as mudanças climáticas estão causando a extinção de espécies animais, Ferguson oferece a non sequitur [latim; argumento no qual a conclusão não segue as premissas] que várias novas espécies de borboletas e sapos foram recentemente descobertas na Nova Guiné’ (JSTOR).

Eles não apenas criaram essas organizações científicas falsas, mas também injetaram 16 milhões de dólares em pequenas organizações desconhecidas que produziram os mesmos dados (enganosos) (Exxon Knew). Eles formaram uma comunidade de organizações com o dinheiro da ExxonMobil para espalhar desinformação o máximo possível. Muitos dos principais representantes dessas organizações são da ExxonMobil ou representam várias organizações nessa comunidade de lavagem de informações.

Com o sucesso de criar dúvidas, a Exxon necessitou seguir os passos das grandes tabacarias mais uma vez. Eles necessitavam colocar a mão no governo para lutar contra os legisladores que implementavam políticas relacionadas ao clima. A ExxonMobil usou o governo Bush, bem como outros políticos, para fazer lobby ativamente contra tais políticas. Um senador em particular recebeu quase $ 850.000 da Exxon para votar contra as leis relacionadas à mudança climática que prejudicariam o lucro da empresa (JSTOR).

Com o tempo, à medida que a mudança climática se tornou um problema público cada vez maior, a ExxonMobil chamou a atenção por fornecer e apoiar informações enganosas. Em 2015, os pesquisadores descobriram que a ExxonMobil concedeu financiamento corporativo a grupos contra o movimento climático (SA).

A ExxonMobil mentiu sobre a sua participação nas mudanças climáticas, além de enganar o público por décadas para manter o seu lugar como uma das maiores empresas de gás e petróleo do mundo.

O estado de Massachusetts até tinha apresentado uma queixa contra a ExxonMobil pelo engano e manipulação dos investidores e consumidores do estado (Mass Gov). Mais recentemente, o CEO da ExxonMobil nega que a empresa esteja espalhando desinformação, dizendo que a empresa ‘há muito reconhece a realidade e os riscos das mudanças climáticas e dedicou recursos significativos para lidar com esses riscos.’ (APNews).

Não importa quantos dados vão contra eles, a ExxonMobil continuará a negar qualquer irregularidade em relação à importante questão pública da mudança climática global.

Stakeholders (Partes interessadas)

As partes interessadas nesse caso são os executivos da ExxonMobil, o público em geral, os políticos e a comunidade de organizações de desinformação que conspiram contra a ação climática.

Os executivos da ExxonMobil são partes interessadas porque são eles que tomam as decisões para espalhar a desinformação.

O público em geral é quem será afetado pela negligência dos executivos da ExxonMobil que menosprezam o impacto das mudanças climáticas. Como a mudança climática afeta todos na Terra, o público em geral, nesse caso, é a população mundial.

Os políticos que aceitaram subornos e incentivos da ExxonMobil para votar contra as leis e regulamentos de mudança climática são partes interessadas porque são responsáveis ​​pela prevenção dessas leis que, de outra forma, protegeriam a Terra e todos/tudo nela.

As outras organizações que produziram e espalharam a desinformação também são partes interessadas porque são tão responsáveis ​​quanto a ExxonMobil por colocar a Terra em perigo ao tentar criar confusão sobre o tema da mudança climática e impedir ações que ajudariam a causa.

Individualismo:

O Individualismo na economia é definido por Friedman como ‘O único objetivo dos negócios é lucrar, então a única obrigação que o empresário tem é maximizar o lucro para o proprietário ou os acionistas dentro da lei do país’. Da mesma forma, o Individualismo é definido por Machan como ‘O único objetivo direto do negócio é lucrar e a principal obrigação do empresário é maximizar o lucro dentro da lei, NO ENTANTO: 1. O objetivo direto do lucro pode necessitar ser alcançado por objetivos indiretos sem fins lucrativos. 2. Os empresários podem ter outros objetivos e esses objetivos podem, às vezes, ser priorizados sobre os objetivos de maximização do lucro.’

No caso da ExxonMobil e a sua campanha de desinformação sobre a mudança climática global, a empresa segue ambas as definições e permanece dentro da definição de Individualismo. A empresa seguiu a definição de Friedman porque fez tudo ao seu alcance para aumentar o lucro. A empresa divulgou dados enganosos e formou grupos de organizações e políticos que fazem lobby contra as ações de mudança climática. Ambas as práticas são moralmente irresponsáveis; no entanto, eles não são necessariamente ilegais, razão pela qual a empresa permaneceu na visão Individualista definida por Friedman.

Quanto à definição de Machan, a ExxonMobil permaneceu dentro da janela de exibição e demonstrou as duas exceções dadas. A ExxonMobil demonstra as exceções quando gasta milhões de dólares para criar e formar esses grupos contra o movimento climático. Isso ocorre porque obviamente não é imediatamente benéfico financeiramente gastar milhões nisso; no entanto, protege a visão pública da empresa para que ela não pareça o ‘bandido’ e possa evitar a diminuição do lucro no futuro. A única parte que chega perto de violar a perspectiva individualista é o lobby. O lobby é legal nos EUA, enquanto o suborno é ilegal. Essas duas atividades são de natureza muito próxima; no entanto, apenas uma é legal.

Para permanecer no lado legal dessa prática, a ExxonMobil tem que ter muito cuidado na forma como entrega os fundos aos políticos. Se for descoberto que eles pagam diretamente aos políticos para se oporem às leis relacionadas à mudança climática, isso pode ser considerado suborno e eles não estariam mais dentro da definição de Individualismo de nenhum dos filósofos.

Utilitarismo:

Se um Utilitarista olhasse para esse caso, lidaria com isso da melhor maneira possível. Utilitarismo é que a felicidade ou o prazer são as únicas coisas de valor intrínseco. Os Utilitaristas tentam olhar para qualquer situação como obtendo o máximo de prazer, no entanto, a liberdade individual também é importante, não é apenas a felicidade geral. Em negócios, isso é importante, porque os proprietários de negócios são obrigados a tomar uma decisão que contenha a escolha mais ética que beneficiará a maior quantidade de pessoas. O Utilitarismo é quando uma escolha individual é feita que beneficiará toda a população.

Do ponto de vista de um Utilitarista, eles diriam que a ExxonMobil deveria ter divulgado as suas informações sobre mudanças climáticas mais cedo porque poderia ter evitado que certas situações acontecessem. Nessa situação, se a ExxonMobil abordasse que a sua empresa é uma possível razão para a mudança climática, isso beneficiaria toda a população. Embora o gás e o petróleo sejam uma necessidade para muitas pessoas, certamente as pessoas estariam mais conscientes de que a sua aquisição estava ampliando o problema. ‘Os fins não justificam os meios. Há algumas coisas que nós devemos fazer mesmo que isso não produza felicidade geral’ (Salazar).

Embora a ExxonMobil não quisesse perder nenhum lucro e negasse as alegações de que o dióxido de carbono era a principal causa da mudança climática, era moralmente inadmissível porque isso é um perigo para a saúde e a segurança de muitas pessoas. As principais características de um Utilitarista são honestidade, profissionalismo e responsabilidade e, nesse caso, nenhuma dessas características estava presente.

A ExxonMobil foi pega mentindo e os funcionários, cientistas e CEOs da empresa não estavam moralmente certos. Ficou claro que, visto como um Utilitário, a falta de ação da ExxonMobil foi antiética.

Kantianismo:

O Kantianismo fala sobre como o motivo é mais importante do que as consequências, mesmo que o motivo seja moralmente errado. Ao pensar como um Kantiano, você acredita que o motivo importa mais do que aquilo em que as consequências podem resultar.

O Kantianismo foi descoberto por Immanuel Kant e enfatiza que ‘a moralidade de uma ação/decisão não é determinada por suas consequências, mas pela motivação de o feitor.’

O Kantianismo é uma teoria Deontológica e explica que ‘as ações devem ser motivadas pela boa vontade e pelo dever e a moralidade de uma ação não é medida por suas consequências.’

Com o caso da ExxonMobil, a Exxon tentou fazer parecer que não sabia o quanto as mudanças climáticas iriam piorar. Mesmo que todas as evidências, os fatos e as advertências estivessem bem na frente deles. Mas eles estavam mais motivados pelo dinheiro do que pelas consequências gerais.

O principal lobista da ExxonMobil admitiu trabalhar com os ‘grupos da sombra’ [shadow groups(?)] que se envolveram em desinformação em torno da ciência do clima, para evitar o escrutínio. Isso mostra que um de seus motivos para manter o que eles sabiam em segredo era evitar o escrutínio. No rascunho divulgado pelos cientistas, eles relataram que as empresas de combustíveis fósseis espalharam informações falsas sobre a ciência da mudança climática para enganar propositadamente o público e interromper os esforços para implementar as políticas climáticas necessárias. Isso mostra a sua motivação para enganar para que eles pudessem continuar a se beneficiar financeiramente.

A ExxonMobil pagou a políticos para espalhar informações falsas sobre a mudança climática e enganou o público para tentar fazê-lo pensar que a mudança climática não era real ou não era tão ruim assim. A ExxonMobil também foi pega sistematicamente dizendo uma coisa ao público, mas poderia dizer algo diferente em particular sobre a mudança climática.

Com o público não sabendo ou pensando o quão ruim a mudança climática iria ficar, eles continuaram a usar esses produtos da empresa de gás e petróleo, o que, por sua vez, rendeu às empresas ainda mais dinheiro.

A Exxon e muitas outras empresas de combustíveis fósseis ganharam muito dinheiro porque puderam continuar a usar gás e petróleo como combustível fóssil sem se preocupar com as consequências das mudanças climáticas. Eles sabiam que as pessoas não tinham certeza disso por causa de todas as sugestões que faziam para que não parecesse ruim. Eles foram motivados pelo dinheiro e não se importaram com as consequências.

Teoria da Virtude:

Um Teórico da Virtude analisaria esse caso não em termos das regras que podem ter sido quebradas, mas em termos dos erros éticos cometidos pela ExxonMobil. Em seu artigo sobre mercados virtuosos, Ian Maitland delineou várias virtudes importantes que toda empresa deve defender. Dessas virtudes, as mais imperativas nesse caso são confiança, justiça/equidade, honestidade e liderança moral (Maitland).

Em suas tentativas de cobrir o seu rastro, a ExxonMobil negou cada uma dessas virtudes, fazendo com que toda a posição ética da corporação fosse questionada.

Ao retroceder em sua própria pesquisa e negar fatos comprovados, a ExxonMobil provou a sua falta de confiança e honestidade. Acionistas, funcionários e clientes depositaram a sua confiança na Exxon, como uma empresa respeitável com pesquisas aparentemente válidas.

Ao patrocinar e/ou publicar informações ao público que conscientemente manipularam pesquisas anteriores para demonstrar a falta de conexão entre o aumento dos níveis de dióxido de carbono e o impacto ambiental, a empresa também refutou a sua honestidade.

A empresa manipulou voluntariamente os seus stakeholders para que trabalhassem/fornecessem negócios para uma empresa que eles provavelmente não teriam, se soubessem a verdade sobre a crise climática como a ExxonMobil sabia.

Como uma das maiores e mais conceituadas organizações do mundo, a ExxonMobil deve se esforçar para representar um negócio eticamente sólido. Outras empresas menores que buscam fazer negócios podem olhar para a Exxon como uma fonte de inspiração para maneiras (formas) de construir uma empresa.

Ao enganar clientes e funcionários, a Exxon retrata a ideia para outras empresas de que fazer o que é financeiramente melhor para uma empresa é mais importante do que valorizar a humanidade nos negócios.

Realmente não há justiça ou imparcialidade nas ações tomadas pela ExxonMobil. Como uma corporação tão rica, a Exxon tinha acesso fácil a pesquisas e fundos que poderiam ser focados nas mudanças climáticas, formas de evitá-las e fatores preditivos relativos às temperaturas globais. A pessoa comum não tem acesso a essas vastas formas de informação e, portanto, depende das organizações que o fazem. Ao utilizar esse poder para beneficiar a sua própria empresa em vez de beneficiar toda a população humana, a ExxonMobil provou que os seus valores não se alinham com justiça ou equidade de forma alguma.

As virtudes defendidas pela ExxonMobil não se enquadram em uma posição ética respeitável e não promovem a integridade moral. Qualquer Teórico da Virtude desaprovaria fortemente as ações tomadas por essa organização.

Plano de Ação:

A mudança climática ocorre quando a atmosfera experiencia mudanças de longo prazo e mudanças nos padrões de temperatura e clima. Ao longo de várias décadas, os cientistas têm alertado o mundo sobre as mudanças. Muitos países ao redor do mundo tomaram iniciativas para ajudar a evitar que as mudanças climáticas venham a ser muito piores.

As iniciativas incluem limitar o uso de combustíveis fósseis. Empresas de combustíveis fósseis, como a ExxonMobil, têm tido bastante sucesso em seus negócios de fornecimento de gás e petróleo aos consumidores. Empresas como essa até tentaram promover as coisas que poderiam fazer para ajudar a deter as mudanças climáticas. A ExxonMobil falou sobre trabalhar com cientistas em campanhas para retardar os efeitos duradouros da mudança climática. Mas o que o público não sabia era o quanto as mudanças climáticas iriam piorar.

A ExxonMobil foi uma das empresas que foram alertadas sobre como as suas ações poderiam piorar o clima. Muitos funcionários e cientistas disseram a eles que eles deveriam diminuir e limitar a quantidade de petróleo bruto que produzem. Entretanto, eles não achavam que isso poderia ser tão ruim. Mas de fato foi e eles foram totalmente avisados ​​antes mesmo que o público soubesse. Na verdade, eles não queriam que o público soubesse porque não queriam perder dinheiro. Então eles pagaram alguns políticos para falar sobre como a mudança climática não era tão ruim assim/não existia.

Assim, para ajudá-los a melhorar as suas ações como empresa, eles podem fazer muitas coisas. Isso inclui ouvir os cientistas e especialistas sobre como limitar a quantidade de petróleo bruto que perfuram. Mesmo que isso lhes custasse mais dinheiro, isso estaria ajudando a proteger a Terra e as pessoas nela.

Eles podem necessitar de ajuda para descobrir o que eles podem fazer de diferente para continuar funcionando como uma empresa. Entretanto, há muitos especialistas por aí que deveriam ter algumas ideias do que eles podem fazer.

Eles também podem doar para grupos de ajuda à crise climática, existem vários por aí que estão tentando acabar com a crise das mudanças climáticas.

Eles também podem fazer parceria com empresas de todo o mundo que já estão tomando medidas para limitar o uso de combustíveis fósseis.

A ExxonMobil também pode usar a sua plataforma para promover maneiras pelas quais os cidadãos podem melhorar o seu impacto de carbono.

Por fim, eles também poderiam mostrar a políticos e a influenciadores para promover a ciência por trás da mudança climática e expressar as suas preocupações sobre isso.

Ao fazer essas mudanças, a ExxonMobil poderá promover a segurança e o bem-estar do público e dos cidadãos em todo o mundo.

Autores: Reese Smith, Miranda Gendron, Annina Rettura e Skyler Jacobs

Referências:

Daly, Matthew. “Oil Giants Deny Spreading Disinformation on Climate Change.” AP NEWS. Associated Press, October 28, 2021. https://apnews.com/article/climate-science-business-environment-and-nature-campaigns-cf3524fd23854d2c2df2d3294dd58134

Hall, Shannon. “Exxon Knew about Climate Change Almost 40 Years Ago.” Scientific American. Scientific American, October 26, 2015. https://www.scientificamerican.com/article/exxon-knew-about-climate-change-almost-40-years-ago/

“October 24, 2019 Massachusetts Complaint Exxon | Mass.gov.” Mass Gov. Mass Gov. Accessed November 14, 2021. https://www.mass.gov/doc/october-24-2019-massachusetts-complaint-exxon/download

“Our History.” ExxonMobil. Accessed November 13, 2021. https://corporate.exxonmobil.com/About-us/Who-we-are/Our-history

Union of Concerned Scientists. “ExxonMobil’s Disinformation Campaign – JSTOR.” JSTOR, 2007. https://www.jstor.org/stable/pdf/resrep00046.7.pdf

“#Exxonknew.” #ExxonKnew. Accessed November 14, 2021. https://exxonknew.org/

Matthews , B. (2018, June 13). ExxonMobil Corporation: Positive growth heading into 2018. Dividend.com. Retrieved from https://www.dividend.com/news/2018/02/07/exxon-mobil-corp-positive-growth-2018/.  

Company , E. M. (2021, July 22). Our history. ExxonMobil. Retrieved November 15, 2021, from https://corporate.exxonmobil.com/About-us/Who-we-are/Our-history.  

Hall, S. (2015, October 26). Exxon knew about climate change almost 40 years ago. Scientific American. Retrieved November 15, 2021, from https://www.scientificamerican.com/article/exxon-knew-about-climate-change-almost-40-years-ago/

Postado por Skyler Jacobs.

—–

6º caso que nós destacamos para análise:

Dr. Joseph Mercola Compartilha Desinformação sobre Vacinas Contra COVID-19 (2020-2021)

Site http://businessethicscases.blogspot.com/2021/12/dr-joseph-mercola-shares-disinformation.html

Controvérsia do Caso de Ética

Mercola esteve sob muita pressão no ano passado, pois ele continuava a semear e espalhar o medo no povo em tempos de incerteza. Junto com as vacinas contra COVID-19, o Doutor Mercola tem compartilhado publicamente as suas opiniões sobre ser contra todas as vacinas.

Mercola tem sido o principal financiador do Centro Nacional de Informações sobre Vacinas ‘que tem estado na vanguarda de um movimento que levou alguns pais a renunciar ou atrasar a imunização de seus filhos contra doenças evitáveis ​​por vacinas’ (Satija). O doutor Mercola diz que doou 2,9 milhões de dólares ao centro por acreditar na missão anti-vacinação.

Também o ajuda que a missão deles se alinhe com a agenda de sua empresa para se concentrar em remédios alternativos, como suplementos e vitaminas, em vez de remédios cientificamente comprovados. O doutor Mercola parou de atender pacientes para se concentrar em seu negócio de venda dessas formas alternativas de tratamento para doenças. O doutor Mercola está lucrando com os grupos anti-vacinação.

Com toda a desinformação se espalhando devido ao doutor Mercola, Mercola foi nomeado pelo Centro de Combate ao Ódio Digital como o primeiro lugar entre ‘os 12 da Desinformação’. Os ’12 de Desinformação’ [‘the Desinformation Dozen’] é um grupo formado por doze pessoas que vão desde médicos, anti-vacinadores e aqueles que promovem medicamentos alternativos que estão espalhando informações falsas sobre o COVID-19 online.

Uma análise do Facebook mostrou que essa dúzia de desinformação foi a causa de 73% das quase 700.000 postagens de vacinação anti-COVID-19. Desse grupo, Mercola tem sido o disseminador de desinformação de maior alcance. Sabendo-se que alguns profissionais médicos licenciados estão se manifestando contra o COVID-19, a ‘Federação dos Conselhos Médicos Estaduais emitiu uma declaração deixando claro que os médicos que geram e espalham desinformação sobre o vírus COVID-19 podem estar sujeitos a ações disciplinares, incluindo ter as suas licenças suspensas ou revogadas… tal conduta antiética ou não profissional pode levar o seu respectivo Conselho a tomar medidas que podem colocar a sua certificação em risco’ (Knight). Embora se saiba que o doutor Mercola está espalhando essas informações falsas sobre o COVID-19, nenhuma ação foi tomada contra ele no momento.

Quando em necessidade de orientação, a população é aconselhada a procurar médicos para orientação profissional médica. No entanto, durante a pandemia do COVID-19, tem-se questionado se todos os médicos estavam dando bons conselhos médicos. O doutor Mercola, um médico osteopata, tem compartilhado desinformação sobre as vacinas COVID-19, o que poderia desviar alguns de uma abordagem de vacinação para o vírus. O doutor Mercola ‘declarou que as vacinas contra o coronavírus eram ‘uma fraude médica’ e disse que as injeções não evitavam infecções, não forneciam imunidade ou impediam a transmissão da doença’ (Frenkel).

O doutor Mercola é conhecido por espalhar informações falsas principalmente por meio de diferentes plataformas de mídia social, como Facebook, Instagram, Twitter e YouTube e publicou mais de 600 artigos nessas diferentes plataformas. Esses artigos, em vez de afirmar abertamente as opiniões de Mercola, fazem perguntas sobre a segurança das vacinas e usam estudos facilmente refutados como evidência.

Essas diferentes empresas de mídia social responderam sinalizando as postagens falsas, além de retirar algumas que vão contra as diretrizes da comunidade do COVID-19. Fora isso, não houve consequências reais para as ações do doutor Mercola.

O doutor Mercola garante que os artigos que ele publica sobre o COVID-19 estão disponíveis para todos, traduzindo-os para vários idiomas diferentes, o que maximiza o seu público potencial. Em vez de se concentrar nos estudos aceitos sobre o COVID-19 que são a favor da vacina, Mercola está focado em afastar as pessoas das vacinas e promover produtos não aprovados e não comprovados. Por exemplo, em 9 de abril de 2021, o dr. Mercola compartilhou em um vídeo no YouTube que ‘a inalação de peróxido de hidrogênio por meio de um nebulizador pode prevenir ou curar [cure] o COVID-19” (Knight).

Junto com o uso de peróxido de hidrogênio, o doutor Mercola promove diferentes suplementos naturais, vitaminas e dietas, que são vendidos por sua empresa, para curar [cure] e prevenir o COVID-19. No site de Mercola, ele vende Vitamina C Lipossomal, Vitamina D3 Lipossomal e Quercetina e Pterostilbeno, que ele afirma que irão mitigar, prevenir, tratar, diagnosticar ou curar [cure] o COVID-19 em pessoas.

A agência federal Food and Drug Administration [FDA] enviou uma carta de advertência a Mercola sobre a rotulação incorreta de seus produtos em relação ao COVID-19 e como esses produtos não aprovados violavam a Lei Federal de Alimentos, Medicamentos e Cosméticos. A Food and Drug Administration aconselhou Mercola a tomar medidas imediatas para resolver as violações declaradas na carta e revisar o seu site, produtos e outros materiais promocionais para não rotular nada sobre o COVID-19.

Stakeholders (Partes interessadas)

As partes interessadas nesse caso específico seriam o dr. Joseph Mercola, outros médicos e pesquisadores da área médica, anti-vacinadores, plataformas de mídia social, acionistas dessas plataformas e o público em geral.

Todas as coisas que aconteceram nesse caso específico decorreram das ações do dr. Joseph Mercola. Todas as suas ações afetam a sua reputação; portanto, ele é afetado nesse caso.

Junto com o doutor Mercola, outros médicos e pesquisadores também são afetados por esse caso. Embora o doutor Mercola esteja afetando a sua própria reputação com as suas ações, ele também é um representante da área médica profissional e as suas ações refletirão em outros médicos e profissionais médicos.

Aqueles que fazem parte de grupos anti-vacinação são afetados pelas ações de Mercola nesse caso, pois normalmente não estão representados no campo médico e com ‘os 12 da Desinformação’ e mais especificamente o doutor Mercola, há mais representação desse grupo.

As plataformas de mídia social são afetadas, pois é onde o doutor Mercola está espalhando a maioria de suas informações [desinformações…]. Os acionistas dessas plataformas são afetados, pois a forma como as plataformas de mídia social lidam com a situação pode alterar o valor futuro das ações da empresa.

O público em geral é afetado porque as vacinas estão prontamente disponíveis para todos e, portanto, as pessoas estão tendo que decidir se ouvem o dr. Mercola e não tomam a vacina ou não o ouvem.

Uma análise mais aprofundada das partes interessadas é discutida posteriormente na parte do Utilitarismo.

Individualismo

Um Individualista veria que o caso do dr. Mercola espalhando desinformação e tratamentos médicos não comprovados para Covid-19 é eticamente permissível, mas não moralmente aceitável. Sob o Individualismo, o único objetivo de um negócio é o lucro, então a única obrigação que o empresário tem é maximizar o lucro para o seu proprietário e acionistas, dentro da lei da terra (Salazar 17).

O dr. Mercola tem vendido livros e remédios naturais para maximizar o lucro e o faz dentro da lei, quando relacionado ao caso Covid-19. A única ação ilegal que ele cometeu no passado foi vender camas de bronzeamento chamadas Vitality e D-lite por US$ 1.200 a US$ 4.000 para reduzir o câncer.

Entretanto, como as alegações de saúde do dr. Mercola sobre as camas de bronzeamento eram propaganda enganosa, ele teve que pagar $ 2,95 milhões em reembolsos aos clientes.

Atualmente em relação ao caso Covid-19, o dr. Mercola não vendeu nenhum produto que esteja contra a lei. O patrimônio líquido do dr. Mercola derivou em grande parte de seus livros e tratamentos e cresceu para mais de US$ 100 milhões (Frenkel).

O dr. Mercola maximizou os lucros com a venda de seu livro, The Truth about Covid-19 e com a venda de suplementos que, segundo ele, curariam [cure] o Covid-19. Os lucros das vendas não satisfazem apenas as expectativas de negócios do dr. Mercola, mas também de seus acionistas, pois ele devolve parte desse dinheiro como agradecimento por investir em sua empresa.

Em defesa do dr. Mercola, muitos empresários, como editores de revistas, espalham ‘notícias falsas’ para chamar a atenção do público para comprar o seu produto, o que maximiza o lucro.

É claro que o dr. Mercola e outras ações anti-vacinas eram éticas sob a visão do Individualista, uma vez que ele maximiza o lucro ao fazê-lo dentro da lei.

Entretanto, embora seja ético, isso não é moralmente correto. A informação equivocada que está sendo espalhada sobre a vacina Covid-19 está criando confusão e ansiedade para as pessoas que estão pensando em se vacinar.

No final das contas, a desinformação está ‘brincando com a vida das pessoas’, como isso fez com alguém importante para mim.

Utilitarismo

Um Utilitarista veria o doutor Mercola espalhando desinformação sobre vacinas COVID-19 como antiético. Sob o Utilitarismo, as empresas devem ter como objetivo maximizar a felicidade de longo prazo em suas ações para todos os seres conscientes que são afetados pela ação (Salazar 19). De acordo com Salazar, ‘a perspectiva de longo alcance pode ajudar as empresas a evitar o pensamento míope que muitas vezes aumenta os lucros momentaneamente, mas leva a uma morte rápida’ (Salazar 20).

No The Case Manual [O Manual do Caso], Salazar também afirma que o Utilitarismo ‘é usado para analisar os custos e benefícios de um determinado curso de ação’ (Salazar 19). Nesse caso específico sobre o compartilhamento de desinformação do doutor Mercola sobre as vacinas contra COVID-19, a felicidade não foi maximizada para a maioria das partes interessadas, que é a seguinte:

Doutor Joseph Mercola: O doutor Joseph Mercola acabará sendo impactado positivamente nessa situação. Com o caso sendo estritamente girado em torno dele lucrando com a divulgação de informações erradas e com a marca errada de seus produtos, o doutor Mercola ficará feliz. Embora o doutor Mercola esteja feliz em tempos de pandemia por sua mensagem ser divulgada e ouvida, isso é apenas um efeito de felicidade de curto prazo.

Outros Médicos e Pesquisadores da Área Médica: O caso baseado no doutor Mercola impacta negativamente outros médicos e pesquisadores da área médica. Com Mercola espalhando informações falsas contra a vacina contra COVID-19, parece que a comunidade médica não está unida nesse momento de confusão e desacredita a comunidade. As ações de Mercola não maximizam a felicidade para os outros médicos e pesquisadores, pois agora eles têm que fazer o ‘controle de danos’ para informar pacientes informados equivocadamente de que Mercola tem usado estudos que foram facilmente refutados e desconsiderados como evidência. A maioria da comunidade médica concorda com a ciência por trás das vacinas e as ações de Mercola não estão maximizando a felicidade deles.

Plataformas de Mídia Social: As plataformas de mídia social são impactadas negativamente por essas postagens e esses vídeos informados falsos, feitos pelo dr. Joseph Mercola. Essas postagens vão contra as diretrizes da comunidade COVID-19 dessas plataformas, o que é negativo para as empresas. Para corrigir esses problemas, as plataformas de mídia social começaram a sinalizar e remover as postagens do COVID-19 que contêm informações incorretas ou falsas. Com isso acontecendo, o doutor Mercola começou a derrubar algumas de suas próprias postagens, mas isso não impediu que algumas de suas outras postagens caíssem, mas ele originalmente postar esses tipos de postagens não maximiza a felicidade dessas plataformas.

Acionistas dos Sites de Mídia Social: Os acionistas das plataformas de mídia social usadas pelo doutor Mercola para compartilhar as suas informações falsas são beneficiados. Os acionistas são beneficiados nesse caso específico porque as plataformas se posicionaram contra postagens falsas sobre o vírus COVID-19 e as sinalizarão ou removerão as postagens. Com as plataformas de mídia social adotando essa postura, isso beneficia os acionistas, pois isso provavelmente aumentará o preço das ações e dará mais lucro ao acionista.

Público em Geral: No geral, o público é impactado negativamente pelas ações do doutor Mercola. Embora os anti-vacinadores sejam beneficiados por terem representação na comunidade médica e poderem usar os artigos de Mercola como a sua própria evidência, o público em geral será impactado negativamente. Não é surpresa que a pandemia do COVID-19 tenha sido um estado de confusão abrangente, pois não houve uma pandemia como essa em nossas vidas. A informação saiu conforme foi encontrada, pois não havia informações anteriores sobre esse vírus que afetasse os humanos. A transmissão do COVID-19 tem sido um grande risco, pois houve muitas mortes devido ao vírus, pois os pacientes são imunocomprometidos, não vacinados ou por outros motivos. Ao rotular erroneamente os seus próprios produtos e tentar impedir que o público receba a vacina, Mercola está colocando a sua própria felicidade antes da de todos os outros, o que é contra as visões Utilitárias.

No geral, as partes interessadas (stakeholders) não estão se beneficiando a partir do caso específico em questão. Com esse caso não beneficiando a maioria e não maximizando a felicidade a longo prazo da maioria das partes interessadas, as ações do dr. Joseph Mercola são antiéticas e moralmente erradas.

Kantianismo

É inequivocamente claro que o dr. Mercola e muitos dos outros ‘12 da  Desinformação’ estão usando o povo Americano como um mero meio para atingir um fim. A maioria desses propagadores de informações falsas tem um objetivo semelhante, que é fazer o que for necessário para aumentar a sua popularidade e prestígio, bem como os seus interesses financeiros. E como é que eles estão fazendo isso? Usando os seres humanos como um mero meio. Essas ações, diria um Kantiano, são moralmente inadmissíveis. É visão de um Kantiano que se deve agir de acordo com as próprias regras, mas nunca se considerar isento, onde é imperativo que se siga a Fórmula da Humanidade: nunca tratar o outro ser humano como um mero meio, mas sim como um fim.

Se alguém está agindo de maneira moralmente permissível, é determinado pelo imperativo categórico. O Imperativo Categórico é o que permite a um indivíduo determinar se ele está agindo racionalmente, onde se alguém está agindo racionalmente, eles estão subsequentemente agindo de maneira moralmente permissível.

De acordo com essas regras, as ações do dr. Mercola são moralmente inadmissíveis. Pode-se determinar que Mercola de fato tratou os seus leitores como um mero meio por um único critério, ele mentiu para eles. O ato de mentir para um indivíduo é tratá-lo com desprezo, assumindo que ele não é digno da verdade.

Como um médico, Mercola tinha que saber que as suas conclusões eram falsas, independentemente de ele ainda publicar esses artigos na esperança de que isso desencadeasse uma reação que lhe trouxesse popularidade. Em seu livro ele afirma que a ‘vacina altera o seu código genético’ (Frenkel), isso é ele mentindo, é ele usando as pessoas como mero meio.

Agora que nós podemos ver que ele usou os humanos descaradamente como um mero meio, nós temos que procurar o fim para o qual ele usou essas pessoas. Ao publicar essas falácias, ele provocou uma audiência paranoica, incentivando as pessoas a comprar rapidamente o livro, colocando-o na lista dos mais vendidos do New York Times (Frenkel). O prestígio e a honra de publicar um livro que entra nessa lista era o seu objetivo, o fim nesse cenário. Ao mentir para as pessoas, ele veio a ser um médico ainda mais conhecido; esse é o epítome do que Kant consideraria moralmente inadmissível.

Teoria da Virtude

A Teoria da Virtude é baseada no funcionalismo de Aristóteles e diz que nós devemos basear a bondade no propósito e nas características de uma coisa. Todas as coisas têm um propósito e nós temos que descobrir qual é o propósito dessa coisa para determinar se essa coisa é boa em cumprir o seu propósito. Nós devemos estar funcionando bem e vivendo o nosso propósito para viver uma vida boa e feliz. Para isso, nós necessitamos estar exercendo a nossa racionalidade, ou seja, também nós necessitamos nos dar bem na sociedade. Não apenas nós devemos ser racionais em nós mesmos, mas racionais quando se trata de viver juntos como seres humanos em uma sociedade. O que nos permite sobreviver e prosperar e nos permite funcionar adequadamente são as nossas virtudes e os nossos traços de caráter.

Algumas dessas virtudes aplicadas através do caso do dr. Mercola são:

Coragem: De acordo com os ativistas da vacina, o que o dr. Mercola exibiu foi um vício, um ato de covardia. Ser corajoso é defender o que é certo, mas aos olhos deles, ele está do lado errado da controvérsia. Eles argumentariam que ele não tem credibilidade e tem muito medo de encarar a verdade de que a vacina é segura porque isso iria contra todas as suas alegações anteriores sobre como as vacinas são uma fraude. Por outro lado, os críticos de vacinas argumentariam o contrário. Eles o defenderiam por sua coragem de dizer o que muitos não ousariam dizer nesse tipo de clima político. Ele divulgou a sua opinião para que outras pessoas lessem, mesmo que isso lhe custe a sua plataforma, portanto, ele defende as crenças dele e o que elas acreditam ser o certo.

Honestidade: o dr. Mercola nunca localiza (referencia) as informações que afirma em seus artigos e, em vez disso, ele mesmo apresenta essas afirmações infundadas ou repete as muitas conspirações diferentes na Internet sobre o Covid e a eficácia das máscaras. Tem havido uma abundância de evidências factuais pesquisadas de que tanto a vacina quanto as máscaras são eficazes e seguras, com as quais a maioria dos médicos confiáveis ​​concorda. Portanto, de forma alguma Mercola está exibindo a virtude da honestidade.

Temperança/Autocontrole: Não há equilíbrio nas mensagens do dr. Mercola. Ele chamará a vacina de tudo, menos de segura e promoverá continuamente as muitas conspirações com as quais se depara. Ele quer que as pessoas comprem as suas alternativas à vacina, o que significa que provavelmente ele nunca admitirá que as vacinas são eficazes. Onde há mais conversa sobre os suplementos de Mercola, há mais oportunidades de ganhar dinheiro, então Mercola acabou publicando mais de 600 artigos que são compartilhados milhares de vezes. Devido ao excesso de postagens que apenas transmitem a sua opinião, ele carece de temperança ou autocontrole.

Justiça/Equidade: Nenhum dos suplementos do dr. Mercola é aprovado pela FDA e ele teve problemas muitas vezes no passado com a administração por vendê-los. Sem a aprovação da FDA, os seus suplementos podem ser considerados um produto de baixa qualidade que não é justo para com os consumidores. Além de não vender produtos de boa qualidade, ele não considera nenhuma perspectiva que não seja a sua, muitas vezes fazendo alegações falsas contra fontes confiáveis. Mesmo no contexto das máscaras que comprovadamente impedem a propagação da Covid, ele continua afirmando que elas não funcionam. Sem dar a seus consumidores uma aprovação clara que justifique a venda de seus próprios produtos e não respeitando outros pontos de vista sobre o assunto, Mercola não tem a virtude da justiça ou da equidade.

Plano de Ação

As ações do dr. Mercola são um perigo para o bem-estar da sociedade que necessita ser tratado imediatamente. A sua retórica anti-vacina Covid que ele espalha em seu site e várias plataformas tem assustado muitas pessoas para receber a vacina que salva vidas. Em vez disso, ele continua a defender a narrativa de que os suplementos que vende em seu site comprovadamente fazem um trabalho melhor na cura [curing] e tratamento de Covid do que a vacina. Embora muitas pessoas estejam ficando frustradas com a repressão dos sites de mídia social à desinformação da Covid, existem algumas medidas que Mercola pode tomar para se manter dentro das diretrizes dos sites de mídia social e da administração de alimentos e medicamentos.

Se Mercola deseja notificar outras pessoas sobre informações sobre a vacina, ele deve apenas basear as suas conclusões científicas em pesquisas confiáveis. Muitas das postagens que são retiradas dos sites de mídia social são aquelas que contêm pesquisas não confiáveis ​​feitas pelo próprio Mercola. Essa mudança permitirá que ele ainda expresse a sua opinião e obtenha lucros sem que as suas postagens sejam removidas.

A partir do ponto de vista da sociedade, citar informações confiáveis ​​pode revelar que Mercola agora tem um argumento mais fraco contra a vacina, o que significa que pessoas que antes tinham medo da vacina podem estar mais abertas a recebê-la.

Qualquer produto que não seja aprovado pela FDA para tratar ou curar [cure] o Covid-19 não deve ser comercializado como se o pudesse no site da Mercola. Isso garante que Mercola esteja dentro das diretrizes da FDA e não prejudique as pessoas com propagandas falsas de seus produtos. Para garantir que a sociedade possa encontrar informações mais confiáveis ​​sobre a vacina contra a Covid-19, todas as plataformas de mídia social necessitam fazer a sua parte para eliminar a desinformação sobre o Covid-19.

O dr. Mercola também deve limitar as suas informações apenas a seu site e livros. Isso permitirá que os fatos comprovados do CDC [Centers for Disease Control and Prevention] e de outras fontes confiáveis ​​sobre o Covid-19 tenham mais impacto nos sites de mídia social, o que levará a mais segurança para aqueles que consideram a vacina.

Essas mudanças nas ações do dr. Mercola não apenas ajudarão a sua empresa a operar com ética, mas também salvarão mais vidas. Necessário duas outras ideias. Talvez parar de postar em sites de mídia social e apenas em seu site, onde ele terá menos alcance. Apenas colocar essas informações em livros para que não se espalhe rapidamente.

O site do doutor Mercola deve ter uma declaração de missão para fornecer suplementos para problemas relacionados à saúde que sejam promovidos com precisão de maneira segura e eficiente. Essa declaração de missão ajudará a orientar os negócios do dr. Mercola na criação de informações mais precisas e tranquilizadoras sobre a vacina Covid-19 que salvará vidas. A declaração de missão visa ter o melhor interesse da saúde da sociedade, onde a missão do dr. Mercola era fornecer e vender tratamentos não comprovados que enganariam o público para gerar lucro. 

Mercola deve ter honestidade, confiabilidade, equidade e lucratividade como valores em seus negócios, bem como em suas ações.

Mercola deve ser honesto sobre a maneira como ele marca os seus produtos, pois eles ainda serão lucrativos, quer ele os esteja marcando incorretamente ou não.

Ele também deve ser confiável como médico para fornecer informações verdadeiras e relevantes sobre a pandemia. Embora ele tenha opiniões fortes sobre a vacina COVID-19, devido ao seu título de médico, ele deveria compartilhar informações amplamente apoiadas pela ciência, em vez de informações que beneficiam apenas a sua empresa pessoal. Ele deve ser uma fonte confiável de informações.

Mercola deve valorizar a equidade ao conduzir os seus negócios. Ele deve agir com equidade com as muitas partes interessadas nesse caso, fornecendo produtos de marca precisos e sendo uma fonte confiável de informações. Ele deve ser um homem de negócios justo.

Além de valorizar a honestidade, confiabilidade e equidade, Mercola deve valorizar os seus lucros. Embora se possa argumentar que é isso que ele está fazendo no momento, ele deve se concentrar nos lucros de produtos que são devidamente anunciados e marcados que não dão uma falsa interpretação dos resultados. Concentrando-se nos lucros de seus produtos com marcas precisas, Mercola pode avaliar com eficácia a resposta de seus produtos e implementar produtos que satisfaçam as necessidades do mercado.

É imperativo garantir que a produtividade ética seja mantida e que a ética de um indivíduo seja frequentemente monitorada. Para garantir que esses assuntos nunca ocorram novamente, indivíduos em plataformas sociais elevadas devem estar sempre sob escrutínio ético.

O Individualista argumenta que, desde que um indivíduo esteja agindo de maneira consistente com a lei para a maximização de seus lucros, as suas ações são, em última análise, legais. Esse conceito é o que permitiu que as falsas afirmações do dr. Mercola prevalecessem temporariamente, pois através desse ponto de vista ele estava agindo racionalmente.

Para combater isso, é preciso olhar para a política; uma bandeira vermelha surge, ao ver esse caso sob o conhecimento de que as suas ações eram legais. Se uma ação legislativa mais proativa fosse tomada, isso poderia ter sido evitado. A única maneira de um indivíduo considerar as suas ações erradas é se o ato for ilegal. Se as leis forem escritas simultaneamente com algumas dessas teorias éticas, ações como a disseminação de desinformação de Mercola podem ter sido interrompidas.

Outro meio produtivo de monitorar a ética do dr. Mercola para evitar a situação é por meio do Kantianismo. Como dito anteriormente, um Kantiano consideraria as ações de Mercola como moralmente inadmissíveis desde o início, pois ele estava agindo de forma inconsistente com a Lei da Humanidade. Se os indivíduos agissem imediatamente após reconhecer as ações antiéticas dos médicos, a situação poderia ter sido amenizada. Como esses fundamentos éticos são tão eficazes na prevenção de adversidades, os empregadores devem incorporar esses conceitos ao treinamento e as escolas devem inserir o conteúdo no currículo.

Pois quando a maioria dos indivíduos em uma sociedade está ciente da produtividade ética e do monitoramento da ética, os indivíduos serão capazes de julgar ações de acordo com a sua permissibilidade moral e, subsequentemente, agir para evitar mais danos. 

O plano descrito acima estabeleceu uma maneira de o dr. Mercola promover os lucros e a produtividade de seus negócios, mantendo o público seguro. Ter uma visão geral dos problemas que ocorreram durante os negócios de Mercola nos permitiu criar etapas que ajudarão o seu negócio a funcionar com ética.

Estabelecer uma declaração de missão para os negócios de Mercola guiará os seus negócios para maximizar produtos e produtividade. A declaração de missão não apenas promove os lucros e a produtividade do negócio, mas também retrata as verdadeiras intenções de um negócio. A declaração de missão guiará Mercola e o seu negócio a encontrar estratégias para atender às necessidades do consumidor e ter em mente o melhor interesse do consumidor.

Para que Mercola administre os seus negócios com ética e sem problemas, o seu negócio deve promover valores como honestidade, confiabilidade, equidade e lucratividade. Esses valores orientarão os negócios de Mercola a funcionar de maneira mais ética, o que eliminará a ocorrência de problemas no futuro.

Autoria de: Carlie Smith, Naomi Golasinski, Alexandria Morris e Sean Alvord.

Referências

Casado, Laura. “This Natural Health Doctor Has Published over 600 Articles Claiming Coronavirus Vaccines Are a Fraud – He’s Part of the ‘Disinformation Dozen’ Responsible for the Vast Majority of Covid-19 Misinformation on Facebook.” Business Insider. Business Insider, July 25, 2021. https://www.businessinsider.com/mercola-doctor-disinformation-dozen-anti-covid-vaccination-2021-7.

Center for Food Safety and Applied Nutrition. “Mercola.com, LLC 607133 – 02/18/2021.” U.S. Food and Drug Administration. FDA, February 18, 2021. https://www.fda.gov/inspections-compliance-enforcement-and-criminal-investigations/warning-letters/mercolacom-llc-607133-02182021.

“Facebook – Latest News, Pictures & Video – Mirror Online.” mirror. Accessed December 12, 2021. https://www.mirror.co.uk/all-about/facebook

Frenkel, Sheera. “The Most Influential Spreader of Coronavirus Misinformation Online.” The New York Times. The New York Times, July 24, 2021. https://www.nytimes.com/2021/07/24/technology/joseph-mercola-coronavirus-misinformation-online.html?fbclid=IwAR1i7ukiXsWB9Ks1M0VTaXks6Jmftk5wx6RK7moCtfDBWAZWL51_GMKhnEU.

Knight, Victoria. “Doctors Spreading COVID-19 Misinformation Have Not Been Penalized.” Time. Time, September 20, 2021. https://time.com/6099700/covid-doctors-misinformation/.

“One of the Most Influential Voices in Vaccine Misinformation Is a Doctor.” NPR. NPR, August 8, 2021. https://www.npr.org/2021/08/08/1025845675/one-of-the-most-influential-voices-in-vaccine-misinformation-is-a-doctor.

Salazar, H. The Business Ethics Case Manual. n.d.

Satija, Neena, and Lena H. Sun. “A Major Funder of the Anti-Vaccine Movement Has Made Millions Selling Natural Health Products.” The Washington Post. WP Company, December 23, 2019. https://www.washingtonpost.com/investigations/2019/10/15/fdc01078-c29c-11e9-b5e4-54aa56d5b7ce_story.html.

Imagem pexels-nataliya-vaitkevich-5863389.jpg – 12 de agosto de 2023

Postado por Carlie Smith.

—–

A Espiritualidade nas Empresas trata-se de uma Filosofia cujos Princípios podem ajudar tanto as Pessoas quanto as Organizações.

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x