4ª visão – Tornando-se consciente no nível da realidade [awareness] de seu Drama de Controle que erroneamente é usado para manipular a energia dos outros.

Com excessiva frequência os seres humanos se desconectam da poderosa fonte dessa energia e passam a se sentir fracos e inseguros. Para obter energia, nós costumamos manipular os outros ou obrigá-los a nos dar atenção e, por conseguinte, energia. Quando nós conseguimos dominar as outras pessoas dessa maneira, nós nos sentimos mais poderosos, mas elas se sentem enfraquecidas e frequentemente reagem e nos agridem. A competição pela “escassa energia humana” é a causa de todos os conflitos entre as pessoas.

A 4ª visão é chamada “A Luta pelo Poder”. Ele se baseia na visão anterior, “Uma Questão de Energia”, que mostra o nosso mundo como um campo de energia espiritual, adaptável aos nossos pensamentos, aos nossos sentimentos e aos nossos comportamentos, todos centrados em torno do DAR.

Ao emergir da 3ª para a 4ª visão, você se torna plenamente consciente no nível da realidade [awareness] do princípio dominante do Universo: DAR e vê-lo retornando em sua vida. Agora pratique dando a sua energia em vez de tomá-la e veja como você se sente.

A 4ª visão expõe a tendência humana de roubar energia de outros seres humanos para dominá-los, apoderando-se de suas mentes, um crime no qual nós nos empenhamos porque nós nos sentimos tão frequentemente esvaziados de energia e isolados. Essa escassez de energia pode ser remediada, claro, quando nós nos ligamos à fonte superior.

Com muita frequência, os seres humanos desconectam-se da fonte superior dessa energia e depois se sentem fracos e inseguros. Para ganhar energia, nós tendemos a manipular ou forçar outras pessoas a nos dar atenção e energia. Quando nós dominamos com êxito os outros dessa maneira, nós nos sentimos mais poderosos, mas eles ficam enfraquecidos e geralmente revidam.

A competição por energia humana escassa é a causa de todos os conflitos entre as pessoas.

Nós começamos a abandonar esses hábitos à medida que nós ficamos mais conscientes no nível da realidade [awareness] da nossa tendência de controlar, prejudicar, julgar e agradar os outros.

A 4ª Visão diz que os seres humanos acabariam vendo o universo como constituído de uma energia dinâmica, uma energia que pode nos sustentar e responder às nossas expectativas. Contudo, também nós veríamos que nós fomos desligados da fonte maior dessa energia, que nós nos isolamos dela e por isso nós nos sentimos fracos, inseguros e carentes.

Diante desse déficit, nós, seres humanos, sempre procuramos intensificar a nossa energia pessoal da única maneira que nós conhecemos: buscando roubá-la psicologicamente de outras pessoas – uma competição inconsciente que é a base de todo o conflito humano no mundo.

No livro “Guia de Leitura de A Profecia Celestina”, os autores James Redfield e Carol Adrienne nos esclarecem que “essa luta pelo poder pode começar já com os primeiros berros que nós damos para anunciar a nossa entrada no mundo. O ‘ter que estar no controle’, a fim de conservar energia, é uma situação que começa na infância. O nosso instinto de sobrevivência é acompanhado das necessidades psicológicas e espirituais de segurança, intimidade, tranquilidade financeira, da sensação de pertencimento a algo, de reconhecimento e de controle sobre a nossa vida. Quando uma necessidade está deficiente, nós temos a tendência de concentrar toda a nossa energia em satisfazer essa necessidade.”

Do livro “O caçador de pipas”, de Khaled Hosseini, nós temos a seguinte afirmação: “Quando você mata um homem, está roubando uma vida. Está roubando da esposa o direito de ter um marido, roubando dos filhos um pai. Quando [um homem] mente, está roubando de alguém o direito de saber a verdade. Quando [um homem] trapaceia, está roubando o direito à justiça. Não há ato mais infame do que roubar”.

Do livro “Magnificent Addiction”, de Philip Kavanaugh, nós temos a seguinte inspiração: “A necessidade de controlar e a busca incessante da dominância é uma busca universal destinada a evitar o vazio interior. Por causa de seu escopo e porque forma a escora de todos os vícios doentios, ela conquistou o rótulo de o ‘vício superior’”.

A psicologia está em conflito, querendo saber por que os seres humanos se tratam uns aos outros com tanta violência. Nós sempre soubemos que essa violência surge do impulso dos seres humanos para controlar e dominar uns aos outros, mas só recentemente nós estudamos esse fenômeno de dentro, do ponto de vista da consciência no nível da realidade [awareness] individual.

Como a 3ª Visão e a 4ª Visão deixam claro, a troca de energia acontece com tanta frequência e é tão onipresente que nós mal temos consciência no nível da percepção [consciousness] dela – até que a nossa energia é perceptivelmente drenada ou reduzida.

Nós perguntamos o que ocorre dentro de um ser humano que o faz querer controlar outra pessoa. Nós descobrimos que quando um indivíduo se dirige a outra pessoa e se empenha numa discussão – o que ocorre bilhões de vezes todos os dias no mundo – podem acontecer uma das duas coisas. O indivíduo sai se sentindo mais forte ou mais fraco, dependendo do que ocorre na interação.

Por esse motivo, nós, humanos, sempre parecemos adotar uma atitude manipuladora. Sejam quais forem os detalhes da situação, ou do assunto em questão, nós nos preparamos para dizer o que for preciso para prevalecer na conversa. Cada um de nós procura de algum modo encontrar um meio de controlar e assim continuar por cima no combate. Se nós tivermos êxito, se a nossa opinião prevalece então em vez de nos sentirmos fracos, nós recebemos um reforço psicológico.

Em outras palavras, nós, humanos, procuramos ser mais espertos e controlar uns aos outros não só por causa de alguma meta tangível que nós estejamos tentando alcançar no mundo externo, mas por causa de um estímulo psicológico que nós recebemos. É por isso que se vêem tantos conflitos no mundo, tanto a nível individual quanto de nações.

O consenso na psicologia é que toda essa questão está agora aflorando na consciência no nível da realidade [awareness]. Nós, humanos, estamos entendendo o quanto nós manipulamos uns aos outros e consequentemente reavaliando as nossas motivações. Nós buscamos um novo modo de interagir. Essa reavaliação fará parte da nova visão do mundo de que fala o Manuscrito.

A 3ª visão é a de que o universo como um todo é composto dessa energia e que nós podemos modificar talvez, não apenas as plantas, mas também outras coisas, exatamente como nós fazemos com a energia que nos pertence, a parte que nós podemos controlar.

Quando crianças, nós dependemos dos adultos que cuidam de nós para a nossa sobrevivência e desenvolvemos maneiras muito específicas de obter energia do nosso sistema familiar. Obter um amor suficiente para nos sentirmos seguros e um reconhecimento o bastante que nos ajude a construir uma identidade é crucial para o nosso desenvolvimento.

O autor James Redfield acrescenta que “no início da vida nós temos poucas defesas do ego para compreender ou afastar os efeitos de sermos desprezados, ridicularizados e criticados. À medida que nós crescemos, os encontros negativos afetam a nossa auto avaliação e expectativas diante do mundo. Nós temos um déficit e o desejo natural de compensá-lo sugando energia dos outros.”

James Redfield esclarece esse tipo de manipulação: “Primeiro, finge ser amigo da gente, aí descobre alguma coisa errada no que a gente faz. Na verdade, solapa sutilmente a confiança que a gente tem no próprio caminho até a gente passar a se identificar com ele. Assim que acontece isso, é dono da gente”.

Essa é apenas uma das muitas estratégias que as pessoas usam para tapear os outros e tomar a energia deles. Nós aprenderemos outras mais tarde, na 6ª visão.

Tudo isso ainda é inconsciente na maioria das pessoas. Tudo o que nós sabemos é que nós nos sentimos fracos e quando nós controlamos os outros nós nos sentimos melhor. O que nós não compreendemos é que o preço dessa sensação de se sentir melhor é a outra pessoa. É a energia que roubamos dela. A maioria das pessoas passa a vida numa caça constante à energia da outra. Embora às vezes funcione diferente. Nós encontramos alguém que, pelo menos durante algum tempo, nos manda voluntariamente a sua energia.

A 3ª visão nos mostra que o mundo físico é na verdade um vasto sistema de energia.

E agora a 4ª visão indica que há muito tempo nós, humanos, competimos inconscientemente pela única parte dessa energia aberta a nós: a que flui entre as pessoas. Isso é que foi sempre o conflito humano, em todos os níveis: desde todos os mesquinhos conflitos em família e no emprego até as guerras entre países. É o resultado da sensação de insegurança e fraqueza e da necessidade de roubar a energia de outra pessoa para se sentir bem.

Entender a 4ª visão é uma questão de ver o mundo humano como uma disputa acirrada pela energia e, portanto, pelo poder.

Contudo, assim que os humanos entenderem a sua luta, nós começaremos imediatamente a transcender esse conflito.

Nós começaremos a nos livrar da disputa por simples energia humana, pois nós poderemos afinal receber a nossa energia de outra fonte.

A luta irracional pelo poder sempre ocorre quando nós percebemos que nós estamos perdendo energia porque outra pessoa está manipulando a nossa atenção e nós revidamos para controlar a situação.

No livro “Guia de Leitura de A Profecia Celestina”, nós temos a seguinte afirmação para o nosso conhecimento e entendimento sobre o que aborda as visões do Manuscrito:

“Como será abordado na 6ª visão, as posições fixas do ego fomentam um estilo dramático repetitivo denominado Drama de Controle. As posições descrevem três atitudes, abordadas no best-seller de Eric Berne, “Games People Play: The Psychology of Human Relationships” (“Os Jogos da Vida: Análise Transacional”), a saber:

  • O estado do Pai, da Criança e do Adulto.
  • O estado do Pai corresponde aos Dramas de Controle mais agressivos do “Intimidador” e “Interrogador”.
  • O estado da Criança corresponde aos Dramas de Controle mais passivos do “Coitadinho de Mim” e do “Distante”.
  • O estado Adulto, uma vez expandido para incluir a conexão com o Eu Superior, corresponde ao estado intensificado de crescimento sincronístico.

Tomar consciência no nível da realidade [awareness] desses estados do ego é proveitoso para nós entendermos como as nossas interações podem ser complexas.”

Quando nós procuramos a ética do DAR e não a do tomar, ou manipular outros, nós entramos em consciência no nível da realidade [awareness]. Nós começamos a detectar os mecanismos antigos de manipulação do ego – os Dramas de Controle – que nós costumamos utilizar para nos erguermos à custa dos outros. Se nós estamos conscientes [aware] e pegamos a nós mesmos toda vez que nós começamos um Drama de Controle, eventualmente o nosso Drama de Controle desaparece completamente. O drástico começa a desaparecer até que se pare antes de cairmos em tal armadilha. Agora, através do DAR, nós podemos seguir em frente Sincronisticamente em liberdade – prontos para experienciar, ainda mais, momentos extraordinários de conexão com Deus.

Quando nós utilizamos o Drama de Controle para obter poder sobre os outros, nós absorvemos a energia dessas pessoas, levando a um senso de gratificação e motivação para continuar com a prática. Então nós nos tornamos “adictos” pela sensação e nós ficamos mais exigentes e fora do controle em nossos esforços para absorver ainda mais energia de nossas interações com os outros.

A 4ª visão proclama que eventualmente os seres humanos encontrariam totalidade em um universo espiritual feito de energia magnética, uma energia que pode sustentar-nos e responder às nossas expectativas. Ainda que nós veríamos que em função de termos estado desconectados dessa mais ampla fonte de energia, nós acabamos nos sentindo fracos, inseguros e em necessidade.

Em razão dessa escassez, nós sempre temos buscado aumentar a nossa energia pessoal através da única maneira que nós completamente temos entendido: em procurar psicologicamente roubar energia de outra pessoa. Nós procuramos descobrir alguma forma de controlar e então manter-nos no topo do conflito. Tudo o que nós sabemos é que nós nos sentimos fracos, inseguros e perdidos e quando nós controlamos outras pessoas, nós nos sentimos melhor. O que nós não percebemos é que esse senso de sentir-se melhor prejudica a outra pessoa. É a energia dela que nós estamos roubando. Embora essa luta seja largamente inconsciente, ela está por trás de todo conflito humano no mundo.

Muitas pessoas levam as suas vidas em uma constante caçada pela energia de outra pessoa.

Consciência no nível da realidade [awareness] espiritual é a chave para terminar o conflito humano no mundo porque, durante cada disputa, nós estamos recebendo energia de outra fonte – a fonte que eventualmente nós aprenderemos a buscar inconscientemente.

Uma vez que os seres humanos entendam as suas lutas, imediatamente nós começaremos a transcender esses conflitos. Nós começaremos a escapar dessa competição sobre simples energia humana … porque finalmente nós estaremos prontos para receber a nossa energia de outra fonte.

À medida que você conhece a 4ª visão e a precedente 3ª visão, você está se tornando amplamente consciente no nível da realidade [aware] do princípio que rege o Universo: DAR e ver isso retornando em sua vida. Agora pratique DAR a sua energia em vez de tomá-la e veja como você se sente.

Você não se força a amar. Você permite que o amor entre.

Quando você aprecia a beleza e a unicidade das pessoas e coisas, você recebe energia. Quando você alcança um nível onde você sente amor, então você pode devolver energia por apenas o desejar isso.

O papel do amor foi mal compreendido durante muito tempo. O amor não é uma coisa que nós tem que fazer para sermos bons ou fazer com que o mundo seja um lugar melhor, por alguma abstrata responsabilidade moral, ou porque nós temos que desistir de nosso hedonismo. Ao se ligar na energia provoca emoção, depois euforia e depois amor. Encontrar bastante energia para conservar esse estado de amor sem dúvida faz bem ao mundo, porém mais diretamente a nós. É a coisa mais hedonista que nós podemos fazer.

Estar consciente no nível da realidade [aware] é o primeiro passo. Assim que nós começarmos a entender que os Dramas de Controle existem, nós podemos mais à frente melhorar a nossa consciência no nível da realidade [awareness] dessas condutas expostas pelos outros e nós mesmos. Dessa maneira nós podemos agir para transcender e interpretá-los de um nível mais profundo, ambos espiritualmente e psicologicamente.

Do livro “Magnificent Addiction”, de Philip Kavanaugh: “A individuação começa quando nós procuramos as respostas dentro de nós mesmos, quando nós deixamos de culpar os outros por nossos sentimentos e nós começamos a considerar as nossas emoções e as nossas intuições os nossos mestres”.

James Redfield ainda nos esclarece que é importante saber o que está verdadeiramente acontecendo durante essas disputas e como lidar com elas numa maneira positiva. Para começo de conversa, desacordos humanos sempre parecem mais intensos que deveriam ser e com frequência demoram mais tempo que o necessário. Para um observador objetivo, esses tipos de argumentos com frequência parecem insignificantes e seriam racionalmente resolvidos através de acordo e por desenvolver uma liderança mais balanceada em nossos relacionamentos.

O objetivo da 4ª Visão é nos ajudar a reconhecer a necessidade que nós temos de controlar a energia em nossas interações com os outros para que nós possamos sentir uma ascensão psicológica. Depois que você se conscientizar dessa tendência, talvez perceba que deseja “fazer uma mudança” na maneira como você se relaciona com as coisas e com as pessoas. O ponto-chave da nossa evolução é expandir a nossa consciência no nível da realidade [awareness] a respeito de nós mesmos e do universo.

Resumo da 4ª Visão:

  • A 4ª Visão é a consciência no nível da realidade [awareness] de que os seres humanos com frequência rompem a sua ligação interior com essa energia mística.
  • Em decorrência disso, nós temos tido a tendência de nos sentirmos fracos e inseguros e, com frequência, nós procuramos nos reerguer sugando energia de outros seres humanos.
  • Nós fazemos isso tentando manipular ou dominar a atenção dos outros.
  • Quando nós conseguimos conquistar à força a atenção de uma pessoa, nós somos impulsionados pela energia dela, o que nos torna mais fortes, porém enfraquece a outra pessoa.
  • Com frequência os outros se rebelam contra essa usurpação da sua força, gerando uma luta pelo poder.
  • Todos os conflitos do mundo têm origem nessa luta pela energia humana.

O universo nos proporciona tudo o que nós necessitamos, bastando apenas que estejamos abertos a isso. Essa é a revelação da 5ª visão.

Atitudes destinadas a manter a sua energia concentrada e livre:

  • Permaneça presente no momento.
  • Seja o seu ser autêntico – seja verdadeiro.
  • Preste atenção a seus sentimentos.
  • Ouça atentamente – esclareça o que você escuta.
  • Mantenha o seu ego no estado Adulto.
  • Concentre-se no que você quer sentir.
  • Diga a verdade como você a sente.
  • Livre-se do apego a um único resultado.
  • Deixe o mistério desenredar-se.
  • Permaneça aberto.

James Redfield esclarece-nos sobre o próximo passo em nossa consciência no nível da realidade [awareness]: “Lembrem-se, nós temos que reter os insights que nos move na direção dessa mais elevada experiência em primeiro lugar. E frequentemente revisitá-los para nós ficarmos confiantes que essa consciência no nível da realidade [awareness] funciona. Esse é o único caminho que a humanidade pode lentamente remover a escuridão, na qual nós estamos ainda sofrendo. Todas as doze visões emergem de muitos dos ensinamentos das principais religiões monoteístas. Elas apontam o caminho de volta, das leis das religiões organizadas, para um puro, descomplicado relacionamento intensamente com a pessoal origem de toda vida. Imediatamente nós queremos saber mais sobre o processo e mais sobre onde essas misteriosas coincidências estão nos levando.”

Palavras chave da OREM2: manuscrito, despertar espiritual, massa crítica, coincidências, sincronicidades, visões, perspectiva histórica, igreja, ciência e tecnologia, método científico, religião, energia, padrões de energia, campos de energia, ceticismo científico, percepção da beleza, teoria de campo unificado, drama de controle, luta pela atenção, luta pelo poder.  

Bibliografia (recomendamos enfaticamente a leitura desse material):

  • Livro “A Profecia Celestina” – James Redfield;
  • Livro “Guia de Leitura de A Profecia Celestina” – James Redfield;
  • Artigo: “The Celestine Prophecy: Fourth Insight Experience Study” – James Redfield;
  • Livro “O caçador de pipas” – Khaled Hosseini;
  • Livro “Magnificent Addiction” – Philip Kavanaugh;
  • Livro “Os Jogos da Vida: Análise Transacional” – Eric Berne; 

Imagem nasa-Q1p7bh3SHj8-unsplash.jpg

Próximo artigo – 5ª VISÃO: A MENSAGEM DOS MÍSTICOS

… segundo o Manuscrito, quando um número suficiente de indivíduos perguntar a sério o que ocorre na vida, começaremos a descobrir.

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x