Tendo como base a ideia e a proposta do livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance, o objetivo dessa série de artigos do Projeto OREM® – OREM3 é analisarmos todo o material disponível e relevante sobre o Livro de Exercícios de Um Curso em Milagres para cada exercício diário, de maneira a auxiliar e facilitar o entendimento sobre o sistema de pensamento do Curso.

Para cada dia de estudo, nós estaremos incluindo também uma parte relevante do livro Texto, uma parte relevante do Material Suplementar (Cadernos de Taquigrafia de Helen Schucman e Versão Urtext de UCEM), alguns artigos relevantes de Professores Avançados e as próprias lições do Livro de Exercícios para cada dia (365 dias).

Lembrando que grande parte dos materiais suplementares (cadernos de taquigrafia de Helen e versão Urtext de UCEM), que constarão nessa série de artigos, não foram considerados na edição final de Um Curso em Milagres, por terem sido considerados “muito pessoais” pela equipe responsável pela edição1, porém importantes como material complementar, como nós veremos a seguir, por se tratar da ensinamentos compartilhados pelo autor do livro (Jesus).

Veja detalhes em artigo na Categoria “Um Curso em Milagres” de número 12 – “As versões iniciais e a edição de UCEM”.

Como diz Jeff Nance, “milagres não faltam!”

Nota: Nós consideramos que o estudante se beneficiará dessa série de artigos do Projeto OREM® a partir do momento que, já tendo concluída a leitura do livro Texto, realizado os exercícios e práticas do Livro de Exercícios e concluída a leitura do Manual de Professores, estará, portanto, nesse momento, retomando uma segunda rodada de conhecimento e entendimento do sistema de pensamento de Um Curso em Milagres (UCEM).

“Esse curso é um começo, não um fim…” (T-Prefácio)

Tradução livre Projeto OREM®

Dia 21

“A falta de amor (ou orientação equivocada voltada para a necessidade) que levou às escolhas de sua pessoa em particular (não OPOR-SE) PODE SER corrigida dentro da estrutura existente e TERIA que ser do interesse maior do progresso geral. A situação é questionável em grande parte por causa de sua vulnerabilidade inerente à gratificação voltada para a fantasia. Fazer o melhor que puder DENTRO dessa limitação é provavelmente a melhor medida corretiva no momento. Qualquer relacionamento que você tenha assumido por qualquer motivo torna-se uma responsabilidade.

Se você mudar as suas próprias necessidades, TEM QUE resultar alguma mudança correspondente na orientação voltada para as necessidades da outra pessoa. Isso será benéfico, mesmo que o parceiro tenha sido originalmente atraído por você POR CAUSA de sua descortesia. Dispositivos de ensino que são totalmente estranhos ao sistema perceptivo de um aprendiz geralmente são meramente disruptivos. A transferência depende de ALGUNS elementos comuns na nova situação que são compreensíveis em termos da antiga.

O homem nunca pode controlar os efeitos do medo por si mesmo, porque ele CRIOU o medo e acredita no que ele cria. Em atitude, então, embora não em conteúdo, ele se assemelha ao seu próprio Criador, que tem fé perfeita em Suas Criações porque Ele as criou. Toda a criação se baseia na crença e a crença na criação produz a sua existência. É por isso que é possível para um homem acreditar no que não é verdade para qualquer outra pessoa. Isso é verdade para ele porque é feito POR ele.

Cada aspecto do medo procede da percepção de cabeça para baixo. Os VERDADEIRAMENTE criativos dedicam os seus esforços para corrigir isso. O neurótico se dedica ao compromisso. O psicótico tenta escapar estabelecendo a verdade de seus próprios erros. É muito difícil libertá-lo por meios comuns, apenas porque ele é mais estável em sua negação da verdade.

56.) O milagre não faz distinção entre graus de percepção equivocada. É um dispositivo para correção voltada para a percepção que é eficaz independentemente do grau ou da direção do erro. Essa é a sua VERDADEIRA indiscriminação.

Os milagres controlados por Cristo são seletivos apenas porque são direcionados para aqueles que podem usá-los para SI MESMOS. Como isso torna inevitável que eles os estendam a outros, uma corrente muito forte de Expiação é soldada. Mas o controle de Cristo não leva em conta a MAGNITUDE do próprio milagre, porque o conceito de tamanho existe apenas em um plano que é irreal. Como o milagre visa RESTAURAR a realidade, dificilmente seria útil se estivesse vinculado às leis do mesmo erro que visa corrigir. Só o homem comete esse tipo de erro. É um exemplo da ‘consistência tola’ que as suas próprias crenças falsas geraram.

Tanto o poder quanto a força da vontade criativa do homem têm que ser compreendidos, antes que o verdadeiro significado da negação possa ser apreciado e abolido. A negação NÃO é mera nulidade. É uma criação equivocada positiva. Embora a criação equivocada seja NECESSARIAMENTE acreditada por seu próprio criador, ela não existe no nível da verdadeira Criação.

57.) O milagre compara as criações do homem com o nível superior da criação, aceitando o que está de ACORDO como verdadeiro e rejeitando o DISCORDANTE como falso. É por isso que está tão intimamente associado à validade. A validade real é verdadeira E útil, ou melhor, é útil PORQUE ela é verdadeira.

Todos os aspectos do medo são falsos, porque eles DE FATO NÃO existem nos níveis criativos mais elevados e, portanto, não existem nem um pouco. Na medida em que um homem está disposto a submeter as suas crenças ao teste real de validade, nessa medida as suas percepções são curadas (ou corrigidas).

Ao separar o falso do verdadeiro, o milagre procede muito ao longo das linhas sugeridas muito corretamente por Bill, ou seja:

Se o amor perfeito expulsa o medo,
E se o medo existe,
Então NÃO existe amor perfeito.
Mas
Só o amor perfeito realmente existe.

Portanto, se houver medo, ele cria um estado que não existe. Acredite NISSO e você será livre. Somente Deus pode estabelecer essa solução, pois ESSA fé É a Sua dádiva.”

Distorções dos Impulsos Milagrosos

“O homem tem que contribuir para a sua prontidão aqui como em qualquer outro lugar. A prontidão para a fé, como para tudo o que é verdadeiro, implica os dois passos necessários para a liberação do medo.

A negação do medo, em termos humanos, é uma defesa forte porque isso envolve dois níveis de erro:

1. Esta verdade PODE ser negada e

2. Esta ausência de verdade pode ser eficaz.

EXPERIENCIAR o medo, que é mais característico de Bill, envolve apenas o segundo erro.

No entanto, essas diferenças não afetam em nada o poder do milagre, pois apenas a distância entre a verdade e o erro são a sua preocupação.

VOCÊS são ambos mais mente voltada para o milagre e menos capazes de reconhecer o medo por causa de sua identificação mais forte, porém dividida. Bill, também caracteristicamente, é menos mente voltada para o milagre, porém mais capaz de reconhecer o medo, porque a sua identificação é mais consistentemente correta, mas mais fraca.

Juntas, as condições necessárias para uma consistente mentalidade voltada para o milagre, o estado em que o medo foi abolido, podem ser particularmente bem elaboradas. Na verdade, isso já FOI bem trabalhado antes.

A sua ideia sobre o real significado da ‘posse’ deve ser esclarecida. A sua própria negação do medo (isso se refere a uma experiência visionária de Helen) introduziu alguma variação de erro, mas não uma quantidade realmente significativa. No entanto, sempre há uma chance de que, à medida que o tamanho da amostra aumenta, o que não era significativo antes PODE ATINGIR significância, então é melhor tirar isso do caminho agora, enquanto você ainda está dentro da margem de segurança.

O medo da posse é uma expressão pervertida do medo da atração irresistível de Deus.

(À parte. Sim, isso DE FATO se aplica à homossexualidade, entre outros erros, onde todo o conceito de possuir ou ‘inserir’ é um medo fundamental. É uma declaração simbólica de uma decisão invertida de NÃO inserir ou possuir o Reino . Em termos físicos, que enfatiza isso por causa do erro inerente de evitar a Alma, a criação física REAL é evitada e a gratificação da fantasia é substituída.)

A verdade ainda é que a atração de Deus é irresistível em TODOS os níveis e a aceitação dessa verdade totalmente inevitável é apenas uma questão de tempo. Mas você deve considerar se você QUER esperar, porque você PODE voltar agora, se quiser. (Nota para Helen: você está escrevendo isso com motivação imprópria, mas nós tentaremos de qualquer maneira. Se você for parar, faça-o imediatamente.)”                                               

Urtext – Esclarecimento de Termos (PERCEPÇÃO – CONHECIMENTO)

“Esse é o deslocamento que a percepção verdadeira traz: O que foi projetado para fora é visto no interior e aí o perdão permite que desapareça. Pois lá está erguido o altar ao Filho e lá o Pai é lembrado. Aqui, todas as ilusões são trazidas à verdade e colocadas sobre o altar. O que é visto do lado de fora tem que estar além do perdão, pois parece ser para sempre pecaminoso. Onde está a esperança se o pecado é visto do lado de fora? Que remédio pode esperar a culpa? Mas vistos dentro da tua mente, culpa e perdão por um instante estão juntos, lado a lado, sobre um único altar. Lá finalmente a doença e seu único remédio estão unidos em uma luz que cura. Deus veio para reivindicar o que é Dele. O perdão está completo.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 21

“’ Eu estou determinado a ver as coisas de modo diferente.’

A ideia para o dia de hoje é, obviamente, uma continuação e uma extensão da precedente. Porém dessa vez são necessários períodos específicos de exame da mente, além de aplicar a ideia para situações particulares que possam surgir. Cinco períodos de prática são recomendados e deve-se dar um minuto completo para cada um.

Nos períodos de prática, começa repetindo a ideia para ti mesmo. Depois, fecha os olhos e examina com cuidado a tua mente, procurando situações passadas, presentes ou antecipadas que te despertem raiva. A raiva pode tomar a forma de qualquer reação, desde a mais leve irritação até a fúria. A graduação da emoção que experimentas não importa. Tu virás a ser cada vez mais ciente de que um leve toque de aborrecimento nada mais é do que um véu encobrindo intensa fúria.

Tenta, portanto, não deixar que os ‘pequenos’ pensamentos de raiva te escapem durante os períodos de prática. Lembra-te de que não reconheces realmente aquilo que desperta raiva em ti e nada do que acreditas em relação a isso significa coisa alguma. Provavelmente serás tentado a demorar-te mais em certas situações ou pessoas do que em outras, com a justificativa falaciosa de que são mais óbvias. Isso não é assim. É meramente um exemplo da crença segundo a qual algumas formas de ataque são mais justificadas do que outras.

Ao investigar a tua mente procurando todas as formas nas quais pensamentos de ataque se apresentam, mantém cada uma em mente, enquanto dizes a ti mesmo:

‘Estou determinado a ver _____ (nome da pessoa) de modo diferente.’

‘Estou determinado a ver _____ (especifica a situação) de modo diferente.’

Tenta ser tão específico quanto for possível. Podes, por exemplo, focalizar a tua raiva num atributo particular de uma pessoa em particular, acreditando que a raiva se limita a esse aspecto. Se a tua percepção está sofrendo dessa forma de distorção, dize:

‘Estou determinado a ver _____ (especifica o atributo) em _____ (nome da pessoa) de modo diferente.’”

—–

Dia 22

“A posse é um conceito que tem sido tema para inúmeras distorções, algumas das quais nós listaremos a seguir:

1) Isso (posse) só pode ser associado ao corpo. Se isso ocorrer, o sexo é particularmente suscetível de ser contaminado. Posse versus ser possuído tende a ser visto como o papel masculino e feminino. Uma vez que nenhum deles será concebido como satisfatório sozinho e ambos estarão associados ao medo, essa interpretação é particularmente vulnerável à confusão psicossexual.

2) A partir de um ponto de referência de percepção equivocada bastante semelhante, a posse também pode ser associada a coisas. Isso é essencialmente uma mudança de 1) e geralmente é devida a um medo subjacente de associar posse a pessoas. Nesse sentido, é uma tentativa de PROTEGER as pessoas, como a superstição de ‘proteger o nome’, que nós mencionamos anteriormente.

Tanto 1) quanto 2) provavelmente se tornarão compulsivos por várias razões, incluindo:

a. Elas representam uma tentativa de escapar do verdadeiro impulso voltado para a posse, que não pode ser satisfeito dessa maneira.

b. Elas estabelecem metas substitutas, que geralmente são razoavelmente fáceis de alcançar.

c. Elas parecem ser relativamente inofensivas e, portanto, parecem aliviar o medo. O fato de geralmente interferirem no bom relacionamento interpessoal pode ser interpretado, nessa cultura, como falta de sofisticação por parte do OUTRO (não do eu) e isso induz a uma falsa sensação de confiança na solução, baseada na confiabilidade, NÃO na validade. Também é bastante fácil encontrar um parceiro que COMPARTILHE a ilusão. Assim, nós temos qualquer número de relacionamentos que são realmente ESTABELECIDOS com base em {posse associada a corpos} e outros que MANTEM JUNTOS principalmente por causa dos interesses conjuntos em 2) {posse associada a coisas}.

d. A ênfase manifestamente EXTERNA que ambas implicam parece ser um dispositivo de segurança e, portanto, permite uma falsa fuga de inibições muito mais básicas. Como solução de compromisso, preserva-se a ILUSÃO do relacionamento interpessoal, juntamente com a retenção do componente de falta de amor. Esse tipo de malabarismo psíquico deixa a pessoa (ou malabarista?) com uma sensação de vazio, o que de fato é perfeitamente justificado, pois está agindo por escassez. Ela então se torna cada vez mais motivada em seu comportamento, para preencher o vazio.

Quando essas soluções forem investidas de extrema crença, 1) {posse associada a corpos} leva a crimes sexuais, e 2) {posse associada a coisas} ao roubo. O cleptomaníaco é um bom exemplo desse último.

Geralmente, resultam dois tipos de distúrbios emocionais:

a. A tendência de manter a ilusão de que apenas o físico é real. Isso produz depressão.

b. A tendência de investir o físico com propriedades não físicas. Isso é essencialmente mágico e tende mais à tendência voltada para a ansiedade.

c. A tendência a vacilar de um para o outro, o que produz uma vacilação correspondente entre depressão E ansiedade.

Ambos resultam em inanição auto imposta.

3) Outro tipo de distorção é visto no medo ou desejo de posse de ‘espírito’. O termo ‘espírito’ é profundamente depreciado nesse contexto, mas implica um reconhecimento de que o corpo não é suficiente e investi-lo de magia não funcionará. Esse reconhecimento ACEITA o fato de que nem 1) {posse associada a corpos} nem 2) {posse associada a coisas} são suficientes, mas, precisamente porque não limita o medo tão estreitamente, é mais provável que produza maior medo em si só.

Dotar o Espírito de possessividade humana é um erro mais INCLUSIVO do que 1) {posse associada a corpos} ou 2) {posse associada a coisas} e um passo um pouco mais longe da ‘Mente Certa’. A projeção também é mais provável de ocorrer, com oscilações entre a grandiosidade e o medo. A ‘religião’ em sentido distorcido, também é mais provável de ocorrer nesse tipo de erro, pois a ideia de ‘espírito’ é introduzida, ainda que falaciosamente, ao mesmo tempo em que é excluída de 1) {posse associada a corpos} e 2) {posse associada a coisas}.

A feitiçaria é, portanto, particularmente apta a ser associada a 3) {posse associada a ‘espíritos’}, devido ao investimento muito maior em magia.

Deve-se notar que 1) {posse associada a corpos} envolve apenas o corpo e 2) {posse associada a coisas} envolve uma tentativa de associar coisas a atributos humanos. 3) {posse associada a ‘espíritos’}, por outro lado, é uma confusão de nível mais grave, pois dota o Espírito de atributos do MAL. Isso explica tanto o zelo religioso de seus proponentes quanto a aversão (ou medo) de seus oponentes. Ambas as atitudes derivam da mesma falsa crença.

Isso NÃO é o que a Bíblia quer dizer com “possuídos do Espírito Santo”. É interessante notar que mesmo aqueles que entenderam isso poderiam, no entanto, EXPRESSAR a sua compreensão de forma inadequada. O conceito de ‘falar em muitas línguas’ era originalmente uma injunção para comunicar a todos em sua própria língua, ou em seu próprio nível. Dificilmente pretendia falar de uma forma que NINGUÉM pudesse entender. Esse estranho erro ocorre quando as pessoas DE FATO entendem a necessidade da comunicação Universal, mas a contaminam com falácias de posse. O medo gerado por essa percepção errônea leva a um estado de conflito no qual a comunicação É tentada, mas o medo é aplacado tornando a comunicação incompreensível.

Pode-se dizer também que o medo induziu ao egoísmo, ou à regressão, porque a comunicação incompreensível dificilmente é uma oferta digna de um Filho de Deus para outro.

4) O conhecimento também pode ser interpretado equivocadamente como um meio de posse. Aqui, o conteúdo não é físico e é mais provável que a falácia subjacente seja a confusão de mente e de cérebro.

A tentativa de unir conteúdo não físico com atributos físicos é ilustrada por declarações como ‘a sede de conhecimento’. (Não, Helen, isso NÃO é o que ‘sede’ na Bíblia significa. O termo foi usado apenas por causa da compreensão limitada do homem e provavelmente é melhor descartar.)

O uso falacioso do conhecimento pode resultar em diversos erros, entre eles:

a. A ideia de que o conhecimento tornará o indivíduo mais atraente para os outros. Isso é uma falácia voltada para a posse.

b. A ideia de que o conhecimento tornará o indivíduo invulnerável. Essa é a formação de reação contra o medo subjacente da vulnerabilidade.

c. A ideia de que o conhecimento tornará o indivíduo digno. Isso é amplamente patético.”

Urtext – Esclarecimento de Termos (PERCEPÇÃO – CONHECIMENTO continuação)

“E agora o CONHECIMENTO de Deus, imutável, certo, puro e totalmente compreensível, entra no seu reino. A percepção se foi, tanto a falsa como a verdadeira. O perdão se foi, pois a sua tarefa está cumprida. E se foram os corpos na luz resplandecente sobre o altar ao Filho de Deus. Deus sabe que o altar é Seu assim como é dele. E aqui se unem, pois aqui a face de Cristo resplandeceu fazendo desaparecer o instante final do tempo e agora a última percepção do mundo não tem propósito nem causa. Pois aonde a memória de Deus veio afinal, não há mais viagem, não há crença no pecado, não há paredes, não há corpos e o apelo sombrio da culpa e da morte é abafado para sempre.

Oh, meus irmãos, se apenas conhecessem a paz que os envolverá e os manterá seguros e puros e belos na Mente de Deus, não fariam outra coisa senão correr para encontrá-Lo, lá onde está o Seu altar. Santificado seja o teu nome e o Seu, pois estão unidos aqui nesse lugar santo. Aqui, Ele Se inclina para erguer-te até Ele, para fora das ilusões rumo à santidade, para fora do mundo e para dentro da eternidade, para fora de todo o medo e de volta ao amor.

(Fim da Percepção – Conhecimento)”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 22

“’ O que eu vejo é uma forma de vingança.’

A ideia para o dia de hoje descreve precisamente o modo como alguém, que mantém pensamentos de ataque em sua mente, tem que ver o mundo. Tendo projetado a sua raiva sobre o mundo, ele vê a vingança prestes a golpeá-lo. Assim, o seu próprio ataque é percebido como autodefesa. Isso vem a ser um círculo vicioso sempre crescente até que ele esteja voluntariamente disposto a mudar o seu modo de ver. Caso contrário, pensamentos de ataque e de contra-ataque o preocuparão e povoarão o seu mundo inteiro. Que paz pode ele ter dentro da sua mente nesse caso?

É dessa fantasia selvagem que queres escapar. Não é uma notícia alegre ouvir que isso não é real? Não é uma descoberta feliz descobrir que podes escapar? Fizeste aquilo que queres destruir: tudo o que odeias e queres atacar e matar. Tudo aquilo que temes não existe.

Olha para o mundo ao teu redor pelo menos cinco vezes no dia de hoje, durante um minuto no mínimo a cada vez. Ao mover os olhos lentamente de um objeto para outro, de um corpo para outro, dize a ti mesmo:

‘Eu só vejo o que é perecível.’

‘Eu não vejo nada que vá durar.’

Ao final de cada período de prática, pergunta a ti mesmo:

‘É esse o mundo que eu realmente eu quero ver?’

A resposta é certamente óbvia.”

—–

Dia 23

“Tanto você quanto Bill devem considerar o tipo 4) {o uso falacioso do conhecimento (para tornar o indivíduo digno)} MUITO cuidadosamente. Como todas essas falácias, contém um mecanismo de negação, que entra em operação à medida que o medo aumenta, cancelando assim o erro temporariamente, mas prejudicando seriamente a eficiência.

Assim, você afirma que não sabe ler e Bill afirma que não sabe falar. Observe que a depressão é um risco real aqui, pois um Filho de Deus nunca deve REDUZIR a sua eficiência de forma alguma. A depressão vem de uma pseudosolução peculiar que diz:

Uma Criança de Deus é eficiente.
Eu não sou eficiente.
Portanto, eu não sou uma Criança de Deus.

Isso leva à resignação neurótica e esse é um estado que meramente AUMENTA a depressão.

O mecanismo de negação correspondente para 1) {posse associada a corpos} é a sensação de incapacidade FÍSICA, ou IMPOTÊNCIA. O mecanismo de negação para 2) {posse associada a coisas} é muitas vezes a falência. Colecionadores de coisas muitas vezes se dirigem muito além de seus meios financeiros, na tentativa de forçar a descontinuidade. Se essa ideia de cessação não puder ser tolerada, pode resultar um estranho compromisso envolvendo AMBOS a possessividade insaciável e o jogar fora insaciável (falência). Um exemplo é o jogador inveterado ou compulsivo, particularmente o viciado em corridas de cavalos. Aqui, o impulso conflitante é deslocado tanto de pessoas quanto de coisas e é investido em animais. A DEROGAÇÃO implícita das pessoas é a causa da superstição (subjacente) EXTREMA do viciado em corridas de cavalos.

O alcoólatra está em uma posição semelhante, exceto que a sua hostilidade é mais voltada para dentro do que para fora.”

CAPÍTULO 2 – A ILUSÃO DA SEPARAÇÃO

“Essa seção é inserida aqui porque ela trata de um mau uso mais fundamental do conhecimento, referido na Bíblia como a causa da Queda (ou Separação). Existem várias observações introdutórias que se destinam a tornar essas explicações menos assustadoras. O primeiro é um dístico que chamei a sua atenção durante os fragmentos de Sonho de uma Noite de Pleno Verão, que você ouviu ontem à noite:

‘Seja como você estava acostumada a ser
Veja como você estava acostumada a ver.’

Vale ressaltar que essas palavras foram ditas por Oberon ao libertar Titânia de seus próprios erros, tanto de ser quanto de perceber. Estas foram as palavras que restabeleceram a sua verdadeira identidade, bem como as suas verdadeiras habilidades e julgamento. A semelhança aqui é óbvia.

Existem também algumas definições, que eu pedi para você tirar do dicionário, que também serão úteis. A natureza delas um tanto incomum se deve ao fato de não serem as primeiras definições em sua aparência cronológica. No entanto, o fato de cada uma delas aparecer no dicionário deve ser tranquilizador.

Projeto (verbo): estender para frente ou para fora.

Projeto (substantivo): um plano na mente.

Mundo: uma grande divisão natural (Observe que você escreveu originalmente ‘palavra’ [word em inglês] em vez de ‘mundo’ [world em inglês].).

Nós nos referiremos mais tarde à projeção relacionada tanto à doença mental quanto à saúde mental. Também será comentado que Lúcifer literalmente se projetou do céu. Também nós observamos que o homem pode criar uma concha vazia, mas não pode criar nada afinal. Esse vazio fornece a tela para o uso equivocado da projeção.

O Jardim do Éden, que é descrito como um jardim literal na Bíblia, não era originalmente um jardim real. Era meramente um estado mental de completa falta de necessidade. Mesmo no relato literal, é digno de nota que o estado de pré-separação era essencialmente aquele em que o homem não precisava de nada. A Árvore do Conhecimento, novamente um conceito excessivamente literal (como é claramente mostrado pela referência subsequente a ‘comer do fruto da árvore’) é uma referência simbólica a alguns dos usos indevidos do conhecimento mencionados na seção imediatamente anterior a essa. Há, no entanto, um esclarecimento considerável sobre esse conceito, que deve ser entendido antes que o real significado do ‘desvio para o medo’ possa ser plenamente compreendido.”

[FIP T-2.I. As Origens da Separação]

“A projeção, como definida acima, (essa se refere ao verbo) é um atributo fundamental de Deus, que ele também deu ao seu Filho. Na Criação, Deus projetou a sua Capacidade Criativa de Si mesmo para as Almas que Ele criou e também as imbuiu do mesmo desejo amoroso (ou vontade) de criar. Nós comentamos antes sobre o erro FUNDAMENTAL envolvido em confundir o que foi criado com o que está sendo criado. Nós enfatizamos também que o homem, na medida em que o termo se refere à Alma, não apenas foi totalmente criado, mas também foi criado perfeito. Não há vazio nele. O próximo ponto também já foi feito, mas merece ser repetido aqui. A Alma, por causa de sua própria semelhança com o seu Criador, é criativa. Nenhum Filho de Deus é capaz de perder essa capacidade, porque é inerente ao que ele É.

Sempre que a projeção em seu sentido inadequado é utilizada, sempre implica que algum vazio (ou falta de tudo) deve existir e que está dentro da capacidade do homem colocar suas próprias ideias lá, EM VEZ da verdade. Se você considerar cuidadosamente o que isso implica, o seguinte se tornará bastante aparente:

Primeiro, está implícita a suposição de que o que Deus Criou pode ser mudado pela mente do Homem.

Segundo, o conceito de que o que é perfeito pode ser tornado imperfeito (ou deficiente) é introduzido.

Terceiro, a crença de que o homem pode distorcer as Criações de Deus (incluindo ele mesmo) surgiu e é tolerada.

Quarto, como o homem pode criar a si mesmo, a direção de sua própria criação depende dele.

Essas distorções relacionadas representam uma imagem do que realmente ocorreu na Separação. Nada disso existia antes, nem existe de fato agora. O mundo, como definido acima, FOI feito como uma grande divisão natural, ou projeção externa de Deus. É por isso que tudo o que Ele Criou é como Ele.”

Urtext – Esclarecimento de Termos

5. JESUS – CRISTO

“Não há necessidade de ajuda para entrares no Céu, pois nunca o deixaste. Mas há necessidade de ajuda além de ti mesmo, pois estás cercado de falsas crenças sobre a tua Identidade, Que apenas Deus estabeleceu na realidade. Ajudantes te são enviados de várias formas, embora sobre o altar todos sejam um. Além de cada um há um Pensamento de Deus e isso nunca vai mudar. Mas eles têm nomes que diferem temporariamente, pois o tempo necessita de símbolos sendo irreal em si mesmo. Seus nomes são legião, mas nós não iremos além dos nomes que o próprio curso emprega. Deus não ajuda porque Ele não conhece nenhuma necessidade. Mas Ele cria todos os Ajudantes de Seu Filho enquanto esse acredita que as suas fantasias são verdadeiras. Agradece a Deus por eles, pois eles te conduzirão ao lar.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 23

“’ Eu posso escapar desse mundo que vejo desistindo dos meus pensamentos de ataque.’

A ideia de hoje contém a única saída para o medo que terá sucesso. Nada mais funcionará, tudo o mais é sem significado. Mas esse caminho não pode falhar. Cada pensamento que tens constitui algum segmento do mundo que vês. Portanto, é com os teus pensamentos que nós temos que trabalhar, se é que a tua percepção do mundo vai ser mudada.

Se a causa do mundo que vês são pensamentos de ataque, tens que aprender que são esses pensamentos que não queres. Não há sentido em lamentar o mundo. Não há sentido em tentar mudar o mundo. Ele é incapaz de mudar, porque é meramente um efeito. Mas, de fato, há sentido em mudar os teus pensamentos sobre o mundo. Aqui estás mudando a causa. O efeito mudará automaticamente.

O mundo que vês é um mundo vingativo e tudo nele é um símbolo de vingança. Cada uma das tuas percepções da realidade externa é uma representação pictórica dos teus próprios pensamentos de ataque. Cabe realmente perguntar se isso pode ser chamado de ver. Não seria fantasia uma palavra melhor para tal processo e alucinação um termo mais apropriado para o resultado?

Tu vês o mundo que tens feito, mas não te vês como aquele que faz as imagens. Não podes ser salvo do mundo, mas podes escapar da sua causa. É isso o que a salvação significa, pois onde está o mundo que vês quando a sua causa se foi? A visão já mantém uma substituição para tudo o que pensas que vês agora. A beleza pode iluminar as tuas imagens, e assim transformá-las de tal modo que tu as amarás, embora tenham sido feitas de ódio. Pois não as estarás fazendo sozinho.

A ideia para o dia de hoje introduz o pensamento de que não estás preso numa armadilha ao mundo que vês, pois a sua causa pode ser mudada. Essa mudança requer, em primeiro lugar, que a causa seja identificada e em seguida abandonada de forma que possa ser substituída. Os dois primeiros passos deste processo requerem a tua cooperação. O último, não. As tuas imagens já foram substituídas. Ao dar os dois primeiros passos verás que isso é assim.

Além de usá-la ao longo do dia, quando a necessidade surgir, cinco períodos de prática são requeridos para a aplicação da ideia de hoje. Ao olhar à tua volta, primeiro repete lentamente a ideia para ti mesmo e depois fecha os olhos e dedica mais ou menos um minuto a examinar a tua mente, buscando tantos pensamentos de ataque quantos de ocorrerem. À medida que cada um deles cruzar a tua mente, dize:

‘Eu posso escapar do mundo que vejo desistindo dos pensamentos de ataque sobre ____.’

Mantém em mente cada pensamento de ataque ao dizer isso, depois descarta-o e passa ao seguinte.

Durante os períodos de prática, certifica-te de incluir tanto os pensamentos em que atacas quanto aqueles em que és atacado. Os seus efeitos são exatamente os mesmos. Tu ainda não reconheces isso e, nesse momento, pede-se apenas que os trates como se fossem os mesmos nos períodos de prática de hoje. Nós ainda estamos no estágio de identificar a causa do mundo que vês. Quando tu finalmente aprenderes que pensamentos nos quais atacas ou nos quais és atacado não são diferentes, estarás pronto para deixar que a causa se vá.”

—–

Imagem liana-mikah-z0LekqawELA-unsplash.jpg – 14 de outubro de 2022

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x