Tendo como base a ideia e a proposta do livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance, o objetivo dessa série de artigos do Projeto OREM® – OREM3 é analisarmos todo o material disponível e relevante sobre o Livro de Exercícios de Um Curso em Milagres para cada exercício diário, de maneira a auxiliar e facilitar o entendimento sobre o sistema de pensamento do Curso.

Para cada dia de estudo, nós estaremos incluindo também uma parte relevante do livro Texto, uma parte relevante do Material Suplementar (Cadernos de Taquigrafia de Helen Schucman e Versão Urtext de UCEM), alguns artigos relevantes de Professores Avançados e as próprias lições do Livro de Exercícios para cada dia (365 dias).

Lembrando que grande parte dos materiais suplementares (cadernos de taquigrafia de Helen e versão Urtext de UCEM), que constarão nessa série de artigos, não foram considerados na edição final de Um Curso em Milagres, por terem sido considerados “muito pessoais” pela equipe responsável pela edição1, porém importantes como material complementar, como nós veremos a seguir, por se tratar da ensinamentos compartilhados pelo autor do livro (Jesus).

Veja detalhes em artigo na Categoria “Um Curso em Milagres” de número 12 – “As versões iniciais e a edição de UCEM”.

Como diz Jeff Nance, “milagres não faltam!”

Nota: Nós consideramos que o estudante se beneficiará dessa série de artigos do Projeto OREM® a partir do momento que, já tendo concluída a leitura do livro Texto, realizado os exercícios e práticas do Livro de Exercícios e concluída a leitura do Manual de Professores, estará, portanto, nesse momento, retomando uma segunda rodada de conhecimento e entendimento do sistema de pensamento de Um Curso em Milagres (UCEM).

“Esse curso é um começo, não um fim…” (T-Prefácio)

Tradução livre Projeto OREM®

Dia 38

[FIP T-2.VIII. O Significado do Juízo Final]

“Um dos caminhos pelo qual você pode corrigir a confusão entre mágica e milagre é lembrar-lhe que você não criou a si próprio. Você está apto a esquecer disso quando você se tornar egocêntrico e isso o coloca em uma posição na qual a crença na mágica é virtualmente inevitável. O seu instinto para criar lhe foi dado pelo seu Criador, Que estava expressando o mesmo instinto na Sua Criação. Como a capacidade criativa reside na mente, tudo o que o homem cria é necessariamente instintivo.

Daí também decorre que qualquer coisa que o homem cria sozinho é real no seu modo próprio de ver, embora não na Mente de Deus. Essa distinção básica conduz diretamente ao real significado do Juízo Final.

(Eu estou ciente do fato de que você preferiria continuar com os paralelos envolvidos em outras teorias do conflito básico. No entanto, isso seria apenas um atraso no qual nós nos envolveremos apenas se você o considerar essencial.)”

O Significado do Juízo Final – A Porta de Entrada para a Vida

“O Juízo Final é um dos maiores conceitos de ameaça na percepção do homem. Isso é assim só porque ele não entende isso. O julgamento não é um atributo essencial de Deus. O homem trouxe o julgamento à existência apenas por causa da Separação. O Próprio Deus ainda é o Deus de misericórdia. Após a Separação, no entanto, havia um lugar para a justiça no esquema, porque era um dos muitos dispositivos de aprendizado que precisavam ser incorporados ao plano geral. Assim como a Separação ocorreu ao longo de muitos milhões de anos, o Juízo Final se estenderá por um período igualmente longo e talvez até mais. A sua duração depende, no entanto, da eficácia da aceleração atual.

Nós temos frequentemente notado que o milagre é um artifício para encurtar, mas não abolir o tempo. Se um número suficiente de pessoas vêm a ter, na verdade, a mentalidade voltada para o milagre, esse processo de encurtamento pode ser praticamente imensurável. Mas é essencial que esses indivíduos se libertem do medo mais cedo do que normalmente seria o caso, porque eles TÊM QUE emergir do conflito básico se quiserem trazer paz às mentes dos outros.

O Juízo Final é em geral considerado como um procedimento empreendido por Deus. Na verdade, será empreendido exclusivamente pelo homem, com a Minha ajuda. É uma cura final, ao invés de uma punição, por mais que o homem pense que a punição é merecida. Punição como um conceito está em total oposição à mentalidade certa. O objetivo do Julgamento Final é RESTAURAR A Mente Certa AO homem.

O Julgamento Final pode ser chamado de um processo de avaliação certa. Significa simplesmente que, finalmente, todos os homens têm que entender o que é digno e o que não é. Depois disso, a sua capacidade de escolha pode ser razoavelmente direcionada. A menos que essa distinção tenha sido feita, as vacilações entre vontade livre e aprisionada não podem deixar de continuar. O primeiro passo para a liberdade, então, TEM QUE envolver uma separação entre o falso e o verdadeiro. Este é um processo de separação apenas no sentido construtivo e reflete o verdadeiro significado da Revelação. O homem, em última instância, olhará para as suas próprias criações e desejará preservar apenas o que é bom, assim como o próprio Deus uma vez olhou para o que ele havia criado e sabia que ERA bom. Neste ponto, a Vontade começará a olhar com amor para as suas criações, por causa de seu grande valor. A mente inevitavelmente negará as suas criações equivocadas e, tendo retirado a crença delas, elas não existirão mais.

O termo Juízo Final é assustador, não só porque foi projetado para Deus, mas também por causa da associação de ‘Final’ com morte. Esse é um excelente exemplo de percepção de cabeça para baixo [invertida]. Na verdade, se for examinada objetivamente, fica bastante evidente que é realmente a porta de entrada para a vida. Nenhum homem que vive com medo está realmente vivo.

O seu próprio julgamento final não pode ser dirigido a si mesmo, porque ele não é a sua própria criação. Ele pode aplicá-lo significativamente e a qualquer momento, a tudo o que ele já criou e reter em sua memória real apenas o que é bom. Isso é o que a sua própria Mentalidade Certa NÃO PODE DEIXAR de ditar a você. O objetivo do tempo é apenas ‘dar-lhe tempo’ para realizar esse julgamento. É o seu próprio julgamento perfeito de sua própria criação perfeita. Quando tudo o que ele retém é amável, não há razão para que qualquer medo permaneça nele. Essa É a parte dele na Expiação.”

O Juízo Final é em geral considerado como um procedimento empreendido por Deus. Na verdade, será empreendido exclusivamente pelo homem, com a Minha ajuda. É uma cura final, ao invés de uma punição, por mais que o homem pense que a punição é merecida. Punição como um conceito está em total oposição à mentalidade certa. O objetivo do Julgamento Final é RESTAURAR A Mente Certa AO homem.

CAPÍTULO 3 – RETREINANDO A MENTE

Introdução

Atenção e Estudo são requeridos

“Todo aprendizado envolve atenção e estudo em algum nível. Esse curso é um curso de TREINAMENTO VOLTADO PARA A MENTE. Bons estudantes designam períodos de estudo para si mesmos. No entanto, uma vez que este passo óbvio não ocorreu a você e já que nós estamos cooperando nisso, eu farei a tarefa óbvia agora.

Bill é melhor em entender a necessidade de estudar as notas do que você, mas nenhum de vocês percebem que muitos dos problemas que vocês continuam enfrentando podem JÁ ter sido resolvidos lá. VOCÊ não pensa nas notas dessa maneira. Bill FAZ de vez em quando, mas geralmente diz: ‘Isso está provavelmente nas notas’ e NÃO PROCURA isso. Ele acredita que, embora ele as leia, elas não podem realmente ajudá-lo até que estejam completas.

Em primeiro lugar, ele não pode ter certeza disso a menos que tente. Em segundo lugar, elas ESTARIAM concluídas se vocês dois assim o desejassem.

Vocês sabem vagamente que o curso é destinado a algum tipo de preparação. Eu só posso dizer que vocês não estão preparados.

Eu achei engraçado quando você lembrou a Bill que ele também estava sendo preparado para algo inesperado e ele disse que não estava nem um pouco curioso sobre o que era. Esse desinteresse é muito característico dele quando está com medo. Interesse e medo NÃO andam juntos, como o seu respectivo comportamento mostra claramente.”

Urtext – Manual de Professores (Introdução continuação)

“O currículo que estabeleces é, portanto, exclusivamente determinado pelo que pensas que és e pelo que acreditas que seja para ti o relacionamento com os outros. Na situação formal de ensino, estas questões podem não ter nenhuma relação com o que pensas que estás ensinando. No entanto, é impossível não usar o conteúdo de qualquer situação a favor do que realmente ensinas e, portanto, realmente aprendes. Para isso, o conteúdo verbal do teu ensinamento é bastante irrelevante. Pode coincidir com ele ou não. É o ensinamento subjacente ao que dizes que te ensina. O ensino apenas reforça o que acreditas a teu respeito. O seu propósito fundamental é diminuir a dúvida de ti mesmo. Isso não significa que o ser que estás tentando proteger seja real. Mas significa que o ser que pensas que é real é o que ensinas.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 38

“’Não há nada que a minha santidade não possa fazer.’

A tua santidade reverte todas as leis do mundo. Está além de todas as restrições de tempo, espaço, distância e de qualquer tipo de limites. A tua santidade é totalmente ilimitada em seu poder, porque te estabelece como um Filho de Deus, uno com a Mente do seu Criador. O poder de Deus se faz manifesto através da tua santidade. O poder de Deus se faz acessível através da tua santidade. E não há nada que o poder de Deus não possa fazer.

A tua santidade, então, pode remover toda dor, dar fim a todo pesar e solucionar todos os problemas. Podes fazê-lo em relação a ti mesmo e a qualquer outra pessoa. É igual em seu poder de ajudar qualquer pessoa, porque é igual em seu poder de salvar qualquer pessoa. Se tu és santo, assim é tudo o que Deus criou. Tu és santo porque todas as coisas que Ele criou são santas. E todas as coisas que Ele criou são santas, porque tu o és.

Nos exercícios de hoje, aplicaremos o poder da tua santidade a todos os problemas, dificuldades ou a qualquer forma de sofrimento nos quais te aconteça pensar, em ti mesmo ou em uma outra pessoa. Não faremos nenhuma distinção, porque não há nenhuma distinção.

Nos quatro períodos de prática mais longos, que preferivelmente devem durar cinco minutos completos cada um, repete a ideia para o dia de hoje, fecha os olhos e em seguida examina tua mente, buscando qualquer senso de perda ou qualquer tipo de infelicidade, tal como o vês. Tenta fazer a menor distinção possível entre uma situação difícil para ti e ter uma situação difícil para outra pessoa. Identifica a situação especificamente e também o nome da pessoa a que isso concerne. Usa essa forma ao aplicar a ideia para o dia de hoje:

‘Na situação envolvendo _______ na qual eu me vejo, não há nada que a minha santidade não possa fazer.’

‘Na situação envolvendo _______ na qual ________, não há nada que a minha santidade não possa fazer.’

De vez em quando, podes querer variar esse procedimento e acrescentar alguns pensamentos relevantes que sejam teus. Por exemplo, podes querer incluir pensamentos tais como:

‘Não há nada que a minha santidade não possa fazer porque o poder de Deus está nela.’

Podes introduzir quaisquer variações que te atraiam, contanto que mantenhas os exercícios focalizados no tema:

‘Não há nada que a minha santidade não possa fazer.’

O propósito dos exercícios de hoje é começar a incutir em ti o senso de que tens domínio sobre todas as coisas devido ao que tu és.

Nas aplicações mais curtas e frequentes, aplica a ideia na sua forma original, a menos que um problema específico concernente a ti ou a outra pessoa surja ou venha à mente. Nesse caso usa a forma mais específica ao aplicar a ideia a isso.”

—–

Dia 39

“A deficiência intelectual é uma defesa que, como as demais, EXCETO a Expiação, pode ser usada em nome do erro ou da verdade, conforme eleita. Quando ocorre na REALIDADE, é um dispositivo temporário, acordado de antemão, para verificar as habilidades criativas de vontades fortes, mas direcionadas equivocadamente.

É necessário que esse uso adequado da defesa SEJA considerado real, pois do contrário não pode servir. A lição envolve não apenas o próprio indivíduo, mas também os seus pais, irmãos e todos aqueles que se relacionam com ele. O VALOR da experiência depende da necessidade de cada estudante em particular. A própria pessoa é um MAU aprendiz, por definição, apenas como um passo para mudar de um mau para um bom.

A deficiência intelectual também pode ser usada como uma defesa mal adaptativa, se o lado errado (ou de ataque) for empregado. Isso produz a ‘síndrome da pseudo deficiência intelectual’, que é justamente classificada como um sintoma psiquiátrico (ou de nível perturbado). Ambos fazem isso o tempo todo. Bill age como se não entendesse nem mesmo a sua PRÓPRIA linguagem especial, muito menos a minha e você não consegue ler nada.

Isso representa um ataque conjunto a vocês mesmos E a mim, porque torna a SUA mente fraca e a minha incompetente. Lembre-se, isso os coloca em uma posição verdadeiramente temerosa. Se vocês não conseguem entender a vossa própria mente OU a minha, vocês não SABEM o que é realmente desejado. Portanto, é IMPOSSÍVEL evitar o conflito, conforme definido anteriormente, porque mesmo que vocês ajam DE ACORDO com a vontade, vocês não saberiam isso.

A próxima parte desse curso baseia-se muito na parte anterior para não EXIGIR o seu estudo.

Sem isso, você ficará com muito medo quando o inesperado DE FATO acontecer para fazer uso construtivo dele. No entanto, ao estudar as notas, você verá algumas das implicações óbvias, a menos que ainda persista em usar equivocadamente a defesa da deficiência intelectual. Por favor, lembre-se que o seu uso construtivo, descrito acima, dificilmente é uma parte REAL do seu próprio equipamento REAL. Isso é uma defesa particularmente imprópria quando você a usa e só eu posso exortá-la a evitá-la.

A razão pela qual uma base sólida é necessária nesse momento é por causa da confusão altamente provável de ‘temeroso’ e ‘incrível’, que a maioria das pessoas faz. Você se lembrará de que nós dissemos uma vez que a admiração é inadequada em relação aos Filhos de Deus, porque você não deve sentir admiração na presença de seus próprios iguais. Mas FOI enfatizado que a admiração É uma reação adequada da Alma na presença de seu Criador.

Até agora, esse curso tem tido apenas um recurso indireto para Deus e raramente se refere a Ele diretamente. Eu enfatizei repetidamente que a admiração não é apropriada em relação a mim, por causa de nossa igualdade inerente. Tive o cuidado de esclarecer o meu próprio papel na Expiação, sem exagerar ou subestimá-lo. Eu tentei fazer exatamente as mesmas coisas em relação ao seu.

O próximo passo, no entanto, DE FATO envolve a abordagem direta ao Próprio Deus. Seria muito imprudente começar esse passo sem uma preparação muito cuidadosa, ou o espanto certamente será confundido com o medo e a experiência será mais traumática do que beatífica.

A cura [healing] é de Deus no final. Os meios são cuidadosamente explicados nas notas. O Revelação tem ocasionalmente MOSTRADO a você o fim, mas para alcançá-lo os meios são necessários.”

Como o Erro Interfere na Preparação

“(A seguinte introdução ditada por Helen sem notas.) A seguinte é a única descrição detalhada que precisa ser escrita sobre como o erro interfere na preparação. Os eventos especificamente mencionados aqui podem ser quaisquer eventos, nem de fato a sua influência particular importa. É o processo que deve ser observado aqui e não os seus resultados. O tipo de crenças e as premissas falaciosas envolvidas no pensamento equivocado são bem exemplificados aqui como em outros lugares. Não há nada de especial nos eventos descritos abaixo, EXCETO a sua natureza típica. Se esse é um verdadeiro curso de treinamento voltado para a mente, então todo o valor dessa seção reside APENAS em mostrar a você o que NÃO fazer. A ênfase mais construtiva é, naturalmente, na abordagem positiva. A observação da mente teria impedido que isso ocorresse e o fará sempre que você permitir isso.

(O que segue é de notas) Diga a Bill que a razão pela qual ele estava tão tenso ontem é porque ele se permitiu uma série de atitudes que produziam na direção do medo. Elas foram fugazes o suficiente para serem mais ilusórias do que sérios erros de vontade, mas a menos que ele observe esse tipo de coisa, ele ACHARÁ as notas temerosas e, conhecendo-o bem, ele se distanciará equivocadamente. A irritação dele não provocada era imperdoável, exceto por ele mesmo e ele não escolheu perdoar isso. VOCÊ o fez, mas eu temo que você estava sob alguma pressão ao fazê-lo. Isso foi lamentável e enfraqueceu a sua própria capacidade de se comportar de forma curativa com (Bill na época e mais tarde também com) Louis, (ambos os quais) que agiram estupidamente. Mas uma inépcia de cada vez geralmente é suficiente. (Você está chegando muito perto do uso equivocado da deficiência intelectual quando a inépcia se instala ao redor.)

Bill, já tendo se enfraquecido, foi muito não-mente-voltada-para-o-milagre, primeiro por não perguntar a Dora se ela queria uma carona (no táxi, que estava indo em sua direção). Mesmo que ela não  (desejasse isso), ela teria sido capaz de usar bem o pensamento. Provavelmente não há erro humano que provoque mais medo (no sentido de conflito de vontade/comportamento) do que combater qualquer forma de erro com erro.

O resultado pode ser altamente inflamável. (Ao reagir à inépcia de Dora com a sua própria, todos os elementos que são virtualmente certos para gerar medo foram fornecidos.)”

Urtext – Manual de Professores (Introdução continuação)

“Isso (A ideia de que o eu que você acredita ser real é o que você ensina) é inevitável. Não é possível escapar disso. Como poderia ser diferente? Todas as pessoas que seguem o currículo do mundo e todos aqui o fazem até que mudem as suas mentes, ensinam apenas para convencerem-se de que são o que não são. Nisso está o propósito do mundo. Nesse caso, o que mais poderia ser o currículo do mundo? À essa situação de aprendizado fechada e sem esperança, que nada ensina além de desespero e morte, Deus envia os Seus professores. E à medida em que ensinam as Suas lições de alegria e esperança, o seu aprendizado finalmente vem a ser completo.”

(Final da Introdução)

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 39

“’A minha santidade é a minha salvação.’

Se a culpa é o inferno, qual é o seu oposto? Como o texto para o qual esse livro de exercícios foi escrito, as ideias usadas para os exercícios são muito simples, muito claras e totalmente isentas de ambiguidade. Não estamos interessados em proezas intelectuais nem em jogos de lógica. Nós estamos lidando apenas com o que é muito óbvio, mas não tem sido visto nas nuvens de complexidade nas quais pensas que pensas.

Se a culpa é o inferno, qual é o seu oposto? Seguramente isso não é difícil. A hesitação que podes sentir em responder não se deve à ambiguidade da questão. Mas, acreditas que a culpa é o inferno? Se acreditasses, verias imediatamente o quanto o texto é direto e simples e de modo algum precisarias de um livro de exercícios. Ninguém precisa praticar para adquirir o que já é seu.

Já dissemos que a tua santidade é a salvação do mundo. E o que acontece com a tua própria salvação? Não podes dar o que não tens. Um salvador tem que ser salvo. De outra forma, como pode ele ensinar a salvação? Os exercícios de hoje se aplicarão a ti, reconhecendo que a tua salvação é crucial para a salvação do mundo. À medida que aplicas os exercícios ao teu mundo, o mundo inteiro é beneficiado.

A tua santidade é a resposta a todas as questões que jamais foram perguntadas, às que estão sendo agora, ou às que serão perguntadas no futuro. A tua santidade significa o fim da culpa e, consequentemente, o fim do inferno. A tua santidade é a salvação do mundo e a tua própria. Como poderias tu, a quem pertence a tua santidade, seres excluído? Deus desconhece o que não é santo. É possível que ele desconheça o Seu Filho?

Cinco minutos completos são recomendados com insistência para os quatro períodos de prática mais longos para o dia de hoje, e sessões de prática mais demoradas e frequentes são encorajadas se quiseres ultrapassar os requisitos mínimos, recomenda-se um número maior de sessões ao invés de sessões mais longas, embora se sugira fazer ambas.

Começa o período de prática como de costume, repetindo a ideia de hoje para ti mesmo. Em seguida, com os olhos fechados, examina os teus pensamentos de desamor, seja qual for a forma em que apareçam, depressão, raiva, medo, preocupação, ataque, insegurança e assim por diante. Qualquer que seja a forma que assumirem, não são amorosos e, portanto, são amedrontadores. Por isso é deles que precisa ser salvo.

Situações específicas, eventos ou personalidades que associas com qualquer tipos de pensamentos de desamor são sujeitos adequados para os exercícios de hoje. É imperativo para a tua salvação que tu os vejas de modo diferente. E é a tua bênção sobre eles que te salvará e te dará visão.

Lentamente, sem seleção consciente ou ênfase indevida a qualquer um em particular, examina a tua mente buscando todos os pensamentos que se interpõem entre tu e a tua salvação. Aplica a ideia para o dia de hoje a cada um deles deste modo:

‘Meus pensamentos de desamor em relação à _____ estão me mantendo no inferno. A minha santidade é a minha salvação.’

É possível que aches estes períodos de prática mais fáceis se os intercalares com vários períodos curtos, durante os quais apenas repetes lentamente a ideia de hoje para ti mesmo algumas vezes. Também podes achar útil incluir alguns intervalos curtos nos quais apenas relaxas e não pareces estar pensando em coisa alguma. A concentração constante é muito difícil a princípio. Ela virá a ser muito mais fácil à medida que a tua mente se torne mais disciplinada e menos sujeita à distração.

Enquanto isso, deves sentir-te livre para introduzir variedade nos períodos de exercícios em que qualquer forma te atraia. Contudo, ao variar o método de aplicá-la, não mudes a ideia em si. Seja como for que escolhas usá-la, a ideia deve ser expressa de modo que o seu significado seja o fato de que a tua santidade é a tua salvação. Conclui cada período de prática repetindo a ideia mais uma vez em sua forma original e acrescentando:

‘Se a culpa é o inferno, qual é o seu oposto?’

Nas aplicações mais curtas, feitas de três a quatro vezes por hora, ou mais se possível, podes perguntar essa questão a ti mesmo, repetir a ideia de hoje e preferivelmente ambas as coisas. Se surgirem tentações, uma forma particularmente útil da ideia é:

‘A minha santidade é a minha salvação disso.’”

—–

Dia 40

“Bill deve notar que essa é uma das poucas vezes que ele teve que esperar por um táxi. Ele pensou que cuidou disso segurando a porta de um táxi que veio para aquela senhora, mas ele estava enganado nessa crença. Crenças são PENSAMENTOS e, portanto, ficam sob a orientação de Cristo, NÃO sob o controle.

(Na verdade, ao dar esse táxi para ela, ele foi muito indelicado com você. Era bastante evidente que você estava extremamente resfriada e também muito atrasada. A ideia de que dar o táxi a ela iria expiar os seus erros anteriores estava singularmente fora de lugar e bem calculada para levar a mais erros. Se, em vez de tentar expiar por conta própria, ele tivesse pedido orientação, não haveria nenhuma dificuldade na situação do táxi. Não era necessário que ninguém esperasse afinal.)

O seu [de Bill] desprezo original com Dora, por causa da própria necessidade dele de chegar em casa como ele a percebia, o impediu de se beneficiar do dispositivo de economia de tempo do milagre. Ele teria chegado em casa MUITO mais rápido se tivesse tido tempo para usar o tempo corretamente.

VOCÊ ainda estava sofrendo de tensão (veja acima) e ficou bastante irritada com a garota que estava ao lado da porta do lado que bloqueava a sua abertura. (A presença dela ali tornava necessário cada vez que a porta se abria para segurá-la por muito mais tempo do que o necessário e você estava com raiva porque isso lhe causava frio. Na verdade, a menina estava cuidando da criança mais nova que estava do lado de fora e ambas eram realmente deficientes intelectuais. Se você se lembra, a garota mais velha perguntou a você muito inseguramente sobre o ônibus e você estava bem ciente na época da extrema incerteza dela.)

Teria sido muito mais sábio se você tivesse construído a confiança dela, em vez de se associar com a inépcia dela. Isso reduziu a sua própria eficiência e a única coisa que a salvou foi que você se lembrou, no táxi, de me perguntar sobre as notas (em vez de assumir que você deveria necessariamente marcar um encontro no dia seguinte e examiná-las). Bill já estava tão equivocado que não lhe ocorreu que a sua própria vontade (que ele justificou pelo conteúdo das notas recentes – um uso equivocado da verdade apenas aparentemente em seu próprio nome) poderia ser questionável. (Você mesmo tirou notas ruins aqui, porque ficou brava com ele ao lembrar disso. Embora tenha tentado fazer isso direto no táxi, não teve muito sucesso. O erro está aparecendo agora.)

Bill, assim, colocou-se em uma excelente? condição de experienciar um medo ao invés de uma reação de amor. (Você escreve sobre o uso indevido de ‘excelente’ aqui e, por favor, risque. Você AINDA está com raiva.) (Uma excelente posição para criação equivocada não é uma abordagem significativa para o problema.)

Foi de fato descortês (‘de fato’ não é necessário; isso foi o seu próprio erro; Eu NÃO estou dizendo isso com nenhuma conotação dura enfim. Eu estou apenas tentando criar melhores condições de aprendizado para os períodos de estudo. Nós queremos o mínimo de interferência possível, por MUITO boas razões.)

Agora, volte para Bill – ele FOI descortês quando lhe disse que queria manter o original (cópia da notação), tendo decidido Xerografar em sua própria vontade e justificando-o por uma interpretação muito leve do que Eu disse sobre ‘útil para os outros’. Na verdade, se ele reler a citação real, verá que REALMENTE significa ‘útil para ELE’. VOCÊ interpretou dessa forma e, francamente, isso ficou bem claro para mim na época. Mas esse tipo de coisa acontece o tempo todo. (Deve-se notar, no entanto, que o resultado não foi apenas um planejamento considerável e totalmente desnecessário por parte de Bill, mas também uma falha em utilizar o que FOI destinado a ele como uma ajuda para SI MESMO.) E antes que você fique muito satisfeita consigo mesma, eu gostaria de lembrá-la de que você também faz isso o tempo todo.

Bill agiu de forma inadequada com VOCÊ, dizendo que queria ter CERTEZA de que o original não estava perdido ou sujo. (É perceptível que, já tendo decidido o que ELE queria fazer) Isso nunca lhe ocorreu que É possível que ELE mesmo as perdesse ou sujasse, (especialmente porque ele não as havia confiado a mim. Isso é) uma forma de arrogância que ele seria muito mais feliz sem. Ele também deve notar que isso provavelmente não teria ocorrido se ele JÁ não estivesse literalmente ‘se afastado da linha de pensamento correta’. Certifique-se de dizer a ele que esse trocadilho é para tranquilizá-lo de que eu não estou com raiva. Se ele não entender, ou não gostar, EU SEI que isso não é muito bom. A razão é que ELE me colocou em uma posição onde eu realmente posso dar muito pouco a ele no momento.

Mas eu quero que ele saiba que eu estou MUITO ciente das raríssimas vezes que ele comete erros desse tipo. Ele já percorreu um longo caminho a esse respeito. Parece uma pena que ele se permita tanto desconforto com isso.

Eu sugiro a VOCÊ que nós oremos por ele e eu oro por sua total cooperação nisso. Isso corrigirá os SEUS erros e o ajudará a reagir melhor no trabalho na estante, que pode se prestar ao uso equivocado por má projeção. (Não haveria nenhum problema com a estante e talvez até mesmo nenhuma estante, se a solução do problema de armazenamento tivesse sido deixada para mim. Eu prometi guiá-lo para FORA dos problemas e certamente não os criarei para você . Mas isso significa que você não se compromete a resolvê-los sozinha. Um problema de armazenamento dificilmente é mais difícil para mim do que um problema de espaço (ver comentários em princípios especiais para trabalhadores em milagres.))”

Urtext – Manual de Professores

1. QUEM SÃO OS PROFESSORES DE DEUS?

“Professor de Deus é qualquer um que escolha sê-lo. Suas qualificações consistem somente nisso: de algum modo, em algum lugar, ele fez uma opção deliberada na qual não viu seus interesses como se estivessem à parte dos de outra pessoa. Uma vez que tenha feito isso, a sua estrada está estabelecida e a sua direção assegurada. Uma luz penetrou nas trevas. Pode ser uma única luz, mas é suficiente. Ele entrou em um acordo com Deus, mesmo se ainda não acredita Nele. Veio a ser um portador da salvação. Veio a ser um professor de Deus.”

Urtext – Workbook for Students

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 40

“’Eu sou abençoado como um Filho de Deus.’

Hoje, começaremos a reivindicar algumas das coisas felizes às quais tens direito por seres tu o que és. Longos períodos de prática não são requeridos hoje, mas períodos curtos e muito frequentes são necessários. Seria muito desejável que os empreendesses a cada dez minutos e és encorajado para que tentes adotar esse horário e segui-lo sempre que possível. Se esqueceres, tenta novamente. Se houver longas interrupções, tenta novamente. Sempre que te lembrares, tenta novamente.

Não é preciso que feches os olhos para estes períodos de exercícios, embora provavelmente tu os aches mais úteis se o fizeres. Contudo, é possível que te encontres em várias situações durante o dia em que seja impraticável fechar os olhos. Não percas um período de prática por causa disso. Podes praticar muito bem em quaisquer circunstâncias, se realmente o quiseres.

Os exercícios de hoje tomam pouco tempo e não exigem nenhum esforço. Repete a ideia para o dia de hoje e em seguida acrescenta vários atributos que associas a um Filho de Deus, aplicando-os a ti mesmo.

Por exemplo, um período de prática poderia consistir no seguinte:

‘Eu sou abençoado como um Filho de Deus. Eu sou feliz, cheio de paz, amoroso e contente.’

Um outro poderia tomar esta forma:

‘Eu sou abençoado como um Filho de Deus. Eu sou calmo, quieto, seguro e confiante.’

Se só dispuseres de um período breve, será suficiente dizer apenas que és abençoado como um Filho de Deus.”

—–

Imagem ben-white-83tkHLPgg2Q-unsplash.jpg – 22 de outubro de 2022

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x