Tendo como base a ideia e a proposta do livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance, o objetivo dessa série de artigos do Projeto OREM® – OREM3 é analisarmos todo o material disponível e relevante sobre o Livro de Exercícios de Um Curso em Milagres para cada exercício diário, de maneira a auxiliar e facilitar o entendimento sobre o sistema de pensamento do Curso.

Para cada dia de estudo, nós estaremos incluindo também uma parte relevante do livro Texto, uma parte relevante do Material Suplementar (Cadernos de Taquigrafia de Helen Schucman e Versão Urtext de UCEM), alguns artigos relevantes de Professores Avançados e as próprias lições do Livro de Exercícios para cada dia (365 dias).

Lembrando que grande parte dos materiais suplementares (cadernos de taquigrafia de Helen e versão Urtext de UCEM), que constarão nessa série de artigos, não foram considerados na edição final de Um Curso em Milagres, por terem sido considerados “muito pessoais” pela equipe responsável pela edição1, porém importantes como material complementar, como nós veremos a seguir, por se tratar da ensinamentos compartilhados pelo autor do livro (Jesus).

Veja detalhes em artigo na Categoria “Um Curso em Milagres” de número 12 – “As versões iniciais e a edição de UCEM”.

Como diz Jeff Nance, “milagres não faltam!”

Nota: Nós consideramos que o estudante se beneficiará dessa série de artigos do Projeto OREM® a partir do momento que, já tendo concluída a leitura do livro Texto, realizado os exercícios e práticas do Livro de Exercícios e concluída a leitura do Manual de Professores, estará, portanto, nesse momento, retomando uma segunda rodada de conhecimento e entendimento do sistema de pensamento de Um Curso em Milagres (UCEM).

“Esse curso é um começo, não um fim…” (T-Prefácio)

Tradução livre Projeto OREM®

Dia 132

“As leis de Deus manterão a sua mente em paz, porque a paz É a Sua Vontade e as Suas leis foram estabelecidas para sustentá-la. As leis de Deus são as leis da liberdade, mas as suas são as leis da escravidão. Como a liberdade e a escravidão são irreconciliáveis, as suas leis NÃO PODEM SER COMPREENDIDAS CONJUNTAMENTE. As leis de Deus funcionam apenas para o seu bem e não EXISTEM outras leis além das Dele. Tudo o mais é meramente SEM lei e, portanto, caótico. Mas o próprio Deus protegeu TUDO o que Ele criou COM AS SUAS leis. Portanto, tudo o que não é regido por elas não existe.

‘As leis do caos’ é uma expressão que nada significa. A criação é perfeitamente regulada por leis e o caótico é sem significado, PORQUE É SEM DEUS. Você deu a sua paz aos deuses que você fez, mas eles não existem para tirá-la de você e você NÃO pode dá-la a eles. Você NÃO é livre para desistir da liberdade, mas apenas para NEGAR isso. VOCÊ NÃO PODE FAZER O QUE DEUS NÃO PRETENDEU, porque o que Ele não pretendeu NÃO ACONTECE. Os seus deuses não trazem o caos; você os está dotando com o caos e o aceita da parte deles.

Tudo isso nunca foi. Nada a não ser as leis de Deus jamais operou e nada, exceto a Sua Vontade, jamais será. Você foi criado através das Suas leis e pela Sua Vontade e a maneira como você foi criado estabeleceu você como UM CRIADOR. O que você fez é tão indigno de você, que você dificilmente poderia desejá-lo, SE VOCÊ ESTIVESSE DISPOSTO A VER ISSO COMO É. Você não verá absolutamente nada. E A sua visão olhará AUTOMATICAMENTE além dela, para o que está EM você e ao seu redor. A realidade não pode ATRAVESSAR os obstáculos que você interpõe, mas irá envolvê-lo completamente, QUANDO VOCÊ DEIXÁ-LOS IR.

Quando você tem experienciado a proteção de Deus, a fabricação de ídolos virá a ser inconcebível. Não há imagens estranhas na Mente de Deus e o que não está na Sua Mente NÃO PODE estar na sua, porque a sua mente e a Sua são uma só Mente e essa pertence a ELE. É sua PORQUE pertence a Ele, pois a posse é compartilhar com Ele. E se é assim para Ele, é assim para você. As Suas definições SÃO as Suas leis, pois por meio delas Ele estabeleceu o universo tal como ele é. Nenhum falso deus que você possa tentar interpor entre você e sua realidade afeta a verdade de forma alguma. A paz é sua porque Deus criou você. E Ele não criou nenhuma outra coisa.

O milagre é o ato de um Filho de Deus que deixou de lado todos os falsos deuses e que convocou os seus irmãos a fazerem o mesmo. É um ato de fé, porque é o reconhecimento de que o seu irmão PODE fazê-lo.

É um chamado para o Espírito Santo na mente do seu irmão, um chamado a Ele que é fortalecido por essa união. Porque o trabalhador de milagres O tem ouvido, ele fortalece a Voz de Deus em um irmão doente enfraquecendo a sua crença na doença, da qual ele NÃO compartilha. O poder de uma mente PODE brilhar em outra, porque todas as lâmpadas de Deus foram acesas pela mesma centelha. Ela está em toda parte e é eterna.

Em muitos, apenas a centelha permanece, pois os grandes raios são obscurecidos. Entretanto, Deus tem mantido a centelha viva, de maneira que os raios nunca possam ser completamente esquecidos. Se você apenas vir a pequena centelha, aprenderá sobre a luz maior, pois os raios estão lá invisíveis. Perceber a centelha curará, mas conhecer a Luz criará. No entanto, no retorno, a pequena luz tem que ser reconhecida primeiro, pois a separação foi uma descida da magnitude à pequenez. Mas a centelha ainda é tão pura quanto a Grande Luz, porque é o chamado remanescente da Criação. Deposite toda a sua fé nisso e o próprio Deus lhe responderá”.

O milagre é o ato de um Filho de Deus que deixou de lado todos os falsos deuses e que convocou os seus irmãos a fazerem o mesmo. É um ato de fé, porque é o reconhecimento de que o seu irmão PODE fazê-lo. “

A Negação de Deus

“Os rituais do deus da doença são estranhos e muito exigentes. A alegria nunca é permitida, pois a depressão é o sinal de aliança com ele. Depressão SIGNIFICA que você negou a Deus. Os homens têm medo da blasfêmia, mas não entendem o que isso significa. Eles não reconhecem que negar a Deus é negar a sua própria identidade e, nesse sentido, o salário do pecado É a morte. O sentido é muito literal – a negação da Vida percebe o seu oposto, assim como TODAS as formas de negação substituem o que É pelo que NÃO é. Ninguém pode realmente FAZER isso, mas que você PENSA que pode e ACREDITA QUE FEZ, está fora de discussão.

Não se esqueça, entretanto, que negar a Deus inevitavelmente resultará em projeção e você acreditará que outras pessoas E NÃO VOCÊ MESMO, fizeram isso COM você. Você receberá a mensagem que der, porque é a mensagem que você QUER. Você pode acreditar que julga os seus irmãos pelas mensagens que eles dão a VOCÊ, mas você os TÊM julgado pela mensagem que você dá a ELES. Não atribua a eles a sua negação da alegria, ou você não pode ver a centelha neles, que poderia trazer alegria para VOCÊ. É a NEGAÇÃO da centelha que traz a depressão e sempre que você vê os seus irmãos SEM ela, você ESTÁ negando a Deus.

A aliança à negação de Deus é a religião do ego. O deus da doença obviamente exige a negação da saúde, porque a saúde está em oposição direta à sua própria sobrevivência. Mas considere o que isso significa para VOCÊ. A não ser que você esteja doente, você não pode manter os deuses que você fez, pois somente na doença você poderia desejá-los. A blasfêmia, então, é autodestrutiva, não destrutiva de Deus. Isso significa que você está disposto a NÃO conhecer a si mesmo, A FIM DE estar DOENTE.

Essa É a oferenda que o seu deus exige, porque, tendo-o feito a partir da sua própria insanidade, ele É uma ideia insana. Ele tem muitas formas, mas embora possa parecer muitas coisas diferentes, ele é apenas uma ideia – a negação de Deus.”

Você receberá a mensagem que der, porque é a mensagem que você QUER. Você pode acreditar que julga os seus irmãos pelas mensagens que eles dão a VOCÊ, mas você os TÊM julgado pela mensagem que você dá a ELES.

Urtext – Manual de Professores (O Que é a Justiça? cont.,)

“Reza pela justiça de Deus e não confundas a Sua misericórdia com a tua própria insanidade. A percepção pode fazer qualquer imagem que a mente deseje ver. Lembra-te disto. Nisto está o Céu ou o inferno, conforme a tua opção. A justiça de Deus aponta para o Céu apenas porque é inteiramente imparcial. Aceita todas as evidências que são trazidas diante dela, sem nada omitir e sem nada considerar separado ou à parte de tudo o resto. Só desde este ponto de vista, e somente deste, é que ela julga. Aqui, qualquer ataque ou condenação deixa de ter significado e é indefensável. A percepção descansa, a mente aquieta-se e a luz volta outra vez. A visão, agora, é restaurada. O que havia sido perdido, agora foi encontrado. A paz de Deus desce sobre o mundo inteiro e nós podemos ver. E nós podemos ver!

(Fim de O Que é a Justiça?)”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 132

“’Libero o mundo de tudo aquilo que eu pensava que fosse.

O que mantém o mundo acorrentado senão as tuas crenças? E o que pode salvar o mundo, exceto o teu Ser? A crença é, de fato, poderosa. Os pensamentos que manténs são poderosos e as ilusões são tão fortes em seus efeitos quanto a verdade. Um louco pensa que o mundo que vê é real e não duvida disso. Ele não pode ser influenciado pelo questionamento dos efeitos de seus pensamentos. A esperança da liberdade só lhe vem quando finalmente a fonte de seus pensamentos é posta em questão.

No entanto, a salvação pode ser conseguida com facilidade, pois qualquer um é livre para mudar a sua mente e com ela mudar todos os seus pensamentos. Agora a fonte do pensamento foi deslocada, pois mudar a tua mente significa que mudaste a fonte de todas as ideias que pensas ou jamais pensaste ou ainda pensarás. Liberta o passado daquilo que pensavas anteriormente. Liberta o futuro de todos os antigos pensamentos de busca do que não queres achar.

Agora, o único tempo que resta é o presente. É aqui, no presente, que o mundo é posto em liberdade. Pois, quando deixas que o passado se dissipe e liberas o futuro de todos os teus antigos medos, achas um modo de escapar e o dás ao mundo. Escravizaste o mundo com todos os teus medos, as tuas dúvidas e misérias, a tua dor e as tuas lágrimas e todos os teus pesares pressionam e mantêm o mundo prisioneiro de tuas crenças. A morte o ataca de todos os lados, porque manténs amargos pensamentos de morte dentro da tua mente.

O mundo, em si, não é nada. A tua mente tem que dar significado a ele. E o que contemplas nele são os teus desejos encenados para que possas olhar para eles e pensar que são reais. Talvez penses que não fizeste o mundo, mas que vieste contra a tua vontade ao que já havia sido feito, dificilmente esperando que os teus pensamentos pudessem lhe dar significado. Entretanto, na verdade, achaste exatamente aquilo que procuravas quando vieste.

Não há outro mundo à parte daquele que desejas e nisso está a tua liberação suprema. É só mudar a tua mente quanto ao que queres ver e todo o mundo tem que mudar em consequência. Ideias não deixam a sua fonte. Esse tema central é declarado com frequência no Livro Texto e tem que ser mantido em mente se quiseres compreender a lição para o dia de hoje. Não é o orgulho que te diz que fizeste o mundo que vês e que ele muda à medida que mudas a tua mente.

Mas é o orgulho que argumenta que vieste a um mundo que é bastante separado de ti mesmo, impermeável àquilo que pensas e bem à parte do que possas pensar que ele seja. Não há nenhum mundo! Esse é o pensamento central que o curso tenta ensinar. Nem todos estão prontos para aceitá-lo e cada um tem que ir tão longe quanto possa se permitir ser conduzido ao longo da estrada para a verdade. Ele voltará e irá ainda mais adiante, ou talvez recue por um momento para retornar outra vez.

Mas a cura é a dádiva daqueles que estão preparados para aprender que não existe nenhum mundo e que podem aceitar a lição agora. A sua prontidão para isso lhes trará a lição sob alguma forma que possam compreender e reconhecer. Alguns a vêem subitamente, à beira da morte, e erguem-se para ensiná-la. Outros acham-na em uma experiência que não é desse mundo, que lhes mostra que o mundo não existe porque o que contemplam tem que ser a verdade e, no entanto, contradiz claramente o mundo.

E alguns achá-la-ão nesse curso e nos exercícios que fazemos hoje. A ideia de hoje é verdadeira, porque o mundo não existe. E se, de fato, o mundo for a tua própria imaginação, então podes soltá-lo de todas as coisas que jamais pensaste que ele fosse, apenas mudando todos os pensamentos que lhe deram essas aparências. Os doentes são curados quando abandonas todos os pensamentos de doença e os mortos ressuscitam quando deixas os pensamentos de vida substituírem todos os pensamentos de morte que jamais tiveste.

Uma lição anterior já repetida uma vez tem que ser novamente enfatizada agora, pois contém o sólido fundamento para a ideia de hoje. Tu és como Deus te criou. Não há lugar algum onde possas sofrer, nem tempo algum que possa trazer qualquer mudança ao teu estado eterno. Como pode existir um mundo de tempo e lugar, se tu permaneces tal como Deus te criou?

O que é a lição para o dia de hoje, senão um outro modo de dizer que conhecer o teu Ser é a salvação do mundo? Libertar o mundo de todo tipo de dor é apenas mudar a tua mente sobre ti mesmo. Não existe nenhum mundo à parte das tuas ideias porque as ideias não deixam a sua fonte e tu manténs o mundo dentro da tua mente em pensamento.

No entanto, se és tal como Deus te criou, não podes pensar à parte Dele, nem fazer o que não compartilhe da Sua intemporalidade e do Seu Amor. Estas coisas são inerentes ao mundo vês? Esse mundo cria como Ele? Se não o fizer, não é real e não pode ser em absoluto. Se tu és real, o mundo que vês é falso, pois o mundo não é como a criação de Deus em todos os seus aspectos. E do mesmo modo como foste criado pelo Seu Pensamento, foram os teus pensamentos que fizeram o mundo e têm que libertá-lo para que possas conhecer os Pensamentos que compartilhas com Deus.

Libera o mundo! As tuas criações reais esperam por essa liberação para te dar a paternidade, não de ilusões, mas como Deus na verdade. Deus compartilha a Sua Paternidade contigo, que és o Seu Filho, pois Ele não faz distinções entre o que é Ele Mesmo e o que ainda é Ele. O que Ele cria não está à parte Dele, e em lugar algum o Pai chega ao fim para dar início ao Filho como algo separado de Si Mesmo.

Não existe nenhum mundo porque ele é um pensamento à parte de Deus, feito para separar o Pai e o Filho e arrancar uma parte do próprio Deus para assim destruir a Sua Integridade. Um mundo vindo dessa ideia pode ser real? Pode estar em algum lugar? Nega as ilusões, mas aceita a verdade. Nega que sejas uma sombra deixada por um momento sobre um mundo agonizante. Libera a tua mente e contemplarás um mundo liberado.

O nosso propósito hoje é o de libertar o mundo de todos os pensamentos vãos que jamais mantivemos a respeito dele e de todas as coisas vivas que vemos sobre ele. Não podem estar aí. E nós também não podemos. Pois estamos no lar que o nosso Pai estabeleceu para nós, junto com elas. E nós, que somos como Ele nos criou, nesse dia queremos liberar o mundo de cada uma das nossas ilusões para que possamos ser livres.

Começa os períodos de quinze minutos nos quais hoje praticamos por duas vezes com isso:

‘Eu, que permaneço tal como Deus me criou, quero liberar o mundo de tudo o que eu pensei que ele fosse. Pois sou real porque o mundo não o é, e quero conhecer a minha própria realidade.’

Em seguida, apenas descansa, atento mas sem tensão, e deixa a tua mente ser mudada em quietude para que o mundo seja libertado junto contigo.

Não precisas reconhecer que a cura vem a muitos irmãos do outro lado do mundo, assim como àqueles que vês por perto quando envias estes pensamentos para abençoar o mundo. Mas sentirás a tua própria liberação, embora ainda não possas compreender inteiramente que nunca poderias ser liberado sozinho.

Ao longo do dia, aumenta a liberdade transmitida a todo o mundo através das tuas ideias e dize sempre que te sentires tentado a negar o poder da simples mudança da tua mente:

‘Libero o mundo de tudo o que eu pensava que fosse, e em vez disso escolho a minha própria realidade.’”

—–

Dia 133

“A doença e a morte entraram na mente do Filho de Deus contra a Sua Vontade [contra a Vontade de Deus]. O ‘ataque a Deus’ fez com que o Seu Filho pensasse que era órfão e na sua depressão ele fez o deus da depressão. Essa foi a sua alternativa para a alegria, porque não queria aceitar o fato de que, embora fosse um criador, havia sido criado. No entanto, o Filho é impotente sem o Pai, Que É a sua única Ajuda.

Nós dissemos antes que vocês por si mesmos não podem fazer nada, mas vocês não são DE vocês mesmos. Se vocês fossem, o que vocês fizeram seria verdadeiro e vocês nunca poderiam escapar. E PORQUE vocês não fizeram a si mesmos, vocês não precisam se preocupar com nada. Os seus deuses não são nada, porque o seu Pai não os criou. Vocês não podem fazer criadores que sejam como o seu Criador, assim como Ele também não poderia ter criado um Filho que não fosse como Ele. Se a criação é compartilhar, ela não pode criar o que é diferente de si mesma. Ela pode compartilhar apenas o que ela É. A depressão é isolamento e, portanto, não poderia ter SIDO criada.

Filho de Deus, você não pecou, ​​mas tem estado muito equivocado. No entanto, isso pode ser corrigido e Deus o ajudará, sabendo que você não pode pecar contra Ele. Você O negou PORQUE o amava, sabendo que se você RECONHECESSE o seu amor por Ele, você não PODERIA negá-Lo. A sua negação de Deus, portanto, SIGNIFICA que você O ama e QUE VOCÊ TEM CONHECIMENTO QUE ELE AMA VOCÊ. Lembre-se de que o que você nega, você TEM QUE ter conhecido. E se você pode aceitar a negação, VOCÊ PODE ACEITAR O SEU DESFAZER.

O seu Pai não o negou. Ele de fato não retalia, mas Ele DE FATO chama você para voltar. Quando você pensa que Ele não respondeu ao seu chamado, É VOCÊ QUE NÃO RESPONDEU AO DELE. Ele chama por você de todas as partes da Filiação, por causa de Seu amor por Seu Filho. Se você ouvir a Sua mensagem, Ele respondeu a você e você aprenderá com Ele se você ouvir corretamente. O amor de Deus está em tudo o que Ele criou, pois o Seu Filho está em toda parte. Olhe com paz para os seus irmãos e Deus virá rapidamente para o seu coração, em gratidão por sua dádiva a Ele.

Não procure a cura no deus da doença, mas apenas no Deus do amor, pois a cura é reconhece-Lo. Quando você O reconhecer, você TERÁ O CONHECIMENTO de que Ele nunca deixou de reconhecer você e que em Seu reconhecimento DE você está o seu Ser. Você não está doente e não pode morrer. Mas você PODE se confundir com coisas que podem. Lembre-se, porém, que fazer isso É blasfêmia, pois isso significa que você está olhando sem amor para Deus e Sua Criação, da qual Ele não pode ser separado.

Só o eterno pode ser amado, pois o amor não morre. O que é de Deus é Dele para sempre e você é de Deus. Iria Ele permitir que Ele próprio sofresse? E iria Ele oferecer ao Seu Filho qualquer coisa que não fosse aceitável para Ele? Se você aceitar a si mesmo tal como Deus o criou, você será incapaz de sofrer. Entretanto, para fazer isso, você tem que reconhecê-Lo como o seu Criador. Isso não é porque você será punido de outra maneira. É meramente porque o seu reconhecimento do seu Pai É o reconhecimento de si mesmo tal como você É. O seu Pai criou você totalmente sem pecado, totalmente sem dor e totalmente livre de qualquer tipo de sofrimento. Se você O nega, você traz pecado, dor e sofrimento para a sua PRÓPRIA mente, devido ao poder que Ele deu a isso. A sua mente é capaz de criar mundos, mas também pode NEGAR o que cria, porque é livre.

Você não percebe o quanto tem negado a si mesmo e o quanto Deus, em Seu amor, queria que não fosse assim. No entanto, Ele não interferiria com você, porque não conheceria o Seu Filho se ele não fosse livre. Interferir com você seria o mesmo que atacar a ELE MESMO e Deus não é insano.

Quando você O negou, você estava insano. Você quereria que ele COMPARTILHASSE a sua insanidade? Deus nunca deixará de amar o Seu Filho e o Seu Filho nunca deixará de amá-Lo. Essa foi a condição da Criação do Seu Filho, fixada para sempre na Mente de Deus. Conhecer isso é sanidade. Negar isso é insanidade. Deus deu A ELE MESMO a você na sua criação e as Suas dádivas SÃO eternas. Você negaria a si mesmo a Ele?

A partir das suas dádivas para Ele, o Reino será devolvido para o Seu Filho. O Seu Filho excluiu-se da Sua dádiva recusando-se a aceitar o que havia sido criado PARA ele e o que ele mesmo havia criado em nome de Seu Pai. O Céu espera por seu retorno, pois foi criado como a morada do Filho de Deus. Você não está em casa em nenhum outro lugar, ou em qualquer outra condição. Não negue a si mesmo a alegria que foi criada PARA você, em troca da miséria que você fez para si mesmo. Deus lhe deu os meios para desfazer o que você fez. Ouça e você aprenderá [porque é a sua vontade; jogo com a palavra WILL] o que você é.”

Urtext – Manual de Professores

21. O QUE É A PAZ DE DEUS?

“Foi dito que há uma espécie de paz que não é deste mundo. Como é reconhecida? Como é encontrada? E, tendo sido encontrada, como pode ser mantida? Vamos considerar cada uma destas questões separadamente, pois cada uma reflete um estádio diferente ao longo do caminho.

Em primeiro lugar, como é que a paz de Deus pode ser reconhecida? A paz de Deus é reconhecida, primeiramente, por uma única coisa: em todos os aspectos não é, absolutamente, como nenhuma das experiências anteriores. Não traz à mente nada do que se passou antes. Não traz consigo nenhuma associação passada. É uma coisa inteiramente nova. Existe um contraste, sim, entre essa coisa e o passado. Mas, estranhamente, não é um contraste de diferenças verdadeiras. O passado apenas se esvai e, para o seu lugar, vem a quietude que dura para sempre. Só isto. O contraste percebido no início, simplesmente, desapareceu. A quietude alcançou todas as coisas e cobriu-as.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 133

“’Não darei valor àquilo que não tem valor.’

Às vezes, no ensino há benefício em trazer o aluno de volta a interesses práticos, particularmente depois de teres ensinado o que parece ser teórico e distante do que o aluno já aprendeu. É o que faremos hoje. Não falaremos de elevadas ideias que abrangem o mundo, mas, ao invés, disso nos deteremos nos benefícios para ti.

Tu não pedes muito da vida, mas pouco demais. Quando deixas que tua mente seja atraída para o que concerne ao corpo, por coisas que compras, por prestígio tal como é valorizado pelo mundo, estás pedindo o pesar e não a felicidade. Esse curso não tenta tirar de ti o pouco que tens. Não tenta substituir as satisfações que o mundo contém com ideias utópicas. Não há nenhuma satisfação no mundo.

Hoje vamos enumerar os critérios reais pelos quais pode-se testar tudo aquilo que pensas querer. Se não preencherem esses requisitos básicos, não são dignos de serem desejados de forma alguma, pois só podem ocupar o lugar daquilo que oferece mais. Não podes fazer as leis que governam a escolha, da mesma forma que não podes inventar alternativas entre as quais escolher. O que podes fazer é escolher, aliás, é o que tens que fazer. Mas é sábio aprender as leis que pões em movimento ao escolheres e as alternativas entre as quais escolhes.

Já enfatizamos que só existem duas alternativas, independente de quantas pareça haver. O raio de ação foi estabelecido e isso nós não podemos mudar. Seria muito pouco generoso para contigo deixar que as alternativas fossem ilimitadas e, assim, protelar a tua escolha final até que tivesses considerado todas elas no tempo, ao invés de seres trazido de forma tão clara ao lugar onde só há uma escolha que não pode deixar de ser feita.

Outra lei benigna relacionada a isso é que não há transigências naquilo que a tua escolha necessariamente traz. Ela não pode te dar só um pouco, pois não há meio termo. Cada escolha que fazes te traz tudo ou nada. Portanto, se aprenderes os testes pelos quais podes distinguir o tudo do nada, farás a melhor escolha.

Primeiro, se escolheres uma coisa que não vá durar para sempre, o que escolhes não tem valor. Um valor temporário não tem nenhum valor. O tempo nunca poderá tirar um valor que é real. Aquilo que murcha e morre nunca existiu e não faz nenhuma oferenda àquele que o escolhe. Ele é enganado pelo nada sob uma forma da qual pensa gostar.

Em seguida, se escolheres tirar alguma coisa de alguém, não ficarás com nada. Isso porque ao negares o seu direito a todas as coisas, negaste o teu próprio. Portanto, não reconhecerás as coisas que realmente tens, negando que elas existam. Aquele que busca tirar foi enganado pela ilusão de que a perda pode oferecer o ganho. Mas a perda não pode deixar de oferecer perda, e nada mais.

A tua próxima consideração é aquela em que se baseiam as outras. Por que a escolha que fazes tem valor para ti? O que atrai a tua mente para ela? A que propósito ela serve? É aqui que se é mais facilmente enganado. Pois o ego falha em reconhecer o que quer. Ele nem diz a verdade tal como a percebe, pois precisa manter a auréola que usa para proteger as suas metas, não deixando que fiquem manchadas e enferrujadas para que possas ver o quanto ele é ‘inocente’.

No entanto, a sua camuflagem é um verniz fino que só pode enganar àqueles que se contentam em ser enganados. As suas metas são óbvias para qualquer um que se dê ao trabalho de procurá-las. Aqui, o engano é duplo, pois aquele que é enganado não perceberá que apenas falhou em ganhar. Ele acreditará que serviu às metas ocultas do ego.

Mas, embora ele tente manter a auréola do ego com clareza na própria visão, não pode deixar de perceber as suas bordas manchadas e o seu núcleo enferrujado. Os seus equívocos sem efeito lhe parecerão pecados, pois olha para essa mancha como se fosse sua e para a ferrugem como um sinal de uma profunda falta de valor dentro de si mesmo. Aquele que ainda preserva as metas do ego e as serve como suas, não comete equívocos segundo os ditames do seu guia. Esse guia ensina que é um erro acreditar que pecados não passam de equívocos, pois quem sofreria pelos seus pecados se assim fosse?

E, assim, vimos ao critério de escolha mais difícil de se acreditar, pois a sua evidência está encoberta por muitos níveis de obscuridade. Se sentes qualquer culpa pela tua escolha, permitiste que as metas do ego se interpusessem entre as alternativas reais. E, assim, não reconheces que só há duas e a alternativa que pensas ter escolhido te parece amedrontadora e por demais perigosa para ser o nada que, de fato, é.

Todas as coisas têm ou não valor, são ou não são dignas de serem buscadas seja como for; são inteiramente desejáveis ou não valem o menor esforço para obtê-las. Escolher é fácil só por causa disso. A complexidade nada mais é do que um véu de fumaça que esconde o fato muito simples de que nenhuma decisão pode ser difícil.

O que ganhas aprendendo isso? Muito mais do que apenas te permitires fazer tuas escolhas com facilidade e sem dor. O próprio Céu é alcançado com mãos vazias e mentes abertas, que vêm sem nada para tudo achar, reivindicando tudo como seu. Hoje tentaremos alcançar esse estado, deixando o autoengano de lado, com uma honesta disponibilidade para só dar valor ao que é verdadeiramente valioso e real. Os nossos dois períodos de prática prolongados, de quinze minutos cada um, começam com isso:

‘Não darei valor àquilo que não tem valor, e só busco o que tem valor, pois é só isso que desejo achar.’

E então recebe aquilo que espera por todo aquele que alcança, sem cargas, a porta do Céu que se abre à medida que ele vem. Se começares a te permitir colecionar alguns fardos inúteis, ou acreditar que vês algumas decisões difíceis à tua frente, sê rápido em responder com esse simples pensamento:

‘Não darei valor àquilo que não tem valor, pois o que tem valor pertence a mim.’”

—–

Dia 134

“Se Deus conhece as Suas crianças como totalmente sem pecado, é uma blasfêmia percebê-las como culpadas e você mesmo experienciar culpa. Se Deus conhece as Suas crianças como totalmente isentas de dor, é uma blasfêmia perceber o sofrimento em qualquer lugar. Se Deus conhece que as Suas crianças são totalmente alegres, é uma blasfêmia sentir depressão. Todas essas ilusões e as muitas outras maneiras que a blasfêmia pode assumir, são RECUSAS DE ACEITAR A CRIAÇÃO TAL COMO ELA É. Se Deus criou o Seu Filho perfeito, é assim que você tem que aprender a vê-lo para aprender sobre a sua realidade. E como parte da Filiação, É ASSIM QUE VOCÊ TEM QUE VER A SI MESMO PARA APRENDER SOBRE A SUA.

Não perceba NADA do que Deus não criou, ou você O ESTÁ negando. A Paternidade Dele é a ÚNICA e ela é sua apenas porque ELE a deu a você. As suas dádivas para VOCÊ MESMO são sem significado. Mas as suas dádivas para as SUAS criações são como as Dele, porque são dadas em Seu Nome. É por isso que as suas criações são tão reais quanto as Dele. Entretanto, a Paternidade real tem que ser reconhecida, se o Filho real é para ser reconhecido. Você acredita que as coisas doentes que você fez são as suas criações reais, porque você acredita que as imagens doentes que você percebe são os Filhos de Deus.

Somente se você ACEITAR a Paternidade de Deus você terá alguma coisa, porque a Sua Paternidade LHE DEU tudo. É por isso que negá-Lo É negar a si mesmo.

A arrogância é a negação do amor, porque o amor compartilha e a arrogância retém [recusa]. Enquanto ambos lhe parecerem desejáveis, o conceito de escolha, que não é de Deus, permanecerá com você. Embora isso não seja verdadeiro na eternidade, é verdadeiro no tempo, de modo que, enquanto o tempo durar em sua mente, haverá escolhas. O próprio tempo É sua escolha. Se você quiser se lembrar da Eternidade, você tem que aprender a olhar apenas para o Eterno. Se você se permite ficar preocupado com o temporal, você está VIVENDO NO TEMPO. Como sempre, a sua escolha é determinada pelo que você valoriza. O tempo e a eternidade não podem ser reais, porque se contradizem. Se você aceitar apenas o que é intemporal como real, você começará a entender a Eternidade e a fazer com que ela seja sua.”

Urtext Capítulo 10 – Deus e o Ego

Introdução

“Ou Deus ou o ego é insano. Se você examinar a evidência DE AMBOS OS LADOS de maneira justa, você reconhecerá que isso TEM QUE ser verdadeiro. Nem Deus nem o ego propõem um sistema de pensamento parcial. Cada um é internamente consistente, mas ambos são diametralmente opostos em todos os aspectos, de maneira que a aliança parcial é impossível. Mas lembre-se de que os seus resultados são tão diferentes quanto os seus fundamentos e que as suas naturezas fundamentalmente irreconciliáveis ​​NÃO PODEM ser reconciliadas por SUAS hesitações. Nada que vive é órfão de pai, pois a vida é criação. Portanto, a sua decisão é sempre uma resposta à pergunta: ‘Quem é o meu pai?’ E você SERÁ fiel ao pai que você escolher.

No entanto, o que você diria a alguém que REALMENTE acreditasse que essa questão envolve um conflito? Se VOCÊ fez o ego, como pode o ego ter feito VOCÊ? O problema da autoridade continua sendo a ÚNICA fonte de conflito percebida, porque o ego foi FEITO a partir do desejo do Filho de Deus de ser pai de SI MESMO. O ego, então, nada mais é do que um sistema delusório no qual VOCÊ FEZ O SEU PRÓPRIO PAI. Não cometa equívocos a respeito disso. Parece insano quando é declarado com perfeita honestidade, mas o ego nunca olha para o que ele faz com perfeita honestidade. No entanto, essa é a sua premissa insana, que está cuidadosamente escondida na escura pedra angular do seu sistema de pensamento. Então, ou o ego que você fez É o seu pai, ou todo o seu sistema de pensamento não subsistirá.”

Projeção versus Extensão

“Você tem feito através da projeção, mas Deus tem criado através da extensão. A pedra angular da criação de Deus é VOCÊ, pois o sistema de pensamento DELE é luz. Lembre-se dos raios que estão aí sem serem vistos. Quanto mais você se aproxima do centro do sistema de pensamento DELE [de Deus], mais clara a luz se torna. Quanto mais perto você chega da base do sistema de pensamento do ego, mais escuro e obscuro se torna o caminho. Entretanto, mesmo a pequena centelha em sua mente é suficiente para iluminá-lo. Traga esta luz sem medo com você e a mantenha na base do sistema de pensamento do ego com coragem e boa vontade. Esteja disposto a julgá-lo com perfeita honestidade. Abra a escura pedra angular do terror sobre a qual repousa e traga-a para fora, para a luz. Lá você verá que ela se baseia inteiramente na ausência de significado e que tudo aquilo que você temia baseava-se no nada.

Meu irmão, você é parte de Deus e parte de mim. Quando você finalmente olhar para o fundamento do ego sem encolher, você também terá olhado para o nosso. Eu venho a você do nosso Pai, para oferecer tudo a você novamente. Não se recuse a manter uma escura pedra angular escondida, pois a proteção DELA não o salvará. Eu dou a você a lâmpada e irei com você. Você não empreenderá essa jornada sozinho. Eu o conduzirei ao seu verdadeiro Pai, que necessita de você, como eu. Você não responderá ao chamado do amor com alegria?”

Urtext – Manual de Professores (O que é a Paz de Deus? cont.,)

“Como se encontra esta quietude? Ninguém que se limite a procurar as suas condições pode falhar em encontrá-la. A paz de Deus nunca pode vir até onde está a raiva, pois a raiva, necessariamente, nega que a paz exista. Quem considera a raiva justificada de qualquer modo ou em qualquer circunstância, proclama que a paz não tem significado e tem de acreditar que não pode existir. Nestas condições, a paz não pode ser encontrada. Por conseguinte, o perdão é a condição necessária para se encontrar a paz de Deus. Mais: dado o perdão, tem de haver paz. Pois o que é que, além do ataque, levará à guerra? E o que é que, além da paz, é o oposto da guerra? Aqui, o contraste inicial mostra-se de forma clara e aparente. No entanto, quando se encontra a paz, a guerra é sem significado. E, agora, é o conflito que é percebido como inexistente e irreal.

Como é que se mantém a paz de Deus uma vez encontrada? O regresso da raiva, sob qualquer forma, mais uma vez fará cair a pesada cortina e com certeza regressará a crença em que a paz não pode existir. A guerra é aceite, de novo, como única realidade. Agora, tens que voltar a empunhar a tua espada, embora não reconheças que o tenhas feito. Mas aprenderás ao lembrares-te, ainda que vagamente agora, como a felicidade era tua sem a espada e, portanto, não podes deixar de teres voltado a usá-la como defesa. Para um momento agora e pensa nisto: é o conflito que queres ou a Paz de Deus é uma escolha melhor? O que te dá mais? Uma mente tranquila não é uma dádiva pequena. Não preferirias viver em vez a escolher morrer?”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 134

“’Que eu perceba o perdão tal como é.’

Revisemos o significado do ‘perdão’, pois esse pode ser distorcido e percebido como algo que implica o sacrifício indevido de uma ira justa, uma dádiva injustificada e imerecida e a negação completa da verdade. Sob esse ponto de vista, o perdão tem que ser visto como uma mera loucura excêntrica e esse curso parece basear a salvação num capricho.

Essa perspectiva distorcida do que significa o perdão é facilmente corrigida quando podes aceitar o fato de que o perdão não é pedido para o que é verdadeiro. Ele tem que se limitar ao que é falso. É irrelevante em relação a tudo, exceto ilusões. A verdade é a criação de Deus e perdoá-la nada significa. Toda a verdade pertence a Ele, reflete as Suas leis e irradia o Seu Amor. E isso precisa de perdão? Como podes perdoar àqueles que não têm pecado e que são eternamente benignos?

A tua principal dificuldade em achar um perdão genuíno da tua parte é que ainda acreditas ter que perdoar a verdade e não ilusões. Concebes o perdão como uma vã tentativa de passar por cima do que existe, ignorar a verdade num esforço injustificado de enganar-te fazendo com que uma ilusão seja verdadeira. Esse ponto de vista distorcido reflete apenas o domínio que a ideia do pecado ainda tem sobre a tua mente, do modo como tu te consideras.

Por acreditares que os teus pecados são reais, olhas para o perdão como um engano. Pois é impossível pensar que o pecado é verdadeiro e não acreditar que o perdão é uma mentira. Assim realmente o perdão não passa de um pecado, como todo o resto. Ele diz que a verdade é falsa e sorri para os corruptos como se fossem tão irrepreensíveis quanto a grama, tão brancos como a neve. Ele é delusório naquilo que pensa poder realizar. Ele quer ver o que é claramente errado como certo, o desprezível como bom.

Desse ponto de vista, o perdão não é um modo de escapar. É apenas mais um sinal de que o pecado é imperdoável; na melhor das hipóteses a ser escondido, negado ou chamado por outro nome, pois o perdão é uma traição à verdade. A culpa não pode ser perdoada. Se pecas, a tua culpa é eterna. Aqueles que forem perdoados a partir do ponto de vista de que os seus pecados são reais, são deploravelmente ridicularizados e duplamente condenados; primeiro, por si mesmos, pelo que pensam ter feito e mais uma vez por aqueles que os perdoam.

É a irrealidade do pecado que faz com que o perdão seja natural e totalmente são, um profundo alívio para aqueles que o oferecem e uma bênção serena aonde é recebido. Ele não favorece ilusões, apenas as recolhe despreocupadamente, com um pequeno sorriso e as deposita gentilmente aos pés da verdade. E lá elas desaparecem por completo.

O perdão é a única coisa que representa a verdade nas ilusões do mundo. Ele vê a sua nulidade e olha através das milhares de formas nas quais podem aparecer. Ele olha a mentira, mas não é enganado. Não atende aos gritos auto acusadores de pecadores enlouquecidos pela culpa. Ele olha para eles com olhos serenos e lhes diz apenas: ‘Meu irmão, o que pensas não é a verdade.’

A força do perdão está na honestidade que lhe é própria, tão incorrupta que vê as ilusões como ilusões e não como verdade. É por isso que ele vem a ser aquele que desfaz o engano diante das mentiras, o grande restaurador da simples verdade. Através da sua capacidade de não ver o que não existe, ele abre o caminho para a verdade que havia sido bloqueada por sonhos de culpa. Agora és livre para seguir no caminho que o teu verdadeiro perdão abre para ti. Pois, se um irmão recebe esta dádiva tua, a porta está aberta para ti mesmo.

Há uma maneira muito simples de achar a porta do perdão verdadeiro e percebê-la aberta de par em par para dar boas-vindas. Quando te sentires tentado a acusar alguém de haver pecado em qualquer forma que seja, não deixes a tua mente se deter sobre o que pensas que ele fez, pois isso é autoengano. Ao invés disso, pergunta: ‘Eu me acusaria por fazer isso?’

Dessa forma, verás as alternativas para a escolha em termos que a tornam significativa e que mantêm a tua mente tão livre de culpa e de dor quanto o próprio Deus pretendia que fosse e como é na verdade. Só as mentiras querem condenar. Na verdade, a inocência é a única coisa que existe. O perdão está entre as ilusões e a verdade, entre o mundo que vês e o que está além, entre o inferno da culpa e a porta do Céu.

Através da ponte, tão poderosa quanto o Amor que depositou sobre ela a própria bênção, todos os sonhos do mal, de ódio e de ataque são silenciosamente trazidos à verdade. Eles não são mantidos para se expandirem, provocarem tumultos e aterrorizarem o tolo sonhador que acredita neles. Esse foi gentilmente despertado do seu sonho pela compreensão de que o que ele pensava ter visto, nunca existiu. E agora não pode sentir que todas as possibilidades de escapar lhe foram negadas.

Ele não tem que lutar para se salvar. Não tem que matar os dragões que o perseguiam em seus pensamentos. E nem precisará erguer os pesados muros de pedra e as portas de ferro que o manteriam a salvo em seus pensamentos. Ele pode retirar a pesada e inútil armadura feita para acorrentar a sua mente ao medo e à miséria. O seu passo é leve e quando levanta o pé para avançar mais um passo, deixa uma estrela para trás, para indicar o caminho àqueles que o seguem.

O perdão tem que ser praticado, pois o mundo não pode perceber o seu significado, nem prover um guia para te ensinar as suas beneficências. Não existe em todo o mundo nenhum pensamento que conduza à menor compreensão das leis que ele segue e do Pensamento que ele reflete. Ele é tão alheio ao mundo quanto a tua própria realidade. E, no entanto, une a tua mente à realidade em ti.

Hoje praticamos o verdadeiro perdão para que não seja mais adiado o momento da união. Pois queremos nos encontrar com a nossa realidade em liberdade e em paz. A nossa prática vem a ser a marca dos nossos passos que iluminam o caminho para todos os nossos irmãos, que nos seguirão até a realidade que compartilhamos com eles. Para que isso possa ser realizado, vamos dar quinze minutos por duas vezes hoje e passá-los com o Guia Que entende o significado do perdão e Que nos foi enviado para ensiná-lo. Vamos pedir-Lhe:

‘Que eu perceba o perdão tal como é.’

Em seguida, escolhe um irmão conforme a orientação que Ele vai te dar e enumera os seus ‘pecados’ um por um, à medida que passam pela tua mente. Certifica-te de não te deteres em nenhum, mas reconhece que só estás usando as suas ‘ofensas’ para salvar o mundo de todas as ideias de pecado. Reflete brevemente sobre todas as coisas ruins que pensaste sobre ele e, a cada vez, pergunta a ti mesmo: ‘Eu me condenaria por fazer isso?’

Deixa que ele seja libertado de todos os pensamentos de pecado que tinhas em relação a ele. E agora estás preparado para a liberdade. Se, até esse momento, tiveres praticado com disponibilidade e honestidade, começarás a notar uma sensação de elevação, uma diminuição do peso sobre o teu peito, um sentimento de alívio nítido e profundo. O tempo remanescente deve ser dado a experimentar o fato de que escapaste de todas as pesadas correntes que buscaste colocar sobre o teu irmão, mas que foram colocadas sobre ti mesmo.

O perdão deve ser praticado o dia todo, pois haverá ainda muitos momentos em que esquecerás o seu significado e atacarás a ti mesmo. Quando isso ocorrer, permite que a tua mente veja através dessa ilusão, ao dizeres a ti mesmo:

‘Que eu perceba o perdão tal como é. Eu me acusaria por fazer isso? Não colocarei essa corrente sobre mim mesmo.’

Em tudo o que fizeres lembra-te disso:

‘Ninguém é crucificado sozinho, e no entanto ninguém pode entrar no Céu por si mesmo.’”

—–

Imagem pexels-august-de-richelieu-4260100.jpg – 6 de dezembro de 2022

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x