“Pés no chão e pontas dos dedos no Céu.”

“Algumas pessoas têm uma mente tão celestial que não são boas na terra”.

…continuação da Parte II…

Em continuação ao artigo anterior dos autores Robert Perry e Greg Mackie intitulado “Experiências de Quase-Morte (EQMs) e Um Curso em Milagres (UCEM)”, o professor Greg Mackie, desta vez, revisitou o tema acrescentando mais experiências e esclarecimentos, que transcrevemos, em tradução livre, para nosso entendimento e nossa reflexão.

O artigo completo em inglês poderá ser acessado no site https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/

[Observação: as passagens do UCEM citadas neste artigo fazem referência à edição da Foundation for Inner Peace – FIP (Fundação para a Paz Interior).]

O autor Greg Mackie esclarece ao iniciar esse artigo que, em uma matéria anterior denominada “O Curso Encontra o Mundo“, ele havia discutido as muitas semelhanças entre as experiências de quase-morte (ou “EQMs”) e Um Curso em Milagres e então prossegue:

“Desde que eu escrevi essa matéria, continuei fascinado por esse fenômeno. Recentemente, li um novo livro excelente sobre pesquisa de EQM intitulado “The Handbook of Near-Death Experiences: Thirty Years of Investigation” [“O Manual de Experiências de Quase-Morte: Trinta Anos de Investigação”].

Este livro inclui um capítulo sobre os efeitos posteriores das EQMs – as mudanças de vida e as lições de vida que essas experiências trazem para aqueles que as têm.

Essas experiências mudam permanentemente os experimentadores; os efeitos são tão profundos que, em muitos casos, eles se transformam essencialmente em novas pessoas.

Ao ler este material, fiquei impressionado com o quanto a nova pessoa que a EQM produz tem em comum com o tipo de pessoa que o Curso pretende produzir. Esse é o foco dessa matéria.

Mas primeiro, o que é uma experiência de quase-morte? Em suma, o termo “experiência de quase-morte” refere-se a um fenômeno distinto que muitas pessoas experimentaram quando quase morreram como resultado de um acidente ou doença (algumas até estavam clinicamente mortas antes de reviver) ou quando passaram por um traumático evento que as fez pensar que morreriam.

As experiências de quase-morte têm muitas características comuns, embora poucas pessoas vivenciem cada uma dessas características. (Uma minoria relata EQMs angustiantes; um pesquisador sugere que a porcentagem de EQMs angustiantes pode ser na adolescência média a alta.)

Aqui está uma descrição composta dessas características comuns do artigo em que meu artigo anterior foi baseado:

Um exemplo clássico seria começar com uma pessoa em um acidente ou emergência médica tendo uma sensação de morte física acompanhada por uma experiência fora do corpo – sentindo como se estivesse flutuando, possivelmente vendo o seu próprio corpo e arredores. A sensação não é alarmante e geralmente é de paz. Alguns sentidos, como a audição, ficam aguçados.

Segue-se um período de transição, muitas vezes descrito como um movimento rápido através de um túnel. O indivíduo entra em um reino de brilho indescritível, onde é recebido por parentes e amigos falecidos. Um ser central de luz, frequentemente interpretado como uma divindade, emana profunda alegria e amor incondicional. O indivíduo então passa por uma revisão de vida, onde as ações de uma vida inteira se desdobram em uma visão. Ele ouve ou decide que não é hora de morrer e retorna ao seu corpo, nem sempre de boa vontade.

O poder da experiência muitas vezes altera a vida. O medo da morte desaparece. O amor pela vida floresce. A espiritualidade se fortalece. Compaixão e conexão tornam-se princípios centrais.

Já podemos ver a partir dessa descrição alguns dos efeitos das EQMs que alteram a vida. Mas agora eu gostaria de voltar para aquele capítulo no “Manual de Experiências de Quase-Morte”, que resume trinta anos de pesquisa em EQMs e seus efeitos posteriores.

Como eu disse, as pessoas que passaram por experiências de quase-morte (ou “pessoas que passaram por uma EQM”) costumam ser tão transformadas que, essencialmente, se tornam novas pessoas, com novas perspectivas de vida profundas e duradouras.

Com isso em mente, vou listar brevemente alguns dos efeitos posteriores da EQM comuns que as pesquisas relataram (as linhas não relacionadas ao Curso citadas nesta seção são citações diretas do livro – especificamente o capítulo 3, pp. 42-51).

Nessas descrições dos efeitos posteriores, também vou recorrer a outros livros de EQM que li. O meu objetivo aqui é mostrar o que eu vejo como algumas semelhanças entre os efeitos que as EQMs têm sobre aqueles que as vivenciam e os efeitos que o Curso visa produzir em nós.

Efeitos posteriores da EQM e suas semelhanças com o Curso

“Perda do medo da morte.”

Este é o efeito colateral mais comum relatado. Embora muitas vezes as pessoas que tenham uma EQM ainda sintam medo da dor e do sofrimento associados ao processo de morrer, elas não temem mais a morte em si.

Por quê? Porque elas sentem que agora experimentaram a morte e viveram para contar sobre ela. Nessa experiência, elas não apenas continuaram a existir fora de seus corpos, mas em muitos casos experimentaram uma “união alegre com seu criador”.

Elas agora sabem que as suas vidas continuam além da morte, pois quem elas são é eterno.

Algumas pessoas até disseram que a morte é uma ilusão. Por que, então, temer a morte? Isso tem claras semelhanças com o Curso.

Embora o Curso não ensine que simplesmente morrer irá nos despertar automaticamente para Deus (e eu não acho que o reino descrito por pessoas que passaram por uma EQM seja idêntico ao Céu do Curso), o Curso quer que nós reconheçamos que não existe morte, nós não somos corpos, já estamos unidos ao nosso Criador e, portanto, nós não temos razão para temer a morte do corpo.

“Espiritualidade nova ou aprimorada.”

Este é outro efeito colateral extremamente comum. Pessoas que passaram por uma EQM muitas vezes relatam um encontro com “uma presença divina, muitas vezes descrita como um “ser de luz”, que “muitas vezes mostrou grande cuidado e favor para com o indivíduo.”

Na verdade, “muito cuidado” é quase um eufemismo; a maioria das pessoas descreve o amor absoluto vindo desse ser como infinitamente maior do que qualquer amor que já experimentaram.

Esse encontro forma a base dessa nova espiritualidade, uma espiritualidade que muitas vezes vai contra as crenças religiosas tradicionais que eles podem ter tido antes, que enfatizavam um Deus crítico.

O Curso também deseja despertar em nós uma nova espiritualidade, enraizada na experiência de um Deus totalmente amoroso.

“Novo senso de propósito ou missão.”

As pessoas que passaram por uma EQM frequentemente acreditam que têm uma missão especial na vida, uma missão que é “uma parte importante de um plano piedoso”.

Na verdade, muitas vezes relatam que foram mandadas de volta para cá ou decidiram voltar por conta própria para cumprir essa missão.

Da mesma forma, o Curso ensina que nós temos uma função especial no plano de Deus para a salvação e nos exorta a dedicar as nossas vidas à missão que nos foi dada:

Estou fazendo com que o plano de Deus seja perfeitamente explícito para ti e também vou te dizer qual é a tua parte nele e como é urgente que ela seja cumprida (T-5.VII.4:4).

“Autoestima elevada.”

Essa autoestima elevada decorre tanto do grande amor derramado sobre as pessoas que passaram por uma EQM pelo ser de luz, quanto do elevado senso de significado que vem de ter uma “missão divina”.

O Curso também quer que nós sintamos uma autoestima autêntica, uma estima baseada não na lista usual de traços e realizações baseados no ego, mas no reconhecimento de que nós somos eternamente amados por Deus e o nosso significado vem de compartilhar a Sua Vontade no Céu e na terra.

“Percepção alterada do corpo.”

Muitas pessoas que tiveram uma EQM têm a sensação de estar desconectadas e desidentificadas de seus corpos, até mesmo uma sensação de que estão “aprisionadas” em seus corpos.

É verdade que o corpo ainda é útil para cumprir essa missão divina, mas é uma residência extremamente limitante depois de experimentar a liberdade de se aquecer na luz.

O Curso, também, embora considere o corpo como uma ferramenta útil para cumprir a nossa função especial, quer que nós reconheçamos a natureza aprisionadora da identificação com o corpo e assimilemos totalmente a verdade de que “Eu não sou um corpo. Eu sou livre” (LE-pI.199.Título). Essa é uma ideia que ele quer que “valorizes muito” (LE-pI.199.3:1).

“Nova apreciação e entusiasmo pela vida.”

Essas pessoas passam a acreditar que cada momento da vida é precioso e têm mais prazer em “pequenas” coisas, como estar com a família e amigos.

Embora o Curso não ensine que a vida na terra é inerentemente maravilhosa, ele quer que nos lembremos constantemente de que cada momento é uma oportunidade preciosa de contribuir para a salvação (especialmente quando nós estamos com outras pessoas).

Portanto, nenhum momento deve ser desperdiçado:

Cada minuto e cada segundo te dá uma chance de salvar a ti mesmo [salvando os outros]. Não percas essas chances (T-9.VII.1:6-7).

Até nos diz que há uma urgência nisso, como nós vemos na citação acima sobre cumprir a nossa parte no plano de Deus. Como o parágrafo do qual essa citação foi tirada diz:

Mas o momento é agora (T-5.VII.4:1).

“Vivendo mais plenamente o momento.”

Em parte porque o momento atual é tão precioso, as pessoas que passaram por uma EQM não são tão obcecadas por “planejar o futuro ou preocupadas com a impressão que possam causar”.

Embora eu pense que a versão do Curso de viver o momento é diferente da noção usual de estar em contato com o mundo dos sentidos, ele tem a sua própria versão do presente: o instante santo.

Quer que nós “vivamos para sempre no instante santo, começando agora e chegando à eternidade” (T-15.IV.6:3).

Além disso, o Curso desencoraja o nosso próprio planejamento para o futuro, como nós vemos especialmente na Lição 135.

“Cura física e mental.”

Embora algumas pessoas que passaram por uma EQM relatem sofrimento após as suas EQMs (mesmo em alguns casos em que a própria EQM foi prazerosa), a maioria relata que as suas vidas foram transformadas positivamente.

Alguns relatam curas físicas milagrosas. Outras dizem que os problemas psicológicos como depressão e ansiedade diminuíram.

Aqueles que eram anteriormente suicidas relataram que as suas tendências suicidas foram reduzidas ou eliminadas.

Desnecessário dizer que o Curso também deseja que nós experimentemos uma cura física e mental milagrosa.

“Fenômenos paranormais aumentados.”

Embora nenhum deles considere essa a mudança mais importante que experimentaram, as pessoas que passaram por uma EQM relatam uma variedade de experiências psíquicas em andamento.

Isso inclui coisas como “clarividência, telepatia, precognição, intuição, orientação, experiência fora do corpo … consciência de sonhos, percepção de auras e contato com espíritos.”

O Curso, também (especialmente na Seção 25 do Manual de Professores), assume que provavelmente nós iremos desenvolver habilidades psíquicas à medida que progredimos em nossa jornada para Deus:

Uma pessoa no caminho do Curso “pode ​​muito bem desenvolver habilidades que lhe parecerão bastante surpreendentes” (MP-25.1:4).

No entanto, embora “É certo que existem muitos poderes ‘psíquicos’ que estão claramente na linha deste curso” (MP-25.2:1) e nas mãos do Espírito Santo tais habilidades “podem ser muito úteis” (MP-25.3:1), o Curso também nos aconselha a sermos cautelosos em dar importância excessiva a eles, uma vez que podem ser facilmente abusados ​​pelo ego.

“Maior capacidade de ouvir orientação espiritual.”

Uma habilidade extremamente útil que muitas pessoas relatam é uma capacidade aprimorada de se conectar com uma “fonte interna de sabedoria” que lhes dá “uma sensação de estarem sendo guiados”.

É claro que esta é uma das principais habilidades que o Curso deseja que nós desenvolvamos: a habilidade de acessar a orientação do Espírito Santo.

“Acentuada…apreciação pela natureza.”

As pessoas que passaram por uma EQM muitas vezes relatam uma conexão mais profunda com a natureza, uma experiência mais intensa e vívida do mundo natural.

À primeira vista, isso pode parecer sem paralelo no Curso, uma vez que o Curso considera o mundo físico como uma ilusão. No entanto, o Curso considera os seres por trás das formas da natureza (até mesmo grãos de areia – ver T-28.IV.9:4) como Filhos de Deus e fala brilhantemente de como nós os veremos quando os contemplarmos com o olhos de Cristo:

Toda essa beleza erguer-se-á para abençoar a tua visão à medida em que olhas para o mundo com olhos que perdoam … A menor das folhas vem a ser algo maravilhoso e um tufo de grama um sinal da perfeição de Deus” (T-17.II.6:1, 3).

“Maior comunicação com amigos falecidos, parentes e seres espirituais.”

As pessoas que passaram por uma EQM frequentemente desenvolvem uma conexão mais profunda com seres além deste mundo e são capazes de se comunicar com eles durante e depois de sua EQM.

Isso se encaixa mais uma vez com a Seção 25 do Manual de Professores, que nos diz:

A comunicação não está limitada ao pequeno escopo dos canais que o mundo reconhece (M-25.2:2).

Embora mais uma vez o Curso avise contra colocar uma ênfase indevida nisso, certamente espera que, à medida que nós progredimos na jornada, novos canais de comunicação sejam abertos, assim como a mente de Helen se abriu para Jesus.

“Redução do julgamento em relação aos outros.”

As pessoas que passaram por uma EQM muitas vezes descobrem que são “mais receptivas, tolerantes e compreensivas com as pessoas que elas tendiam a julgar no passado”.

Este é exatamente o tipo de pessoa que o Curso deseja que nos tornemos: uma pessoa que abandonou o seu severo julgamento de seus irmãos e olha para todos com os olhos gentis do perdão.

“Perda de preocupação com ‘ganho material, reconhecimento ou status’”.

Pessoas que tiveram uma EQM relatam uma mudança de uma preocupação primária com o seu próprio ganho pessoal para uma preocupação primária com o bem-estar dos outros.

Muitas vezes perdem o desejo de competir com os outros por recompensas materiais, porque a competição é “contrária à sua visão pós-EQM”.

A conexão com o Curso é óbvia: O Curso quer que nós deixemos para trás a competição pelo especialismo em suas inúmeras formas – “poder, fama, dinheiro, prazer físico” (MP-13.2:6), etc. – e mudemos o nosso foco de preocupação própria com o cuidado do bem-estar de nossos irmãos.

“Maior compaixão pelos outros … um desejo de servi-los.”

Isso decorre do ponto anterior. A principal preocupação das pessoas que tiveram uma EQM com o bem-estar dos outros expressa-se como compaixão e um chamado para servir aos outros.

“Com base em um sentimento de unidade com a humanidade decorrente de suas EQMs”, essas pessoas tornam-se mais sensíveis às necessidades dos outros e desejam atendê-las.

Na verdade, muitos precisam reavaliar o seu emprego e os seus relacionamentos à luz de sua recém-adquirida consideração pelos outros.

Essa consideração pelos outros e o desejo de servi-los é o foco principal do Curso, que nos faz repetir em uma de suas linhas mais famosas:

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil (T-2.V.A.18:2).

Quer que nós devotemos as nossas vidas para sermos verdadeiramente úteis a todos.

A importância desta devoção dificilmente pode ser superenfatizada, pois na visão do Curso há “somente uma maneira” para despertar para Deus:

Ouça um irmão pedir ajuda e lhe responda (P-2.V.8:2, 4).

“Mais abertura e liberdade para expressar nossos sentimentos.”

Pessoas que tiveram uma EQM tendem a ser mais abertas aos outros, especialmente quando se trata de “cuidar daqueles que encontraram”.

Embora o Curso não seja generoso em simplesmente expressar sentimentos por causa da expressão (especialmente sentimentos negativos, como raiva), ele quer que expressemos nossos sentimentos de carinho em nossas palavras e ações, conforme a orientação do Espírito Santo.

Quer que nós façamos de cada encontro com outra pessoa um encontro santo, no qual nós estendemos o nosso cuidado a essa pessoa e o experimentamos retornar para nós.

Devemos passar nossos dias engajados com os outros em “encontros santos nos quais se pode achar a salvação” (T-13.IV.7:7).

“Habilidades de cura aumentadas.”

Várias pessoas que passaram por uma EQM relatam habilidades de cura psíquica aumentadas e algumas começam a usar ativamente as suas habilidades com o propósito de curar outras pessoas.

Desenvolver habilidades de cura e usá-las para curar outras pessoas é o fruto culminante que o Curso quer que colhamos de nosso trabalho com ele.

Afinal, é um curso em milagres. É um curso destinado a desenvolver milagres que estendam milagres de cura a seus irmãos.

Ele quer nos levar ao ponto em que a primeira linha que Helen Schucman ouviu no ditado do Curso (sim, mesmo antes de “Este é um curso em milagres. Por favor, tome notas”) seja verdadeira para nós:

“Você verá milagres através de suas mãos através de Mim.”

Este é o caminho de casa para nós.

O tipo de pessoa que as EQMs e o Curso produzem

Agora que nós vimos uma lista dos efeitos posteriores da EQM e as suas correspondências com os efeitos que o Curso deseja produzir em nós, quero traçar um quadro geral da pessoa que vejo representada aqui. (Este é um retrato idealizado; é claro, as pessoas que passaram por uma EQM tanto quanto os estudantes do Curso ainda são bastante humanos e têm um longo caminho a percorrer antes de incorporarem totalmente este estado exaltado.)

Esta imagem tem dois traços principais.

Primeiro,

  • Eu vejo uma pessoa que tem um novo centro de gravidade que está além do mundo.
  • Essa pessoa percebe que ela não é apenas um corpo lutando com outros corpos no planeta Terra e, portanto, vencer a usual rotina competitiva não é onde está a sua felicidade.
  • Ela não está mais tão focada nas coisas mundanas. Em vez disso, essa pessoa percebe que é algo muito maior: um ser eterno amado por Deus, um ser que viverá além da barreira ilusória que chamamos de morte.
  • Ela é, como diz o ditado, um ser espiritual tendo uma experiência humana.
  • O espírito é a sua realidade.
  • A Luz do Amor que ela encontrou em sua EQM é onde está o seu centro de gravidade.

Segundo,

  • Eu vejo uma pessoa que, embora tenha um centro de gravidade além do mundo, também está amorosamente envolvida com o mundo.
  • Pode-se pensar que uma pessoa que experimentou o Grande Além pode desdenhar o mundo e estar ansiosa para deixá-lo para trás o mais rápido possível. Mas, em vez disso, essa pessoa encontra um profundo significado e alegria na vida na Terra.
  • Ela não se contenta em simplesmente escapar para a própria Luz; ela quer trazer todos com ela. Afinal, todos estão juntos, então ela não pode ir sozinha.
  • Portanto, por amor aos irmãos e irmãs, ela dedica a sua vida a se relacionar sem ego com os outros, prestando um serviço alegre a todos e cada um que encontra.
  • Ela se torna um trabalhador em milagres.
  • A Luz do Amor que ela encontrou em sua EQM a leva a se tornar a luz do mundo.

Eu me lembrei de uma declaração da médium Jeane Dixon que o próprio Jesus (no Urtext) considerou um milagre:

“Pés no chão e pontas dos dedos no Céu.”

Acho essa combinação linda, porque me parece que os seres humanos tendem a enfatizar demais um lado ou outro.

Por um lado, muitas pessoas (especialmente aquelas que não acreditam em nada além do mundo), enfatizam demais a parte mundana e se dedicam a buscar o número um ou (na melhor das hipóteses) a tornar o mundo um lugar melhor em seus termos.

Por outro lado, muitas pessoas que descobrem a espiritualidade vão para o outro lado e desprezam o mundo. Nós vemos isso, por exemplo, nos estudantes do Curso que minimizam a grande ênfase do Curso em estender a outros porque não querem “tornar o erro real”. Nas palavras atribuídas a Oliver Wendell Holmes:

“Algumas pessoas têm uma mente tão celestial que não são boas na terra”.

Mas a perspectiva das EQMs e do Curso, parece-me, nos dá o melhor dos dois mundos. As EQMs e o Curso produzem (ou no caso do Curso, visam produzir) pessoas que estão simultaneamente cientes de sua verdadeira realidade espiritual e totalmente engajadas na missão terrena de ajudar todos os outros a encontrar essa realidade.

Esta é uma visão tão amorosa do que é a vida: uma visão em que os filhos amorosos de um Deus amoroso ajudam uns aos outros a voltar para Deus. Que maravilha!

Eu quero me tornar uma pessoa assim, uma pessoa genuinamente boa, gentil e amorosa, uma verdadeira luz para o mundo. E quanto a você?

Se você sente como eu, a boa notícia é que nós não temos que esperar até que nós estejamos à beira da morte para começar a trazer essas mudanças para as nossas vidas.

Pessoas que tiveram uma EQM, na verdade, insistem que você não precisa ter uma EQM para produzir essas mudanças; você simplesmente precisa do desejo por elas e da disposição para se dedicar à tarefa de realizá-las.

Para aqueles de nós que são estudantes do Curso, isso significa trilhar o caminho do Curso com o máximo de desejo e diligência que pudermos.

Se as mudanças na vida das pessoas que passaram por uma EQM forem uma indicação, os resultados certamente valem a pena.”

Imagem pexels-min-an-1134188.jpg

Referências deste artigo

  • Fonte do material comentado: http://tinyurl.com/yzexktz
  • The Handbook of Near-Death Experiences: Thirty Years of Investigation 2nd Printing – Janice Miner Holden, Bruce Greyson, Debbie James

Referências do artigos anteriores Parte I (Nº 41) e Parte II (Nº 42)

  • A Course in Miracles Society. (2007). A course in miracles (original ed.). Omaha, NE: Author.
  • A Course in Miracles urtext. (2003). Retrieved from miraclevision.com/acim/urtext/acim-urtext-2003-upe-ready-edition.pdf
  • D., A. (n.d.). Analisa D’s NDE. Retrieved from www.nderf.org/NDERF/NDE_Experiences/Analisa%20D’s%20NDE.htm
  • Atwater, P. M. H. (2007). The big book of near-death experiences: The ultimate guide to what happens when we die. Charlottesville, VA: Hampton Roads.
  • Borg, M. J. (1994). Meeting Jesus again for the first time: The historical Jesus and the heart of contemporary faith. San Francisco, CA: HarperSanFrancisco.
  • Broome, K. (Producer). (2002). The day I died: The mind, the brain, and near-death experiences [Motion picture]. Glasgow, Scotland: British Broadcasting Corporation. Available at http://topdocumentaryfilms.com/day-i-died/
  • Foundation for Inner Peace. (2007). A course in miracles (combined vol., 3rd ed.). Mill Valley, CA: Author.
  • Hartung, A. (n.d.). Alexa’s NDE. Retrieved from www.nderf.org/NDERF/NDE_Experiences/Alexa’a%20NDE.htm
  • I., W. (n.d.). Wan I’s NDE. Retrieved from www.nderf.org/NDERF/NDE_Experiences/wan_i_nde.htm
  • Inbar, M. (2010). Doctor claims he has evidence of the afterlife. Retrieved from tinyurl.com/kspvpta
  • Lisa. (n.d.). Lisa’s NDE. Retrieved from www.nderf.org/NDERF/NDE_Experiences/Lana’s_nde.htm
  • Long, J., with Perry, P. (2010). Evidence of the afterlife: The science of near-death experiences. New York, NY: HarperOne.
  • Lundahl, C. R., & Widdison, H. A. (1997). The eternal journey: How near-death experiences illuminate our earthly lives. New York, NY: Warner Books.
  • Mackie, G. (1993). Why does the Course use masculine terms. Retrieved from www.circleofa.org/question/why-does-the-course-use-masculine-terms/
  • Moody, R. (1975). Life after life. Atlanta, GA: Mockingbird Books.
  • Moorjani, A. (2006) NDERF interview with Anita M. Retrieved from nderf.org/NDERF/NDE_Experiences/anita_m’s_nde.htm
  • Parti, R. (2014). Dr. Parti & his near-death experience. Retrieved from http://www.drparti.com/about-nde/
  • Perry, R., Mackie, G., & Watson, A. (2004). One course, two visions: A comparison of the teachings of the Circle of Atonement and Ken Wapnick on A Course in Miracles. Sedona, AZ: Circle Publishing.
  • Ring, K. (1994). Solving the riddle of frightening near-death experiences: Some testable hypotheses and a perspective based on A Course in Miracles. Journal of Near-Death Studies, 13(1), 5-22.
  • Ring, K. (1999). The greatest gift. Retrieved from www.healingcancernaturally.com/near-death-experiences-book.html
  • Ring, K. (2006). Lessons from the light: What we can learn from the near-death experience. Needham, MA: Moment Point Press.
  • Ritchie, G., & Sherrill, E. (2007). Return from tomorrow. Grand Rapids, MI: Chosen Books.
  • Schucman, H. (2009). Autobiography. Temecula, CA: Foundation for A Course in Miracles.
  • Skutch, R. (2004). Journey without distance: The story behind A Course in Miracles. Mill Valley, CA: Foundation for Inner Peace.
  • Smith, J. (2008). Near death experience: Light of God. Retrieved from www.youtube.com/watch?v=pmL85IGtrTU
  • Vahle, N. (2009). A course in miracles: The lives of Helen Schucman and William Thetford. San Francisco, CA: Open View Press.
  • Wapnick, K. (1999). Absence from felicity: The story of Helen Schucman and her scribing of A Course in Miracles (2nd ed.). Temecula, CA: Foundation for A Course in Miracles.
  • Wapnick, K., & Wapnick, G. (1995). The most commonly asked questions about A Course in Miracles. Temecula, CA: Foundation for A Course in Miracles.
  • Weiler, D. S. (2007). Dead is just a four-letter word. Retrieved from 4herway.com/4letterword/thebook.html
  • Whitfield, B. H. (1995). Spiritual awakenings: Insights of the near-death experience and other doorways to our soul. Deerfield Beach, FL: Health Communications.
  • Whitfield, B. H. (2010). The natural soul. USA: Muse House Press/Pennington.
  • Williamson, M. (1992). A return to love. New York, NY: HarperCollins.
  • Zingrone, N., & Alvarado, C. (2009). Pleasurable Western adult near-death experiences: Features, circumstances, and incidence. In J. M. Holden, B. Greyson, & D. James (Eds.), The handbook of near-death experiences: Thirty years of investigation (pp. 17-40). Santa Barbara, CA: Praeger/ABC-CLIO.

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x