Estamos destacando 3 artigos sobre a Psicologia Huna no mundo dos negócios, para o nosso conhecimento e entendimento desta ferramenta alternativa que  visa a reincorporação da Espiritualidade no Ambiente Empresarial.

Artigos transcritos do site Aloha International – Huna From Hawaii, em tradução livre Projeto OREM®

Huna para Executivos de Negócios

Artigo “Huna for Business Executives” – Por Jim Fallon

Site Aloha International http://www.huna.org/html/teaching.html

“Nos últimos anos, tem se tornado cada vez mais difícil para os negócios e a indústria se manterem competitivos. Com mais dados sendo gerados por mais e mais computadores, tem havido uma tendência a cair em uma postura de ‘gerenciar pelos números’.

A ênfase tem sido no uso da racionalidade e da lógica na resolução de problemas e na tomada de decisões, usando pesquisa operacional, ciência da administração, modelagem e o desenvolvimento de computadores que ‘pensam’. Vemos isso agora em carros que dirigem para você, programas que tomam decisões de negociação no mercado de ações e robôs que realizam cirurgias. A questão aqui é que nós estamos entregando ou transferindo o nosso poder interior para as máquinas.

Agora há evidências que sugerem que o ‘jogador de palpites’ bem-sucedido – uma pessoa que toma decisões com base em palpites em vez de fatos ou evidências – pode ter algo mais sólido a seu favor do que as probabilidades.

Projetos de pesquisa apoiam fortemente a ideia de que alguns executivos têm mais capacidade pré-cognitiva do que outros. Ou seja, eles são mais capazes de antecipar o futuro intuitivamente do que logicamente e, assim, quando colocados em posições onde o suporte de dados forte pode nem sempre existir, eles tomarão as melhores decisões. E esses executivos ganharam mais dinheiro para si e para as suas empresas.

Como isso é feito?

Aqui estão algumas técnicas, baseadas na ideia de que todos estão sempre transmitindo as suas memórias, pensamentos e sentimentos e que é possível sintonizar os mais fortes.

1. Grokking* (fusão mental ou projeção mental na direção de um objeto ou pessoa para obter informações)

[*Oxford English Dictionary define ‘grok’ como ‘entender intuitivamente ou por empatia, estabelecer relacionamento com’ e ‘empatizar ou comunicar-se simpaticamente (com), também, experimentar o prazer’.]

Para fazer isso, você simplesmente pega uma réplica mental da cabeça da pessoa e a coloca sobre a sua e você obtém os pensamentos dela. Tudo está conectado, não há limites e você pode se comunicar subjetivamente com o Ku** [Mente Subconsciente] dessa pessoa.

[**Na filosofia e psicologia Kahuna [Psicofilosofia Huna], o homem é um ser espiritual com três aspectos representados por Kane [Aumakua, Mente Supraconsciente, Eu-Deus, Pai], Ku [Unihipili, Corpo-Mente, Mente Subconsciente, Criança, Filho] e Lono [Uhane, Intelecto, Mente Consciente, Mãe]. No estado ideal, os três funcionam como um só, representado por Kanaloa [O Homem Ideal] e nesse estado o homem também é capaz de expressar o seu pleno potencial. Por motivos diversos, pode ocorrer  a desunião, causando uma quebra de comunicação entre os três aspectos e uma diminuição da efetividade do homem na vida. Para reconquistar essa efetividade, os Kahunas devem primeiro ensinar como reunificar Lono e Ku, o  intelecto e o corpo-mente, ou o consciente e o subconsciente. Dependendo do sucesso dessa reunificação, a união com o Kane também ocorre. Evidentemente, nós não falamos aqui de uma reunificação física, pois não existe uma real separação e sim da reunificação através da percepção aumentada. Fonte: Serge Kahili King – Livro “Magia e Cura Kahuna”]

Apenas visualize que a cabeça da pessoa é como um capacete e coloque-o. Agora visualize olhar através dos olhos dela. Visualize ouvir através dos ouvidos dela. Visualize sentir através do corpo físico dela. Visualize pensar através do cérebro dela. Agora faça perguntas com os seus próprios pensamentos mentais. A resposta de retorno ou símbolo ou sentimento é a resposta da pessoa.

2. The Garden Tiki, do artigo do Dr. Serge Kahili King ‘Technique Touch-ups.’ Isso envolve a possibilidade de entrar no Jardim Interior de outra pessoa e ajudar a resolver problemas para elas ou para obter informações.

‘The Inner Garden [O Jardim Interior], a partir de Imaginando para a Saúde, Dominando o seu Eu Oculto e Xamã Urbano. Também chamada de ‘The Garden Tiki’, esta técnica é familiar para a maioria dos meus estudantes, alguns dos quais também estão familiarizados com a seguinte variação que não está em meus livros.

O Jardim geralmente é ensinado como um espaço interior simbólico onde você pode trabalhar em seus problemas pessoais, descobrir coisas sobre si mesmo, ser criativo, convidar os espíritos dos convidados e usar como base para aventuras interiores mais profundas. Não de acordo com o meu ponto de vista, porém, está a possibilidade de entrar no Jardim de outra pessoa e ajudar a resolver problemas para ela.

Agora, antes de começar a se preocupar com a invasão de privacidade e manipulação, é muito importante entender que você não pode realmente entrar no Jardim Interior de outra pessoa. O que você pode fazer, porém, é inserir a sua versão do Jardim de outra pessoa. Em outras palavras, depois de entrar em seu próprio Jardim, você toma a decisão de encontrar um caminho para o Jardim de outra pessoa. Então a sua própria imaginação, subconsciente e Eu Superior se combinam para criar um fac-símile do Jardim dessa pessoa, construído a partir do que você sabe ou pensa sobre essa pessoa. O foco na pessoa cria uma conexão telepática.

Quando você está na sua versão daquele Jardim e pede um símbolo do problema daquela pessoa e o cura, esta informação sai pela conexão e é recebida como uma sugestão que a pessoa pode aceitar ou rejeitar. Quanto mais a pessoa realmente deseja uma mudança positiva, naturalmente, maior a probabilidade de ela aceitar a informação e usá-la à sua maneira. Você sempre pode ajudar, mas nunca controlar.

Esta é uma boa técnica para lidar com funcionários ‘problemáticos’. Aqui está uma variação desta técnica:

Você pode ‘convidar’ alguém para se juntar a você em seu próprio Jardim Interno. Basta imaginar que a pessoa chega de alguma forma. Claro, esta é apenas a sua versão da pessoa, mas, como mencionado acima, isso estabelece uma conexão telepática. Você pode convidar um competidor e perguntar a ele: ‘O que há de novo nesta temporada?’ Você pode convidar um legislador e perguntar sobre as mudanças fiscais que haverá este ano. Se você estiver envolvido em uma ação judicial, você pode convidar o advogado de oposição e perguntar qual será a estratégia dele. Você pode obter orientação profissional, como do psicólogo, ou se for algum outro tipo de problema, de um consultor de relações públicas ou de um especialista em marketing.

Você pode convidar um famoso vidente. A maneira de realizar isso é fazer a pergunta a essa pessoa especial. Então desconecte – limpe a sua mente pensando em outra coisa. Então comece a pensar novamente para descobrir a resposta. Os pensamentos que vêm a você são o que você pode receber telepaticamente dessa pessoa. Pense em possíveis respostas. Você pode usar múltipla escolha, se preferir. Se você quiser decidir como anunciar, pode perguntar o que é melhor, revistas, TV ou e-mail marketing. Então, limpe a sua mente, pense em outra coisa. Quando você volta à pergunta, que ideias vêm a você? Digamos que a resposta seja TV, então você pode perguntar o que é melhor, TV ou internet e-mail marketing? Mais uma vez, aquilo que vem até você é o único a ficar.

Aqui está outra ideia. Você pode usar as experiências de outras pessoas como se essas experiências fossem suas. Por exemplo, eles podem ter uma habilidade que você está tentando aprender.

3. Vá para o seu jardim. Crie mentalmente a pessoa que está na sua frente. Pergunte a ela o que fazer e como fazer. Suponha que tudo o que vier à sua mente é a resposta dela. Você estará pensando como se tivesse de fato pensado nisso, mas pensou nisso com as informações que conseguiu receber dela.”

A Ética da Huna

Artigo “The Ethics of Huna” – Por Serge Kahili King

Site Aloha International http://www.huna.org/html/ethuna.html

“De tempos em tempos me perguntam sobre o lado ético da Huna porque à primeira vista os Princípios parecem amorais. Ou seja, incomoda algumas pessoas porque não parece haver diretrizes claras de comportamento, nem dever de um ponto de vista pessoal ou dever eticamente correto.

No entanto, como é apropriado para o ‘conhecimento oculto’, a ética está implícita nos Princípios. Se você os usar logicamente, você não pode deixar de ser ético. Vamos examiná-los um por um, sob essa luz.”

O princípio básico da Psicofilosofia Huna é não ferir, isto é, não causar sofrimento a si mesmo, aos outros e à natureza.

Como base para entendimento do exposto a seguir, destacamos os princípios da Psicofilosofia Huna:

  1. O mundo é o que você pensa que ele é.
  2. Não há limites.
  3. A energia flui para onde vai a atenção.
  4. Agora é o momento de poder.
  5. Amar é ser feliz com…
  6. Todo poder vem de dentro.
  7. A eficácia é a medida da verdade.

“Se você aceita que o mundo é o que você pensa que é, consciente e subconscientemente, então só faz sentido trabalhar para mudar as suas crenças para melhor, a fim de ter uma vida melhor. Afinal, nós estamos falando de sua experiência subjetiva do mundo, não de um mundo objetivo imaginado. Goste ou não, a realidade subjetiva é tudo que você vai conseguir.

Uma implicação fascinante disso é que a sua própria experiência subjetiva lhe dirá claramente como você está se saindo no departamento de pensamentos. A vida será boa na medida em que o seu pensamento for bom. Você não pode se esconder de suas crenças.

Se não há limites, então o universo é infinito. Alguns cientistas gostam de especular sobre os múltiplos universos e até múltiplos infinitos, mas estão apenas brincando com palavras. ‘Universo’ significa a coisa toda, e ‘infinito’ significa, bem, infinito. A ideia de um universo infinito implica que tudo está em toda parte e em todos os momentos, o que implica que cada parte dele é infinita. E isso implica que você também é. O que finalmente implica que você está sempre se encontrando, de uma forma ou de outra. Portanto, faz sentido ser gentil com o seu próximo, porque o seu próximo é você mesmo.

Dizer que a energia flui para onde vai a atenção implica que o efeito da atenção sustentada, consciente ou subconsciente, é dar poder ao objeto da atenção. Permaneça na doença e a doença aumentará em sua vida; dedique-se à felicidade e você terá mais dela; foco na falta e a falta será mais evidente; foco na abundância e a abundância será abundante. É claro que, se o seu foco for misto, você obterá resultados mistos. Não é preciso muita inteligência para descobrir que vale a pena prestar atenção à sua atenção.

Se agora é realmente o momento de poder, então cada momento é uma oportunidade de mudar a sua vida para melhor, que é o que todo mundo está tentando fazer de qualquer maneira. A qualquer momento, livre de considerações passadas ou futuras, a mudança pode acontecer instantaneamente. O mais interessante disso é que, quando a mente ou o corpo têm essa oportunidade, eles automaticamente se movem em direção à paz e à felicidade, como se a ética já estivesse embutida.

Se você define o amor como o comportamento de ser feliz com alguém ou alguma coisa, então aumentar o seu amor é uma coisa prática a se fazer, se você quer ser feliz. Os antigos sábios que desenvolveram essas ideias notaram o curioso fato de que a felicidade aumenta à medida que a felicidade aumenta, o que significa que você precisa espalhá-la para mantê-la. Esse tipo de felicidade não implica um tipo de felicidade tonta, despreocupada e positiva. A palavra ‘aloha’, amor, da qual deriva o princípio, também inclui os conceitos de misericórdia, compaixão, graça, caridade e todas as outras coisas boas que vêm sob o nome de amor (ela não inclui nenhuma das coisas ruins). Ao praticar o amor, você aumenta o amor e a felicidade para todos os envolvidos.

Se todo o poder vem de dentro, uma ideia que decorre logicamente do segundo princípio, então tudo tem a mesma fonte de poder. A diferença está na maneira e habilidade com que é aplicado. No entanto, há um aspecto do poder que é frequentemente negligenciado. Poder é a capacidade de usar o poder para empoderar. A energia hidrelétrica vem do poder da queda de água para capacitar as máquinas a gerar eletricidade. O poder político vem do poder de uma sociedade para capacitar os indivíduos para dar ordens ou aprovar legislação. O poder não tem um único começo, fim ou fonte. Continua mudando de foco. À medida que mais pessoas se conscientizam de seu poder de empoderar, elas naturalmente darão a ele [poder] uma consideração mais cuidadosa.

Se a eficácia for usada como a medida da verdade, o que muitas vezes acontece em nossas vidas diárias em algumas áreas e não em outras, então o feedback de nossa experiência nos guiará facilmente para um comportamento mais eficaz. Essa ideia é baseada em uma palavra havaiana, ‘pono’, um conceito de bondade, retidão ou adequação. Como usada na cultura antiga, significava o maior bem para o maior número, não conforme definido por algumas regras arbitrárias, mas pela experiência real de sucesso, prosperidade, saúde e felicidade. Nesse sentido, então, a veracidade de suas ações será demonstrada pelos resultados à medida que forem vivenciados por todos os envolvidos.

Na história da ética, de acordo com a Enciclopédia Funk e Wagnalls, ‘há três padrões principais de conduta, cada um dos quais foi proposto como o bem maior: felicidade ou prazer; dever, virtude ou obrigação; e perfeição, o mais pleno desenvolvimento harmonioso do potencial humano’. A ética da Huna inclui todos os três.”

Huna e Coaching

Artigo “Huna for Business Executives” – Por Jim Fallon

Artigo “Huna and Coaching” – Por Pete Dalton

Site Aloha International http://www.huna.org/html/HunaCoaching.pdf

‘A‘ ohe ‘ulu e loa‘a i ka pōkole o ka lou.
Nenhuma fruta-pão pode ser alcançada quando a vara de colheita é muito curta.
Não há sucesso sem preparação.

“Nesse artigo, eu dou uma breve olhada em como a Huna fornece uma estrutura útil para enquadrar o coaching.

O que é coaching?

Uma das definições que a International Coaching Community dá de coaching é:

  • Ajudar pessoas a mudarem da maneira que elas desejam e ajudá-las a seguir na direção que elas querem ir.
  • O coaching ajuda pessoas em todos os níveis a se tornarem quem elas querem ser.
  • O coaching cria consciência no nível da realidade, empodera a escolha e leva à mudança.

O coaching se distingue da terapia, pois geralmente é sobre onde alguém está agora e o que deseja alcançar e o que permitirá que a lacuna entre os dois seja preenchida. Apesar disso, pode haver bloqueios no caminho e o coaching pode ajudar a remover esses bloqueios. O coaching empodera, pois facilita o processo do coachee [cliente do coaching] obter os seus próprios insights e fazer as suas próprias mudanças.

O coaching geralmente se concentra em dois níveis:

  • interno: consciência no nível da realidade e mentalidade.
  • externo: agindo no mundo.

O propósito do coaching é essencialmente trazer algum tipo de mudança e manifestar algo novo.

Huna como uma estrutura de coaching

É evidente que a Huna pode ser aplicada como uma excelente estrutura para o coaching. Ela fornece uma estrutura poderosa que pode ser aplicada em uma variedade de contextos diferentes. Além disso, há uma variedade de ferramentas e técnicas dentro dessa estrutura que podem ajudar os clientes de coaching a lidar com os desafios e apoiar os seus objetivos. Enquanto a Filosofia Huna deriva de antigas crenças Havaianas, os princípios são atemporais e se concentram em sua utilidade, praticidade e eficácia, o que a torna uma excelente abordagem para lidar com a maioria dos problemas modernos.

Contextos

A abordagem da Huna coaching pode ser aplicada a muitos contextos diferentes1. A seguir estão algumas áreas em que eu me concentro, no entanto, as possibilidades além disso são vastas:

NB: para efeitos desse artigo, eu estou me referindo ao uso em Huna para coaching em qualquer contexto. Huna coaching também é um termo usado para se referir a treinar pessoas para viver a Filosofia Huna e aprender como incorporá-la em suas vidas. Claro, a própria Huna se presta perfeitamente como uma estrutura para coaching no uso da Huna também!

Desenvolvimento pessoal: ex. aplicado ou existencial. Coaching de profundidade, autodescoberta, aumentando a eficácia, explorando a aventura da vida

Relacionamentos: ex. mudanças e melhorias em uma gama de conteúdos, íntimo, familiar, local de trabalho etc.

Negócios e liderança: ex. autenticidade, confiança, soberania pessoal, persuasão, influência, trabalho em equipe

Esportes e desempenho: ex. superando bloqueios, melhorando o desempenho

Alguns exemplos de aplicação da Huna ao coaching

Quando se considera a aplicação dos princípios da Huna ao coaching, pode-se ver que eles fornecem uma abordagem rica que funciona em vários níveis.

De uma perspectiva do coachee:

Ike – Consciência No Nível da Realidade – O Mundo É O Que Você Pensa Que Ele É

  • Autoconsciência no nível da realidade.
  • Consciência no nível da realidade dos outros.
  • Ampliar o leque de pensamentos.
  • Obter novos insights.
  • Ser capaz de sonhar e saber como sonhar grande.

Kala – Liberdade – Não Há Limites   

  • Identificar bloqueios internos e externos e superá-los.
  • Expandir possibilidades.
  • Desafiar os limites do pensamento e de nossas narrativas pessoais.
  • Superar o medo e a raiva.

Makia – Foco – A Energia Flui Para Onde Vai A Atenção

  • Descobrir em que focar.
  • Escolher um propósito.
  • Desenvolver foco e concentração tipo laser.
  • Minimizar ‘desordens’ e distrações.
  • Reduzir a tensão para aumentar o foco.
  • Colocar energia nos desejos.
  • Agir.
  • Exercitar o superpoder pessoal de escolha.

Manawa – Presença – Agora É O Momento De Poder

  • ‘Mostrar-se’ na vida.
  • Fazer escolhas e entrar em ação agora que moldarão o futuro.
  • Deixar para lá o passado.
  • Equilibrar os objetivos futuros com a experiência presente e desenvolver estados de empoderação no presente.
  • Superar a procrastinação.

Aloha – Amor/Conexão – Amar É Ser Feliz Com

  • Descobrir o que faz você feliz e como obter mais disso.
  • Superar a crítica de si mesmo e dos outros.
  • Como o perdão pode liberar energia para seguir em frente.
  • Compreender como fazer conexões internas e externas para apoiá-lo em seus objetivos.

Mana – Poder – Todo Poder Vem De Dentro

  • Reconhecer e reivindicar a soberania pessoal.
  • Assumir a responsabilidade pessoal.
  • Aumentar o poder pessoal.
  • Aumentar a confiança e reduzir as dúvidas.

Pono – Flexibilidade/Sucesso – A Eficácia É A Medida Da Verdade

  • Cada experiência é uma oportunidade de aprendizado e adaptação às lições aprendidas.
  • Ser flexível, aprender o que funciona e, se necessário, variar as abordagens para obter resultados.
  • Há sempre outra maneira de alcançar as coisas.
  • Entender que a maneira como você aborda as coisas determina qual é o resultado.

Apenas alguns exemplos de outros elementos da Huna que podem ser aplicados a contextos de coaching incluem:

Manifestar• Entender os fatores de sucesso na manifestação e realização de metas.
• Usar as ferramentas de palavras, imagens, sentimentos e movimento para conseguir isso.  
Hu e Na• Tornar-se consciente dos ciclos naturais de quietude e movimento e como fluir com eles e quando influenciá-los.  
Aspectos de si mesmo• Entender e trabalhar com a mente, o corpo e o espírito. Descobrir como trabalhar com diferentes aspectos do eu para ser eficaz.
• Entender os processos conscientes e subconscientes e como cultivar a inspiração e desenvolver uma forte identidade central e senso de identidade.  
Mudando as perspectivas sobre a realidade• Ser capaz de ver as coisas de muitas perspectivas diferentes, aumentando assim a flexibilidade e as oportunidades.  
Cultivar a atitude de “aventureiro” para o que você deseja alcançar  • Desenvolver as qualidades aventureiras como aceitação, curiosidade e brincadeira.
• Apreciar o processo e os resultados. Embora os objetivos possam ser alcançados, apreciar o processo também é importante.
• A realização de metas pode ser um foco comum do coaching. No entanto, a noção de ‘definir metas’ e aproveitar a aventura da vida também é.  

A relação de coaching envolve um diálogo bidirecional entre o coachee e o coach (Kumu a’o). Os princípios Huna também podem ser aplicados ao coach para garantir que o processo de coaching seja eficaz. Exemplos incluem:

Ike – Consciência No Nível da Realidade – O Mundo É O Que Você Pensa Que Ele É

  • Acreditar que o cliente pode alcançar o que ele deseja.
  • Orientar o cliente para novos insights.

Kala – Liberdade – Não Há Limites   

  • Deixar para lá os preconceitos e os julgamentos e as suas próprias ideias de como as coisas deveriam ser.
  • Estabelecer os limites e as regras da relação de coaching.

Makia – Foco – A Energia Flui Para Onde Vai A Atenção

  • Focar no cliente e ajudá-lo a alcançar o resultado que ele deseja.

Manawa – Presença – Agora É O Momento Do Poder

  • Trabalhar no momento presente e estar totalmente presente para o cliente.

Aloha – Amor/Conexão – Amar É Ser Feliz Com

  • Demonstrar compaixão.
  • Estabelecer rapport e conexão, preocupando-se com o sucesso do cliente.

Mana – Poder – Todo Poder Vem De Dentro

  • Empoderar o cliente para assumir a responsabilidade por seus resultados.
  • Prestar contas ao cliente.

Pono – Flexibilidade/Sucesso – A Eficácia É A Medida Da Verdade

  • Comprometer-se com o sucesso e ser flexível para fornecer o maior valor para o cliente e usar qualquer abordagem que funcione.
  • O coach pode ser flexível e incorporar técnicas tradicionais de Huna juntamente com outras técnicas – a chave é usar o que for eficaz nas circunstâncias.

Alguns exemplos de outros aspectos da Huna que podem ser aplicados ao coach incluem:

Trabalhar com todos os aspectos do eu [o homem trino]• Ter uma abordagem que combine lógica, intuição e inspiração.    
Trabalhar em Ao [plano material] e Po [plano espiritual]• Trabalhar com o visível e o invisível.    
Grokking*• Descobrir como são as coisas do ponto de vista dos clientes.    
Expectativas• Confiar no processo e esperar o melhor.

Oni kalalea ke ku a ka lā‘au loa.
Uma árvore alta está acima das outras.
Uma pessoa de realizações notáveis.

This article just begins to explore the application of Huna to the broad field of coaching. Huna has a widespread application and can provide a perfect framework to assist people in achieving their goals and achieving success.

Esse artigo apenas começa a explorar a aplicação da Huna ao amplo campo do coaching. Huna tem uma aplicação generalizada e pode fornecer uma estrutura perfeita para ajudar as pessoas a alcançar os seus objetivos e alcançar o sucesso.

Pete Dalton ©2020

Pete Dalton é um Alakai [Líder] da Huna International que vive no Reino Unido. Ele usa a Huna para treinar e produz o Boletim do Aventureiro Huna. Para mais informações sobre o seu trabalho visite seu site www.urbanhuna.org.

Imagem rodeo-project-management-software-ONe-snuCaqQ-unsplash.jpg

—–

A Espiritualidade nas Empresas trata-se de uma Filosofia cujos Princípios podem ajudar tanto as Pessoas como as Organizações.

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x