3ª visão – O Universo é Pura Energia.

A 3ª visão é chamada de ‘Uma questão de energia’. Ela se baseia na visão anterior “O Agora Mais Longo”, que demonstra a conexão que nós temos como seres humanos ao longo da história e a nossa capacidade de influenciar a cultura em que nós vivemos. A 2ª visão proporcionou um maior reconhecimento da história humana, sendo principalmente um desenvolvimento de ideias e não de tecnologia, como se acreditava anteriormente.

A 3ª visão inicia uma nova visão da vida. Define o Universo físico como de pura energia, uma energia que de algum modo responde ao que nós pensamos.

Nós integramos a 3ª visão quando nós percebemos que o Universo não é um lugar morto e indiferente. É um ambiente energeticamente conectado, construído espiritualmente para realizar os nossos maiores sonhos. Tudo o que nós precisamos fazer é alinhar as nossas vidas com o princípio dominante do Universo: DAR.

Nós sabemos agora que nós não vivemos num universo material e sim num universo de energia dinâmica.

Tudo que existe é um campo de energia sagrada que nós podemos sentir e intuir. Além do mais, nós, seres humanos, podemos projetar a nossa energia focalizando a nossa atenção na direção desejada (“a energia flui para onde vai a atenção”), influenciando outros sistemas de energia e aumentando o ritmo das coincidências em nossa vida.

Além disso, quando nós praticamos a melhoria dessa maneira, cria um efeito cármico imediato em nossas vidas. Quando nós ajudamos os outros, nós começamos carmicamente a atrair pessoas em nossas vidas que agem da mesma maneira; elas, por sua vez, nos ajudam. Esses auxiliares também recebem sugestões intuitivas de como podem nos ajudar. Nós experienciamos a ajuda deles exatamente como o que nós precisamos naquele exato momento para estender o nosso fluxo destinado na vida.

Quando nós adotamos essa perspectiva e nós nos perguntamos como podemos prestar serviço a alguém, as nossas mentes se conectam mais profundamente à mente Divina e, assim, a nossa capacidade intuitiva se abre. Quando isso acontece, nós recebemos uma intuição sugerindo uma maneira específica pela qual essa pessoa precisa de informações ou ajuda direta.

A chave é sempre procurar ser uma Sincronicidade para os outros, dando a eles as informações corretas e ajudando-os a pedir no momento de nosso encontro com eles.

James Redfield ainda prossegue inspirando-nos com a afirmação que, dessa maneira, nós começamos a experienciar a realidade transformadora de nos tornarmos um “agente do Divino”. O desejo de ajudar os outros abre a nossa conexão Divina e fortalece a nossa união com a inteligência superior.

Pense: -“O que Deus faria para ajudar se Ele não pudesse vir e me enviasse?”

A 3ª visão descreve uma nova compreensão do mundo físico. Diz que nós, seres humanos, perceberemos o que era antes uma espécie de energia invisível.

Após a queda da visão do mundo medieval, nós no Ocidente, de repente, tornamo-nos conscientes de que nós vivíamos num mundo totalmente desconhecido. Ao tentar entender a natureza desse universo, nós sabíamos que nós precisávamos de algum modo separar os fatos da superstição. Nesse sentido, os cientistas assumiram uma determinada atitude conhecida como ceticismo científico, que na verdade exige provas concretas para qualquer nova afirmação sobre como funciona o mundo. Para nós acreditarmos em qualquer coisa, nós queríamos provas que pudessem ser vistas e apalpadas. Toda ideia que não se pudesse provar de alguma maneira física, era sistematicamente rejeitada.

Essa atitude nos foi bastante útil com os fenômenos da natureza mais óbvios, com objetos como rochas, corpos e árvores, objetos que todos podem perceber, por mais céticos que sejam. Apressamo-nos a sair e batizar cada parte do mundo físico, tentando entender por que o universo funciona como funciona.

Por fim nós concluímos que tudo o que ocorre na natureza ocorre segundo alguma lei natural, que todo acontecimento tem uma causa direta física e compreensível.

Em muitos aspectos os cientistas não têm sido tão diferentes de outros em nossa época. Nós decidimos, junto com todos os demais, assenhorear-nos desse lugar em que nós nos encontramos. A ideia era gerar uma compreensão do universo que fizesse o mundo parecer seguro e controlável e a atitude cética nos manteve concentrados em problemas concretos que fizessem a nossa existência parecer mais segura.

Com essa atitude a ciência eliminou sistematicamente a incerteza e o esotérico do mundo.

Nós concluímos, seguindo o princípio de Isaac Newton, que o universo sempre funcionava de uma maneira previsível, como uma imensa máquina, porque durante longo tempo isso era tudo o que se podia provar. Diziam que os acontecimentos que ocorriam simultaneamente com outros, mas sem nenhuma relação causal, ocorriam apenas por acaso.

Então duas pesquisas abriram os nossos olhos para o mistério do universo. Muito se escreveu nas últimas décadas sobre a revolução da física, mas as mudanças na verdade resultam de duas grandes descobertas, as da mecânica do quantum e as de Albert Einstein.

Todo o trabalho da vida de Einstein foi mostrar que o que nós percebemos como matéria sólida é em sua maior parte espaço vazio percorrido por um padrão de energia. Isso inclui a nós mesmos.

E o que a física quântica revelou é que quando nós observamos esses padrões de energia em níveis cada vez menores, nós podemos ver resultados surpreendentes.

As experiências quânticas demonstraram que quando se fragmentam pequenos componentes dessa energia, o que nós chamamos de partículas elementares e tentamos observar como elas funcionam, o próprio ato da observação altera os resultados, como se essas partículas elementares fossem influenciadas pelo que o cientista espera.

Isso se aplica mesmo que as partículas tenham de aparecer em lugares aonde não poderiam ir, em vista das leis do universo como as conhecemos: dois lugares ao mesmo tempo, para frente ou para trás no tempo, esse tipo de coisa.

Em outras palavras, o material básico do universo, no seu âmago, parece uma espécie de energia pura maleável à intenção e expectativa humana, de uma maneira que desafia o nosso antigo modelo mecanicista do universo; como se a nossa expectativa fizesse a nossa energia fluir para o mundo e afetar outros sistemas de energia. O que, claro, é exatamente o que a 3ª visão nos leva a acreditar.

A 3ª visão traz uma compreensão modificada do universo físico. Previa que lá pelo fim do segundo milênio os seres humanos descobririam uma nova energia que formava a base de tudo e de tudo se irradiava, incluindo nós próprios.

O Manuscrito dizia que a percepção humana dessa energia começa com uma ampliada sensibilidade à beleza no mundo.

A percepção da beleza é um tipo de barômetro que diz a cada um a que ponto nós estamos perto de perceber realmente a energia.

Isso é claro porque assim que a gente observa essa energia, percebe que ela está no mesmo continuum que a beleza.

Quando alguma coisa nos parece bela, tem mais presença, nitidez de forma e vividez de cor, não? Salta aos olhos. Brilha. Parece quase iridescente em comparação com o tom mortiço de outro objeto menos atraente.

Se você está ansioso para aplicar as visões à sua vida, pergunte a si mesmo:

“-Como eu posso aperfeiçoar o meu contato com a beleza natural?

No livro “Guia de Leitura de A Profecia Celestina”, temos a seguinte proposta de atividade visando apreciarmos mais a beleza no mundo:

“Durante um ou dois meses, tome a decisão de visitar um parque, igreja ou templo (especialmente quando ele estiver vazio e silencioso), ou um museu de arte. Compare a energia dessa experiência com a que você sente quando está num supermercado ou num posto de gasolina. Tome a decisão de ligar-se diariamente a algo belo na natureza. Examine uma flor de perto.”

Deixe que o seu entendimento das visões se desenvolvam aos poucos, assim que as coisas estiverem acontecendo. Se você desejar uma maior realização espiritual, pergunte a si mesmo:

“-Eu estou tomando adequadamente conta de mim na vida do dia-a-dia?”

Nós destacamos um trecho ilustrativo dessas descobertas, descortinadas pela 3ª visão no livro “A Profecia Celestina”, a saber:

“… -Nós tentamos encarar as plantas como sistemas de energia total e pensar em tudo o que elas precisam para florescer: solo, nutrientes, umidade, luz. O que nós descobrimos foi que o ecossistema total em torno de cada planta é na verdade um sistema vivo, um organismo. E a saúde de cada uma das partes influi na do todo. Nós descobrimos que as plantas que recebiam mais atenção humana direta eram ainda mais fortes”. …

A realidade dessa energia é nova para todo mundo, mas o interessante é que essa energia é o que a ciência sempre buscou: uma coisa comum por baixo de toda matéria. Desde Einstein, sobretudo, a física tem buscado uma teoria de campo unificado. Não sei se isso é ela ou não, mas o Manuscrito estimulou algumas pesquisas interessantes.

No livro “A Matriz Divina”, o autor Gregg Braden também tece comentários sobre essa nova teoria: “De uma perspectiva quântica, tudo, desde os átomos da matéria, a folha do gramado, até o nosso corpo, o planeta e o que se encontra além, tudo isso pode ser pensado como uma ‘perturbação’ no tecido liso desse cobertor espaço-temporal. Talvez não seja coincidência o fato de as antigas tradições espirituais e poéticas se assemelharem tanto ao descreverem o fenômeno da existência. As escrituras védicas, por exemplo, falam de um campo unificado de ‘pura consciência‘, que banha e permeia toda a criação. Nesses escritos, as nossas experiências de pensar, sentir, ter emoções e alimentar crenças — e todo o discernimento criado por tais experiências — são considerados como ‘perturbações’, interrupções em um campo que, não fosse por isso, teria suavidade e imobilidade.”

Anteriormente nesse século, fotografias de uma misteriosa luminescência que emana das folhas, dos objetos inanimados e da ponta dos dedos dos seres humanos nos forneceram a confirmação visual do que os místicos sempre chamaram de aura. Acredita-se, por exemplo, que a fotografia Kirlian, designada em homenagem ao casal russo que inventou o processo, mostre este campo de energia.

Nos anos setenta, uma pesquisa posterior realizada por um dos grandes especialistas em cristais, William A. Tiller, da Stanford University, provocou a especulação de que “a radiação ou energia que emana de uma folha ou da ponta do dedo de um ser humano pode na verdade se originar do que está presente antes da formação da matéria sólida (…) esse (…) pode ser outro nível de substância, produzindo um holograma, um padrão de energia coerente de uma folha que é um campo de força para a matéria que se organiza e se constrói dentro desse tipo de entrecruzamento físico”.

Do livro “Guia de Leitura de A Profecia Celestina”, extraímos as seguintes propostas para nós trabalharmos, sentirmos e visualizarmos esse campo de energia descortinado pela 3ª visão, a saber:

Como ver os campos de energia, começando a olhar os dedos:

  • Incline-se para trás e junte de leve as pontas dos indicadores.
  • Mantenha o céu azul no fundo.
  • Agora separe os dedos uns três centímetros e olhe a área bem no meio deles.
  • Desfoque um pouco os olhos, depois aproxime as pontas dos dedos e torne a afastá-las.
  • As pontas dos dedos ficam ligeiramente indistintas e quando as afastar verá alguma coisa parecida com fios de névoa entre os dedos.
  • Toque todos os outros dedos, depois as palmas e os antebraços.
  • Primeiro o que se vê são os dedos, depois a sua singularidade e presença e depois alguma coisa ampliada na pura beleza de sua expressão física, momento em que se vêem os campos de energia.
  • Tentar com as plantas o mesmo exercício.
  • Depois com pessoas. 

Ver campos de energia é apenas uma questão de fazer despertar outros receptores adormecidos, coisa que todos, em teoria, podem fazer.

Sentindo o campo de energia nas mãos:

  • Esfregue rapidamente as palmas das mãos uma contra a outra durante um ou dois minutos.
  • Ponha as mãos em concha uma de frente para a outra e sinta a sensação de formigamento no espaço entre elas.
  • Aumente e diminua ligeiramente o espaço entre as palmas das mãos.
  • Imagine que você tem nesse espaço uma bola de luz radiante.
  • Sinta a presença e a densidade dessa bola enquanto desloca levemente as mãos.
  • Você pode dirigir essa energia focalizando a consciência no nível da realidade [awareness] em algum lugar do corpo, deixando que ela o energize ou cure.

Intensificando o campo de energia em casa:

  • Respirar conscientemente a energia em todas as partes do seu corpo.
  • Fazer 15 minutos de alongamento.
  • Ouvir música ambiental predileta com sons da natureza ou música de tambor.
  • Contemplar a beleza de uma flor.
  • Dedicar-se à jardinagem.
  • Dedicar-se à compostagem.
  • Passar algum tempo admirando a vista que você tem da sua janela.
  • Meditar para acalmar a mente e depois banhar-se na luz interior.
  • Praticar algum tipo de oração matinal, mantra, afirmação positiva, visualização buscando contato com o seu ser superior.
  • Dançar.
  • Cantar.
  • Sorrir incondicionalmente.
  • Agradecer incondicionalmente.

“Quando a sua intenção for transferir uma energia amorosa, não há como você possa falhar … porque, nas esferas sutis, intenção é sinônimo de ação”. – Leonard Laskow, M.D., autor do livro “Healing with Love: A Breakthrough Mind/Body Medical Program for Healing Yourself and Others” (tradução livre: “Cura com Amor: Um Programa Médico de Mente/Corpo Inovador para Curar a Si Mesmo e aos Outros”).

A 3ª visão nos esclarece que a Energia responde às nossas expectativas (intenções).

A informação parece vir a nós quando nós precisamos dela. Talvez mais precisamente, a informação é um fluxo constante e a nossa intenção inicia um processo classificatório da relevância da necessidade. À semelhança da função Negrito no computador, a intenção seleciona o que nós precisamos destacar e conhecer.

Quando nós nos transferimos para uma vibração mais alta, as mensagens tendem a chegar mais rapidamente. Quando nós usamos os nossos dons e habilidades com a intenção correta, as coisas vêm até nós.

Se você não estiver vivenciando esse fluxo no momento, mude a sua intenção para que lhe seja mostrada a maneira de voltar ao seu caminho. Fique na expectativa de que durante o dia você irá encontrar pessoas que têm mensagens relevantes para as suas necessidades. À medida que você aguça a sua percepção desse fenômeno, ele tende a crescer.

Uma questão interessante: Em que medida o universo físico como um todo … já que é feito da mesma energia básica … reage às nossas expectativas? Em que medida as nossas expectativas criam as coincidências que nos acontecem?

A ideia Newtoniana é de que tudo acontece por acaso, que a gente pode tomar boas decisões e se preparar, mas que todo acontecimento tem a sua própria linha de causação independente de nossa atitude.

Após as descobertas recentes da física moderna, nós podemos legitimamente perguntar se o universo é ainda mais dinâmico. Talvez o universo funcione mecanicamente como operação básica, mas também reaja sutilmente à energia mental que nós projetamos nele.

A 3ª visão explica a natureza da beleza, descrevendo essa percepção como uma percepção através da qual os seres humanos finalmente aprenderiam a observar os campos de energia. Assim que isso ocorresse, a nossa compreensão do universo físico se transformaria rapidamente.

Por exemplo, nós começaríamos a comer mais alimentos ainda vivos com essa energia e a tornar-nos conscientes [aware] de que certas localidades irradiam mais energia que outras, a mais alta irradiação vinda de antigos ambientes naturais, sobretudo florestas.

O autor James Redfield nos informa que existe uma crença na Índia que diz que se existir uma única pessoa santa num vilarejo, todo o vilarejo colherá o benefício da iluminação dela. A Energia irradiada afeta a todos.

Assimilamos a 3ª visão quando nós percebemos que o Universo não é um morto, desatencioso lugar. Ele é um ambiente conectado energeticamente que é espiritualmente construído para trazer os nossos maiores sonhos em fruição. Tudo o que nós temos que fazer é alinhar a nossa vida com o princípio que rege o Universo: DAR.

James Redfield nos orienta que para criar essa nova “visão de mundo”, nós precisamos entender e viver alinhados com o modelo cármico do universo. Nós começamos a cumprir as mais recentes descobertas da física quântica. Ao nos abrirmos para a sincronicidade e a orientação intuitiva, nós percebemos que, de fato, nós compartilhamos mentes uns com os outros e com o Divino. O caminho para essa vida majestosa NÃO está em dominar os outros ou em pegar o que nós queremos. É sempre procurar os “melhores interesses” dos outros e, ao mesmo tempo, esforçar-se por perceber algo que eles necessitam para manifestar os seus sonhos. Se nós lhes dermos essas informações, elas parecerão sincrônicas e elevarão as suas vidas.

Quando nós adotamos essa atitude e perguntamos a nós mesmos como nós podemos estar a serviço de outros, as nossas mentes se conectam ainda mais profundamente com a mente Divina e a nossa capacidade intuitiva então se abrem a nós.

Uma vez que isso aconteça, nós recebemos uma intuição sugerindo de uma maneira específica que essa pessoa necessita de informação ou auxílio direto.

A chave é sempre procurar ser a Sincronicidade para outros, por dar-lhes apenas a informação correta e ajudá-los no que solicitam no momento que nós nos encontramos com eles.

James Redfield ainda acrescenta que nós podemos também provar essa realidade para nós mesmos percebendo o que acontece se nós decidirmos seguir o curso oposto na vida e nos tornar não um doador mas um tomador. O mesmo princípio cármico está em efeito. Se você toma, você atrairá pessoas que tomarão de você. Se você manipula outros ou rouba energia para ganho pessoal, você descobrirá que será tratado da mesma maneira. Isso não é por punição; é para nos permitir o sentimento do que nós estamos fazendo para os outros e retornar-nos ao alinhamento com a forma que o mundo está projetado para funcionar.

Por entrar em alinhamento com o modelo cármico e ajudar, nós atraímos mais desejáveis e enriquecedoras conexões com os outros, assim injetando Sincronicidade em nossas vidas. Desse modo, DAR para os outros cria as exatas coincidências Divinas necessárias para que os nossos sonhos se tornem realidade. Tudo o que nós precisamos fazer é participar.

Os seres humanos secretamente manipulam por energia e isso deixa de acontecer se você passar a ter consciência no nível da realidade [awareness] apenas por prestar atenção nisso. A manipulação para de estar escondida. Isso é um método muito simples. A melhor verdade sobre o que está acontecendo numa conversa sempre prevalece. Após isso a pessoa tem que ser mais real e honesta.

É importante notar que se o universo é energia, a energia que responde às nossas expectativas e as pessoas são também parte desse universo de energia, então quando nós temos uma pergunta, as pessoas que têm a resposta se mostrarão em nossa vida.

Todas as pessoas que cruzam o nosso caminho têm uma mensagem para nós. Do contrário teriam tomado outro caminho, ou saído mais cedo ou mais tarde. O fato que essas pessoas estão aqui significa que elas estão aqui por alguma razão. Nós somos membros do mesmo grupo de pensamentos com outras pessoas.

As 12 visões foram modeladas para guiar-nos através das leis universais que governam o mundo espiritual não visto, tanto como os cientistas nos assistem na compreensão do reino físico.

Usando a 3ª visão e ampliando o seu benefício:

  • Passe algum tempo num cenário natural.
  • Exercite-se focalizando uma árvore ou uma planta pelo menos uma vez essa semana e imagine uma faixa de luz ao redor dela.
  • Veja se pode embelezar o seu ambiente de pequenas maneiras.
  • Observe diariamente as mudanças de energia e exercite-se intensificando conscientemente a energia pelo menos uma vez.
  • Habitue-se a ver a beleza em seus amigos, em sua família e nos colegas de trabalho.

Resumo da 3ª Visão:

  • A 3ª visão descreve a nossa visão do universo como energia dinâmica.
  • Ao contemplarmos o mundo que nos cerca, nós não mais podemos pensar que tudo é composto de substância material.
  • A partir das inúmeras descobertas da física moderna e da crescente síntese com a sabedoria do Oriente, nós estamos começando a perceber o universo como um vasto campo de energia, um mundo quântico no qual todos os fenômenos estão interligados e respondem uns aos outros.
  • A partir da sabedoria do pensamento Oriental, nós sabemos que nós temos acesso a essa energia universal.
  • Nós podemos projetá-la para fora com os nossos pensamentos e as nossas intenções, influenciando a nossa realidade e a realidade dos outros.

James Redfield esclarece-nos sobre o próximo passo em nossa consciência no nível da realidade [awareness]:

“Lembrem-se, nós temos que reter os insights que nos move na direção dessa mais elevada experiência em primeiro lugar. E frequentemente revisitá-los para ficarmos confiantes que essa consciência no nível da realidade [awareness] funciona. Esse é o único caminho que a humanidade pode lentamente remover a escuridão, na qual nós estamos ainda sofrendo. Todas as doze visões emergem de muitos dos ensinamentos das principais religiões monoteístas. Elas apontam o caminho de volta, das leis das religiões organizadas, para um puro, descomplicado relacionamento intensamente com a pessoal origem de toda vida. Imediatamente nós queremos saber mais sobre o processo e mais sobre onde essas misteriosas coincidências estão nos levando.”

Palavras chave da OREM2: manuscrito, despertar espiritual, massa crítica, coincidências, sincronicidades, visões, perspectiva histórica, igreja, ciência e tecnologia, método científico, religião, energia, padrões de energia, campos de energia, ceticismo científico, percepção da beleza, teoria de campo unificado, física quântica.

Bibliografia (recomendamos enfaticamente a leitura desse material): 

  • Livro “A Profecia Celestina” – James Redfield;
  • Livro “Guia de Leitura de A Profecia Celestina” – James Redfield;
  • Artigo: “The Celestine Prophecy: Third Insight Experience Study” – James Redfield;
  • Livro “Healing with Love: A Breakthrough Mind/Body Medical Program for Healing Yourself and Others” – Leonard Laskow, M.D.;
  • Livro “The Ultimate Athlete” – George Leonard;

Imagem johannes-plenio-1vzLW-ihJaM-unsplash.jpg

Próximo artigo – 4ª VISÃO: A LUTA PELO PODER

… segundo o Manuscrito, quando um número suficiente de indivíduos perguntar a sério o que ocorre na vida, nós começaremos a descobrir.

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x