Tendo como base a ideia e a proposta do livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance, o objetivo dessa série de artigos do Projeto OREM® – OREM3 é analisarmos todo o material disponível e relevante sobre o Livro de Exercícios de Um Curso em Milagres para cada exercício diário, de maneira a auxiliar e facilitar o entendimento sobre o sistema de pensamento do Curso.

Para cada dia de estudo, nós estaremos incluindo também uma parte relevante do livro Texto, uma parte relevante do Material Suplementar (Cadernos de Taquigrafia de Helen Schucman e Versão Urtext de UCEM), alguns artigos relevantes de Professores Avançados e as próprias lições do Livro de Exercícios para cada dia (365 dias).

Lembrando que grande parte dos materiais suplementares (cadernos de taquigrafia de Helen e versão Urtext de UCEM), que constarão nessa série de artigos, não foram considerados na edição final de Um Curso em Milagres, por terem sido considerados “muito pessoais” pela equipe responsável pela edição1, porém importantes como material complementar, como nós veremos a seguir, por se tratar da ensinamentos compartilhados pelo autor do livro (Jesus).

Veja detalhes em artigo na Categoria “Um Curso em Milagres” de número 12 – “As versões iniciais e a edição de UCEM”.

Como diz Jeff Nance, “milagres não faltam!”

Nota: Nós consideramos que o estudante se beneficiará dessa série de artigos do Projeto OREM® a partir do momento que, já tendo concluída a leitura do livro Texto, realizado os exercícios e práticas do Livro de Exercícios e concluída a leitura do Manual de Professores, estará, portanto, nesse momento, retomando uma segunda rodada de conhecimento e entendimento do sistema de pensamento de Um Curso em Milagres (UCEM).

“Esse curso é um começo, não um fim…” (T-Prefácio)

Tradução livre Projeto OREM®

Dia 5

“Não se preocupe com o seu autismo. É apenas um talento mal utilizado, que você realmente precisa. Você tem que sintonizar esse mundo para ver outro. Essa habilidade é uma dádiva e quando está sob controle involuntário ao invés de FALTA de controle involuntário, isso será muito útil.

Seguir o guia involuntário correto lhe dará os meios para reconhecer os perigos físicos e espirituais e fornecerá os meios para evitar cada um deles da maneira mais eficiente.

Esse é um caso em que o fim DE FATO justifica os meios. É somente quando meios e fins não são da mesma ordem de realidade que há medo. Isso surge da inescapável consciência no nível da realidade [awareness], que o homem recebeu de Deus para sempre, de que somente os meios apropriados funcionarão para os diferentes tipos de fins que ele deve realizar antes que possa alcançar o seu Único fim.

Essa consciência no nível da realidade [awareness] é uma controle inerente que foi necessário para que o homem usasse o expediente temporário do tempo de maneira útil. Enquanto há tempo, comunhão e o pão são necessários.

Sem ambos, o homem se sente privado e ele não pode escapar confundindo os dois. Toda depressão e todas as expressões de medo, em última análise, derivam da confusão.

—–

25.) Milagres são sinais naturais de perdão total. Através dos milagres, o homem afirma a sua aceitação do perdão de Deus por estendê-lo a outros. O segundo passo é inerente ao primeiro, porque a luz não pode tolerar a escuridão. A luz dissipa a escuridão automaticamente, por definição.

26.) (INSTRUÇÕES EXPLICATIVAS:) Milagres são associados com o medo devido à crença em que a escuridão possa ocultar. O homem acredita que aquilo que os seus olhos físicos não podem ver não existe e os olhos dele não podem ver no escuro. Essa é uma solução muito primitiva e levou a uma negação da vista espiritual, que sempre depende da luz. Lembre-se da injunção bíblica: ‘Que eu nunca esqueça que os teus olhos estão sempre sobre mim, contemplando os maus e os bons’.”

[FIP1 T-1.IV. Como escapar da escuridão]

1FIP: Foundation for Inner Peace

“Existem dois estádios, um inferior e um superior, que estão envolvidos no escape da escuridão:

O primeiro é o reconhecimento de que a escuridão NÃO PODE ocultar. Esse passo usualmente acarreta medo.

O Segundo é o reconhecimento de que não há nada que você QUEIRA ocultar, ainda que você pudesse. Esse passo traz o escapar do medo.

A razão pela qual eu dirijo tudo o que não é importante é porque isso não é uma maneira de desperdiçar o SEU livre arbítrio. Se você insiste em fazer o trivial do seu jeito, você perde muito tempo e vontade com isso.

A vontade não pode ser livre se ela estiver amarrada a trivialidades. Isso nunca sai.

Eu direi a você EXATAMENTE o que fazer em relação a tudo o que não importa.

Essa não é uma área onde a escolha deve ser investida. Há melhor aproveitamento do tempo.

Você tem que se lembrar de me pedir para cuidar de todas as minúcias e elas serão tratadas tão bem e tão rapidamente que você NÃO PODE ficar atolado nelas.

O único problema que resta é que você não vai querer perguntar, porque tem medo de não ficar atolado. Não deixe que isso nos detenha. Se VOCÊ perguntar, eu providenciarei essas coisas mesmo que você não esteja muito entusiasmado.

A oração pode ser seguramente muito específica em pequenas questões. Se você precisar de um casaco, pergunte-me onde encontrar um. Eu conheço bem o seu gosto e também sei onde está o casaco que você acabaria comprando de qualquer maneira.

Se você não gostar do casaco depois, é isso que teria acontecido de qualquer maneira. Eu NÃO escolhi o casaco para você. Você disse que queria algo quente, barato e capaz de aguentar o desgaste. Eu disse que você podia comprar um Borgana, mas eu deixei você comprar um melhor porque o peleiro precisava de você.

Observe, no entanto, que é melhor em termos dos critérios que VOCÊ estabeleceu. Eu poderia fazer isso porque VOCÊ viu o casaco mais dessa maneira do que em termos de um material específico.

Você mesmo pensou na Klein há alguns dias e depois decidiu não, porque Borgana tem preço fixo. Então você se lembrou de um casaco que Grace comprou uma vez que era muito mais barato e parecia praticamente o mesmo e se perguntou se era realmente certo ser vendido com um nome comercial específico por meio de publicidade. Aquilo abriu a sua mente.

Eu não posso poupar mais tempo do que você me permite, mas se você estiver disposto a tentar o Serviço de Compras Superior, que também cobre todas as necessidades de ordem inferior e até mesmo um grande número de caprichos dentro do razoável, eu tenho um bom uso para o tempo que nós poderíamos poupar.

Lembre-se, a resposta específica que você recebe depende da pergunta específica que você faz. Quanto menos limites você impor, melhor será a resposta que você obterá. Por exemplo, você pode perguntar onde eu posso encontrar um casaco Borgana? ou onde está o casaco que eu quero? ou onde está o casaco que devo pegar? e assim por diante.

A forma do pensamento determina o nível de criação. (fora de sequência ou página faltando)… o que me chateou muito.

Essa manhã eu me lembrei de dois sonhos indistintos.

1) Dr. Kdb você e eu, andando ao lado do Squirrel Park e Lck está me dizendo que eu fiz algo muito ruim e que ele pensou que eles teriam que me deixar ir. Mas ele me prometeu um portfólio? para? investir? Você estava me garantindo que tudo ficaria bem, mas eu não tinha certeza.

2) Esse outro foi sobre o Programa de Desenvolvimento Infantil [CDP]. INSIRA aqui as instruções dos sonhos, mas não insista nisso. Bill teve a ideia ontem à noite. Essa é a primeira limpeza.

Os problemas de Bill e os seus vêm de falsas ideias de criação que se tornaram associadas ao corpo. As relações heterossexuais são, portanto, aterrorizantes e induzem ao medo da destruição do corpo, que foi superinvestido de poder. Dois passos, ambos devem ser desfeitos, são frequentemente dados para escapar desse aparente dilema:

1) fingir que o outro sexo não existe; ou seja, ‘vive na escuridão’.

2) isso raramente satisfaz no são, que ainda vai perceber que o outro sexo ESTÁ ali e também que eles PRECISAM dele. Então, em vez de lhes dar autonomia, eles tentam controlá-los pela internalização. Isso resulta em confusão psicossexual.

A solução é deixar a Criação para Deus e saber que nem homem nem mulher criam como tal. Então você pode aceitar os fatos físicos e eventualmente torná-los desnecessários.

A negação é uma maneira ruim de lidar com o medo.”

Urtext – Esclarecimento de Termos

1. MENTE – ESPÍRITO

“O termo ‘mente’ é usado para representar o agente ativador do espírito, suprindo a sua energia criativa. Quando o termo aparece em maiúsculas, refere-se a Deus ou a Cristo (isso é, a Mente de Deus ou a Mente de Cristo). Espírito é o Pensamento de Deus que Ele criou como Ele mesmo. O espírito unificado é o Filho único de Deus, ou Cristo.

Nesse mundo, porque a mente é dividida, os Filhos de Deus parecem estar separados. Nem as suas mentes parecem estar unidas. Nesse estado ilusório, o conceito de ‘mente individual’ parece ser significativo. Ele é, portanto, descrito no curso como se tivesse duas partes: espírito e ego.”

Perguntas e Discussões Extraídas de Workshop Dr. Kenneth Wapnick (K)

“… Outro participante pediu orientação ao Dr. Ken na aplicação dos princípios sobre os quais ele havia falado:

K: Eu acho que basicamente a sua pergunta é, como isso realmente se desenrola no dia a dia? O que eu faço? Assim que tomo consciência de um pensamento ou sentimento do ego – e depois de um tempo não é difícil encontrá-los: fico irritado com alguém, fico ansioso, sinto-me fisicamente doente, eu estou fazendo julgamentos sobre os outros – eu quero perceber que “Eu nunca estou transtornado pela razão que imagino”, como diz uma das primeiras lições do Livro de Exercícios (LE-pI.5) e que o que estou vendo do lado de fora é, na verdade, uma parte separada de mim mesmo.

O motivo pelo qual eu estou transtornado, ansioso, zangado, irritado, assustado, doente, etc., não tem nada a ver com o que eu sinto ou acredito sobre a situação. A razão é que eu deixei cair a mão de Jesus e peguei a mão do ego novamente. Esse é o problema. E então me sinto terrivelmente culpado, porque mais uma vez eu afastei Deus – na pessoa de Jesus ou do Espírito Santo – e me sinto culpado por isso. E agora eu tenho medo de ser punido por isso. Então, eu escapei de toda aquela culpa e medo me envolvendo com qualquer coisa fora de mim que eu acho que está me deixando chateado.

À medida que trabalho com tudo isso – seguindo a linha do milagre (ver gráfico) – eu estou percebendo que eu não estou transtornado por causa de algo fora de mim. Eu estou transtornado por causa de algo dentro de mim. Eu estou transtornado por ter escolhido o ego em vez de Jesus ou do Espírito Santo. Isso é tudo que eu tenho que fazer. É a isso que o Curso se refere como um ‘um pouco de boa vontade.’ Se eu fizer isso e ainda não me sentir melhor, então eu digo:

Eu não estou me sentindo melhor porque, embora eu entenda o que eu estou fazendo – estou realmente afastando o Amor de Deus de mim – eu obviamente ainda quero afastar o Amor de Deus. Eu acredito que o Amor de Deus vai me machucar. Eu acredito que se eu pegar a mão de Jesus e começar a andar de volta para casa, irei desaparecer. E toda a maravilhosa auto importância que eu acredito que me faz ser quem eu sou também irá desaparecer. E isso me apavora. Portanto, eu estou perfeitamente disposto, agora, a pagar o custo de afastar Jesus para que possa manter a minha própria identidade miserável – eu estou disposto a fazer isso.

Agora eu posso fazer isso. Em certo sentido, eu posso ter o melhor dos dois mundos. Ainda eu posso agarrar toda a minha raiva, ansiedade e justificada vitimização. Mas também eu sei por que eu estou fazendo isso e do que eu estou desistindo. Eu estou ciente de que tenho mais medo do amor de Deus do que dessa dor. E eu prefiro me manter separado de você – que é o que a minha raiva faz – do que realmente saber que você e eu fazemos parte de um ser maior.

Isso é tudo que eu tenho que fazer – apenas estar ciente de que é isso que eu estou fazendo.

P: Dr. Ken, quem ou o que é Jesus?

K: Ele é um ‘quem’ e um ‘o quê’. Como um ‘o quê’, ele é um símbolo do Amor do Espírito Santo. Ele é a mesma presença abstrata de amor na mente que o Espírito Santo é. Bem no final, quando nós estivermos no mundo real, nós saberemos disso. Até esse ponto, ele é um ‘quem’ e um ‘quem’ extremamente importante. Enquanto eu acreditar que eu sou um ‘quem’, eu preciso de um ‘o que’ que se pareça com um ‘quem’. [Risos]

Agora, por que isso me faz pensar em Abbott e Costello! [dupla cômica Estadunidense] Mas enquanto eu acreditar que eu sou específico – e todos nós acreditamos que nós somos específicos, que nós somos um ‘quem’ – então nós precisamos de outro símbolo específico que representará para nós aquela Presença abstrata de Amor que é o Espírito Santo. E eu estou cometendo um grande erro se acho que eu não preciso de um ‘quem’.

Se Jesus é um símbolo difícil para você, escolha outro. Mas para a maioria das pessoas no mundo ocidental, ele é, porque quase todo mundo tem problemas não resolvidos com ele. No final das contas, Jesus é abstrato porque no final nós somos abstratos. Mas, enquanto nós nos sentirmos específicos, distintos e individuais, nós precisamos de alguém que possa falar conosco nesse nível. E Jesus, como o maior símbolo do Amor de Deus no mundo ocidental, é também o maior símbolo do Amor de Deus no mundo ocidental como o ego o vê.

É por isso que Jesus não tem sido um símbolo de amor para os Cristãos, muito menos para os Judeus ou Muçulmanos ou qualquer pessoa que tenha atacado os Cristãos. Ele sempre é visto através dos olhos do ego. Ele é visto como um perseguidor, alguém que exige sacrifício e que acredita no pecado e na culpa. Ele deve acreditar no sacrifício e na morte, porque é isso que o mundo fez dele: ele se tornou um símbolo do deus do ego.

Mas Jesus também é um símbolo do Deus verdadeiro. As nossas reações a ele são produto da mesma mente dividida que afeta a maneira como nós vemos as outras pessoas. No final, quando estivermos no mundo real (veja o Gráfico), nós perceberemos que nós não existimos como indivíduos separados mais do que Jesus. Mas enquanto nós estivermos aqui no sonho – como todos nós estamos – ele é extremamente importante como uma presença fora de nossa personalidade que pode nos representar a nós mesmos, até que nós possamos nos lembrar de nossa Identidade.

P: Mas isso invalidaria o Curso se eu escolhesse usar Buda ou Krishna ou Maomé ou qualquer outra pessoa como esse símbolo?

K: Não. Na verdade, nada pode invalidar este livro – esse é o problema! No entanto, se eu escolher Maomé ou Krishna ou Buda ou mesmo Chaimyankel porque eu tenho medo de Jesus, ou eu sou culpado por meu relacionamento com ele, esse é um problema que eu terei que resolver em algum momento.

É por isso que a presença de Jesus no Curso sempre foi direta. O mesmo ensino poderia ter vindo sem falar sobre Jesus. Todo esse processo que eu descrevi poderia ser apresentado no Curso sem referir-se a Jesus. E não era necessário que ele falasse na primeira pessoa. O fato de que ele fez e que ele usa terminologia Cristã e que ele fala sobre a sua própria morte e a reinterpreta para nós, é uma maneira de dizer ao mundo, como ele diz no capítulo 19, que ele precisa de nós para perdoá-lo (T-19.IV.B.6,8).

Agora, Jesus não precisa que nós o perdoemos por amor a ele. Ele precisa que nós o perdoemos porque ele não pode nos ajudar se ainda o estivermos afastando.

Portanto, antes de escolher outro símbolo além de Jesus, eu devo primeiro ver por que eu estou fazendo isso. Sempre há exceções e não há maneira certa ou errada de fazer o Curso. Mas para quase todos nós que cresceram no mundo ocidental – sejamos Cristãos ou Judeus – seria extremamente difícil evitar ter alguns problemas não resolvidos com Jesus. Ele é o maior símbolo do Amor de Deus que nós conhecemos, o que significa que o ego o fez o seu símbolo do Amor de Deus.”

Artigo 97 – UCEM – Jesus: A Manifestação do Espírito Santo

Continuação de ‘A Oração Verdadeira’ (The Song of Prayer, S-1.1)

Parágrafo 2 – Sentença 3: ‘Na oração, isso não é contraditório.’

Dr. Kenneth Wapnick nos esclarece:

“Com isso ele quer dizer que está novamente se referindo à oração como um processo. O topo da escada da oração é a canção da oração, o fim do processo em que nós reconhecemos que há apenas uma necessidade – a necessidade de desfazer aquele único erro, quando nós nos afastamos do Espírito Santo e nós nos voltamos para o ego. Esse foi o nosso único erro.

Já que esse é o problema, a resposta é afastar-se do ego e voltar-se para o Espírito Santo. À medida que nós subimos a escada, fica cada vez mais claro para nós que todos os nossos problemas são os mesmos. Essa é a experiência de muitas pessoas que trabalham com o Curso durante um período de tempo. Como diz a primeira lição do Livro de Exercícios: ‘Eu nunca estou transtornado pela razão que imagino’ (LE-pI.5). Eu não estou transtornado porque acabei de descobrir que tenho AIDS ou que o meu ente querido tem AIDS, ou porque os Estados Unidos declararam guerra a outro país, ou porque há uma recessão, ou porque eu perdi o meu emprego ou o meu ente querido me abandonou, ou eu peguei um resfriado e não me sinto bem, etc. Eu tenho todos os tipos de motivos para estar transtornado. Mas eles não são realmente porque eu estou transtornado. Eu estou transtornado porque eu acredito que me separei de Deus. E mais especificamente, dentro do sonho, eu estou transtornado porque eu fiquei com medo do Amor de Deus na pessoa de Jesus e me afastei dele. Eu virei as costas para o amor mais uma vez e é por isso que eu estou transtornado. Se eu tivesse sentido a sua proximidade, se eu tivesse sentido o seu amor, se eu tivesse sentido a sua paz e o seu conforto, nada nesse mundo me incomodaria. Essa, é claro, é a lição da crucificação.

À medida que nós crescemos e subimos a escada, fica cada vez mais claro para nós que todos os nossos problemas são os mesmos. Há apenas um problema e uma resposta. Mas na base da escada, essa não é a nossa experiência. Na base da escada – onde nós acreditamos estar – nós experienciamos a ajuda de Deus na pessoa do Espírito Santo ou Jesus suprindo as nossas necessidades conforme nós as percebemos. Esta é uma maneira extremamente importante pela qual Jesus nos oferece correção no nível em que nós nos vemos. 1Nós acreditamos que o Espírito Santo nunca nos ajudaria depois do que nós fizemos a Ele. Nós lhe dissemos que Ele é um mentiroso. Nós dissemos: ‘Eu não confio em você. Eu não quero você perto de mim’. E nós criamos o mundo para que nós pudéssemos fugir Dele. Nós formamos um corpo que tem necessidades como um ataque a Ele. Então, por que Ele deveria querer nos ajudar? O ego nos diz que não há como Ele nos ajudar, de forma alguma Ele irá suprir as nossas necessidades.

1Nota: Sugerimos a leitura dos artigos 24 – A Metafísica da Separação e do Perdão em UCEM – Parte I e 25 – A Metafísica da Separação e do Perdão em UCEM – Parte II.

Portanto, nós precisamos de uma correção nesse nível que nos diga: ‘Não, o Espírito Santo não está virando as costas para você. Não é que Ele não queira ajudá-lo. Ele de fato o ajuda.’ Esse é o mesmo tipo de simbolismo de Jesus nos dizendo que Deus derrama lágrimas por nós. O ego nos disse que Deus está tão feliz por nós estarmos fora de Sua casa porque nós temos sofrido muito. Então Jesus nos diz: ‘Não, Ele não está feliz. Na verdade, Ele derrama lágrimas por você e se sente incompleto e solitário sem você.’ Esse simbolismo serve exatamente ao mesmo propósito que o simbolismo refletido nas declarações do Curso que nos dizem que Jesus ou o Espírito Santo atenderá às nossas necessidades específicas. Eu explicarei um pouco mais adiante como isso funciona em nossa experiência. Então novamente:

Parágrafo 2 – Sentenças 3-4: ‘Na oração, isso não é contraditório. Há decisões a serem tomadas aqui e elas têm que ser tomadas caso sejam ilusões ou não.’

Não é contraditório, porque a oração é vista como um processo, para declará-lo mais uma vez. Enquanto nós estivermos aqui em um corpo, escolhas precisam ser feitas – por exemplo, todos tiveram que tomar a decisão de participar desse workshop. Cada um de nós teve que tomar uma decisão essa manhã se usaria verde, azul, branco, preto ou qualquer outra coisa. Todos tiveram que tomar uma decisão sobre tomar café da manhã, o que comer e o que não comer, etc. As decisões precisam ser tomadas quando nós acreditamos que nós estamos em um corpo.

Como o Curso explica em outro lugar, nós precisamos escolher se nós tomaremos as decisões de nossas vidas com o ego ou com o Espírito Santo. Enquanto nós tivermos a ilusão de escolher, enquanto nós tivermos a ilusão de estar aqui em um corpo em um sonho, nós teremos a ilusão de escolher o ego ou o Espírito Santo como o nosso professor. É por isso que o Curso está escrito no nível em que ele está. Provavelmente, a mensagem mais importante do Curso é a de ‘escolha mais uma vez’ – isso é apresentado todo o caminho e então termina o Texto.

O tema principal do Curso é devolver às nossas mentes o poder de escolher. Não que as nossas mentes realmente tenham algum poder de escolha – a Mente de Cristo não escolhe, porque não há escolhas a serem feitas no Céu. Mas nós não estamos no Céu – nós acreditamos que nós estamos aqui. Como o Texto nos diz, nós estamos ‘em casa em Deus, sonhando com o exílio…’ (T-10.I.2:1). Assim, dentro do sonho, nós temos uma escolha, que é uma ilusão. Mas enquanto nós tivermos a ilusão de escolher contra Deus e contra o Amor do Espírito Santo e a mensagem da Expiação em nossas mentes, nós precisamos de uma correção nesse nível que diga: ‘Eu fiz uma escolha errada. Agora eu posso fazer uma escolha melhor.’ Esse é o propósito de Jesus e do Espírito Santo – nos ajudar a fazer uma escolha melhor. Portanto, enquanto nós estivermos nesse mundo, há decisões que precisam ser tomadas. O importante – que é um assunto ao qual voltaremos sempre – não é a forma da decisão. O importante é o conteúdo: com quem nós tomamos a decisão.

Agora, isso não significa que nós podemos simplesmente ignorar a decisão. (Eu falarei sobre isso um pouco mais tarde.) Não prestar atenção às nossas decisões seria um exemplo de ‘confusão de nível’ e de tentar acreditar que nós estamos mais acima na escada do que realmente nós estamos. Enquanto nós acreditarmos estar nesse mundo e estivermos brigando com uma decisão, é importante que, dentro do papel que nós escolhemos, nós estejamos atentos à decisão. Mas também é muito útil e aliviador saber que, no final, a decisão em si não importa. O que importa é com quem nós fazemos. E nós podemos dizer com quem tomamos a decisão se nós estamos em paz ou ansiosos.

“Enquanto nós tivermos a ilusão de escolher, enquanto nós tivermos a ilusão de estar aqui em um corpo em um sonho, nós teremos a ilusão de escolher o ego ou o Espírito Santo como o nosso professor. É por isso que o Curso está escrito no nível em que ele está. Provavelmente, a mensagem mais importante do Curso é a de ‘escolha mais uma vez’ – isso é apresentado todo o caminho e então termina o Texto.”

Então eu faço o melhor que eu posso para decidir, no âmbito da minha sala de aula, que inclui eu e meu corpo e o contexto específico em que eu acredito estar. Eu faço o melhor que posso com isso, mas em outro nível, eu percebo que tudo o que tenho que fazer é o melhor que posso.

Jesus fez uma declaração para Helen, que eu penso que é sempre muito útil e reconfortante. Ele disse a ela: ‘Se você fizer a minha vontade, eu a defenderei; e se você não fizer a minha vontade, então eu a corrigirei’. Basicamente, isso significa que nós fazemos o melhor que nós podemos; de qualquer forma, nós não podemos perder. Portanto, as decisões têm que ser tomadas aqui, sejam elas ilusórias ou não. Na verdade, elas são todas ilusórias, porque não há escolhas no Céu. O importante não é a decisão, mas, mais uma vez, aquele com quem a tomamos. É para isso que nós estamos nos conduzindo. Esta é a importância de Jesus. Ele permanece em nossas mentes divididas como o símbolo brilhante que nos chama de volta – não tanto para ele, mas para o Cristo que está nele e em nós mesmos.”

“O importante não é a decisão, mas, mais uma vez, aquele com quem a tomamos.”

Dr. Kenneth Wapnick disse:

“O Curso está cheio de passagens que exaltam os benefícios do perdão. Aqui está uma das mais belas – sinta o vento da liberdade que sopra por essa passagem:

O que poderias querer que o perdão não possa dar? Queres paz? O perdão a oferece. Queres felicidade, uma mente serena, certeza acerca do teu propósito e um senso de valor e beleza que transcende o mundo? Queres atenção, segurança e o calor da proteção garantida para sempre? Queres uma quietude que não possa ser perturbada, uma gentileza que jamais possa ser ferida, um consolo profundo e duradouro e um descanso tão perfeito que jamais possa ser transtornado? (LE-pI.122.1:1-6)”

Workshop realizado pelo Dr. Kenneth Wapnick

Livro Texto, Capítulo 30 – O NOVO COMEÇO, em sua Seção I. Regras para decisões.

“O curso fala muito sobre função. Todo mundo tem funções comportamentais específicas no mundo e não há nada de errado com isso. Mas sem que você realmente encontre a sua verdadeira função, a sua função externa cairá nas mãos do ego.

Sua verdadeira função é perdoar.

É isso que Jesus quer dizer sempre que usa o termo ‘função’ no Curso. Ele não está falando absolutamente sobre comportamento. Ele está falando sobre a função que todos nós compartilhamos, que é perceber, novamente, que nós apostamos no cavalo errado, que nós cometemos um erro. Nós escolhemos as mentiras do ego em vez da verdade do Espírito Santo. A nossa função é perceber isso cada vez que nós somos tentados a tornar real algum aspecto de nosso mundo ou justificar a nossa experiência de vitimização. Ser vítima é o nome do jogo do ego – é isso que mantém o sistema de pensamento do ego no lugar. Portanto, sempre que você se sentir tentado a se perceber como uma vítima, lembre-se de sua função, que é aprender que ‘Eu não sou vítima do mundo que vejo’ e que ‘Eu nunca estou transtornado pela razão que imagino’, que estão entre as primeiras lições do Livro de Exercícios (Lições 31 e 5 respectivamente). Novamente, esse é o ‘padrão’ de que ele está falando, no qual nós devemos tentar pensar conscientemente.

O que é muito útil quando você tenta fazer isso é ver com que rapidez você esquece. Você pode tomar uma decisão firme aqui mesmo esta noite nesse workshop e, quando voltar para o seu quarto, diga: ‘Realmente, vou tentar me lembrar disso quando acordar de manhã.’ Veja como você esquece rapidamente. Você pode passar cinco minutos, uma hora, cinco horas e, de repente, dizer: ‘Meu Deus, eu esqueci o que eu ia fazer.’ Não é porque você é uma pessoa má; é porque você é uma pessoa apavorada. Isso ocorre porque o seu ego sabe que, se você começar a fazer isso, estará se afastando de sua identificação com o seu corpo e com o mundo e voltando para a sua mente. Isso, por sua vez, significa que em algum momento você perceberá o que você escolheu, o enorme custo em razão do que escolheu, que você foi um tolo e agora vai fazer outra escolha. Isso é o que o ego precisa prevenir.

Na medida em que você se identificar com o ser do ego, você se identificará com a estratégia do ego e, assim, terá medo do poder de sua mente. O ego diz: ‘Se você voltar a ter contato com o poder de sua mente, você voltará a ter contato com a parte que roubou de Deus, assassinou Deus e usurpou a Sua função. Você voltará a ter contato com essa incrível, impressionante verdade sobre você: que você matou Deus, destruiu Cristo e sobre os corpos mortos deles construiu a si mesmo.’

Ninguém quer entrar em contato com isso. É por isso que todo mundo tem pavor de sua mente. E é por isso que, por exemplo, muitas disciplinas da Nova Era que o encorajam a entrar em contato com o poder de sua mente vão realmente acabar machucando você. A sua mente é poderosa de fato; mas se você não abrir mão de sua culpa, inevitavelmente usará mal esse poder novamente. Esse não é um Curso que necessita que você entre em contato com o poder de sua mente para mover copos sobre as mesas, para atrair riqueza ou uma pessoa bonita para você, para transformar uma célula cancerosa em uma célula benigna, ou qualquer uma dessas coisas. Esse Curso quer que você entre em contato com o poder de sua mente que escolheu a culpa para que agora você possa fazer outra escolha. Esse é o poder da mente de que Jesus está falando. Não é o poder de sua mente efetuar mudanças no mundo ou em você mesmo. Esses tipos de abordagem podem funcionar muito bem; mas não os confunda com Um Curso em Milagres. Nenhum deles desfará a culpa. Nesse sentido, eles não são diferentes de tomar uma aspirina ou outro medicamento. Isso não significa que eles podem não funcionar para aliviar um sintoma, mas não funcionarão para aliviar a culpa.

‘E se achares que a tua resistência é muito forte e que a tua dedicação é pouca, não estás pronto. Não lutes contigo mesmo  (T-30.I.1:6-7).’

Nós provavelmente deveríamos passar três dias inteiros nessas duas frases. A razão para essas frases e a razão pela qual a segunda frase está sublinhada é que Jesus está nos ensinando que nós não devemos fingir que nós estamos prontos para algo quando nós não estamos prontos para isso. Isso é arrogância, não humildade. É muito mais avançado espiritualmente ser capaz de dizer: ‘Eu sei o que eu estou fazendo e, droga, eu não quero parar. Eu sei que eu quero o meu especialismo. Eu sei que eu quero ser diferente. Eu sei que eu quero culpar outras pessoas. Eu sei que eu quero o que eu quero, quando eu quero e está tudo bem!

‘Não lutes consigo mesmo.’ Se você luta contra o seu ego, obviamente acredita que o seu ego é real. Isso é o que significa a linha bíblica ‘não resista ao mal’, que é uma linha maravilhosa em termos de Curso.

Quando você resiste ao mal, quando resiste ao ego, você o torna real. Obviamente, se você resistir a algo, você deve acreditar que esse algo está presente.

Se você acredita que o ego ou o seu especialismo está presente, então você fez exatamente o que o seu ego deseja. É isso que torna esse Curso tão diferente como espiritualidade, certamente em termos de mundo ocidental. Não diz nada sobre tentar mudar o seu ego, ou lutar contra ele, ou ofuscar o seu ego. Diz simplesmente:

Olhe para o seu ego e sorria para ele, porque ele não é nada.

Quando você luta contra isso em si mesmo, está tornando-o real. Portanto, quando você esquecer a sua lição diária do Livro de Exercícios ou de como essas regras básicas são muito simples, não se surpreenda. Não fique zangado. Não fique deprimido. Não seja culpado. Simplesmente diga: ‘Ah! Esse é o meu ego em ação. Obviamente, ainda eu tenho medo do Amor e da paz de Deus.’ Então você está sendo absolutamente honesto. E você terá ganho mil anos simplesmente fazendo isso, porque está aprendendo o processo de recuar e olhar para o seu ego e não julgá-lo, não lutar contra ele, não resistir a ele, não tentar mudá-lo – simplesmente olhando para ele e dizendo: ‘Esse é o meu ego, eu não quero deixá-lo ir e isso não é um pecado.’

Ao praticar isso a cada momento em todos os dias, você está aprendendo a desfazer o erro original, que foi olhar para a ideia diminuta e louca e fazer um grande alarido sobre ela [Vide Gráfico]. É por isso que isso é tão importante. É por isso que essa seção é tão importante, se você lê-la correta e cuidadosamente. O que ele [Jesus ou o Espírito Santo] fará é treiná-lo, no mundo e na esfera de experiência em que você acredita estar, para reviver aquele momento original quando você, como parte daquele único Filho, olhou para ambas as escolhas e escolheu contra o Espírito Santo.

Você olhou para o seu ego e o levou muito, muito a sério. Você fez o ego pensar sério em vez de tolo. Algumas linhas depois da linha sobre a ‘ideia diminuta e louca da qual o Filho de Deus se lembrou de não rir’2, Jesus diz:

‘É uma piada [é literalmente o que ele diz] pensar que o tempo pode vir a lograr a eternidade, que significa que o tempo não existe (T-27.VIII.6:5).’

2Nota: Sugerimos estudar o artigo 37 – Ideia Diminuta e Louca – Explicando o Gráfico.

É uma piada pensar que essa ideia diminuta e louca tem o poder de interferir na eternidade. O que você quer fazer é cultivar, como uma disciplina constante, olhar para o seu ego e não levá-lo a sério. Se você luta contra si mesmo, você está tornando isso real. Se você perceber que a sua resistência em escolher Jesus é forte e sua dedicação a ele e ao seu proceder é fraca, então simplesmente reconheça isso e diga: ‘Eu ainda tenho muito medo do Amor de Deus, mas está tudo bem.’ Essas palavras ‘está tudo bem’ são as mais importantes de todas, porque você não está mais julgando o seu ego como terrível, pecaminoso, mal ou perverso. Você está olhando para o seu ego e dizendo: ‘Isto é o que eu estou escolhendo, mas não tem efeito no amor de Jesus por mim e não tem efeito no Amor do Espírito Santo por mim.’

Isso não tem efeito algum! Só terá efeito se você der um efeito dentro do seu sonho, porque dentro do seu sonho você pode fazer o que quiser. Jesus disse anteriormente no Texto que,

Os sonhos são cenas temperamentais da percepção, nos quais literalmente gritas: ‘Quero que seja assim!’ (T-18.II.4:1).

Como uma criança pulando para cima e para baixo e gritando: ‘Isso é o que eu quero, mamãe. Dê para mim!’ É disso que tratam os sonhos – sonhos dormindo e sonhos acordados. Então, o que você quer ser capaz de fazer é olhar para o que está fazendo e dizer: ‘Isso é o que eu estou escolhendo ativamente, mas está tudo bem. Não é nada terrível. Eu estou simplesmente fazendo o que quero, porque eu tenho medo do que está além disso: o fim do meu especialismo. E eu estou perfeitamente disposto, nesse momento, a escolher a insanidade, porque eu não quero abrir mão do meu especialismo – mas está tudo bem.’

Essa será a maneira de refletir a escolha original que todos nós não fizemos, mas agora nós podemos fazer novamente: olhar para a ideia diminuta e louca – a ideia de estar separado de Deus – e dizer: ‘Isso não é nada. Isso é um sonho tolo. Isso é uma piada. ‘Nós olhamos para esse pensamento, como o Curso diz, com um sorriso gentil. Qualquer que seja esse pensamento dentro de você, não o justifique, não o racionalize, não se sinta culpado por ele, não o julgue. Simplesmente olhe para ele pelo que ele é, mas sorria para ele. É disso que realmente se trata.’

Então, pelo menos, você está sendo honesto e aberto consigo mesmo e, portanto, com Jesus. Isso é o que vai economizar milhares de anos. O objetivo é não ficar sem o seu especialismo, a sua culpa, os seus pensamentos de ataque ou a sua doença. O objetivo é estar ciente de que você os escolheu e de que pode fazer outra escolha quando estiver pronto. Ninguém está parado com uma arma apontada para a sua cabeça exigindo que você faça isso hoje. Se você acha que Jesus está fazendo isso, você está lendo o livro errado com o autor errado. Não é isso que ele faz. Ele nunca fez isso com Helen. Ele não faz isso com ninguém. Ele simplesmente o lembra gentilmente. Logo no final do Texto, ele diz:

Em toda dificuldade, toda aflição e a cada perplexidade, Cristo te chama e gentilmente diz: ‘Meu irmão, escolhe outra vez’ (T-31.VIII.3:2).

Ele não faz a escolha por você. Ele simplesmente diz:

‘Você está transtornado porque você está escolhendo contra a paz de Deus e isso está tudo bem. Eu estarei com amor ao seu lado e o lembrarei continuamente até que esteja pronto. Você é o único que tem o direito de decidir sobre a sua disponibilidade: eu não farei isso por você, porque no final não importa. Eu não violarei o poder de escolha de sua mente.’

Novamente, é isso que está por trás dessas declarações. Elas são extremamente importantes. Se você realmente as compreender e aprender, a sua experiência em Jesus será muito mais amorosa, muito mais gentil; e, portanto, você será muito mais amoroso e gentil consigo mesmo. E todas as pessoas ao seu redor ficarão muito gratas, porque você inevitavelmente será mais amoroso e gentil com elas. Você terá experienciado o amor e a gentileza do Céu e esse amor e gentileza se tornarão cada vez mais uma parte de você, que você inevitavelmente compartilhará com todos os outros. Portanto, não lute contra o seu especialismo. É correto dizer que você não está pronto para deixar isso ir. Pelo menos você está ciente de qual é o problema.

‘Mas pensa no tipo de dia que queres e dize a ti mesmo que há um caminho no qual esse dia pode acontecer exatamente assim. Então, tenta mais uma vez ter o dia que queres (T-30.I.1:8-9).’

Jesus está simplesmente dizendo:

‘Lembre-se de que você tem uma escolha.’

Quando ele diz que você pode ter o dia que quiser, ele não está falando sobre um dia em que você ganhe na loteria, ou em que um relacionamento dê certo de repente, ou você consiga a promoção ou o emprego que deseja. O dia que você deseja é um dia de paz ou de conflito; um dia de perdão ou um dia de culpa. Essas são as únicas possibilidades que alguém tem.

Esse Curso é tão simples porque existem apenas duas emoções: medo e amor. Existem apenas duas escolhas: culpa ou perdão, ataque ou paz, o ego ou o Espírito Santo, crucificação ou ressurreição e assim por diante. Todos esses são símbolos diferentes para a mesma ideia.

Portanto, o dia que você precisa é um dia em que realmente conhecerá a paz de Deus ou um dia em que terá ansiedade. Quando você guarda as suas queixas contra alguém, você está dizendo: ‘Eu quero um dia em que eu terei ansiedade, em que eu terei conflito, em que eu terei tumulto. E está tudo bem. Eu digo que quero um dia de paz, mas obviamente não o quero.’ Como você sabe que não quer paz? Porque você está guardando queixas! Você está ansioso por uma reunião que terá hoje. Você está segurando a dor, de modo que não se sente bem. Isso quer dizer que você não quer paz.

Portanto, bater na própria cabeça com Um Curso em Milagres e dizer a si mesmo que deseja paz não ajuda em nada. O que é útil é perceber que qualquer tipo de desconforto – emocional ou físico – vem da escolha de estar com o seu ego em vez de Jesus, o que é uma escolha de estar em conflito em vez de em paz e isso está tudo bem.

Muitas vezes me perguntam como eu classificaria experiências como excitações e êxtase. Elas também são do ego? Começo perguntando: ‘Tem certeza de que deseja que eu responda a isso?’ porque eu não tenho tanta certeza de que as pessoas realmente querem ouvir a resposta: Sim, alegria, excitação, drama, êxtase e assim por diante, são todos parte do ego. Se você pensar sobre o que é emocionante ou estimulante, empolgante, extático ou mesmo apaixonado, sempre descobrirá que é algo externo. Algo o estimula, o excita ou faz você se sentir maravilhoso – mas é sempre algo fora de você. É por isso que é do ego.

Enquanto acreditas que ele [o corpo] pode te dar prazer, também acreditarás que pode te trazer dor (T-19.IV-A.17:11).

Não é porque Deus está punindo você, mas porque se você encontra o seu prazer, paz ou felicidade fora de você, o que está fazendo? Você está substituindo Deus de novo, o que é uma reconstituição do momento original quando você se separou de Deus e, na verdade, disse: ‘Eu quero algo mais do que tudo. O Céu não é suficiente, eu quero algo mais.’

É aí que nasce a culpa e de onde virá toda a dor. E assim, sempre que você buscar o prazer fora de você e torná-lo real para você mesmo, você sentirá culpa e, portanto, dor. Isso não significa que, como um bom estudante de Um Curso em Milagres, você não possa desfrutar das coisas do mundo. Mas quando você leva o mundo a sério e tem algo no mundo que se torna a sua salvação – o começo e o fim de toda a sua existência -, você paga um preço.

Mas, para repetir, isso não significa que você não possa desfrutar das coisas físicas ou emocionais e psicológicas do seu mundo. Apenas perceba que há uma parte de você que está escolhendo isso ao invés da paz de Deus. Se você puder estar ciente disso, não se sentirá culpado. E se você não for culpado, não pagará o preço.

Mais uma vez, só para finalizar com isso agora: quando você percebe que a sua resistência é forte e a sua dedicação é fraca, você está simplesmente dizendo: ‘Eu não estou pronto’. Mas você também quer dizer a si mesmo: ‘Eu sei que o meu especialismo não vai me dar o dia que eu realmente quero. Vai me dar o dia que o meu ego deseja, mas não o dia que eu realmente quero, o que significa que ainda tenho uma mente dividida. E isso não me torna mau, ruim ou pecador, mas significa que eu não vou encontrar a verdadeira felicidade hoje. E não vou encontrá-la porque eu não quero encontrá-la. E que está tudo bem.’

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 5

‘Eu nunca estou transtornado pela razão que imagino.’

Essa ideia, como a precedente pode ser usada com qualquer pessoa, situação ou evento que no teu pensamento estejam te causando dor. Aplica-a especificamente a qualquer coisa que acredites ser a causa do teu transtorno, usando para a descrição do sentimento quaisquer termos que te parecerem exatos. O transtorno pode parecer ser medo, preocupação, depressão, ansiedade, raiva, ódio, ciúme ou inúmeras outras formas, das quais todas serão percebidas como diferentes. Isso não é verdadeiro. Contudo, até aprenderes que a forma não importa, cada uma vem a ser um sujeito apropriado para os exercícios do dia. Aplicar a mesma ideia a cada uma delas separadamente é o primeiro passo para reconheceres que, em última instância, todas são a mesma.

Ao usares a ideia de hoje para algo que percebes como a causa específica de qualquer forma de transtorno, usa tanto o nome da forma na qual vês o transtorno quanto a causa a que tu o atribuis. Por exemplo:

“Eu não estou com raiva de _____________ pela razão que imagino.”

“Eu não estou com medo de ____________ pela razão que imagino.”

Todavia, mas uma vez, isso não deve substituir os períodos de prática em que primeiro procuras na tua mente as ‘fontes’ do transtorno no qual acreditas e as formas de transtorno que pensas resultarem delas.

Nestes exercícios, mais do que nos precedentes, podes achar difícil ser indiscriminado e evitar dar a alguns sujeitos maior peso do que a outros. Talvez ajude, se precederes os exercícios com a declaração:

‘Não há pequenos transtornos. Todos eles perturbam do mesmo modo a paz da minha mente’

Em seguida, examina a tua mente procurando o que quer que seja que esteja te afligindo, independentemente de achares que isso está te afligindo muito ou pouco.

Também podes estar menos disposto a aplicar a ideia de hoje a algumas das coisas que percebes como fontes de transtorno mais do que a outras. Se isso ocorre, pensa primeiro no seguinte:

‘Eu não posso guardar essa forma de transtorno e abandonar as outras. Assim, para os propósitos destes exercícios, eu vou considerá-las todas como a mesma.’

Então investiga a tua mente por não mais de um minuto e tenta identificar algumas formas diferentes de transtorno que estão te perturbando, independentemente da relativa importância que possas lhes dar. Aplica a ideia para o dia de hoje a cada uma delas, usando tanto o nome da fonte do transtorno como a percebes, quanto do sentimento como o experimentas. Outros exemplos são:

“Eu não estou preocupado com _________ pela razão que imagino.”

“Eu não estou deprimido com __________ pela razão que imagino.”

Três ou quatro vezes durante o dia é o suficiente.

—–

Imagem oscar-keys-AmPRUnRb6N0-unsplash.jpg – 1 de outubro de 2022

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of  salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x