Tendo como base a ideia e a proposta do livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance, o objetivo dessa série de artigos do Projeto OREM® – OREM3 é analisarmos todo o material disponível e relevante sobre o Livro de Exercícios de Um Curso em Milagres para cada exercício diário, de maneira a auxiliar e facilitar o entendimento sobre o sistema de pensamento do Curso.

Para cada dia de estudo, nós estaremos incluindo também uma parte relevante do livro Texto, uma parte relevante do Material Suplementar (Cadernos de Taquigrafia de Helen Schucman e Versão Urtext de UCEM), alguns artigos relevantes de Professores Avançados e as próprias lições do Livro de Exercícios para cada dia (365 dias).

Lembrando que grande parte dos materiais suplementares (cadernos de taquigrafia de Helen e versão Urtext de UCEM), que constarão nessa série de artigos, não foram considerados na edição final de Um Curso em Milagres, por terem sido considerados “muito pessoais” pela equipe responsável pela edição1, porém importantes como material complementar, como nós veremos a seguir, por se tratar da ensinamentos compartilhados pelo autor do livro (Jesus).

Veja detalhes em artigo na Categoria “Um Curso em Milagres” de número 12 – “As versões iniciais e a edição de UCEM”.

Como diz Jeff Nance, “milagres não faltam!”

Nota: Nós consideramos que o estudante se beneficiará dessa série de artigos do Projeto OREM® a partir do momento que, já tendo concluída a leitura do livro Texto, realizado os exercícios e práticas do Livro de Exercícios e concluída a leitura do Manual de Professores, estará, portanto, nesse momento, retomando uma segunda rodada de conhecimento e entendimento do sistema de pensamento de Um Curso em Milagres (UCEM).

“Esse curso é um começo, não um fim…” (T-Prefácio)

Tradução livre Projeto OREM®

Dia 24

“Deve-se notar que o oposto de a favor é contra. Estritamente falando, então, o oposto de projetar é conjeturar. Outros erros surgem em conexão com defesas auxiliares, a serem considerados posteriormente. Por exemplo, desânimo, que está obviamente associado à depressão, injeção, que pode prontamente ser interpretado equivocadamente, em termos de falácias de posse (particularmente conhecimento) e rejeição, que está claramente associada à negação. Deve-se notar também que a rejeição pode ser usada como recusa, termo que necessariamente envolve uma percepção do que é recusado como algo indigno.

A projeção realizada por Deus era muito semelhante ao tipo de esplendor interior que as Crianças do Pai herdam Dele. É importante notar que o termo ‘projeto para fora’ implica necessariamente que a verdadeira fonte de projeção é interna. Isso é tão verdadeiro para o Filho quanto para o Pai.

O mundo, em sua conotação original, incluiu tanto a própria criação do homem por Deus quanto a própria criação do homem em sua Mente Certa. Este último exigia a dotação do homem por Deus com livre arbítrio, porque toda criação amorosa é dada gratuitamente. Nada em nenhuma dessas afirmações implica qualquer tipo de envolvimento de nível, ou, de fato, nada exceto uma linha contínua de criação, na qual todos os aspectos são da mesma ordem.

Quando as ‘mentiras da serpente’ foram introduzidas, elas foram especificamente chamadas de mentiras porque não são verdadeiras. Quando o homem ouviu, tudo o que ele ouviu, era mentira. Ele não precisa continuar acreditando no que não é verdade, a menos que decida fazê-lo. Todas as suas criações equivocadas podem desaparecer no conhecido ‘piscar de olhos’, porque é uma percepção visual equivocada.

O Olho Espiritual do Homem pode dormir, mas como logo aparecerá nas notas (referência Bob, ascensorista) um olho adormecido ainda pode ver. Uma tradução da Queda, uma visão enfatizada por Mary Baker Eddy e digna de nota, é que ‘um sono profundo caiu sobre Adão’. Enquanto a Bíblia continua a associar esse sono como uma espécie de anestésico utilizado para proteção de Adão durante a criação de Eva, a Sra. Eddy estava correta ao enfatizar que em nenhum lugar há qualquer referência ao seu despertar. Embora a Ciência Cristã seja claramente incompleta, esse ponto é muito a seu favor.

A história do homem no mundo como ele o viu não foi caracterizada por nenhum despertar ou renascimento genuíno ou abrangente. Isso é impossível enquanto o homem projetar no espírito da criação equivocada. Isso ainda permanece dentro dele para projetar como Deus projetou o seu próprio Espírito nele. Na realidade, essa é a sua ÚNICA escolha, porque o seu livre arbítrio foi feito para a sua própria alegria em criar o perfeito.

Todo medo é, em última análise, redutível à percepção equivocada básica da capacidade do homem de USURPAR o poder de Deus. É novamente enfatizado que ele nem PODE nem TEM sido capaz de fazer isso. Nessa afirmação está a verdadeira justificativa para a sua fuga do medo. Isso é causado por sua aceitação da Expiação, que o coloca em posição de perceber que os seus próprios erros nunca realmente ocorreram.

Quando o sono profundo caiu sobre Adão, ele estava então em condições de ter pesadelos, justamente porque ele estava dormindo. Se uma luz é acesa de repente enquanto alguém está sonhando e o conteúdo de seu sonho é assustador, é provável que inicialmente ele interprete a própria luz como parte do conteúdo de seu próprio sonho. No entanto, assim que ele acorda, a luz é percebida corretamente como a liberação do sonho, que não é mais realidade. Gostaria de concluir isso com a injunção bíblica ‘Vai e faze da mesma maneira.’ [Lucas 10:37]

É bastante evidente que isso depende do tipo de conhecimento que NÃO foi referido pela ‘Árvore do Conhecimento’ que deu mentiras como fruto. O conhecimento que ilumina em vez de obscurecer é o conhecimento que não apenas o torna livre, mas também mostra claramente que você É livre.

As seções anteriores foram inseridas devido à necessidade de distinguir entre o conhecimento real e o falso. Feita essa distinção, é bom retornar aos erros já listados há algum tempo. Pode ser bom recapitular aqui. 1) O primeiro envolveu a falácia de que apenas o físico é real. 2) A segunda envolvia coisas e não pessoas. 3) A terceira envolve a dotação do físico com propriedades não físicas. 4) E a quarta esclareceu o mau uso do conhecimento. Todos eles foram incluídos em falácias de posse. O mecanismo de negação para 3) já foi estabelecido com alguns detalhes e também continuará após o seguinte:

(seção redigitada sobre viciados em corridas de cavalos, alcoólatra excluído aqui – nota do editor)

As defesas destinadas a proteger (ou reter) o erro são particularmente difíceis de desfazer, porque introduzem percepções equivocadas de segunda ordem que obscurecem ainda mais os erros subjacentes.

O mecanismo pseudocorretivo de 3) {posse associada a ‘espíritos’} tende a ser mais variado devido à natureza mais inclusiva do erro, já mencionada. Algumas das possibilidades estão listadas abaixo:

a) Um aspecto do conflito percebido de posse/possuído pode ser elevado à predominância.

Se isso for tentado em conexão com POSSUIR, isso leva à solução paranoica.

O componente subjacente de ‘ser possuído’ é retido nas fantasias de ‘perseguição’, que geralmente são concomitantes.

b) Se o ‘ser possuído’ é levado à ascendência, resulta um estado de algum tipo de possessão por forças externas, mas NÃO com grande ênfase em atacar os outros. Ataque POR outros torna-se o componente mais óbvio. Nas formas mais virulentas, há uma sensação de estar possuído por demônios e a menos que haja vacilação com a) {posse vs. ser possuído}, uma solução catatônica é mais provável do que uma paranoica.

O paranoico FOCADO tornou-se mais rígido em sua solução e centra-se em UMA fonte de projeção para escapar da vacilação. (Aparte: deve-se notar que esse tipo de paranoia é uma forma de religião de cabeça para baixo, por causa de sua óbvia tentativa de unificar em unicidade.)”

Todo medo é, em última análise, redutível à percepção equivocada básica da capacidade do homem de USURPAR o poder de Deus. É novamente enfatizado que ele nem PODE nem TEM sido capaz de fazer isso. Nessa afirmação está a verdadeira justificativa para a sua fuga do medo. Isso é causado por sua aceitação da Expiação, que o coloca em posição de perceber que os seus próprios erros nunca realmente ocorreram.

Urtext – Esclarecimento de Termos (Jesus – Cristo)

“O nome de Jesus é o nome de alguém que foi um homem, mas viu a face de Cristo em todos os seus irmãos e se lembrou de Deus. Assim ele veio a se identificar com Cristo, já não mais um homem, mas um só com Deus. O homem era uma ilusão, pois parecia um ser separado, caminhando por si mesmo, dentro de um corpo que aparentava manter o seu ser separado do Ser, como fazem todas as ilusões. Entretanto, quem pode salvar a não ser que veja as ilusões e as identifique exatamente como são? Jesus continua sendo um Salvador porque viu o falso, sem aceitá-lo como verdadeiro. E Cristo precisava da sua forma para que pudesse aparecer aos homens e salvá-los de suas próprias ilusões.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 24

“’ Eu não percebo os meus maiores interesses.’

Em nenhuma situação que surja, reconheces qual é o resultado que te faria feliz. Portanto, não tens nenhum guia para a ação apropriada e nenhum modo de julgar o resultado. O que fazes é determinado pela tua percepção da situação e essa percepção está errada. Assim, é inevitável que não sirvas aos teus maiores interesses. No entanto, eles são a tua única meta em qualquer situação que seja corretamente percebida. De outra forma, não reconhecerás quais são eles.

Se reconhecesses que não percebes os teus maiores interesses, seria possível ensinar-te o que eles são. Mas, na presença da tua convicção de que sabes, não podes aprender. A ideia para o dia de hoje é um passo em direção a abrir a tua mente para que o aprendizado possa começar.

Os exercícios para o dia de hoje requerem muito mais honestidade do que estás acostumado a usar. Alguns poucos sujeitos, considerados honesta e cuidadosamente em cada um dos cinco períodos de prática que devem ser empreendidos hoje, serão mais úteis do que um exame mais superficial de um grande número deles. Sugere-se dois minutos para cada período de exame mental envolvido nos exercícios.

Os períodos de prática devem começar com a repetição da ideia para o dia de hoje, seguida pelo exame da mente, com os olhos fechados, em busca de situações não resolvidas acerca das quais estás atualmente preocupado. A ênfase deve estar em descobrir o resultado que queres. Reconhecerás com rapidez que tens várias metas em mente que fazem parte do resultado desejado e também que essas metas estão em níveis diferentes e são, frequentemente, conflitantes.

Ao aplicares a ideia para o dia de hoje, cita cada situação que te ocorrer e depois enumera cuidadosamente o maior número possível de metas que gostarias que fossem alcançadas na sua resolução.

A forma de cada aplicação deve ser mais ou menos a seguinte:

Na situação referente a ______, eu gostaria que ______ acontecesse, e que ____ acontecesse,

E assim por diante. Tenta incluir tantos tipos diferentes de resultados quanto honestamente te possam ocorrer, mesmo que alguns deles não lhe pareçam diretamente relacionados com a situação, ou nem mesmo ser inerentes a ela de forma alguma.

Se estes exercícios forem feitos adequadamente, reconhecerás com rapidez que estás fazendo um grande número de exigências que nada têm a ver com a situação. Tu também reconhecerás que muitas das tuas metas são contraditórias, que não tens nenhum resultado unificado em mente e que, independentemente de como a situação se resolva, não podes deixar de te desapontar com relação a algumas das tuas metas. Depois de examinares a lista do maior número possível de metas almejadas para cada situação não resolvida que passa pela tua mente, dize a ti mesmo:

‘Eu não percebo os meus maiores interesses nessa situação,’

E passa para a seguinte.”

“O nome de Jesus é o nome de alguém que foi um homem, mas viu a face de Cristo em todos os seus irmãos e se lembrou de Deus. Assim ele veio a se identificar com Cristo, já não mais um homem, mas um só com Deus. O homem era uma ilusão, pois parecia um ser separado, caminhando por si mesmo, dentro de um corpo que aparentava manter o seu ser separado do Ser, como fazem todas as ilusões. Entretanto, quem pode salvar a não ser que veja as ilusões e as identifique exatamente como são? Jesus continua sendo um Salvador porque viu o falso, sem aceitá-lo como verdadeiro. E Cristo precisava da sua forma para que pudesse aparecer aos homens e salvá-los de suas próprias ilusões.”

Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, que transcrevemos trechos em tradução livre para a nossa reflexão e o nosso entendimento sobre o sistema de pensamento do Curso.

O artigo completo poderá ser acessado, em inglês, através do site da Fundação, no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Sugerimos leitura complementar dos artigos da OREM3: 55 – Regras para decisões em UCEM – Parte I; 56 – Regras para decisões em UCEM – Parte II; 57 – Regras para decisões em UCEM – Parte III; 58 – Regras para decisões em UCEM – Parte IV; 59 – Regras para decisões em UCEM – Parte V.

“…Vamos voltar para o Livro de Exercícios por um momento, para a Lição 24: ‘Eu não percebo os meus maiores interesses.’ Eu lerei os dois primeiros parágrafos que basicamente ecoam o que nós estivemos falando nas ‘Regras para decisões’ e em ‘Estabelecer a meta’.

Em nenhuma situação que surja, reconheces qual é o resultado que te faria feliz. Portanto, não tens nenhum guia para a ação apropriada e nenhum modo de julgar o resultado (LE-pI.24.1:1-2).

Porque nós entendemos tudo ao contrário, nós pensamos que a ‘ação apropriada’ é o que vai satisfazer as nossas necessidades e nos fazer felizes. A ‘ação apropriada’ é tudo o que nos ensina as lições de perdão do Espírito Santo. Em outras palavras, a situação é o meio que nos ajudará a cumprir a meta que nós estabelecemos.

O que fazes é determinado pela tua percepção da situação e essa percepção está errada [porque, novamente, a maneira como nós vamos perceber a situação é em termos do que vai atender às nossas necessidades de especialismo]. Assim, é inevitável que não sirvas aos teus maiores interesses (LE-pI.24.1:3-4).

No entanto, eles são a tua única meta em qualquer situação que seja corretamente percebida. De outra forma, não reconhecerás quais são eles (LE-pI.24.1:5-6).

Portanto, nós vemos tudo no mundo como o que atenderá aos nossos separados interesses especiais, não o interesse que nos restaurará a consciência no nível da realidade de que nós somos todos um só e que o que acontece com um afeta a todos.

Se reconhecesses que não percebes os teus maiores interesses, seria possível ensinar-te o que eles são. Mas, na presença da tua convicção de que sabes, não podes aprender (LE-pI.24.2:1-2).

Muito do Curso é voltado para que nós entendamos que nós não sabemos nada. Perto do final do Texto há uma passagem que resume isso enfaticamente:

Não há declaração que o mundo tenha mais medo de ouvir do que essa: Eu não sei o que sou e, portanto, não sei o que estou fazendo, onde estou ou como olhar para o mundo ou para mim mesmo (T-31.V.17:6-7).

O que isso realmente diz é que eu inventei tudo e, portanto, não consigo entender nada. Esse é um Curso – declaração clássica – em desfazer a aparente certeza e arrogância do ego. No entanto, o ego responderá com: ‘Bem, se você não sabe quem você é, isso deve significar que você não é nada – porque se você não está comigo, você não é nada.’ O propósito do ego nisso é deixá-lo muito confuso e assustado. O que o ego não lhe diz é que, se você não estiver com ele (o ego), você estará com Deus. O ego tenta confundi-lo sobre não estar confuso. A confusão é uma defesa contra o conhecimento da verdade. Primeiro, há o medo de saber a verdade e, então, a confusão é uma defesa contra isso.

Deixe-me apenas elaborar um pouco mais sobre isso. O ego quer que nós acreditemos que realmente nós entendemos a diferença entre o que é verdadeiro e o que é falso, o que é importante para mim e o que não é importante. Assim que o mais importante, repito, é compreender que nós não compreendemos.

Isso é o que Jesus quer dizer com a diferença entre humildade e arrogância, que é um tema importante no Curso. A arrogância diz: ‘Eu sei, eu entendo.’ A arrogância diz: ‘Eu posso ler esse Curso uma, duas ou cinco vezes e entender o que ele diz.’ A humildade diz: ‘Eu não tenho a menor ideia do que eu estou falando, portanto, como eu posso ter uma ideia do que é esse Curso?’

Muito disso, como está claramente afirmado nessa passagem, está nos ajudando a perceber que nós não sabemos. Mas se nós pensarmos que nós sabemos, nós não acreditaremos que precisamos ser ensinados. Portanto, como Jesus pode nos ajudar nesse Curso? Esse é um Curso em aprendizado. Esse é um caminho espiritual que visa diretamente o aprendizado, o que significa que, como estudante desse caminho, você tem que estar aberto para ser ensinado. Se você pensa que já sabe o que é o mundo, se pensa que já sabe o que é o perdão, não há como esse Curso lhe ensinar isso. Não tem como alguém lhe ensinar, porque você já tem certeza de que entende.

Eu disse antes que as pessoas pensam que existem diferentes interpretações válidas para esse Curso. Se é isso que você pensa, você nunca aprenderá o que esse Curso significa, porque você pensará que a sua interpretação é válida porque é a sua interpretação e isso está bem. Isso não está bem. Você não saberá o que o Curso está lhe ensinando precisamente porque você tem certeza absoluta de que o entende. Consequentemente, você não estará aberto para ser ensinado.

Esse é um Curso em ensino com Jesus como professor e a sua mensagem vem por meio desses Livros. Se você acha que já os entende, como você aprenderá com eles? Então você irá até pensar que pode ensiná-lo! O que ele está dizendo é que é muito importante que você entenda que você não entende. Você não entende os seus maiores interesses, então como poderia entender um Curso cujo propósito é ensinar o quanto você não sabe e o quão insano você o é. E simplesmente estar nesse mundo é a prova de que você é insano! Pensar que você tem um cérebro que pensa é insano, porque o cérebro não pensa: o cérebro é o reflexo ou a sombra de um sistema de pensamento em sua mente. Mas, se você for sem mente, como você pode saber se há um problema?

Esse não é um Curso que você possa dominar em um nível intelectual. Não há dúvida de que ele foi escrito em um alto nível intelectual e foi feito para ser estudado e pensado. Mas se você acha que a compreensão vem do seu pensamento sobre isso, você perderá o ponto principal. A sua compreensão virá apesar de você pensar a respeito. O que torna essa ferramenta espiritual tão poderosa é que ela parece estar fazendo uma coisa, quando na verdade faz exatamente o oposto. Ele está escrito, novamente, em um nível intelectual e deve ser estudado continuamente.

Jesus disse a Helen e Bill: ‘Estudem essas anotações. Vocês não estão estudando essas anotações e é por isso que o que aconteceu com vocês ontem aconteceu – porque vocês não estudaram o que eu ditei para vocês.’

Portanto, ele queria que essas ‘anotações’ fossem estudadas da mesma forma que um Texto na faculdade é estudado. Mas, à medida que você estuda, você começa a perceber, com o tempo, que está aprendendo exatamente o oposto do que pensa que está fazendo.

Este é um Curso que o levará além do seu intelecto e do seu cérebro para uma experiência de amor. E assim, conforme você passa pelo processo de estudar e praticar e fazer exatamente o que ele diz, você será conduzido em uma jornada que é exatamente o oposto do que você pensa que está fazendo. Essa é uma jornada que o levará, por sua própria natureza, ao cerne do problema, que é a sua mente.

É por isso que quando as pessoas tentam mudar esse Curso (por exemplo, apresentar um modo diferente de fazer o Livro de Exercícios ou um modo diferente de estudar o Texto), elas não estão cientes de que estão adulterando o próprio coração e a alma desse Livro, porque o currículo é fazer exatamente o que Jesus diz aqui: estude o Texto como ele dá, faça o Livro de Exercícios como ele diz que você deve fazer. O próprio fato de você fazer assim o conduziria automaticamente na jornada com ele como seu guia.

Quando você muda, quando escreve versões resumidas e encurta, o que você realmente está fazendo é atacar esse Curso e seu autor dizendo: ‘Eu posso fazer isso melhor do que ele. Você não precisa de 365 lições; você precisa ‘x’ quantidades de lições. Existem atalhos para estudar esse Texto. Você não tem que percorrer tudo isso – afinal, são apenas as mesmas coisas continuamente.’

O que você realmente está fazendo é subvertendo o processo pedagógico que novamente é a essência do Curso. O atalho para este Curso é que não existe atalho! Você deve fazer exatamente do modo que é dado. Por que você faria diferente, a menos que achasse que poderia fazer um trabalho melhor do que ele? Não é pecaminoso se você fizer isso de maneira diferente. Não é pecaminoso se você fizer as lições do Livro de trás para a frente; é apenas mais um reflexo do seu problema de autoridade. Você não será punido por isso, mas também não encontrará paz ou verdade. Uma das melhores maneiras de aprender este Curso é observar como o seu ego será sutil [sorrateiro] ao tentar subvertê-lo, mudá-lo, distorcê-lo e torná-lo a sua própria imagem, em vez de crescer na imagem que ele [o Curso] lhe dá a você.

Fazer o Curso da maneira que ele deu é a maneira que você vai ‘desaprender’ o seu ego. E você não precisa entender como isso acontece – acontecerá apesar de sua aparente compreensão. Há uma frase maravilhosa no Texto:

Ainda estás convencido de que a tua compreensão é uma contribuição poderosa para a verdade e faz dela o que ela é (T-18.IV.7:5).

Essa é outra linha que o ego odeia, porque nós estamos sempre tentando entender. A maneira de entender esse Curso é fazer o que ele diz, que é olhar para o seu especialismo e a sua culpa com o amor de Jesus ao seu lado. É assim que você entenderá esse Curso. A compreensão não é alcançada por meio do domínio intelectual de seus princípios.

Você pode repetir o Curso perfeitamente e não ter a menor ideia do que ele diz. Você não tem que distorcer o Curso mudando o que ele diz intelectualmente: você pode devolver exatamente o que ele diz intelectualmente, mas você não vai entender o que ele está dizendo, porque você não se tornou parte do processo. O domínio intelectual do Curso é o trampolim para a experiência que o Curso vai lhe dar.

Esse é um currículo muito cuidadosamente concebido e bem pensado: não tente mudá-lo. Simplesmente faça o que ele diz da melhor maneira possível. O aprendizado e a compreensão virão de outra parte de sua mente – certamente não virão de seu cérebro.

A ideia para o dia de hoje [Eu não percebo os meus maiores interesses] é um passo em direção a abrir a tua mente para que o aprendizado possa começar (LE-pI.24.2:3).

Dizer que o propósito do Curso é abrir a sua mente é dizer que é um Curso em desfazer. No Manual de Professores, Jesus afirma que ‘o aprendizado verdadeiro’ nesse mundo é ‘des-aprendizado’ (MP-4.X.3:7).

A você não precisa ser ensinado nada, porque a verdade já está presente em sua mente por meio do Espírito Santo. Você deve ser ensinado a ‘desaprender’ o que o ego fez no lugar da verdade. Trata-se de abrir as nossas mentes, porque as nossas mentes estão literalmente fechadas. Essa é outra maneira de dizer o que significa ser ‘sem mente’ [veja o gráfico].

Nossas mentes se fecham na culpa, depois a colocamos do lado de fora e agora nós somos tão positivos que nós entendemos o que está acontecendo nesse mundo. Nós entendemos como sobreviver nesse mundo, porque nós vivemos em um mundo que parece estar fora de nós – que parece ser hostil e ameaçador para nós. É um mundo em que nós nos sentimos extremamente vulneráveis. Nós temos certeza de que nós entendemos como as coisas funcionam nesse mundo. Nós temos certeza de que nós entendemos como o corpo funciona. Nós temos todos esses cientistas brilhantes que sabem muito bem como o corpo funciona. Eles estão todos completamente errados! O corpo não funciona dentro de si mesmo, o corpo funciona porque a mente lhe diz que assim deve funcionar.

A razão pela qual essa moeda caiu quando a deixo cair não é a lei da gravidade. Praticamente todo mundo nesse mundo dirá que essa moeda caiu por causa da lei da gravidade. Isso não é verdade. A moeda caiu porque nós fizemos um mundo com uma lei da gravidade que resulta na queda dos objetos, porque essa é outra forma de provar que esse é um mundo lícito que obedece a princípios que sempre valem. A coisa toda está inventada! A razão pela qual a moeda caiu é que nós escolhemos ouvir o ego. E então, passo a passo dessa crença, dessa escolha, nós criamos um mundo que reflete o sistema de pensamento do ego. A lei da gravidade não é uma lei. É uma distorção de uma lei. O corpo não funciona por todos os motivos pelos quais as pessoas dizem que funciona: O corpo funciona porque nós escolhemos o ego em vez do Espírito Santo.

Se você realmente deseja fazer uma mudança significativa no mundo, mude de ideia. Para citar a famosa frase:

… não busques mudar o mundo, mas escolhe mudar a tua ideia sobre o mundo (T-21.in.1:7).

Se você realmente quer mudar o mundo, mude a si mesmo – porque você é o mundo. Não há mundo lá fora, lembre-se. Não existe mundo fora de você, então por que você quer mudar um mundo que não existe? Você precisa mudar de ideia ou de um pensamento que diga que existe um mundo lá fora. Mude de ideia, então a sua mente estará totalmente identificada com o amor. E então essa presença de amor se refletirá no sonho e funcionará através de você, para que você aja com amor no mundo.

Mas o seu único foco será no Amor de Deus em sua mente. Isso é muito simples – você não precisa se preocupar com o mundo. O amor trabalhará através de você e o guiará pelo mundo sem nenhum esforço de sua parte.

Por causa do entendimento equivocado generalizado sobre esses princípios, é de valor notar novamente que a concentração do Curso em minha reação ao que você faz de forma alguma apoia uma atitude de indiferença em relação ao que está acontecendo no mundo. Pelo contrário, uma vez que os pensamentos do meu ego estejam fora do caminho, o amor será expresso através de mim e, portanto, farei automaticamente o que está no melhor interesse de todos, em vez de ser motivado apenas pela urgência de ter as minhas necessidades especiais satisfeitas.

Mas para que isso aconteça você deve primeiro ter uma atitude de humildade que diz: ‘Eu não entendo nada.’ Dessa forma, você está abrindo a sua mente para que possa ser ensinado. Se você tem a atitude de ser uma criança, como Jesus continuamente diz aos seus estudantes no Curso, então, como uma criança, você aprenderá. Essa é a atitude que você deve ter: eu sou um bebezinho e não entendo nada, mas graças a Deus, há esse irmão amoroso dentro de mim que vai me ensinar. E esse aprendizado vem de dentro de mim; não vem de fora de mim.”

—–

Dia 25

“Tanto 1), 2) quanto 4) {posse associada a corpo, coisas e conhecimento} são mais propensos a produzir estados neuróticos do que psicóticos, embora isso não seja de forma alguma garantido.

No entanto, 3) {distorções relacionadas à posse de espíritos} é inerentemente mais vulnerável à correção psicótica, novamente por causa da confusão de nível mais fundamental que está envolvida.

Deve-se notar, no entanto, que o maior medo que é induzido por 3 {distorções relativas à posse de espíritos} pode, por si mesmo, atingir proporções psicóticas, forçando o indivíduo cada vez mais perto de uma solução psicótica.

Ressalta-se aqui que essas diferenças não têm nenhum efeito sobre o milagre, que pode curar qualquer um deles com igual facilidade. Isso é por causa da inerente  evitação do milagre de distinções de erro. A sua ÚNICA preocupação é distinguir entre a verdade, por um lado e TODOS os tipos de erros, por outro. É por isso que alguns milagres PARECEM ser de maior magnitude do que outros. Mas lembre-se do primeiro ponto desse curso, ou seja, que não há ordem de dificuldade nos milagres.

A ênfase na doença mental que está marcada nessas notas reflete o aspecto ‘DESFAZER’ do milagre. O aspecto ‘FAZER’ é, obviamente, muito mais importante. Mas um verdadeiro milagre não pode ocorrer em uma base falsa. Às vezes, o desfazer tem que precedê-lo.

Outras vezes, ambos podem ocorrer simultaneamente, mas você não está preparado para isso no momento.

Além disso, insights sobre doenças mentais podem ser mal utilizados e levar à preocupação com os próprios sintomas. É por isso que essa área é menos construtiva para a maioria das pessoas do que um curso dedicado principalmente à saúde mental. No entanto, algumas profissões acharão construtivos alguns princípios de doença mental, especialmente aquelas que se preocupam com a doença mental em outros. Isso obviamente inclui os psicólogos.”

A Falácia da Posse

“A correção óbvia para TODOS os tipos de falácia da posse é redefinir a posse corretamente. No sentido de ‘assumir o controle’, o conceito não existe na realidade divina, que é o único nível de realidade onde a existência real é um termo significativo.

Ninguém PODE ser ‘controlado’ a menos que queira. No entanto, se ele coloca a sua mente sob tirania, em vez de autoridade, (ver referência anterior), ele irrompe o conceito de submissão/dominação no livre-arbítrio em si mesmo. Isso produz a óbvia contradição inerente a qualquer formulação que associe livre-arbítrio com prisão. Mesmo em formas muito leves, esse tipo de associação é arriscado e pode se espalhar inesperadamente, principalmente sob estresse externo. Isso ocorre porque ele pode ser controlado internamente SOMENTE se as condições EXTERNAS forem pacíficas. Isso não é seguro, porque as condições externas são produzidas pelos pensamentos de muitos, dos quais nem todos são puros de coração ainda.

Por que você deveria estar à mercê DELES? Essa questão está muito intimamente relacionada com a questão da posse como um todo. Você insiste em pensar que as pessoas PODEM possuir você, se você acredita que os seus pensamentos (ou o ambiente externo) podem afetá-lo, independentemente do QUE eles pensam. Você não é afetado por TODAS as expressões de falta de amor. Essas podem ser de você mesmo e dos outros, ou de você mesmo para os outros, ou dos outros para você. (Fico feliz por você ter passado no teste. Foi crucial. Essa é uma referência à relutância de Helen em tomar os ditados como dados.)

A paz é um atributo em VOCÊ. Você não pode encontrá-la fora. Toda doença mental é alguma forma de busca EXTERNA. Saúde mental é paz INTERIOR. Isso permite que você permaneça inabalável pela falta de amor de fora e capaz, através de seus próprios milagres, de CORRIGIR as condições externas, que procedem da falta de amor nos outros.”

A Reinterpretação das Defesas

[FIP T-2.II. A Expiação como Defesa]

Quando você tem medo de QUALQUER COISA, você está reconhecendo o poder dela de machucar você.

Lembre-se de que onde está o seu coração, também está o seu tesouro. Isso significa que você acredita no que você VALORIZA. Se você tem MEDO, você está VALORIZANDO ERRADO. A compreensão humana inevitavelmente valorizará o errado e, dotando todos os pensamentos humanos com igual poder, inevitavelmente DESTRUIRÁ a paz. É por isso que a Bíblia fala da ‘paz de Deus que EXCEDE o entendimento (humano)’. [Filipenses 4:7]

ESSA paz é totalmente incapaz de ser abalada por erros humanos de qualquer espécie. Isso nega a capacidade de qualquer coisa que não seja de Deus de afetá-lo de alguma forma.

Esse é o uso ADEQUADO da negação. Isso não é usado para OCULTAR nada, mas é usado para corrigir erros. Isso traz TODO o erro para a luz e como erro e a escuridão são a mesma coisa, ele abole o erro automaticamente.

A negação verdadeira é um dispositivo de proteção muito poderoso. Você pode e deve negar qualquer crença de que o erro possa prejudicar você. Esse tipo de negação NÃO é um dispositivo de ocultação, mas um dispositivo de correção.

A ‘Mente Certa’ do mentalmente saudável DEPENDE disso.

Você pode fazer QUALQUER COISA que eu pedir. Eu lhe pedi para fazer milagres e deixei MUITO claro que eles são NATURAIS, CORRETIVOS, CURATIVOS e UNIVERSAIS. Não há nada de bom que eles não possam fazer. Mas eles não podem ser realizados no espírito da dúvida. Lembre-se da minha própria pergunta, antes de fazer a sua: ‘Ó homens de pouca fé, por que DUVIDASTE’.

(Referência a Cristo e os apóstolos andando sobre as águas.)

Vocês SE perguntaram por que vocês não puderam realmente incorporar as minhas palavras. (A ideia de canibalismo em conexão com o Sacramento é um reflexo de uma visão distorcida de compartilhar. Eu disse a vocês antes que a palavra ‘sede’ em conexão com o Espírito foi usada (na Bíblia) por causa da compreensão limitada daqueles a quem Eu falei. Eu também disse para você NÃO usar isso. O mesmo vale para expressões como ‘alimentar-se’. A simbiose é compreendida equivocadamente pelos doentes mentais, que a usam dessa maneira.) (Mas também eu disse a vocês que vocês têm que reconhecer a vossa total dependência de Deus, uma afirmação da qual vocês não gostaram.)

Urtext – Esclarecimento de Termos (Jesus – Cristo)

“Em sua completa identificação com o Cristo – o Filho perfeito de Deus, a Sua única criação e a Sua felicidade, para sempre como Ele e Um Só com Ele – Jesus veio a ser o que todos nós temos que ser. Ele nos mostrou o caminho para que nós o sigamos. Ele nos conduz de volta a Deus porque ele viu a estrada diante de si e a seguiu. Ele fez uma distinção clara, ainda obscura para nós, entre o falso e o verdadeiro. Ele nos ofereceu uma demonstração final de que é impossível matar o Filho de Deus; nem a sua vida pode ser mudada de forma alguma pelo pecado e pelo mal, pela malícia, pelo medo ou pela morte.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 25

“’Eu não sei para que serve coisa alguma.’

Propósito é significado. A ideia de hoje explica por que nada do que vês significa coisa alguma. Não sabes para que servem as coisas. Portanto, não têm significados para ti. Tudo é para o teu próprio interesse. É para isso que serve; é esse o teu propósito, é isso o que significa. É reconhecendo isso que as tuas metas vêm a ser unificadas. É no reconhecimento disso que o que vês é revestido de significado.

Tu percebes o mundo e tudo nele como significativo em termos das metas do ego. Essas metas não têm nada a ver com os teus maiores interesses, porque tu não és o ego. Essa falsa identificação faz com que sejas incapaz de compreender para que serve qualquer coisa. Como resultado, estás fadado a usá-las equivocadamente. Quando acreditares nisso, tentarás retirar as metas que designaste para o mundo, ao invés de tentares reforçá-las.

Um outro modo de descrever as metas que ora percebes é dizer que estão todas relacionadas com interesses pessoais. Como não tens interesses pessoais, as tuas metas, na realidade, concernem o nada. Portanto, ao valorizá-las não tens absolutamente nenhuma meta. E assim, não sabes para que serve coisa alguma.

Antes que os exercícios de hoje possam fazer qualquer sentido para ti, mais um pensamento é necessário. Em níveis mais superficiais, tu, de fato, reconheces o propósito. Mas o propósito não pode ser compreendido nesses níveis. Por exemplo, de fato compreendes que o telefone existe para o propósito de falar com alguém que não está fisicamente na tua vizinhança imediata. O que não compreendes é a razão pela qual queres alcançá-lo. E é isso que faz com que o teu contato com ele seja significativo ou não.

É crucial para o teu aprendizado que estejas disposto a desistir das metas que estabeleceste para todas as coisas. O reconhecimento de que elas são sem significado, ao invés de boas ou más, é o único caminho para realizar isso. A ideia para o dia de hoje é um passo nesta direção.

São requeridos seis períodos de prática, cada um com a duração de dois minutos. Cada período deve começar com uma lenta repetição da ideia de hoje, em seguida olha à tua volta e deixa o teu olhar pousar e qualquer coisa que casualmente capte os teus olhos, perto ou longe, importante ou sem importância, humano ou não humano. Com os teus olhos em cada sujeito selecionado deste modo, dize, por exemplo:

‘Eu não sei para que serve essa cadeira.’

‘Eu não sei para que serve esse lápis.’

‘Eu não sei para que serve essa mão.’

Dize isso de maneira bem lenta, sem deslocar os teus olhos do sujeito até que tenhas completado a declaração referente a ele. Passa, então, para o próximo e aplica a ideia de hoje como antes.”

A paz é um atributo em VOCÊ. Você não pode encontrá-la fora. Toda doença mental é alguma forma de busca EXTERNA. Saúde mental é paz INTERIOR. Isso permite que você permaneça inabalável pela falta de amor de fora e capaz, através de seus próprios milagres, de CORRIGIR as condições externas, que procedem da falta de amor nos outros.”

David Hoffmeister

Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], denominado “Aceitar a Expiação para si mesmo”.

O artigo completo em inglês poderá ser acessado no site do professor David através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/.

Pergunta: Eu sei que UCEM fala sobre o roteiro que já está escrito. Isso significa que todos os meus pensamentos também estão programados? Como quando eu escolho o perdão em vez de ouvir o meu ego, isso é algo que está fora do meu controle também? Se eu escolher … Eu me distraio de novo e fico com raiva e eu perdoo isso e me liberto, isso iria acontecer de qualquer maneira?

David: Muito bom. Isto foi bom. ‘O roteiro está escrito’ (LE-pI.158.4:3), uma frase que Jesus disse no Livro de Exercícios. O roteiro está escrito. Muito tempo os professores vão entrar em ‘bem, é o roteiro do Espírito Santo, é o roteiro do ego, tem que assistir com o certo’ … O roteiro está escrito … basicamente a palavra-chave nessa declaração é a última palavra. Escrito. Pretérito. O roteiro já passou. O roteiro acabou. É como assistir E o Vento Levou [alusão ao filme]. NÃO é uma coisa interativa.

Mas também eu diria que o valor disso é que o Curso está levando você ao que Jesus chama de uma ‘forma purificada’ (T-5.V.7:11) ou uma ‘versão purificada’ do passado que é o mundo perdoado.

É quando você pega todo o significado que foi dado ao mundo …

Eu tenho dado a tudo o que vejo … todo o significado que tem para mim (LE-pI.2.Título).

Eu não sei para que serve coisa alguma (LE-pI.25.Título).

… e quando você abre mão de todo esse significado que o ego escreveu sobre o mundo. Por um momento fica em branco e então o Espírito Santo entra e diz: ‘Ahhhhh perdão. Aqui, nós vamos abençoá-lo. Agora você é um amigo do mundo.’

Ele diz isso em um ponto no UCEM. Ele diz ‘Você é um amigo do mundo’ no Livro de Exercícios.

O mundo não é mais nosso inimigo, pois escolhemos ser o seu Amigo (LE-pI.194.9:6).

Portanto, essa deve ser uma maneira totalmente diferente de ver o mundo.

Quando você começa a ter dificuldade é quando tenta analisar ‘o roteiro está escrito’. Isso pode ser um verdadeiro hipnotizador de mente. Pense dessa forma, o tempo é simultâneo e não é linear. O problema de analisar ‘o roteiro está escrito’ é que o roteiro de uma peça ou filme é uma história. É uma história muito linear.

Toda vez que eu tive estudantes que vinham até a mim e que estavam preocupados com ‘o roteiro está escrito’ e diziam: ‘Eu posso reescrever o roteiro? Eu vi o filme O Segredo, eu posso manifestar? Eu tenho o poder de mudar o roteiro?’ eles pareceriam bem confusos. A clareza é que você tem que perdoar o passado. Você tem que deixar para lá. O que isso significa é que você precisa perceber que o tempo é simultâneo quando você perdoa.

O tempo não é como um espaguete. Vamos dar uma olhada no fio delgado de espaguete. Passado, presente, futuro, parece muito linear. O que acontece se você virar o espaguete de lado e olhar diretamente para a borda? Em que isso se transforma? Um ponto! Um ponto em vez de uma linha!

Quando eu trabalhava com os estudantes e eles ficavam presos tentando descobrir ‘o roteiro está escrito’, com perguntas como ‘A minha futura Iluminação está no roteiro? Como é isso? ‘Eu dizia: ‘Você é um ponto ou uma linha?’

Vamos usar a terminologia simples real. O ponto é o perdão, o ponto é simultâneo. Alguns de vocês podem ter lido o material de Seth por meio de Jane Roberts. Aqui está um professor metafísico que diz a mesma coisa: que o tempo é simultâneo, não é linear. Isso pega a metáfora do ‘roteiro’ e a explica.

Jesus em UCEM fala sobre o tempo como um tapete que se enrola – você se lembrará disso no Curso. Mas isso é apenas uma metáfora linear e, novamente, é apenas um degrau na escada. Você chega a um ponto em que desiste de tentar descobrir isso.

Seria como ter uma escada alcançando o Céu e se você subir no sétimo degrau e dizer: ‘Nós faremos um seminário. Nós escolheremos os melhores acadêmicos e analisaremos o degrau número sete.’ E Jesus está no topo chamando: ‘Vamos, continuem subindo, empurrem para cima e não fiquem aí.’ Não acampem nos degraus. Não acampem nos degraus. Você se lembra da pequena placa, ‘Proibido acampar aqui?’ Apenas lembrem-se de irem embora. Alcancem cada vez mais alto. Porque quando vocês chegarem ao topo da escada, a escada desaparece.

Não é como quando você volta para o Céu, você se senta como um programa de 12 passos em seu pequeno grupo e conta as suas histórias de guerra. ‘Oh, lembra-se daquelas vidas, três milhões de anos atrás, em que você me matou e depois eu o matei de volta e depois você me matou.’ Você não tem histórias de guerra em amor abstrato. É apenas amor Divino, tudo é amor. A escada vai desaparecer. Mas você tem que seguir o Curso. Você apenas tem que se permitir continuar abrindo, abrindo e seguindo aqueles símbolos que Jesus lhe ensina.

E eles […os símbolos…] saltarão para fora da página. Você sabe como você vê o Curso e o lê há 10 anos e olha para uma frase e ela diz ‘Wham!’ e salta da página porque a sua mente está pronta para essa experiência, esse insight, naquele momento.

É por isso que os estudantes do Curso são engraçados porque leem o parágrafo e se envolvem nesses grandes debates intelectuais e discussões sobre o que o parágrafo significa e, finalmente, após 20 minutos, eles leem o próximo parágrafo e dizem: ‘Oh’.

Agora, essa é a condição humana … sempre tenho que descobrir as coisas. Entender!”

—–

Imagem pexels-pixabay-163891.jpg – 16 de outubro de 2022

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x