Tendo como base a ideia e a proposta do livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance, o objetivo dessa série de artigos do Projeto OREM® – OREM3 é analisarmos todo o material disponível e relevante sobre o Livro de Exercícios de Um Curso em Milagres para cada exercício diário, de maneira a auxiliar e facilitar o entendimento sobre o sistema de pensamento do Curso.

Para cada dia de estudo, nós estaremos incluindo também uma parte relevante do livro Texto, uma parte relevante do Material Suplementar (Cadernos de Taquigrafia de Helen Schucman e Versão Urtext de UCEM), alguns artigos relevantes de Professores Avançados e as próprias lições do Livro de Exercícios para cada dia (365 dias).

Lembrando que grande parte dos materiais suplementares (cadernos de taquigrafia de Helen e versão Urtext de UCEM), que constarão nessa série de artigos, não foram considerados na edição final de Um Curso em Milagres, por terem sido considerados “muito pessoais” pela equipe responsável pela edição1, porém importantes como material complementar, como nós veremos a seguir, por se tratar da ensinamentos compartilhados pelo autor do livro (Jesus).

Veja detalhes em artigo na Categoria “Um Curso em Milagres” de número 12 – “As versões iniciais e a edição de UCEM”.

Como diz Jeff Nance, “milagres não faltam!”

Nota: Nós consideramos que o estudante se beneficiará dessa série de artigos do Projeto OREM® a partir do momento que, já tendo concluída a leitura do livro Texto, realizado os exercícios e práticas do Livro de Exercícios e concluída a leitura do Manual de Professores, estará, portanto, nesse momento, retomando uma segunda rodada de conhecimento e entendimento do sistema de pensamento de Um Curso em Milagres (UCEM).

“Esse curso é um começo, não um fim…” (T-Prefácio)

Tradução livre Projeto OREM®

Dia 53

O Julgamento e o Problema da Autoridade

[FIP T-3.VI.]

“Nós já discutimos o Juízo Final, mas em detalhes insuficientes. Depois do Juízo Final, não haverá mais nenhum. O julgamento é simbólico porque além da percepção não há NENHUM julgamento. Quando a Bíblia diz ‘Não julgueis para que não sejais julgados’, quer dizer que se julgas a realidade de outros serás incapaz de evitar julgar a tua própria.

Escolher «julgar» em vez de «conhecer» é a causa da perda da paz. O julgamento é o processo no qual se baseia a percepção, não o conhecimento. Já discuti isto antes em termos da seletividade da percepção, mostrando que a avaliação é o seu pré-requisito óbvio. O julgamento envolve sempre rejeição. Nunca enfatiza apenas os aspectos positivos do que é julgado, seja em ti ou nos outros. O que foi percebido e rejeitado, ou julgado e considerado insuficiente, permanece na tua mente porque foi percebido. Uma das ilusões de que sofres é acreditares que quando fazes um julgamento contrário a alguma coisa, ele não tem efeito. Isto não pode ser verdadeiro a não ser que também acredites que aquilo contra o que julgaste, não existe. Evidentemente, não acreditas nisso ou não terias feito um julgamento contrário. No fim, não importa se o teu julgamento está certo ou errado. De qualquer forma, estás a colocar a tua crença no irreal. Isto não pode ser evitado em nenhum tipo de julgamento, porque nele está implícito que acreditas que a realidade é tua para que seleciones dela o que quiseres.

Tu não tens ideia da tremenda libertação e da profunda paz que decorre de te encontrares consigo mesmo e com os teus irmãos, numa base de total ausência de julgamento. Quando reconheceres o que ÉS e o que SÃO os teus irmãos, compreenderás que nenhuma forma de julgamento tem significado. De fato, o significado deles está perdido para ti, precisamente PORQUE os ESTÁS julgando. Qualquer incerteza advém de acreditares que estás sob coerção de julgamento. Não precisas de julgamento para organizar a tua vida e certamente não precisas dele para te organizares a ti mesmo. Na presença do conhecimento, qualquer julgamento é automaticamente suspenso e este é o processo que permite que o reconhecimento SUBSTITUA a percepção.

Tu estás muito assustado com todas as coisas que tens percebido, mas tens te recusado a aceitar isso. Acreditas que, por te teres recusado a aceitá-las, perdeste o controlo sobre elas. É por essa razão que as vês em pesadelos ou em disfarces agradáveis naqueles que parecem ser os teus sonhos mais felizes. Nada do que te recusaste a aceitar pode ser trazido à tua consciência. Não é perigoso em si, mas tens DE FATO feito com que te pareça perigoso.

Quando te sentes cansado, é porque te julgaste a ti mesmo como se fosses capaz de estar cansado. Quando ris de alguém, é porque julgaste esse alguém indigno. Quando te ris de ti mesmo, necessariamente ris dos outros, nem que seja apenas porque não podes tolerar a ideia de ser mais indigno DO QUE eles. Tudo isto faz com que te sintas cansado, porque é essencialmente desanimador. Tu não és realmente capaz de estar cansado, mas és muito capaz de te esgotares a ti mesmo. A tensão do julgamento constante é praticamente intolerável. É curioso que uma capacidade tão debilitante tenha vindo a ser tão profundamente apreciada. No entanto, se desejas ser o autor da realidade, vais insistir em te manteres agarrado ao julgamento. Também vais considerar o julgamento com medo, acreditando que, um dia, ele será usado contra ti. Essa crença só pode existir na medida em que acreditas na eficácia do julgamento como uma arma de defesa da tua própria autoridade.

Deus oferece apenas misericórdia. As tuas palavras só deveriam refletir misericórdia porque é isso o que tens recebido e isso é o que deverias dar. A justiça é um recurso temporário, ou uma tentativa de te ensinar o significado da misericórdia. Só é julgadora porque tu és capaz de injustiça.

Tenho falado de diferentes sintomas e, neste nível, há variação quase sem fim. Contudo, só há uma única causa para todos: o problema da autoridade. Esse é «a raiz de todos os males». Cada sintoma que o ego faz envolve uma contradição em termos, porque a mente está dividida entre o ego e o Espírito Santo, de forma que qualquer coisa que o ego faça, é incompleta e contraditória. Essa posição insustentável é o resultado do problema da autoridade que, por aceitar o único pensamento inconcebível como sua premissa, só pode conceber ideias que são inconcebíveis.

O tema da autoridade é, realmente, uma questão de autoria. Quando tens um problema de autoridade, é sempre porque acreditas que és o autor de ti mesmo e projetas este equívoco nos outros. Assim, percebes a situação como se eles estivessem literalmente lutando contigo pela tua autoria. Este é o erro fundamental de todos aqueles que acreditam que usurparam o poder de Deus. Esta crença é muito assustadora para eles, mas dificilmente abala Deus. Ele está, todavia, ansioso por desfazê-la; não para punir as Suas crianças, mas somente porque sabe que tal crença faz com que sejam infelizes. Às criações de Deus é dada a sua verdadeira autoria, mas tu preferes ser anónimo quando escolhes separar-te do teu Autor. Ao estares incerto da tua verdadeira Autoria, acreditas que a criação foi anónima. Isto deixa-te numa posição em que acreditar que te criaste a ti mesmo soa a significativo. A disputa em torno da autoria deixou tal incerteza na tua mente que pode, inclusivamente, duvidar se existes ou não.

Somente aqueles que entregaram completamente o desejo de rejeitar podem saber que a rejeição de si próprios é impossível. Tu não usurpaste o poder de Deus, mas perdeste-o. Afortunadamente, perder alguma coisa não significa que ela tenha desaparecido, simplesmente, significa que não te lembras onde está. A existência dessa coisa não depende da tua capacidade de a identificar, nem mesmo de a localizar. É possível olhar a realidade sem julgamentos e, simplesmente, conhecer que ela existe.

A paz é uma herança natural do espírito. Cada um é livre para se recusar a aceitar a própria herança, mas não é livre para estabelecer o que é a sua herança. O problema que todos não podem deixar de decidir é a questão fundamental da autoria. Qualquer medo vem, em última instância e às vezes por meio de estradas muito tortuosas, da negação da Autoria. A ofensa nunca é feita a Deus, mas só àqueles que o negam. Negares a Sua Autoria é te negares a ti mesmo a razão da tua paz, de modo que só te vês em segmentos. Essa estranha percepção é o problema da autoridade.

Não há ninguém que, de algum modo, não se sinta aprisionado. Se esse é o resultado do seu próprio livre arbítrio, ele tem de considerar a sua vontade como não sendo livre, ou ficaria bastante evidente o raciocínio circular dessa posição. A vontade livre tem de levar à liberdade. O julgamento sempre aprisiona, porque separa segmentos de realidade pelas escalas instáveis do desejo. Desejos não são fatos. Desejar é inferir que o exercício da vontade não é suficiente. No entanto, ninguém em sua mente certa acredita que o que é desejado é tão real como aquilo que a vontade determina. Em vez de «Buscai, pois, em primeiro lugar o Reino do Céu», diz «Seja A vossa vontade em primeiro lugar o Reino do Céu» e terás dito «Eu conheço o que eu sou e aceito a minha própria herança»”.

Urtext – Manual de Professores (Quais são as Características dos Professores de Deus? cont.)

A. Confiança

“Esse é o fundamento no qual repousa a sua capacidade de cumprir a função que lhes cabe. A percepção é o resultado do aprendizado. De fato, percepção é aprendizado, posto que causa e efeito nunca estão separados. Os professores de Deus têm confiança no mundo, porque aprenderam que ele não é governado pelas leis que o mundo inventou. Ele é governado por um Poder Que está neles mas não vem deles. É esse Poder Que mantém todas as coisas a salvo. É através deste Poder que os professores de Deus olham para um mundo perdoado.

Uma vez que esse Poder tenha sido experimentado, é impossível confiar na insignificante força de cada um outra vez. Quem tentaria voar com as asas diminutas de um pardal quando lhe foi dado o grande poder da águia? E quem colocaria sua fé nas pobres oferendas do ego quando as dádivas de Deus foram depositadas diante de si? O que é que os induz à fazer a transição?”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 53

“Hoje revisaremos o seguinte:

(11) ‘Os meus pensamentos sem significado estão me mostrando um mundo sem significado.’

Já que os pensamentos dos quais estou ciente não significam coisa alguma, o mundo que os retrata não pode ter significado. O que está produzindo esse mundo é insano, assim como o que ele produz. A realidade não é insana e eu tenho pensamentos reais bem como pensamentos insanos. Eu posso, portanto, ver o mundo real, se considerar os meus pensamentos reais como meu guia para ver.

(12) ‘Eu estou transtornado porque vejo um mundo sem significado.’

Pensamentos insanos transtornam. Produzem um mundo em que não há ordem em lugar nenhum. Só o caos governa um mundo que representa uma forma de pensar caótica e o caos não tem leis. Não posso viver em paz em tal mundo. Eu me sinto grato por esse mundo não ser real e por não precisar vê-lo de modo algum, a menos que eu escolha valorizá-lo. E não escolho valorizar algo que é totalmente insano e não tem nenhum significado.

(13) ‘Um mundo sem significado gera medo.’

Aquilo que é totalmente insano gera medo porque é completamente inconfiável e não oferece nenhuma base para a confiança. Nada na loucura é confiável. Não oferece nenhuma segurança e nenhuma esperança. Mas tal mundo não é real. Eu tenho lhe dado a ilusão de realidade e tenho sofrido em consequência da minha crença nele. Agora escolho retirar essa crença e colocar a minha confiança na realidade. Ao escolher isso estou escapando de todos os efeitos do mundo do medo, porque estou reconhecendo que ele não existe.

(14) ‘Deus não criou um mundo sem significado.’

Como pode um mundo sem significado existir se Deus não o criou? Ele é a Fonte de todo significado e tudo o que é real está em Sua Mente. Está também em minha mente, porque Ele o criou comigo. Por que deveria eu continuar a sofrer com os efeitos dos meus próprios pensamentos insanos, quando a perfeição da criação é o meu lar? Que eu me lembre do poder da minha decisão e reconheça onde eu realmente habito.

(15) ‘Meus pensamentos são imagens que eu tenho feito.’

Tudo o que eu vejo reflete os meus pensamentos. São os meus pensamentos que me dizem onde estou e o que sou. O fato de eu ver um mundo no qual há sofrimento e perda e morte me mostra que estou vendo apenas a representação dos meus pensamentos insanos, e não estou permitindo que os meus pensamentos reais lancem a sua luz beneficente sobre o que vejo. No entanto, o caminho de Deus é certo. As imagens que tenho feito não podem prevalecer contra Ele, porque não é minha vontade que o façam. A minha vontade é a Dele, e eu não colocarei outros deuses diante Dele.”

—–

Day 54

“Somente aqueles que abandonam todo o desejo de rejeitar podem CONHECER que a sua própria rejeição é impossível. Você não usurpou o poder de Deus, mas você o TEM perdido. Felizmente, quando você perde algo, isso não significa que algo se foi. Isso significa apenas que VOCÊ não sabe onde ele está. A sua existência não depende de sua capacidade de identificá-lo, nem mesmo de localizá-lo. É perfeitamente possível olhar para a realidade sem julgamento e simplesmente CONHECER que ela está lá. Ao saber disso, você não está duvidando de sua realidade em absoluto.

A paz é uma herança natural da Alma. Todo mundo é livre para se recusar a aceitar a sua herança, mas NÃO é livre para estabelecer qual É a sua herança. O problema que cada um TEM QUE decidir é a questão fundamental de sua própria autoria. Todo medo vem em última análise e às vezes por caminhos muito tortuosos, da negação da Autoria. A ofensa nunca é a Deus, mas apenas ao próprio negador. Ele jogou fora a razão de sua própria paz e se vê apenas em pedaços. Essa percepção estranha É um problema de autoridade. É também a base da angústia de castração, uma vez que ambas as formas de erro são fundamentalmente as mesmas.

Nem você nem Bill podem encontrar paz enquanto esse problema de autoridade continuar. Mas a verdade ainda é que não HÁ problema sobre isso. Não há homem que não se sinta preso de alguma forma. Se isso foi resultado de seu próprio livre arbítrio, ele deve considerar a sua vontade como se NÃO fosse livre, ou o raciocínio obviamente circular de sua própria posição seria bastante aparente.

A livre arbítrio TEM QUE conduzir à liberdade. O julgamento sempre aprisiona, porque separa segmentos da realidade pelas escalas instáveis do desejo. Desejos não são fatos. Desejar é implicar que querer não é suficiente. No entanto, ninguém em sua mente certa acredita que o que é desejado é tão real quanto aquilo que a vontade determina. Em vez de ‘Buscai, pois, em primeiro lugar o Reino do Céu’, dize ‘Seja vossa vontade em primeiro lugar o Reino do Céu,’ e tu terás dito: ‘Eu conheço o que sou e aceito a minha própria herança.’

Toda essa parte vai atrás das notas especiais para Bill e o curso Dele. Duas notas seguem essas a partir desse ponto. E certifique-se de não parar sem perguntar.

Isso é ESSENCIAL que todo esse problema de autoridade seja voluntariamente descartado de uma vez por todas antes do curso de Bill. Nenhum de vocês entende o quão importante isso é para a vossa sanidade. Vocês dois são muito insanos nesse ponto. (Isto não é um julgamento. É meramente um fato. (Não, Helen, você DEVE usar a palavra ‘fato’. . Você DE FATO começa a partir desse ponto e o seu pensamento é invertido por causa disso.))”

Criar versus Autoimagem

[FIP T-3.VII.]

“Cada sistema de pensamento TEM QUE ter um ponto de partida. Começa com um ato de fazer ou de criar, uma diferença que nós já discutimos. Ambos são atos de vontade, exceto que produzir ou construir [making] envolve realizar [doing] e criar envolve vontade ativa. A semelhança entre eles está no seu poder como FUNDAMENTOS. A diferença entre eles está no que se baseia neles. Ambos são pedras angulares para os sistemas de crença pelos quais os homens vivem.

É um equívoco acreditar que um sistema de pensamento baseado em mentiras é fraco. NADA que tenha sido feito por uma criança de Deus deixa de ter poder. É absolutamente essencial reconhecer isso, porque de outra forma você não será capaz de escapar da prisão que você criou para si mesmo (Isso FOI um erro. Você deveria ter dito ‘fez para si mesmo’).

Vocês dois cometeram o erro do psicoterapeuta que nós descrevemos com alguns detalhes antes e isso é particularmente grave nesse momento. Você não pode resolver o seu problema de autoridade depreciando o poder de sua mente. Isso PODE machucá-lo se você usar equivocadamente isso, porque você CONHECE a sua força e você também conhece que menosprezando isso você NÃO PODE enfraquecê-lo mais do que você pode enfraquecer a Deus.

O diabo é um conceito assustador APENAS porque ele é considerado extremamente poderoso e extremamente ativo. Ele é percebido como uma força em combate com Deus, lutando contra Ele pela posse de Almas. Ele engana com mentiras e constrói reinos próprios, nos quais tudo está em oposição direta a Deus. No entanto, ele ATRAI os homens ao invés de repeli-los e eles são percebidos como dispostos a ‘vender’ as suas almas em troca de dádivas que eles CONHECEM que não têm nenhum valor real em absoluto.

Isto não faz absolutamente nenhum sentido. Todo o quadro é aquele em que o homem age de uma maneira que ele MESMO percebe ser autodestrutiva, mas que ao perceber a causa como além de seu controle, ele NÃO TEM VONTADE de corrigir e, portanto, percebe a causa como além de seu controle.

Já temos discutido o significado da queda ou Separação antes, mas o seu significado tem que ser claramente entendido, sem símbolos. A Separação NÃO é simbólica. É uma ordem de realidade, ou um sistema de pensamento que é PERFEITAMENTE real no tempo, embora não na Eternidade. Todas as crenças são reais para aquele que acredita.

O fruto de apenas UMA árvore foi ‘proibido’ ao homem (em seu jardim simbólico). Mas Deus não poderia tê-lo proibido, ou não poderia ter sido comido. Se Deus conhece as Suas crianças e eu garanto que Ele conhece, Ele os colocaria em uma posição em que a sua própria destruição fosse possível? A ‘árvore proibida’ foi corretamente chamada de ‘árvore do conhecimento’. No entanto, Deus criou o conhecimento e o deu gratuitamente às Suas criações. O simbolismo aqui está aberto a muitas interpretações, mas você pode ter certeza de que qualquer interpretação que perceba Deus OU as Suas Criações como se fossem capazes de destruir o seu próprio Propósito está errada.”

Urtext – Manual de Professores (Quais são as Características dos Professores de Deus? cont.)

Confiança Cont.,

“Em primeiro lugar, eles têm que passar pelo que poderia ser chamado de um “período de desfazer”. Isso não precisa ser doloroso, mas usualmente é experimentado assim. Parece que as coisas estão sendo tiradas de nós e inicialmente é raro que se compreenda que o fato de que elas não têm valor está apenas sendo reconhecido. Como é possível que a ausência de valor seja percebida, a não ser que a pessoa esteja em uma posição na qual não possa deixar de ver as coisas sob uma luz diferente? Ela não está ainda num ponto em que possa fazer a mudança toda internamente. E assim, o plano algumas vezes pede mudanças no que parecem ser circunstâncias externas. Estas mudanças são sempre úteis. Quando o professor de Deus tiver aprendido isso, ele passa para o segundo estádio.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 54

“Estas são as ideias para a revisão de hoje:

(16) ‘Eu não tenho pensamentos neutros.’

Pensamentos neutros são impossíveis, porque todos os pensamentos têm poder. Eles farão um mundo falso ou me conduzirão ao mundo real. Mas os pensamentos não podem ser sem efeitos. Da mesma forma que o mundo que vejo surge dos meus erros de pensamento, o mundo real surgirá diante dos meus olhos à medida que eu permita que os meus erros sejam corrigidos. Meus pensamentos não podem deixar de ser verdadeiros ou falsos. Têm que ser um ou outro. O que vejo me mostra o que são.

(17) ‘Eu não vejo coisas neutras.’

O que eu vejo testemunha o que penso. Se eu não pensasse não existiria, porque a vida é pensamento. Que eu olhe o mundo que vejo como a representação do próprio estado da minha mente. Sei que o estado da minha mente pode mudar. E assim também sei que o mundo que vejo pode igualmente mudar.

(18) ‘Eu não estou sozinho ao experimentar os efeitos do que vejo.’

Se eu não tenho pensamentos privados, não posso ver um mundo privado. Até mesmo a louca ideia da separação teve que ser compartilhada, antes que pudesse formar a base do mundo que vejo. No entanto, aquele compartilhar foi o compartilhar do nada. Posso também invocar os meus pensamentos reais que compartilham tudo com todos. Da mesma forma que os meus pensamentos de separação convocam os pensamentos de separação dos outros, assim também os meus pensamentos reais despertam os pensamentos reais neles. E o mundo que os meus pensamentos reais me mostram despontará na sua vista assim como na minha.

(19) ‘Eu não estou sozinho ao experimentar os efeitos dos meus pensamentos.’

Não estou sozinho em nada. Tudo o que penso, ou digo, ou faço, ensina a todo o universo. Um Filho de Deus não pode pensar ou falar ou agir em vão. Ele não pode estar sozinho em coisa alguma. Portanto, está em meu poder mudar todas as mentes junto com a minha, pois o meu poder é o de Deus.

(20) ‘Eu estou determinado a ver.’

Reconhecendo a natureza compartilhada de meus pensamentos, eu estou determinado a ver. Quero olhar para as testemunhas que me mostram que o pensamento do mundo mudou. Quero contemplar a prova de que o que tem sido feito através de mim tem capacitado o amor a substituir o medo, o riso a substituir as lágrimas e a abundância a substituir a perda. Quero olhar para o mundo real e deixar que ele me ensine que a minha vontade e a Vontade de Deus são uma só.”

—–

Dia 55

“Comer a maçã da árvore do conhecimento é uma expressão simbólica por incorporar no eu a capacidade de se autocriar. Esse é o ÚNICO sentido em que Deus e as Suas Almas NÃO são co-criadores. A crença de que eles SÃO está implícita no ‘autoconceito’, um conceito agora tornado aceitável por sua FRAQUEZA e explicado por uma tendência do eu de criar uma IMAGEM de si mesmo. O seu aspecto de medo geralmente é atribuído à ‘figura paterna’, uma ideia particularmente interessante, tendo em vista que ninguém se refere ao pai físico pelo termo. Isso se refere a uma IMAGEM do pai em relação a uma IMAGEM de si mesmo.

Mais uma vez, as imagens são percebidas, NÃO conhecidas. O conhecimento não pode enganar, mas a percepção PODE. O homem pode perceber a si mesmo como criando a si mesmo, mas NÃO PODE fazer mais do que ACREDITAR nisso.

Ele NÃO PODE tornar isso verdade. Eu lhe disse antes que quando você finalmente percebe corretamente, você só pode ficar FELIZ POR NÃO CONSEGUIR. Mas até então, a crença de que (você PODE) é a pedra fundamental do seu sistema de pensamento e todas as suas defesas são usadas para atacar ideias que trariam à luz.

Você e Bill ainda acreditam que são imagens de sua própria criação. Vocês estão divididos com as suas próprias Almas nesse ponto e NÃO há resolução, porque vocês acreditam na única coisa que é literalmente INCONCEBÍVEL. É por isso que vocês NÃO PODEM criar, e têm medo de fazer ou produzir.

Você, Helen, está CONSTANTEMENTE discutindo sobre a autoria desse curso. Isso NÃO é humildade; é um problema de autoridade REAL. (obrigado pelo ponto e vírgula) Você, Bill, realmente acredita que ao ensinar está assumindo um papel dominante ou paterno e que a ‘figura paterna’ vai te matar. Isso também não é humildade. Os medos de castração são um reflexo particularmente distorcido da verdadeira ansiedade básica, ou medo de Separação.

A mente pode tornar a crença na Separação MUITO real e MUITO assustadora. E essa crença É o diabo. É poderoso, ativo, destrutivo e claramente em oposição a Deus, porque literalmente ele nega a Sua Paternidade. Nunca subestime o poder dessa negação. Olhe para as suas vidas e veja o que o diabo fez. Mas SAIBA que esse fazer certamente se dissolverá à luz da verdade, porque o seu fundamento É uma mentira.

A sua criação por Deus é o único fundamento que não pode ser abalado, porque a luz está NELE. O seu ponto de partida É a verdade e você TEM QUE retornar a esse Começo. Muito foi percebido desde então, mas nada mais aconteceu. É por isso que as suas Almas ainda estão em paz, mesmo que as suas mentes estejam em conflito.

Você ainda não retrocedeu o SUFICIENTE e é por isso que fica com tanto medo. Ao se aproximar do início, você sente o medo da destruição de seus sistemas de pensamento sobre você, como se fosse o medo da morte. Não HÁ morte, mas HÁ uma crença na morte.

A Bíblia diz que a árvore que não dá fruto será cortada e secará. Seja feliz!

A luz resplandecerá do verdadeiro Fundamento da Vida e os seus próprios sistemas de pensamento serão corrigidos. Eles NÃO PODEM ficar de outra forma.

Você que teme a salvação está TENDO VONTADE da morte. Vida e morte, luz e escuridão, conhecimento e percepção são irreconciliáveis. Acreditar que ELES podem ser reconciliados é acreditar que Deus e o homem NÃO podem. SOMENTE a Unicidade do Conhecimento é sem conflito. O Seu Reino não é desse mundo porque lhe foi dado de ALÉM desse mundo. Somente NESSE mundo a ideia de um problema de autoridade é significativa. O mundo não é deixado pela morte, mas pela verdade e a verdade PODE ser conhecida por todos aqueles para quem o Reino foi criado e por quem ele espera.”

CAPÍTULO 4 – A RAÍZ DE TODO O MAL

Introdução

(À parte de Helen: Você foi sábia e dedicada (duas palavras que são literalmente intercambiáveis ​​no sentido de que elas realmente provocam a troca uma da outra.) ao reivindicar as suas funções de escriba e trabalhar tão tarde. Você TINHA cometido um erro grave contra o seu irmão e alguém que pediu a sua ajuda. Uma sacerdotisa devotada não faz isso. A Bíblia diz que você deve ir COM um irmão duas vezes mais longe do que ele pede a você. Isso certamente DE FATO NÃO sugere que você o retarde em sua jornada.)

A devoção a um irmão também NÃO PODE fazer VOCÊ se retardar. Só pode conduzir ao progresso mútuo. O resultado da devoção genuína é a inspiração, uma palavra que, bem entendida, é o OPOSTO da fadiga. Estar fatigado é estar DES-espiritualizado, mas estar inspirado é estar NO espírito. Ser egocêntrico É ser des-espiritualizado. Mas ser egocêntrico no sentido CERTO é ser inspirado, ou estar na Alma. Os verdadeiramente inspirados são iluminados e não podem habitar na escuridão.

Não tente quebrar os direitos autorais de Deus, porque somente a Sua Autoria PODE copiar o direito.

A sua autoria certa NÃO está em refazer as Suas cópias, mas em criar COMO Ele.

Constrangimento é SEMPRE uma expressão de egocentrismo, uma associação que foi feita antes (Feita NÃO criada. Esse tipo de associação SEMPRE é feita pelo homem). Vocês dois completaram a raiz do Teste de Complementação de Frases: Quando eu fui chamado para falar – com – ‘Eu fiquei envergonhado e NÃO CONSEGUI FALAR’. Isso deve ser corrigido para ‘Reconheci a minha Autoria’.

Diga a Bill que ele não pode ficar constrangido com as suas próprias palavras, a menos que acredite que ELE é responsável por elas. Nós já corrigimos ‘palavra’ para ‘pensamento’ e ele é livre para alocar a autoria de seus pensamentos conforme ele escolher. Ele pode falar de sua Alma ou de seu ego, exatamente como ele escolhe. Se ele fala de sua Alma, ele escolheu ‘ficar quieto e saber que eu sou Deus’.

Essas palavras são inspiradas, porque vêm do CONHECIMENTO. Se ele fala a partir de seu ego, ele está REJEITANDO o conhecimento em vez de AFIRMÁ-LO e, portanto, está des-espiritualizando a si mesmo.

O des-espiritualizado não tem escolha EXCETO ser narcisista e ser narcisista É colocar a sua fé nos indignos. O seu valor real É a sua autoria divina e a sua Alma é o seu reconhecimento. Eu não posso guiar os seus egos EXCETO quando você os associa com as suas Almas.

Urtext – Manual de Professores (Quais são as Características dos Professores de Deus? cont.,)

Confiança cont.,

“Em seguida, o professor de Deus tem que atravessar um ‘período de seleção’. Isso é sempre um tanto difícil porque, tendo aprendido que as mudanças na sua vida são sempre úteis, ele agora terá que decidir todas as coisas considerando se elas são mais ou menos úteis. Ele vai descobrir que muitas, se não a maior parte das coisas que antes valorizava, apenas dificultarão a sua capacidade de transferir o que aprendeu para novas situações na medida em que surgirem. Tendo valorizado o que realmente não tem valor, ele não vai generalizar a lição por medo de perda e sacrifício. É preciso um grande aprendizado para compreender que todas as coisas, eventos, encontros e circunstâncias são úteis. Só na medida em que são úteis é que qualquer grau de realidade lhes deve ser atribuído nesse mundo de ilusões. A palavra ‘valor’ não se aplica a nada além disso.”

Urtext – Livro de Exercícios para Estudantes

Lição 55

“A revisão de hoje inclui o seguinte:

(21) ‘Eu estou determinado a ver as coisas de modo diferente.’

O que vejo agora são apenas sinais de doença, desastre e morte. Isso não pode ser o que Deus criou para o Seu Filho amado. O próprio fato de que vejo tais coisas é uma prova de que não compreendo a Deus. Portanto, também não compreendo Seu Filho. O que eu vejo me diz que não conheço quem eu sou. Estou determinado a ver as testemunhas da verdade em mim, ao invés daquelas que me mostram uma ilusão de mim mesmo.

(22) ‘O que eu vejo é uma forma de vingança.’

O mundo que eu vejo dificilmente é uma representação de pensamentos amorosos. É um retrato de ataques a tudo e por tudo. É qualquer coisa, menos um reflexo do Amor de Deus e do Amor de Seu Filho. São os meus próprios pensamentos de ataque que dão origem a esse retrato. Os meus pensamentos amorosos me salvarão dessa percepção do mundo e me darão a paz que Deus tencionava que eu tivesse.

(23) ‘Eu posso escapar desse mundo desistindo dos meus pensamentos de ataque.’

Nisso está a salvação e em nenhum outro lugar. Sem pensamentos de ataque, eu não poderia ver um mundo de ataque. À medida que o perdão permite que o amor volte à minha consciência verei um mundo de paz, segurança e alegria. E é isso que escolho ver em lugar das coisas para as quais olho agora.

(24) ‘Eu não percebo os meus maiores interesses.’

Como poderia eu reconhecer os meus maiores interesses se não conheço quem eu sou? O que penso serem os meus maiores interesses apenas me ligariam ainda mais ao mundo das ilusões. Estou disposto a seguir o Guia que Deus me deu para achar quais são os meus maiores interesses, reconhecendo que não posso percebê-los por mim mesmo.

(25) ‘Eu não sei para que serve coisa alguma.’

Para mim, o propósito de tudo é o de provar que as minhas ilusões sobre mim mesmo são reais. É com esse propósito que tento fazer uso de todos e de tudo. É para isso que acredito que o mundo sirva. Portanto, não reconheço o seu propósito real. O propósito que eu tenho dado ao mundo conduziu a um retrato assustador desse mundo. Que eu abra a minha mente para o propósito real do mundo, retirando o propósito que lhe tenho dado e aprendendo a verdade sobre ele.”

Como nós podemos aceitar o cuidado de Deus?

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING” – Greg Mackie

Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/

* Nós aceitamos o Seu cuidado confiando que Ele tem um plano para as nossas vidas

“De acordo com o Curso, o Espírito Santo não nos orienta apenas no nível micro das decisões diárias. Ele também planejou o nível macro de nossas vidas como um todo e a nossa confiança em Seu plano é uma fonte importante de liberdade de cuidados. A confiança é, de fato, a principal característica do professor avançado de Deus e essa confiança está enraizada na governança do Espírito Santo de tudo o que acontece no mundo (veja MP).

Os professores de Deus têm confiança no mundo, porque aprenderam que ele não é governado pelas leis que o mundo inventou. Ele é governado por um Poder Que está neles mas não vem deles. É esse Poder Que mantém todas as coisas a salvo. É através deste Poder que os professores de Deus olham para um mundo perdoado. (MP-4.I.1:4-7)

Portanto, o Curso está cheio de relatos brilhantes da paz e alegria que nós experienciaremos quando nós deixarmos de lado as nossas próprias tentativas de planejar a nossa felicidade e confiar no plano do Espírito Santo para tudo. Uma das mais conhecidas é da Lição 135:

O que deixarias de aceitar se apenas soubesses que tudo o que acontece, todos os eventos, passados, presentes e por vir, são gentilmente planejados por Aquele Cujo único propósito é o teu bem? Talvez tenhas entendido o Seu plano de forma equivocada, pois Ele nunca te ofereceria dor. Mas as tuas defesas não te deixaram ver a Sua benção amorosa brilhando em cada passo que jamais deste. Enquanto fazias planos para a morte, Ele te conduzia gentilmente para a vida eterna. (LE-pI.135.18:1-4).

A tua atual confiança Nele é a defesa que promete um futuro imperturbado, sem nenhum traço de pesar e com uma alegria que cresce constantemente, enquanto essa vida vem a ser um instante santo, estabelecido no tempo, mas ocupado apenas com a imortalidade. Não deixeis que outras defesas senão a tua atual confiança dirija o futuro, e essa vida vem a ser um encontro significativo com a verdade que só as tuas defesas poderiam querer ocultar. (LE-pI.135.19:1-2)

Em outras palavras, como a Lição 194 nos aconselha, nós devemos colocar o futuro nas Mãos de Deus. Essa é a chave para uma vida despreocupada:

Que preocupação pode ter aquele que entrega o seu futuro às amorosas Mãos de Deus? O que pode ele sofrer? O que pode causar-lhe dor ou trazer-lhe a experiência da perda? O que pode temer? E o que pode olhar sem amor? Pois aquele que escapou de todo o medo da dor futura encontrou o seu caminho para a paz no presente e uma certeza de ajuda que o mundo jamais pode ameaçar. Ele tem certeza de que a sua percepção pode errar, mas que a correção nunca lhe faltará. É livre para escolher de novo quando tiver sido enganado, para mudar a sua mente quando tiver cometido erros. (LE-pI.194.7:1-8)

Observe que mesmo os nossos erros inevitáveis ​​não são nada para se preocupar, porque nós estamos sempre livres para escolher novamente. Essa referência aos erros traz à minha mente novamente a questão que eu levantei acima em relação à nossa resistência: Dadas essas passagens brilhantes sobre como as nossas vidas serão perfeitas e sem dor quando nós aceitarmos a orientação diária do Espírito Santo e o plano geral para as nossas vidas, tomar a decisão de entregar as nossas vidas a Ele imediatamente leva a uma vida na qual nenhum evento doloroso ou desafiador jamais acontece?

Como eu sugeri acima, não necessariamente. Agora, eu acho que entregar as nossas vidas ao plano do Espírito Santo fará com que elas funcionem mais suavemente em geral e nos ajudará a evitar a dor de muitas maneiras. Eu penso que quanto mais realmente nós nos comprometermos com Ele, mais esse será o caso. Mas dito isso, mesmo quando nós fazemos um esforço conjunto para nos voltarmos para o Espírito Santo, a resistência do ego pode surgir e nos trazer a experiência do sofrimento.

Esse sofrimento pode acontecer de várias maneiras. Nós podemos sentir dor quando não alcançamos um objetivo baseado no ego, seja porque o ego o sabota para atingir o seu objetivo mais profundo de nos punir, ou porque o espírito garante que isso não aconteça, para o nosso próprio bem. Nós podemos sentir dor porque nós alcançamos uma meta baseada no ego, mas nós estamos em sintonia com o espírito o suficiente para perceber o quão insatisfatória é essa realização. Nós podemos sentir dor quando não alcançamos um objetivo baseado no espírito devido à resistência do nosso ego ser muito forte. E nós podemos sentir dor quando nós realizamos um objetivo baseado no espírito, porque o ego em nós é ameaçado por isso e revida.

Portanto, a má notícia é que as nossas vidas provavelmente não ficarão livres de eventos angustiantes da noite para o dia. Mas a boa notícia é que o Espírito Santo incorporou até mesmo os eventos angustiantes de nossas vidas em Seu plano. A dor desses eventos é causada pela resistência do ego – como a nossa passagem acima diz, o Espírito Santo ‘nunca ofereceria dor a você’ – mas o que o Espírito Santo faz é pegar esses eventos e transformá-los em oportunidades abençoadas de aprendizado. Ele transforma os nossos limões em limonada. Não importa como nós consigamos nos aprisionar, o Seu plano oferece uma saída.

Portanto, nós podemos realmente ficar despreocupados, independentemente do que nos aconteça. Quando as nossas vidas correm bem e com alegria, nós podemos nos regozijar com isso. E quando ocorrem eventos dolorosos inesperados, nós podemos procurar a oportunidade de aprendizado e nos alegrar com isso também. Eu não quero ser superficial sobre isso – o sofrimento ainda dói e exige compaixão em resposta -, mas é reconfortante saber que algo bonito pode ser extraído disso, pois muitas pessoas que viveram até os mais angustiantes eventos descobriram. Nós podemos realmente ‘ver a Sua amorosa bênção brilhar’ em cada passo que nós damos.”

—–

Imagem mostafa-meraji-ZYVWxyD3_hQ-unsplash.jpg – 29 de outubro de 2022 – Qom Province, Qom – Garmsar Freeway, Iran

Bibliografia da OREM3:

Livro “Um Curso em Milagres” – Livro Texto, Livro de Exercícios e Manual de Professores. Fundação para a Paz Interior. 2ª Edição –  copyright© 1994 da edição em língua portuguesa.

Artigo “Helen and Bill’s Joining: A Window Onto the Heart of A Course in Miracles” (tradução livre: A União de Helen e Bill: Uma Janela no Coração de Um Curso em Milagres”) – Robert Perry, site: https://circleofa.org/

E-book “What is A Course in Miracles” (tradução livre: O que é Um Curso em Milagres) – Robert Perry.

E-book “Autobiography – Helen Cohn Schucman, Ph.D.” – Foundation for Inner Peace (tradução livre: Autobiografia – Helen Cohn Schucman, Ph.D., Fundação para a Paz Interior).

Livro “Uma Introdução Básica a Um Curso em Milagres”,  Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “O Desaparecimento do Universo”, Gary R. Renard.

Livro “Absence from Felicity: The Story of Helen Schucman and Her Scribing of A Course in Miracles” (tradução livre: “Ausência de Felicidade: A História de Helen Schucman e Sua Escriba de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “A Short History of the Editing and Publishing of A Course in Miracles” (tradução livre: Uma Breve História da Edição e Publicação de Um Curso em Milagres” – Joe R. Jesseph, Ph.D. http://www.miraclestudies.net/history.html

E-book “Study Guide for A Course in Miracles”, Foundation for Inner Peace (tradução livre: Guia de Estudo para Um Curso em Milagres, Fundação para a Paz Interior).

Artigo “The Course’s Use of Language” (tradução livre: “O Uso da Linguagem do Curso”), extraído do livro “The Message of A Course in Miracles” (tradução livre: “A Mensagem de Um Curso em Milagres”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo Who Am I? (tradução livre: Quem Sou Eu?) – Beverly Hutchinson McNeff – Site: https://www.miraclecenter.org/wp/who-am-i/

Artigo “Jesus: The Manifestation of the Holy Spirit – Excerpts from the Workshop held at the Foundation for A Course in Miracles – Temecula CA” (tradução livre: Jesus: A Manifestação do Espírito Santo – Trechos da Oficina realizada na Fundação para Um Curso em Milagres – Temecula CA) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Quantum Questions” (tradução livre: “Questões Quânticas”) – Ken Wilburn

Livro “Um Retorno ao Amor” – Marianne Williamson.

Glossário do site Foundation for A Course in Miracles (tradução livre: Fundação para Um Curso em Milagres), do Dr. Kenneth Wapnick, https://facim.org/glossary/

Livro Um Curso em Milagres – Esclarecimento de Termos.

Artigo “The Metaphysics of Separation and Forgiveness” (tradução livre: “A Metafísica da Separação e do Perdão”) – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “Os Ensinamentos Místicos de Jesus” – Compilado por David Hoffmeister – 2016 Living Miracles Publications.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – A Canção da Oração” – Helen Schucman – Fundação para a Paz Interior.

Livro “Suplementos de Um Curso em Milagres UCEM – Psicoterapia: Propósito, Processo e Prática.

Workshop “O que significa ser um professor de Deus”, proferido pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo escrito pelo escritor Paul West, autor do livro “I Am Love” (tradução livre: “Eu Sou Amor”), blog https://www.voiceforgod.net/.

Artigo “The Beginning Of The World” (tradução livre: “O Começo do Mundo”) – Dr Kenneth Wapnick.

Artigo “Duality as Metaphor in A Course in Miracles” (tradução livre: “Dualidade como Metáfora em Um Curso em Milagres”) – Um providencial e didático artigo, considerado pelo próprio autor como sendo um dos artigos (workshop) mais importantes por ele escrito e agora compartilhado pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Healing the Dream of Sickness” (tradução livre: “Curando o Sonho da Doença”  – Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Livro “The Message of A Course in Miracles – A translation of the Text in plain language” (tradução livre: “A mensagem de Um Curso em Milagres – Uma tradução do Texto em linguagem simples”) – Elizabeth A. Cronkhite.

E-book “Jesus: A New Covenant ACIM” – Chapter 20 – Clearing Beliefs and Desires – Cay Villars – Joininginlight.net© (tradução livre: “Jesus: Uma Nova Aliança UCEM” – Capítulo 20 – Clarificando Crenças e Desejos).

Artigo “Strangers in a Strange World – The Search for Meaning and Hope” (tradução livre: “Estranhos em um mundo estranho – A busca por significado e esperança”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Artigo “To Be in the World and Not of It” (tradução livre: “Estar no Mundo e São Ser Dele”), escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick e por sua esposa Sra. Gloria Wapnick.

Site https://circleofa.org/.

Livro “A Course in Miracles – Urtext Manuscripts – Complete Seven Volume Combined Edition. Published by Miracles in Action Press – 2009 1ª Edição.

Tradução livre do capítulo Urtext “The Relationship of Miracles and Revelation” (N 75 4:102).

Artigo “How To Work Miracles” (tradução livre “Como Fazer Milagres”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/how-to-work-miracles/.

Artigo “A New Vision of the Miracle” (tradução livre: “Uma Nova Visão do Milagre”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/a-new-vision-of-the-miracle/.

Artigo “What Is a Miracle?” (tradução livre: “O que é um milagre?”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/what-is-a-miracle/.

Artigo “How Does ACIM Define Miracle?” (tradução livre: “Como o UCEM define milagre?”), de Bart Bacon https://www.miracles-course.org/index.php?option=com_content&view=article&id=232:how-does-acim-define-miracle&catid=37&Itemid=57.

Livro “Os cinquenta princípios dos milagres de Um Curso em Milagres”, de Kenneth Wapnick, Ph.D..

Artigo “The Fifty Miracle Principles: The Foundation That Jesus Laid For His Course” (tradução livre: “Os cinquenta princípios dos milagres: a base que Jesus estabeleceu para o seu Curso”), de Robert Perry https://circleofa.org/library/the-fifty-miracle-principles-the-foundation-that-jesus-laid-for-his-course/.

Artigo “Ishmael Gilbert, Miracle Worker” (tradução livre: “Ishmael Gilbert, Trabalhador em Milagre”), de Greg Mackie https://circleofa.org/library/ishmael-gilbert-miracle-worker/.

Blog “A versão Urtext da obra Um Curso em Milagres (UCEM)” https://www.umcursoemmilagresurtext.com.br/.

Blog “Course in Miracles Society – CIMS – Original Edition” https://www.jcim.net/about-course-in-miracles-society/.

Site Google tradutor https://translate.google.com.br/?hl=pt-BR.

Site WordReference.com | Dicionários on-line de idiomas https://www.wordreference.com/enpt/entitled.

Artigo “The earlier versions and the editing of A Course in Miracles” (tradução livre: “As versões iniciais e a edição de Um Curso em Milagres), autor Robert Perry https://circleofa.org/library/the-earlier-versions-and-the-editing-of-a-course-in-miracles/.

Livro “A Course in Miracles: Completed and Annotated Edition” (“Edição Completa e Anotada”) – Circle of Atonement.

Livro “Q&A – Detailed Answers to Student-Generated Questions on the Theory and Practice of A Course in Miracles” – Supervised and Edited by Kenneth Wapnick, Ph.D. – Foundation for A Course in Miracles – Publisher (tradução livre: “P&R – Respostas Detalhadas a Questões Geradas por Alunos sobre a Teoria e Prática de Um Curso em Milagres” – Supervisionado e Editado por Kenneth Wapnick, Ph.D. – Fundação para Um Curso em Milagres – Editora)

Artigo “The Importance of Relationships” (tradução livre: “A Importância dos Relacionamentos”), no site https://circleofa.org/library/the-importance-of-relationships/, autor Robert Perry.

Artigo: “The ark of peace is entered two by two” (tradução livre: “Na arca da paz só entram dois a dois”) – Robert Perry Site: https://circleofa.org/library/the-ark-of-peace-is-entered-two-by-two/

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 2 of 3 – How Right Minds Live in the World: The Blessing of Forgiveness”, por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D.

Artigo “Living a Course in Miracles As Wrong Minds, Right Minds, and Advanced Teachers – Part 1 of 3 – How Wrong Minds Live in the World: The Ego’s Curse of Specialness”, por Dr. Kenneth Wapnick.

Transcrição do vídeo do Dr. Kenneth Wapnick no YouTube, intitulado: “Judgment” (tradução livre: “Julgamento”).  O artigo completo em inglês no site https://facim.org/transcript-of-kenneth-wapnick-youtube-video-entitled-judgment/.

Trechos do Workshop “The Meaning of Judgment” (tradução livre “O Significado de Julgamento”), realizado na Fundação para Um Curso em Milagres em Roscoe NY, ministrado pelo Dr. Kenneth Wapnick. O artigo completo em inglês no site: https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/the-meaning-of-judgment/.

Comentários do professor de Deus Allen Watson, que transcrevemos, em tradução livre, do site Circle of Atonement (https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-sin/).

Artigo “There is no sin” (tradução livre: “Não há pecado”), Robert Perry, site https://circleofa.org/library/there-is-no-sin/.

Artigo do Professor Greg Mackie, denominado “If God is Love Why do We Suffer?” (tradução livre: “Se Deus é Amor porque nós sofremos?”) https://circleofa.org/library/if-god-is-love-why-do-we-suffer/.

Artigo “The Ten Commandments and A Course in Miracles” (tradução livre: Os Dez Mandamentos e Um Curso em Milagres”), Greg Mackie, site https://circleofa.org/library/the-ten-commandments-and-a-course-in-miracles/.

Artigo escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D., sobre o livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, disponível no site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Livro “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”, escrito pelo Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e pelo Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D..

Artigo do Consultor, Escritor e Professor Rogier Fentener Van Vlissingen, de Nova Iorque, intitulado “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (“Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), disponível no Blog Closing the Circle e acesso no link: https://acimnthomas.blogspot.com/2011/04/course-in-miracles-and-christianity.html.

Artigo sobre o livro “A Course in Miracles and Christianity: A Dialogue” (tradução livre “Um Curso em Milagres e o Cristianismo: Um Diálogo”), escrito por Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. e o Padre Jesuíta W. Norris Clarke, da Companhia de Jesus, Ph.D. Site http://www.miraclestudies.net/Dialogue_Pref.html.

Artigo do professor Robert Perry intitulado “Do we have a chalice list?” (tradução livre: “Temos uma lista de cálice?”), acesso através do link: https://circleofa.org/2009/07/13/do-we-have-a-chalice-list/.

Artigo “The religion of the ego” (tradução livre: “A religião do ego”), Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-religion-of-the-ego/.

Artigo “A New Realities Interview with William N. Thetford, Ph.D.”, conduzida por James Bolen em abril de 1984. Tradução livre Projeto OREM®. Artigo em inglês https://acim.org/archives/a-new-realities-interview-with-william-n-thetford/.

Artigo “Why is sin merely a mistake?” [tradução livre “Por que o pecado é apenas um erro?”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/why-is-sin-merely-a-mistake/.

Artigo “What a difference a few words make” (tradução livre: “Que diferença algumas palavras fazem”), Greg Mackie, disponível no link https://circleofa.org/library/what-a-difference-a-few-words-make/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres], coescrito por Robert Perry, B.A. (Cranborne, United Kingdom) e Greg Mackie, B.A. (Xalapa, Mexico), link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-course-miracles/.

Artigo “Near-Death Experiences and A Course in Miracles Revisited” [Experiências de Quase-Morte e Um Curso em Milagres Revisitado], escrito por Greg Mackie, link Revisitado], e pode ser acessado no link https://circleofa.org/library/near-death-experiences-and-a-course-in-miracles-revisited/.

Artigo “Watch With Me, Angels” [Vigiem comigo, anjos], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/watch-with-me-angels/.

Artigo transcrito de Workshop apresentado pelo Dr. Kenneth Wapnick, denominado “Watching With Angels [Vigiar com anjos], link: https://facim.org/watching-with-angels-part-1/.

Artigo “How Does Projection Really Work? [Como a Projeção realmente funciona?], Robert Perry, que pode ser acessado através do link https://circleofa.org/library/how-does-projection-really-work/.

Artigo “The Practical Implications of Projection: Summary of a Class Presentation” [tradução livre: “As Implicações Práticas da Projeção: Resumo de uma Apresentação de Aula”] poderá ser acessado através do link  https://circleofa.org/library/practical-implications-projection/.

Artigo “Reverse Projection: “As you see him you will see yourself” [tradução livre: “Projeção Reversa: ‘Assim como tu o vires, verás a ti mesmo’”], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/reverse-projection-see-him-see-yourself/.

Artigo denominado “Are we living in a virtual reality” [“Nós estamos vivendo em uma realidade virtual?], Greg Mackie, link https://circleofa.org/library/are-we-living-in-a-virtual-reality/.

Artigo disponibilizado pelo site Pathways of Light, denominado “From Virtual do True Reality” [Da Realidade Virtual à Verdadeira], link https://www.pathwaysoflight.org/daily_inspiration/print_pol-blog/from-virtual-to-true-reality.

Série de artigos denominada “Rewriting the Rules of Virtual Reality” [Reescrevendo as Regras da Realidade Virtual] – partes 1 a 4, Dr. Joe Dispenza, link https://drjoedispenza.com/blogs/dr-joe-s-blog/rewriting-the-rules-of-virtual-reality-part-i.

Artigo “Commentary on What is Salvation” [“Comentário sobre O Que é Salvação”], Allen Watson, link https://circleofa.org/workbook-companion/what-is-salvation/.

Site oficial do Professor Allen Watson http://www.allen-watson.com/;

Artigo “Special Theme: What Is Salvation? [“Tema Especial: O Que É A Salvação?”], Thomas R. Wakechild, que pode ser acessado através do link http://acourseinmiraclesfordummies.com/blog/wp-content/uploads/2014/07/PDF-What-is-Salvation-with-Notes-Upload-7-15-14-ACIM-Workbook-for-Dummies.pdf.

Artigo “The Core Unit of Salvation” [A Unidade Central da Salvação], Robert Perry, link https://circleofa.org/library/the-core-unit-of-salvation/.

Artigo “ACIM Study Guide and Commentary – Chapter 5, Healing and Wholeness – Section III – The Guide to Salvation” [Guia de Estudo e Comentários ACIM – Capítulo 5 – Cura e Integridade – Seção III – O Guia para a Salvação], Allen Watson, acesso através do link http://www.allenwatson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c05s03.pdf.

Artigo “Commentaries on A Course in Miracles – ACIM Text, Section 1.I – Principles of Miracles” (“Comentários sobre Um Curso em Milagres – UCEM Texto, Seção 1.I – Princípios dos Milagres”), Allen Watson, site http://www.allen-watson.com/uploads/5/0/8/0/50802205/c01s01a.pdf

Artigo “A Course in Miracles: The Guide to Salvation” [Um Curso em Milagres: O Guia para a Salvação”], Sean Reagan, acesso através do link https://seanreagan.com/a-course-in-miracles-the-guide-to-salvation/.

Artigo “The Urgency of Doing Our Part in Salvation” [“A Urgência de Fazer Nossa Parte na Salvação”], Greg Mackie, acesso através do link https://circleofa.org/library/urgency-of-doing-our-part-in-salvation/.

Artigo “Shadow Figures” [figuras de sombra], Robert Perry, acesso através do link https://circleofa.org/library/shadow-figures/.

Artigo-estudo intitulado “Shadows of the Past” [Sombras do Passado], Allen A. Watson, acesso através do  link http://www.allen-watson.com/allens-text-commentaries.html.

Recomendamos o site The Pathways of Light Community, para reforços no processo de estudo: https://www.pathwaysoflight.org.

Artigo sobre o Capítulo 17: O Perdão e o Relacionamento Santo – Seção III: Sombras do passado; pode ser acessado através do link: https://www.pathwaysoflight.org/acim_text/print_acim_page/chapter17_section_iii.

Transcrição de palestra do professor David Hoffmeister, estudante, pesquisador e eminente divulgador de UCEM, durante a Conferência “A Course in Miracles – ACIM” [“Um Curso em Milagres”], no mês de fevereiro de 2007, acesso através do link https://awakening-mind.org/resources/publications/accepting-the-atonement-for-yourself/. As diversas palestras do professor David podem ser acessadas, em inglês, no site https://acim-conference.net/past-acim-conferences/.

Trechos do workshop realizado na Fundação para Um Curso em Milagres (Foundation for A Course in Miracles), em Roscoe, Nova Iorque, denominado “Regras para decisões”, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D., no link https://facim.org/online-learning-aids/excerpt-series/rules-for-decision/.

Artigo “Levels of Mind: Looking at the ‘Layers’ of Mind that form Perception” (“Níveis da Mente: Olhando para as ‘Camadas’ da Mente que formam a Percepção”), Site https://miracleshome.org/publications/levelsofmind.htm.

Artigo “To Desire Wholly is to Be” (“Desejar Totalmente é Ser”), do professor David Hoffmeister. Site: https://miracleshome.org/supplements/todesirewholly_171.htm.

Artigo “The Glory of Who We Really Are” [“A glória de quem nós realmente somos”], do professor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/the-glory-of-who-we-really-are/?inf_contact_key=2c1c99e05ff3c25330a7916d84d19420680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “The difference between horizontal and vertical perception”, Paul West (16/09/2019). Site https://www.voiceforgod.net/blogs/acim-blog/the-difference-between-horizontal-and-vertical-perception.

Artigo “The Holy Relationship: The Source of Your Salvation [“O Relacionamento Santo: A Fonte de Sua Salvação”], Greg Mackie. Site Circle of Atonement, https://circleofa.org/library/holy-relationship-source-of salvation/?inf_contact_key=791ef4a4c578a34f45d28b436fec486d680f8914173f9191b1c0223e68310bb1.

Artigo “On Becoming the Touches of Sweet Harmony – The Holy Relationship as Metaphor – Part 1 and Part 2” [“Sobre se Tornar os Realces da Amena Harmonia – O Relacionamento Santo como Metáfora – Parte 1 e Parte 2”], 1º de junho de 2018, Volume 22 Nº 2 – Junho 2011, Dr. Kenneth Wapnick, Ph.D. Site https://facim.org/becoming-touches-sweet-harmony-holy-relationship-metaphor/.

Livro “Your Immortal Reality: How to Break the Cycle of Birth and Death” (tradução livre: “A Sua Realidade Imortal: Como Quebrar o Ciclo de Nascimento e Morte), de autoria de Gary R. Renard.

Fonte de consulta para a tradução dos Dez Mandamentos em português: https://biblia.com.br/perguntas-biblicas/quais-sao-os-10-mandamentos-e-onde-os-encontramos-na-biblia-cl/.

Artigo “Summary of the Thought System of “A Course in Miracles” [Resumo do Sistema de Pensamento de “Um Curso em Milagres”]. Links https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-1/; https://facim.org/summary-of-the-thought-system-of-a-course-in-miracles-part-2/.

Artigo “Miracles boomeritis” [Boomerite dos Milagres], Robert Perry, https://circleofa.org/library/miracles-boomeritis/.

Livro “Boomerite: Um romance que tornará você livre” [na versão em português; “Boomeritis: A Novel That Will Set You Free”, na versão original em inglês].

Artigo “A brief summary of “The obstacles to peace” [“Um breve resumo de “Os obstáculos à paz”], Robert Perry, site Circle of Atonement, link https://circleofa.org/library/brief-summary-obstacles-to-peace/.

Artigo “A Course in Miracles and ‘The Secret’” [“Um Curso em Milagres e ‘O Segredo’”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/a-course-in-miracles-and-the-secret/.

Artigo “How can the Course help us cope with a financial crisis” [“Como o Curso pode nos ajudar a lidar com uma crise financeira?”], Greg Mackie. Site https://circleofa.org/library/course-help-cope-with-financial-crisis/.

Artigo “True Empathy” [“A Verdadeira Empatia”], autor Robert Perry. Site https://circleofa.org/library/true-empathy/.

Artigo: “I NEED BE ANXIOUS OVER NOTHING”, autor Greg Mackie. Site: https://circleofa.org/library/carefree-life/;

Artigo “16-POINT SUMMARY OF THE TEACHING OF A COURSE IN MIRACLES”, autor Robert Perry. Site: https://circleofa.org/library/creation-by-god/

Livro “365 Days Through A Course in Miracles – A Daily Devotional”, de Jeff Nance.

Artigo ‘The Introduction to the Workbook’, de Allen Watson. Site: https://circleofa.org/workbook-companion/the-introduction-to-the-workbook/

Um milagre é uma correção. Ele não cria e realmente não muda nada. Apenas olha para a devastação e lembra à mente que o que ela vê é falso. Desfaz o erro, mas não tenta ir além da percepção, nem superar a função do perdão. Assim, permanece nos limites do tempo. LE.II.13

Nada real pode ser ameaçado.
Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus.
T.In.2:2-4

Autor

Graduação: Engenheiro Operacional Químico. Graduação: Engenheiro de Segurança do Trabalho. Pós-Graduação: Marketing PUC/RS. Pós-Graduação: Administração de Materiais, Negociações e Compras FGV/SP. Consultor de Empresas: Projeto OREM® - Organizações Baseadas na Espiritualidade (OBEs). Estudante e Pesquisador Independente sobre Espiritualidade Não-Dualista; Psicofilosofia Huna e Ho’oponopono; A Profecia Celestina; Um Curso em Milagres (UCEM); Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT); A Organização Baseada na Espiritualidade (OBE). Certificação: “The Self I-Dentity Through Ho’oponopono® - SITH® - Business Ho’oponopono” - 2022.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x